Renault Logan – defeitos e problemas

Renault Logan - defeitos e problemas

O Renault Logan de segunda geração, assim como a da primeira, é um projeto da romena Dacia e faz sucesso na Europa por ser barato, confiável, robusto e econômico. Aqui, os clientes brasileiros buscam exatamente isso no sedã da marca francesa, mas será que ele é tudo isso mesmo? A resposta é, baseada em relatos de proprietários, um sonoro não! Há muitos defeitos e problemas!


O sedã compacto feito no Brasil recebeu atualização recentemente, onde os antigos motores 1.0 16V e 1.6 8V foram substituídos pelos novos 1.0 SCe de três cilindros e 1.6 SCe de quatro cilindros. A mudança era aguardada pelo mercado, pois assim resolveria alguns problemas relativos aos propulsores anteriores, deixando o Logan mais econômico, limpo em emissão e com melhor desempenho.

O mesmo se esperava da mudança de geração, que realçaria as qualidades da geração anterior e de quebra haveria um ganho em qualidade, segurança e conforto. Mas, não é isso o que se verifica quando se observa os muitos defeitos e problemas relatados pelos proprietários. Neste artigo, nem listamos a geração anterior, concentrando-nos na atual.

Muitas reclamações

Só esta por si já acumula muitas reclamações, que vão desde o acabamento com barulho, falhas e rebarbas até o “desaparecimento” do óleo lubrificante no motor 1.6 SCe. Embora alguns depoimentos publicados em sites de reclamação, de opinião e fóruns enalteçam algumas das qualidades do Logan, as decepções com o carro superam de longe.

Infelizmente, pela enorme repetição de reclamações, que são quase todas idênticas em relação ao problema, a Renault não parece ter tomado atitude firme para resolve-los, pois como no caso do óleo que some, as revendas completam o lubrificante do motor sem mais, nem menos. Bem, (ou seria mal?) vamos então aos defeitos e problemas do Renault Logan.

Renault Logan - defeitos e problemas

Renault Logan – defeitos e problemas

“Óleo que some”

Entre os vários defeitos e problemas do Renault Logan, um que é agravante é o sumiço, se é que podemos dizer assim, do óleo lubrificante no motor 1.6 SCe. Sim, o motor novo! Só no Logan Clube contamos 14 relatos de altíssimo consumo de óleo por parte desse motor e em carros novos, com poucos quilômetros rodados.

Boa parte dos relatos são de carros que nem havia feito a primeira revisão. Um dos relatos fala em óleo baixando muito rápido até o mínimo com apenas 1.500 km rodados e em menos de 2 meses de uso. Outro cliente da Renault teve óleo no nível mínimo aos 3.000, 4.500, 6.500 km, sempre sendo completado o óleo pelo concessionário. Neste último, houve a troca da junta do cabeçot, mas ele alega que o problema continua…

Sobre essa junta, outro dono diz que seria normal o consumo de 300 a 400 ml a cada 1.000 km, mas isso significa que o motor não chegará à revisão de 10.000 km com uma gota sequer dentro do cárter. É verdade que alguns manuais dizem que o consumo de 1 litro de óleo em 1.000 km é considerado “normal”, mas não deveria ser, pois o motor vai travar com o tempo de revisão proposto pelos próprios fabricantes.

No caso do Logan, os donos relatam que a concessionária completa o óleo e reprograma a ECU para fazer a revisão em 10.000 km. Esse foi o caso das múltiplas complementações de óleo do caso citado mais acima. Outro relato fala que a vareta secou aos 7.000 km e que após a revisão de 10.000 km (não diz se foi completado antes), apenas a pontinha da vareta tinha óleo aos 15.000 km.

Mas não é somente o sumiço de óleo, há quebra de motor também. Num deles, o motor estourou com menos de 2 meses de uso (e a embreagem ficou ruim também), sendo que o proprietário ficou 4 meses sem carro… Noutro caso, o Logan teve problemas no motor com biela solta aos 2,2 mil km. Teve de trocar de motor.

O alto consumo com etanol também é verificado com médias de 5 a 6 km/l. Os donos reclamam igualmente de barulho excessivo do propulsor. Um problema recorrente é o sistema de partida a frio. Dos relatos, um comenta que o motor 1.6 não funciona com etanol e outro fala que a luz da partida trava acesa, sendo um problema “recorrente” no Logan. Noutro, até mesmo o tanquinho foi substituído.

Vários depoimentos falam que o desempenho do motor 1.6 fica aquém do esperado para um motor desse porte e reclamam de falta de forma nas ultrapassagens e acelerações, ampliados pelo escalonamento ruim das marchas e a recomendação do indicador de troca de marchas em posições difíceis de manter durante a condução.

Renault Logan - defeitos e problemas

Câmbio, embreagem e direção duras

Alguns donos de Renault Logan também reclamam de defeitos e problemas em direção, câmbio e embreagem. Na primeira, desde rangidos ao esterçar o volante até o endurecimento da mesma. Há quem reclame da própria fala de leveza do conjunto, que é eletro-hidráulico, mas que os donos acham mais pesada que uma direção hidráulica comum (já verificamos isso em avaliação).

Também há registro de endurecimento do câmbio, mais precisamente na troca de marchas e imprecisão nas mudanças. No passado, modelos da Renault apresentaram o mesmo defeito, aquele do trambulador da transmissão. Em carros com baixa quilometragem, a alavanca de trepida, evidenciando isso. Ainda em relação ao câmbio, existem reclamações de vazamento óleo pela coifa da homocinética.

Ar vacilante

Donos reclamam inclusive da embreagem, dura e em alguns casos, trepidante. Casos de embreagem rangendo até 60.000 km foram registrados, sendo que num deles, o mesmo caso teve o ar-condicionado quebrado aos 52 mil. Além do relato acima, outros também falam de quebra do aparelho condicionado de ar e muitos de que o dispositivo demora demais para gelar.

Renault Logan - defeitos e problemas

Barulhos e defeitos diversos

Barulho. Isso é algo que a grande maioria das opiniões de dono ou relatos de defeitos e problemas na internet falam do Renault Logan. Diversos donos dizem que o sedã apresenta ruídos no painel (um deles até diz que parece que o conjunto vai cair…) e no revestimento nas colunas. Da mesma forma, barulhos estranhos vindos da suspensão.

Depoimentos falam de ruídos nos vidros das portas (soltos em alguns casos) e que as portas também rangem durante a condução. Em relação a isso, existem casos em que as portas se abriram (ficaram na fase intermediária da fechadura) ao passar sobre lombadas ou mesmo rodando normalmente.

A reclamação é quase geral em relação ao acabamento. Falam desde banco traseiro reto e não bipartido, bancos pouco confortáveis, multimídia MediaNav com botões que descascam, central de entretenimento com defeito e trocada, borrachas das portas que saem facilmente, peças mal encaixadas, peças que quebram fácil e são caras para substituir, cluster escuro de dia, entre outros.

Há tópico em clube do Logan e vários relatos sobre os limitadores de portas “estalando”, alguns dizem que parece “carro velho”. Noutro, há casos de trilhos dos bancos à mostra e parafusos da mesma forma.

Neste último, um dono fala que até se machucou no banco por causa da falta de proteção desses parafusos. Infiltração de água no porta-malas é outro problema enfrentado pelos donos. Desgaste prematuro das pastilhas de freio foi relatado e num dos casos, o dono fez 4 trocas em menos de 51,5 mil km. Pneus com desgaste prematuro foram registrados da mesma forma.

Diante de tudo isso, seria importante a Renault melhorar o projeto do Logan e atender melhor os clientes que se encontram em situação difícil. Afinal, pagaram (e caro) pelo produto.

[Fontes: Logan Clube/Reclame Aqui]

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.