Etc

Considerações sobre tipos de câmbios

carro-com-cambio-automatico Considerações sobre tipos de câmbios

Para alguns motoristas, chega o dia em que, por diversas causas, ele decide abandonar o pedal da embreagem. Seja por cansaço, seja por conforto ou qualquer outro motivo. Para alguns, esse dia nunca chegará, para outros, o pedal da embreagem sempre foi algo dispensável.



Eu me enquadro no terceiro caso, sempre preferi carros automáticos aos manuais. Entretanto, com a chegada massiva dos (nem tanto) automatizados, a história de que carro sem o pedal da esquerda é carro de “Dotô” chegou ao fim.

Nos últimos dias, eu venho conversando com uma infinidade de amigos, colegas e até mesmo “entendidos” de carros sobre as vantagens e desvantagens de cada tipo de câmbio. Mas o que me faz diferente dessas pessoas? Pois eu vos digo: a experiência com os mais diversos carros e tipos de câmbio.

Primeiramente, foi aquela época de dirigir sem carteira, pegando o carro do pai, quando tive contato desde um Fusca 4 marchas até um Honda Civic. Depois, consegui comprar meu primeiro carro, um Honda Accord 1995 automático.

Na sequência, troquei para um Honda Civic 2004 também automático, me aventurei no campo dos carros manuais com minha Renault Megane Grand Tour 2011, bati a perua e fiquei um tempo com um Jetta automático Tiptronic e, atualmente, tenho um Renault Fluence 2012 com câmbio CVT, enquanto que minha esposa atualmente tem um Fiat Grand Siena Dualogic (carro que eu tenho usado nos últimos dias).

Sem falar nas experiências com carros de amigos e familiares, então caros leitores, acreditem: tenho uma boa experiência com diversos tipos de carros, apesar da pouca idade, já dirigi mais carros que muitos “motoras” com pelo menos o dobro da minha idade.

Pois bem, ultimamente, com a popularização dos automatizados e dos próprios automáticos em si, muitas pessoas simplesmente desconhecem seu funcionamento. Não falo do funcionamento interno, engrenagens e tudo, mas como simplesmente manusear um carro sem pedal de embreagem, e é isso que eu procuro com esse texto: mostrar os tipos de câmbio, principais funções e vantagens e desvantagens.

Abordarei, então, nesse texto os câmbios automáticos tradicionais com conversor de torque; automáticos continuamente variável (CVT); automatizados (ou semi-automáticos) mono-embreagem e dupla-embreagem e manual com embreagem automatizada, que são diferentes dos automatizados.

Começarei com a automatização do pedal de embreagem. Normalmente é um tipo de adaptação utilizada por alguns cadeirantes ou pessoas com dificuldades motoras em alguma das pernas, muito embora houve, há muito tempo, carros produzidos em série com esse tipo de automação. Neste caso, o funcionamento é igual a de um câmbio manual, porém, sem pedal de embreagem, seu acionamento é feito por sensores ou botões na manopla do câmbio.

Minha experiência com eles se resume a um Gol adaptado. O funcionamento geral é bem simples, você acelera quando chegar no ponto de troca de marcha, solta o acelerador aperta um botão na manopla e muda de marcha, volta a acelerar.

Não preciso dizer que não recomendo essa adaptação certo? Se você quer se livrar do pedal de embreagem, esse não é o melhor método, não há creeping como um automático de verdade e ainda é trabalhoso ficar apertando botão pra trocar de marcha, embora haja modelos mais tecnológicos que um sensor ativa a embreagem.

Houve dois modelos conhecidos com esse tipo de embreagem: o Palio Citymatic e o Mercedes Classe A semi-automático AKS. Não é difícil ver por que não vingaram, mesmo o sistema não sendo caro, coisaa de R$ 800 no Palio. Ambos os modelos se tornaram bombas, fuja deles.

Temos o automático comum, com caixa conversor de torque, o engate das marchas e feito de escolha automática, sobrando a função de acelerar e freiar. Uma caixa desse tipo normalmente tem as seguintes posições para a manopla:

• D (Drive) – essa posição escolhe as marchas a frente do carro, utiliza-se para que o carro ande para a frente;
• N (Neutral) – é o ponto neutro, o carro fica solto nessa posição, normalmente é um intermediário entre o D e o R;
• R (Reverse) – marcha a ré, dispensa maiores explições;
• P (Parking) – esse modo normalmente é utilizado quando estacionamos o carro, o câmbio fica travado, não permitindo movimento das rodas, auxiliando o freio de mão;
• D3, 2, 1, L – usualmente, o 1 ou L é uma marcha de força, a mais curta possível, utiliza-se em atolamentos ou terrenos acidentados por exemplo. 2 e 3 (ou D3) limitam o carro àquela marcha. Por exemplo, um carro subindo uma serra, dependendo do câmbio e da velocidade, o sistema engrena terceira e quarta alternadamente, prejudicando o desempenho, aciona-se o 3 então, e bloqueia-se o acionamento da quarta marcha, subindo a serra tranquilamente, idem para o 2;
• Tiptronic ou sequencial – com o advento dos câmbios com muitas marchas, caiu-se em desuso as posições 3 e 2, primeiro pelos câmbios modernos saberem escolher melhor as marchas e também pela possibilidade de se trocar as marchas de forma sequencial, normalmente nas posições + e -. Isso acontece de forma sequencial e permite a escolha de marcha de forma melhor que múltiplas posições;
• S (sport) – o câmbio efetua as trocas de marcha em giro maior, dando maior sensação de esportividade.

Um câmbio desse tipo é o automático padrão. A principal vantagem é o conforto que ele proporciona de não ficarmos trocando marchas ou pisando na embreagem. As desvantagens de um câmbio automático são o maior custo comparado ao manual, maior custo de manutenção, maior consumo e perda de potência. Normalmente, um carro potente (alta cilindrada) não se percebe as percas de potência.

Podem ocorrer trancos nas trocas de marcha mesmo num câmbio automático, sempre depende da tecnologia do câmbio e do motorista. Só a título de informação, com meu ex-Honda Accord eu tinha menos trancos que com o CRV do meu pai. Enquanto isso, ele não se dava muito bem com o câmbio do Accord.

Temos também o CVT que, diferentemente do automático convencional, não possui engrenagens mas, sim, um sistema de polias, havendo apenas uma marcha a frente e o câmbio escolhe qual relação melhor se enquadra naquela situação. Dessa forma, ele mantém rotação baixa quando em velocidade constante, aumentando de forma linear e mantendo na faixa ideal de torque quando necessário.

É disparado um dos tipos mais confortáveis de câmbio que existem, mas também dá certa gastura acelerar, ver a velocidade subindo e o giro se mantendo num ponto aproximadamente constante.

Há modo Tiptronic em alguns CVT, como é o caso do Renault Fluence (6 marchas) ou do atual Audi A4 (8 marchas). Na realidade, são pontos determinados entre a relação mínima e máxima que o câmbio possui, são marchas virtuais, seu numero é apenas uma escolha da própria montadora. Vide Sentar e Fluence que apresentam o mesmo câmbio, mas apenas o Fluence tem modo Tiptronic. Ele tem as mesmas posições do automático convencional, bem como as mesmas desvantagens.

Importante salientar que câmbio automático dando problemas é lenda e preconceito. Eu entreguei meus Hondas com mais de 150 mil km cada e não precisei refazer câmbio de nenhum deles e eles não davam problemas (o Accord hoje tem 235 mil km e não patina, apenas foi trocado o fluído do câmbio e manutenção preventiva em dia).

Por fim, temos os automatizados mono-embreagem e de dupla embreagem que, embora tenham o mesmo principio, têm finalidades completamente diferentes.

Os de dupla embreagem funcionam basicamente da seguinte forma: enquanto uma embreagem desengata uma marcha, a outra engata e isso se reflete em trocas de marcha mais rápidas. Fora isso, tem um funcionamento idêntico a de um automático convencional, tanto que o Jetta, que conta com câmbio de dupla embreagem (DSG) e convencional (Tiptronic) compartilham a mesma manopla.
Os câmbios de dupla embreagem mais conhecidos são os da série VW DSG (6 e 7 marchas), Audi S-tronic (é o DSG da Audi, exatamente o mesmo câmbio de 7 marchas) e Porsche PDK.

E por fim, temos os automatizados mono-embreagens, algo recente no Brasil, onde apenas três marcas utilizam e com os seguintes sistemas: Fiat com o Dualogic, VW com o iMotion e GM com o Easytronic. E é aqui que o bicho pega! No Brasil estão tentado empurrá-los como se fossem um automático comum, porém tem pegada e estilo de condução completamente diferente.

A função de um câmbio desse é dar um pouco mais de conforto ao motorista, ao passo que não há perda de potência ou piora do consumo. Ele não funciona como um automático e, pelas pessoas pensarem que ele é igual, surgem os mitos que ele é cheio de trancos e solavancos.

Primeiramente, vamos mais a fundo. Há anos os câmbios automatizados mono-embreagem são utilizados na Europa, marcas como Honda (I-shift), Peugeot (2-tronic), Renault (quick Shift), Alfa Romeo (Selespeed), Ford (Durashift EST) entre outras; inclusive sendo usado em carros com Honda Civic e Peugeot 308. A grande diferença é que na Europa eles possuem a consciência que automatizados e não automáticos.

Esse tipo de câmbio nada mais é do que um câmbio manual com um “robô” que faz as trocas de marcha. Logo, sua eficiência depende da programação do câmbio, não dele em si. Exemplo disso é o iMotion, que usa o elogiadíssimo câmbio do Golf.

Os câmbios automatizados vem evoluindo muito, sobretudo o Dualogic da Fiat, agora na versão Plus. Muitos comparam com os automáticos, mas a verdade é a seguinte: ele não é automático, mas cumpre bem a proposta que é designado, que é oferecer conforto com baixo custo.

Sinceramente, prefiro o Dualogic do Grand Siena da minha esposa ao automático 4 marchas do Logan do meu irmão. O italiano amarra menos o carro, rende melhor, é mais econômico e por ser derivado de um câmbio manual, tem manutenção mais fácil e mais barato.

Por fim, é preciso salientar que os atuais câmbios automatizados vendidos no Brasil são adaptativos, então você irá precisar dirigir algumas vezes o mesmo carro para conseguir extrair o melhor dele.

Cada câmbio tem suas qualidades e defeitos. Se hoje me perguntarem qual câmbio eu recomendaria, tudo depende do bolso da pessoa, dos gostos e necessidades. Quer muito conforto? Procure um CVT! Quer desempenho sem pisar na embreagem? Vá de dupla embreagem. Quer entrar no mundo dos sem pedal de embreagem mas tem medo dos custos? Mono embreagem é o caminho.

Para comparar, estou com o Grand Siena da minha esposa já faz alguns dias e eu recomendaria, sim, o carro. Desde que o motorista tenha plena consciência do que ele pode oferecer.

Considerações sobre o Dualogic: após esse texto vou falar com conhecimento de causa. O Dualogic só dá todos esses trancos violentos com quem não sabe usar. Experimente aprender a retirar o pé do fundo do acelerador e dar uma leve desacelerada quando for a troca de marchas, os trancos irão diminuir consideravelmente, e meu amigo, se você me disser que não sabe quando um carro automático vai trocar de marcha, lamento lhe dizer, mas você não conhece seu carro suficientemente bem.

Só para comparar, pude testar o Bravo Dualogic Plus e afirmo: se eu já recomendava o câmbio, com as melhorias eu recomendo ainda mais. E o conselho “conheças teu carro como a ti mesmo” não vale só para o câmbio, mas sim para o carro todo, para aproveitar a melhor faixa de potência e torque, saber a melhor forma como agir em determinadas situações, etc. Perder alguns minutos lendo o manual e procurando informações sobre o carro não irá fazer mal algum para você ou para ele.

Por Mario Souza

  • Vadauco

    Muito bom texto.
    Ressalva somente para o "Sentar", que o corretor automático deve ter corrigido de "Sentra"… sabe como é, não dá pra confiar muito nessas coisas automáticas. :p

    • bandaxadibar

      excelente texto….pude comparar automatizados e automáticos traficionais (neste caso um vectra 2009) e gostei muito do automatizado do meu atual linea. Com o automatizado, o carro fica "MAIS EXPERTO" pois você tem um certo controle ativo na condução do carro, que enquanto no automático você fica amarrado ao conversor de torque do cambio….e fora a manutenção que expressivamente mais caro que um automatizado…outro fator que me fez ser mais satisfeito com o automatizado é o fato de não ter aquele ronco do motor que parece estar queimando embragem, no caso dos automáticos….odiei o cambio automatico do Corolla 2007, onde descendo uma serra, você deve usar o frio constantemente…

  • farleytito

    parabéns pelo texto! percebe-se que voce realmente tem um bom conhecimento no campo automotivo, ate que enfim vi alguém dar uma opinião sensata a respeito dos automatizados e em especial a respeito do dualogic que é tao difamado por pessoas que não sabem nem se quer dirigir.

  • C_Siega

    Ótimo texto, bem explicativo e sanou algumas dúvidas que eu havia a algum tempo, principalmente sobre o VW iMotion. Parabéns.

  • Pedro Evandro

    Texto muito bom. Explica bem sem complicar.

  • GuiKiev

    Cara, concordo em gênero, grau e número contigo. Meu Dualogic é só alegrias dentro da proposta dele e sabendo usar, é uma mais do que excelente opção. Fato. Parabéns pelo texto.

    • gabrielthw

      Pois é, substitui bem o câmbio MT… O conforto de não ter a embreagem e a praticidade de trocar as marchas por um preço mais acessível.

      • GuiKiev

        Mas é isso mesmo.

    • Sr_Wilson

      já dirigi muitos carros mt e at e eu até hoje tenho mt, pelo simples fato de que não pago 4 mil a mais num at 4 marchas ou automatizado, as montadoras só irão levar meu $$ quando me oferecerem um cambio descente por um preço descente (isso é, um cambio 6 marchas por 4 mil a mais ou um 4 marchas ou automatizado por 2 mil a mais).

      por enquanto fico com o bom e velho mt que apesar de cansativo no nosso transito cada vez mais parado é muito mais gostoso de dirigir que qualquer at no final de semana.

      mas sim, meu gosto por MT está a ponto de ser exterminado, mas ainda vive por mais uns anos.

      • msouza91

        no grand Siena e Pailo, o Dualogic custa exatos 2.350 reais a mais que a manual, 2.570 no Punto 1.6, 2.390 no Punto 1.8. 1.880 reais na Weekend Adventure, 2.460 na família Bravo.

        ficar cansando por passar marcha por causa de 500 reais, pra mim é ume economia meio porca

        • Sr_Wilson

          no i30 que foi o ultimo carro que comprei, custava 4mil a mais um cambio 4 marchas, por isso não comprei, agora por essa diferença de preço que você citou, sim eu compraria um at.
          meu próximo carro que irei trocar é minha picape e tem uma boa chance dessa ser AT, alias se eu comprar S10 será AT, se comprar qualquer outra não será, motivo de preço apenas, S10 AT 109mil, outras AT partem de 120 mil (triton, pois as outras AT estão pra 130mil)

  • paranaiba

    esse ano quero comprar um Fox Prime Semi novo, e vou ver se vou de i motion, espero que nao me arrependa!

    • kitonorat

      tenho um fox prime imotion. Realmente a pessoa fica bem relaxado por nao ficar passando marcha o tempo todo no transito, mas eu acho até que é uma besteira isso, não acho que o manual canse tanto como uns dizem por ai. Esse tipo de cambio só compensa naquelas horas de transit oque voce tem que ficar com o pé na embreagem direto ou para pessoas que não sabem dirigir, pois o carr nunca vai estancar…
      é bom comprar usado mesmo, pois na hora de revender, geralmente, as lojas desvalorizam muitoooo o preço do imotion, fica quase o mesmo preço do fox prime de cambio manual (os vendedores dizem que carro pequeno não é bom de revenda com esse cambio, que esse cambio acaba afastando compradores de seminovo compacto do que atraindo… acho que é mentira pois eu estava atras de um na época que comprei, mas enfim: eles usam esse argumento pra tirar dinheiro e assim, acaba sendo bem vantajoso comprar seminovo). Tem uma coisa que irrita muito no imotion da VW: O cambio não engata! isso é CONSTANTE!

      • AutoIng

        O iMotion é um pouco indeciso mesmo, e tem essa mania de manter o giro muito baixo, aí acaba atrapalhando certas manobras até… Na versão Dualogic é o contrário, ele prefere manter o giro mais elevado, mas ainda assim tem (ou tinha) seus momentos de indecisão. Parece que na tal nova programação "Plus" essa indecisão é eliminada, e se for isso mesmo é um grande avanço. Ainda quero fazer o test-drive pra ver como ficou, mas pelo jeito atingiu o máximo que dá pra extrair desse sistema.

        • jpcasella

          Mas isso tem uma explicação.
          Os cambios automatizados procuram aproveitar o máximo a faixa de torque, os motores da VW tem sua faixa bem baixa enquanto os motores 16V da FIAT são bem giradores, tendo sua faixa de torque bem alta.

          • Oba_

            Errado desde a época que usava os motores Chevrolet as trocas da Fiat sempre eram feitas em rotação mais alta que os VW e te digo uma coisa, tenho experiencia com Dualogic em carro 8V que consequentemente responde melhor que qualquer Etorq e essa característica da VW de trocar muito cedo as marchas chega a ser perigoso em algumas situações, no Dualogic pisando bem leve o acelerador as trocas sao feitas em menos de 2500 rpm mas o sistema da VW troca cedo ao extremo.
            Da uma lida no teste mais completo feito ate hoje com todos os robotizados, volte para o teste do Polo e alguns chegaram a comentar que a troca muito cedo realmente é perigoso.
            http://testedos100dias.com.br/automatizados/

            • jpcasella

              A Fiat usou o DualLogic nos motores GM que tinha alto torque em baixa RPM e baixo torque em alta.
              Os novos motores VW VVT são motores de torque em baixa como os F1 da GM que a Fiat usava.
              Os motores novos da Fiat "eTorq" sao motores giradores, sua melhor faixa de torque estão em faixa muito mais elevada do que os VVT da VW.

      • paranaiba

        rapaz, você falou mais mal do que bem rsrsrsrrs, mas mesmo assim eu vou de Fox Prime i motion porque vou comprar do meu tio que é executivo da VW e vai me vender por preço de banana rsrsrsrsrs

        • dougkmt

          Pergunta pra ele se não dá pra trazer um Golf R ou GTI da matriz com desconto pra funcionário?! Hehauehuaheuahe

          • paranaiba

            dá não, só carros que são vendidos aqui, ele usa o carro um ano depois a VW vende pra ele com 40% a menos do valor de um zero

            • dougkmt

              Saquei! Além da brincadeira, boa sorte com a próxima aquisição!! :D

    • kitonorat

      De início eu achei que era defeito no meu carro, mas já vi até reportagem na revista (não lembr se era Quatrorodas ou Autoesporte) falando sobre o problema do cambio da VW.
      Isso é uma coisa que irrita muito e que as vezes nos deixa em situações relativamente perigosas, pois as vezes a gente precisa fazer uma manobra rapida e quando vê, a porra do carro não anda… fica lá só aumentando o giro porque o cambio não engata… Você coloca o cambio no lugar certo, ele fica lá, porém a luz (no cambio) fica piscando e não funciona.
      Muitas vezes eu estou saindo de uma vaga de estacionamento em uma rua super movimentada e preciso dar ré e sair rapidamente mas o carro fica lá e a pessoa tem que trazer a marcha de volta para o modo neutro e re-colocar no ponto. as vezes acontece mais de uma vez por ocasião.
      tirando esse defeito, que é crônico, o resto é legal. Não acho que o carro dá esses trancos todos (talvez eu esteja acostumado já…)

    • bandaxadibar

      não irá se arrepender….garanto isso

  • pauloc1980

    Sempre gostei de manual e já tive dois automáticos, posteriormente voltando ao manual por opção própria. Mas o argumento de que "até na Fórmula 1 não existe mais pedal de embreagem" realmente é muito forte. Talvez meu próximo carro tenha um câmbio automático de 6 marchas, ou Automatizado de dupla embreagem..

  • JottaElle

    Meu ponto de vista é o seguinte: passou as marchas sozinho é automático. Concordo com o autor no seguinte: conheça bem seu carro para extrair o máximo.

    • Geanmatheus

      Eu já discordo, e toda a população tem que ter consciência que automatizado é diferente de automático para não ter ilusões

      • JottaElle

        Mas eu falei que todos devem conhecer bem o carro, mas isso não implica em usar um termo errado para o tipo de sistema de transmissão. Pior do que isso é usar o termo semi-automático. Outra coisa, é que devemos separar o conjunto de transmissão em sistema de câmbio (CVT, hidramatic, etc.) e acoplamento (embreagem, conversor de torque, etc.).

        • AutoIng

          Trocou marcha sozinho, é automático. Dá pra separar entre "automáticos convencionais" e "automatizados", mas todos eles são automáticos sim. Quanto à tecnologia que é empregada, cabe ao consumidor ir atrás pra saber o que é um conversor de torque, o que é o sistema de correias do CVT, o que é "robotizado", etc.

          • Edson Roberto

            Discordo. Não concordo que o consumidor que deva ir atrás de informação a respeito disso. Acho que deve sim se dizer que o funcionamento é automatico, mas sempre declarando que tipo de cambio é utilizado.

            Então podemos dizer que existe modelos com trocas de marchas automaticas enquanto que uns são:
            – Automatico com conversor de torque
            – Automatizados de unica embreagem
            – Automatizados de dupla embreagem
            – Automaticos com CVT

      • fredggp

        Concordo com o JL. O povo não tá nem aí se é automatizado ou automático. E outra, na minha opinião se for esse o problema os câmbios ditos Automáticos deveriam ser chamados "Conversor de torque" assim como são chamados os automatizados, ou seja, as adjetivações câmbio com conversor de torque e automatizado seriam espécies do gênero AUTOMÁTICO.

        • MM_

          Ninguém está discutindo semantica. O problema é que os automáticos com conversor de torque existem há muito tempo e se popularizaram com esse nome. Muitas pessoas não conhecem a diferença do sistema e podem comprar gato por lebre com os anúncios de "automático" para cambios automatizados.

          • Geanmatheus

            Meu amigo mesmo estava iludido achando que Dualogic é Automatico(o verdadeiro)

            • AutoIng

              Ah mas aí me desculpe, mas eu acredito que o consumidor tem obrigação de buscar a informação. Ninguém esconde o fato desses carros aí serem automatizados, tá em tudo que é revista, na internet, etc. Gastar dezenas de milhares de reais sem fazer uma pesquisa básica acho algo impensável hoje em dia. Foi-se o tempo em que havia uma única tecnologia no mercado, uma ou duas marcas de cada coisa, etc.

              • MM_

                O problema é quando a informação pode induzir a erro, principalmente para pessoas que não se interessam tanto por carros.

                Vou te dar o exemplo do meu pai, que tem 86 anos. Ele teve automáticos a vida inteira e não tem a mínima idéia o que são automatizados. Quando ele queria trocar o Palio da minha mãe, foi até uma CCS pra ver um Palio automático. Ele me ligou dizendo que ia fechar negócio e EU expliquei para ele que esse sistema era um pouco diferente do que ele conhecia. Que mesmo que não precisava pisar em embreagem e mudar marcha, tinha alguns "macetes". Isso era função do vendedor, que simplesmente havia falado para ele que o Palio era automatico. Ele dirigiu um Dualogic depois e ficou com medo de não se adaptar, principalmente devido a idade dele e da minha mãe.

                O que eu quero dizer é que ele poderia ter comprado o carro sem saber que existia uma diferença entre os cambios. Não estou entrando no mérito se o cambio é bom ou ruim, mas sim que a nomenclatura é importante para demonstrar as diferenças para o consumidor.

                • Edson Roberto

                  Se seu pai dirigiu um automatizado e sempre se habituou a um automatico, eu digo que a coisa fica mais perigosa: A forma de decisão do cambio.

                  Isso iria fazer seu pai ficar preocupado no funcionamento. Ainda bem que vc é esclarecido para explicar a ele.

                • Tripa-Seca

                  Mas MM, carros automáticos de conversão de torque, são todos iguais?
                  O câmbio do Cruze, de 6 marchas, é igual a um AL4 de um Peugeot? E o que esse tem a ver com um automático de um Toyota? E um Honda?
                  E já que seu pai teve automático a vida toda: Os atuais automatizados são tão diferentes dos automáticos que esses são dos antigos 3 marchas de Chevrolet e Ford? Monza, Opala, e até Chevette acho que tinha cÂambio automático (Antigamente, se falava hidramático). Landau, Galaxie… Eles tem mais a ver com o câmbio do Cruze ou um Bravo Dualogic está mais próximo do Chevrolet?
                  Vou além: Qual a diferença PRÁTICA (Não do mecanismo interno) de um Jetta TSI para um Cruze, um 3008, um Corolla, um Focus? Vejo muito gente falando que o Jetta TSI pode ser considerado automatizado, porque o funcionamento dele lembra mais um câmbio automático convencional que um de embreagem simples. Isso para mim seria similar a dizer que a 207 SW não é uma "perua", break, SW….Porque o porta-malas dela não é grande, ou mesmo, que ela não é 4 portas como os outros porque as maçanetas das portas traseiras ficam escondidas…

    • DougSampaNA

      sao produtos diferentes, basta ver uma e outra abertas numa oficina, dizer que dualogic e' automatico e' diferente pois ele faz trocas automaticamente como um automatico, mas nunca com a mesma eficiencia e conforto de um legitimo automatico.
      Penso que os mais eficiente automaticos no brasil sao o cvt e o DSG, eu tenho um fit CVT eoutro fit AT 5 marchas, e o CVT da' um banho em conforto e ECONOMIA!!!

      • Tripa-Seca

        Mas o DSG não seria automatizado?
        É o que falei: A pessoa fala que o i-motion, Dualogic ou Easytronic não é automático porque dá tranco, o sistema é diferente…Mas o DSG o pessoal considera automático, mesmo sendo a mesma tecnologia! Logo, se um câmbio usar conversor de torque e não for bom, não poderá ser considerado automático.

        • DougSampaNA

          sim sim, inclui o DSG por engano.MAS se fosse pra eu ter um" automatico" com embreagem, seria DSG , dualogic não!
          Cambio Automatico ou "automatico"(zado) tem que ter suavidade, porisso não recomendo carros com cambios que dão tranco; os automaticos tem as caixas francesas AL4 que são ruins, e os "automaticos" as IMOTION que existem varios casos de travamento mostrados pelos internautas, a Dualogic é a menos ruinzinha…

      • Sérgio D.

        Estou de olho em um Fit CVT para entrar neste mundo, o que me diz do carro? Qual o ano do seu?

        • DougSampaNA

          Sergio, sou suspeito, mas o cvt faz milagre sim. o motorzim da Honda tem só 80 cvs, é gasolina, mas com pé bem dosado faz aqui na cidade 10,50 (na pior hipotese) a 12,5 km/l, já fiz 13 km/l dentro de Sampa, num ciclo de marginais fora do horário de pico e meio de bairros, uso o meu pra trabalhar na rua, é 2007 e fiz a CAGADA de comprar um 2011 1,4 AT; o novo é gastão, tem 5 marchas mas é teimoso pra troca-las, e não recomendo o Fit novo, a Honda tirou o cambio cvt por pura ganacia de reduzir de 2 para 1 linha de cambios AT, e faturar mais, ousou dizer que o cvt não conversava com o motor frex…e aí a Nissan mostra como se faz carro apresentando Sentra CVT flex.

        • DougSampaNA

          continuando…….O Fit cvt tem uma arrancada mais lenta, dando a impressão que o cambio patina, tem que saber como entrar numa avenida com ele, depoisde 20km/h deslancha que é uma beleza e bem rapido, canso de deixar outros carros pra trás em saida de farol.
          NA estrada…depende do trajeto, minha média é entre 15km/l (montanhas e serras) a 20 km/l (rodovia Castelo Branco um tapete de 250 km de comprimento plano) …procure um abaixo dos 50 mil kms e o teste do cambio é oseguinte…ele não pode dar tranco, se der é porque o cara não trocou o óleo (religiosamente de 2 em 2 anos, ou 40 em 40 mil kms, se mesmo de óloeo trrocado der tranco em saida, não compre, o conserto é caro, mas se estiver liso e sem tranco é cambio pra 200 mil kms antes de abrir a 1a vez.
          Abç.
          Doug

          • R_M_O

            Concordo plenamente….
            Carrinho maravilhoso, tenho muitas saudades do meu 2006 consegui fazer 24Km /litro no Sul de Minas mantendo a media de 60 a 70 Km/h.

            também ouvi esta conversa sobre o cambio cvt não topar o flex (bahhh), não sou mecânico nem mesmo me arrisco nesta área mas uma pergunta nunca me responderam: o que o tipo de gasolina tem a ver com o cambio ? Na minha cabeça (Sou da área de telecomunicações) o combustível queima o motor, o motor gira preciso transferir esta energia (motor movendo) para as rodas (cambio). então se o motor girou lasque-se o tipo de cambio, a montadora escolhe o que quer usar.
            Gosto muito da Honda, mas foi um crime tirar o cvt do Fit.

  • VictorHugo

    Pra mim que estou tirando carteira agora(20 anos) foi uma ajuda e tanto!

    Algumas coisas eu já sabia! Muito bom o texto!

  • abussade

    Bela matéria!

    Apresar do princípio ser o mesmo existe alguma diferença estrutural significativa entre Fiat Dualogic, VW iMotion e GM Easytronic?

    • paranaiba

      abussade, eu acho que a fabricante dos 3 é a mesma, se não me engano a Magnetti Marelli, mas ouvi dizer que o imotion é o mais acertado entre os 3, mas parece que o novo Dualogic Plus está melhor ainda que o imotion

      • AutoIng

        Easytronic é da LUK (importado), enquanto Dualogic e iMotion são da Magneti Mareli (grupo Fiat), feitos em SP. O Dualogic já era melhor que o iMotion mesmo antes do "Plus" na realidade, ele só perdia versão do Stilo, mas no Palio já era um pouco mais acertado que do Fox (mantendo rotação mais elevada nas trocas e engatando mais rapidamente nas saídas).

        • Marcelo_Machado

          Todo mundo fala isso, mas ainda prefiro o 1º Dualogic do Stilo (que tive) a esse mais novo presente nos ETorque. No Stilo vc sentia mais as trocas de marcha, mas o cambio fazia as trocas bem mais rápido. Hoje as trocas são mais "suaves", mas mais lentas.
          Não dirigi o Dualogic Plus, mas o do Stilo para mim ainda é o melhor.

          • Edson Roberto

            Marcelo, eu dirigi um Bravo sem o Plus e te digo que para mim, em arranque não houveram problemas. Para mim, o que mais me irritou foi o cambio subir até quase 5000rpm para realizar a troca de marchas contra a minha vontade.

            O cambio tem que calcular melhor a necessidade de troca. Acho que ao tirar o pé do acelerador e desenvolver velocidade, ele deveria ter trocado de marcha e não o inverso. Se eu quissesse reter, eu poderia pensar no modo sequencial ou até mesmo pensar em outra maneira, mas o cambio ao soltar em rotação e seguir com essa rotação até chegar em quase 5000rpm foi demais.

            Eu estou bem curioso com esse Plus para ver se tal situação se resolveu.

            Mas para mim, eu achei no Bravo bem mais rapida as trocas do que no Stilo (e com muito menos tranco).

            • Marcelo_Machado

              Esse negócio de esticar até os 5000 rpm depende da pressão no pedal, de se habituar como o cambio responde conforme a pressão no pedal. Com o tempo e prática vc controla as trocas das marchas pela pressão que faz no acelerador.

              Os últimos Stilos e muitos que passaram por revisões na ccs receberam uma atualização no software do Dualogic. Na revisão dos 30.000 do meu quiseram fazer isso, mas eu não deixei.

              • Edson Roberto

                Marcelo, o problema é que eu conheço o sistema.

                Eu já dirigi o Linea 1.9, Stilo 1.8, Punto 1.8, Palio ELX 1.8 (obviamente motor GM) e Bravo motor 1.8. E já fui de carona em uma Idea e de longe, a melhor calibrada com esse tipo de funcionamento. Preciso dirigir o Bravo com o dualogic Plus para ver.

                Mas foi o que eu disse, o motor esticou até 5000rpm SEM minha vontade… era uma descida nada ingrime mas que fez a primeira marcha esticar tudo isso. Assustou esse comportamento.

                De todos eles, a Idea foi a mais comportada, mas considero que o Palio apenas de trancos bem recorrentes, ele era confuso de saida, mas bem interessante o motor em um carro tão leve.

                • Marcelo_Machado

                  Edson, eu não dirigi tantos modelos com Dualogic como vc, mas concordo, no Idea da minha esposa parece que o Dualogic esta mais acertado do que no meu Bravo e ambos tem o mesmo 1.8ETorque.

                  Mas ainda prefiro o 1º Dualogic lançado no Stilo em 2008. Vc sentia mais as trocas, mas elas eram bem mais rápidas.

                  Obs: Dirijo 100% do tempo com a tecla "S" ativada e nunca tive problema do cambio esticar tanto assim a marcha. Provavelmente o software do carro que vc dirigiu estava meio "confuso". Já li relatos de alguns cambios que não funcionam adequadamente.

            • Oba_

              Se esticou até 5mil foi pq ele entendeu que você queria extrair mais do motor, quanto mais você pisa mais ele vai esticar que é a logica correta, imagine a situação: você pisa bastante porque quer resposta rápida e constante mas mesmo assim ele troca em rotação media, garanto que se isto ocorresse seria perigoso em algumas situações como ocorre no sistema da VW, da uma lida no link que estou postando e verificara que alguns relataram este incomodo no sistema da VW, de qualquer forma se você pisa pouco, bem de leve no plano o sistema troca entre 2mil e 2500. Fora que se achar que estica muito é possível mudar manualmente mesmo no modo automático. http://testedos100dias.com.br/automatizados/?page

              • Edson Roberto

                Depende.

                O Dualogic, ele costuma trocar de marchas em rotações medianas. Pisar até 5000rpm seria a logica se eu quisesse isso, mas não foi o intuito. Ele esticou em uma descida nada ingrime até os 5000rpm ao inves de trocar a marcha, pois eu nao estava pisando no acelerador. Tentei dar um toquinho para entender mudança de marcha, tentei manter bem de leve o pé para entender, mas quando quase chegou aos 5000rpm ele trocou.

                Sobre a reportagem que vc passou, eu vou ler agora. Depois eu volto para dar alguma resposta se encessario.

                Eu gostei do comportamento do ASG quando eu dirigi. Porém achei o Dualogic ainda mais confortavel e possivelmente ao meu gosto. (ele explorou melhor a faixa de rotação que me mantem com potencia sem traduzir em maior consumo, já o ASG mostrava incriveis 5,5km/l com transito moderado, para um carro que diz não consumir como 2.0, ele estava totalmente ao inverso).

        • Oba_

          Correto aos que duvidam reparem a nota dos que testaram os três câmbios no uso diário e não somente em teste de pista como algumas revistas fazem e dizem que o Imotion é melhor.
          http://testedos100dias.com.br/automatizados/

          • Edson Roberto

            Bem, eu já havia lido esse teste inteiro. Nessa epoca era ainda praticamente a segunda evolução do Dualogic, o ASG tinha um comportamento melhor e o Easytronic apelidado de "Easytranco" só tinha um item a favor… que ao tirar o pé do freio ele empurrava o carro para frente.

            Fora isso, era o pior dentre os três. E até mesmo foi para taxistas. A Chevrolet deixou de vender o Easytronic para taxistas devido ao enorme numero de taxistas que tiveram problema com o sistema. Alguns colocaram um cambio manual comum no lugar do Easytronic por não aguentar mais gastar com esse sistema.

            E se engana quem diz que o sistema em si é barato de dar manutenção. Para fazer a amnutenção do sistema, se gasta cerca de R$2000 a R$3000 dependendo do sistema. Ai o cara roda 100000km todo feliz e dá risada de um automatico que faz manutenção e quando precisa, morre cerca de R$4500. Só que um auotmatico bem conservado dura geralmente 250000km, ao contrário dos automatizados que segundo diversas reportagens e até mesmo explicação de donos, chega por volta de 110000km para dar manutenção.

            O unico sistema que conseguiu ser mais robusto foi o da Fiat. O da VW tem sido reclamado de travamentos de marcha (que precisam desligar o carro para voltar ao normal) e também na indecisão de trocas de marcha. Tanto que muitos estão utilizando em "S" para diminuir esses efeitos tendo um consumo maior. (curiosamente usando no S, o problema para de travamento também).

            Estou bem ansioso para dirigir o Bravo com dualogic Plus para verificar o funcionamento se realmente evoluiu perante os Dualogic anteriores a ele.

            Hoje eu acho que os Dualogic são os melhores automatizados apesar de eu já tecer diversas criticas a respeito.

            • Oba_

              Interessante este custo da embreagem, não sabia e nunca tinha lido nada na internet e realmente não é nada barato se o valor é este.
              Vou perguntar na concessionária como esta a durabilidade deste sistema e o custo.

    • MecanicoDigital

      Conceitualmente são a mesma coisa. O que muda é que cada marca usa sua própria caixa, com módulos e programação específica para cada modelo.

      • msouza91

        tem o mesmo principio, mas o easytronic tem creeping, que agora tem no dualogic plus. os três câmbios são bem distintos, Dualogic e iMotion tem o mesmo sistema, da magneti marelli, mas com câmbios base diferentes(ASG da volks é baseado no cambio do golf, e a dualogic no cambio da família Palio), Easytronic é importado, por isso a maior dificuldade em achar peças quando quebra, além de ser um projeto não baseado em câmbio existente no Brasil

    • DanielLRib

      O sistema mecânico em si é próprio de cada montadora, mas o sistema de acionamento eletro-hidráulico, o chamado "robô", é da Marelli. O que muda é a programação da central. Nunca tive a oportunidade de dirigir uma Meriva easytronic, mas ja andei num I-Motion e possuo um Palio Dualogic. Não há muita diferença entre os dois para que se diga que um é superior ao outro. Sabendo usar, qualquer um vai te servir bem.

      • Marcelo_Machado

        No Dualogic o sistema é hidraulico, no Easytronic é elétrico. No iMotion eu não sei.

        • msouza91

          hidraulico também, é exatamente o mesmo sistema do Dualogic, mas com programação e cambio base diferentes

  • Leandro1978

    Legal o texto. Bem explicativo. Pessoalmente gosto de cambio manual, mas o trânsito de São Paulo e os modelos com os cambios mais modernos, como o DSG e os "tradicionais" modernos (Tiptronic, por exemplo), estão me fazendo mudar de opinião. Em relação ao novo cambio da Fiat, não entendi porque ela já não o lançou no Grand Siena, pois me parece que todos seus modelos (com esta opção de cambio) serão atualizados, não, é? Assim, por que já não lançá-lo no novo carro?

    • MecanicoDigital

      Também moro em Sampa, e confesso que por causa do trânsito pesado que pego todo dia, também estou pensando em trocar meu carro por um automático.

    • Marcelo_Machado

      Por enquanto a "familia" Palio não receberá o Dualogic Plus, provavelmente nos modelos 2014.
      Modelos 2013 com Dualogic Plus só Bravo, Linea e Punto.

      • msouza91

        Pelo que eu entendi, na família Palio vai sair no começo do ano que vem, como modelo 2014, já que a Fiat lança o modelo do ano seguinte no começo do ano corrente

  • Marcelo_Machado

    Muito bom o texto. Concordei com quase tudo.
    Pra mim Automático é o cambio que troca as marchas sozinho. Portanto, só os Palio Easytronic e o Classe A não são automáticos.
    Dentro dos Automaticos existem os tipos muito bem descritos pelo autor do texto.
    Sendo que cada tipo tem uma caracteristica bem marcante, que agrada mais ou menos cada tipo de motorista. Sendo que essa caracteristica é o que faz cada tipo de cambio melhor ou pior para cada motorista.
    E o que é mais importante, o motorista tem que se adaptar e conhecer o cambio/carro para extrair o melhor dele.

    • JPaulo10

      Acho que "automatizado" foi a forma das citadas montadoras oferecerem câmbios AT mais baratos (para elas).
      De qualquer forma, fiquei curioso em testar um carro com câmbio automatizado seguindo as orientações (bem lógicas, por sinal) do autor: acelera-se e desacelera-se da mesma forma que fazemos com um câmbio manual.
      Ou seja, um câmbio automatizado é um câmbio manual sem embreagem.

      • Marcelo_Machado

        Eu sempre leio isso, mas já estou no meu 2o carro com Dualogic e sempre dirijo sem aliviar o pé do acelerador e nunca tive problemas com trancos por isso.
        É lógico que dá para perceber e sentir qdo as marchas são trocadas, assim como num mecanico, o que é bem distante de ser um tranco.

        • Edson Roberto

          Bem Marcelo, um automatico também é assim…. só que há suavidade nas trocas… mas se a pessoa não souber dirigir o automatico, vai dar os mesmos trancos.

          Meu pai, acostumado com cambios manuais, foi dirigir pela primeira vez o meu carro automatico. O cambio tem por costume caso rode devagar, trocar as marchas por volta de 2500rpm, mas meu pai como não conhecedor e acostumado com cambio manual, tirava o pé esperando a troca de marchas. Nesse caso, o cambio ao passar dava uma "empurrada" por conta da forma de uso. É errado.

          Para trocar suavemente, ele deveria ter mantido o ritmo e deixar o cambio fazer o trabalho, tanto que quando ele quis acelerar (mas ficou com medo…rs), o cambio trocou suavemente. Até mesmo para redução de marcha para ganho de potencia ele é suave. Meu pai fez isso e aprovou.

          Só ficou bravo porque passou a desejar um cambio automatico…rs

  • crisburatto

    Embreagem automática houve ainda na mesma época o Corsa Autoclutch, e o pioneiro no Brasil foi ainda nos anos 60, os DKW tinham opcional uma embreagem automática de nome Saxomat, que usava um sistema diferente. E a Mercedes tinha no Sportscoupé (antecessor do CLC montado no Brasil) um câmbio automatizado de uma embreagem de nome Sequentronic. E os problemas das embreagens automáticas nos nacionais era causado pelo creeping.

  • diogo_rs6

    "Depois, consegui comprar meu primeiro carro, um Honda Accord 1995 automático."

    Meu histórico de carros é bem mais curto que o seu, mas teve começo bem semelhante: meu primeiro carro, também automático, (e que continuo com ele até hoje) é um Nissan Sentra 1994, que adquiri em agosto de 2008 com 98K (atualmente está nos 132K)

  • marcelo_ricardo

    CVT tem as mesmas desvantagens do AT convencional? mas ein?

    • thales_sr

      Acho que ele quis dizer em relação ao desempenho e consumo. Se o CVT usar conversor de torque, tem as mesmas desvantagens.
      Mas tem CVT que usa embreagem, é bom lembrar. Se não me engano, o Honda Fit CVT usava embreagem (não o pedal, ok?).

      • msouza91

        digo em matéria de consumo e perda de desempenho, mas são câmbios com comportamentos bem distintos.

        • marcelo_ricardo

          O CVT sempre tem consumo menor que um AT convencional, ja que ele consegue entregar a menor rotação possivel para uma certa velocidade. Claro que alguns AT de 8 marchas conseguem deixar a rotação baixa também, mas uma Caixa AT de 8 marchas deve custar bem mais que uma CVT…

          Acho a de dupla embreagem muito interessante..
          Ano que vem vai começar a se popularizar aqui, chega no New Fiesta e no Focus.
          Tambem no Golf se não me engano, esse com 7 velocidades.. é outro mundo se comparar com um AT de 4 marchas.

      • andreHHX

        Não é bem assim.

        O CVT com conversor tem vantagens em relação ao AT tradicional.

        A vantagem é que o CVT só usa o conversor na arrancada, enquanto que no AT tradicional o conversor é sempre requisitado, não só nas arrancadas. Isso se traduz em mais eficiência para o CVT.

        • thales_sr

          Tens razão. Se o conversor bloquear após a arrancada, a perda dele é praticamente eliminada. Mas se for um conversor comum (que não bloqueia), vai ter perda sempre, e não só na arrancada.

        • vonask

          ele usa o conversor em arrancadas tambem. quando voce esta a 100km e pisa fundo (kick down)para ultrapassar um caminhao, voce sente o conversor atuar. (pelomenos no sentra e no fluence). O giro sobe o carro fica "solto" entao voce sente o "tranco" (conversor acoplando novamente) ai a velocidade sobe como um foguete.
          Ele atua menos que no AT, mas atua.

          • andreHHX

            Olha, não sei não…

            No meu carro, que é um Fluence CVT, só sinto o conversor de torque atuando na arrancada.

            Quando piso fundo para forçar o que seria um kick-down, acredito que o giro sobe porque a correia do CVT está mudando de lugar, indo para uma relação mais leve, mas não porque o conversor está sendo acionado. Além disso, tecnicamente não vejo sentido para autação do conversor já que não há porque desacoplar já que a transmissão não muda de uma engrenagem para outra: é como se fosse sempre uma… e é só uma, mas variável.

            O mesmo era com o FIT que tive. A embreagem só era utilizada na arrancada. Depois disso só a movimentação da correia.

            No entanto, acho que só um engenheiro da NISSAN pode realmente esclarecer essa dúvida.

      • luidlh

        minha namorada tá pensando em trocar de carro, pra um automático, e definitivamente um usado com cambio automático, o melhor que comparamos entre todos os usados é o Honda Fit 2008 com cambio CVT, confere? mesmo tento 80 cavalos o modelo 1.4 (o carro atual dela é um peugeot 207 SW 1.4 com 88cv) acho que vale apena, não? só pra ir trabalhar e tal…

        • TDRamos

          O CVT da Honda se encaixa perfeitamente com o 1.4 do Fit, ele tem bastante torque já desde o 'começo dos giros'

          então vc ta sempre com boa força no carro, por mais que o cambio mantenha o Giro do motor estável

          Sem falar que é disparado um dos carros mais economicos que eu já vi

          eu recomento, minha Tia tinha um, fazia na media uns 18 km/l isso andando num 'circuito misto', mas mais na cidade (pegava vias rapidas tbm, por isso digo misto)

          claro que isso tem tempo, eal comprou o carro zero, pouco antes do Fit perder o cambio CVT e virar Flex

          • Edson Roberto

            Não seria esse o motor 1.5?

            Pois o motor 1.4 (1.3 na verdade) é um modelo bem reclamado por simplesmente não responder bem em baixas rotações. Será que o da sua tia não era o com pingo azul? (na letra I do Fit)

        • thales_sr

          O que eu conheço do Fit é relato de conhecidos que tem o carro. Simples, durável, econômico, e não quebra. Isso que eu ouço sempre que eu pergunto do carro… Acho que se o que ela procura é confiabilidade e economia, o Fit é uma ótima opção.

          • R_M_O

            Assino embaixo, fora a manuteção de rotina (oleo, filtros e pastilhas) precisei trocar apenas 2 lampadas. E cuidado na ré, se encostar na parede a tampinha do limpador traseiro já era.

        • Edson Roberto

          Luidlh,
          Tente encontrar os modelos com o motor 1.5. Geralmente os preços estão proximos, mas ele é mais completo de outros itens de conforto.

          Sem contar que ele anda muito bem (te digo com facilidade que com o CVT ele anda junto de carros 2.0) e com economia. Só que tanto para o motor 1.4 como 1.5, fique de olho no cambio, pois como ele tem usado constante de oleo, geralmente as manutenções devem ser feitas a cada 40000km e a grande maioria dos que possuem não fizeram nesse periodo podendo gerar problemas no cambio.

          Mas o Fit é um carro confiavel, geralmente não é um carro de dar manutenção, mas como usado, terá que fazer as mauntenções mais caras e é salgado mesmo. Mas ao menos garante que será um carro usado bem confiavel. Eu cogitei a compra dele também, caso troque meu automatico depois de um tempo.

          Boa sorte!
          Abraços!

          • Louis

            O 1.5 também era CVT ?

            • Edson Roberto

              Era sim.

              Considere o CVT apenas para o Fit anterior. O atual Fit possui o mesmo cambio do Civic com relações de marchas diferentes (para que aproveite melhor o motor 1.5).

              Abraços

  • MecanicoDigital

    Câmbios automáticos podem durar tanto quanto os manuais, basta que sejam mantidas em dia as manutenções contantes nos manuais destes veículos.

    • farleytito

      na verdade câmbios at's duram mais do que os manuais,o problema é a falta de manutenção preventiva prevista no manual que acaba acarretando em defeitos e pelo fato da manutenção corretiva ser muito cara, acaba se tornando inviável os devidos reparos visto que quando isso acontece geralmente o carro ja esta velho e desvalorizado e na mão de quem não tem condi$$ão de arrumar.

  • pauloomota

    Todo mundo reclama dos trancos no Dualogic, porem a culpa ta nas pessoas que dirigem, elas tem que se adaptar com o cambio! pode ficar com as trocas manualmente que o carro anda muito bem! experiencia própria.

    • pauloc1980

      Então as coisas estão involuindo, pois há alguns anos atrás era o câmbio que se adaptava ao nosso estilo de dirigir…hehe

      • msouza91

        não é bem assim, dirigir um carro é como adotar um animalzinho o ter um bebê, exige adaptação mutua pras coisas funcionarem bem

        • pauloc1980

          Sim, sim.. você tem razão quanto a isso. O fato em relação aos Dualogic e afins é que eles são até MAIS suaves que nós mesmos ao fazer as trocas, só que nós sabemos quando iremos realizar a troca. Já no automatizado nós somos "mais ou menos" surpreendidos com a troca. A tal "adaptação" corresponde basicamente em prever o momento em que a troca ocorrerá e não se assustar com ela.

          • pauloomota

            cara por exemplo, eu andei por 6 meses com um stilo dual, meu irmão foi fazer curso pra PF fora e deixou o carro comigo.
            eu sempre passava as marchas no Dual.. e não sentia nem um pouco tranco. é isso mesmo que você disse, e foi isso que eu quis dizer em se adaptar. quando sentir que vai trocar a marcha tira o pé do acelerador. se precisar dar uma arrancada rapida usa manualmente.

            • Edson Roberto

              Mas vc então usava o modo sequencial. O modo automatico desse cambio que é reclamado justamente por não ser compreendido por muita gente o tempo da troca. Quando se acostuma isso diminui e ainda mais qdo comparado a um cambio automatico, as coisas ficam em desvantagem. Mas fora isso, ele cumpre mto bem o seu papel.

              E ao menos para mim por exemplo, acho que os cambios automatizados tem uma resposta mais rapida a troca sequencial do que alguns automaticos de troca sequencial. Isso é só meu parecer e opinião a respeito claro.

  • andreHHX

    Legal o texto, mas assim como o comentário de outros leitores, por uma questão de lógica acho que automático é todo aquele que escolhe a marcha de forma automática. Sinceramente, não sei da onde surgiu esse termo "automatizado". Isso aí me parece coisa de departamento de marketing.

    O que seria então o CVT do Honda Fit que tinha uma embreagem? Seria um CVTizado ou semi-CVT? Claro que não, né…

    E o Classe A 160 que eu tive, que não tinha embreagem mas tinha alavanca de câmbio igual a de um carro manual? Nesse carro só o acionamento da embreagem era automatizado. Esse aí sim acho que dava pra chamar de semi-automático.

    • msouza91

      a caixa CVT com embreagem na realidade é um Hibrido, chamado de caixa hidromecânica

    • thales_sr

      Na verdade, eu gosto do termo "automatizado", embora concorde que "câmbio automático" significa "caixa de marchas que muda as relações sem intervenção do motorista".
      O que me faz gostar do termo é justamente pra separar o joio do trigo. Automático é aquela caixa epicíclica com conversor de torque, CVT é o câmbio com polias e de infinitas relações, e automatizado é a caixa comum, com embreagem comum, com atuadores eletromecânicos/hidráulicos.

      • andreHHX

        Concordo que no sentido de separar as coisas a nomenclatura é útil.

    • Marcelo_Machado

      Automatizado = tornado automatico.
      Pegaram um cambio mecanico e tornaram ele com trocas automaticas. Por isso Automatizado.

      • andreHHX

        É, dá pra entender assim tbm.

  • Felix_S

    Comprei meu primeiro automático apenas por conforto. Podem até dizer que hoje já existem câmbios automáticos mais eficientes que caixas manuais (como o automatizado DSG e, melhor ainda, os novos automáticos ZF de 8 marchas), mas prazer em dirigir ainda é a velha embreagem! (acho o DSG tão eficiente que o paddle-shift é quase só para o cara brincar de "piloto de video-game"… hehe)

  • fabio_augusto

    Já li que alguém teve até problema no pescoço quando usou câmbio automatizado. Daí um certo trauma ficou na minha cabeça quando fui fazer o test drive no Stilo Dualogic. Fiquei tão receoso que pensei que eu ia quebrar o pescoço acelerando o carro por causa de um possível tranco. Resultado: ou eu peguei o jeito rápido em dirigir um dualogic ou realmente esse negócio de tranco em automatizado é UM BAITA EXAGERO. Não senti absolutamente nenhum tranco no test drive. Acho que a culpa é da própria Fiat por não ter deixado claro a proposta do dualogic. Gostei tanto que pretendo sair de um 1.0 e pegar um 1.6 E automatizado.

    • thales_sr

      Muita gente fala coisa sem saber, sem nem ao menos ter dirigido…
      Quando eu andei no Polo I-Motion, não gostei do funcionamento do câmbio. Tanto que comprei o meu com câmbio mecânico "tradicional". Isso faz uns 2 anos e meio. No começo desse ano, andei no Fiat 500 Dualogic e achei bem legal, se fosse comprar um, não descartaria o automatizado. O único problema é que 10 minutos depois eu andei no Jetta TSi… rs

      • msouza91

        o que aconteceu foi a mídia "especializada" que difundiu isso, foi publicado, lá nos idos de 2010, que os sistemas automatizados davam leves trancos, então veio fulano e disse que dava tranco, numa rodinha de amigos ele dava muitos trancos, quando um desses foi comentar com o colega de trabalho, os trancos já eram insuportáveis, quando esse falou pro irmão, alguém já tinha quebrado o pescoço…a

        • JottaElle

          Pois é, o sistema humanizado dá muito mais trancos e ninguém fala! rsrsrs

          • Edson Roberto

            Isso sem contar que muita gente além dos trancos dá belas queimadas de embreagem….rs

        • fabio_augusto

          É bem por aí mesmo. Li uns anos atrás que alguém teve problema no pescoço. Se continuar assim, vai ter alguém que vai ter a cabeça decepada rsrs.

    • pauloomota

      kkkk.. problema no pescoço. Meu Deus!
      eu andei com um stilo Dual por 6 meses e não tive nenhum problema. vc tem que se adaptar mesmo ao cambio.

  • andreHHX

    Sobre os chamados automatizados, confesso que eu nunca gostei, mas sempre foi por puro preconceito pois nunca tinha experimentado sequer como carona.

    Até que um dia como passageiro peguei um taxi SpaceFox automatizado e percebi um câmbio eficiente e que dá sim pra dirigir de forma agradável, bastando aliviar o pé na hora das trocas para aliviar o tranco. Depois desse dia passei a começar a considerar carros equipados com este sistema.

  • xam72

    Parabéns ao autor, o texto é ótimo. Porém existe uma afirmação errada. O Fluence nao é o único carro disponível no Brasil com CVT + simulação sequencial de marchas. O Lancer també tem, com paddle shifters grandes e fixos na coluna de direção ( e nao no volante ) . E O Carro é fantástico! Melhor ainda porque nao é flex. Gasolina pura com taxa de compressão 10:1

    • andreHHX

      Ah, e tem o Audi A4 tbm.

    • msouza91

      não disse que o Fluence é o único, citei o A4 também, mas apenas citei os modelos, existem outros modelos, tem modelos A6 também, dos beeeem antigos com virtualizaçao de marchas

      • andreHHX

        Blz!

      • xam72

        me desculpe, lí o texto rapidamente e voce está correto. mas vale a lembrança!

  • paulluis

    Só tem um probleminha, no começo vai ter que tomar cuidado para não fazer bobagem, já viram no Youtube a quantidade de acidentes com carros automáticos em situações de baixa velocidade, tipo estacionamento ou manobra? Carros que saem de repente para frente ou de ré, carros andando sozinhos causando acidentes, verdadeiras videocacetadas!!!E em off-road é preciso tomar cuidado se o óleo da transmissão superaquecer em determinadas situações de esforço, tem que esperar o óleo esfriar.

  • marcoslz

    Se pudesse nunca sairia do CVT, de um Sentra fui para um Fluence, exatamente o mesmo motor/cambio. O que mais temos? Lancer? A4? …

    • R_M_O

      Tambem estou neste dilema, a patroa encheu porque queria trocar o Fit (velho ???) pelo novo. Tentei explicar a diferença, porem foi murro em ponta de faca. No primeiro dia que trocou pelo Fit novo, já queria o velho (???) de volta, mas era tarde.

      Agora procuro carro pelo tipo de cambio (CVT).
      Fico de olho no sentra e também de a mercedez B180 e B200 (esta um sonho). Acredito que em breve deva chegar novos modelos com este cambio

  • marcelmay

    em casa só temos automaticos, mas meu avo possui um I-motion e ja dirigi algumas vezes e realmente, se vc for com a ideia correta desse tipo de equipamento, ele e mto eficiente. O Dualogic ainda nao experimentei, acredito que seja mto proximo… enfim, acho que vale a pena esses cambios.

  • p_ricardo

    esse rapaz é bão! o eber.. contrata o cara.. uma vez por semana ta bom é legal como ele passa o conhecimento, não é cansativo a leitura!

  • JPaulo10

    Sinceramente, prefiro câmbio manual.
    1. Num câmbio automático, você tem controle do motor para algumas circusntâncias, por exemplo, numa descida em que o freio de motor seja necessário? (Falo de câmbio sem as opções "3", "2" e "1" ou modo manual, embora o Eber tenha mencionado essa tarefa no modo AT do Cruze: redução de marchas numa descida íngreme.). E numa retomada, numa ultrapassagem?
    2. Em relação ao consumo, passar para uma marcha mais alta rapidamente para gerar economia. Existem câmbios AT que simplesmente ignoram sua decisão, no modo "manual" do câmbio.

    • MM_

      Não sei se existem cambios sem essas opções, JPaulo. Ou tem o 3/2/1 ou é sequencial. Além disso vc controla reduções de marcha via kick down.

      Ignoram sua decisão para passar para marcha mais alta? Confesso que nunca vi. O que o cambio ignora é passar para marchas mais baixas acima de determinado giro.

      • AutoIng

        Exatamente, se precisar de mais controle é só usar o modo sequencial. Basta um toque na alavanca e pronto. Em seguida volta pro modo automático sozinho e está tudo resolvido. Se gostar muito de usar esse recurso ou o modo manual, pega as borboletas ou botões no volante. Sempre dá pra se adaptar. Pra mim morreu a razão pra alguém só pegar câmbio manual (até porque sejamos francos, quem não pega ao menos um bom congestionamento de vez em quando? Até em cidadezinhas do interior já há esse problema!).

      • JPaulo10

        MM, eu li sobre esse problema no câmbio do C4 Pallas, de que ele não responde se você desejar passar da 2a. para a 4a. marcha. Não me lembro a fonte ou revista. E li também – isso com mais certeza – de que no câmbio do Mégane (ainda usado no Logan, etc.) o carro teimava em ficar na 3a. marcha quando os giros já pediam a 4a., e o motorista tinha de trocá-la manualmente. Não sei se o problema persiste.
        Quanto ao câmbio sem opções 3/2/1 ou seqüencial, talvez picapes ou modelos mais antigos, mas preciso pesquisar.
        De qualquer forma, minha opção pode ser por questões culturais: o brasileiro estava mais habituado à escola europeia, onde reinavam os câmbios manuais (mesmo as montadoras americanas quase não possuiam câmbio automático em seus carros).
        Ou por puro prazer em controlar o motor, mas isso é subjetivo.

        • Marcelo_Machado

          Se não me engano o atual cambio AT do i30 não tem modo sequencial. Só as trocas automaticas.

          • msouza91

            não tem sequencia, mas tem as posições 3,2 e 1, pra quem sabe utilizar elas, resolve todos esses problemas.

            normalmente cambios de 4 marchas não tem sequencia mesmo, salvo exceções, como no Mégane

            • MM_

              Acho que hoje já tem muitos carros de 4 marchas com cambio sequencial, principalmente no segmento dos médios.

              Tem C4, Focus, 308, Impreza. Deve ter outros também q não me lembro.

            • JPaulo10

              "prá quem sabe utilizar"
              Uma vez eu vi uma entrevista do presidente da Toyota respondendo a reclamações sobre desgaste de freios nas Hilux. Ao invés de utilizarem as sequências 3/2/1 como freio de motor, os usuários somente pisavam no freio para segurar um veículo com, no mínimo, 2 toneladas de peso. Não há disco que resista, embora a Toyota os tenha redimensionado.

        • Edson Roberto

          Na verdade JPaulo, o cambio AL4 é bem teimoso mesmo. Seja para dar um kick down ou subir marchas. Ele é um dos piores cambios que eu já dirigi. Mas como o MM_ teve um C4 com esse cambio, talvez o que faltava para os modelos que eu tenha dirigido na verdade tenha sido uma programação.

          Apesar de que, eu achei em qualquer momento, a operação do cambio bem lenta, principalmente qdo se coloca em operação sequencial. Esse seria um carro que eu esqueceria em modo automatico mesmo.

          PS: E lembrar que eu tenho um Citoren automatico com o cambio anterior a esse que é rapido nas trocas…. só sinto que de ganho foi o sequencial mesmo.

        • MM_

          JPaulo, não existe nada de errado na sua opção. Cada um tem sua preferência. Minha esposa mesmo, por motivos que nem ela sabe explicar, prefere manual.

          Sobre subir de 2a pra 4a marcha, não lembro de ter tentado. A próxima vez q sair com o Cruze vou fazer um teste e te respondo. De qqr maneira, sempre usei muito pouco o sequencial. No C4 devo ter usado umas 2 vezes em 2 anos. No Cruze só usei no dia que peguei o carro. Não uso nem no Acura que tem paddle shift. Até pq as poucas vezes que eu pensei em mudar marchas foi para reduzir e acostumei a fazer isso com o pé mesmo.

          • JPaulo10

            MM, eu estou pensando no "método carga", que o BestCars recomenda para melhor consumo: alcançar rapidamente as marchas mais altas, se possível até pulando a terceira.
            Gostaria muito que você experimentasse em seu Cruze. Estamos realmente interessados no modelo GM, talvez pendendo mais para o Sport6 porque tivemos – e gostamos – um Monza hatch. Mas sempre existe a dúvida: manual ou automático.

            • MM_

              JPaulo, peguei uma estrada este final de semana e é isso aí mesmo.

              Passei de 2a p/ 4a, depois experimentei de 3a p/ 5a e então 4a p/ 6a. Todas as trocas foram tranquilas. Dependendo da rotação, notei que a marcha intermediária realmente era desnecessária.

              Abs.

              • JPaulo10

                Obrigado. Você está quase me tirando a hesitação sobre câmbio automático ou manual.
                Mas será que o consumo melhorou?

        • Tripa-Seca

          Para mim não existe prazer nenhum de controlar o carro em um congestionamento… heheh

          • JPaulo10

            Daí a importância daquela velha máxima: "deve-se escolher o automóvel que atenda a suas necessidades".
            Para mim, carro é mais para estradas, porque – mesmo morando em SP – quase não uso carro: pego ônibus/metro e moro perto do trabalho.
            Essa vantagem foi comentada no Rio+20 citando como exemplo New York: o trabalhador tem transporte fácil e toda sua vida desenvolve-se em locais próximos à sua residência.
            Um câmbio automático para mim não faz tanta diferença.

    • abussade

      Nos modelos mais antigos vc tem alguma razão…

      Nos atuais, se vc não está acelerando em uma descida ele não acelera como se estivesse na banguela, ao contrário ele reduz a velocidade se vc tira o pé do acelerador, principalmente se vc estiver usando freio (óbvio!).

      Em relação ao consumo os atuais, com cerca de 6 marchas, trocam a marcha em baixíssima rotação para economia de combustível, caso vc esteja com pé "leve" no acelerador. São programados para vários pontos de troca, de acordo com a condução momentânea do motorista.

      Apesar de ser automático o condutor define, de certa forma, o comportamento do carro. Sem contar da opção de usar o sequencial associado.

      • JPaulo10

        Abussade, pergunto:
        Numa condução na estrada, a 110 km/h em sexta marcha, um câmbio automático de seis marchas é mais econômico do que um manual também de seis?

        • Edson Roberto

          Depende.

          Já que aqui acho que o ponto serve diretamente para o Jetta, esse pode ser definido assim: Esse é um modelo que adora trocas em baixa rotação. Mas o motivo disso acontecer, é que o motor entrega sua força em rotação baixa.

          Ao andar com ele na cidade por exemplo, em 40km/h é possível ve-lo trabalhando em quinta marcha. A rotação trabalha em quase 1200rpm. Nesse caso, ao acelerar ao contrário do que muita gente diz, ele é bem preguiçoso, diminui uma marcha se pisar a quase meio curso do acelerador e ao pisar acima, diminui 2. Se quiser o "máximo" de desempenho, pisa até o fim e ele engata segunda e vai com mais potencia.

          Na estrada, o cambio automatico vai sempre jogar a marcha que vc quer dependendo da pressão que vc está fazendo. Se vc estiver a 110km/h em sexta, se precisar de força ele vai reduzir. Mas, se for uma pista plana, mantendo 110km/h em ambos sempre, é bem provavel do consumo ser parelho. Só piora o consumo no automatico caso o dono não saiba aproveita-lo. Ou seja, o consumo pode ser maior se utiliza-lo inadequadamente ou caso contrário pode ser melhor.

          Há quem use o cambio manual e já quando precisa de força sai reduzindo (sem utilizar o método carga), pode ser um fator para um consumo maior.

          Eu acho que te deixei mais em duvida do que respondi sua pergunta né? Mas se ficou confuso, me faça outros questionamentos e a nós iremos conversando a respeito.

          Abraços!

          PS: Eu sei que há o Cruze, mas como eu dirigi os tres modelos de Jetta, posso te dizer com mais propriedade do mesmo.

          • JPaulo10

            Obrigado.
            O pedido que eu fiz para MM sobre método carga poderá esclarecer-nos a todos.

        • Stark

          Amigo, depende da relação! Veja os exemplos abaixo se você estiver à 120 KM/H:

          5ª marcha num Câmbio de 5 : 3000RPM
          6ª marcha num Câmbio de 6: 3000RPM

          No caso acima a última marcha dos dois tem a IDÊNTICA relação, ou seja, vai girar na mesma quantidade, portanto se fosse o mesmo carro, o CONSUMO seria O MESMO.

          Agora nesse caso:
          5ª marcha num Câmbio de 5 : 3000RPM
          6ª marcha num Câmbio de 6: 2600RPM

          No caso acima a SEXTA marcha realmente faria o motor "descansar" um pouco mais pois estaria girando menos pra manter a velocidade, deixando com o GIRO MAIS BAIXO em ÚLTIMA MARCHA, aí sim se fosse o mesmo carro no caso acima, o câmbio de 6 marchas realmente faria um menor consumo.

          Nesses exemplos acima considerando somente o GIRO do motor e relações, pois se for Câmbio Automático que tem o efeito de deslizar (patina) aí o consumo tende a ser um pouco pior, pois acontece o seguinte:

          Num Câmbio de 4 Marchas ou mesmo em alguns de 6, se você tiver tranquilão lá na rodovia @ 120 km/h e ainda em ÚLTIMA marcha e der uma leve afundada no acelerador pra vencer um morro (mas sem afundar até o final), vai perceber que o Câmbio Automático talvez vai deixar "PATINAR" um pouco, e você vai perceber o giro subir um pouco mais, mesmo sem ter trocado a marcha e esse que é o problema. Não acontece em todos mas é muito comum.

          Então o maior vilão para o Consumo Alto é essa patinação e as constantes trocas de marchas que o câmbio automático faz.
          O efeito de patinação não existe (ou quase não existe) nos Automatizados, e essas trocas constantes podem ser resolvidas em alguns casos jogando no MODO TIPTRONIC.

          Desculpa o longo texto..

    • zeuslinux

      O meu carro (Captiva), se colocar na posição M (manual), você passa para a marcha que quiser, usando um botão com + e -. Numa descida de serra, se quiser usar freio motor, basta colocar no M e depois ajustar a marcha mais adequada.

      Eu também sempre tive carro manual mas hoje não quero saber mais de manual. Nas ultrapassagens, o kickdown (pisar fundo no acelerador) já dá uma aceleração grande (em carros com motores fortes pelo menos).

    • Felix_S

      JPaulo: O câmbio do 408 THP faz essas 2 coisas muito bem. Segura nas descidas e faz quase tudo na boa. Sei que há caixas melhores, mas esse dá conta do recado com sobras.

  • PONCIO PILATOS

    boa matéria. parabéns. mas com o devido respeito, ouso dicordar.
    tive um linea 2011 dualogic, quero nunca mais. e só o dirigia no manual, pois o "soluço", ou "delay" é quase insuportável, em ultrapassagens ou curvas, quando ele trocava de marchas, demorava uma eternidade, quero nunca mais.
    a vantagem é que anda igual ao manual. manobras em estacionamentos pequenos, meios fios, subidas íngremes, é um suplício, visto que ele não mantem o carro um pouco acelerado como nos automáticos, é muito ruim.
    hoje tenho um vovorolla automático com shifttronic e padlle shiffit… aí sim, é outro lance. só quero automático.
    mas de qq sorte valeu. hoje tenho um mecanico e um automatico, mas nao ando mais se nao for automático….

    • thales_sr

      Acho que você dirigiu um dos piores automatizados que teve… Experimenta o 500 Dualogic (esse eu dirigi e gostei). Falaram bem do Bravo, mas esse eu ainda não andei.

      • Marcelo_Machado

        Pra mim o melhor Dualogic que já dirigi foi o 1º do Stilo.

      • PONCIO PILATOS

        pois é, mas agora num tenho interesse mais não. a FIAT teve a chance dela, comigo, perdeu a credibilidade, tive o carro por mais de um ano, foram muitos percalços. agora só automático de verdade (com conversor de toque e sem soluço ou delay).

    • msouza91

      Poncio, não sei qual era o seu Linea, mas ouvi dizer que o Dualogic não casava muito bem com o motor 1.9, então pode ter sido isso, mas não sei se tinha modelo 2011 com motor 1.9

      • PONCIO PILATOS

        Caro Mario, parabéns pela matéria, mais uma vez. O meu foi o HLX 2011, já era ETORQ, motor muito bom por sinal, torque bruto e disponível em 1500 giros, mas o câmbio, meu velho, parece que tinha vida própria. Na minha garagem, tem uma rampa muito forte e curta, ou seja, tem que acelerar e frear quase que simultaneamente, toda vez era um bode pra por o carro…. chovendo entao, até patinar, ele patinava…. hoje, tenho um vovorolla, XEI 2.0 auto, meu amigo, é outro lance… com carro mecanico nao tem treta, mas com o Linea, era sempre um sofrimento, eu suava igual a tirador de espirito… tou fora. O engraçado é que, em velocidade final e aceleração, ele ia mais que o vovorolla, que tem muito mais potencia e torque, mas as manobras curtas e ultrapassagens sem ser no manual, era sempre precedidas de muita apreensão… (moro em um lugar que pego umas retas de 20 ou 30 km)… num quero mais não.

        • Oba_

          Concordo com tudo que você disse em relação a dificuldade nas manobras que você executa mas acho que e quase certo que se tentasse arrancar em segunda o carro não patinaria, o Dualogic ate quando usava motor GM nao aceitava arrancar em segunda mas nos novos (500 e Etorq) e possivel e acredito que resolve este inconveniente que você passou. Você chegou a tentar em segunda?
          Interessante o relato que o Linea anda mais que o Corolla 2.0, todos os testes mostraram o contrario mas se você que possui os dois esta dizendo, e uma ótima noticia pra quem quer um Etorq.

          • msouza91

            o dualogic mesmo no stilo já permitia arrancar em segunda

            • Oba_

              Mas o Idea motor Chevrolet não permitia segundo teste dos 100 dias ou era somente os VW que tenho certeza absoluta que falaram que não permite sair em segunda?

    • Marcelo_Machado

      Tinha um Stilo Dualogic e fiz um Teste Drive num Linea assim que lançaram. Tinha uma boa diferença entre os 2 carros. O Dualogic do Linea era um pouco estranho mesmo.

    • No vídeo do Bob Sharp avaliando o Dualogic Plus, ele fala que agora o câmbio imita o comportamento de um automático quando você engata a marcha: o carro fica levemente acelerado (ou seja, seus problemas com ladeiras agora não existem mais, em teoria).

    • Oba_

      O creeping do Plus como num automático resolve este problema com meio fio, li não sei onde que e possível subir guias apenas tirando o pé do freio, quanto ao delay isso varia de carro e motor porque pelo experiencia o DELAY que incomoda e chega a ser perigoso e quando estamos quase parando em uma esquina e nao reduz para primeira, ocasionado retomada muito lenta e a redução para primeira realmente e mais demorada que em qualquer outra marcha, nesta situação em especifico quando estou quase parando eu aprendi que tenho que tomar cuidado para conseguir reacelerar em segunda ou calcular o tempo para reduzir para primeira no meio da travessia.
      Outra situação critica ocorre quando estamos em uma avenida em quarta e fazemos conversao para uma subida ingrime, neste caso a redução não e rápida e ja ocorreu comigo do carro quase morrer por não reduzir rapidamente para primeira.
      Fora isso e so maravilha pra mim.

  • Corvo

    Texto bem explicado. Moro em SP, tive um 307 automático (achei ruim) e agora tenho um Sandero automático (só elogios). Sobre o comportamento dele, realmente o cambio dele é muito bom (bem melhor que o Peugeot automático que dava trancos, demorava a responder e tinha um desempenho ruim). Minha única crítica pra ele é que o cambio amarra um pouco o motor até umas 3 mil rpm (precisa aliviar o pé para passar de marcha, ou seja, alguns dias de adaptação) mas as retomadas são excelentes e o desempenho é muito bom. Sobre os automatizados, não concordo com o autor. Cogitei pegar Fox e Punto automatizados por ex, e achei piores aos ''automáticos de verdade''. Claro que é questão de costume, pois precisa de tempo a se adaptar. Sobre que os automatizados são ruins é mito, pois eles estão melhorando e estão ficando quase iguais aos automáticos, e também são mais econômicos. Não concordo tampouco no assunto da manutenção. Geralmente se derem problema, são mais baratos de consertar que os automáticos, só que os robotizados, tendem a ter problemas no futuro com atuadores e outros componentes. Os automáticos dificilmente tenham algum problema, desde a que a manutenção seja feita corretamente. O que é fato é que para quem mora em cidade nada a melhor a dirigir sem embreagem. Quem não experimentou um cambio automático ou automatizado não sabe o conforto que traz (se quiser esportividade, a maioria deles oferece mudar manualmente as marchas). O que é certo é que vale a pena cada centavo a mais a diferença entre eles e os manuais

    • duhehe

      Tive um 307 também .. o cambio é uma droga !

      O do tiida não é muito melhor …. da BEM menos trancos .. mas ele é chato e ruidoso.

      • Tripa-Seca

        Curioso o depoimento de vocês dois… Se entre automáticos "de verdade" há trancos, comportamento indesejado, porque desqualificar um automatizado como automático, por causa desses trancos? O Do Peugeot não seria automático então? Não é automático por causa do robô da embreagem? Então porque algumas pessoas consideram o DSG automático?

        • Corvo

          O cambio da Peugeot e Citroen, de 4 marchas, o famoso A4L é ruim mesmo, poderíamos dizer que é uma exceção dentro dos câmbios automáticos. Quem já andou ou quem já foi proprietário poderá te dizer qual o comportamento: Lentidão eterna quando você acelera o carro, trancos constantes, consumo alto e desempenho ruim. Sobre os automatizados, ninguém falou que eram ruim, ao contrário, eu afirmei que não são ruins como as pessoas falam, mas não são tão bons quanto os automáticos de verdade, isso é fato. Faz um test drive e comprove a diferença. Farei em durabilidade, os automatizados, por serem câmbios genuinamente manuais mas ''um robo'' passa as marchas, a tendencia é que tenham mais problemas no futuro com alguns componentes (é só olhar a quantidade de taxistas com Meriva que trocam seus automatizados, e fazem a gambiarra de botar o cambio mecânico novamente). O automático, se fizer a manutenção certa dificilmente da algum problema. Do mesmo jeito penso que compraria facilmente um automatizado, e sobre tudo no prazo de 2-3 anos, que vão estar mais confortáveis ainda

    • Lembro da matéria na AutoEsporte que comprava Fox iMotion com o Sandero, e dava como vencedor o Sandero, pelo mesmo motivo: o automático dele funciona de maneira bem melhor que o iMotion no Fox.

      • Corvo

        Sem dúvida. Não estou dizendo que o cambio do Fox é ruim, se não que não consegue ser tão bom quanto um automático

  • 3ic

    dirijo no transito pesado do rj e não troco um manual por um automomático. Bom texto explicando a tecnologia enrrolada sem enrrolar.hehehehehe, mas não me sensibilizou. Ja dirigi divertsos carros automáticos onde em algumas situações que exigia "queimar" a embreagem" para ganhar mais folego em uma ultrapassagem ( dar aquela estilingada com o carro) o pe começava a coçar.

    • AutoIng

      Então você precisa de um CVT… Quando se pisa forte ele eleva a rotação até o ponto de torque máximo instantaneamente, sem atrasos. É a coisa mais semelhante a "queimar a embreagem" que você pode encontrar em um automático, na minha opinião.

      • 3ic

        esse nunca dirigi. Assim que tiver oportunidade o farei. obrigado!

  • msouza91

    me desculpe, mas hei de descordar, querer conforto não é algo para preguiçosos, apenas tente dirigir ao menos cerca de 200km por dia, éa necessidade.

    outro ponto, entusiasta é aquele que se dedica a algo, eu apenas escrevi sobre tipos de câmbio, isso não diz a forma como eu aproveito ou não o rendimento de alguns dos meus automóveis.

    quanto a "não ter estomago para terminar de ler", me desculpa, mas isso é uma tremenda falta de cultura e arrogancia, é o mesmo que julgar um livro pela capa, quer criticar, fique a vontade, criticas são bem vindas e não vai ser um usuário sem credibilidade alguma(0p, unico comentário no blog) que irá abalar alguma coisa

    • Edson Roberto

      Mario, fique tranquilo.

      O cara falar de saber extrair do motor as melhores caracteristicas de uso, porém para quem é leigo e procura saber de funcionamento é importante. Se ele entendesse que vc quis expor justamente o item de forma de uso sem expor os dados técnicos para mostrar aos outros na prática como funciona ele iria entender. Mas foi como vc disse, ele diz que quem é preguiçoso vai pensar assim… mas para terminar de ler um texto elucidativo, ele não fez. Ah sim… quem é preguiçoso mesmo?

      E por fim, o site tem DIVERSAS NOTICIAS, cabe a cada um optar por noticias que lhe interessam. No começo da sua explicação vc relatava como UMA PESSOA DIRIGINDO COM EXPERIENCIA vários tipos de cambio e logo, explicou que iria tratar de falar na pratica a respeito.

      Portanto, era simples ele simplesmente ter fechado a pagina e seguido com a noticia. Além de indelicado, ainda foi desrespeitoso com a materia e com o dono do blog. Para essas pessoas, desconsidere a opinião. Esse tipo de sugestão ou critica que ele fez, ele tem email para relatar (e mais uma vez: Quem é o preguiçoso mesmo?), mas parece que ele desconhece isso. (mas novamente: Quem é o preguiçoso mesmo?)

      O seu texto está otimo, parabens!

      Abraços!

  • CyborgPilot

    Infelizmente eu TIVE estômago pra ler teu comentário inteiro. Comentário este que só fez depreciar o N.A. e o autor do texto. Quer dizer que pra vc entusiasta automotivo são só aqueles que amam carros com câmbios manuais e detestam os automáticos, aqueles que querem viver parados no tempo, puristas, que temem o novo e criticam aquilo que nem experimentaram de verdade? Pois vc mesmo admitiu que nem terminou de ler o Post, mas o criticou duramente. Que atitude lamentável.

  • duhehe

    Já tive automatizado ( I-motion) e automatico ( 307, Bora, Tiida) .. e andei por alguns milhares de quilomentros com um CVT ( Fit 1.4)

    Não adianta , pra mim o melhor mesmo é o automatico comum com 6 ou + marchas …

    • NitroBR

      é por que voce ainda nao dirigiu um de dupla embreagem de 7 marchas, ja dirigi todos, automatico convencional, automatizado mono-embreagem,CVT e o automatizado de dupla embreagem, e de longe o de dupla embreagem eh o melhor, absolutamente sem trancos e quando voce precisa de acelerar , com ele voce consegue, se voce puder experimentar alguma otra vez vera q eh otra historia

      • Edson Roberto

        Pode ser o de 6 marchas de dupla embreagem do Jetta TSI, ele já iria dizer que é o melhor…rsrs eu tbm achei o di Jetta o melhor e mais agil cambio que lançaram até o momento. (ele é mais rapido nas reações de aceleração inclusive que os CVT).

        • ahsoliveira

          isso é verdade! tanto que em videos na internet vc encontra Azera apanhando de Jetta TSI e Passat com o mesmo motor e cambio, os cambios CVT são muito bons mas são um pouco apáticos, mas compraria um com CVT sem dúvidas.

      • duhehe

        é ainda não dirigi o de dupla embreagem .. não duvido que seja o melhor de todos mesmo.

  • CyborgPilot

    Só quero automático!

  • atl77

    Sou leigo no assunto, gostaria de saber onde se encaixa o cambio do cruze: duplo comando de válvula variável, sequencial de 6 marchas ?

    • TDRamos

      duplo comando de válvula variável, não tem nada a haver com o cambio, isso é o comando de valvulas de admissão e exaustão, já que o cruze é 16V, o duplo comando variavel age como um 8 valvulas até determinado giro, para aumentar o torque e potencia em baixa e depois de determiando giro usa todas as valvulas possiveis para extrair o melhor do motor

      Já o cambio do Cruze é um cambio automatico normal, com 6 marchas, com opção de troca sequencial e só

      • thales_sr

        Legal pra ver que a nomenclatura adotada pela GM serve pra enganar algumas pessoas… rs Junta com o vendedor que só sabe contar vantagem, e o incauto compra o Cruze achando que tá levando algo diferenciado da concorrência..

        • Edson Roberto

          Na verdade, há esse tipo de confusão para diversos modelos.

          Quer ver um? Corolla Automatico VVT-I. Quem lê dessa maneira, pensa que a tecnologia é direcionada ao cambio e não motor…rs

          Outro absurdo? I30 com cambio multimarchas…. se for pensar assim, eu prefiro um Fluence com UMA marcha…rsrs

          • thales_sr

            Câmbio multimarchas… Bem lembrado… rs
            Realmente, 4 é "multi". O melhor…. DO MUNDO!

      • atl77

        muito obrigado pela sua explicaçao.

      • Stark

        Olha, Comando Variável não faz nenhum milagre em baixas rotações não viu, ele tem mais fôlego que um 16V comum sem essa tecnologia mas o Fôlego em baixa não é igual 8V de mesma cilindrada não, mas é uma tecnologia muito boa, pena que na maioria dos que tem essa tecnologia acaba que bebe muito do mesmo jeito, mas é bem-vinda.

  • CharlesAle

    Vc só pode criticar algo que conhece concorda?se não leu o texto,então vc não está ciente do conteúdo para criticar,pense nisso!!!

  • Jack_Nicholson

    Mario, ótima matéria, finalmente alguém falando de câmbios automatizados que realmente conhece. Tenho um Linea e fiquei muito interessado em fazer um upgrade para a versão plus, sera que é possível apenas atualizando o Software?

  • alvarolara

    Pra evitar essas confusões, deveriam usar as as nomenclaturas dos mais antigos: manual, hidramatico e automatizado!!!

    • thales_sr

      Hidramatico? Mas pra que, automático é um nome que já pegou… Hidramático veio por causa da caixa Hydra-Matic, usada nos câmbios automáticos da GM.

      • CyborgPilot

        Exatamente o que eu ia comentar. O nome hidramático pegou por causa dos câmbios dos carros da GM, que foram os primeiros automáticos a serem fabricados no Brasil ( os carros, não necesariamente os cãmbios). Os primeiros cãmbios automáticos da GM foram batizados de Hydra-Matic e foram utilizados nos Opalas (o primeiro Opala hidramático saiu em 1974), Diplomatas, Monzas e Kadett/ Ipanema. O cãmbio automático utilizado no Chevette eu não tenho certeza se era Hydra-Matic, mas creio que sim também. É comum vc ver pessoas de mais idade chamar tudo que é carro automático de hidramático. Então resumindo: cãmbio Hydra-Matic só saiu nos carros da GM, o resto chama-se automático. Ou então chama-se tudo de automático e pronto. Agora, AUTOMATIZADO já é outra história.

        • alvarolara

          No pé da letra, todo conversor de torque é hidramatico, ou hidraulico, ja que utiliza-se de fluido, assim carro com conversor de torque seria hidramatico e carro sem conversor de torque é automatico ou automatizado pois as marchas mudam de forma automatica ou automatizada. Nao que um seja melhor ou pior, pois dsg é automatizado e é muito melhor que muito cambio com conversor de torque por ai. Apenas questão de portugues mesmo….

  • Leandro_SP

    Pra mim tem 2 tipos de cambios, automatico e manual.

    Ao meu ver automatizado é tão ruim que não deve nem ser considerado cambio…. e sobre o "você não conhece seu carro", só lamento qye você pense assim. Muitas vezes você precisa pisar fundo como quando esta saindo de uma garagem e ter que ficar aliviando o pé do acelerador pra não ficar com torcicolo é um saco.

    • thales_sr

      Qual carro você andou com o câmbio automatizado?

      • Leandro_SP

        Polo, Punto e depois o Bravo.

        Não andei com novo SOFTWARE da fiat, que chamaram de plus.

    • Marcelo_Machado

      Olha eu dirijo carro com Dualogic desde o lançamento desse cambio no Stilo e nunca tiro o pé na hora das trocas como o povo tanto fala. E não sinto tranco algum nessasituações, mesmo pisando fundo numa arrancada mais rápida ou em uma ultrapassagem em estradas de mão dupla.

      • msouza91

        o tranco mais forte que eu consigo com o Dulogic é praticamente o mesmo que eu conseguia dirigindo minha ex megane gt manual

  • Long_life_tobigcars

    Quando uma pessoa dirige por um curto tempo um carro com câmbio automático, dificilmente deseja voltar para o câmbio manual. É uma comodidade em tanto.

    Quanto ao tipo de câmbio, o CVT na minha opinião é o melhor câmbio entre os automático. É o primor neste tipo de sistema.

    • JADERSONLEMAO

      Foi o que aconteceu comigo, foi só um teste Drive um dia, no outro virou desejo de consumo, Hoje tenho o meu carro automatizado.

  • lucaslfbsb

    Caro Yuri_RL, sua opinião foi mal desenvolvida e em nada acrescentou; antes, porém serviu apenas para depreciar sua superficial idéia.
    Que tal um pouco de humildade…

  • PauloPGomes

    Fiz um Test-Drive no Grand Siena 1.6 Dualogic, e não gostei nem um pouco.
    Em subidas em baixa velocidade de 2ª marcha, quando eu pisava fundo o carro ameaçava morrer, e o sistema não reduzia pra 1ª Marcha.
    Não sei se foi o vendedor que não soube me explicar, mas o carro não passava dos 4 mil rpm, e o vendedor insistia ser o normal dos câmbios "automáticos". Levando em conta ser um 16v, não passar dos 4 mil, é simplesmente irritante, e se fosse preciso uma ultrapassagem?

    Em baixas velocidades até não apresenta trancos, e as borboletas atrás do volante tem boa pegada, embora respostas horríveis.

    Nunca substituiria um Manual por um Automatizado. Até porque não tenho preguiça de passar marchas, na verdade a parte que mais dá gosto de dirigir é enquanto se passam as marchas, acho que sem isso, dirigir se tornar algo insosso.

    O Sistema automático convencional tem suas vantagens, mas eu acho que o tempo dele já deu tambem, conversor de torque, perder potência por conta disso.

    O Futuro está aí, e o tempo é para os Câmbios CVT e os de Dupla Embreagem, com opção de acionamento Manual/Automático. Ficar dependendo de uma máquina o tempo todo é irritante, se estou cansado, beleza, deixo no modo Automático, se estou afim de "Dirigir" rodo no modo Manual, simples assim.

    • msouza91

      bom, como as unidades do Grand Siena de Test Drive são padrão, acredito que vc tenha testado uma unidade Laranja certo? O problema desses carros é a quantidade de motoristas que dirigem ele, então o tempo todo o câmbio tem que se adaptar a uma nova condução. quando em ultrapassagem, no dualogic normal temos duas possibilidades, reduzir na alavanca ou borboletas, ou então apertar o sport, isso pq uma confusão que o cambio gera é no kickdown, AS VEZES, ele sobe uma marcha pra depois descer duas, isso não acontece mais no Dualogic Plus.

      eu sou entusiasta desse sistema, e venho acompanhando a muito tempo, então se for possível para vc, recomendo lá pra idos de julho ou agosto, você ir fazer o test drive no Bravo Dualogic Plus, vc vai ver uma diferença gritante

      • Marcelo_Machado

        Gozado, como já escrevi em outros comentários, já dirijo carro com Dualogic desde seu lançamento em 2008, um Stilo.
        Hoje tenho um Bravo e minha esposa um Idea, ambos com ETorque e Dualogic. Em nenhum dos 3 modelos tive problema com as resposta no kick down, dele subir uma marcha e depois reduzir.
        Eu leio essas coisas e não reconheço nos carros que dirijo.
        Só acho que as trocas no Stilo eram mais rápidas do que as dos modelos atuais. Na revisão dos 30.000Km do Stilo iam fazer uma atualização de software do Dualogic, segundo o consultor da ccs, para tirar o soluço do cambio. Não deixei fazerem pq gostava do jeito que era.

    • Edson Roberto

      Paulo, mas acho que tem que separar as coisas.

      Geralmente os cambios automaticos (e conheço vários que fazem isso), não deixam vc atingir o pico de rotação para evitar desgaste acentuado do cambio. Vc enche o pé no acelerador e ele vai até 6000rpm. (sendo que existe faixa até 7000rpm). Alguns cambios vão até 5500rpm para evitar desgaste. Ir até 4000rpm apenas? Ou o cambio está com algum problema ou vc não pisou até o assoalho…rsrsr

      A coisa mais facil que eu consegui em um Bravo também dualogic, foi ultrapassar os 5000rpm. Nem no modo sequencial ele te obedeceu? Pois no meu automatico (Xsara 2001 hatch), se eu manter em "2" por exemplo e esticar, ele vai até ultrapassar o limite de segurança, eu por precaução e segurança que não faço. Mas ele retem antes do limite para não estragar o cambio. O dualogic deveria ter passado desse limite. Mas minha irmã que possui o modelo (Grand Siena), já me contou algo parecido que vc disse. O cambio gosta de se manter em uma marcha alta mais tempo do que o necessário (e ela mesmo "espera" o cambio reduzir).

      Talvez seja o mal do funcionamento de saber lidar nessa situação, tanto que eu disse a ela que eu usaria então o modo sequencial para não representar riscos a ela e aos outros.

      Eu digo para vc que a partir do tiptronic de 6 marchas (qualquer cambio assim), CVT e dupla embreagem são uma delicia de se dirigir. Apesar do meu ser de 4 marchas sem sequencial, foi escolha minha não precisar mais do que isso. Mas te digo que mesmo para frente, possivelmente ou será um Fit do modelo com CVT ou um Sentra. Depois quem sabe um carro mais moderno nesse quesito. Por enquanto, eu estou dando prioridades a segurança em um modelo e abrindo mão do melhor desempenho. (do cambio eu quero dizer)

      Abraços

      • PauloPGomes

        Edson, com certeza te digo, pisei até o assoalho, até pisei muito forte pensando "será que eu não to pisando forte o suficiente?"
        E ele insistia em passar nos 4 mil (foi em rodovia). Se tratando de um 16v, aquilo me irritou profundamente.

        msouza: Era sim uma unidade vermelho-alaranjada
        Não reparei que tinha o botão sport, tem alguma foto pra me msotrar onde ele se encontrava?
        Tô reparando numa foto aqui, era aquele botão S?

        Se for o caso, então o vendedor perdeu um potêncial comprador por não saber explicar bem como funcionava o câmbio.

        • msouza91

          é esse botão mesmo, com ele acionado o carro deixa pra trocar as marchas acima de 6 mil rpm, além de mudar um pouco a resposta do acelerador, muitas pessoas deixam de comprar um carro por não saber como ele funciona, então se for do seu interesse, teste de novo o carro em outra concessionária, procurando fazer como dissemos aqui, tirar o pé do acelerador quando ver que vai trocar, e trocar pro sequencial e desce uma marcha ou apertar o S quando for ultrapassar, tenta explorar ao máximo o cambio, procura informação na internet, etc, infelizmente vendedores estão cada vez menos preparados…

        • Stark

          Olha, tem que ver se era problema no carro pois dirigi um Vectra Elite com Câmbio Automático e mesmo com o modo SPORT ativado ele passava as marchas até antes dos 2000 giros quando eu dirijia normalmente sem afundar o acelerador.

          Porém a diferença do SPORT é quando você pisa, aí ele realmente interpreta que você quer velocidade e vai passando as marchas em 6000 RPM (como acontecia) e outra diferença é quando eu aliviava o Acelerador, ele não passava a marcha mas ficava retida, mesmo se o giro tivesse alto.

    • Stark

      Aì prefiro que o tempo seja para os Câmbios de Dupla Embreagem!

  • ericmon

    Bacana o texto! Mal espero para poder comprar meu automático, ou automatizado que seja. Seja no trânsito ou em uma viagem longa, é um conforto e tanto, até porque você consegue se concentrar melhor com as duas mãos no volante restando somente um pé pra fazer as ações de frear e acelerar!

  • buenavista2

    ""Importante salientar que câmbio automático dando problemas é lenda e preconceito""""
    Como assim???? Lenda??? Preconceito??? Vai em uma oficina pra vc ver o tanto de carro AUTOMÁTICO dando problema principalmente com 100.000 km ou mais, peugeot, citroen, ford, nao importa a marca.

    • msouza91

      sim, mas vai ver quantos deles tiveram o oleo do cambio trocado, a recomendação é trocar no máximo com 80 mil km, mas geralmente com 50 ou 60 mil já se troca, o que acontece foi o mesmo com carros turbos ou com o inicio de motores 16v, pensavam e tratavam o carro como se fosse um 1.0 8v e davam a manutenção de um desses, já vi inclusive mexanico de css dizendo que não se podia trocar oleo do cambio, enquanto o próprio manual recomendava

    • Edson Roberto

      Eu tenho um Citroen Xsara 2.0 16v com cmabio automatico de 136000km que só foi trocado oleo pelo antigo dono e comigo funciona perfeitamente…. acho um tanto de exagero isso.

      Vemos todos os dias cambios de todos os tipos com problemas… mesmo os automatizados. Acho que na verdade isso vai mais do dono e seus cuidados com o mesmo.

  • Marcelo_Machado

    Vc esta certo. Eu fiz confisão ao escrever. Falava do Palio Citymatic.

  • Snoop

    Seu perfil só tem esse comentário aqui. provavelmente um trollzinho banido que criou a conta só pra criticar. Banido.

  • HelderBH

    Texto excelente e esclarecedor. Apenas uma ressalva, já comentada anteriormente. Para mim câmbio automático é qualquer um que faz as trocas de modo automático. Apenas os sistemas são diferentes para a mesma função (Conversor de torque, CVT ou Robotizado).
    No mais, só não gosta de câmbio automático quem não teve o prazer de dirigir um carro com qualquer um dos três sistemas.

  • HelderBH

    Só um idiota para escrever tanta bobagem num comentário dispensável.

  • ocduarte

    O arremate da matéria foi perfeito: conhecer o carro. Ler o manual!!! Tenho certeza que a maioria dos motoristas nuca leram os manuais de seus carros. Lá fala das faixas de utilização, condução econômica, manutenção e coisas básicas muitas vezes esquecidas e desconhecidas.

  • Jason

    É um ótimo artigo, explicou muita coisa. É bom pra algumas pessoas que metem o pau em carro automatizado, engrandecem certos tipos de câmbio, e reduzem outros à qualidade de lixo.

    Eu, como sou adicto à Embreagem, espero que a mesma nunca entre em desuso.

  • Jack_Nicholson

    Mario, tenho uma duvida que me persegue a muito tempo…. No meu primeiro carro com cambio automático …Monzatech Classic 2.0, esse carro depois de muito tempo teve um problema no "Auto Lock" é um dispositivo que era acionado automaticamente quando o carro atingia 60km/h, esse dispositivo "travava" o conversor de tork fazendo com que ele fica-se mais econômico e não fica-se "patinando"… pergunta, nos carros atuais Ex Fluence, tem isso também? Como funciona? abraços for all

    • msouza91

      cara, o que eu vejo de auto lock, era mais em velocidade de cruzeiro, mesmo desconhecendo pouco, mas no Fluence funciona parecido, embora eu ache que seja funcionamento do CVT e não de auto lock, tipo, se eu for pra uns 120 km/h eu acelero e ele anda forte até lá, com o giro constante (aonde o giro vai depende de quando eu pisar no acelerador), quando se alivia o pé ele diminui o giro de forma linear e mantem a velocidade

    • Stark

      Bom, sei que é feio eu responder na frente, me desculpe rsrsrsrssr

      Mas esse esquema do Auto Lock é o Bloqueio do Conversor de Torque, e inclusive ainda tem esse sistema nos Câmbios Automáticos de 4 marchas da GM e é travado em terceira ou última marcha (no AT4 da GM) quando você dá uma leve aliviada no acelerador em velocidade constante! Parece até que entrou uma marcha a mais, porém no Monza não sabia que ele entrava em funcionamento mesmo em 60 km/h.

      No Civic ele pode acontecer em qualquer marcha para ficar mais economico mas nos Civic (novos 2006~2012) nunca percebi esse esquema porquê nunca peguei pra dirigir com calma e prestar atenção nisso, mas notei que o Câmbio de 5 AT do Civic é bem esportivo, não se percebe muita patinação (Corolla e GMs patinam bem)

      No TipTronic de 6 Marchas que equipa Jetta/Golf/Bora ele trava o conversor logo após a troca de marcha quando se usa o Modo TipTronic ou Esportivo para justamente dar maior esporitividade, porém no modo Drive também eu nunca parei pra reparar em quais marchas ele travava.

      Eu não diriji um Fluence mas os Câmbios CVT com certeza não tem esse esquema pois as relações são inifinitas e não existe buraco, logo é a mesma coisa de estar com o Conversor de Torque travado, por isso os CVTs são mais rápidos e mais economicos.

      • jeep12

        tenho um Tiptronic VW ( New Beetle ) e o travamento do conversor funciona em todas as marchas a partir da segjunda. Em modo automatico normal, entra logo depois da marcha em si, exceto na quinta, em que fica alguns segundos com conversor e depois aciona o travamento ), acredito que para compensar ditsnacia de escalonamento entre 4 e 5. Sexta tambem trava direto. . Em modo tip ou esportivo, de fato, a matcha ja entra com o conversor travado.
        No Jeep Wrangler so trava em quarta marcha. E finalmente num Azera seis marchas, todas entram com conversor atuando para maior suavidade, mas ele trava logo em seguida, destravando se o pedido do acelerador nao éxige reducao.

        • Stark

          Obrigado pela informação sobre o Beetle!

  • Guilherme

    Vou ser sincero com vcs, Nunca tiver a experiência dee dirigir até hoje ( com 20 anos ) um carro automático, Aprendi a dirigir com 12 anos.
    Bom, Atualmente dirijo um Celta 2005 do meu pai ( Acabei de tirar a cnh ), E como falei, dos meus 12 anos pra cá só alegria com o cambio manual, Atualmente eu digo que nunca comprarei um carro automático pra mim, mais quem sabe quando eu for dirigir um e não venha mudar de opinião não é mesmo ?!?
    Em quanto isso vou de Manual mesmo :)
    Engraçado, Esse cambio CVT do Sentra é tão bom assim ?
    As pessoas falam muito bem dele.

    • marcelo_ricardo

      Se ficar uma semana dirigindo um AT nunca mais vai querer saber de um manual.

      Nunca vi alguém que teve carro AT voltar ao manual.

    • zeuslinux

      Já fiz o test drive em um Sentra CVT e o câmbio é muito bom sim. Mas não sei se o mérito é da Nissan ou do CVT em si, porque já dirigi um Mistubishi ASC com câmbio CVT também e achei muito ruim.

  • fabio_augusto

    Acho engraçado meterem o p@u nos automatizados mono-embreagem. Aposto que a maioria das críticas e de quem jamais entrou sequer em um. Se for criticar com base no "achismo" e na conversa de bar, vamos criticar tb a Aston Martin que usa ou usou câmbio mono-embreagem em um dos seus modelos.

  • rochagrola

    Falou tudo, é conhecer o carro. Já dirigi todos os tipos citados, inclusive um Gol adaptado para deficiente de um amigo com o sensor na manopla da marcha. Atualmente tenho um corolla automático, faço tudo que faria com um câmbio manual nele, não falta nada, é só conhecer o carro e saber por exemplo quando vai trocar de marcha. Só um detalhe, uso muito as posições L, 2 em descidas longas para segurar o carro em primeira ou segunda marcha evitando ficar segurando somente no freio, se deixar no D ele joga a ultima marcha e deixa o carro solto te obrigando a segurar só no freio, o que não é recomendado em descidas, lembra da auto escola? Usa para descer a mesma marcha que usou para subir.

  • ericvm

    Eu não entro nessa história de automatizado, estava conversando com um taxista um dia desses e ele falou que vários colegas estavam tendo muito problema com esse câmbio.

    Não troco o CVT do meu Sentra. Parecia estranho quando peguei, mas depois de um tempo você aprende a pisar e desligar o over-drive se quiser ver as rotações nas alturas e sentir o motor, usar o freio-motor para poupar os freios, etc. Acho que não quero mais carro sem ser CVT. O autor disse que "dá certa gastura acelerar, ver a velocidade subindo e o giro se mantendo num ponto aproximadamente constante." Pra mim isso é ele tentando achar defeito, é maravilhoso ver isso, é outra percepção de carro. Você não precisa de trancos de rotações caindo e depois subindo, é barulho desnecessário. A potência continua lá, o controle então, é ainda maior, pois você não precisa de um pedal ou de uma alavanca. Quer aumentar rotação? Pise fundo que o kickdown ativa. Freio motor? Use o overdrive ou o L. Quer deixar o carro cuidar de tudo? Ative o cruise control e deixa o CVT se virar. E aproveite o passeio.

    • Castle_Bravo

      Exatamente, ia comentar isso, quem já teve o prazer de dirigir um CVT vê que esses supostos defeitos são como procurar pelo em ovo, uma lástima a Nissan não distribua essa tecnologia para outros modelos, um March ou Versa CVT seriam um diferencial e tanto em nosso mercado, as massas teriam noção de tamanha a diferença dele para um automatizado.

    • msouza91

      não quis colocar um defeito, de forma alguma, o câmbio é maravilhoso e possivelmente o mais confortável que já dirigi, mas um motorista que está acostumado a um carro manual, automatizado ou automático com marchas, certamente irá estranhar e muito esse detalhe em algum momento, depois de alguns instantes vc se acostuma, e ai é só alegrias

    • R_M_O

      O CVT é um barato, voce pisa no acelerador e o danado parece um motor elétrico não para de acelerar, parece que está num trem de metrô.

      Concordo que é totalmente diferente do manual, mas a partir do momento que se decide trocar manual/automático, tem que se livrar de costumes e se interessar pela tecnologia que se dispôs a utilizar. No começo foi estranho mas quando voce conhece o funcionamento começa a extrair o melhor dela.

      Diria que com o cambio automático eu realmente aprendi a dirigir !!!

    • Sérgio D.

      Estou procurando um Fit CVT e a minha descrição de acelerar nele é. "Uma terceira infinita!"

      Não andei no Sentra mais deve ser melhor ainda pois o motor é muito superior.

  • Louis

    Daqui uns 4 anos "quando eu for trocar meu carro", é certeza que pegarei um automatizado / automático.
    Pelo pouco que conheço, a tendência é eu gostar mais do automatizado ou CVT, visto que não me agrada muito o consumo elevado do automático convencional.

  • isaacfederal

    Existem certas situações em que um CAMBIO AUTOMATICO é IMBATIVEL. Por exemplo, no anda em para de uma cidade grande com transito caótico. Não tem anda melhor do que apenas acelerar e frear. Só quem nunca dirigiu um carro automático é que não compreende o conforto que é.

    Numa situação digamos assim mais "esportiva" um câmbio manual vai muito bem, pois da ao motorista a liberdade de escolher o melhor momento da troca ou o momento que ele acha ser o ideal.

    O melhor dos mundos? CAMBIO AUTOMATICO DE DUPLA EMBREAGEM COM OPÇÃO DE TROCA EM ALETAS ATRAS DO VOLANTE

    Basicamente é isso ai.

    OBS: Logico que isso sem levar em consideração o custo. Se isso for um problema para o comprador ai tudo muda de figura

  • hal_cwb

    Tenho carro automático 4 marchas, provavelmente irei trocá-lo no próximo ano, mas estou aberto a opções. Estou até pensando em optar por um automatizado, se ele realmente está melhor e não dá mais problemas (como no começo). Pois o preço é mais barato, manutenção também. Sem falar que (na minha opinião) o conversor de torque deixa o carro tão manso, às vezes dá até uma agonia… ehehe

  • JulienAvril

    Texto bem simples, porem bem claro e explicativo !
    excelente..
    parabéns Mario Souza !

  • vani1000

    Parabéns prlo texto… bem simples, e fácil de entender. Tenho um JAGUAR X-Type, e o modo "S" do câmbio, além de trocar a marcha num giro mais alto, ele deixa de usar a 5ª Marcha; usando apenas 4, fica mais na mão. E como vc disse, temos que aprender a respeitar as propostas dos produtos…. câmbio automatizado.. é AUTOMATIZADO… mais barato, e oferece conforto… daí quererm comparar com um automático, que custa 4 ou 5x mais. Só uma ressalva: Tiptronic é marca registrada da Porsche, mas todos entedemos o que vc quer dizer.
    Abraço, e PARABÉNS !

  • DouglasGT

    Meu pai compro um Fiat Grand Siena Dualogic, muito bom o carro dei umas voltas quero logo compra uma carro automatico, muito conforto esqueçe o pedal de embreagem. Desde dos 16 anos dirigindo o carro com embreagem cansa mereço um conforto no transito. Eo Dualogic é otimo quando se sabe usar as coisa no modo certo tudo fica facil.

  • CaduRamires

    Baita texto. Faltou apenas acrescentar que certos câmbios tidos como antigos (ex.: Nissan Frontier) são muitíssimo melhores tanto em termos de desempenho (controle do carro para obter a velocidade ideal numa aceleração ou numa entrada de curva) quanto na questão da segurança (uma descida de serra). Fiz o mesmo trecho com a picape e com uma Sorento (que é tiptronic), e a primeira é muito melhor… E sobre o CVT, o câmbio é show! Tenho um Fit Ex 2005 em casa que pensamos em trocar, e desistimos pela simples falta de opção de um carro com a mesma versatilidade, mesmo tamanho curto, conforto, durabilidade, etc. Finalizando, mesmo com os conselhos, continuo não recomendando os automatizados. Podem ver que revender um carro com câmbio Dualogic é complicado…

  • danielGT

    Vou fazer um test drive nesse Bravo Dualogic Plus para ver como ficou. No mais muito bom o texto, imparcial e ainda apresenta material para sustentar o que está sendo dito. Parabéns.

  • KzR

    Ótimo texto. A explicação foi direta e sucinta.

    Amo os manuais, mas não torço o nariz para um automático ou automatizado. Se resultar em economia, eu não acharia ruim ver a velocidade subindo sem aumento de giro num CVT. Esse câmbio é bom, mas show msm são os de Dupla Embreagem!

  • Filippeyke

    Belo texto… manchado pelo "'perca' de potência".

  • Edson Roberto

    Então, eu vou dar o exemplo do meu carro ok? Xsara Hatch 2.0 16v automatico (não é a caixa AL4) modelo 2001.

    Ele não possui trocas sequenciais, apenas as opções 1, 2, 3 e D para frente. (N e R existem também).

    No comportamento do cambio, é impressionante como ele é bem mais funcional que a caixa AL4 (as trocas são feitas de forma bem mais rapida). Mas vale aqui dar um parenteses: Esse cambio tem parte mecanica para trocas de marchas, além do conversor há uma especie de robo detectando o momento de troca. Tanto que se andar sem pisar, as trocas geralmente ocorrem entre 2300 a 2500rpm. Como o cambio tem 4 marchas, o escalonamento é bem longo. Geralmente algo interessante que ocorre com o cambio é você tirar o pé antes do momento de troca e ele realmente segura o carro. (apenas "empurra" quando já está quase parando, efeito do conversor para manter o carro "engrenado").

    Pelo menos no meu carro, acima desse giro, tirou o pé ele troca para uma marcha acima. Caso queira colocar uma marcha para reter, acabo colocando em 3, 2 ou 1 no cambio para fazer isso.

    Ao acelerar, se estiver em segunda antes dos 3000rpm e pisa até o fundo ele reduz uma marcha, se fizer isso acima de 3000rpm, ele segura em segunda e sobe a rotação até 6000rpm. (depois realiza a troca para a marcha posterior). Nesse caso, geralmente quando eu estou em uma subida bem ingrime, costumo por exemplo, deixar em 2 para que ele segure a marcha mesmo que eu tire o pé por ter um obstaculo ou algo do tipo (senão ele troca a marcha, fico sem força tenho que pisar até o fundo para reduzir e o motor perde aquela força que ele tinha pelo motor não estar cheio).

    Pelo menos no Xsara é assim e eu gostei muito. Apesar de não ter sequencial, mudar a numeração é bem divertido pois a resposta é imediata. Trocou de numeração é "sentir" a mudança e ao mesmo tempo ele troca, muito bom. Muitos modelos atuais de quatro marchas são bem mais lerdos em comparação a ele. O unico mal desse motor do Xsara é ser um 2.0 16v sem qualquer evolução, ou seja, é um 16v simples. (só veio ter adoção de comando variavel nesse motor atual dos modelos da familia C4). Então abaixo de 2000rpm ele é bem fraco, mas acima de 3000rpm é quando ele mostra sua plenitude.

    • Oba_

      O grande problema dos automatizados é a sensação de estar desengatado quando executa algumas trocas (não ocorre sempre) e esta é uma das vantagens de um automático de verdade.
      Eu costumo dirigir olhando o conta-giros quando o transito não está pesado e sei também que praticamente ninguém usa esse instrumento, quando desejo imprimir aceleração ou retomada mais rápida logicamente piso mais e como o carro acaba esticando mais eu acabo adiantando a troca manualmente e caso isto ocorra com um automático de verdade acho que me incomodaria da mesma forma por conta do consumo mais alto.
      De qualquer forma tenho consciência que os robotizados são mais burros que os automáticos talvez pelo menor afinação, menor processamento do sistema ou devido a limitaçao natural do sistema mas como a condução é mais próxima de um manual pra mim isto é uma virtude mas como para a maioria um automático tem que ser conduzido sem que tenhamos que intervir nas trocas realmente para estes um automatizado nunca agradará.

  • Rogerio

    Mario
    Muito Bom o Texto adorei, estou em dúvida entre pegar um Fox Prime 1.6 Imotion ou um Punto Essence 1.6 dualogic, acho os dois muito bonitos, só queria saber qual dos dois o Cambio Automatizado rende melhor?

    Abraços

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend