Usado da semana

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

Olá leitores do Noticias Automotivas, eu gostaria de deixar aqui um longo relato, referente a um ano de uso do meu atual carro, um Peugeot 206 1.0 16V Soleil 2002. Para que não fique um texto confuso e longo vou descrever brevemente o motivo da compra desse carro, valores e revisões, e depois vou dividir meu relato em 2 partes: “Pontos positivos” e “Pontos negativos”, tentando ser bem imparcial.


A ESCOLHA

Eu vinha de um Fiat Uno Mille EX ano 2000, básico, porém extremamente bem conservado, que foi meu primeiro carro, e como nós entusiastas sabemos, passada a lua de mel pela compra do tão sonhado veículo, vamos percebendo todos aqueles defeitos que com o tempo vão deixar cada vez mais frequente na sua cabeça a ideia de trocar de carro.

E um belo dia a ideia chegou…


Cansado da suspensão dura, design antiquado, acabamento pra lá de espartano, falta de confortos básicos como Ar condicionado, vidros elétricos e direção hidráulica, decidi vender o carro e passar para algo bem melhor.

Após uma longa pesquisa através de sites e fóruns, minha escolha caiu sobre o Peugeot 206, um carro que estava dentro do meu baixo orçamento (cerca de R$ 13.000) e que reunia aquelas características que eu considero fundamentais em um carro, como design, segurança, estabilidade e economia de combustível.

Então passei alguns dias procurando anúncios de 206 na capital Vitoria (ES), pois moro no interior do estado, aonde a oferta é pouca. Encontrei 3 Peugeot 206, marquei de vê-los no mesmo dia e acabei comprando esse das fotos.

O carro foi comprado em abril do ano passado, ano 2002, com 63.800 km, sujo por dentro e por fora, alguns amassados e alguns serviços de manutenção para fazer, mas em vários detalhes dava para ver que o carro estava bem novo e inteiro, seja na parte mecânica seja na parte de acabamento interno, e veio com 4 pneus novos.

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

Paguei R$ 11.000 no carro, e logo fiz uma bela revisão, trocando óleo e filtros, correia dentada (era original do carro inda), tensionador, discos e pastilhas, lonas e “burrinhos”, bomba d’água, válvula termostática, dois coxins do motor e um par de bieletas da barra estabilizadora.

Gastei cerca de R$ 1.600, mão de obra inclusa, e o carro ficou zero, mas vale ressaltar que a maioria das peças trocadas estavam deterioradas por ressecamento causado pelo tempo e por falta de uso, pois a antiga dona deixava o carro parado até por meses, usava muito pouco o carro.

Mas vamos ao que interessa, ou seja, o que achei do carro nesses 10 meses e 11.000 km de uso…

PONTOS POSITIVOS

DESIGN: O ponto alto do carro. Ele tem linhas arrojadas, modernas e aerodinâmicas, você olha pro carro todos os dias e acha ele bonito. Eu gosto muito de design automotivo e gosto de desenhar carros no meu tempo livre, sei reconhecer um design de qualidade, e esse 206 tem um design de muita qualidade, cujos detalhes combinam entre si de forma harmoniosa, seja fora que dentro do carro, cujo desenho de todos os acabamentos e peças plásticas se integram, dando a sensação de que os designers gastaram tempo e tiveram boa vontade em desenvolver o projeto.
O painel como um todo é bem tridimensional, alternando vários planos de profundidade, e dá a sensação de ser algo maciço e sólido. A iluminação avermelhada dos instrumentos, com ponteiros de iluminação branca, também agrada.

Esse conjunto de cuidados com o design faz com que ao entrar em carros mais novos como HB20, Novo Palio, Gol e Novo Ka e depois voltar pro meu carro, eu não me sinta ao volante de uma peça de museu…

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

ARQUITETURA, ERGONOMIA E DETALHES: Outro ponto que denuncia a modernidade do projeto é a arquitetura do carro, aonde temos caprichos como as palhetas dos limpadores que ficam discretamente recolhidas entre o vidro e o capô, o motor que fica bem recuado em relação ao eixo dianteiro, centralizando mais o peso do carro, esguicho traseiro que fica camuflado no brake light, esguichos dianteiros do tipo “spray”, arquitetura eletrônica moderna Multiplex e ergonomia da posição de dirigir ótima, com banco, pedais e volante bem alinhado e com várias regulagens.

ITENS DE SÉRIE: Airbag duplo com desativação do Airbag do passageiro, cintos de segurança dianteiros com pré-tensionadores e limitadores de carga, cintos de segurança de 3 pontos e encosto de cabeça para todos os passageiros, 03 pontos de fixação Isofix, regulagem de altura da direção e do banco do motorista, Ar condicionado (polar), direção hidráulica e vidros elétricos, fora outros mimos, como alerta sonoro de farol ligado e chave no contato, regulagem elétrica do facho dos faróis (que iluminam muito bem apesar de serem monoparábola), pequena tela LCD com data, hora e informações indicando individualmente a abertura das portas, para-brisa atérmico, controle de som no volante, limpador traseiro que aciona sozinho ao engatar a ré caso os dianteiros estejam ligados, limpadores dianteiros que variam automaticamente a velocidade de varredura conforme a velocidade do carro, e a iluminação interna que acende e apaga gradualmente.

ESTABILIDADE, CÂMBIO, SUSPENSÃO E MOTOR: O carro contorna curvas com precisão e desenvoltura, tem suspensão independente nas quatro rodas, freios bons, um alto nível de aderência e uma direção suficientemente precisa. O câmbio é bem macio e preciso porém de curso um pouco longo e aceita passagens de marcha muito rápidas sem arranha ou algo parecido (coisa que o Uno não aceitava). A alavanca de marchas era muito alta, mas resolvi o problema serrando a haste uns 2 dedos. O trambulador é um pouco barulhento mas nada que incomode.
O motor de origem Renault é muito econômico (na estrada, 5 pessoas, ar ligado e 110 km/h faz cerca de 15 km/l) tem um torque e potência decente (70 cv) e quando o carro está vazio (95% das vezes) entrega uma boa agilidade na cidade e um desempenho suficiente na estrada, dês de que não se tenha dó de dar uma esticada em 3º e 4º marcha, normal pra um carro 1.0… Mantém 110-120 km/h sem muito esforço e com certo fôlego para ir mais, ao contrário dos clássicos 8 válvulas.

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

VEDAÇÃO: Desmontei o interior do carro todo pra passar fiação do som, e não encontrei nem o rastro de poeira ou infiltração. O assoalho do carro e todas as partes escondidas atrás de acabamentos estavam limpas e impecáveis como saiu da fábrica. Quando desmontei meu velho Uno para fazer a mesma coisa, tinha muita poeira e sinais de infiltração de água.
O carro hoje tem 75.000 km e, tirando as bieletas, a suspensão inteira, bandejas, pivôs, terminais, amortecedores (sem vazamentos e com boa ação), batentes etc. foi comprovado serem originais de fábrica, e o único problema é uma minúscula folga em uma barra axial que (mau) se percebe ao girar o volante de um lado para o outro com o carro parado, mas andando, até em paralelepípedos, a suspensão não faz um barulho sequer, nem mesmo o “famigerado” eixo traseiro, pintado por muitos como a problema crônico do carro em quanto a desgaste e barulho.
Ao meu ver, quem reclama da suspensão desse carro deve estar acostumado a pular quebra-molas e a cair em crateras na estrada, pois mesmo morando em uma cidade cujo asfalto é ruim e andando sem maiores cuidados, ainda não tive problemas.

PONTOS NEGATIVOS

ESPAÇO TRASEIRO E PORTA-MALAS: Embora na frente o espaço seja bom, quem vai atrás fica com as pernas quase coladas atrás do meu banco (tenho 1,80 metro de altura). O espaço em largura porém é suficiente para 2 adultos e uma criança. Pessoas com até 1,80 metro não esbarram a cabeça no teto no banco traseiro (sobram dois dedos), mais que isso já complica.
Porta-malas é largo (1,12 m) porém é raso e pouco fundo, para um casal sem filhos pequenos é suficiente, mas no meu caso que tenho som, não sobra quase nada.

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

DEFLETOR SOB O PARA-CHOQUE DIANTEIRO E ALTURA PROTETOR DE CARTER: Sob o para-choque dianteiro existe um defletor plástico bem generoso, que melhora a aerodinâmica e a estabilidade na estrada (evita o “efeito asa” provocado pelo protetor de cárter, que deixa a frente leve acima de uns 110 km/h). Esse defletor raspa com facilidade em rampas e meio-fio, e já perdi ele pelo caminho umas 2 vezes (é apenas encaixado) e tive que parar o carro para buscar. Pessoas mais descuidadas vão ficar sem (comprei o meu na concessionária, pois o antigo dono perdeu, assim como 90% dos 206 em circulação).

O protetor de cárter, apesar de vir de fábrica e ser muito bem feito e espesso, deixa a frente do carro meio baixa, e não é raro raspar ele no chão em estradas de terra. Já o fundo do carro (entre os eixos) nunca raspei em lugar nenhum, mesmo com o carro carregado, coisa que acontecia muito com meu antigo Uno.

VIDROS ELÉTRICOS E ALARME: Os vidros elétricos são somente na frente e não possuem nenhuma comodidade, como um toque ou fechamento ao travar o carro. O carro não veio com alarme de série, apenas travas elétricas.

GRILOS: Se a suspensão não fazia nenhum barulho, não posso dizer o mesmo dos acabamentos internos. Ao passar por paralelepípedos se escutava uma série de barulhinhos e acabamento (nada insuportável) que incomodam um pouco. Quando desmontei o carro para a instalação do som eu entendi o motivo dos barulhos. Devido á baixa qualidade, as espumas de amortecimento entre os revestimentos estavam ressecadas e esfarelando, sem ação nenhuma. Já que o carro estava desmontado aproveitei e apliquei espumas novas e feltro nas peças, e o barulho parou quase por completo, sobrando uma única fonte de barulho, que eram os trincos da fechadura das portas, pois as borrachas das portas foram perdendo pressão com os anos, e as portas foram ficando mais “folgadas”. Resolvi o problema trocando as borrachas das portas e regulando os trincos. Hoje em dia o carro praticamente não tem barulhos.

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

ISOLAMENTO ACÚSTICO: Nada a reclamar a respeito do barulho que vem de fora, como vento ou barulho de rolagem dos pneus, pois no desmonte me surpreendi com a quantidade e qualidade das mantas isolantes sobre o assoalho, mas o barulho do motor (já meio barulhento por natureza) invade a cabine sem muita cerimônia, e na estrada incomoda um pouco a 110-120… Creio que o motivo seja mesmo o motor, pois já andei em um 206 com motor 1.4 8v e era bem mais silencioso embora o isolamento acústico fosse o mesmo, inclusive dentro do cofre do motor… Nesse caso novamente eu mesmo amenizei o problema adicionando mantas de isolamento no capô e no cofre do motor, mas não são muitos os que têm paciência e/ou tem conhecimento pra fazer o serviço…

DEFEITOS ELÉTRICOS: A chave de seta dos 206/207 é um componente que pode dar defeito, e no meu caso deu dois defeitos, que, caso eu não tivesse ferramentas e algum conhecimento, teriam me custado algum dinheiro. O primeiro defeito foi a luz do Airbag, que começou a acender. Desmontei o acabamento da coluna de direção, e reapertei dois plugs do Airbag que entram na chave de seta, e o problema foi resolvido. O segundo defeito foi que ao ligar a seta pra direita, acendia o farol alto. Detalhe que isso só acontecia quando o carro estava quente, parado sob o sol. Nesse caso desmontei a chave de seta, limpei e lubrifiquei os contatos da seta, montei de volta e nunca mais o defeito ocorreu.

FORRO DAS PORTAS E VOLANTE: A parte de tecido das portas costuma se soltar, e o volante descascar, na grande maioria dos 206. No caso do volante mandei revestir de couro, em quanto os forros ainda não mexi…

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002

Aqui termina meu relato, e o que posso dizer é que estou bastante satisfeito com meu 206.

Os problemas que ele tinha puderam ser corrigidos, mas pelo contrário, um carro feio, inseguro, instável, sem ergonomia e mal acabado não é uma coisa que da para concertar não é mesmo?
O Peugeot 206 é um carro que sugiro para pessoas que gostam de carro e que tem um certo cuidado, pois a revenda já é mais difícil em relação aos clássicos Gol e Palio, e se além de tudo a pessoa for vender o carro detonado aí vai ter que casar com o carro mesmo ou vender barato…

Eu estou satisfeito com o carro, é um bom carro dentro da sua proposta, e embora os probleminhas, o que realmente dou valor, o 206 me entrega. Quando eu for trocar de carro pretendo continuar com a marca, e procurar um 307 1.6.

Por Diego Vedove

Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Soleil 2002
Nota média 5 de 1 votos

222 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

      • Esse tipo de som que é pra quem tá na rua ouvir é precursor da moda de ouvir “musica” sem fone de ouvido em ambientes coletivos.

        Não tem sentido, é uma pena que aconteça.

        Mas fora isso, foi um belo relato.

      • Que outro motivo haveria?

        1) Qualidade. Alto-falante de porta certamente não reproduz graves como um subwoofer decente reproduz.

        2) Festas ou acampamentos. Tenho amigos com som no carro (nada exagerado), e de vez em quando vamos acampar, ou numa cachoeira, ou numa festa num sítio, o carro fica com o porta-malas aberto tocando música. Mais prático do que levar um aparelho de som com 6 ou 8 caixas, conectar toda a fiação, e não necessita de energia elétrica.

          • Depende. No meu caso, quando eu desmontar pra vender o carro, não vai ficar nem o rastro da instalação da caixa, no meu caso ela não é parafusada, é apenas bem justa de modo que fica bem fixa.

            • Gostei do sistema de subwoofer. Gostaria de fazer um igual para meu Palio Economy. Sairia muito caro? Qual o módulo que usas? Meu som de painel é um Sony com USB e CD.

              • Valeu! Na verdade eu que fiz, então só gastei o valor do MDF 18mm, dividi uma folha com meu pai então gaste apenas 65,00 R$, fora a cola, parafusos e carpete, que eu ja tinha… Mas na época as lojas estavam cobrando de 150 a 200,00 R$ pra fazer do jeito que eu queria (com reforços internos). O modulo que tenho vem da Italia, não é vendido aqui, marca RCF Artesuono, modelo ART6000.

                • O seu ainda foi muito em conta no preço. Um subwoofer pequeno, com alto falante de 8 polegadas com amplifcador interno não tá saindo por menos de R$ 600 aqui em Fortaleza.
                  Esse seu consegue, pelas fotos que vi, reproduzir uma boa camada de sons de baixa frequência, haja vista que ele é dotado de um duto “Bass Reflex” que emite um grave macio, sem aquela base ruidosa e de grave seco estilo pancadão. Infelizmente, tenho ouvido os graves de aparelhos mais novos muito ruins. Mesmo com alto-falantes grandes, até os mini systems estilo Shakes da Sony e Boom da LG estão com esses graves estilo “festa funk”. Simplesmente detesto.

    • Puxa, vocês entendem muito de som automotivo… por “falante de palanque” creio que você tenha achado que aquilo é uma corneta, mas não… se trata de uma caixa de subwoofer do tipo bass-reflex, onde um duto permite que o ar saia, melhorando a resposta das frequencias graves e subgraves.

      http://en.wikipedia.org/wiki/Bass_reflex

      Ainda que o objetivo seja ouvir apenas dentro do carro, uma caixa desse tipo melhora a qualidade do grave…. não necessariamente “pra quem tá na rua”, como vocês falaram.

      E outra, falar que “um som no painel” seria suficiente é facepalm, meus caros, pois um sistema de qualidade nunca será composto apenas de uma unidade reprodutora, sem amplificação e sem caixa para graves.

      Mas vamos supor que o leitor tivesse cornetas no porta-malas e quisesse jogar o som pros outros ouvirem…. acho que seria bom vocês respeitarem o gosto dele, não acham?

      Ah, outra coisa, falante de palanque seria um falante bem grande, do tipo full-range, o que ele tem ali no carro dele é subwoofer, se ligar só ele não é possível reproduzir um “som de palanque”.

        • E por acaso som com subwoofer só pode ser ouvido em volume máximo? Em volume bem baixo dá para agradar ao motorista sem irritar quem está fora.

          Ter som com subwoofer ou não no carro é o mesmo que ter um rádio portátil na sala, com falantes de 2,5 polegadas ou ter um som completo com woofers de 6/8/10. Dá uma diferença bem grande na qualidade.

          O que o leitor tem no Peugeot 206 dele é o mesmo que carros bem caros tem de série: um subwoofer no porta-malas. Ahhh, mas quando é de série em um Audi ou BMW é uma coisa, quando é uma caixa feita por loja, aí entra o preconceito forte.

          • Olha eu sinto muito, mas qualquer som que faça tremer o carro acho desnecessário,até a simples vibração de carros que possuem esse tipo de som quando param perto de mim já me incomoda e eu nunca faria isso com ninguém, alto falantes de boa qualidade já são suficientes para gerar um som agradável dentro do carro,.

            • Creio que 100% das pessoas que entopem seus porta-malas com “caixas de som refinadas” não ouvem Slipknot, System of a Down, Weezer, Nirvana, Mettalica, Iron Maiden… enfim, ROCK!
              Geralmente ouvem o batidão ou sertanejo.
              Rockeiros geralmente ouvem seu som porque ELES gostam, portanto utilizam seus fones de ouvido, e quando estão no carro o fazem em volume razoável porque som alto mesmo tem que ser no show ao vivo.
              Entendo que tem muita gente que gosta de ter aperfeiçoamento nos graves ou até mesmo um refino no seu som, mas convenhamos… a grande maioria quer mesmo é parar no posto com o som no último ou trafegar nas ruas pros outros ouvirem.
              Admirável relato desse proprietário do 206! Eu mesmo não teeria essa paciência de acertar os problemas, por menores que fossem.
              Mas ele mostrou que é possível fazer os reparos sem um custo absurdo!
              Muito bem, gastou pouco e roda com um carro usado, mas em excelente estado!
              A não ser pelas caixas no porta-malas, que NA MINHA OPINIÃO, são desnecessárias!
              Falow!

              • Eu gosto de rock, seja Legião Urbana, seja Weezer, até mesmo Rage Against the Machine, Guns ‘n’ Roses, etc., mas Slipknot e System of a Down pra mim é lixo.
                Criticar o gosto dos outros é sempre complicado, Rodrigo. Se o cara quer ouvir sertanejo, deixe que ouça e o respeite.
                E eu tenho um aperfeiçoamento de graves no som do meu carro, mas é um sub de 10 polegadas e meros 180w RMS que não toca absolutamente nada “pra fora”.
                Aliás, os que param no posto pra incomodar os outros são os dos sons do tipo trio elétrico.

                • Aqui na minha cidade, eu nunca ouvi ninguém com “sonzão” no baú do carro ouvindo sertanejo, rock, pop entre outros gêneros musicais. Pelo menos aqui é assim: “sonzão” no baú, só para “batidão”, “proibidão” e todos os tipos abomináveis de Funk.

              • Me explique então por que eu ouço Metallica, Pink Floyd, Kiss e AC/DC, entre outros?
                Tenho um CD duplo original, dos Pink Floyd, Pulse de 1987, live e com uma extrema qualidade de gravação. Escutar “Confortable numb” com aquele solo imenso de guitarra, é de arrepiar, se fechar os olhos dá pra se imaginar em frente ao palco.
                Meu som é voltado pra qualidade, embora tenha uma boa pressão sonora, e ninguém ouve pois o carro é isolado e só ando de vidro fechado.
                Quanto ao relato, agradeço pelo elogio! ;)

              • Cara, vai mudar seu pensamento quando escutar um “Rape Me” do Nirvana no kit que possuo no Polo:

                Kit 2 vias e quadriaxiais da Morel;
                Amplificador Fosgate de 1.500 RMS
                Subwoofer Kicker Solo Baric de 600 RMS e 12″ …

                  • Um pouquinho… Hehehe gastei 600,00 no kit duas vias, 100,00 em cada cabo (peguei um par), 600,00 nos coaxiais, 2mil no amplificador e 3,2mil no subwoofer…

                    Não tenho som de “pancadão”, mas toca forte e com alta qualidade no carro…

                    • Incrivel! É bem “forte” mesmo o som.

                      Eu não sei se pagaria isso num subwoofer, mas nas outras peças… eu cheguei proximo…rs (mentira, meu amplificador apesar de ser digital, não chega perto em qualidade do seu e paguei menos de R$1000…rs).

              • Na boa nao generaliza, eu gosto de rock sou muito fa de Metallica tanto q fui em todos os shows possiveis e gosto de subwoofer tbm, vc nao sabe o q eh escutar pedal duplo com um sub ou escutar o grave do baixo de um blues. Uma coisa nao tem nada a ver com a outra. Agora ja q vc gosta de falar do gosto dos outros, slipknot??? Ah por favor neh.

            • Desnecessária lição de moral. Concordo com Tukh e Fanjos. De extremo mau-gosto o som exagerado que incomoda a vizinhança Ouça seu som, mas respeito a quem não quer. Não sei se é o caso do dono do relato, não entendo de som, mas de educação, sim.

          • Eu concordaria com o NA se a caixa estivesse apontada diretamente para os ocupantes do veículo ao invés de estar apontada para a traseira. Do jeito que está, a acústica fica bastante prejudicada quanto a qualidade, sobrando mesmo como única função a produção de barulho alto. É só minha opinião, e respeito quem não concordar com ela!

        • Como se esse som fizesse muito barulho mesmo,se fosse alto falantes “cone seco” com super amplificadores até concordaria,esse som é pra pessoa colocar tocar naquela festinha de família,com os amigos em um churrasco,já tive muito tipo de som automotivo potente,mas nunca me incomodei com vizinhos ou policia,sabe porque:é que existem lugares e eventos próprios pra quem gosta de som automotivo,é como um evento de carros antigos e rebaixados,vai quem gosta,assim é com o publico do som automotivo,e querendo ou não é uma área que gera muitos empregos,seja para as fabricantes,seja para instaladores profissionais e autônomos.

          • Mas aí entra também a questão do bom-senso, que todo mundo pensa que tem.

            E gera muitos empregos mesmo, inclusive, vez em quando eu tenho que chamar a polícia para vê-la trabalhar, notificando alguns saudosistas mais desmoderados, e que acham que o ouvido dos outros é o penico da casa deles.

      • Da pra ver que nao entendem o mínimo sobre áudio,chamar subwoofer de som interno de ”palanque”,que o uso é de precursor de ouvir música sem fone de ouvido em ônibus,ja diz tudo do conhecimento deles.

        • Obrigado. Pena que agora não to com tempo de descrever o meu sistema nem o uso e tipo de musicas que escuto. Ja ja reepondo ao pessoal, apesar de que o foco deveria ser o carro e não o som, por isso nem escrevi nada no relato…

        • Ligar o rádio do carro no máximo volume e ouvir “música” sem fone de ouvido são em essência a mesma coisa: obrigar terceiros a padecer ouvindo a “música” que vc decidiu que é legal.

          Não precisa entender de audio pra fazer essa correlação, basta, infelizmente, conviver com os animais que fazem isso.

          De toda forma, é importante que fique claro que meu comentário (e do Fanjo também, acredito eu) não acusam o dono do carro de fazer isto. Releia-os e verás.

          E convenhamos caros senhores phd’s em audio: em geral o camarada que lota a mala inteirinha do carro com audio não faz isso pra ouvir suas músicas no volume 3, né?

      • a maioria coloca pra ouvir alto mesmo! nçao vai me falar que é pra melhorar som! mesma coisa seria colocar um v8 num crro pra desfilar no 7 de setembro

      • “Mas vamos supor que o leitor tivesse cornetas no porta-malas e quisesse jogar o som pros outros ouvirem…. acho que seria bom vocês respeitarem o gosto dele, não acham?”
        Neste caso não acho não, não é questão de gosto mas de poluição sonora.

      • “Mas vamos supor que o leitor tivesse cornetas no porta-malas e quisesse jogar o som pros outros ouvirem…. acho que seria bom vocês respeitarem o gosto dele, não acham?”
        A boa educação diz que o direito dele termina onde começa o direito dos outros, ele não pode obrigar os outros a gostarem da musica dele, se ele gosta, que escute em um volume somente para ele, já na casa dele ele poderá colocar um fone e ouvir em um volume que deixe ele surdo que ninguém vai se incomodar.
        Aliais esse é o maior problema da maioria dos Brasileiros, não tem noção da extensão de seu direito, ultrapassa seus limites e atinge a todos em sua volta sem se importar com nada.

        • Já tive som que ocupava o porta malas inteiro do carro e nunca subi ele quando andava na rua, o volume quase nunca passava do 8…sempre estive preocupado com a qualidade. Mas entendo o preconceito. Tenho ódio de quem anda com som alto no carro. Alguns idiotas acham bonito fazer os graves dispararem os alarmes dos carros estacionados.
          mas esses e aqueles que escutam som alto no celular quando estão em onibus ou andando na rua fazem todos parte do mesmo grupo…fazem para aparecer e isso sempre vai ocorrer….
          agora vou falar sobre o quem interessa, Muito bom o Relato. Um carro muito bem projetado para a época que hoje em dia ainda parece atual em seu desenho apesar da idade.
          Notei que o dono gosta de “meter a mão na massa” e fazer as coisas no carro e isso é muito legal, e também sabe do que faz, não faz aquelas gambiarras no carro.
          Parabéns pelo carro, pelo relato e pela forma como cuida dele…
          abraços

      • Só pode ser alguma especie de troll… nao é possível. Nao posso ter um sub no carro agora pra ouvir um som decente?..meu deus, ja teve mto comentario de fundamento aqui mas estes , façam me o favor… e tem gente que ainda dá pano pra manga.

      • Eu achava que não era necessário pois o relato é referente ao carro e não ao som, que é um acessório, mas vou comentar sobre isso.
        Para os que estão reclamando da “caixa de palanque” posso dizer que aquele, assim como o moderador do NA disse, é um Subwoofer, que é encarregado de produzir os subgraves, no caso de 50 Hz pra baixo.
        O sistema de som que tenho no meu 206 é um sistema voltado para alta qualidade sonora, em qualquer volume, e com qualquer tipo de musica.
        Para quem conhece, na frente o carro tem um Kit 2 vias com crossover, Focal Polyglass de 6″ e tweeter com domo de seda de 1″ montados e direcionados para criar um efeito chamado “palco sonoro” aonde o ouvinte tem a real sensação de estar de frente para os instrumentos e cantor.
        Para quem senta atrás existe outro kit 2 vias Focal Polyglass, mas com midbass de 5″. Nesse caso fiz algumas adaptações artesanais nas portas para alojar os componentes, mas de modo que pareça uma peça original do carro (da pra ver as telinhas no forro da porta, na foto do banco traseiro).
        O subwoofer é um Questo Audio de 12″ e 250W RMS, marca Brasileira do RS que produz subwoofers de alta qualidade sonora, que chegam perto ou se equiparam a Focal e JL Audio como qualidade.
        A caixa (assim como toda a instalação e adaptações) eu mesmo fiz, e tem esse tamanha pois respeita a litragem especificada pelo fabricante do Subwoofer, ou seja 57 litros.
        Os cabos RCA que ligam o CD Player ao amplificador são blindados contra ruídos, tem terminais banhados a ouro e usam cobre OFC 99,9% puro, e os cabos speaker são Technoise.
        O Amplificador é um Italiano RCF Artesuono, com 4 canais de 65W Rms e 1 bridge de 135W para o Subwoofer, tudo com distorção THD de 0,01%.
        O Cd Player é a parte mais simples, um Pioneer DEH-X8680bt, com conversor digita/analógico de 24bit e 3 pares de saídas RCA de 4 Volts.

        Eu gosto muito de ouvir musica, e com qualidade.
        Ouço um pouco de tudo, dependendo do momento, Hip-Hop, Jazz, Blues (meu preferido), Rock e algumas MPB.
        Ouvir o CD duplo Pulse 1987 dos Pink Floyd é de arrepiar, especialmente Confortable numb, com um solo de guitarra incrivel, e a qualidade de gravação do CD é ótima.
        Outras ótimas de ouvir são Nothing else matters e muitas de Stevie Ray Vaughan, aonde parece que o cara ta sentado tocando em coma do painél.
        Ouvindo Hi- hop o carro não vibra um parafuso, e que está fora mal sabe o que estou ouvindo, pois o carro é todo isolado e tradado acústicamente (por mim) com manta asfáltica autoadesiva e feltro, justamente pra não vibrar e “poluir” o som.

        Aí vão vir os chatos dizendo, ah mas com esse dinheiro podia comprar um carro mais novo…. Bom, o som eu ja tinha no Uno, e antes mesmo de comprar o Uno, pois o som estava montado em uma BMW 328i E46 de um tio meu, e quando ele vendeu o carro em 2009, ajudei a desmontar o som e ele me vendeu por um valor simbólico de 600 R$. Apenas gastei com cabeamento e o Subwoofer.
        Mas, mesmo assim, cada um tem seus gostos e suas preferências de como gastar o próprio dinheiro, tem gente que gasta bebendo grades de cerveja, eu prefiro ouvir música!
        Abraço

        • No post do Audi R8, ninguém comentou nada do som de 500W, nem tentaram dar lição de moral…

          Daí o cara vem e posta um relato sobre o carro dele, que eu achei bem escrito e detalhado, e mais da metade dos comentários é sobre som automotivo em volumes altos (assunto que nem foi citado no texto).

          Vai entender né…

          • Infelizmente isso é um trauma que temos devido a quantidade absurda de símios (sem ofender os símios) que andam com o som explodindo para todos os lados, disparando alarme dos outros carros, incomodando vizinhos, acordando as pessoas no meio da noite, fazendo o inferno que o Brasil já é, ficar um pouco pior.
            Por isso os questionamentos, mas pelo menos eu, em nenhum momento o acusei de fazer isso, só disse que “esperava que ele não fizesse” porque geralmente a maioria das pessoas que tem isso no carro são os mesmos que fazem a desgraça toda, mas para toda regra tem a exceção.

            A reclamação do pessoal daqui é mais um desabafo mesmo.

      • Concordo! Ela é uma caixa muito bem dimensionada e não fornece aquele grave seco estilo “pancadão”. Essa daí deixa um grave macio e com um bom reprodutor de ruídos de baixa frequência como um trovão por exemplo.

      • Eber

        Ja vi projetos premiados em que o instalador NÃO usou subwoofer, apenas woofers e tweeters de altíssima qualidade. Ouvi pessoalmente, a clareza da imagem acústica e a resposta de frequencia do sistema estavam perfeitos. Um projeto bem feito, com equipamentos high-end você consegue um belo resultado. Mas isso é para aquele tipo de “audiófilo”, não aquele som com aquela curva de equalização “U”

        • Verdade, com os equipamentos certos se consegue um resultado legal apenas com um Kit 2 ou 3 vias e uma bom tratamento acústico das portas, mas no meu caso eu gosto também de hip-hop e musica eletrônica, e meus amigos também, e um subzinho da uma incrementada legal (o meu recebe apenas 135W do amplificador) nesse tipo de música…

      • Um detalhe N.A., vários carros médio, premium e luxo entregam de som, tweeters, auto-falantes médio/agudo, auto-falantes médio e principalmente o subwoofer (grave) com caixa dutada (bass-reflex) de fábrica. Há vários exemplos de marcas que adotam o sistema, Ferrari, Mitsubishi, Rolls Royce, Land Rover, BMW, MB, Toyota, Honda, Chrysler, Ford, Audi, entre outros.
        Fiquei impressionado com a falta de conhecimento da galera a respeito de som automotivo de qualidade.

      • Eber, a pressão sonora é bem maior quando a caixa é dutada.

        E no caso do bass reflex, esse sistema de reflexo do som, para o carro é muito ampliado. Creio eu que mesmo com os vidros fechados, placas e o grave acaba escapando.

        Mas creio que o objetivo do som era ter essa pressão sonora. Entretanto, ele acaba perdendo em palco e envolvimento nos demais instrumnetos ainda que ele possa e vá escutar generos sem tanto apelo em graves.

    • Fanjos, nem sempre som desse tipo é para incomodar os outros. Infelizmente, muita gente faz sim pra torrar a paciência dos outros com seus gostos musicais particulares, mas toda regra tem exceção. Vai que o colega é uma dessas pessoas que só busca quaildade…?

      Mas como vc mesmo disse e agora faço coro: Esperamos que não seja pra ouvir aos berros! =)

    • Bah! Gostei muito do relato. E arregalei os olhos maldosos naquela caixa de som do porta-malas também. Se for para reproduzir qualquer música em toda as suas frequências mais sinuantes, aqueles graves perfeitos, não tremendo o veículo inteiro, não incomodando os outros, eu aprovo.

    • Esse é o típico som que faz a placa do carro tremer, e quem está de fora ouve aquele “plac plac” em cada batida. Ai sempre sai aquele comentário: ” Se fosse um carrão o cara não estaria fazendo isso”

      • Minha placa não faz “plac plac” kkkkkk Cuidei muito bem pra que não se escute nada fora do carro! Tudo que fazia barulho por causa do som eu botei manta, feltro ou algum calço de borracha. A unica coisa que faz um pouco de barulho pro lado de fora é a palheta do limpador, que vibra um pouco em cima do vidro… mas também nenguém que esteja dentro do próprio carro escuta isso…

    • Você e sua IGNORÂNCIA não permitem entender que aquilo é só um subwoofer, a altura da musica, a voz, continua do carro original, só completa com os graves INEXISTENTES no som original, sua anta

  • Bom relato. Apesar de ainda achar o carro feio. rsrsrs.
    A principal conclusão a que cheguei é que quem não quer incômodo nenhum com o carro deve passar longe dos super-usados como esse. Para quem quer apenas entrar no carro e dirigir as únicas opções são os novos ou usados de baixíssima quilometragem. Não digo que foi uma má compra, pelo contrário, mas há pessoas que não tem paciência para esmiuçar consertos e ajustes no carro, como esse das espumas desgastadas.

    • Tem um vizinho que tem um ano 2007 que está no terceiro modulo de injeção e esta parado agora na css pois estão pedindo 4.500 neste bendito modulo.

    • Muito obrigado! Realmente gosto não se discute, mas por esse valor, os unicos carros em bom estado que eu conseguiria comprar eram Palio Fire 1.0 e Gol Bola, que convenhamos, são bem inferiores no quesito Design e outras qualidades.
      Quanto aos probleminhas, é verdade, mas te digo uma coisa, qualquer carro vai ter “probleminhas”, até meu Uno que era básico teve probleminhas chatos, como vidros que começaram a subir tortos, bucha da coluna de direção que vazia o volante fazer barulho em paralelepípedos, e um defeito no comando que acende os faróis (as vezes não acendia), problemas com as portas, que tinham uns furinhos pra saída da água, que entupiam e dava infiltração dentro do carro, entre outras coisas que nem lembro.

    • Olha no meu caso o gasto foi pouco pois o som era de um tio meu, e me vendeu por um valor simbólico (leia minha resposta mais acima, ao comentario do moderador NA), mas creio que se alguem fosse montar algo parecido do zero e tudo novo, o valor seria de uns 3.500 Reais.

  • Na minha modestíssima opinião 206 e 307 foram os carros mais bonitos de suas categorias em sua época aqui no Brasil. Não a toa que tive os dois e tenho boas lembranças de ambos.

    O 206 1.4 (somente gasolina) 2004 era muito econômico e delicioso para uso urbano.

    • Fico pensando que a pessoa sempre pode usar a grana que gastou no som e pegar um carro melhor. No mais o relato foi muito bacana, já tive um 206 porém era Feline 1.4, um carro fantástico, foi aí q vi a superioridade dos franceses na questão acabamento e tecnologia. Hoje sou feliz com o Ds4

      • É engraçado isso. Vejo muito carro de entrada mais antigo com som caríssimo e rodas imensas, cheio de acessórios… Não entendo como um cara (não estou falando do autor do post) gasta uns 5.000 em rodas e 3.000 em som em um carro de 10.000 por exemplo.

        • também não entendo, mas acho que normalmente eles vão trocando coisas que tem pelas rodas e dão uma volta no valor. Meu cunhado tem loja de som e tem uma corsa wagon com rodas 17, socado no chão e com som. Acho que estragou a perua, que sempre achei bonita, mas cada um sabe onde gastar né.

          • Acho também que o pessoal vai comprando os acessórios aos poucos, na esperança que vai dar uma impressão melhor ao carro. Na minha opinião, porém, o efeito é o contrário, e carro mais antigo só parece bonito mesmo original, não adianta botar fita de led no farol de santana… :P

            • fita de led, friso cromado, roda 20 num carro que a original é 13, Xenon, desenhar teto solar(não é o teto todo preto, só o formato de um teto solar), assobio de turbo no escapamento e o que acho pior, interior da cor do carro, exemplo real:

              chevete vermelho com tapete chão de ônibus vermelho, manopla vermelha, freio de mão vermelho, pedaleiras vermelhas e capa de volante vermelha, fora que as vezes a cor do led do radio é vermelho…

              um primo da minha esposa tinha um. terrível….

                    • Cara, a relação feiúra benefício não compensa. Prefiro tomar chuva…
                      Mas depois que eu vi um desses crossovers da BMW na Pinheiros, eu perdi a esperança na humanidade.

                    • Eu tive um gol peladão que tinha calhinha, e ajudava muito. Mas tbm vejo carros deste tipo que inexplicavelmente adotam a tal calha. Deve ser síndrome de acessório, o cara não aguenta comprar um carro e não colocar nenhum acessório por fora.

                    • Reunião dos compradores de acessórios anônimos:

                      “E faz duas semanas que eu não coloco um adesivo no carro ‘Vida Loka, ZL’, nem coloco tapete de chão de busão, e nem coloco uma ‘seladinha’ no porta-malas”

                      Clap, Clap, Clap…

                    • Hahaha é engraçado isso, acho que vivemos tanto tempo com carros pelados que o pessoal estranha comprar o carro e pronto. Ou sente falta de dar um “toque pessoal”, sei lá. A melhor coisa que fiz na vida foi comprar um carro em que não precisei instalar NADA depois, é outro mundo de confiabilidade e durabilidade.

    • Tenho um sub de 12″ no meu porta malas, que integra um som de qualidade voltado pra dentro.. já fiz o teste, coloquei o som alto na minha satisfação, deixei tocando, sai do carro e fechei as portas pra ver como ficava do lado de fora… nao incomoda, tem que chegar perto pra saber que tem um som rolando ali dentro, nao incomoda mesmo..

      Claro que cada caso é um caso, tem aqueles manolos que o cara tá a 1 km e já tá tremendo tdo, o que me parece, não é esse o caso..

      No dia que vc ouvir um som de qualidade com kit duas vias, bem dimensionado, com grave na medida certa, vc nunca mais vai sugerir isso de fone de ouvido rs..

  • Acho que fez uma excelente compra no que se refere a custo-benefício. O carro me pareceu, pelas fotos, muito bom para um 2002. Só não investiria muito nele em acessórios pois não haveria retorno. Mas tenho que concordar com outro comentário sobre o som: é preciso entender que onde termina o direito de um começa o do outro e me incomoda ter um som indesejável invadindo meu carro, especialmente em engarrafamentos.

  • tenho vizinhos que escutam sertanejo tão alto que tive que trocar ate o portão e fechar jardim de inverno para abafar um pouco, pois dentro da minha casa com portas fechadas não conseguimos assistir nem tv , na minha opinião 2 falantes de otima qualidade pequenos deixam qualquer carro com som perfeito

  • Parabéns pelo relato e o carro Diego!!
    Fiquei impressionado com alguns itens presentes no 206 que eu desconhecia, pela foto do seu carro pude notar que possui manta acústica no capô, faróis com regulagem de altura (nem meu carro possui isso), isofix e encosto de cabeça para todos os passageiros.
    Outras coisas que desconhecia é essa forração azul nos bancos, portas e painel eu até citaria como ponto positivo isso.

    Sucesso com sua nova escolha.
    Abraços

    • Muto obrigado!
      Realmente é um carro muito bem equipado pra época!
      Também gosto muito da forração azul, e engraçado é que meu antigo Uno EX també era todo azulão por dentro, porém um azul mais aceso.
      O isolamento do capô fui eu que fiz, pois na concessionária custa 260 Reais. Gastei 40 e ficou bonito e eficiente hehe

      • Uma dúvida, esse seu carro ainda é das unidades francesas?
        Tive uma SW Feline 2005 que tem alguns itens a menos que o seu carro, como só 2 encostos no banco traseiro, e ausencia de air-bags!
        Comprei esse carro com 1 ano de uso em 2006 fiquei com ela 3 anos, vendi pra minha mãe e agora está com a minha irmã, tirando os grilos do painel, e a suspensão traseira e várias bieletas e etc o carro nunca incomodou.
        Parabéns pelo seu carro, e digo após a SW tive um 307 Presence Pack, é outro nível de carro se fizer a troca vai gosar bastante do carro, o 1.6 é economico, e ao menos o meu no qual comprei zero e rodei 80 mil KM, além de pneus óleo e freios e correias, só teve um braço axial trocado e uma surdina intermediaria que rachou a solda e trocaram na garantia.

        • Valeu Rafael!
          Meu 206 já é nacional (o 206 foi nacionalizado em 2001) e realmente nessa época ele era bem equipado, sendo indêntico em tudo ao 206 Europeu da mesma época, até o tecido dos bancos é o mesmo.
          Os Airbags eram opcionais, porém não é tão difícil achar um 206 até 2003 com Airbag.
          De 2004 em diante o 206 foi reestilizado, e com isso, como sempre acontece no Brasil, foram retirando acessórios do carro, como o encosto de cabeça e cinto de 3 pontos do meio, Isofix e tiraram também o para-brisa atérmico (que o 307 tem),e é extremamente difícil achar um 206 após 2004 com airbag.
          Eu sou apaixonado pelo 307, pois além de manter as qualidades dinâmicas do 206, adiciona freios bem superiores (os discos sólidos dianteiros do 206 são iguais aos discos traseiros do 307) com ABS e EBD, tem um design lindo, dentro e fora, acabamento muito melhor, espaço interno muito melhor, mais conforto e mimos, faróis projetor melhores, além do bom desempenho do motor, que faz falta na estrada, e além de tudo isso da pra comprar numa boa sem ficar se endividando.
          Pelos relatos que li, o 307 é bem mais resistente que o 206/207…

  • bacana, parabéns pela escolha, gostei do tom azul nos tecidos, me parece melhor acabado que muito carro 0km 2015, e o interior não é spartano como o de um up! por exemplo, parabéns.

  • Legal o relato. Tbm acho o 206 muito bonito, um carro realmente muito bem desenhado.
    Pelo visto este caiu como uma luva para você e, se considerarmos que tem mais de 10 anos, está mesmo muito bom.
    Só não curti o som imenso no porta-malas.

    • Só ten uns amassados, um no capô e um na soleira, dá pra ver nas fotos até.
      Em quanto ao som, dê uma olhada no meu comentário lá em cima que explico tudo, apesar de que o foco seria o carro e não o som, que é um acessório, mas o pessoal implicou tanto que tive que responder hehehe

      • Opa, antes de mais nada achei legal sua postura de responder o pessoal. Esses amassadinhos são a história do carro, poxa! Quem não tem suas cicatrizes? :)
        O lance do som acho que já ficou bem claro. Eu não curto muito também por perder grande parte do porta-malas, mas daí vai do que cada um precisa e usa. Abraços!

  • ótimo relato, realmente o 206 é um ótimo carro. E compartilho com você a admiração pela marca.
    Tive um 206 moonlight e só passei ele porque peguei um 307 Premium.
    São 2 carros que deixaram muita saudades. Não que eu me arrependa do meu carro atual.
    Mas na verdade se eu tivesse grana teria um espaço guardado para todos.

    • Muito obrigado pelo elogio!
      Pretendo mesmo ter um 307, pelo fato de acrescentar coisas a que o meu ja tem!
      Se penso em pegar um Punto, que gosto muito, eu perderia muita coisa em relação ao ao 206, nem da pra comparar com o 307… Fora co consumo, pois de brincar um 307 1,6 gasta menos que um Punto 1.4

  • Parabéns pelo carrinho! Tem 13 anos de uso e uma aparência impecável! Dá gosto ver carros assim… que mostram que nem sempre carro antigo é sinônimo de carro velho. Se tiver tempo, conhecimento e paciência de cuidar, valem muito a pena!

    Já tive um 206 também. Na verdade não era meu, era do meu pai mas eu adotei enquanto não comprava meu primeiro carro. Sinceramente não tenho saudades dele, me deu muita dor de cabeça porque compramos usado, cheio de defeitos e gambiarras. Um saco sem fundo. Mas… me serviu por alguns meses e é isso que importa rsrs!

    • Quanto à luz do airbag, vc acabou de me esclarecer um mistério de anos hahaha! O meu não tinha as bolsas e sempre acendia essa luz. Nunca entendi e também não fiz questão de investigar porque não me trazia mais riscos que o fato de andar num carro sem o item de segurança haha!

      Essa chave de seta realmente é problemática, a minha acionava a seta pra esquerda quando passava em buracos, apagava e acendia os faróis sozinhos em rua de paralelepípedo, um horror!

      Mas o que me irritava era o módulo da injeção, que dá defeito com frequência nesse carro. Simplesmente ele funcionava quando queria! Tentava ligar de manhã, não pegava. Ia tomar um café, 15 minutos depois, nhenhenhenhe… bruuuummm!

      • Valeu!!
        O 206 mesmo sem airbags tem cintos com prétensionadores, por isso tem a luz do airbag, e o fato de na epoca ela estar aceso pode indicar algum defeito nos cintos, e não tem ligação com o meu caso ;)

  • tenho um 207 1.4 a uns 4 meses e estou gostando bastante. Bom relato sobre o carro e o texto foi muito bem redigido, dando aquela sensação de vontade de ter o carro.
    Parabéns.

  • Uma pérola esse carro! Airbag duplo, cintos de três pontos e encosto para todos os ocupantes!

    O consumo na estrada, também é bom para um motor de projeto antigo e com A/C ligado.

  • Caramba esse teu som deve tocar muito! :O
    Realmente o 206 é uma ótima pedida! Se fomos analisar opções de mercado no mesmo ano e faixa de preço, acredito que o 206 desbanque muitos oponentes, por se tratar de um carro que esta no Brasil a muito tempo, a manuntenção é de boa, tendo muitas peças paralelas soltas por aí.

    Lembro de quando tinha 18 anos, meu amigo ganhou um 206, ano 2004 / 05 serei feline, só que o dele era 1.6,(isso não vem ao caso agora) mas eu era paixonado pelo carro dele, um carro realmente lindo, moderno atual, adorava andar no 206 mesmo de pasageiro!!

    Cara felicidades com o carro!

    Ótima escolha!

  • Desativação do airbag do passageiro, ISOFIX e apoio de cabeça para o ocupante central… itens que hoje, depois de 13 anos um 208 de entrada não oferece…

  • Piada, só pode. O cara com um subzinho pra reproduzir sons subgraves e curtir, seja la o que for, e vem um monte de politicamente correto arrotar e peidar pela boca (alias, pelos dedos) aqui… mas façam me o favor, e ainda há quem dê pano pra manga… DETESTO baderneiro que anda com cornetas e woofers a todo volume na rua, que fique claro. Agora, um som voltado a melhorar a qualidade interna nunca fez mal a ninguem. Daí me vem mais gente querer ditar o que é musica de verdade nos comentarios, como se rock fosse a melhor coisa do mundo… a maioria que se diz fã incondicional dessas bandas de rock sequer sabem o que as letras de fato dizem, em grande parte um monte de baboseira, assim como a maioria das musicas internacionais que rodan direto nas radios por aqui… Ouço musicas de todo tipo, do barrerito ao chico rey e paraná, do bela fleck and the flectones ao dave mathews band, tenho um subfoofer no carro por questões meramente tecnicas: nao há como um falante menor, sem um involucro correto, reproduzir frequencias mais graves, nao sendo uma questão de VOLUME de som , e sim de alcance a frequencias baixas… que discussao desnessessária!

  • Mas nego adora dar lição de moral nos outros né… deixa o cara por o som no carro dele que ele quiser! Voces entram aqui pra falar de carro ou julgar os outros? Voces gostariam que ficassem julgando voces pelo carro de voces também? Vão se catar. Limitem-se a falar sobre carro e deixa o aspecto comportamental do dono pra ele, os vizinhos dele e a polícia tratarem. Bando de xarope.

    • Infelizmente estragaram o post. Ao invés de discutir sobre um milagroso Peugeot 2002 sem defeitos, ficam destinando os comentários à vulgaridade de questionar os gostos, atitudes e consciência do dono.
      Dá pra ver nitidamente que é apenas um sub, não há cornetas que incomodam os outros motoristas.
      Mas o povinho é assim, reúne-se para fofocar, criticar, falar de minúcias ao invés de engrandecer o debate.

  • Bonito o som, mas toma quase todo o espaço de carga.
    Eu também tenho um sub no meu carro, mas é um modelo supercompacto de 10″ em caixa selada (sem o duto de ar). Mandei fazer um compartimento em fibra sob medida, que se encaixa na lateral e não ocupa quase nada, e mesmo assim garante o reforço dos graves.
    Há pessoas que vêm instalando o sub dentro do buraco do estepe. Fica muito bom também.

    Quanto ao carro, por 11 pila fez um excelente negócio! Muito bom mesmo.
    Eu tenho um primo que teve até o ano passado um Clio ano 2002, completinho tipo esse teu Peugeot. Airbag duplo, comandos de som no volante, A/C, vidros, rodas de alumínio, faróis de neblina etc. Foi vendido por 10 mil, bem próximo dos seus 11. Só que o dele tinha 240.000 km e estava bem caidinho.

  • minha esposa tem um 2006 1.4 gasolina. O carro é honesto, porém, não gostei do preço dos filtros basico, como de AR e Combustível, ambos mais caros do que qualquer carrão por ai. Também, a suspensão é delicada, os famosos bumerang: as buxas da bandeijas oscilante não duram nada, e a troca é a bandeija inteira… fora as bieletas que não duram nada! No mais, como a maioria dos franceses, é um carro com projeto moderno pra epoca, completos. Pra dirigir é ágio até 140 km/h e, diria que gostoso. A versão 1.4 somente ganha em silêncio do motor qdo vira flex, pq a gasolina o motor é barulhento tanto quanto a 1.0. Também acho o carro bonito.

    • Mas isso varia muito de onde o carro roda e como. Quando comprei eu ja tinha separado um dinheiro pra trocar os “boomerangs” hehe mas estavam perfeitos, assim como pivôs etc. Ja rodei 11.000 km e continuam sem folgas, e detalhe, são originais de fábrica, inclusive amortecedores, que tem um adesivo em francês com a data “06/2002”.
      Realmente é um carro bem na mão e gostoso de dirigir.

  • Wow… Acho que é o 206 mais bonito que já vi, no sentido de ser super bem cuidado pra idade… ADOREI o estofamento em azul. Pra ficar mais lindo, pintaria os frisos na cor do carro. :)

      • Na verdade o carro veio com 2 amassados, e ka retocaram o para-choque traseiro, mas mesmo assim ta bonitinho heheh.
        Quanto a Kilometragem, realmente, é baixa e no início suspeitei, mas o estado geral do carro era muito bom, condizente com a Km, e ainda mais a dona me deu um bolo de papés de revisões na concessionária, com as datas e kilometragem e os serviços feitos, e só confirmou.

  • Não sei p/ q ficar botando som p/ os outros ouvirem. Além dos outros não quererem ouvir, ngm tem o mesmo gosto musical e é obrigado a ficar ouvindo axé/pagode/funk em alto volume. Os pagodeiros da Bahia q gostam de se aparecer colocando aparelhos de som escandalosos tentando mostrar q é mais homem através do volume do som p/ compensar outra parte do corpo pequena. Necessidade de auto-afirmação é igual a complexo de inferioridade.
    O som do meu caro tem apenas 2 caixas 6×9 p/ ouvir só eu e a gata, tá bom demais.

    • Eu abomino som nas alturas, mas no meu carro tenho módulo RCA, subwoofer, tweeters. Quem entende só um pouquinho de som sabe que apenas jogo de coaxiais/triaxiais não consegue reproduzir som com fidelidade.

      • O som do meu 206 é totalmente voltado pra qualidade, embora tenha uma pressão sonora razoável. Tem 2 kits 2 vias, 1 subwoofer e um amplificador 6 canais (4+bridge), e só quem ta no carro ouve as musicas.

  • Olá Diego!

    Em primeiro lugar, parabéns pelo esmero com o carro! Ele está como novo. Isso demonstra o cuidado e dedicação do dono.

    Em segundo lugar, cabe notar, o ano do seu carro demonstra o que veio depois, em termos políticos… Você tem um paradigma automotivo em mãos… Depois de 2002 começou a derrocada dos carros fabricados no Brasil.

    • Muito obrigado mesmo! Realmente sou cuidadoso, mas o carro estava bem conservado, só tive o trabalho de dar uma bela limpeza e trocar algumas peças!
      Verdade! Será uma coincidência?? Acho que não… kkk

      • Muito interessante, de fato. Seu carro está muito bacana e bem conservado, muito bom ver um carro de 13 anos de estrada nesse estado.

        Excluindo aí os comentários “preconceituosos” e até certo ponto exagerados sobre o subwoofer, o seu relato está muito bacana! Parabéns!

        Realmente, é curioso (e bem triste, aliás) ver que demos uma guinada na direção contrária no que diz respeito aos equipamentos de segurança e conforto dos carros “populares”. Posso dizer por conhecimento de causa, porque tive 2 Peugeot 206 (um 2002, Selection preto… mas esse era peladaço, só tinha vidro elétrico e um outro 2006, um Feline Prata completinho 1.4 – ainda não era flex). Veja que o “completinho” não inclui isofix, como o seu tem, por exemplo. Enfim, os carros tiveram problemas normais de qualquer carro, desgaste natural, etc. Mas deixaram saudades, foram carros corretos para a época em que os tive.

        O que não me deixou saudade alguma é a escola de samba que veio embutida no meu Peugeot 2002, fazia barulho até desligado e parado… rsrsrs

        PS: Eu também instalei um subwoofer no meu Polo 2009, bem semelhante à sua. Não era pro som sair, e sim pra melhorar a qualidade interna dos graves. E só.

        Abraços e boa sorte com o carro!

  • Parabéns pelo relato! Carro muito bem conservado, acho interessante nos 206 mais antigos a tampa do porta-luvas ser revestida de tecido igual ao dos bancos.

  • Rapaz, fiquei surpreso por seu carro ter isofix, cinto de 3 pontos + apoio de cabeça central traseiro, e air-bags! Então o 206 foi perdendo equipamentos, pois meu SW 2007 não tem estes itens!
    Creio que seu carro também tenha uma coisa que só descobri a pouco tempo: temporizador do farol. Logo que se desliga o carro, dê uma piscada no farol alto, vai acender o farol baixo por uns 30 segundos, pra facilitar em lugares escuros.

    Ps.não ligue para as críticas quanto ao som, o meu também tem módulo e subwoofer, mas só uso em volumes moderados, pra qualidade do som mesmo, sem cornetas.

    • Quando reestilizaram o 206 em 2004, eles retiraram o que puderam no que diz respeito a segurança. Saíram o cinto de 3 pontos, encosto do meio, isofix etc.
      Quanto aos Airbags, no meu também eram opcionais na época, mas ate 2003 não é tão difícil achar modelos com AB duplo, já de 2004 pra frente é bem raro…
      Valeu pela dica, vou tentar, mas acho que deve ser uma funcionalidade nova. hehe

  • Bom carro, boa proposta e simples; tá aí um que se fosse das 4 grandes teria vendido bem mais que o que vendeu; e na época do 206 os concorrentes diretos eram bem inferiores aos de hoje, na época do 207 que não é nada mais que um facelift deste a concorrência já tinha bem melhores opções, mas mesmo assim o Peugeot era sim um carro bom na sua proposta .

  • Cara, parabéns pelo seu relato, jah tive um 306 e gosto muito dos carros da PUG, um dia terei outro novamente….mas em relação ao som….de muito bom gosto também, está criticando quem não entende, seu som me parece ser um set de qualidade interno, jah possui um set parecido e também jah possui trio…..eu tive trio nos meus carros por vários anos, e não, não andava igual um maluco com o som no “talo” pra chamar atenção, pelo contrário, só aumentava em festas privadas, churrasco, viagens , etc. O que dah o mesmo efeito de um som normal…eu sei que tem mt gente que incomoda com trios gritando e tremendo seus caros, mas não podemos generalizar…e como falaram , antes de criticar se informem, pelo set que estou vendo se ele aumentar bem o volume com a mala aberta, o que irão escutar eh um som com grave apenas, nem dah pra escutar a voz….pq o som eh voltado para qualidade interior…ele poderia optar por colocar sub embaixo do banco, na lateral, no fundo da mala , etc..mas ele optou pelo mais usual…..e não tem mal nenhum………isso não significa que esta incomodando alguem,……o preconceito reina neh….

  • tô na mesma situação pra aquisição de um carro e o 206 junto com o Clio são as opções mais recorrentes durante as buscas. esse relato já ajuda bastante! parabéns.

    • Eu prefiro o 206… Um tio meu tinha um Clio até ano passado, 1.0 8v, é um carro que embora tenha sido desenvolvido na mesma época que o 206, é bem mais “normal”, no sentido que a Renault não ousou tanto, e acabou que o Clio envelheceu bastante como conceito de carro, ergonimia etc… O Clio é mais confortável, porém ao volante nem fede nem cheira, enquanto o Peugeot te deixa com um sorriso estampado na cara, entre as curvas. Se for comprar um 206, atenção ao eixo traseiro, da uma olhada pra ver se não tem folgas na roda traseira. Dos 3 206 que fui ver, apenas um tinha folga, um 1.4 Feline 2004 (96.000 km) e era o mais surrado. Tinha outro 1.0 Quicksilver 3 portas com 112.000 km que era mais bem cuidado e não tinha folga nenhuma.

      • visualmente e principalmente o interior do Clio não me agradam tanto, porém entre as pessoas que conheço o Renault é um dos carros que menos dá dor de cabeça aos proprietários, diferente do Peugeot.

        • Realmente e Clio da menos probleminhas. Aí vai da disposição de cada um, como eu disse no relato. Se a pessoa gosta de carro, cuida e tem saco pra corrigir pequenas falhas, vai de Peugeot. Se você quer um meio de transporte que te leve de A a B, procure um Palio ou Gol, que não é que não dão problema, mas ao menos sai mais em conta. O Clio tem uma certa durabilidade a mais, porém as peças originais (que são as de qualidade) são caras tanto quanto o 206.

          Uma “””vantagem””” de eu ter um 206 e ter me acostumado com a manuteção é que no dia que eu trocar por um 307 não vou sentir diferença, pois já verifiquei que os preços das peças são +/- os mesmos.

          Um exemplo de gasto: Trocar correia dentada do meu Uno custou 130,00 R$ na época, correia e tensionador inclusos. Pra trocar a correia do meu 206 foi 120 R$ só a mão de obra ( pois tem que desmontar muita coisa pra ter acesso a correia) + 90 a correia e 95 o tensionador automático, mas pelo menos dura 80.000 km. contra 30.000 do Uno Fiasa. Nesse caso o Clio da no mesmo pois o motor é igual.

  • Eu só cheguei a dirigir um 206 quando ele era novidade e atraía a atenção. Foi um test-drive de 0km na concessionária.

    Achava o carro muito bonito na época mas detestei o câmbio. Quanto ao motor era um 1.6 e, embora não fosse ruim, também não era nada de mais. Mas o câmbio de engates longos e imprecisos matou o meu prazer de dirigir. Tinha um Gol antes e já tive GMs com câmbio manual e portanto o meu referencial de câmbio era alto.

    Acabei juntando mais um pouco e comprei outro carro, um Astra 2.0, um senhor carro para a época.

  • Parabéns pelo relato detalhado e na dedicação do cuidado de um carro como esse, mostrando pro pessoal que tem em geral medo de ter carros de origem francesa (Peugeot e Citröen), dá pra cuidar e manter!

  • O pessoal abaixo ficou mais incomodado com os gostos musicais do proprietário do que a qualidade e o bom conhecimento que ele teve em dar um Up em um carro que foi referencia de crescimento para Peugeot na época.
    Um carro superior em tudo contra a concorrência, Airbag duplo, isofix, bancos bipartidos, cintos de segurança de três pontos retráteis para todos os ocupantes, entre muitas outras qualidades. Parabéns pela escolha e pela boa perícia em cuidar você mesmo de pequenos problemas mecânicos, eletrônicos e de acabamento.

    • Muito obrigado pelo elogio! Engraçado que o pessoal ja entendeu meus gostos musicais e a meu nivel de educação pela foto do subwoofer!! Temos comentaristas cartomantes no NA kkkkkk
      Se eu soubesse que a foto do subwoofer iria desviar de tal modo o foco da matéria eu nem teria colocado, sendo que puz a foto pra mostrar mais ou menos o tamanho do portamalas….

      • Boa parte desse povo “crítico” não sabe que se trata de um subwoofer!!! Eu também tive um 206, só que na versão Feline. E foi um carro muito bom mas não tinha as mesmas grandes qualidades do seu lançamento como os itens de segurança que até hoje no Brasil é artigo de luxo. Parabéns mas uma vez!!!

  • No Peugeot 206, uma dica é colocar protetores de volante e de assentos. Eles vão amortecer uma parte das imperfeições do asfalto, tornando a condução do veículo muito mais agradável. Entretanto, o visual de ambos pode decair um pouco, dependendo dos protetores escolhidos. Se for colocá-los, procure escolher acessórios bem acolchoados e que tenham um ótimo estilo.

    • Quando eu estava pesquisando eu ouvia falar que o 206 tem suspensão dura, mas acho que pelo fato de eu vir de um Uno eu acho o 206 razoável, firme na medida certa, não me incomoda, e olha que o asfalto da minha cidade tem mais remendo do que tudo kkk

  • O pessoal vomita pelos teclados kkkkkkkkk cada comentário lixo que se lê aqui eu tenho o porta malas lotado de som e boto o gravao pra arrepiar 1 sub encomenda muita gente 2 sub encomenda muita mais ……. seus hipócritas nojento.

  • Ué, o tópico não é sobre o carro? Mas como a matéria tomou outro rumo……
    Pra começar, o carro não possui cornetas, supertweeters, e muito menos um par de alto falantes 6 x 9 como a maioria possui. Portanto, fica nitidamente claro que o sistema de som do veículo é pra sistema de qualidade onde possui, geralmente, um bom kit de falantes nas portas e um subwoofer para as baixas frequências. Som interno. E não um som pra ouvir “pra fora”.
    Claro que tem pessoas que abusam mas poxa, as pessoas criticam antes de conhecer. Tem muitos que tem somente os 6 x 9 e faz mais “barulho” do com som mais potente. Deveriam se preocupar com o intuito da reportagem, mas como tem gente que não sabe das coisas e falam asneiras……

  • Parabéns pela iniciativa. Muitos só sabem criticar, em vez de tomar coragem e fazer uma avaliação. Destaque que esse carro veio com airbag e alguns itens de segurança que, por exemplo, não ofereciam na versões de 2007.

      • Ah tá, eu crente que o 206 Francês, era de 1999 até 2001 e que os modelos do 206 “Made in Brazil” eram os modelos 2002/2002. Hehehehe. Obrigado pela informação e boa sorte com seu Peugeot. Abraços

  • Peugeot é assim, quem nunca andou, quando anda apaixona.
    Não sou fã boy, mas, comparar meu 207 com um celta mais novo e com o mesmo preço é uma tremenda insensatez.

    • Valeu! Cara, tira um tempinho pra fazer um relato do seu também, é sempre útil pros leitores ter informações detalhadas sobre os carros, ainda mais o 206 que muitos tem um pé atrás.

  • Curti muito o seu relato.
    Você parece muito cuidadoso. Queria ter a sua habilidade para fazer essas reformas e poder cuidar de um carro mais antiguinho. O carro está muito bonito, e sinceramente me deu até vontade de andar dentro para ver se está tão “justinho” como você descreveu. Sempre quis ter um carro mais velho, mas após muita dificuldade com uma moto, vou ter que deixar isso para o futuro. Você foi corajoso pegando um carro com 60 mil km, e realmente oo carro parece estar em ótimas condições. Penso que quando temos um carro que cuidamos, rodamos mais tranquilos, cientes de que podemos reparar quando algo requisitar atenção.
    Ao contrário dos outros, que aparentemente mal leram o seu relato, eu queria muito escutar o seu som. As pessoas não têm nem ideia do que é a proposta de um som de qualidade (sq). É o oposto de “pancadão”, mas nem adianta explicar. Eu também uso um subwoofer Questo, também de 12 polegadas, mas 350w, e na minha caixa lateral, ocupa pouco espaço no porta malas! Tenho muita curiosidade com o kit da Focal! Como parte final do meu projeto de sq, preciso tratar minhas portas também, mas aí também me falta a coragem de desmontar meu carro, então sempre fico na mãos de lojistas!
    Btw, quando troquei de carro recentemente , cogitei muito um 207. Minha namorada tem um e gosto muito do acabamento e do motor do carro!

    • Valeu mesmo cara!
      O carro realmente ta bem durinho, quando você passa por asfaltos cheios de remendos você tem aquela sensação de solidez, pois não há folgas relevantes nem nada batendo.
      Quem gosta de carro geralmente cuida, e eu tenho a sorte de saber fazer várias coisas e ter, junto com meu pai, várias ferramentas e maquinários pra trabalhar madeira etc.
      Quanto ao som, realmente o pessoal saiu falando um monte de coisa nada a ver, sem nem ter conhecimento, mas tudo bem, faz parte kkk
      Esses meus kits Focal são realmente muito bons, tocando com qualidade em qualquer volume. O que mais impressiona as pessoas é que o som não distorce mesmo em volume alto, e a qualidade também, que é fruto do fato que o carro é todo tratado com manta asfáltica e feltro, assim mesmo tomando músicas carregadas de graves não fica nada vibrando…
      Gosto muito do 206, e pretendo trocar por um 307 1.6 daqui uns 2 anos. Se depender da concorrência, vou continuar com a marca por um bom tempo, pois a um preço interessante oferece as características que eu mais gosto em um carro, ou seja design, acabamento e estabilidade, sem falar nos vários itens de série e mimos…

  • A maioria dos 206 e até 207 que vejo já estão detonados. Esse tá muito bem conservado, principalmente o interior. Se forem reparadas as mossas na carroceria, um bom banho de tinta ou polimento e tratamento dos faróis, fica em estado de zero

  • Tenho um Soleil 1.6 8V ano 2000 argentino. O carro é ótimo pois ja andei em quase todos e não encontrei nenhum que tem a força que ele tem. Estou fazendo 15 km/L e ja cheguei a fazer 16,2. 3° marcha é infinita, torque 15,8 a 2500 RPM…uso um tanque por mês andando pra caramba. Não queria me desfazer dele, mas como ja esta idoso (15 anos) esta dificil manter, ainda mais quando não se encontram mecanicos que saibam mexer nele. A maioria trata meu carro como se fosse um 206 1.4 nacional, o que ja me causou problemas. Enfim, ainda tenho esperanças de dar um tapa nele….

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email