Hatches Manutenção Peugeot

Peugeot 208 – defeitos e problemas

Peugeot 208 - defeitos e problemas

Peugeot 208 é um hatch compacto que é apreciado pelo acabamento, visual e conteúdo, mas que, assim como outros produtos da marca francesa, sofre com a desvalorização devido à imagem da mesma. Ainda assim, muitos clientes gostam do carro, mas ele não escapa de ter defeitos e problemas recorrentes.


Lançado no Brasil em 2013, o Peugeot 208 sucedeu o desatualizado 207, trazendo um design mais sofisticado, luzes diurnas em feixes de LED, teto panorâmico, iluminação interna em LED (no começo), painel i-Cockpit com cluster acima da direção elétrica, volante ovalizado e acabamento com texturas, cores e tecidos de aparência melhor.

Entretanto, o Peugeot 208 começou com o velho motor 1.5 (1.4 atualizado), tido por alguns donos como gastão, assim como 1.6 e câmbio automático de 4 marchas, do qual muitos criticam por sua limitação. O hatch evoluiu e trouxe o Puretech 1.2 de três cilindros e o 1.6 THP Flex na empolgante versão esportiva GT.

Nestes dois últimos, donos reclamam do câmbio longo demais no primeiro e problemas de direção no segundo. O 208 ainda ganhou câmbio automático de seis marchas. Abaixo, alguns relatos falam ainda que o Peugeot tem ruídos internos, especialmente no teto panorâmico e porta do motorista, acabamento com defeito e câmbio manual barulhento, entre outras queixas.


Peugeot 208 – defeitos e problemas

Peugeot 208 - defeitos e problemas

Entre os defeitos e problemas do Peugeot 208, barulhos e ruídos internos são recorrentes. Num Peugeot 208 GT 2017 de um cliente da marca, apresentou barulhos internos e no painel, que foram trocados em garantia com 25.000 km.

Ainda teve a caixa de direção trocada por motivo de ruído. Os sensores de estacionamento pararam de funcionar e foram substituídos na garantia. Câmbio raspa entre as marchas,. segundo do proprietário.

Outro caso teve ruído na caixa de direção, mas foi resolvido na garantia do 208 GT 2017 com 12.000 km. O esportivo é elogiado pela mecânica e performance, além do visual e conteúdo, mas alguns detalhes incomodam, especialmente no acabamento.

Noutro 208 GT 2017 com pouco mais de 20.000 km, foi preciso reparar a multimídia, que havia parado de funcionar. O cliente elogiou a concessionária nesse caso, mas disse que a marca parecia não ter a mesma reciprocidade. Dono reclama que materiais são bons, mas riscam fácil e que, apesar do encaixe adequado das peças, existe ruído interno.

Nas versões mais simples, os proprietários reclamam de outras coisas. Um câmbio barulhento foi apontado no Peugeot 208 1.5 2015 com 38.000 km. Num 208 2014, o dono reclama que o câmbio não tem engates precisos e as marchas não entram, gerando ruído também.

Outros também reclamam do câmbio manual, especialmente em relação à mudança entre segunda e terceira marcha, assim como da sincronização da segunda. Também falam que os engates não encaixam e que o curso da alavanca é bem longo. Ele é apontado por alguns como muito ruim também no Peugeot 208 1.2.

Pneus e consumo

Peugeot 208 - defeitos e problemas

Entre os defeitos e problemas apontados, estão pneus trocados com 40.000 km num 208 1.2 2017, mas em outro 208 1.5 2014 com 47.500 km, as bandejas dianteiras e mais os pneus tiveram de ser trocados com 45.000 km.

Num Peugeot 208 1.6 2014, as pinças de freio faziam barulho, assim como os rolamentos traseiros. O banco do condutor tinha um defeito na espuma, mas todos os itens foram trocados na garantia antes dos 70.000 km. O cliente elogiou o atendimento da assistência técnica.

Ruídos na bandeja da suspensão dianteira, que foi trocada junto com os dois amortecedores dianteiros aos 72.000 km no 208 1.5 2014. Um proprietário reclamou que o pedal de freio tinha sensor que dava como acionado e então o piloto automático não atuava corretamente, mas que fora trocado na garantia do 208 1.6 2014. O trambulador com engates lentos e barulhentos também foi apontado pelo dono.

No caso do consumo, o velho 1.5 é criticado. Ele bebe muito no etanol, segundo um proprietário, fazendo de 4,7 a 5,8 km/l. Mostrando a discrepância entre os combustíveis, o proprietário disse que, com  gasolina, o 208 faz de 8,5 a 10 km/l. Outro reclama de consumo em 6,5 km/l na cidade com etanol com este propulsor. Mais um diz que o consumo alto no 1.6.

Em um 208 1.6 AT 2014, a espuma lateral do banco do passageiro cedeu com 51.000 km. Noutra versão igual, mas com 36.000 km, um dos alto-falantes veio com 2 parafusos, mas um caiu e o barulho interno era alto ao passar por piso irregular. Na revisão de 30.000 km, todos os 4 parafusos foram colocados, resolvendo o problema.

Um 208 1.5 2015 teve alguns problemas antes de 15.000 km, sendo um deles o motor do vidro elétrico da porta dianteira, não especificado qual delas. Mas, o pior foi o “calculador”, ficando o carro mais de 4 meses na oficina da Peugeot, esperando pela peça.

Bagageiro e porta do motorista

Peugeot 208 - defeitos e problemas

Alguns donos reclamam que a tampa do porta-malas é difícil de fechar. Um relato fala que mesmo batendo a tampa, o alerta do mesmo como aberto, aparece no painel. Outro disse que a revenda informou ser uma característica do produto.

Mas, o relato que mais domina a internet em relação aos defeitos e problemas do Peugeot 208 é a porta do motorista. Vários relatos falam que a entrada do condutor apresenta ruídos durante a condução, sendo que alguns donos apontam para o alto-falantes como causa do barulho.

Outros falam que se trata do sistema de alarme. Um dos donos teve o carro retido por 5 dias na concessionária para resolver a questão da porta.

Teto panorâmico

Peugeot 208 - defeitos e problemas

O teto panorâmico do Peugeot 208 é, sem dúvidas, um dos principais atributos do hatch francês, que realmente não tem equivalente no mercado nacional em sua faixa de preço. Entretanto, não são poucos os relatos de ruído no vidro fixado sobre a cobertura do habitáculo.

Um dos proprietários do 208, fala que o ruído ocorre mais quanto o carro está inclinado. Outro disse que foi necessária a reposição de um item não especificado do conjunto.

Noutro caso, o dono falou especificamente da cobertura interna móvel, lembrando que ela é manual no 208 e elétrica no 2008. A partir do modelo 2015, o item teria roldanas antivibração, resolvendo a questão.

Palheta do limpador

Vários relatos falam sobre um defeito na palheta do limpador do para-brisa, que não sobe em caso de funcionamento. O problema estaria no fato da mesma pegar na parte interna do capô, prendendo ou mesmo avariando a haste. Alguns donos recorreram à rede Peugeot para resolver o problema.

Peugeot 208 – defeitos e problemas
Nota média 3.1 de 7 votos

  • SDS SP

    Ótimo carro, tem seus defeitos como qualquer outro. Mas a PSA o largou para escanteio.
    PS: nas versões manuais, a precisão dos engates realmente nunca foi um ponto a se elogiar, pelo menos em minha curta experiência, dirigindo uma versão 1.2L alugada..

    • Luiz LACS

      Questão de costume, em 1 mes já peguei o jeito, o carrinho é muito acima da concorrencia no mesmo preço.

      • Marcio EU

        Esse preço a menor é justamente para compensar esses defeitos e problemas. Se não fosse isso deveria vender mais, numa análise simplista.

      • SDS SP

        Apesar de não ser uma unanimidade, é sim um bom carro dentro da categoria. Fica devendo em equipamentos de segurança nas versões mais caras.

    • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

      No C3 1.2 que deve ser o mesmo câmbio e não achei ruim os engates não, ruim é o da Fiat, aquilo ali tá pra ter um pior.

      • SDS SP

        Não é dos piores como nos Fiats (dizem que melhorou), mas pra quem está acostumado com VW e Chevrolet Ônix (que inclusive acho este último até melhor que o alemão), deixa um pouco a desejar. O Peugeot me lembra um pouco o do Sandero mais antigo, sendo que o Dacia é uma caca para entrar a 5 marcha.

        • Tenho um Sandero 2010 e um 208 2014 na garagem e digo pra você que o câmbio do 208 é centena de vezes melhor e mais preciso que o do Sandero.

      • Bruno@BRN.CS

        No C3 1.4 que tivemos aqui o câmbio era bem preciso, só achei o trambulador um pouco mais barulhento que os Corsa e Palio que tivemos, mas não incômodo ou excessivo.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    Esse cambio manual é horrível mesmo, faz ruído nas trocas e parece que não vai engatar. Acabamento também já não é o mesmo, na Active 1.2 da minha esposa vi rebarbas e alguns encaixes no forro das portas mal feito. O motor é bom

    • Bruno Augusto

      é um carro comum não um bentley… e mesmo assim não é perfeito…

      • Hugo Leonardo Dos Santos

        Celta era inferiorzissimo e tinha um câmbio melhor

        • Vilmar Schumacher

          tambem só o cambio né.

  • Luciano

    Tenho um 208 Active Pack 2015 com motor 1,5 e de todas as reclamações acima a única que também tive foi a tampa do porta malas difícil de fechar, o que foi corrigido em garantia. Nunca tive problemas com direção nem suspensão , ambas ainda estao intactas e 100% originais. Os pneus com quase 50 mil km ainda estão bons, creio que chegarão aos 60 mil km tranquilamente. O consumo do motor 1,5 com gasolina é muito bom, faço médias acima de 10 km na cidade como ar ligado 100% do tempo. Praticamente não uso etanol. Ruídos internos só na porta mesmo, mas no meu caso só surgiram depois do fim da garantia de 3 anos, levei numa oficina de instalação de som e resolveram pra mim. Enfim, pra mim é um ótimo carro, confiável e confortável, e recomendo a todos que me perguntam .

    • Erick

      208 1.5 é o francês dos meus sonhos!
      Muito bonito! E melhor que os populares 1.0 caros que temos no mercado (1.0 novo tá custando de 45 mil acima).

  • e fortes

    Tenho um C3 1.5 tendance, que usa a mesma mecanica, o câmbio é realmente ruim, duro e impreciso, e o consumo não e lá essas coisas, no restante o carro surpreendeu, confortável ,silencioso, direção elétrica no ponto, bom de guiar, acho que a Psa melhorou bastante seus produtos.

  • Felipe

    Vários relatos falam sobre um defeito na palheta do limpador do para-brisa, que não sobe em caso de funcionamento. O problema estaria no fato da mesma pegar na parte interna do capô, prendendo ou mesmo avariando a haste. Alguns donos recorreram à rede Peugeot para resolver o problema.

    NA, isso não é um problema, basta bater no botão de acionamento único do limpador após desligar a ignição que o mesmo para em posição de abertura.

    • Rodrigo Ponce

      Exato, inclusive isso é explicado no manual do proprietário, mas como brasileiro não lê o manual……

      • Gomes

        O design do carro foi feito de maneira a deixar a palheta escondida, mas como vc disse, é mais fácil meter o pau que ler o manual para ver como funciona …

        • Vilmar Schumacher

          coisa de brasileiro…

      • Vilmar Schumacher

        e pelo jeito nem os “avaliadores de carros”

    • Bruno@BRN.CS

      Verdade, no C3 ele também tinha, chamava função de manutenção, assim que desligava dava uma
      Batida para baixo no comando do limpador e ele ficava na vertical para facilitar a troca das palhetas.

  • Jorge Ricardo Vilela

    São defeitos comuns que são corrigidos como qualquer outro carro. Tenho um C3 puretech e um peugePe 2008 THP excelentes carros. Um barulhinho aqui outro ali eu eliminei, sensor de ré tive um dos sensores que falhou troquei na concessionária e matou o problema. Tive um Etios, que teve problemas na embreagem e uma veedadever escola de samba. Um Onix com problemas na partida que ninguém resolvia, e por fim o meu ulúlti que acabei trocando por um C3, um sandero, que tinha falha em pontos de solda q fazia muito barulho no carro. Resumindo, uma verdadeira propaganda contra a marca, não é isso tudo de ruim os veículos não. Chega a estar acima da média de muitos nacionais. Ah, sem contar que muitos mecãnicos não são especializados na marca que erram em até simples diagnósticos. A PSA sofre com os tupiniquins!

    • Rodrigo Freitas

      Exatamente Jorge, na própria materia mostram que quase todos foram resolvidos em garantia pela concessionaria e eles fazem uma materia como se fosse o pior carro nacional, falam em alta desvalorização etc etc. Tenho um Vw gol track 2017, paguei R$ 49.990,00 e a concessionária me ofereceu R$ 34.000 na troca sem contar o seguro alto que pago. Tive problema na venda onde o vendedor me passou que a multimidia tinha Android auto e era mentira, reclamei na concessionaria e inclusive na ouvidoria da VW e nadaaa em dois anos. Não entendo porque eles gostam tanto de pegar no pé de uma unica marca.

      • Ernesto

        Rodrigo, pare com o chororô. O NA está fazendo a mesma matéria para vários carros. Começou pelo Onix, passou pelo HB20, Ford Ka e foi seguindo a lista dos carros mais vendidos. Não é perseguição nem nada contra a Peugeot.

      • Vilmar Schumacher

        isso é merchandise..essa “midia automobilistica”é patrocinada por algumas marcas para desmoralizar as que oferecem mais por menos.

    • Eduardo Alves

      Eu tive um Peugeot 408 thp e na epoca o comprei devido ao excelente custo beneficio que ele é nos usados. Sobre o preconceito que existe entre os brasileiros, a marca ajudou e continua ajudando nisso. Nem vou pegar exemplos de outros e sim o meu, que nao encontrova a palheta do limpador nem na concessionaria. Fui trocar os batentes e buchas da suspensao dianteira e acredite, nao tinha nem na concessionaria. Tive que pesquisar e descobrir que eram as mesmas do c4 pallas, e ainda assim deu trabalho. Comprei o carro na concessionaria peugeot aqui de Goiania, e acredite se quiser, me venderam o carro com um pneu deslocado e tiveram a cara de pau de tirar o estepe que nunca tinha rodado ( e de tamanho diferente das demais rodas) e colocar um pneu velho.

      Mas pra mim esses pontos ainda valiam a pena diante ao preço que se paga nesses carros aqui em Goiania, mas a turbina ter ido pro espaço com módicos 80 mil km foi d+, ainda mais pq a concessionaria cobrou a bagatela de 9 mil reais em uma nova e detalhe, obvio que nao tinham a peça. Recondicionei a turbina e depois de um tempo tive que vender o carro. Gostei muito dele, mas hoje eu so teria um outro turbo se estiver na garantia ou muito pouco rodado ( sei que logo na tera como fugir disso). Mas voltando ao PUG, essas pequens coisas e desleixo que ainda acontece que ajuda a aumentar ainda mais o preconceito com a marca

      • Erick

        Sempre sonhei com o 408, mas com motor 2.0 pra evitar problemas com a turbina.
        408 é um francês 5 estrelas. Muito bonito!

        • Vinicius Vasques

          Na virada do ano estava de olho em um 408 Prata Allure 2013 2.0 manual por módicos 32k. É um carro muito interessante com preço atraente desde que saiba manter tudo em dia.

        • Ernesto

          5 estrelas sendo basicamente um carro do início dos anos 2000? Com aquele painel antiquado?

          • Erick

            Particularmente, o painel do 208 acho estranho, mas do 408 acho bonito.
            Mas aos Peugeot ainda falta um painel ao nível do Honda Civic.

        • Vilmar Schumacher

          tenho um 2012 cambio manual a seis anos é muito bom..

      • Romulo Bandeira

        Esse problema da turbina ocorre com todos os THP, inclusive os que equiparam os mini e BMW. A partir dos 80k km já ocorre mesmo. Mas o preço cobrado foi surreal. Em uma oficina especializada em PSA em Curitiba custaria no máximo 4k.

        • Eduardo Alves

          Pois é, no sul realmente se tem bem mais suporte em relação a carros da PSA. Mesmo 4 mil reais eu acho muito caro pra um carro que na epoca me custou 45 mil reais. Como que com 80 mil km se gasta praticamente o preço de se recondicionar um motor….. O downsing reealmente veio pra ficar mas vendo relatos de outros carros, percebo que parecem nao serem feitos pra durar. Fico imaginando quanto custará um carro desses com 10 anos de uso, acho que so assim os carros no Brasil enfim cairão de preço ( ao menos os usados) . Talvez como a turbina será de uso maior esse custo caia, mas enquanto isso na acontece, esses carros serão o carro que a classe media nao quer o e pobre nao da conta de manter.

          • Ananias Anacleto

            A tendência atual, de motores turbo de injeção direta combinado a uma transmissão automática, será curioso de ver daqui uns 10 anos, quando estes carros já estiverem velhos e bem rodados. Tenho a impressão de que não valerão quase nada pois, na maioria dos casos, quem compra carro usado de entrada, bastante usados e velhos, não tem condições de recondicionar um motor turbo de injeção direta e/ou uma transmissão automática, pois o custo de conserto destes itens ultrapassaria facilmente o valor de mercado do carro. Parece que teremos uma nova realidade, a mesma dos eletrônicos de hoje ….. ficou velho e estragou, vai pro lixo.

    • Bruno@BRN.CS

      Fato, já passei em mecânicas pequenas e tem oficina que eles começam a criticar o carro e a marca, falam que é carro francês kkk. Agora só levo em um centro automotivo aqui perto de casa, eles são bem profissionais e não ficam de chororô por serem parados no tempo e não modernizarem seu conhecimento. Mas o NA está fazendo essas matéria com diversos carros, bacana que ajuda bastante quem quer trocar de carro e que até os carros mais queridos tem seus defeitos.

  • Aristarco Pederneiras

    Bom, vou falar aqui do meu C3 13/13 Origine 1.5 manual, mesma mecânica do PUG 208 de entrada:

  • Rodrigo Freitas

    Façam essa destruição de imagem com o Vw Gol 2017, quero ver se a lista vai ser menor e outra se tem todo esse apoio/resolução das concessionárias. Eu mesmo tenho relatos para fazer do meu Gol Track 2017. Estou a disposição de vocês, se houver o interesse. Abraço.

    • Tibúrcio

      E Polo e Virtus? Já tem tonelada de problemas e reclamações. Estou só aguardando o relato aqui.

    • SDS SP

      Não é destruição de imagem. Já é um quadro conhecido do site.
      Acho interessante, principalmente para aqueles que pretendem comprar o modelo relacionado na matéria.

      • Rodrigo Freitas

        Realmente você tem razão é um quadro recorrente.

    • Joãozinho

      Essa última geração do Gol (G5 em diante) realmente é muito problemática.
      Tive um que quebrou alternador, amortecedor, bomba de água, e outras coisas que me deram uma péssima impressão do carro.
      Dá a impressão que usam peças de segunda linha na montagem.

      Agora uma coisa é fato: anunciou vende fácil.
      O mercado às vezes tem coisas sem lógica nenhuma. As pessoas vão muito de pré-conceitos fixados na mente e fecham os olhos.

    • Vilmar Schumacher

      daí eles perdem o patrocínio…

  • 4lex5andro

    O Peugeot 208 é/foi o melhor compacto ”premium” do mercado até a chegada do Polo, e apesar do New Fiesta ter suas qualidades.

  • Aristarco Pederneiras

    Bom, vou falar aqui sobre o meu C3 13/13 1.5 Origine, mesma mecânica do PUG 208 de entrada:

    – A cada 10000km, troca de óleo, filtros em geral (intercalando o de combustível) e demais checagens, todas essas na concessionária;
    – Aos 20000km, revisão normal + troca de pastilhas de freio, achei estranho, acredito que nessa levei “ferro” da concessionária, mas enfim, deixei pra lá.
    – Aos 30000km, foi trocada a rótula do escapamento em garantia. Também foi trocada a bateria.
    – Aos 40000km, troca de correia dentada e tensor, correia do alternador e velas + as revisões acima, mas desta vez fora da concessionária pois a garantia havia acabado. Na época foi o total foi de R$750,00. Também fiz a troca dos fluidos de freio e liquido refrigerante do radiador, não achei a nota com o valor, mas não foi nada absurdo.
    – Também nessa época, comecei a notar ruidos internos no acabamento, vários grilos, alguns eu mesmo resolvi, outros precisei levar em tira – grilo para calafetar as barras de proteção das portas e refazer o serviço porco da instalação do alarme, total de R$ 800,00 todo o serviço.
    – Aos 60000km, troca das pastilhas de freio dianteiras (R$65,00 já trocadas da marca Frasle – Notei que essa pastilha nova faz mais barulho na frenagem, a anterior era da marca Varga, achei que duraram mais e faziam menos ruidos) fiz a troca dos pneus, troquei os Pirelli por Continental, mesmas medidas. Reparei que o ruido da rodagem diminuiu bastante. O novo pneu parece realmente mais resistente que o anterior, mas notei uma aderencia menor.
    – Aos 70000km, fiz a revisão normal de 10000,00 (em torno de 350,00) e a substituição dos amortecedores dianteiros e juntas que estavam estourados. Total da substituição de amortecedores e buchas (peças originais), alinhamento e balanceamento: 1700,00. Não considero o valor alto para o carro, tendo em vista que um amigo meu gasto a mesma coisa em seu HB20 1.0 com 45000km rodados. Também foi feita a regulagem do frio de mão, bem como a limpeza do tambor de freio. Fiz também troda do fluido de freio e líquido arrefecimento. Também troquei a bateria.
    – Atualmente está com 75000km rodados, na próxima revisão trocarei as correias novamente além da revisão normal.
    – Consumos:
    – Óleo: Práticamente inexistente, não baixa óleo.
    – Alcool: 8,0km/l na cidade (BH)/ 13km na estrada (BH e região)
    – Gasolina(Boa qualidade): 11km/l cidade(BH) e 18km/l na estrada (BH e Região – Fernão Dias) Com ar ligado.
    Gasolina ao nível do mar (RJ): 13km/l na cidade (RJ) e 21km/l na estrada (Sim, fiz essa marca na Washington Luiz, sem trânsito e a 90km/h).

    Enfim, dentro do que eu esperava o carro se mostrou muito bom, poderia ter durado mais na parte de suspensão, mas em vista do que vejo por aí, por estar em uma cidade como Belo Horizonte, onde o rigor com a suspensão e freios acredito ser elevado, o carro está duranto muito bem.
    Claro que consumo a pessoa tem que saber tocar, é ficar sempre abaixo de 2000rpm, agora, se você for pisar, ele vai beber. Aí o chão é o limite. Na estrada, em uma ultrapassagem ou retomada, é baixar duas marchas e pisar, o câmbio realmente é bem longo.
    No geral gosto do carro e pretendo comprar outro PSA, mas dessa vez quero com o AT6.

    Abraços.

    • Louis

      Fragilidade da suspensão é famosa na PSA desde o 206. Apesar do meu estar bem velhinho, já gastei horrores na suspensão e sempre aparece barulho… E o 206 1.4 tem outro problema crônico: junta do cabeçote estraga sem motivo, necessitando abrir motor e plaina no cabeçote.

      • Aristarco Pederneiras

        Então, eu esqueci de informar que já rodei com esse carro no Uber, por pouco tempo, no total uns 3 meses e uns 8000km no máximo, acho que eu dei uma surrada na minha suspensão nesse período. Mas como falei, moro em BH, muito morro e muito, mais muito buraco, acho que durou até bem. Se eu morasse em uma cidade plana e com um asfalto menos ruim, acho que a suspensão teria passado de 100000km fácil. Já ouvi falar desse problema da junta. Mas acho (apenas acho) que nessa versão 1.5 a PSA deve ter melhorado. Recentemente aluguei um 2008 AT6 1.6 aspirado, não é um primor em desempenho, mas cara, o carro manda bem D+. Eu coloquei ele para subir uma “pirambeira”, ladeira muito inclinada e com paralelepípedos, cara, o carro subiu. Ok, estava só comigo, mas não é qualquer carro que sobe aquele morro. O único problema que vi era o consumo, realmente estava alto (em torno de 8km/l ciclo cidade/estrada, mas estava com Etanol e um escola de samba de 4º divisão na tampa do porta malas, problema crônico também. De resto gostei muito.

      • Temos um 208 com 80 mil km rodados em casa e zero ocorrências de suspensão. Os modelos da PSA evoluíram muito na confiabilidade dos componentes críticos da década passada, que eram o câmbio automático de 4 marchas e a durabilidade da suspensão.

      • SDS SP

        Chega uma hora que não é mais possível usinar o cabeçote, aí só comprando um novo.
        Esse teu PUG deve ser equipado com aquele motor da família TU (que equipou o 208 até 2016), que é conhecido por ser bem confiável.

      • Vinicius Vasques

        A realidade é que o único PSA com problemas na suspensão é o 206 / 207 que não foi devidamente tropicalizado para nossas ruas lunares. Temos um 206 Solei 2004 com 100k rodados que nunca deu dor de cabeça neste quesito. A suspensão do 208 é bem resolvida, tenho um a 4 anos e zero problemas. Até mesmo as primeiras unidades de 2013 sofreram recall para resolver possíveis problemas.

    • Retrato do Papai

      estranho você dizer “calafetar as barras de proteção das portas” pois pelo que sei todos os carros psa fabricados em porto real não possuem tais barras (c3, aircross, 2008, 208)

      • Aristarco Pederneiras

        As portas traseiras possuem barras transversais, com o tempo, a proteção que há entre elas e as chapas das portas vão se degradando. Só precisei calafetar as traseiras. Não sei dizer se são barras de proteção contra batidas, sinceramente, acho que me expressei mal, mas nas portas traseiras existem barras que ficam bem próximas as chapas. Essas que fazem barulho.

        • Aristarco Pederneiras

          Não sei pq o meu comentário foi marcado como Spam… :-S

  • Elder Walker

    A questão da palheta do limpador do pára-brisa é falta de ler o manual. Quando quiser levantar a haste, baste desligar o carro e dar um toque na alavanca de acionamento do limpador. Ele irá para a posição final de atuação e ficará parado ali, podendo então levantar para lavar melhor o vidro ou trocar as borrachas do limpador. Sempre que paro em postos de combustível e peço para lavarem o vidro, faço esse procedimento. O perigo é esquecer de fazer isso e o frentista levantar a haste de uma vez…

    • Aristarco Pederneiras

      Sim, nunca tive problemas com isso, só troquei as paletas uma vez até hoje por outras originais, diga-se de passagem, de ótima qualidade.

    • Jurandir Filho

      Pois é, basta ler o manual, no 408 é assim também

    • Eu ia fazer um post com essa consideração. Engraçado que já é uma característica comum de muitos carros nacionais, inclusive de outras marcas. O Jetta que eu tive antecedendo a munha entrada na linha PSA já era assim. O Nissan Sentra também tem essa característica.

    • Luciano

      O problema na minha cidade é que agora apareceram uns moleques nos semáforos querendo lavar os para brisas por uns trocados. Aguns já chegam levantado os limpadores sem nem perguntar se pode, eu já fico ligado e quando vejo um já grito logo pra não mexer no limpador. Kkkk.

  • FREDRED

    Já tive um 208 1.2, era muito econômico, mas muito, muito manco, 2 adultos porta malas cheio e ar ligado passava algumas raivas. Mas de resto era ótimo, ar digital gela um absurdo, bom acabamento e acústica interna, mas cansei de carro manco vendi e agora estou muito feliz com meu R.S

    • Aristarco Pederneiras

      É cara, o RS é um tesão mesmo. Excelente carro!

    • SDS SP

      Pior que o desempenho deixa um pouco a desejar, quem não conhece fala que é 1.0L. Mas na cidade, o pouco a mais de torque comparando-se com os 1.0L, faz uma baita diferença.

    • fschulz84

      Eu tenho (mas não estou utilizando pois está a venda) um 1.2 também… Sendo bem sincero, não achei tão manco assim, ainda mais comparado com os 1.0 3cc que eu estava vendo na época. Eu viajei com 5 pessoas no carro, AC ligado e porta-malas quase cheio e é claro que o desempenho é baixo, mas achei o suficiente.

      Na cidade, eu já acho ele bem espertinho.

      • Mr. Pereba

        Quem pega esse 1.2 saindo de um 1.0 aspirado sabe que ele é um pouco mais esperto, mas nada de outro mundo. Mas por uma questão de foco na autonomia, o carro é programado para quem anda mais tranquilo mesmo.

      • FREDRED

        O pegada do carro é o seguinte: dirigindo sozinho na cidade sem usar o ar condicionado ele é ótimo, condiz com o motor e a proposta do carro, anda bem, agora na estrada com o carro carregado e usando ar condicionado, o desempenho é sofrível, passa raiva mesmo. O modo de condução é bem diferente dos 4 cilindros, mas nada que não acostume.
        É um ótimo carro, mas pra voltar pra marca só se for para andar em um Gt ou o puretech 1.2 turbo, se um dia esse vier pra cá.

    • klaus

      qual o consumo do RS?

      • FREDRED

        7 km/l no álcool techo misto cidade estrada, o 208 fazia 10 km/l no mesmo trecho.

  • Domenico Monteleone

    Com essas porcarias de ruas que temos, é cada vez mais dificíl um carro sem ruídos e problemas na suspensão.

    • T1000

      Cara, tenho um francês e um coreano.
      O francês com 30mil foi um jogo de pastilhas, discos, 2 pneus; com 40 foi uma caixa de direcao, com 50 foi o kit de amortecedores dianteiros e a bomba d’água começando a chiar.
      O Coreano com 80mil foi 1 boia do tanque de combustível e 1 par de lâmpadas.
      Preconceito ou pós conceito?

      • Vilmar Schumacher

        o meu 408 troquei os pneus com 80 mil junto com o jogo de discos e só.

  • Rafael Fernandes

    Tenho um, e acho ótimo. Completou 4 anos de uso em dezembro/2018. O único problema que tive foi entupimento/rompimento da saída de água do limpador traseiro, resolvido na garantia.

    O que considero um defeito incômodo realmente é o câmbio. Não é impreciso, mas é travado a ponto de fazer barulho razoável ao engatar a marcha. Acostuma, mas poderia ser melhor. De resto, são problemas básicos encontrados em qualquer carro cujo acabamento seja 80% plástico: alguns barulhos.

    Sobre consumo, não posso reclamar. O meu 1.5 faz uma média de 11,5 na cidade e 14 na estrada.

  • Baetatrip

    …. Há 2 anos eu aluguei 2 carros em 1 semana…..!
    1 deles foi C3 1.2, Que usei só 2 dias…. Carrinho era bom de cidade, nada era d+, motor era fraquinho, nao gostei!
    E o outro foi Etios 1.5 XS que gostei mesmo…. Cambio MT6 painel digital…. Anda muito (economico) e confortavel, só é feio por fora!!

    • Jurandir Filho

      A sua comparação teria que ser o c3 1.6 AT6 marchas com o Etios At, que por sinal são 4 marchas e não 6

    • JOSE DO EGITO

      Fala baixo do ETIOS aqui pq os fãs boys vao falar que vc é golpista!! Mas brincadeiras a parte nao é a toa que a TOYOTA é lider mundial

      • Jorge Ricardo Vilela

        Corola quer dizer…

      • Vilmar Schumacher

        mas o cara comparou um 1.2 com um 1.5 !!! claro que tem diferença..

    • Luis Carlos Saccon

      Falando bem baixinho do Etios ….. é um dos melhores carros que já tive ( Fit LX 2009 / Sandero Stepway 2011 / Versa 1.6 SL 2013 ) ….. o Hatch principalmente é muito bom ….. Feio , né ??? ….. feio é gastar muito com seguro , manutenção , etc

      • Baetatrip

        Sim……
        O Etios tem bom motor 1.5 16V e cambio MT6, que é economico, eu subindo o alto da boa vista…. de 4m direto, leveza dá recado nisso, as só pisar sem trocar a marcha que vai….!
        E confortavel de dirigir, completinho com TFT digital que mostra tudo, se for na cidade só iria de Etios, pois viajo muito e uso o meu GV3 4×4, pensando bem… se for viajem curta ia de Etios, pois anda muito e bebe pouco!
        Só e feio por fora e bem honesto por dentro!

        • Luis Carlos Saccon

          Baetatrip ….. é exatamente o meu caso ……ando , praticamente , só na cidade ….. bem poucas vezes viajo e quando acontece de viajar , nunca vou muito longe ( 100 / 160 km daqui ) ….. o Etios Hatch me surpreendeu pela economia , pela manutenção ( não deu até agora ) e pela dirigibilidade ….. gostoso de guiar ….. e não acho ele feio não …..

    • Vilmar Schumacher

      e feio por dentro também..

  • Zé Mundico

    Bom, pelo que entendí do texto, a maioria dos problemas são apenas imprecisões que podem ser facilmente corrigidas na autorizada e dentro da garantia.
    Achei estranho alguém reclamar que os pneus duraram “apenas” 45.000 km!!!…..Gostaria de saber que marca é essa pois fiquei interessado…rsrsrsrs

    • Jurandir Filho

      Também não vi “defeitos” críticos, só coisas pontuais, mas como é Peugeot a galera desce a lenha…
      tenho um 2008 que comprei usado (com 35 mil km), não tem nenhum problema com barulhos internos e nem no teto (graças a Deus)

      • Aristarco Pederneiras

        O único problema que vi de barulho no 2008 foi na tampa traseira, mas com era alugado, nem me importei. Estudo a possibilidade de compra de um 2008, mas pelo que vi, esse barulho na tampa da mala ou é regulagem ou simples instalação de feltros.

        • Jurandir Filho

          Cara, como eu disse, peguei o meu usado, e até já coloquei em estrada de terra bem ruim, e nada de barulho, tô gostando bastante…

        • Vilmar Schumacher

          pensem…sempre que aparece um carro com mais opcionais e mais barato que a concorrência ele sofre criticas…porque? Vejam o caso do kwid oerece mais opcionais por menoor preço..O

      • JOSE DO EGITO

        PSA vc tem que que ir na fé mesmo !!!!

    • Aristarco Pederneiras

      Pode acreditar, os pneus nesses C3 e 208 duram bem. O meu primeiro jogo de Pirelli durou uns 55000km, muito bom. Na realidade eu fui trocar lá nos 60000km, mas eu passei bem do tempo… O carro também perde muito pouco alinhamento. Eu também não vi problemas graves. O Continental que coloquei parece que vai durar mais.

    • Pedro Henrique

      cara, 45 mil km não é ruim, mas também não é bom, levando em consideração que é carro popular…
      to com os originais do up cross ainda, hankook, carro ta com 46 mil km e vai ai mais uns 10~15 mil km tranquilo…

      • Mr. Pereba

        Concordo mas a matéria é sobre defeitos e problemas, logo dá a entender que um pneu que roda “apenas”45 mil km é defeituoso ou problemático.

    • É, se for um carro com rodagem grande em ambiente urbano, é uma quilometragem mais que normal para a troca. Se for um modelo com significativa utilização em rodovias, aí dá pra chegar mais uns 10 ou 15 mil km pra frente.

    • Silvio

      Hahaha, também achei bem zueiro alguém dizer que é defeito os pneus durarem 45 mil km. Para minha média, está bom.

    • Mr. Pennybags

      Idem, meu ultimo jogo de pneus troquei com 32mil km.

  • Fabricio Guassaloca

    Tive 1 por 2 meses e fui obrigado a trocar com tanto que o carro me irritou. Barulho interno no porta-malas, no acabamento interno, coloquei feltro e diminuiu mas não adiantou. O carro trocou o coxim do câmbio e motor de forma precoce com 60mil km.
    Barulho na porta do motorista com vidros soltos. Painel para mim 1,83m muito difícil de enxergar o velocímetro. Cambio manual horrível, o pior que já tive. Teto do allure com pontos esbranquiçados nos cantos, como se houvesse infiltração. Desalinhamento no encaixe das portas traseira, pensei que era só o meu, mas não. Motor 1.5 cumpre muito bem com o papel. Já fui dono de fiat 500 – bravo, C4, volvo c30 e agora um new fiesta ( este muito bom e honesto ).

    • Lyn

      Usado é loteria mesmo.

    • Marcelo Ecosta

      Alguns pontos você poderia ter verificado no test drive, como o painel para sua altura e o câmbio. Em todo caso, o 208 só se compara ao Fiesta, de todos que você citou.

      • Fabricio Guassaloca

        Concordo, porém na empolgação do momento, esqueci de ver vários aspectos fora que quem passa por teste drive não consegue dar mais que uma volta em um quarteirão, acredito que aconteça com 90% das pessoas. Quem não é garagista ou especialista automotivo sempre esquece algo. Fora o fato que mesmo vendo alguns defeitos você acha que poderá lidar com ele mas acaba não conseguindo.

  • Paulo Vítor

    O 208 tem excelente acabamento e qualidade de construção. É o melhor da categoria nesses aspectos. A marca (mais uma vez) pecou em insistir no AT4 e hoje não oferece um automático na faixa 55-60, que tem o maior potencial de mercado. Além disso, o motor 1.2, que é ótimo, deveria ficar só nas versões de entrada. O Allure, que passa de 60, já deveria ter motor 1.6. Enfim.. muitos erros de estratégia em sequencia que acabam tirando o atratividade de ótimos produtos. Esse povo trabalha com isso e não entende o mercado, é ridículo

  • Ulisses

    Meu Deus, que matéria LIXO, LIXO DEMAIS. O 208 pode ter tido seus problemas iniciais mas o carro evoluiu absurdamente e a Peugeot se esforçou para melhorar o modelo sendo o mesmo que o Europeu tenso alguns mimos a menos só isso! Sou hoje felizardo dono de um 1.6 Griffe AT e o carro é excelente. Foi considerado o melhor compacto da época, na Europa ganhou vários prêmios, o motor 1.2 PureTech fez ele estar na lista dos 10 carros mais econômicos do Brasil. O redator Ricador de Oliveira é um fanfarrão sem vergonha que simplismentente bombardeou o carro com CTRL-C + CTRL-V dos problemas que ocorreram. Mano, que LIXO de matéria.

    • Marcelo Ecosta

      Tem matérias semelhantes com carros de todas as montadoras, vai dizer que todas as matérias são lixo?

      • MKB

        Eu realmente acho que todas as matérias de “Defeitos e Problemas” são extremamente desagregadoras. Apenas opiniões pontuais, sem qualquer tipo de fonte, sem qualquer tipo de base estatística. Apenas serve para perpetuar mitos e alimentar haters.

      • Mr. Pereba

        Cara a matéria é meio lixo sim…dá a impressão que o redator foi no reclame aqui e pescou algumas reclamações pra montar a matéria tipo criança que tem preguiça de fazer trabalho escolar e sai copiando trechos de sites da internet. A questão da palheta (que seria por ignorância do proprietário), e considerar um pneu que roda 45 mil como um problema, já dá sinais disso. Pra fazer uma matéria dessa, tinha que ter dados mais concretos e trabalhar com algumas estatísticas (quantas reclamações sobre o mesmo problema, qual a porcentagem de pessoas que reclamaram, etc).

        • Marcelo Ecosta

          Nisso eu não discordo, falta metodologia mesmo.

    • SDS SP

      Cara, apesar de ser uma lista meio vazia, é interessante para alertar futuros compradores.
      Não precisa ficar com o ego ferido só porque você tem o carro.

  • Leandro

    Tenho um 208 premier 13/14, 1.6, agora com pouco mais de 50mil km

    A maioria dos problemas citados não apareceram no meu, c9m exceção do câmbio de engates longos, que é característica ruim do projeto.

    Defeitos que surgiram:
    Ruído na junta do catalisador enquanto o carro não esquenta, reparado em concessionária.

    Ventoinha dispara e demora pra desarmar, tbm reparado em concessionária.

    Acabamento lateral do banco do motorista quebrado, muito comum, por falha de projeto mesmo.

    As buchas de bandeja de suspensão, quando precisam ser substituídas, tem que trocar a bandeja inteira. Mas não é algo recorrente.

    Não tive ruidos na porta do motorista, nem no teto panorâmico.
    Central Multimídia sempre funcionou bem.

    De maneira geral, gosto bastante do carro

    • Acho que esse acabamento lateral do banco acaba por facilitar muito que se prenda alguns objetos os se raspe a perna na saída de um ocupante, o que acaba por gerar a possibilidade de quebra da fixação superior. Ocorreu no da minha esposa por volta dos 60 mil km.

  • Pedro Henrique

    peugeot 208 defeitos e problemas
    defeito: peugeot
    problemas: 208
    fim.
    kkkkkkkkkk brincadeira pessoal ou talvez não, fica a duvida.

    • Mr. Pereba

      Ignorância e preconceito, ou talvez não. Fica a dúvida.

  • Como muitos já viram no relato que enviei ao site no ano passado, minha esposa tem um 208 griffe automático (4 marchas) ano/modelo 2015/2016. O carro está beirando a revisão dos 80 mil km e segue praticamente incólume até hoje em termos de manutenção.
    A questão do forro interno do teto panorâmico foi realmente resolvida a partir da linha 2015 com a inserção de roldanas antivibração.
    Algo que me chama a atenção no texto é a ausência de reclamações com relação à confiabilidade do câmbio automático de 4 marchas que equipou o modelo até 2017. Realmente se tornou um componente razoável nesta última década, a despeito de sua limitação no tocante ao número de marchas, com influência direta sobre comportamento dinâmico e consumo rodoviário. Tem trocas suaves e funciona muito bem, em especial no trânsito urbano.
    Quanto aos pneus, o carro da minha esposa se mostrou bastante equilibrado no consumo dos componentes: dois pneus trocados por volta dos 53 mil km e dois na casa de 63 mil km, todos substituídos ao atingirem as marcas “TWI”, com desgaste muito .
    No caso do lá de casa as ocorrências de manutenção extraordinárias às revisões periódicas se limitaram ao seguinte:
    – queima da buzina, substituída aos 65 mil km ao custo de R$ 85,00;
    – ruído tipo “grilo” no trilho do banco do passageiro quando sem ocupante: resolvido na revisão de 30 mil km com aperto de um parafuso;
    – substituição do acabamento plástico lateral do banco do passageiro na revisão de 60 mil km (efetuada aos 63 mil), com presilha danificada por uma amiga de minha esposa que prendeu uma bolsa ali ao sair do carro.
    Eu ainda providenciei a inserção de um pedaço espuma por trás da placa traseira para eliminar uma vibração que ocorria nela e de pequenas tiras também de espuma na parte interna do forro da porta do motorista, que andava apresentando alguns ruídos por volta dos 65 mil km.
    A correia dentada foi trocada na revisão de 60 mil km.
    E foi isso. O carro em linhas gerais é muito prazeroso na condução, tem consumo que considero acima do ideal para seu porte (coisa de 8 a 9 km/l na cidade e de 13 km/l na estrada, considerando-se gasolina no tanque), é muito bem equipado, tem ambiente interno agradabilíssimo, seja pelo bom nível de acabamento, seja pelo belo design interior, seja pelo excelente teto panorâmico. Seu espaço interno é acanhado, em especial no banco traseiro. Nos dianteiros é fácil encontrar uma boa posição, mesmo para mim, que tem 1,94m de altura.
    A atuação da assistência sempre foi adequada, os preços de revisão não são módicos, mas também não são exorbitantes. Assemelham-se ao que eu tinha nos carros da VW e GM em tempos passados.

    • Vinicius Vasques

      A muito tempo sempre leio seus comentários aqui no NA, Ubaldir. São sempre muito bem embasados e coerentes.

      De problemas, meu 208 com 65k rodados e 4 anos apresentou apenas o autofalante do volante que queimou, mangueira do esguicho traseiro e a rótula do escapamento. Tudo resolvido em garantia pela CCS.

  • Erick

    A Peugeot e a Panasonic sofrem do mesmo problema no Brasil: falta marketing, falta sede de vontade de crescer…
    As 2 produzem excelentes produtos, mas parecem não ter sede de crescer no mercado.
    208 é muito melhor que Onix, Ka e HB 20.
    Falta um pós venda melhor e marketing.

    • Jurandir Filho

      Verdade, só dando um exemplo, olha o que a CAOA fez com a Hyundai e tá fazendo com a chery… a PSA precisa de uma “CAOA”, o pós venda melhorou bastante, só falta mesmo marketing

      • Erick

        Concordo!
        No caso da CAOA, acredito que uma CAOA JAC e uma CAOA Peugeot dariam certo. Essas marcas pegariam o que a CAOA tem de melhor (pós venda) para crescerem no mercado.

  • Alexandre Luz Minan

    Sinceramente, acho as vezes que aqui no Brasil, as pessoas gostam de querer diminuir a imagem da peugeot. Tenho um 208 2015 active pack 1.5, e o carro é super econômico, já fiz 19km/l na gasolina na estrada a 90 km/h e vazio, e no álcool na estrada faz tranquilamente 13km/l na mesma velocidade. Meu carro está com 41 mil km, e o único defeito apresentado foi que depois de um revisão na concessionária, o mostrador de temperatura mostrava super aquecimento, mas que na verdade estava tudo normal no sistema de arrefecimento do veículo. Sobre os pneus, ainda são os originais pirelli P4, acho que roda até aos 50 mil km tranqüilamente. O carro é ótimo, um ótimo acabamento comparado com seus rivais, super gostoso de dirigir, uma direção elétrica perfeita, e ainda falam que carros bons são da Argos da Fiat, ônix, fox e etc, pegue um Hb 20 1.6 e veja o consumo de combustível assustador , é uma brincadeira sempre se falar mal dos carros franceses.

    • Erick

      Eu sempre visito a OLX e a Webmotors para ver anuncios do 208 1.5 aqui no Eixo Goiânia – Anápolis – Brasília.
      Sempre gostei muito do 208.

      • Alexandre Luz Minan

        Ótimo veículo, é meu segundo peugeot, o primeiro foi um 306 hatch, e também era um carrão, nunca tive problemas com a marca, e pelo menos aqui em Salvador a concessionária trabalha certo.

  • Vinicius Vasques

    O que me chama atenção é que 70% dos problemas relatados são isolados e referentes ao veículo do proprietário – quase sempre o final é: resolvido pela concessionária em garantia”. 20% vem do projeto em si (que não é defeito, mas sim característica) como curso do cambio longo e cobertura do teto manual e por fim, os outros 10% vem da ignorância do proprietário que não lê o manual do veículo (caso das paletas de parabrisa).

    Se esta matéria trouxe alguma novidade, foi a incapacidade do Sr. Ricardo de Oliveira formatar um texto informativo ou minimamente coerente com a realidade do veiculo (assim como já aconteceu outras vezes). Uma simples pesquisa de 10 minutos junto aos fóruns e outros sites especializados poderia trazer muito mais informações do que o remendo de texto acima. Mais uma vez o Noticias Automotivas perde a chance de trazer conteúdo útil para fazer mais um click bait.

    • Erick

      Excelente análise!

    • RoDs

      Muito bem colocado. Tentou queimar o carro com “relato de proprietário”… A mesma coisa que a folha de São Paulo faz com o seu “diz leitor”….

  • Carlos AM

    Seria uma opção a ser considerada o NA encerrar essa série “Defeito e Problemas”.

    A impressão dessas matérias é a mesma observada em outras de diversos veículos: há uma seleção aleatória de problemas de donos dos veículos em pesquisa da internet, feito um compilado e postado.

    Há sim veículos com vários problemas, alguns crônicos que de fato valem o alerta, mas em outros casos são problemas isolados.

    • Vinicius Vasques

      Quando penso em uma matéria “Defeitos e Problemas” imagino que o redator daria-se ao trabalho de ao menos pesquisar coisas básicas como os recalls que o carro sofreu, problemas recorrentes relatados (no caso do 208, poderia citar sem pesquisar o derretimento dos faróis com DRL Halógeno, rompimento da mangueira de esguicho traseira, folga da junta do escapamento) que atingem diversos proprietários.

      Já havia visto esta postura com outros carros, mas estão trocando qualidade editorial por simples audiência.

  • cerberos

    1,5 gastão? o meu com 53mil km faz mas de 17 km/pl na estrada andando a 100 e pouco com gasolina comum, se andar a mais de 140 faz mais de 14km/l acho ótimo. Na cidade já fez mais de 13km/l. O meu foi um dos primeiros, teve alguns problemas de barulho mas todos foram resolvidos na garantia.

  • Murilo Soares de O. Filho

    Antes de comprar o meu carro Atual, pensei em um Francês, mas o mercado costuma ser impiedoso com eles, realmente tenho raiva de lojas de carros, destroem os Franceses, há alguns Youtubers metido a entendido que só detonam os carros, lógico, o cara não vai falar bem de um carro que demora pra vender, mas não necessariamente é ruim.

  • Mayck Colares

    Tive um 2014 grife automático, rodei dos 19k até os 35k. Sem nenhum problema, apenas 2 pneus q furei ao cair em uma cratera. Não tenho nada a reclamar. Claro que o câmbio era limitado com as 4 marchas, mas nunca me desapontou. Achava que ele consumia muito fazendo 8,0 de etanol na estrada, mas aí agora tenho um compass q faz 6,1.

    • Renato Dias

      Kkkkk. Também saí de um 208 para um Jeep, Renegade. O consumo é muito maior, até porque o meu 208 era manual e fazia 16/17 Km/l com gasolina na estrada.

  • Dreidecker

    O mecanismo da alavanca do câmbio PSA de 5 marchas é tenebroso, só se salvando o câmbio de 6 marchas do Peugeot 208 GT ou Peugeot 2008 THP.

    É uma vergonha a PSA ainda continuar disponibilizando esta porcaria de câmbio.

    Os relatos de defeito em caixa de direção elétrica é preocupante.

  • Alex Beltrão

    Notícia tendenciosa. Se você está querendo sair da Wolks ou Fiat, vá em frente. Essas montadoras patrocinam esse tipo de matéria tendenciosa INDIRETAMENTE. Todos os carros dão problema. Aí eles comparam o preço das peças de uma carroça com o preço de um Peugeot. É óbvio que vão achar discrepâncias. São peças infinitamente melhores

    • SDS SP

      Tem outras matérias e com carros de outras marcas.
      Não precisa ficar com o ego ferido.

    • Renato Dias

      Muitos problemas relatados ocorreram comigo também. Tive um Griffe 2014 Mec. por 4 anos e tinha vindo de um 207. Então, conheço bem a marca, A ponto de dizer que não compraria outro, infelizmente. O carro tem muitos atributos positivos, mas a fragilidade irrita.
      Sai do 208 para um Renegade. Em termos de robustez, parece que eu sai de um carro de brinquedo para um tanque de guerra.

      • Vilmar Schumacher

        é logico né…..

  • renanfelipe

    Oxe, q matéria sem sentido… ainda se tivessem estatísticas pra mostrar que os defeitos são significativos em quantidade… mas nem isso, só defeitos aleatórios…

    • Renato Dias

      Não são aleatórios não, Renan. Tive um Griffe 2014 Mec. por 4 anos e muitos desses problemas são recorrentes sim. E a maioria antes dos 20mil km
      1. Barulhos no teto – resolvido na CC com colocação de uns adesivos para evitar folga
      2. Barulho porta motorista – resolvido na CC com colocação de fitas isolantes acústicas
      3. Barulho no painel – resolvido na CC não sei como.
      4. Com pouco mais de 1 ano a bateria já era. E a garantia não cobriu.
      5. Caixa de direção trocada com menos de 20 mil Km na garantia.
      6. Com 40 mil Km, quando o vendi, os Pneus já estavam bem gastos, sendo que 2 já deviam ser trocados. o que não achei muito normal.

    • Vilmar Schumacher

      é verdade..dizer que tem defeitos todos tem…

  • Aristarco Pederneiras

    Bom, como foi marcado como SPAM, ta aí minha experiência novamente:

    Tenho um C3 13/13 1.5 Origine, mesma mecânica do PUG 208 de entrada. Usei ele por uns 3 meses como Uber. Tenho ele desde 0km:

    – A cada 10000km, troca de óleo, filtros em geral (intercalando o de combustível) e demais checagens, todas essas na concessionária;
    – Aos 20000km, revisão normal + troca de pastilhas de freio, achei estranho, acredito que nessa levei “ferro” da concessionária, mas enfim, deixei pra lá.
    – Aos 30000km, foi trocada a rótula do escapamento em garantia. Também foi trocada a bateria.
    – Aos 40000km, troca de correia dentada e tensor, correia do alternador e velas + as revisões acima, mas desta vez fora da concessionária pois a garantia havia acabado. Na época foi o total foi de R$750,00. Também fiz a troca dos fluidos de freio e liquido refrigerante do radiador, não achei a nota com o valor, mas não foi nada absurdo.
    – Também nessa época, comecei a notar ruidos internos no acabamento, vários grilos, alguns eu mesmo resolvi, outros precisei levar em tira – grilo para calafetar as barras de proteção das portas e refazer o serviço porco da instalação do alarme, total de R$ 800,00 todo o serviço.
    – Aos 60000km, troca das pastilhas de freio dianteiras (R$65,00 já trocadas da marca Frasle – Notei que essa pastilha nova faz mais barulho na frenagem, a anterior era da marca Varga, achei que duraram mais e faziam menos ruidos) fiz a troca dos pneus, troquei os Pirelli por Continental, mesmas medidas. Reparei que o ruido da rodagem diminuiu bastante. O novo pneu parece realmente mais resistente que o anterior, mas notei uma aderencia menor.
    – Aos 70000km, fiz a revisão normal de 10000,00 (em torno de 350,00) e a substituição dos amortecedores dianteiros e juntas que estavam estourados. Total da substituição de amortecedores e buchas (peças originais), alinhamento e balanceamento: 1700,00. Não considero o valor alto para o carro, tendo em vista que um amigo meu gasto a mesma coisa em seu HB20 1.0 com 45000km rodados. Também foi feita a regulagem do frio de mão, bem como a limpeza do tambor de freio. Fiz também troda do fluido de freio e líquido arrefecimento. Também troquei a bateria.
    – Atualmente está com 75000km rodados, na próxima revisão trocarei as correias novamente além da revisão normal.
    – Consumos:
    – Óleo: Práticamente inexistente, não baixa óleo.
    – Alcool: 8,0km/l na cidade (BH)/ 13km na estrada (BH e região)
    – Gasolina(Boa qualidade): 11km/l cidade(BH) e 18km/l na estrada (BH e Região – Fernão Dias) Com ar ligado.
    Gasolina ao nível do mar (RJ): 13km/l na cidade (RJ) e 21km/l na estrada (Sim, fiz essa marca na Washington Luiz, sem trânsito e a 90km/h).

    Enfim, dentro do que eu esperava o carro se mostrou muito bom, poderia ter durado mais na parte de suspensão, mas em vista do que vejo por aí, por estar em uma cidade como Belo Horizonte, onde o rigor com a suspensão e freios acredito ser elevado, o carro está duranto muito bem.
    Claro que consumo a pessoa tem que saber tocar, é ficar sempre abaixo de 2000rpm, agora, se você for pisar, ele vai beber. Aí o chão é o limite. Na estrada, em uma ultrapassagem ou retomada, é baixar duas marchas e pisar, o câmbio realmente é bem longo.
    No geral gosto do carro e pretendo comprar outro PSA, mas dessa vez quero com o AT6.

    Abraços.

  • Hugo Borges

    Tive um 208 Active 1.5 2014, os barulhos internos incomodavam mesmo, principalmente o da porta e do porta-malas. Escapamento tive que soldar três vezes e o câmbio horrível. Bancos mancham até com água.

    De ponto positivo, consumo exemplar, o carro mais econômico que já tive (anteriores Corsa 1.4 e Ka antigo 1.0), conceito i-cockpit com volante pequeno e painel em dois andares, bancos que te abraçam e bom de curva. Mudei para um Punto Blackmotion, não porque tive má experiência com o PUG mas porque queria um carro completinho e com teto que abria.

  • Airton Junior

    Acho que essas matérias de problemas e defeitos deveriam apenas citar problemas crônicos dos veículos. Dizer que um determinado proprietário reclamou de algo não caracteriza um defeito do carro. Muitos defeitos citados nessas matérias podem ter sido causados por mau uso ou até por avarias resultantes de acidentes. Lembro do caso daquela Nissan Frontier de locadora off-road cujo dono foi dizer que o carro não prestava depois que um cliente provocou calço hidráulico por mau uso.

  • fschulz84

    Como proprietário de um (que está a venda pois já adquiri outro veículo), digo que muitos dos “defeitos” relatados são comuns em carros populares, principalmente no quesito barulho… O meu está com 50000kms e realmente faz alguns barulhinhos, mas comparado com outros populares, não acho que é pior.

    O motor 1.2 para uso urbano é bem bacana (eu sai de um Fluence 2.0), o suficiente. Na estrada, claro que acusa a baixa potência/torque, mas ainda sim, acho honesto pelo tamanho do motor.

    Para mim, o grande problema é o preconceito com a marca mesmo… Estou tentando vender há mais de 1 mês e mesmo tentando vender bem abaixo da média de mercado, ainda sim, existe muito preconceito.
    No geral, me agradou durante o período que estou com ele (um pouco mais de 1 ano), eu só comprei outro pois minha esposa trabalha no banco VW e apareceu uma oportunidade legal para funcionários para pegar um Virtus Highline, se não, minha intenção era ficar por uns 4 anos com o PUGzinho.

  • Luiz Gustavo

    Minha esposa tem um griffe Mec. 2014. Roda todo dia 70km, mais na cidade, só usa etanol, média de 7 km/l. O carro já tem mais de 60 mil km. Até o momento zero problema. O carro tem muitos atributos, não tem tanquinho de gasolina, ar digital dual zone, teto panorâmico, direção elétrica, entre outros. Realmente é muito gostoso de dirigir. Comprariamos outro sem problemas.

    • Renato Dias

      O carro é ótimo para dirigir. O melhor que eu tive nesse quesito. Mas, se você não teve nem o problema com barulho no teto, você teve sorte mesmo.

  • Renato Dias

    Tive um Griffe 2014 Mec. por 4 anos, um dos primeiros de 2013, e muitos desses problemas ocorreram. E a maioria antes dos 20mil km.

    1. Barulhos no teto – resolvido na CC com colocação de uns adesivos para evitar folga
    2. Barulho porta motorista – resolvido na CC com colocação de fitas isolantes acústicas
    3. Barulho no painel – resolvido na CC não sei como. Eu tinha que colocar uma borracha ou pano entre a porta e o painel para parar os barulhos.
    4. Com pouco mais de 1 ano a bateria já era. E a garantia não cobriu.
    5. Caixa de direção com barulho – trocada com menos de 20 mil Km na garantia.
    6. Com 40 mil Km, quando o vendi, os pneus já estavam bem gastos, sendo que 2 já deveriam ter sidos trocados, o que não achei normal.

    Fora as CC fechando em todos os lugares e você fica sem referência para atendimento.

    Com 40 mil Km já não sentia nenhuma confiança no carro.
    O Curioso é que antes eu tive o 207 passion por quase 2 anos que teve zero problema. Para não dizer zero, teve o problema recorrente dos vidros elétricos, trocados na CC mesmo fora da garantia.
    Achei que o 208 seria o carro da virada positiva da marca no Brasil, mas acho que foi o contrário. A imagem piorou e a desvalorização aumentou.

    • el punidor

      É o que eu sempre digo: quem conta a verdade sobre um veículo dificilmente é o atual proprietário , mas sim um ex-proprietário . O atual normalmente não quer depreciar o próprio bem, mas o ex conta tudo, já vendeu mesmo. Eu mesmo tive um C4 Pallas, comprado zero em 2009, com tantos defeitos, entre eles coisinhas básicas como 2 faróis de xenônio que se encheram d ‘água, carro entregue com pintura parachoques traseiro toda trincada, e um uma suspensão tão mal adaptada para nossa realidade, dura, barulhenta, baixa demais, que eu tinha vergonha de contar para as pessoas a realidade, p não fazer papel de trouxa. Depois que vendi a “escola de samba” com apenas 1,5 ano de uso e 20.000 km, passei a fazer até campanha: não comprem essa bomba!!!

  • Hodney Fortuna

    Em outras palavras os modelos Peugeot não são compatíveis para o Brasil. Afinal, para o Brasil creio que o único carro que poderia rodar sem problemas seria o Marauder, o carro militar produzido na Africa do Sul em parceria com a BAE Systems.

    Já na Europa os modelos Peugeot e Citroen são até bem preferidos por serem carros eficientes no combustível e de bom custo de manutenção, como os Renaults. Só ficam atrás dos VW e modelos japoneses.

  • Thiago Porto

    É um bom carro, tive um Griffe Aut. por 3 anos e não me deu aborrecimentos.
    Acho bem estranho as pessoas citarem o “limpador de para-brisas” como defeito, sendo que isto é uma caracteristica do projeto do veiculo.
    Se as mesmas pessoas se dessem ao trabalho de ler o manual perceberiam que o modo correto de levantar os limpadores é ( com a ignição ligada e o motor desligado) dar um toque para baixo na alavanca de acionamento do limpador que ele fica posicionado na posição vertical em relação ao para-brisa permitindo assim que seja levantado.
    Igual ao Fluence.
    Mas ler mais de 120 caracteres e fazer interpretação de texto anda muito fora de moda.
    Mas facil criticar e apontar erros.

  • Bruno@BRN.CS

    Trocamos há cerca de um mês um C3 2010 por um 208 Griffe AT 2014. Antes disso tivemos Corsa e Palio e a sensação com os carros da PSA até o momento tem sido bem positiva, nenhuma manutenção além das normais e condizentes com a KM dos carros. O C3 especialmente tinha um acabamento acima da média, com 8 anos de uso não tinha grilos no interior. O 208 parece seguir o mesmo padrão, mas com apenas um mês na garagem ainda não vou colocar a mão no fogo. O câmbio AT de 4 marchas tem se mostrado bem suave e não assusta com o consumo. Só tive que adaptar um pouco minha forma de condução, acelerar de forma mais progressiva, assim tenho conseguido um consumo razoável.

  • Chicão Maravilha

    Engraçado, galera gosta de falar mal da Peugeot, mas se vc vai ler a metéria Defeitos e Problemas do concorrente e queridinho New Fiesta, existem muito mais problemas e bem piores!! Reclamação de barulho interno por mto mais pessoas, as pessoas culpam os carros e não o asfalto remendado que os políticos brasileiros fazem. Porta do New Fiesta que abre sozinha e mal cheiro de produto quimico esquentando dentro do carro…. brasileiro merece andar de Gol pra sempre!

  • Vilmar Schumacher

    Pensem…sempre que aparece um carro com mais opcionais e mais barato que a concorrência ele sofre criticas…porque? Vejam o caso do kwid oferece mais opcionais por menor preço..O que é mais barato para a concorrência? colocar os opcionais e ainda baixar os preços? ou patrocinar alguns “sites avaliadores de carros’ para apontar os defeitos do carro em questão? e o povo cai na armadilha e continua pagando mais caro para essa máfia.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email