Crossovers Matérias NA Mercado Peugeot SUVs

Peugeot 2008 – defeitos e problemas

Peugeot 2008 - defeitos e problemas

O Peugeot 2008 é um crossover compacto da marca francesa e feito no Brasil, que é um dos players do segmento mais badalado do mercado, o dos SUVs compactos.


O modelo é feito sobre a plataforma PF1 e tem duas versões de motorização, além de algumas de conteúdo. Mas, quais serão os defeitos e problemas desse produto?

O 2008 é um projeto derivado do hatch 208, que acaba de ser renovado na Europa com uma segunda geração, que vem ao país. O utilitário esportivo da Peugeot é pequeno, medindo 4,159 m de comprimento, 1,739 m de largura, 1,583 m de altura e 2,542 m de entre eixos.

Equipado com motores 1.6 Flex de até 118 cavalos e 1.6 THP Flex com até 173 cavalos, o Peugeot 2008 tem opção de câmbio automático apenas na versão mais fraca, o que é uma falha num segmento que valoriza esse item. Com 355 litros no porta-malas, o crossover tem um bom espaço e acabamento, assim como conectividade e um painel bem moderno.


Mas, mesmo tendo itens como teto panorâmico, o Peugeot 2008 também recebe reclamações de alguns de seus proprietários.

A grande maioria dos relatos com queixas dos donos é referente a barulhos na suspensão traseira, assim como limpador de para-brisa e ruídos no painel.

Peugeot 2008 – defeitos e problemas

Peugeot 2008 - defeitos e problemas

O Peugeot 2008 é um carro recente e por isso não tem muitos relatos de defeitos e problemas.

Lançado em abril de 2015, o modelo tem alguns relatos de reclamação dos clientes referentes aos barulhos internos. Em realidade, a maior quantidade encontrada na internet trata mesmo é do conjunto de suspensão traseira.

Os clientes reclamam que o conjunto de molas e amortecedores tem calibração ruim, que faz com que o curso do conjunto seja inadequado para a buraqueira das ruas brasileiras. Outros dizem que a pressão do ajuste faz com que o retorno em caso de passagem de lombadas ou ondulações no asfalto, seja bem incomodo.

Também existem aqueles que relatam o alcance do limite do curso durante a condução em ruas de piso ruim ou com o carro parcialmente carregado. O Peugeot 2008 utiliza na maioria das versões, rodas de liga leve aro 16 com pneus altos 205/60 R16. Mas, não é somente a suspensão que gera críticas.

Alguns relatam que o estepe também faz barulho, assim como parte do acabamento, que inclui ainda o teto panorâmico. Mas, o painel é líder na quantidade de relatos, que não foram detalhados exatamente. Entretanto, o porta-luvas travado foi apontado por outros donos, algo resolvido facilmente na concessionária.

Limpador de para-brisa

Peugeot 2008 - defeitos e problemas

Um problema recorrente ao Peugeot 208 também é verificado no 2008. Como ambos compartilham muitas peças, esta também é fonte de reclamação de diversos proprietários, que relatam desde barulhos no funcionamento até riscos no vidro do para-brisa, demandando reparação na concessionária.

Não foram vistos casos de travamento do mesmo por causa do capô, como no Peugeot 208, mas a incidência de problemas na haste do limpador já demandaria uma correção por parte do fabricante.

Isso foi feito em relação ao chicote elétrico do para-brisa no caso do Peugeot 2008, tendo sido feita chamada para carros produzidos entre 21 de outubro de 2014 e 1 de outubro de 2015. A chamada começou em março de 2016.

Também já visto no 208, a entrada de água pelo aerofólio sobre a tampa do porta-malas também foi verificada por alguns donos do Peugeot 2008.

O motivo é o desprendimento dos parafusos que o prendem à tampa, sendo que um dos proprietários providenciou a instalação dos que haviam caído ou estavam faltando, resolvendo o problema.

Outras reclamações

Peugeot 2008 - defeitos e problemas

Para quem pensa em ter um Peugeot 2008, a quantidade de reclamações consideradas pelos donos como defeitos e problemas são poucos, com a maioria tecendo elogios ao crossover desde a beleza até o padrão de acabamento dos bancos, que realmente é um diferencial do pequeno utilitário esportivo.

Mas, nem tudo são flores. Alguns relatam falhas no funcionamento ao dar a partida, geralmente com melhora na mudança de combustível ou simplesmente o problema desaparece. Quem vai à concessionária, ouve do técnico que o motor não tem problemas de funcionamento.

Se as falhas são pontuais, o consumo nem tanto. Os relatos são variados nesse caso, indo desde consumos exagerados de 6,5 e 7 km/l na cidade usando gasolina até médias de 14 km/l com o mesmo. No etanol, a reclamação é recorrente em quase todos os casos.

Também se queixam do câmbio automático de 4 marchas, o famoso AL4. Existem reclamações de limitação de performance, trancos e demora exagerada na redução de marcha, em especial quando se precisa subir planos bem inclinados.

Outros indicam que essas características da transmissão ajudam a elevar suas médias de consumo no dia a dia, o que incomoda bastante. Somente em agosto de 2017, é que o Peugeot 2008 ganhou o câmbio automático de seis marchas com os modos Eco, Sport, Sequencial e Drive.

O motor 1.6 16V Flex também recebeu alterações, passando a ter 118 cavalos ante os 122 anteriores. No entanto, o 1.6 THP Flex continua com o manual de seis marchas, algo que alguns clientes relataram a necessidade em te-lo.

Detalhes

Peugeot 2008 - defeitos e problemas

Os detalhes que geram críticas dos proprietários do Peugeot 2008 são muito frequentes nos relatos. A maior delas é a falta de abertura interna do porta-malas, que muitos dizem incomodar na hora de colocar bagagens ou compras. O mesmo vale para a não existência de abertura interna do bocal do tanque.

Também reclamam da falta de alças no teto, assim como de função one touch para todos os vidros. A tela de proteção do teto panorâmico também é criticada, pois amplia enormemente o calor no interior do veículo em dias ensolarados, mesmo com essa cobertura totalmente fechada.

O ar condicionado dual zone é citado igualmente por não compensar de forma rápida a climatização no habitáculo em dias quentes. A multimídia dos modelos mais antigos é fonte de queixas no que diz respeito ao espelhamento com o sistema MirrorLink.

No geral, o Peugeot 2008 tem menos defeitos e problemas que o irmão menor e é um dos SUVs compactos menos criticados nesses aspectos.

Em relação ao produto em si, mesmo com a apontamento de alguns detalhes e ausências do conjunto, os donos se mostram satisfeitos com seus carros. A rede Peugeot, no entanto, é pouco elogiada.

Peugeot 2008 – defeitos e problemas
Nota média 3.7 de 6 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Ely Takeshita

    A falta de abertura interna da tampa do combustível é medida preventiva contra acidentes, norma obrigatória na Europa de não poder ligar o carro enquanto abastece, visto que ele é um carro global… evitando assim aqueles que esquecem a mangueira no bocal e põem o carro em movimento. Segundo o vendedor da css nenhum Peugeot possui o sistema de abertura da tampa de combustível.

    • José Eduardo D’Acampora Guazzi

      lorota a explicação, se fosse assim c4 lounge e ds4 nao tinham a abertura interna

      • Ely Takeshita

        como eu disse… segundo vendedor da css

        • Tive um C4 Lounge. A abertura do tanque era por um botão no canto inferior esquerdo do painel. Me lembro muito bem, pois passei muita raiva com ele: o botão de abrir o tanque ficava juntinho com o de abrir o porta-malas. Era muito comum apertar um no lugar do outro.
          De qualquer forma, a abertura era interna. Somente os carros da plataforma PF1 possuem essa solução da necessidade da abertura da tampa do tanque com a chave.

          • Kleber Souza

            Em 2015 o único modelo da Peugeot que não tinha chave no bocal do tanque era o RCZ, hoje O Citroen C4 Cactus e o Lounge já possuem a abertura interna do bocal do tanque, lembrando que o bocal só abre com motor desligado. Existe sim uma preocupação com a segurança, e também existe o incomodo de ter que dar a chave ao frentista… e sim existe quem quer abastecer com o motor ligado e teclando no celular também.

            • Meu C4 Lounge era 2014/2014. Desde seu lançamento em 2013 o modelo sempre possuiu a abertura do bocal do tanque por botão. O mesmo ocorria com 408, 308, linha DS. O 307 ano 2007 do meu irmão não precisa de chave para abrir o tanque!
              Os modelos PSA com abertura do tanque no bocal são aqueles montados sobre a plataforma PF1. O porquê da utilização deste arranjo eu não vou especular. A explicação sobre segurança me parece obtusa, uma vez que várias milhares de unidades de um sem fim de modelos trafegam com a comodidade da abertura do tanque sem uso de chave e não são observados relatos de que tenham causado alguma ocorrência extraordinária.
              Que o ato de ter que entregar a chave ao frentista para a abertura do tanque é um tanto quanto enfadonha, isso é. Palavra de quem possui um Aircross e um 208 em casa.

    • Gran RS 78

      Nada a ver. Veja a quantidade de carros importados que rodam por aqui, e nenhum deles precisam de chave para abrir o bocal do tanque de combustível.

    • th!nk.t4nk

      Bom, na Europa atualmente não é preciso chave pra abrir o bocal de abastecemento: enquanto o carro estiver destrancado, o bocal também estará. Botão interno também não faz sentido nesse caso (se já está destrancado, vai abrir o que?).

  • Rogério Marquezan

    Tenho um thp 2017 e a matéria e fidedigna. O retorno da suspensão traseira de forma brusca é uma característica. Além disso, a ausência de alça de teto é sentida por todos que andam no banco do passageiro. Fora isso o carro é ágil na cidade e na estrada (thp) o que a meu ver compensa a ausência de cambio automático. (Ok… Na cidade seria um conforto bem vindo). Mais o carro tem se mostrado confiável e robusto até mesmo transitando por trilhas leves.

    • Rafael Schissi Teixeira

      Tive um THP 2017. Realmente o retorno brusco da suspensão traseira é o que mais incomoda. No mais o carro é bom de dirigir, muito firme em curvas e mudanças de trajetória, sendo que os controles de estabilidade e tração funcionam muito bem (inclusive escapei de um acidente por causa deles), mesmo sendo um dos “SUVs” com maior altura do solo (comparando com seus concorrentes), além do consumo ser excelente, chegando a fazer 16 km/l em estrada com gasolina com velocidades em torno de 100 km/h, o que considero muito bom em relação ao desempenho do motor 1.6 Turbo. Infelizmente precisei vendê-lo por entrar na estatística de grande parte dos brasileiros (desemprego), mas não teria problemas em ter outro.

    • Darlon Anacleto

      Essa suspensão traseira…; também a achei meio ‘rebelde’. Mas, como venho de outros PSAs, não é algo que me desmotive. Não curto muito são falhas de ergonomia: para acessar os botões dos vidros elétricos preciso elevar o cotovelo e quebrar o punho; meu joelho fica bem encostado no pegador (ruidoso) da porta e incomoda (no C3 isso nenhum dos dois casos era incômodo). Depois, a economia de não haver ponto de luz sobre o assento traseiro (e a da frente é fraca).

  • Kibão

    Sou um feliz proprietário de uma versão THP. Minha grande crítica vai para a falta de espaço nos bancos traseiros e porta- malas. Porém eu considero esse carro quase como uma “perua” do 208 e não um SUV. O câmbio automático, no meu caso, eu relevo, mas sei que para o modelo ganhar vendas este item é indispensável. Por outro lado qualidades não faltam: ótima oferta de equipamentos, design moderno e muito bonito (em minha opinião), acabamento caprichado para a categoria e o motor, que na versão THP é um verdadeiro Lobo em pele de cordeiro. Deixando pra trás muitos carros ditos “esportivos”.

    • Rbs

      Kibão que vc gostou!

    • T1000

      pois é, tambem tenho ele como perua do 208. mas marketing é marketing

  • Louis

    Me espantou a reclamação de fim de curso na suspensão, afinal é um crossover, teoricamente deveria ter um curso maior na suspensão. Eu perdi o interesse neste carro pela falta de ESP.

    • Vitor Almeida

      Todos os ditos SUVs são assim

      • Gran RS 78

        Mas não são mesmo. Ande em um Creta, Renegade ou Tracker para tirar a sua dúvida.

    • Ananias Anacleto

      A falta de esp não é aceitável em um carro desse valor. Ao invés de ter o quase inútil “grip control” deveria é ter esp de série. Tanto é que no site da Peugeot tem um quadro comparativo do 2008 com o Ecosport, onde eles mostram que nenhuma versão do 2008 tem esp e hill holder, enquanto todas as versões do Eco tem…. parece que eles estão tentando convencer a pessoa a comprar um Ecosport.

      • Mr. On The Road 77

        O 2008 THP tem ESP e Hill Assit

        • Gran RS 78

          Mas esse só tem cambio manual, versão que ninguém compra.

        • Ananias Anacleto

          Eu procurei no site da Peugeot, não diz nada no configurador, nem no catálogo, nem no comparador de versões. Se tem, está bem mal feito o site, pois não se acha essa informação de maneira fácil.

  • Ananias Anacleto

    “A maior delas é a falta de abertura interna do porta-malas, que muitos dizem incomodar na hora de abastecer.”

    Mas encher o porta-malas de gasolina é muito perigoso, o melhor mesmo é colocar o combustível dentro do tanque.

    • Piston head

      rsrsrs

    • Dennes S.

      Li e reli várias vezes, ainda bem que fui só eu que reparei isso kkkkkk

    • Nicholas Jensen

      kkkkkkk eu também achei bem anormal kkkkkkkkkkk

      • Ananias Anacleto

        Verdade, os “snowflakes” não aceitam uma brincadeira inocente com um errinho bobo no texto. Precisava apagar?? Uma boa maneira de ganhar e manter a credibilidade….. enfim.

  • Léo Dalzochio

    O maior problema do 2008 é a baixa altura das portas de trás.

  • Domenico Monteleone

    Peugeot não consegue fazer sucesso nem no segmento mais quente do mercado, mesmo cobrando menos que os concorrentes. Precisa rever muita coisa ainda nessas terras.

    • Nicholas Jensen

      Eu acho que o maior “câncer” da Peugeot (diga-se PSA inteira) é em maior parte as concessionarias que dizem ter um péssimo atendimento, principalmente em revenda. O meu vizinho possuía um C4 Pallas, quando foi a concessionaria para trocar por um DS5, simplesmente nem foi atendido, e então foi para um outra e comprou de outra marca. Eu nunca entrei em uma então não posso te afirmar com certeza.

      Em questão dos carros em si, eu ouço falar bastante mal dos câmbios de AL4 por serem problemáticos, e pelas suspensões rígidas não durarem muito aqui. Coisa que rola muito com quem compra um carro já usado.

      A maior parte fica no preconceito, o que rola a desvalorização da marca que acarreta nas vendas.

      Eu tenho meu 307, tenho sim reclamações, mas são coisas que foram com o tempo desgastando, mal cuidado do dono anterior, o que acontece com qualquer usado de 2012, nada de problema com motorização.

      Para resolver, com certeza trocar a politica da empresa – principalmente por não trazer projetos novos para o Brasil ao mesmo tempo que lá fora – os carros para mim são de boa.

      • Thiago K. Galiza

        Preciso fazer um adendo ai com meia discordância. Sou proprietário de um Peugeot e a concessionária de Santo André no ABC paulista, tem um atendimento excelente. Mesmo pro meu carro que já esta fora da garantia.
        Essa concessionária é Savol, o mesmo grupo de algumas concessionárias VW, talvez seja esse diferencial

        • Nicholas Jensen

          Talvez sim, talvez não hehe, como falei, eu não tenho lida, principalmente por que não tem na minha cidade, e a mais próxima fica a 130 km, para mim não compensa. E pensando melhor, a falta de concessionarias também conta nesse quesito.

    • Andrei Vieira

      lança o carro com cambio AT AL4 (depois arrumado), e na versão TOP com motor THP, só com cambio manual. Dá para ver o quanto pesquisam o mercado nacional antes de lançar os carros.

  • Mr Tony

    Maior defeito nesse carro na minha opinião são suas dimensões, principalmente porta-malas. Se fosse maior, com certeza teria um. E sim, preciso de porta-malas grande.

    • Exatamente. É um bom “segundo carro” para uma família. Suas dimensões são as mesmas das de uma perua compacta, como na verdade ele é. Não há como considerá-lo um SUV.

  • De longe parece uma perua, de perto parece um hatch.

  • Pedro Batista Corrêa Gomes

    Alguém contrata um jornalista que saiba escrever de verdade, pfvr

  • Vinícius Barreto

    Tenho um e os problemas que tive foram rangidos na porta traseira, freio que sempre assovia, barulho na suspensão traseira com o carro pesado e em alta velocidade e essa semana o aferidor de combustível parou de funcionar. O carro está comigo há 2 anos e meio e com 18.500km rodados.
    De resto considero um excelente carro, confortável, bonito e cheio de itens de conveniência, o câmbio é AT4 e nunca deu problema… Só sinto falta mesmo na estrada que as vezes pede uma 5ª ou 6ª marcha

    • Tudo isso de problemas, com essa baixa quilometragem e tão pouco tempo?! Agora entendo pq o modelo fracassou.

      • Vinícius Barreto

        Na verdade eu só foquei nos problemas. E 90% deles são sobre barulho, o que ao meu ver nenhum carro que tive está totalmente livre.
        O único problema real foi o aferidor nesta semana

  • Nicholas Jensen

    “A maior delas é a falta de abertura interna do porta-malas, que muitos dizem incomodar na hora de abastecer. O mesmo vale para a não existência de abertura interna do bagageiro.”

    Eu não entendi, o cara fala duas vezes a mesma coisa dentro do mesmo paragrafo? Porta malas não é a mesma coisa que bagageiro? Ou o bagageiro que ele se refere é daqueles que se coloca em cima do carro? Se for, eu nem sabia que existia abertura por botão do mesmo kkkkkkk.

  • th!nk.t4nk

    Peraí, o teto-solar desse carro não tem cobertura interna? Sério isso? Fica batendo sol continuamente? Meu deus!

  • oscar.fr

    Esse carro não usa o “famoso” câmbio AL4. O câmbio quatro marchas que foi oferecido na linha 208 e 2008 não tem histórico de problemas. Não é confortável ou econômico como um seis marchas, mas é tão robusto quando o mesmo quatro marchas da linha Toyota.

  • Baetatrip

    Eu vi no Grand Tour sobre Citroen Cactus que tem a mesma funcao de tração…..!
    Fiquei impressionado a função que faz “quase 4×4” que encara mau caminho sem grande dificuldades….!
    Deveria botar AT6 no THP como o Citroen fez…!

  • Thiago K. Galiza

    Tenho um 208 Griffe, com o motor 1.6 que é o mesmo de entrada ai… Nunca tive problemas, inclusive com relação a barulhos internos ou externos do carro. Estou com ele a 2 anos, nada a reclamar, nunca deu problema ou defeito, só manutenção periódica mesmo… Não sei se dei sorte então

  • afonso200

    porque todos falam da alça de mao do teto, nunca usei isso, e quem anda comigo nunca usa

    • FrankTesl

      saudades da Kombi, ou costume de quem anda de busão, ou tem preguiça de afivelar o cinto de segurança.

    • Thiago

      Coisa de gente velha que tem mania de andar até a 40km/h segurando naquilo na cidade como se fosse aquelas “rurais” velhas vindo da fazenda. Para que aquilo também do lado do motorista mesmo? As duas mãos não devem estar no volante? É cada reclamação boba!

  • Filipe Casagrande

    Aqui em casa adquirimos um 2008, versão ano 16, e o carro é muito confortável e econômico. Minhas queixas são para a central multimídia que vem bloqueada para vídeo (e é caro para desbloquear), não tem fácil atualização de mapas e, para ajudar, o nosso sensor de temperatura externa está descalibrado indicando níveis absurdos. Fora isso, é um excelente carro

    • Ernesto

      Não está mais na garantia para resolver esse problema do sensor de temperatura externa?

      • Filipe Casagrande

        Infelizmente a garantia dele acabou ano passado

  • carlos rodrigues

    Companheiros, eu posso estar enganado na minha leiguice, mas essa estória de A/C dual zone é marketing pra vender carro, porque fisicamente, num ambiente pequeno, como é o habitáculo de veículo, é praticamente impossível vc criar duas sensações diferentes de temperatura, visto que q a tendência é que a temperatura interna se equilibre e fique apenas uma só, de forma que não agradará nem o que quer mais frio nem o que quer mais quente…

    • Thiago

      Engano seu, viajo sempre com uma amiga que detesta o vento refrigerado na direção dela, mas não quero o carro “quente”, ela deixa o lado dela em 21,5 e o meu coloco em 18… o vento que toca nele não é gelado mas o carro fica com uma temperatura bem agradável logo. Vale muito em casos como este!

  • Danilo

    O carro é ótimo. Tenho um 2018. Super satisfeito. E na real, fico muito feliz com o preconceito q possuem com a peugeot. Pq na hora de eu ser atendido, tudo funciona bonitinho, sem muvuca =).

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email