Manutenção Matérias NA

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

O câmbio automático é um equipamento de conforto que hoje em dia é muito apreciado pelo consumidor. Mas, quando se deve fazer a troca de óleo do câmbio automático?


O estigma de que se trata de um dispositivo para pessoas com limitações motoras ou que é um artigo de luxo, caiu por terra há bastante tempo. Agora, esse tipo de câmbio está cada vez mais inserido no dia a dia do brasileiro. Mas, apesar de toda tecnologia, ele precisa de cuidados.

Um dos motivos pelos quais muitos ainda torcem o nariz para o câmbio automático é a questão do custo de manutenção, que verdadeiramente pode ser elevado.

Mas a boa notícia é que alguns dispositivos hoje em dia sequer exigem manutenção periódica. A troca de óleo do câmbio automático, por exemplo, é algo que as pessoas desconhecem no caso desse equipamento.


A questão é muito importante, visto que em sistemas tradicionais, com conversor de torque, o fluído hidráulico é o centro de todo o funcionamento do câmbio automático, não só acionando as mudanças de engrenagem, como também preservando o equipamento com redução de atrito e temperatura.

Por isso, o óleo da transmissão é fundamental para a vida útil dessa caixa, inclusive de sistemas como o CVT e mesmo o automatizado de dupla embreagem.

No mercado, a substituição ou complementação do óleo do câmbio automático varia de acordo com a marca ou fabricante da transmissão. Alguns dispensam trocas e outro necessitam de complementação periódica.

Troca de óleo do câmbio automático

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

As marcas de automóveis possuem planos de manutenção para suas caixas automáticas, com alguma variação nos serviços. Neste artigo, veremos o que algumas delas indicam para suas transmissões:

Fiat/Jeep

As marcas Fiat e Jeep hoje estão ligadas e no caso dos modelos nacionais, que utilizam dois tipos de câmbio automático, a FCA informa que não há necessidade de troca de óleo do câmbio automático.

Ou seja, são dispositivos feitos para durar toda a vida útil do veículo.

Chama atenção, porém, que o sistema automatizado Dualogic/GSR-Comfort necessite de verificação do fluído a cada 40.000 km, sendo que o câmbio, nesse caso, é em realidade uma caixa manual comum, apenas automatizada nas trocas.

A Fiat usa a caixa Aisin de seis marchas em modelos como Argo, Cronos e Toro, assim como a ZF 9HP de nove marchas na Toro.

Volkswagen

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

Com boa fama entre os clientes da marca, o câmbio de dupla embreagem DSG necessita de troca do óleo a cada 60.000 km ou três anos.

O dispositivo já enfrentou alguns problemas aqui, resolvidos com recall. No caso da caixa automática Tiptronic de seis marchas, a substituição do óleo não é necessária.

Se ainda considerarmos o automatizado I-Motion, diferente do sistema da Fiat, ambos da Magneti Marelli, a caixa manual da VW não necessita de verificação de nível ou complemento do fluído.

Renault

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

Na marca francesa, não há indicação de necessidade de troca de óleo do câmbio automático, lembrando que o antigo de quatro marchas, usado nos Logan e Sandero, tinha vida útil de 300.000 km sem troca ou complemento.

O recomendado é a verificação do nível do óleo e seu estado de conservação a cada 20.000 km ou um ano no caso do CVT e do automatizado Easy’R.

Chevrolet

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

A General Motors possui um plano de manutenção com troca de óleo do câmbio automático para seus carros em caso de uso severo, sendo essa aos 80.000 km. Veja o que é uso severo para a GM:

“Quando a maioria dos percursos exige marcha lenta durante um longo período ou funcionamento contínuo em condições de rotação baixa frequentes (como no “anda e para” do tráfego urbano denso). Quando a maioria dos percursos não excede 6 km (percurso curto) enquanto o motor não está aquecido com a temperatura operacional.

Operação frequente em estradas de terra e de areia. . Operação frequente como trailer ou puxando reboque. . Usado como táxi, veículo policial ou atividade similar. . Quando o veículo permanece, com frequência, parado por mais de dois dias”.

No plano de revisão, porém, o óleo do câmbio automático até 100.000 km não é indicada como troca, sendo apenas verificação ou complementação (no manual indica isso também).

Honda

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

A marca japonesa chama atenção por conta de sua programação de manutenção exigente no caso do câmbio CVT. A complementação – já que não se troca completamente o óleo – é feita a cada 40.000 km, uma quilometragem baixa para uma transmissão desse tipo.

Mesmo na geração antiga do Fit, por exemplo, que tinha um CVT sem conversor de torque (embreagem de partida), a troca deve ser feita com a mesma periodicidade.

Caso o proprietário não alcance os 40.000 km, em dois anos, será preciso fazer esse serviço na rede autorizada pelo tempo.

Toyota

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

No caso da Toyota, apesar de relatos de troca de óleo do câmbio automático a cada 80.000 km, seja para o CVT de Yaris e Corolla, seja para a caixa automática da picape Hilux e do SUV SW4, os planos de manutenção do manual indicam inspeção a cada 20.000 km, incluído o câmbio automático de quatro marchas do Etios.

Nissan

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

A Nissan utiliza somente o CVT X-Tronic em seus carros e um novo câmbio automático de sete marchas na Frontier.

Procede-se somente a verificação do nível e se há ocorrência de vazamento, sendo isso feito a cada 10.000 km. Não há troca de óleo de câmbio automático nesse caso.

Hyundai

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

A Hyundai segue o mesmo caminho de outras marcas, utilizando câmbio automático de seis marchas que literalmente dispensa a necessidade de troca e é até livre de inspeção, de acordo com o manual do proprietário, mas diferente do câmbio manual, que exige verificação a cada 60.000 km.

Ford

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

Mesmo com os problemas do câmbio automatizado Powershift, a Ford mantém um plano de manutenção livre de troca de óleo do câmbio automático de seis marchas para seus carros de passeio e picapes.

A vida útil estimada do câmbio para carros de passeio é a mesma do motor: 240.000 km.

Peugeot/Citroën

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

Assim como outras marcas, as duas francesas também dispensam a troca de óleo do câmbio automático, tanto das unidades de quatro marchas como de seis marchas, sendo o nível e vazamentos (se ocorrer) verificados nas revisões.

Mitsubishi

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

O câmbio CVT usado nos modelos Lancer, ASX e Outlander, assim como no Eclipse Cross, seguem o mesmo princípio de troca de óleo da Honda.

Ou seja, a cada 40.000 km. O mesmo vale para picapes e utilitários esportivos 4×4, equipados com transmissão automática de quatro ou cinco marchas.

Como se vê, enquanto boa parte das marcas oferecem um sistema de lubrificação com óleo de câmbio de longa duração, tendo alguns dispensado até mesmo a verificação, outras marcas apostam ainda na periodicidade das trocas, que não são baratas, como nos casos de Honda e Mitsubishi, que exigem essa substituição ou complementação.

E os carros usados?

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)

E no caso de carros usados já por muitos anos?

Muita gente acaba comprando um carro mais antigo com câmbio automático e não sabe o que fazer em relação à troca do óleo. O importante, antes de mais nada, é verificar no manual de revisões se o mesmo foi substituído na revisão ou se é necessária a troca.

Além disso, verifique o nível e o estado do óleo do câmbio. Se não souber, consulte um mecânico especializado ou de confiança. Caso não esteja em bom estado, geralmente recomenda-se que a troca seja feita aos 40.000, 80.000 ou 120.000 km, assim sucessivamente. Muita gente acaba por realizar a troca de todos os fluídos de uma vez e aproveita para fazer o mesmo com o câmbio.

Nesse caso, se o carro tiver manual do proprietário, verifique a especificação exata do óleo do câmbio automático e providencie a compra somente desse tipo de lubrificante, a fim de evitar a compra errada, que pode acarretar em danos à transmissão e um custo elevadíssimo de reparo e mão de obra (principalmente).

Uma observação que não podemos deixar de fazer é a tese de que, apesar de algumas montadoras informarem que seus câmbios automáticos nunca precisam de troca do óleo, este lubrificante se desgasta e perde suas propriedades com o passar do tempo.

Por isso, muitos proprietários levam seus carros até lojas especializadas em câmbio automático para fazer uma troca de óleo regular, para que o câmbio se mantenha em bom estado por muitos anos.

A decisão de fazer isso ou não fica a cargo de cada um.

Troca de óleo do câmbio automático (veja o que 12 marcas pedem)
Nota média 3.8 de 10 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Emygdio Carlos

    Bela matéria!

    Parabéns!

    • Rodrigo

      ESTAMOS FALANDO DE TROCA DE ÓLEO DE CAMBIO, NUM PAÍS ONDE “ENTENDIDOS” COM UM TAL DE ADG COM SEU CANAL NO YOUTUBE, ENSINA SEUS SEGUIDORES A COLOCAR (ÁGUA DE TORNEIRA CHEIA DE CLORO) NO ARREFECIMENTO DO CARRO, MESMO COM ADITIVO ISSO É ERRADO.

      CUIDAR DO SISTEMA DE ARREFECIMENTO, É TÃO OU MAIS IMPORTANTE QUE TROCAR ÓLEO DE CAMBIO, NUM CARRO AUTOMÁTICO. O QUE MAIS TEM É NEGO RODANDO COM ÁGUA DO ARREFECIMENTO NO CAMBIO.

      QUANDO A FROTA DE CARROS ESTIVER PREDOMINANTEMENTE COMPOSTA POR AUTOMÁTICOS, O NEGOCIO MAIS RENTÁVEL NO BRASIL SERÁ, ABRIR UMA OFICINA DE REPARO DE CAMBIO.

      • Peerre

        Cara, tirando a questão do tal ADG ser ou não profissional… Até em css os caras completam a água do radiador com água da torneira mesmo.
        Certa vez levei o carro para fazer uma revisão, na ocasião o reparador falou que tinha que completar a água do radiador (que nem estava abaixo do nível mínimo) e aproveitar para verificar a porcentagem do aditivo no sistema de arrefecimento.
        Autorizei o serviço e ele só tirou uma parte da água que estava no sistema e colocou um litro de aditivo novo e completou com água da torneira…
        Enfim, parece que na hora de mandar fazer qualquer serviço no carro, ou o cara tem “sorte” de encontrar um bom reparador ou então vai tentando a sorte com os “profissionais” de plantão…

        • T1000

          Rapaz tem concessionária de marca oriental bem conceituada completando com água de torneira e detalhe, elevando o nível acima do nível máximo. Fiquem de olho vivo.

      • Fernando Gabriel

        Concordo em partes, só não concordo com o uso da caixa alta ao digitar, em fóruns, sites e bate papo, é sinônimo de estar gritando, sei que não é a intenção, mas é sempre bom manter o bom convívio, mesmo que seja, virtualmente. Abraços.

        • carloscomp

          Engraçado que hoje em dia o comentário pode ser “TOP” mas nem leio se estiver em caixa alta

          • TimeloRegoFundo

            a mimizada chegou no NA?!?!

      • Irving Vieira

        Pelo menos na embalagem do aditivo que os carros da Chevrolet são equipados(ACDELCO) ele pede para utilizar água potável OU água desmineralizada

      • Louis

        Sou um admirador do ADG. Apesar de não concordar com 100% do que ele fala, ele entende muito do assunto sim. A oficina dele está muito acima da média das porqueiras que vemos por aí, e ele está incentivando muito mecânico a melhorar e prestar serviços de qualidade.

        • Marcelo Alves

          O próprio ADG já vive falando há muito tempo para trocarem o óleo do câmbio aut. e usarem o fluido original, coisa de muitos anos, não só ele, mas vários mecânicos que trabalham desmontando e consertando câmbio aut. falam isso e até dizem para ignorar o que o fabricante diz para essa bomba não estourar na mão do dono do carro (nos casos que dizem que o óleo é vitalício ou mandam trocar com km muito elevada), pois qualquer reparo que for necessário fazer custa uma fortuna e se não for bem feito, vai ter que gastar outra fortuna 2, 3x até achar um profissional que saiba o que está fazendo.

          • Sânzio Antonio Mendes Vieira

            Esse é o problema marcelo. Achar um profissional que realmente saiba o que está fazendo quando o quesito é cambio automático.
            E tem que trocar sim. O comportamento muda bastante, até mesmo o ruído de rodagem diminui bastante.

        • Rodrigo

          Seguia o canal desse cidadão ADG, quando esse cara só trabalhava com FIAT. Pararei de seguir esse cidadão, quando precedi que suas criticas NÃO TINHAM NENHUM EMBASAMENTO TÉCNICO, o único intuito era “MITAR” para o seu publico para conseguidores seguidores.

      • Marcelo Alves

        Existem uns videos antigos dele dentro do laboratório de testes da Radiex mostrando testes de oxidação de materiais com aditivo usando água de torneira e usando água desmineralizada, a diferença na prática é pouca coisa, você está vendo muito pêlo em ovo…

        • Sergio c

          Concordo, pois em um litro de água de torneira a porcentagem de cloro é insigficante.

          • Eduardo Alves

            E coloco a insignificante nisso. E mais facil ter problemas por outros componenentes contido na agua do que com o Cloro. Se esse pessoal ver um dia como é feito uma cloração numa estação de tratamento de água vão ver a enorme quantidade que é colocada.

      • F30FLORIPA

        Nunca vi o ADG dizendo para usar água da torneira, inclusive ele mesmo vende água desmineralizada (marca High Torque) para diluir o aditivo do tipo concentrado.

  • SDS SP

    Muita gente simplesmente ignora esse aspecto na manutenção do veículo.
    Estava olhando alguns carros usados e é incrível a quantidade de gente que mal sabia que existia fluidos para verificação ou troca.

    • Thiago

      A Kia é uma que não indica troca de óleo. Abri para olhar com 60.000km (5 anos de uso, carro rodou pouco), estava lotado de resíduos. Sinceramente acho que os planos de manutenção não preveem já pensando que vai estourar provavelmente fora da garantia. Aí é melhor dizer que não precisa e ter um custo de manutenção periódica menor, do que mandar trocar preventivamente e ter que divulgar custos altos de revisões. Na dúvida, penso assim: vai ficar muito tempo com o carro? Troque o óleo do câmbio.

      • Marcelo Alves

        Por isso que eu nem me arrisco comprar carro usado com câmbio aut., só se for carro com baixa km e no máximo uns 3 anos de uso.

        • Thiago

          Sim, acho que dependendo da km do veículo e do tempo de uso dá para comprar. Agora, se for um carro com mais de 6-7 anos de uso e/ou 80.000km ou mais, também teria receio – a não ser que tivesse feito todas as revisões na concessionária e a marca em questão indicasse troca (como é o caso da honda com os CVTs, por exemplo). Eu só compro carros automáticos há muitos anos, sempre usados. Nunca tive problemas relativos ao câmbio. Mas procuro trocar com 5 anos e/ou 60.000km, mesmo que o fabricante não preveja. Não existe fluido lubrificante que mantenha suas qualidades de modo vitalício. Isso é fato.

    • Rodrigo

      Troco o óleo co cambio a cada 40 mil km no meu JETTA.

      • RPM

        Idem….no meu caso,só uso óleo original e efetuo a troca parcial(gravidade)…e fico tranquilo…

  • carloscomp

    Tenho um Cruze G1 e no plano de manutenção diz que o óleo é “vitalício”, sempre faço as revisões na GM e a orientação é só completar o óleo.

    • Marcos B Santana

      Exatamente houve um equivoco na matéria, os carros atuais da Chevrolet não nessessitam de trocar o Óleo do câmbio automático.
      Os unicos que precisam são os de geração antiga, como Vectra,Astra,Zafira.

      • Antonio Pacheco

        Chevrolet mudou a recomendação para os carros ano/modelo 2019. Agora é recomendada a troca do óleo do câmbio automático.

        • Marcos B Santana

          Dei uma olhada no manual da Spin 2019 e agora estão recomendando a troca do óleo do câmbio automático a cada 80.000 km,mas somente se o uso for severo.

          • ricmoriah

            Sim, mudou mesmo, por isso editamos o texto. troca apenas com uso severo….

          • Caracteriza-se uso severo, rodar com o carro em trânsito e/ou trechos inferiores a 6 km, algo comum hoje em dia.

            • carlos rodrigues

              Para a GM, até mesmo ficar parado na garagem por mais de 2 dias, é considerado uso severo…

    • Rodrigo

      Não sei se continua, mas o Cruze de um amigo meu (acho que era 2011 ou 2012, não lembro bem) certa vez começou a reter marchas e dar trancos no câmbio. Quando levou na CSS para verificação, mais da metade do óleo da caixa havia sumido, detalhe sem nenhum indício de vazamento! Como estava na garantia completaram e seguiram monitorando, mas a hipótese mais provável foi que talvez tivesse saído de fabrica com pouco oleo. Como no caso dele, alguns outros também apresentaram este sintoma e ninguém tem certeza do que realmente houve. Em fóruns tem gente que ate cogita a “evaporação” do óleo pelo respiro, uma teoria pouco provável.

      • Fillipe Youssef Saad

        Cruze de primeira geração teve instrução técnica para verificação do nível de óleo do câmbio automático, pois algumas unidades vieram de fabrica com pouco fluido. Fiz no meu 2012 e tiveram que completar uns 150ml.

        • Rodrigo

          Então foi isso. Obrigado por comentar.

          • Fillipe Youssef Saad

            Mancada da concessionária não chamar seu amigo para fazer. Poderia ter dado muito prejuízo.

      • carloscomp

        O meu precisou de 200ml na última revisão neste mês, de 70.000km, não havia sinais de vazamento.

    • Leonardo Carneiro

      A Toyoto falava a mesma coisa com relação ao meu antigo Corolla 2009, que o era óleo vitalício. Um absurdo. Mas acho que esse tipo de atitude por parte da Concessionária se resume a dois fatores: 1) Falta de equipamento para hemodialise na caixa de câmbio; 2) Dificilmente o câmbio quebra antes do término da garantia. A fábrica liga o “foda-se” e arca com eventuais câmbios que apresentam o defeito de forma prematura.

  • afonso200

    Meu azera 10/11 6AT fiz 2 enxagues aos 30k km. 1 enxague aos 60k km. Vou fazer o proximo enxague com 90k km…. Usa de fabrica o Pentosin ATF 1 LV. Tem só uma loja que vende em Porto Alegre por 79 o litro. No ML tem por 95 o litro. E na CCS HYUNDAI CAOA ta 129 o litro….. Enxague é abrir o bujao do suspiro ali em cima. Abrir o bujao em baixo. Deixar sair o oleo. Sai sempre 3.4L nesse caso. Entao feche la em baixo e complete novamente mesma quantidade com oleo novo. …. Simples…. No caso do azera o filtro de oleo é la dentro. Dai nao vale a pena abrir….Na Toyota Fielder 05 que tenho. Faço a cada 50k km. Hoje ela ta com 260k km. No caso dela. Faço 3x enxagues……. Faço procedimento. Ando uma semana. Dai no finde faco mais uma vez. E noutro finde novamente…..

    • José Castro Neto

      E sai o que a cada enxague? Como sai o óleo?

      Não é meio exagerado fazer 3 ?
      Não estaria de bom tamanho vc fazer só 1 a cada 30 ou 40 mil km??

      • afonso200

        visto que o cambio tem 11 litros no caso do AZERA, fazer 2 ou 3 enxagues…..o oleo sai como se fosse tirar oleo do motor, vai saindo pra daixo na hora de abrir o bujao, quando para de pingar eu fecho e completo com o mesmo que saiu, mas de oloe novo

    • Samluzbh

      Onde faz isso ao menos reciclam o óleo? Porque desse jeito vc tá procurando briga com ambientalistas.

      • leomix leo

        Geralmente todas as trocas de óleo, pelo menos aqui minha cidade, tem empresas de coleta como a Lwart e outra que me esqueci o nome.

      • afonso200

        eu levo no posto de gasolina, onde tem coleta. ou em mecanicos,,,,,, os americanos fazem isso de trocar oloe de cambio, eles mesmos fazem, aqui no BR é pouco……. temos que pensar global e nao local

  • John

    Informação incorreta a respeito da Hyundai. O manual do meu i30 informa troca do óleo do câmbio aos 100mil km.

    • Felipe Gonçalves

      Pelo que vi, na parte da Hyundai, a matéria está tratando apenas dos câmbios de 6 marchas. O i30 utiliza o de 4 marchas, correto?

      • RodrigoABC

        i30 primeira geração era AT4, o atual AT6

  • Filipo

    Bela matéria e ótima observação ao final, NA! Esse papo atual de muitos fabricantes de que o óleo é “long-life” e não requer troca, é completamente ‘nonsense’. Primeiro que nenhum óleo, por mais durável que seja, mantêm suas propriedades eternamente. Segundo que quem sabe ao menos um pouco de mecânica, sabe que é normal que resíduos decorrentes do funcionamento das engrenagens sejam produzidos pelo desgaste natural. Óleo e filtro de óleo estão ai para justamente fazer essa proteção. Mas não são eternos, como nada nessa vida. Logicamente que o desgaste depende do uso e funcionamento, mas uma hora será necessária a troca do óleo.
    Muito provavelmente as fabricantes preferem dizer que a troca não é necessária porque os câmbios atualmente são bem robustos, e mesmo com o acúmulo de partículas e deteriorização da qualidade do fluído, demorarão, via de regra, bastante para dar problema e pouca gente atualmente fica muitos anos com o mesmo carro, tendo rodado muito com o mesmo.
    Mas quem fica com o carro por muitos anos, roda bem ou pelo menos gosta dele, recomendo que faça a troca do óleo.

    • Marcelo Alves

      Azar de quem pegar esses carros de 1ª, 2ª ou 3ª mão depois de vários anos e KMs de uso.

  • Andre L W

    Manual do Cruze MY18, pág. 299 -> Transmissão automática, DEXRONMD VI Fluido da transmissão automática – Peças genuínas GM ou ACDelco (2). Não é necessário verificação de nível. Não requer troca.

    • Marcos Silva

      pesquisa pra tu vê a bagaceira 6t30

  • Paulo

    Câmbios automáticos “de qualidade” tem manutenção muito mais em conta que embreagem, já que quando bem cuidados chegam facilmente aos 300/400 mil kms apenas trocando óleo.

    Agora, essas marcas que dizem que não precisa de troca do fluido são muito FDPs. Quem compra o carro depois usado é que se ferra.

    • Marcos B Santana

      Trabalho com táxi e tenho vários amigos que já passaram de 300 mil kms em carros que não nessessitam trocar o óleo de câmbio, já que o manual não pedia.
      São carros como Spin, Cobalt e Livina.
      E estão rodando sem nenhum problema. Acho que se a montadora diz para não trocar,devemos seguir.

      • Paulo

        Que bacana. Também conheço donos que hilux com essa Km que nunca trocaram.
        Porém temos que analisar que o usuário comum do carro faz uso severo do câmbio, rodando quase sempre com motor frio e quase nunca fazendo trajetos longos. Nesse caso o desgaste e deterioração e contaminação do óleo é bem maior.

        • Marcos B Santana

          Paulo, pode ser sim, as vezes quem roda muito pouco e com o carro frio acaba causando mas desgastes, principalmente nos lubrificantes.
          Certa vez, eu precisei trocar a junta do carter de uma Zafira que eu tinha,e estava com 320.000 km, na hora que o mecânico tirou o carter, ambos ficamos surpresos,pois estava totalmente limpo,sem nenhuma borra, isso se deve ao fato de rodar muito e por isso a frequência com que troco o óleo é muito grande( uma vez a cada 40 dias), ou seja nem dá tempo de o óleo criar borras.

      • RPM

        Se um câmbio automático durar 500 mil km sem nunca trocar um óleo, trocando regularmente irá durar mais….simples assim…

        • Marcos B Santana

          Não podemos afirmar isso na teoria, prefiro ver na prática , eu por exemplo já tenho carros automáticos desde 2004(Fit primeira geração,3 Zafiras,Honda Fit da 3 geração e agora uma Spin),sempre segui a risca o que esta no manual, em todos os carro que tive anteriormente troquei o óleo de câmbio a cada 40.000 km,como era recomendado por uso severo(taxi), de uns anos pra cá,as montadoras vem recomendando que não se troque mais o óleo de câmbio,confesso que fiquei um pouco receoso com tal recomendação,mas o que eu já tenho como base,são amigos meus que tem veículos com mais de 300.000 kms sem trocar o óleo e ainda estão rodando normalmente.
          Hoje eu tenho uma Spin 2018, que não recomenda a troca,já está com 60.000 km, vou continuar seguindo a risca o manual.
          Prefiro acreditar nos engenheiros que desenvolveram o carro, se a recomendação deles é não trocar, vou manter.

          • RPM

            Eu tenho carros automáticos desde 2007,então não é uma teoria….falo com certa propriedade até….mas cada um faz o que acha melhor no seu carro….eu tenho um Civic 99,que se eu seguisse à risca o manual,nunca teria trocado o óleo da DH(quando troquei,saiu um caldo preto) e estaria usando óleo mineral 20W50 ainda….

            • Marcos B Santana

              Acho que vc não entendeu direito meu comentário,os carros mais antigos,ou até mais ou menos o ano de 2012, nessessitavam de troca de óleo de cambio e isso era específicado nos manuais dos veículos,já a maioria dos veículos de hoje,vem especificado para não trocar mais o óleo,e quando eu falo de teoria,quero dizer que ainda não há nenhuma comprovação de que a não troca do óleo de cambio quando especificado no manual causará danos ao câmbio antecipadamente,o que eu posso dizer por enquanto na prática,é que conheço 3 amigos que possuem carros automáticos que não nessessitam troca e que já passaram dos 300.000 kms sem problemas.

              • RPM

                Ok….entendi ;)

          • carloscomp

            Faço a mesma coisa com meu Cruze

          • Magnamox

            Se não usar no modo severo o cambio vai durar mesmo, mas perde um pouco as características. Eu mesmo tenho um Corolla 2005 com 210.000km e ja troquei 3 vezes o fluido da transmissão desde que peguei ele com 120.000KM. É muito perceptível a diferença e gritante quando você troca o Fluido (mesmo sendo parcial) como o carro se comporta diferente, ele deixa de dar a impressão que esta patinando na arrancada, parece que você acabou de trocar a embreagem do carro, as trocas de marchas ficam mais suaves e imperceptíveis….. O Fluido da transmissão por melhor que seja (base de ouro com Adamantium) com o tempo ele perde a característica de compressibilidade e o cambio passa a ter menos eficiência…… Eu recomendo a troca independente do que a montadora “sugere” visto que a cada ano a própria montadora entra em contradição, um ano ela recomenda a troca e no outro ano não….depois recomenda novamente.

      • Samluzbh

        Sempre considerei a opinião de Taxistas na questão manutenção, peças de reposição e pneus.

        • RPM

          Gosto da opinião dos taxistas,mas não dá pra copiar o que eles fazem de olhos fechados.. muitos usam pçs do mercado paralelo e óleos baratos,por ex….

          • Samluzbh

            Realmente mas tem uma maneira de filtrar o bom Taxista, basta ver se ele é o dono do carro. Os que trabalham pra frotas não da pra confiar.

    • Razzo

      Bem, as marcas que não recomendam as trocas de óleo do câmbio são nada menos que as 2 maiores fabricantes mundiais de câmbios automáticos.

  • Marcos B Santana

    Materia legal, porém nos carros da Chevrolet como o Onix,Prisma,Cobalt,Spin,Tracker e Cruze, todos com câmbio automático GF2 ou GF 3 a GM não recomenda troca do oleó de câmbio,pede apenas para verificar o nível e completar, se necessário.

    • Marcos Silva

      olha o 6t30

  • Luis Burro

    Mas e pro automático convencional como no Ecosport da Ford,é a msma situação?

    • Marcos B Santana

      Recomendo que dê uma olhada no manual e siga a recomendação descrita nele .

  • Razzo

    A Aisin e a Jatco se sentem bem confiantes no produto para não indicar necessidade de troca de óleo do sistema.

  • Domenico Monteleone

    No caso DSG o óleo custa bem caro, não me lembro o valor exato agora, mas é salgado o valor.

    • Andre Pestana

      Claro que óleo original na concessionária e tudo mais caro, mas existe óleo com as mesma característica do original no mercado de marca como motul e penthosin que possuem a mesma qualidade do original por um preço muito mais em conta.

  • Garage

    Quanta baboseira sem fundamento prático!
    Para o brasileiro, que tem um comportamento medíocre, prefere não trocar, pois a bomba vai estourar na mão do segundo ou terceiro dono.
    Todo e qualquer óleo ou fluido perde suas propriedades e é contaminado com o atrito entre as peças,logo, não cumprirá seu papel após alguns anos ou kms de uso. Experimentem seguir aquilo que dizem os manuais das montadoras de que : “o fluido é vitalício”. Rodem com o carro mais de 100.000 . 8 em cada 10 acabarão gastando uma fortuna ou então serão “brasileiros” e venderão o carro com uma bomba para o próximo “trouxa” se virar. Vai Brasil!!!
    Ass: câmbio automático / automatizado

    • RPM

      Concordo….tem que ser muito porqueira pra rodar 100/200/300 mil km sem nunca trocar o óleo,só porque o manual diz….as pessoas acabam indo no mais fácil/barato….

    • Zé Mundico

      Então qual o motivo do manual dizer que não precisa trocar o óleo?

      • T1000

        O câmbio quebrar e a css vender o reparo do mesmo, óbvio.

        • Zé Mundico

          Sério que você acredita nisso?

          • Ygor Soares

            Sério que você acredita mais no manual do carro do que na preconização do fabricante do fluído?

            Já vi essa história com motores da VW e o “novo” óleo que os motores 1.0 do Gol usaram e tinham um tempo de troca além do que o fabricante “Castrol” determinava para o seu produto!

            No final quantos motores a VW teve que trocar? Quantos processos ela sofreu pelos seus clientes mesmo?

            A prevenção custa muito menos que a correção!

            • Zé Mundico

              Na boa, mas óleo de motor é outro departamento….

      • Marcos B Santana

        Quem faz o manual são os engenheiros que prejetaram o carro,mas o pessoal prefere ir no achismo, o que eu já tenho como exemplo prático,são carros com mais de 300.000 kms,rodando normalmente sem trocar o óleo de cambio por recomendação do fabricante.

    • sigma7777777

      Concordo. Não existe óleo vitalício.

    • renato dantas

      Concordo plenamente com Garage, todo óleo ou fluido deve ser trocado.

      • Garage

        Caros, boa tarde! Minha opinião é baseada em fatos, mas cada um acredita naquilo que quiser.
        Apenas em título de curiosidade, sou dono de oficina, mecânico e minha oficina NÃO faz manutenção de câmbio automático. Gostaria de deixar isso claro para manter a imparcialidade.
        Vejo muitos carros com problemas no cambio automático,, seja por negligência do proprietário ou simplesmente porque ele seguiu a orientação do “fluido vitalício” e se deu mal
        Li em algum comentário, bastante inteligente,que o profissional que se preparar para fazer manutenção nesse tipo de câmbio estará a frente dos demais. Concordo!
        Para aqueles que não conhecem o dia a dia de uma oficina, busquem a opinião de alguém em que confiem e que entenda do assunto.
        Lembrando : não sou e nem quero ser o dono da verdade. Estou falando de fatos!
        Se for para polarizar, teremos a vertente da montadora que quer vender peças, e a outra, dos fabricantes de óleo / fluidos.
        Eu, prefiro fazer o que é certo, principalmente, aquilo que é mais econômico e que aumenta a vida útil do carro.
        sds

        • RPM

          Isso mesmo….excelente comentário!!

  • Andre Pestana

    Prefiro trocar aos 60 mil, mesmo que a marca não recomendem, já vi muitos especialistas em câmbios recomendarem a troca por volta dessa quilometragem e o óleo do cambio sair bem escuro(queimado) e mais viscoso que um novo.

    • Marcelo Alves

      E tem lugares que se recusam a fazer a troca do fluido quando o carro está muito rodado e nunca teve o fluido trocado, porque nesses casos o que costuma acontecer é que existe tanta sujeira acumulada dentro do câmbio que caso entre um óleo novo, ele vai desgrudar toda a sujeira de uma vez e vai entupir o corpo de válvulas do câmbio ou até causar outros problemas mais sério, ou seja, vai quebrar de vez um câmbio já velho que sabe-se lá quantos kms ía aguentar a rodar ainda e no final das contas o cliente vai reclamar com a oficina e eles é que vão ficar com essa bomba na mão.

      • Louis

        Já ouvi isso de um especialista em cambio AT, ele disse que se o óleo estiver muito sujo e muitos KMs sem trocar, é melhor rodar até o cambio quebrar de vez, do que trocar e dar problema logo em seguida.

  • Baetatrip

    Boa materia!
    Lembrando que TODOS os cambio automaticos no mercado precisam de oleo novo!
    Tem marcas diz que é oleo vitacilio que é MENTIRA!
    É como = oleo de fritura: quando e novinho é bem clarinho, com tempo vai ficando preto ate virar cor de carvao =o que acontece oleo de cambio!
    Quando troa oleo, o cambio trabalha bem mais macio e gostoso ao guiar e sem tranco, etc!
    Troquei oleo do motor do meu AT4 que estava bem preto e sem particulas,quando troquei, o carro virou outro de tao maciez!

    • Sânzio Antonio Mendes Vieira

      Tenho um 408 at6, troquei total semana passada (km atual 95mil, esse estiquei mais, mas deveria ter trocado com 50~60, talvez por isso o trocador de calor dele furou final de outubro, furou a câmara de óleo, troquei o trocador e depois efetuei a troca total do óleo). Até o barulho de rodagem diminuiu absurdamente.
      Eu tive um cobalt, e troquei duas vezes também (com 50 e com 100). Vendi o carro com 130.

      O fabricante recomendar a “não troca” é para diminuir a produção de defeito na ccs. Pois o que tem de mecânico ruim de serviço não tá no gibi. Entao ela prefere que o “propriotário” (usei aqui de ironia mesmo), não faça esse tipo de manutenção, ai, quando a garantia acaba e o carro tá lá com seus 3,5~4anos, começar a apresentar problemas, o fabricante dá de ombros, e o “propriotário” fica com um pepino nas mãos.

      • Ygor Soares

        Amigo, reveja o sistema de arrefecimento, verifica se está tudo ok com ele e o seu aditivo na proporção correta! Abs

        • Sânzio Antonio Mendes Vieira

          sim, inclusive eu havia feito uma revisão nele uma semana antes de dar o problema no trocador.
          Sistema de arrefecimento estava 100%. Eu troco oleo dele a cada 5mil km, como estava com 94mil, eu fiz a troca de oleo e revisei algumas coisas inclusive o sistema de arrefecimento (e olha que sou chato, se o nivel baixa, eu sempre completo com água desmineralizada, nunca usei agua de torneira nesse 408).
          dai na semana seguinte ele simplesmente fez isso.

          E pensa num trabalho que foi pra limpar o sistema desse oleo. Fiz mais de 20 enxagues, e um litro de querosene (so limpou de vez mesmo, quando resolvi usar o querosene – estava receoso). Depois de totalmente limpo o sistema, coloquei agua e aditivo na proporção correta (isso tudo aqui em casa mesmo) e ai levei pra troca de oleo. (fiz uma troca parcial aqui em casa, até mesmo para avaliar como o oleo estava e se havia água misturada, graças que nao teve, pois a pressão da caixa é maior que a pressão de arrefecimento).

          • Ygor Soares

            Só toma cuidado para não gerar ar no sistema! Na termoeststatica dele tem uma válvula de sangria, é sempre bom abrir e deixar sair um pouco o fluido para evitar ar no sistema.

            Também faço em casa, pois não tenho confiança plena nessa oficinas que temos no mercado!

            • Sânzio Antonio Mendes Vieira

              ele tem dois locais para a sangria, na carcaça da termostática e na entrada para o aquecedor.
              fiz nos dois locais.

      • Baetatrip

        Sim…..
        Comprei o meu carro em set/ 15 (SZK GV3 4×4 12-12), Ia trocar com 60mkm e estiquei até 100mkm
        No meu caso estava preto o oleo e sem particulas, tive sorte, pois eu só uso em estrada que facilitou muito o oleo
        Se estivesse com particulas daria serios problemas com o AT4, ano que vem eu troco oleo de cambio de novo, pois pego muita estrada!

  • Ronaldo Batista

    A matéria e boa…mas peca tbm na Toyota…possuo um Corolla CVT e a recomendação do manual é somente inspeção/verificação a cada 20kkm, nao fala nada de troca do oleo do câmbio…

    • Samluzbh

      Espera chegar na revisão de 80K pra ver a facada.

  • Diego G. de Lima

    Essa complementação da Honda é porqueira hein? Misturar óleo velho com novo. No fórum de donos do Fit o pessoal recomenda trocar completamente de 30 em 30.

    • Zé Mundico

      Óleo de câmbio é diferente de óleo de motor, pois não queima nem oxida. Realmente basta completar,.

      • Ygor Soares

        A questão não é a queima e sim a contaminação que ele recebe devido ao desgaste natural das peças internas. E sim, todo óleo ou fluído perde suas propriedades com o tempo! Não existe fluído que dure eternamente mantendo todas as suas propriedades!

  • Zé Mundico

    Realmente a Mitsubishi segue essa linha. Comprei minha Outlander com 42 mil rodados, fui ver no manual e o dono anterior tinha trocado o óleo do câmbio CVT com 39 mil e poucos, ainda dentro da garantia.
    Como agora esá com 68 mil km, talvez no próximo ano tenha que trocar.

  • Zé Mundico

    Bem, se o fabricante de um carro diz que não precisa trocar, por qual motivo eu vou inventar de trocar óleo do câmbio a cada 40 ou 50 mil km rodados? Qual o objetivo do fabricante em plantar uma mentira no manual do carro?
    Sei não, tem gente que inventa problema do nada….

    • sigma7777777

      Porque as fabricantes da transmissão recomendam. Contraditório, não? Assista a matéria do AutoEsporte.

      • Fernando Gabriel

        No Caso da GM, ela mesmo fabrica o Cambio. Sério que AE é referencia para isso?

        • Luis Carlos K.

          Você leu na matéria onde diz que a GM recomenda a troca?

          • Marcos B Santana

            A GM não recomenda a troca de óleo dos veículos a partir de 2013.

          • Fernando Gabriel

            No manual do proprietário da Spin, Onix, Prisma e Cruze ela não recomenda a troca….

        • sigma7777777

          Ela reuniu mecânicos e fabricantes frente a frente.

          • Fernando Gabriel

            Então ela colocou a GM frente a frente com os reparadores? Eu creio que isso deva ser levado a um patamar superior, de engenharia e construção, já que é sabido que a maioria dos veículos antes de ser lançados, sofrem testes exaustivos e se a Montadora assume a batata quente pra ela ao recomendar apenas que se complete, se necessário, creio que devamos confiar, afinal, ela poderia colocar que esse oleo deveria ser trocado a cada 20 mil km’s, por exemplo, ela, reparadores, fabricantes de oleo felizes, pelo volume vendido multiplicado pelo numero de veículos vendidos…

            • sigma7777777

              Colocou as fabricantes de transmissão. Veja no YouTube. Fez uma rodinha e perguntou se precisar ou não trocar o óleo. É interessante escutar os mecânicos também. Vários relatam problemas. Basta pesquisar na Net e encontrar casos de pessoas que tiveram problema e precisaram gastar bastante no reparo.

              • Fernando Gabriel

                Então, a questão de que vários reparadores relataram problemas, deve ser comparada com o percentual unidades produzidas X unidades defeituosas. Não só com cambio, mas motores, baterias, motor de partida, pneus, etc, tem sempre esse comparativo, por parte do fabricante com auxílio dos reparadores, a título de “qual manutenção este item do veículo deve seguir?” Eu gostaria de que um engenheiro, através de uma análise em laboratório, comprovasse através de laudo, que uma quebra de um cambio desse, antes da quilometragem de verificação do óleo, foi provocada pela má lubrificação deste óleo, a fim de quebrar esse paradigma de que tem ou não que seguir o manual. Vejo (poucos) casos de problemas em cambio automáticos, mas, em nenhum deles, nenhum reparador dá a certeza que foi óleo, mesmo porque, ele não pode nem afirmar isso, pois se afirmar, sem um teste, estaria sendo leviano.

                • sigma7777777

                  Eu fiz a troca do óleo do meu Corolla na própria Toyota. A troca é parcial. Senti melhoria na transmissão e também visualizei um óleo mais limpo. Antes da troca tirei a vareta para extrair um pouquinho e fotografar e depois fiz o mesmo após a troca. Você vê diferença visual e, como falei, na prática também, ao engatar a alavanca ela flui melhor, assim como a medida que vai acelerando. Fiz aos 70 mil km rodados, pois os mecânicos apontam problemas a partir dos 80 mil km. Para saber mais sobre problemas o ideal é ir em uma oficina especializada e bater um papo com consumidores com problemas e mecânicos.

        • Marcos B Santana

          Pois é ! Tudo depende muito do tipo de cambio automático,ano do veículo.
          Na linha antiga da Gm ela recomendava a troca (Zafira,Astra,Vectra).
          Já na nova geração não recomenda (Spin,Prisma,Ônix,Cobalt e Cruze).
          Prefiro continuar com a recomendação do fabricante.

    • Luis Carlos K.

      No manual do veículo não tem todas as informações necessárias sobre o carro, muita coisa fica de fora. Se você fizer uma busca profunda em manuais mais técnicos sobre o câmbio especificamente verá que os fabricantes recomendam a troca sim. Não existe óleo vitalício.

    • Marcos B Santana

      Exatamente, tem muita gente aqui só na base do achismo.

  • renato dantas

    Prestenção; todo fluido sofre com do desgaste e com temperatura, atrito e tempo, para quem duvida veja os vídeos do canal teomave e verás que todo óleo ou fluido deve ser trocado.

  • Luis Carlos K.

    Não existe óleo vitalício. Faça inspeção regularmente e troque o óleo se necessário.

  • KOWALSKI

    Esses manuais de carros não têm fundamento técnico profundo. As pessoas imaginam que as montadoras são super sérias e os engenheiros são semi deuses. Quando na verdade a montadora só está interessada em ganhar dinheiro, os engenheiros só estão lá pra fazer o que o pessoal do design, marketing e financeiro querem. O objetivo é fazer um carro que siga sem problemas por um período x, depois disso a solução é reciclagem. Simples assim, fora que a maioria que projeta esses sistemas específicos como uma transmissão na maioria não são fãs de carros, para eles é só um produto.

    • Sânzio Antonio Mendes Vieira

      parabéns.
      a PSA mesmo, adora inventar defeito estupido nos carros. Qualquer coisinha acende luzinha no painel e aparece uma mensagem catastrofica no painel do carro. Tenho um 408, o carro é excelente, mas tem umas anomalias que aparecem no painel, que putz, só pra levar o cliente a ccs para passar Scanner (uns 300 de prejuízo) e no final, não é problema algum no carro.
      o meu, de vez em quando roda com a luz acesa, pq, por causa de gasolina se ele sentir que a gasolina fugiu dos parâmetros, ele já acusa defeito na sonda. dai vai ver, o defeito é apenas no combustivel, vc troca de posto e a luzinha apaga no mesmo momento.

      outra coisa, o oleo do meu cambio, é um saco, ai acho que a AISIN arrochou a PSA e eles mudaram o oleo de tal AW1 para o Dexron VI. (detalhe o AW1 fora do brasil, custa em média 24 dolares, no brasil, o mais proximo que achei foi o motul multi atf, que está acima dos 90, ai se vc for seguir a risca a recomendaçao da PSA e comprar o oleo AW1 na ccs, vai pagar só 590 no litro, só isso, e precisamos de 8litros, imagina…) Ai mudou pro dexron vi, que se acha de marca otima (mobil) a partir dos 48 o litro…

      • Leonardo C.

        Sei do que você tá falando, porém até prefiro esses avisos que os carros da PSA emitem, é chato mas ajuda bastante. Meu carro mesmo esses dias (tenho um C3 Tendance com 100.000 km, começou a abaixar o nível do fluído de freio, aí acendeu a luz de freio e o STOP no painel. Verifiquei o reservatório e realmente estava abaixo do mínimo, mandei trocar tudo e fazer um belo enxágue do sistema com fluído ATE. Dias depois novamente a luz acendeu e o fluído estava baixíssimo, e tinha mancha dele na garagem de casa, aí pude verificar que o atuador de embreagem que estava vazando o fluido, efetuei a troca e o carro ficou excelente. Concordo contigo referente ao incômodo, é realmente chato, mas importante prestar atenção nos avisos.

      • Marcelo Martins

        Na minha visão achei ótimo o carro avisar que o combustível é de má qualidade, assim eu posso selecionar o posto que vou usar e não ter perigo de prejudicar o carro, tenho um 408 e nunca vi essa luz de combustível ascender, mas é bom saber que existe !! a única vez que tive um alerta foi que o óleo do motor estava baixo, levei na css sem marcar nada, fui atendido na hora, completaram com meio litro e não me cobraram nada !! estou muito satisfeito com o carro e o atendimento na css.
        No manual do carro consta que não é necessária a troca do óleo do câmbio, acho que eles fazem a verificação nas revisões como informado na matéria, então vou confiar e sempre fazer as revisões na css …

  • Tosca16

    Para o TIGGO2 AT, a Chery recomenda a troca do óleo aos 40 mil KM ou 48 meses pelo que consta nas revisões.

  • Louis

    Na dúvida, no meu carro (Yaris) vou trocar ao redor de 100 mil km. Hoje já existe várias oficinas independentes com equipamento para troca do fluido. No meu velhinho 206, pedi pra trocar até o fluido da direção hidráulica. Da minha antiga Livina, troquei ao redor de 100 mil km como prevenção.

    • Sânzio Antonio Mendes Vieira

      ele então faz o nível por gotejamento, ai que dana, porque ele pode estar no nivel (momento que nao goteja mais) ou estar muito abaixo do nivel, ai bau bau…
      as transmissoes atuais sao sem a vareta, também nao gostei nao.

  • Ygor Soares

    Nenhum fluido tem validade indeterminada, basta pegar a marca e modelo de fluido que o fabricante preconiza e olhar a recomendação desse fabricante para tal substituição.

    Independente do que o fabricante do carro diz, normalmente troque a cada 60 mil km!

  • Ricardo Blume

    Na boa, fiquei confuso aqui. Não quero discordar dos engenheiros, mas todo óleo/fluído deve ser trocado após um período de uso, pelo fato da perda de suas propriedades. É realmente arriscado não trocar o óleo do câmbio e correr algum risco de quebra, pois o conserto de um AT é algo realmente caro.

  • Eng Turbo

    Nenhum óleo lubrificante é eterno, independente se ele está em um ambiente hermeticamente fechado. A viscosidade, queda do poder de lubrificação por troca térmica, sujidade decorrente do desgaste dos componentes internos, etc….fará a troca necessária e INEVITÁVEL.
    Possivelmente o óleo de cambio supere os 100.000 km ou 5 anos sem nenhum problema, porém após isso, não há escapatória, a troca é necessária.

  • Paulo Reis

    Percebo uma negligência nas montadoras da qual afirmam nos seus manuais que não há necessídade de troca de óleo dos seus câmbios, qualquer especialista na área com anos de experiência indica essa necessidade. Alias, o manual do Ford focus 2012 AT recomenda a troca, ou 72 meses, ou por 120 mil KM, teria verificar esta afirmação acima. No meu caso troquei por tempo de vida e, percebi que o sistema ficou um pouco mais suave do que ja era, apesar do que no geral não se nota a mudança.

  • TimeloRegoFundo

    E A KIA?????

  • carlos rodrigues

    Creio que as montadoras consideram a recomendação de não trocar o óleo do câmbio AT em casos em que o proprietário faço o uso seguindo estritamente as recomendações de utilização do fabricante Ocorre que muitas pessoas utilizam de forma errada o que leva ao desgaste prematuro dos componentes do câmbio. Independente da recomendação de que não precisa trocar o óleo, acho muito arriscado não fazê-lo, ainda mais num pais tropical como o nosso.

  • Guedes

    Nota: o DSG7 apesar de ser a seco, tem um fluído. Porém, esse fluído não se troca, só em caso de vazamento.
    Ou seja, DSG6 troca, DSG7 não troca.

  • Isaac Ferreira Santo

    Deixa eu entender. Tenho um VW Tiguan com 90.000 km. Pelo manual devo trocar o oleo da caixa aos 120.000 E por essa reportagem não preciso trocar? Ai fica complicado

  • Fernando Souza

    O CVT da Renault/Nissan TEM QUE ter seu óleo trocado a cada 40/50 ml KM, dependendo do uso. Sem isso o câmbio começa a fazer barulho e funcionar não tão bem quanto deveria. Separe aí de uns R$ 600 a até R$ 2.000 para fazer isso (dependendo de onde você faça) .

  • Romulo Bandeira

    A respeito da Suzuki, não citada na matéria, tenho uma Vitara 2017 com câmbio automático Aisin, o manual fala o seguinte: em uso normal, só inspecionar a cada revisão; já em uso severo deve ser avaliado a troca conforme a necessidade. Eu trocarei com 40mil km. Observo que esse mesmo câmbio é usado por diversas montadoras (PSA, Volvo). Fiquem espertos!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email