Câmbio automático com problemas, como saber? Veja 5 dicas

Câmbio automático com problemas, como saber? Veja 5 dicas

Os carros com câmbio automático estão cada vez mais comuns nas ruas brasileiras e também na lista de preferências dos consumidores.


Eles costumam ser um pouco mais caros que os modelos com câmbio manual, mas compensam no conforto, sobretudo nas grandes cidades. Além disso, a manutenção também pode ser mais cara e, os problemas, um tanto quanto mais frequentes.

Antes de comprar um automóvel equipado com transmissão automática, vale dar uma breve pesquisada para verificar se tal modelo tem algum histórico de problema relacionado ao câmbio.

Muitos modelos apresentam defeitos ainda quando novos e, com o passar do tempo, a quilometragem mais alta e as peças com maior desgaste, os problemas tendem a se agravar.

Um exemplo são os carros da Ford equipados com o câmbio automatizado PowerShift, como os modelos New Fiesta, EcoSport, Focus hatch e Focus Sedan. Neste caso, há um defeito crônico devido à contaminação de uma das embreagens por fluido de transmissão. Porém, a Ford já reparou o problema nas milhares de unidades afetadas e estendeu a garantia do câmbio.

Antes de comprar um carro automático usado, o primeiro passo é fazer um test-drive longo o suficiente para analisar se o exemplar não apresenta qualquer comportamento estranho, como dificuldade para trocar as marchas, ruídos estranhos ou solavancos entre as passagens de marcha.

Outra forma de analisar as condições de um automóvel automático é verificar o nível de óleo do câmbio. Ele não deve ter alteração na cor (deve ter tons avermelhados), não pode apresentar qualquer tipo de resíduo e ainda não pode contar com cheiro de queimado.

Há outras formas de descobrir que o seu carro ou de terceiros está com problema no câmbio automático. Confira!

Como saber se o meu carro com câmbio automático está com problemas?

Carros com câmbio automático sempre tem aquele fantasma de problema rondando os pesadelos de seus donos. Muitos modelos mais antigos, quando exigem que o câmbio automático seja trocado, podem custar quase o valor do carro inteiro.

Isso sem citar o problemão de não encontrar peças de reposição para o câmbio automático daquele carro em questão. Modelos brasileiros mais antigos dos anos 80 e 90, como Del Rey, Monza e Santana, sempre acabam tendo seus câmbios automáticos retirados por não se achar peça para consertar o problema. Aí o dono coloca um câmbio manual no lugar.

Mas falando dos carros mais novos, como saber se o câmbio automático está com problema?

Na verdade, o câmbio automático mostra sinais de problemas antes deles ficarem mais graves. Nesse momento, consertar a peça fica bem mais barato do que esperar e ver o problema aumentar.

Então, se antecipe e verifique sempre o estado da caixa de transmissão para evitar dores de cabeça maiores.

Confira algumas dicas:

Fique atento aos sinais do câmbio

Assim como o nosso corpo, o carro também apresenta diversos sinais antes de apresentar qualquer problema. Quando temos dor de cabeça, espirramos ou temos febre, por exemplo, é sinal que algo errado está acontecendo.

No caso do câmbio automático, o correto é verificar se há algum vestígio de óleo na parte externa da caixa de câmbio. Se ele estiver sujo de óleo por fora, é bastante provável que esteja ocorrendo um vazamento. Então, leve-o a uma oficina o quanto antes.

Se o vazamento estiver num estágio mais avançado, o óleo do câmbio passará a pingar no chão. Logo, fique de olho no chão da sua garagem. Se houver vestígios de óleo em tom meio avermelhado ou marrom claro, certamente o câmbio está vazando.

Câmbio automático com trancos e solavancos

É fato que o câmbio automático foi projetado para ter um funcionamento suave e linear, ou seja, ele não deve apresentar trancos e solavancos. A exceção ocorre quando a transmissão automática é de concepção ruim e tais sinais “fazem parte” do conjunto.

Há uma série de fatores que podem ocasionar trancos na caixa automática. Entre eles, o baixo fluido de transmissão ou o uso de fluido velho, que prejudicam o arrefecimento e a lubrificação da transmissão.

O ideal é verificar o nível do fluido e também a sua aparência (ele deve ter cor avermelhada ou marrom, sempre clara e translúcida).

O problema também pode estar ocorrendo com componentes internos (como engrenagens, molas e rolamentos), sensores desregulados (eles emitem informações incorretas sobre a velocidade, fazendo o câmbio operar de maneira inadequada) ou algum outro componente quebrado ou desgastado.

Se o seu carro estiver apresentando algum desses sinais, é importante fazer aquela visita numa oficina para realizar a análise e reparo.

Câmbio automático com problemas, como saber? Veja 5 dicas

Câmbio automático patinando

Você certamente já dirigiu algum carro com câmbio manual e viu as marchas “patinarem” em algum momento. Neste caso, a embreagem da transmissão está chegando ao fim.

Todavia, o mesmo não pode acontecer nos carros com câmbio automático (veja também: 4 carros que saíram com câmbio automático e você nem sabia e 4 carros que saíram com câmbio automático e você nem sabia).

Se o seu carro automático estiver patinando nas trocas de marcha, ele pode estar com algum problema na pressão do óleo da transmissão ou nas molas da válvula reguladora. Procure imediatamente uma oficina para verificar e solucionar o defeito.

Luz de alerta no painel

Os carros com câmbio automático podem acender a luz de advertência no painel (a mesma que indica problemas no motor) caso algo esteja incorreto no sistema. Neste caso, a luz pode acender por qualquer defeito na caixa de transmissão.

Então, fique atento e procure uma oficina para fazer o reparo necessário.

Câmbio automático com superaquecimento

Se o seu carro estiver apresentando uma espécie de cheiro adocicado na região da alavanca de câmbio, a caixa automática provavelmente está superaquecendo. Este é um problema grave num câmbio automático, visto que o calor é o principal responsável pelo desgaste do conjunto.

O defeito pode surgir em viagens longas e em dias com temperatura mais elevada. Se isso acontecer, pare o carro imediatamente e deixe-o esfriar. Após isso, leve até uma oficina de confiança para constatar o problema.

Conclusão

Ter um carro automático pode ser sinônimo de conforto em viagens longas e até mesmo no trânsito pesado da cidade. E esses modelos estão cada vez mais modernos, o que joga por terra o velho medo que muitos tinham em relação a tal tipo de câmbio.

Mesmo assim, e especialmente se você for comprar um carro automático mais antigo, fique atento à situação do conjunto e sempre faça a manutenção preventiva. Dessa forma, o câmbio automático só trará alegrias!

Eber do Carmo

Formado em marketing, tem mais de 15 anos de experiência escrevendo sobre o mercado automotivo no Notícias Automotivas, desde que fundou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio. Também teve por três anos uma empresa de criação de sites e catálogos eletrônicos.