Hyundai Manutenção Matérias NA SUVs

Hyundai Tucson – defeitos e problemas

Hyundai Tucson - defeitos e problemas

O Hyundai Tucson é um SUV de porte médio que a marca sul-coreana lançou no mercado mundial em 2004.


O modelo da primeira geração fez muito sucesso em diversos países e não foi diferente no Brasil. Mas, nem tudo são flores. Então, o que os proprietários relatam de defeitos e problemas deste modelo?

O Tucson é um utilitário esportivo que iniciou sua carreira nos EUA e Coreia do Sul, mas demorou um pouco a chegar ao Brasil e, junto com o Santa Fé, conquistou seu espaço com muitos atributos.

O SUV teve dois dos três motores existentes em sua gama global aqui no Brasil.


O primeiro era o Beta 2.0 16V de 142 cavalos e 18,8 kgfm. Este com câmbio manual de cinco marchas ou automático com quatro velocidades. A tração era sempre dianteira.

O segundo era o Delta V6 2.7 de 175 cavalos e 24,6 kgfm, somente com câmbio automático. Nesse caso, a tração era integral por demanda. O 2.0 virou flex com até 146 cavalos e 19,6 kgfm.

Produzido depois em Anápolis-GO, o Tucson ainda viu sua terceira geração na mesma linha, sendo este o New Tucson com motor Gamma 1.6 T-GDI de 177 cavalos e 27 kgfm, tendo câmbio de dupla embreagem com sete marchas e tração dianteira.

No caso dos defeitos e problemas, no primeiro, as maiores queixas são contra a suspensão e desgaste prematuro de alguns componentes do material rodante, além de alguns vazamentos.

Hyundai Tucson – defeitos e problemas

Hyundai Tucson - defeitos e problemas

O Hyundai Tucson é tido pela maioria dos donos como um carro de pouca manutenção, conforto e robustez, embora muitos reclamem, entre defeitos e problemas, do câmbio automático de apenas quatro marchas e do elevado consumo de combustível.

Entretanto, quando se fala em defeitos e problemas, muitos casos surgem relacionados com o conjunto de suspensão. Não se trata apenas da dianteira, mas a traseira também está envolvida.

Vários reclamam de trocas de bieletas e buchas de suspensão em baixas quilometragens, sendo algo que neste modelo antigo, geralmente acontece acima dos 60.000 km.

O que pega mais, entretanto, é um barulho recorrente no conjunto frontal.

Os amortecedores dianteiros que fazem barulho são fonte de queixas de diversos proprietários, alguns até falando que foram obrigados a troca-los antes de 60.000 km. O problema estaria nos batentes.

Muitos outros reclamam que também há um barulho que ocorre sempre no lado direito da suspensão dianteira.

Um proprietário relata que o revendedor identificou como sendo as pinças de freio, soltas e que produzem tal ruído, não detalhado em outros comentários sobre o problema.

Pneus não duram, chineses com defeito

Hyundai Tucson - defeitos e problemas

Vários depoimentos falam de desgaste prematuro entre os defeitos e problemas.

A principal queixa é em relação aos pneus. Reclamações sobre desalinhamento são recorrentes, mesmo com unidades do Hyundai Tucson pouco rodadas.

Os donos disseram também que uma vibração excessiva se verificou em vários casos, acima de 110 km/h. Alguns antes de 1.500 km.

Além do desalinhamento de rodas e pneus, alguns sem conseguir obter um balanceamento adequado, relatam que foram obrigados a trocar os pneus bem cedo.

Um deles comentou que aos 40.000 km, eles já estavam acabados, especialmente os pneus traseiros. Deve-se lembrar que a suspensão traseira do Tucson é multibraço.

Outro apontou pneus destruídos com 30.000 km. Num caso, os pneus traseiros ficaram gastos com 12.500 km.

Em mais um depoimento, o dono do Tucson antigo, indicou que os pneus chineses acabaram com 13.000 km, enquanto um consumidor do mesmo modelo, relatou que os pneus chineses estavam  com defeito de fábrica, pois seu carro estava com apenas 1.600 km, quando eles tiveram de ser trocados.

Pastilhas e discos

Hyundai Tucson - defeitos e problemas

 

A questão, nesse caso, é mais complicada de avaliar, mas os relatos de defeitos e problemas do Hyundai Tucson recaem em boa parte ao desgaste prematuro de pastilhas e discos de freio.

Um deles disse que pastilhas e discos tiveram de ser trocados com apenas 20.000 km.

Muitos outros proprietários reclamam que estes dois componentes não duram no Tucson. Em outro caso, um cliente da CAOA trocou os dois itens e mais os pneus desgastados aos 23.500 km.

Embora seja um item de desgaste natural, as reclamações indicam que existe algum problema, já que muitos disseram que não tiveram defeitos, apenas troca simples e rotineira de pastilhas de freio, óleo, filtros, etc.

Outra reclamações

Hyundai Tucson - defeitos e problemas

Também reclamam alguns dos donos de Hyundai Tucson em relação ao vazamento de fluído de arrefecimento. Um dos casos ocorreu com 31.000 km e outros acima de 60.000 km. Apenas um caso foi mencionado acima de 100.000 km.

O mesmo em relação a vazamento de fluído de direção hidráulica, com alguns relatos variando de quilometragem, indo de menos de 30.000 km até acima de 60.000 km.

Vários donos reclamam de barulho na tampa móvel do bagageiro, que é a vigia articulável que permite acesso ao bagageiro sem abertura da tampa do porta-malas. Seriam as travas desta peça a fonte de ruído.

Falam também que entre os defeitos e problemas do Hyundai Tucson, os limpadores de para-brisa ressecados e ruidosos são apontados logo que os carros foram comprados.

Como a maioria estava na garantia, então as trocas ocorreram sem custo, embora tenha ficado a reclamação.

A bateria que dura pouco é outro item que desagrada alguns no Tucson, sendo que um deles apontou troca com um ano e outro com 20.000 km. Vários trocaram a bateria acima de 30.000 km.

New Tucson

Hyundai Tucson - defeitos e problemas

Trata-se de um carro ainda recente no mercado brasileiro, mas nem por isso existem poucas reclamações sobre defeitos e problemas.

Na internet existem vários relatos de Hyundai New Tucson.

São muitas reclamações e algumas delas sobre o atendimento da rede, mas também outras relacionadas com o teto solar panorâmico e barulhos, desde suspensão até acabamento interno.

Neste último caso, falam de portas, revestimentos internos e porta-malas. Da mesma forma, reclamam de barulhos na suspensão dianteira e até mesmo de defeitos no câmbio de dupla embreagem de sete marchas, que patina e vibra, cortando boa parte do desempenho do veículo.

Um proprietário relata que o DCT começou a dar defeito aos 8.000 km e aos 50.000 km rodados, até agora continua do mesmo jeito.

Outros dizem também que o forro do teto solar elétrico fazem barulho. Também reclamam de defeitos de pintura, sendo obrigados a exigir repintura ou correção da mesma junto aos revendedores.

Ainda assim, muitos elogiam a performance do New Tucson, assim como conforto.

O SUV médio da Hyundai é feito pela CAOA em Anápolis-GO, sendo a geração vigente no mundo e tendo adotado aqui uma motorização realmente moderna.

Hyundai Tucson – defeitos e problemas
Nota média 4.5 de 4 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Hodney Fortuna

    Minha irmã possui um old Tucson 2016/17 GLS Top. O carro hoje está com menos de 16 mil km rodados. Precisou trocar o multimídia, aparelho este alvo de muitas reclamações por apresentar travamentos, falta de sinal com a câmera de ré e outros. O segundo multimídia trocado há um ano já está apresentando os mesmos defeitos.
    Defeito no acionamento de vidro elétrico da porta do motorista. Ao acionar o comando o vidro para diversas vezes durante a subida. Problemas de acabamento na alça de porta que é fabricada de um material plástico emborrachado que fica com aspecto “pegajoso”. O sistema de rebatimento dos retrovisores não é muito preciso ao desativar o alarme. Rebate quando trava as portas pelo controle remoto mas, não retorna quando desativa pelo controle e mesmo quando gira a chave de ignição.
    Aos dez mil km rodados a lâmpada de injeção tinha um comportamento estranho, acendendo com o carro em movimento. Foi passado um scanner, corrigiu mas o problema voltava. Isso surgia quando o carro rodava um tempo no etanol e passava a gasolina. Depois de uns 8 meses rodando só na gasolina o problema parou.
    O ar condicionado, apesar de ser digital as vezes sopra um ar quente. Levado na CSS Hyundai em garantia foi reabastecido com gás, mesmo assim o problema esporadicamente surge.
    Pneus frontais originais já estão bem desgastados.
    Carro manco na saída. Na estrada seu comportamento dinâmico, apesar do motor 2.0 é bom.
    E por fim o consumo absurdo de combustível. Na cidade o carro faz 5km/l na gasolina o que torna o custo surreal. A Tucson não é carro para se rodar no ciclo urbano pesado.
    Tirando esses problemas é um carro confortável e de muito boa dirigibilidade.

    • ViniciusVS

      Na questão da Central eu sugiro você colocar um Pioneer ou algo do tipo de sua preferência, Se tem garantia vai trocando lá mesmo.

      A MultiAPP da Nissan também é bem +-, eu troquei por um pioneer e está ok.

      • Hodney Fortuna

        Eu dei essa dica a ela.

    • Marcelo Alves

      Meu pai tem uma dessa, 2015, que comprou usada com 15 mil km e 1 de uso pra poder ir pra fazenda tranquilo, por ser um carro robusto que tinha um preço bom pelo o que oferece (preço bom sendo usada, pois 0km é muito cara e desvaloriza demais, não compensa), ela está atualmente com coisa de 20 ou 21mil km se não me engano, já teve que trocar as pastilhas de freio dianteiras e os pneus já estão meia vida (gasta muito rápido mesmo), fora o consumo de combustível que é bem elevado (só essas três queixas mesmo).
      Até o momento o carro não deu nenhum problema, meu pai vai com ela na fazenda de 1 a 2x por mês e passa pelos buracos e valetas sem dó, pois o carro é alto e bem resistente, o ar condicionado digital dela eu acho até melhor que o do meu Polo!

      • Hodney Fortuna

        Como relatei o caso da minha irmã, obrigatoriamente outros modelos não são precisos repetirem tais problemas. O old Tucson é um carro muito bom! Conheço pessoas que possuem esse mesmo carro. A esposa de um primo meu também possui e não tem nada a reclamar do modelo. E o dela é um 2012. Eu compraria sim um old Tucson, apesar de problemas surgidos num modelo pertencente na família.

  • globonãotemjapa

    Tem 2 Hyundais no BR

  • Domenico Monteleone

    Sou fã desse new tucson

  • invalid_pilot

    Parentes tem o New Tucson com uns 20k km e pelo que falam, nenhum problema de transmissão ou algo sério.

    Pessoal usa transmissão de Dupla Embreagem como Automática (segurando carro no câmbio em subida por exemplo) e reclama de durabilidade

    • Matheus Girelli

      A maioria não sabe a diferença de um dct pra um automático, então não da pra exigir muito.

    • Marcelo Alves

      Falta do fabricante colocar um aviso no painel para mostrar uma mensagem “Use somente o freio para segurar o veículo em aclives.”, que nem aquela mensagem “Eco Confort” da VW, quando você pisa no acelerador com o carro parado antes de soltar a embreagem ele mostra uma mensagem para não pisar no acelerador com o carro parado, rsrsrs…

    • T1000

      São os motoristas mamíferos

    • Janduir

      A pipa é que quem tem grana pra comprar um carro desses, espera que funcione como um AT convencional. Mas já vi vídeos de americanos que devolveram o carro na Css por problemas nessa transmissão (Lá a lei é rápida para o consumidor com problemas)

  • Zé Mundico

    Não sei os de hoje, mas antigamente saiam de fábrica com pneus da marca Kumho, coreanos de boa reputação mas ainda não adaptados a realidade brasileira (clima, estado das estradas, tipo de asfalto, etc).
    Mas acho que hoje a Kumho já resolveu isso pois tem produtos de ótima qualidade.

    • Dario Lemos

      Tenho um modelo 06/07 adquirido com os pneus desta marca e posso lhe dizer que são equivalentes às marcas mais tradicionais, possuem boa dirigibilidade tanto no seco quanto no molhado, boa capacidade de frenagem e durabilidade; o primeiro conjunto durou cerca de 43 mil km e em breve farei uma nova substituição. Tive apenas um contratempo quando adquiri o primeiro jogo, um dos pneus apresentou rachaduras em vários pontos, claramente um defeito de fabricação, com pouco mais de 11 meses e cerca de 4 mil km rodados mas infelizmente a autorizada se recusou a aceitar como defeito culpando a mim como responsável pelo dano ao pneu (para ter idéia até o Procon se deu como incompetente para resolver o caso). No fim das contas acabei comprando uma nova unidade em uma outra revendedora. Para finalizar, o carro anterior, um Kia Sportage Grand 99 equipado com pneus Hankook que também são ótimos pneus e este carro foi o responsável por acabar com meus preconceitos em relação às marcas coreanas.

    • Bruno Alves

      Os pneus Kumho são muito bons mesmo. Meu carro tem 50 mil km e ainda está com os pneus originais e ainda dá pra rodar uns 10 mil com eles.

  • matheus

    Essa New Tucson é muito bacana e espaçosa pelas dimensões. O grande pecado fica naquele cinto de dois pontos atrás e naquele “freio de mão” arcaico no pé.

    • Zé Mundico

      Rapaz, pois eu já tive dois carros (Ford Ranger e Honda CRV) com freio de mão no pé e achava aquilo maravilhoso, pois me poupava esforço em puxar freio e livrava o espaço entre os bancos para um apoio de braço que mais parecia uma poltrona. Sem contar que dentro do apoio de braço tinha espaço para levar até uma garrafa de água mineral grande…..rsrsrs

      • Eskarmory .

        A maioria nem saiu do freio de mão convencional ainda, já tem quem odeie ”freio de pé”…

      • matheus

        Num carro de 150 mil poderia ter eletrônico…

      • invalid_pilot

        É estranho kkkk mas acostuma
        Sportage segue a mesma coisa – deve ser da plataforma da Kia/Hyundai

  • Dario Lemos

    Possuo um Tucson 06/07 manual com pouco mais de 83 mil km e estou muito satisfeito com a qualidade geral, dá pouca manutenção e as peças de substituição básicas são relativamente baratas. Em relação a reportagem, os problemas que tive (algumas ainda a resolver) são: direção hidráulica com problemas de vedação, o vazamento é muito pouco e não interfere na condução e/ou perda de assistência, o valor do conserto é salgado, 1.000,00; tive problemas no sistema de arrefecimento em março, as laterais do radiador são de plástico e costumam rachar, o conserto saiu por 350,00; os amortecedores do vidro traseiro basculante costumam perder a ação com o passar do tempo; com cerca de 75 mil km notei barulhos vindos das suspensões e batem com os relatos acima para troca de batentes, bieletas, buchas e pivôs; em breve farei a troca das pastilhas e discos de freios (passaram por três retificações) mas não notei desgaste acentuado das pastilhas mesmo andando exclusivamente em ciclo urbano; não tive problemas com as palhetas, o carro fica em garagem coberta e acredito que isso ajuda a preservá-las; revesti o volante com couro pois o mesmo teve o revestimento rachado com pouco mais de 50 mil km; fiz a troca da embreagem com pouco mais de 78 mil km; terei que fazer a troca do silencioso do escapamento (até que durou muito, na minha opinião). O carro em si é bem robusto, acabamento interno com poucos grilos, mais notadamente no apoio de braço entre os bancos (encaixe das travas), falta força nos baixos giros e o alto consumo é, talvez, o ponto mais fraco do carro.

  • Thiago

    tnho old tucson 2010
    tanque de guerra

  • Jerry Wendel

    Único defeito da tucson é a pinça do freio que abre folga e fica batendo na frente do carro. Nada de amortecedor, suspensão ou outra coisa. Vazamento de fluido nunca vi, salvo quando alguém mexe e faz coisa errada, como deixar folgado. Manual faz 8,5km/l cidade e 13,5km/l na estrada. Super espaçosa, robusta de verdade, resistente. Trabalhei 4.5 anos no buraco e carregando escada com ela. Só troquei uma vez a bieleta, 60 reais. Manutenção é barata, só traçar óleo, fluidos, pneus e pastilhas. Melhor custo beneficio que existe. Os novos suv são melhores porque tem as novas tecnologias, mas SUV de verdade é Tucson

  • Ricardo

    Maior defeito: ser feia demais! Hahaha

  • nbj

    Tenho um Old Tucson 14/15 com mais de 40k kms rodados. Me surpreendi com a robustez do SUV. Pastilhas trocadas com 30k (dianteiras e traseiras). Troca de óleo, filtro e filtro de combustível a cada 10k kms. Pneus originais trocados (Pirellli Scorpion Verde) com 40K kms (faço alinhamento e balanceamento a cada 10k e não “canto” pneu à toa). Retrovisores trocados em garantia (motoqueiros quebraram os dois), sem custos.

    Defeitos apresentados: Barulho nas pastilhas dianteiras (não tem jeito, você resolve mais logo volta), um vazamento do líquido de arrefecimento (as presilhas originais, de pressão, dos mangotes são frágeis, problema resolvido trocando elas por presilhas com parafusos), a vigia articulável do porta malas realmente faz barulho mas só uso ela se tenho algo para esconder dos “amigos do alheio” e Bateria trocada com 30kkms (gosto de ouvir o som da multimídia quando está parada – tem boa qualidade), troquei por uma de 85 Amp e está resolvido o problema. As peças de consumo são fáceis de achar e são relativamente baratas. O consumo realmente é um capitulo à parte, mas compensa com outras qualidades. Faço entre 5,5 e 6 km/l na cidade e 9 – 10 km/l na estrada (dependendo da pressa). Tenho um sítio e o SUV caiu como um luva para visitá-lo.

    Em suma, um carro “feio”, mas espaçoso, prático (tem um raio de giro muito bom, o que ajuda nas manobras), confortável, suspensão alta (nunca mais soube o que é arrastar o carro em lombadas e valetas), macia e robusta. Não me arrependi da compra, planejando ficar mais alguns bons anos com ele.

  • Jose Pedro Almeida

    Achei que a Materia focou mais nos defeitos…. mas faz parte.

    Eu possuo uma GLS AT 2012 a quase 3 anos. GASOLINA – 115.000K. (comprei com 60.000)

    Qualidades – é um tanque de guerra. superconfortavel pus uma central generica e 2 telinhas nos encostos, camera de re. Minhas filhas viajam tranquilas. E o banco é rebativel pra frente – VIRA UMA VAN e para tras vira quase uma cama. Carro alto. bom para o nosso transito sem lei e sem educação. Não estraga facil – eu ja troquei – MANGUEIRA DO RADIADOR E amortecedores dianteiros. o resto é manutenção normal. velas, cabos, pastilhas. troco oleo a cada 7.000 (oleo pra 10.000). Apoio lombar pro motorista, Saida de 12v no banco de tras e no porta mala. luz de cortesia nas portas dianteiras. Saida do ar condicionado embaixo dos bancos do motorista. gelando mais rapido a parte de tras do carro. acabamento a minha tá com 115.000 e nao bate nada.

    Preço – o carro é barato pelo que oferece.

    Defeitos – Consumo (7 km/l na cidade e 9,5km/l na estrada). Mas qse todo suv medio é assim. A direção hidraulica é pesada (tipo Newcivic), nao tem computador de bordo e o cambio poderia ser CVT ou 6 Marchas.

    No mais. comprei sabendo dos defeitos e qualidades.

    Estou satisfeito com o carro.

    E trocar por uma ix35, creta, hrv ou crb seriam mais de 30k de investimento.

    Excelente este site! acesso todo dia1

    kkk

    Abraços,

    Pedro – BH

  • Lionheart

    Meu antigo carro era uma Tucson (primeira geração) 2009.

    Lá pelos 94 mil kilômetros, numa viagem de Goiânia à Campinas/SP, num dia especialmente quente, o motor começou a falhar.
    Andando na estrada a uns 140 kms, ele começou a ratear e diminuiu a rotação para 90 kms. Ficou desse jeito até eu parar para almoçar e esfriar o motor.

    Depois, quando esquentou novamente, ela voltou a ratear, e a rotação não passou de 3 mil giros.

    Estranhíssimo…

    Na volta ela não apresentou mais esse problema ..

  • jefferson gobbo

    Uma correção precisa ser feita na matéria, o primeiro modelo da Tucson, que iniciou a no Brasil em 2004, possui um terceiro motor que foi sim vendido no Brasil, o “2.0 CRDi 16V 112 cv diesel Automática” vendido apenas em 2005, é raríssimo de se encontrar, porem foi vendido no Brasil.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email