Ford Fusion – defeitos e problemas

ford fusion v6 auto press 1 1

De grande sucesso no Brasil, o Ford Fusion se destaca pelo conforto, desempenho e tecnologia embarcada, sendo um sedã executivo com mais de 12 anos de história no mercado brasileiro, sempre importado do México.


O Ford Fusion chegou em 2006 para substituir o Mondeo, importado da Europa, com preço competitivo por conta do acordo com o México,.

Ele vinha com motor 2.3 de 162 cavalos e câmbio automático de cinco marchas, sendo atualização em 2010 com o motor 2.5 de 173 cavalos e o V6 3.0 de 243 cavalos.

Este Fusion atualizado estreou aqui a versão Hybrid, que tinha motor 2.5 Atkinson de 156 cavalos e mais um elétrico, sendo o primeiro híbrido vendido no Brasil.

Depois chegou a segunda geração, trazendo o motor 2.5 Flex de até 175 cavalos, além do 2.0 EcoBoost com 248 cavalos.

Isso sem contar o Hybrid, que passou a ter motor 2.0 Atkinson de 143 cavalos, mas com 190 cavalos de potência combinada.

Entretanto, mesmos com tudo isso e muito mais, alguns donos de Ford Fusion (leia também sobre o Fusion Titanium 2013) reclamam de defeitos e problemas nas duas gerações, sendo que os maiores se concentram na primeira.

No entanto, ambas apresentam um defeito grave no câmbio automático. Suspensão com problemas em buchas, coxins pivôs são mais recorrentes no primeiro Ford Fusion, assim como no sistema de direção e homocinéticas.

No caso do modelo, muitos dos problemas foram resolvidos.

Ford Fusion – defeitos e problemas

ford fusion hybrid exterior 2

O Ford Fusion é um sedã de porte grande que atraiu muita gente desde 2006 e em duas gerações, chegou mesmo a custar e vender o mesmo que alguns sedãs médios.

Mas, os defeitos e problemas da primeira geração assustam, assim como o número de recalls do modelo nas duas gerações, um total de 11!

Câmbio com trancos

ford fusion hybrid interior 4

Uma das maiores reclamações do Ford Fusion, tanto da primeira quanto da segunda geração, é o câmbio automático com trancos em engatar as marchas.

São inúmeros relatos de defeitos e problemas, alguns custando verdadeiras bagatelas para seus donos, muitos já fora de garantia.

Num dos relatos, ao levar um Ford Fusion 2013 da versão Titanium AWD (veja aqui opinião de dono sobre Fusion Titanium 2013/2014), que tem motor 2.0 EcoBoost, o proprietário já fora da cobertura, teve um orçamento de R$ 20.000 dado pela concessionária.

Outro revelou que o carro estava com tranco, gastando muito e sem desempenho, além de ter um vazamento de óleo. Na oficina da revenda, detectou-se alteração da cor do fluído e limalha.

A troca normalmente é feita a cada 120.000 km. Nesse caso, o serviço com mão de obriga ficou em R$ 4.800.

Na internet, a maioria dos relatos de defeitos e problemas no câmbio automático do Ford Fusion são relacionados com a versão V6 3.0, inclusive com a quebra da transmissão, mas unidades 2.3 também apresentaram o problema.

Na geração atual, a versão Titanium AWD é a que mais queixas possui sobre o mesmo problema.

Existem diversas reclamações registradas na internet, centrando-se a maioria na transmissão automática de seis marchas com esse propulsor 2.0 EcoBoost.

Um dos casos ocorreu com apenas 10.000 km. Outro relato diz que o carro ficou dias esperando por uma peça que não havia previsão de chegada.

O problema estaria no desgaste do solenoide de pressão do fluído interno, que acaba prejudicando a lubrificação das engrenagens e sincronizadores.

Algumas caixas foram substituídas durante a garantia de três anos do modelo, mas com certa demora no atendimento, devido a fabricação do componente. Outros precisaram somente da troca do solenoide.

Direção com problemas

O Ford Fusion antigo também enfrenta problemas de direção. Em muitos casos, a caixa apresenta com ruídos e chega a travar.

O serviço fora da garantia é caro e dentro da rede Ford, um cliente disse que pagou R$ 6 mil em um novo sistema de direção para seu sedã.

Não são poucas as queixas sobre a não durabilidade do sistema e alguns proprietários com mais de 100 mil chegam enumerar a quantidade de trocas dessa caixa, chegando a um ter feito isso três vezes.

O segundo recall do Ford Fusion no Brasil, ocorreu em janeiro de 2014 e compreendeu a troca da caixa de direção dos carros feitos entre 19 e 23 de abril de 2013.

Deve-se lembrar que esse ano/modelo já é o da segunda geração do Ford Fusion. No entanto, quase todos os relatos encontrados na internet falam da primeira geração.

Outro recall ocorreu para o sedã de luxo, agora sim para o da primeira geração (facelift) feito entre 2010 e 2012, sendo procedido a atualização do software da direção elétrica ou substituição da mesma.

O recall só ocorreu em julho de 2015.

Suspensão

Ford Fusion Hybrid 2012 2

Entre os proprietários do Ford Fusion, é unanime que o sedã executivo é baixo demais para nossas lombadas e valetas.

Os relatos de raspadas na frente e no meio são frequentes, mas a durabilidade do conjunto de balanças, molas e amortecedores é questionada por muita gente, especialmente em carros após 100.000 km.

Nesse caso, assim como no caso da direção, os relatos falam não em uma, mas de duas a três trocas de buchas, pivôs e coxins, especialmente do câmbio.

Os braços oscilantes entram na conta, pois, precisam ser trocados igualmente com as buchas. No entanto, a exigência de troca desses componentes já começa, segundo relatos, após 60.000 km.

Além disso, alguns reclamam de ruídos e defeitos nas homocinéticas, obrigando a troca das mesmas.

Um cliente com 120 mil km em seu Ford Fusion disse ter trocado pelo menos duas vezes esse conjunto articulado, que provê tração ao carro.

Outros defeitos e problemas

ford fusion hybrid interior 3

Alguns donos de Ford Fusion se queixam também do corpo da borboleta da admissão de ar para o sistema de injeção, que apresenta problemas e precisa ser trocado.

Num Fusion 2010, o custo de substituição com a mão de obra da concessionária foi de R$ 1.200. Outros reclamam o mesmo problema, mas não relataram o custo.

Outros ficam de cara feia em relação às maçanetas internas, que quebraram com facilidade, obrigando uma visita ao revendedor.

Nesse caso, parece que o problema é um vício de produto, pois, a Ford um recall para um defeito no trinco das quatro portas, que consistia na substituição do mesmo em carros feitos de meados de 2012 até período parecido em 2013.

No Ford Fusion da geração atual, outro problema que aparece muito em comparação com o câmbio automático é o módulo de levantamento one touch dos vidros, que apresentou falhas em vários carros.

Nunca houve um recall, mas de acordo com um cliente, a correção seria manter o botão pressionado por 10 segundos após a descida e 10 segundos após a subida para ele voltar a funcionar normalmente.

O Ford Fusion teve recalls de bomba de combustível para carros de 2012 a 2013, incluindo substituição da mesma.

Também foram chamados os donos para que fosse resolvido a fixação do mecanismo de reclinação dos bancos dianteiros de carros da mesma época, assim como módulo de segurança, proteção do sistema pré-tensionador dos cintos, parafuso de fixação do volante, bucha do cabol seletor de marchas, mangueiras do freio dianteiro e módulo do airbag do passageiro.

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.