VW Golf – defeitos e problemas

golf sportline 10

Ele foi o hatch médio mais desejado durante pelo menos uns 10 anos.


O VW Golf é um produto que tem boa fama entre os proprietários, sendo um carro que aqui foi feito em duas gerações, a quarta e a sétima.

Será que este produto alemão naturalizado brasileiro tem muitos defeitos e problemas?

O VW Golf foi produzido aqui a partir de 1998. Em sintonia com a Europa, ele estava em sua quarta geração e teve motores 1.6 8V de 101 cavalos, 1.8 20V de 125 cavalos e o 1.8 20V Turbo com 150 ou 180 cavalos, recebendo posteriormente o 1.6 8V de até 104 cavalos e 2.0 8V de até 120 cavalos.

Essa geração recebeu atualização em 2007, passando a ser chamada de “4,5”. Na sétima, o VW Golf utilizou o motor 1.6 16V MSI com até 120 cavalos, depois o 1.0 TSI com até 125 cavalos, manual ou automático.

Também teve os 1.4 TSI de 150 cavalos e 2.0 TSI com 220, atualmente com 230 cavalos, no GTI. O câmbio passou de DSG para Triptronic por causa da confiabilidade.

O VW Golf da geração 4,5 tem alguns defeitos e problemas relatados, em especial barulhos na porta do condutor, motor de partida, ar condicionado e rolamentos.

Na sétima geração, o campeão de reclamação é o DSG, tendo ainda problemas de embreagem (manual) e bateria. Confira abaixo os principais defeitos e problemas do hatch alemão.

VW Golf – defeitos e problemas

O VW Golf tem reclamações de seus donos nas duas gerações que foram produzidas no Brasil, sendo que aqui serão consideradas apenas a chamada “4,5” e a sétima, a atual, do qual apenas o Golf GTI é feito.

Na primeira, o modelo apresenta alguns defeitos e problemas relativos ao ar condicionado.

Vários relatos falam de problemas no dispositivo de climatização, que acarreta em perda de eficiência ou barulho. Alguns foram corrigidos na garantia, tendo trocas de compressor ocasionais e correções na parte elétrica.

Um dos relatos fala de quebra do suporte do compressor de ar.

Outro apontou que esta peça quebra nada menos que três vezes em 156.000 km rodados com o VW Golf 2.0.

Também reclamam do VW Golf 4,5 em relação à suspensão dianteira, que gera ruídos e, em alguns casos, substituição de batentes e buchas, especialmente da biela na barra estabilizadora.

Barulhos preocupantes

golf sportline 17

Alguns proprietários do VW Golf 4,5 com motor EA111 1.6, se queixam de barulho de tucho, sendo que os que reclamaram tiveram de troca-los, assim como também substituíram o comando de válvulas.

A quilometragem varia muito, desde antes de 60.000 km até muito acima dos 100.000 km. O problema é apontado também em outros modelos da VW com este propulsor.

Ainda na parte mecânica, os rolamentos – especialmente os traseiros – começam a roncar até mesmo em baixa quilometragem em alguns VW Golf 4,5.

Os donos perceberam o ronco da peça durante a condução e, após visita ao técnico, tiveram de substituí-lo. Boa parte o fez fora da garantia.

A direção hidráulica com vazamentos tem bom número de reclamações entre os anos de 2011 e 2012, registrados na internet.

Independente do motor usado, os donos reclamam que visualizaram o vazamento sem constatar alteração no funcionamento do sistema. Em menor número, outros apontaram direção dura antes de verificar o defeito.

O motor de partida também foi apontado por alguns donos de VW Golf (veja aqui opinião de dono sobre Golf Tech 2009) 4,5. O componente falha na partida, sendo necessário sua substituição.

Um cliente reclamou que seu carro teve o dispositivo trocado aos 35.000 km, enquanto outros o fizeram perto dos 100.000 km.

Visual apagado

golf sportline 15

Era um problema recorrente no Golf 4 e em seu irmão Audi A3, ambos feitos no Brasil.

No entanto, mesmo com o passar dos anos, o defeito no acabamento de peças internas continuou, em especial no painel. O revestimento dos botões e partes do conjunto frontal, assim como dos puxadores, sai com certo tempo de uso.

Aqueles mais usados, como o botão dos faróis, deixa o visual com cara de carro velho, mesmo em modelos com quilometragem não muito alta.

Muitos acabam se conformando com o problema, mas outros alegam que um carro que nunca foi barato, deveria ter um tratamento melhor nessa parte.

Também existem relatos de barulhos nas portas, em especial na porta do condutor. Muitos apontaram isso ainda nas primeiras revisões e em quilometragem baixa, sendo ajustadas nas concessionárias.

Vários deles acabaram vendo a garantia vencer e ter que trocar também batentes e borrachas para resolver o problema, embora existam casos que o defeito retornou e mesmo não desapareceu logo após o serviço.

O painel também é outra fonte de ruído para alguns donos de VW Golf 4,5.

Novo Golf 7

volkswagen golf comfortline nacional

DSG

Ele era alemão e virou nacional. Em ambas as origens, o Novo Golf apresenta defeitos e problemas. No caso do germânico, entre os defeitos e problemas apontados, o que mais tirou o sono dos proprietários foi o câmbio automatizado de dupla embreagem DSG.

Embora tenha boa fama, o DSG apresentou ruídos e vibrações em vários VW Golf importados nesta nova geração. Alguns se conformaram com o problema, embora tenha alegado se tratar de um problema crônico e sem solução.

Isto porque alguns fizeram a reparação no assistência técnica, mas indicaram que o ruído teria retornado.

Esse ruído acontece geralmente em pisos irregulares e se apresenta como algo metálico, incomodando muito os proprietários, especialmente aqueles que andam com os vidros abertos, onde fica mais audível o problema. Mas, não é só isso.

Alguns até usam o termo “mecatrônica” para se referir ao câmbio automatizado, nesse caso, como “problema de mecatrônica” ou “mecatrônica do DSG deu defeito”.

Além do ruído metálico, também são verificados trancos e retenção de marcha.

Aqui, o problema no VW Golf de sétima geração acontece em pisos irregulares, onde o DSG prende a marcha, onde estiver, chegando a elevar muito o giro do motor EA211 1.4 TSI, limitando o desempenho do carro.

Os defeitos no câmbio aparecem tanto em baixa quanto em média ou alta quilometragem.

Apesar de 1,6 milhão de unidades revistas em um mega recall do DSG, pelo mesmo problema, apenas na China e Sudeste Asiático, houve substituição do lubrificante da caixa.

Por conta disso, alguns mercados passaram a ter o câmbio automático Tiptronic no lugar do DSG, como nos EUA e Brasil, por exemplo.

Embreagem e bateria

comparativo volkswagen golf ford focus 46

Noutro caso bem específico, o VW Golf Comfortline TSI, que tem motor R3 1.0 e câmbio manual de seis marchas, antes da reestilização, apresenta problemas e defeitos na embreagem de algumas unidades.

Existem casos em que o carro ficou literalmente sem poder mudar de marcha, pois, o acionamento de disco e platô ficou comprometido. Mesmo com os Golf 1.4 TSI manuais no mercado, apenas a versão 1.0 TSI apresenta o defeito.

Alguns resolveram com o kit do acionador trocado e outros tiveram até que substituir o volante do motor, danificado com o esforço incomum de acionamento do dispositivo de transferência de força.

Fora isso, o VW Golf VII ainda apresenta em algumas unidades, o fim da bateria com mais de um ano de uso. Alguns até tiveram que troca-la antes disso e o que relataram a substituição o fizeram até a terceira revisão.

Nenhum dos reclamantes fez a primeira troca depois de 60.000 km. Um deles teve que trocar os dois componentes aos 15.000 km e outro aos 11.000 km.

O problema, na maioria das vezes, ocorre de repente, pegando o motorista de surpresa e imobilizando o veículo. Todos os casos apontados estão relacionados com o conjunto mecânico onde o 1.4 TSI é o propulsor.

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.