Hatches Manutenção Peugeot

Peugeot 308 – Defeitos e problemas

Peugeot 308 - Defeitos e problemas

O Peugeot 308 foi um hatch médio vendido pela PSA no Brasil entre os anos de 2012 e 2019, tendo sido fabricado na Argentina. Sua versão cupê-conversível foi importada da Europa. Ele era irmão do Peugeot 408.


O modelo foi vendido no mercado brasileiro com três motores, sendo o 1.6 16V de até 122 cavalos, oferecido nas versões mais baratas, como a Active, por exemplo, sempre com câmbio manual.

Logo acima, ficava o motor 2.0 16V com até 151 cavalos, que equipava a versão Griffe, inicialmente. Ele tinha opção de transmissão automática de quatro marchas.

Essa mesma versão viria a ser equipada mais tarde com o motor 1.6 THP Flex com até 173 cavalos e sempre com transmissão automática de seis marchas.

Com design esportivo, o Peugeot 308 era um carro que tinha bom espaço interno, equipamento generoso e uma boa performance quando com motor THP.

Contudo, o Peugeot 308 sofreu com defeitos e problemas crônicos do grupo francês. De acordo com seus donos, problemas no motor THP foram verificados, assim como o câmbio AL4 com os temíveis solenoides e a suspensão dianteira barulhenta.

Outros detalhes ruins também foram apontados pelos proprietários do Peugeot 308, que saiu de linha em 2019 sem deixar sucessor, numa mudança de posicionamento da marca e também pelas baixas vendas.

Peugeot 308 – Defeitos e problemas

Peugeot 308 - Defeitos e problemas

O Peugeot 308 tem alguns defeitos e problemas considerados crônicos por seus proprietários e relativos ao compartilhamento de peças e componentes entre os carros do grupo.

Assim, muitos apresentam defeitos semelhantes, mas alguns deles possuem seus próprios problemas. No caso do 308, vários relatos apontam para as mesmas causas de dor de cabeça entre os donos.

Na parte mecânica, alguns proprietários relatam problemas com o kit de corrente de comando, chegando mesmo a ter sido trocado com quilometragem muito baixa e dentro da cobertura da garantia.

O motivo é um defeito no esticador da corrente, que apresenta folga e pode gerar desde ruídos metálicos no propulsor 1.6 THP até seu desligamento por estar fora de ponto.

Esse problema já foi apontado por donos de outros carros da marca com esse motor, tal como a famosa “bomba de alta”, que já foi trocada em unidades do 308 ainda na garantia ou a partir dos 60.000 km.

Falhas e falta de força também são apontados pelos donos do 308 nesse caso, sem contar o apagão (pane) do propulsor durante o funcionamento.

Vários depoimentos de donos de Peugeot 308 falam de falta de potência e alto consumo, sendo que o motivador desses dois sintomas de mau funcionamento são relativos ao sensor de temperatura.

Há quem tenha conseguido troca-lo na garantia, mas a maioria só o fez depois de vencida a cobertura. Existem relatos ainda sobre o alto consumo de lubrificante, que baixa muito entre as trocas regulares, obrigando completar com muito óleo.

Alguns dizem que não existem vazamentos e nem a presença de fumaça com óleo queimado. Para muitos donos, isso ainda é um mistério não solucionado e já relatado em outros modelos da marca.

O câmbio AL4 de quatro marchas é a transmissão automática do Peugeot 308 2.0 e deu dor de cabeça para muita gente ao não engatar marchas, prender em uma determinada posição e mesmo ficando bloqueada, impedindo o movimento do carro.

A culpa em geral recai sobre os solenoides das eletro-válvulas, bem conhecida dos mecânicos. Em 2013, o Peugeot 308 passou a dispor da caixa de seis marchas, usada até então apenas no 1.6 THP.

Panes elétricas também são citadas, fazendo com seus donos ficassem na rua, aguardando pelo reboque. A frequência de acionamento do reboque para unidades do 308 é bem alta, segundo o número de relatos.

Suspensão

Peugeot 308 - Defeitos e problemas

Defeitos e problemas relacionados com coxins e batentes também não são raros, sendo que existem depoimentos com queixas de donos do 308, cujo motor simplesmente caiu após o rompimento dos coxins.

A maioria reclama da dureza e durabilidade do conjunto de suspensão, especialmente a dianteira, além de sua altura muito baixa.

É frequente a menção sobre troca de componentes e peças em quilometragem baixa e a percepção dos clientes de que o conjunto não foi projetado para o Brasil.

Contudo, não é apenas o conjunto dianteiro com seus batentes e bieletas, já que a traseira é mencionada como fonte de ruídos também. Alguns falam que o conjunto é bem barulhento, incomodando e nem sempre resolvido.

Outros barulhos

Peugeot 308 - Defeitos e problemas

Falando em ruídos, o Peugeot 308 tem diversos relatos de barulhos em diversas peças e componentes. Um dos mais citados é o conjunto de portas do hatch médio.

Problemas relacionados com o ruído provocado pelas mesmas, em especial as traseiras, não são difíceis de encontrar. Num depoimento, o proprietário teve que retornar pouco depois de sair da concessionária devido ao barulho.

Nesse caso, as portas traseiras tiveram que ser realinhadas para evitar o ruído desagradável em um carro novo e caro. Outros falaram a mesma coisa, que as entradas traseiras precisavam de ajustes para assentar bem nos batentes.

Alguns falam que os vidros também fazem barulho quando abertos parcialmente, independente de serem da frente ou de trás. Casos de ingresso de água no habitáculo também existem e parecem ter relação, já que as borrachas foram cortadas.

E não para por aí. Os freios também são fontes de reclamação de alguns donos, sendo os dianteiros os culpados. Barulhos metálicos foram relatados, mesmo em carros que acabariam de sair da loja.

Houve clientes que tiveram de voltar mais de uma vez para corrigir o defeito e alguns técnicos disseram que se tratava de algo normal, por assentamento da pastilha nova ao disco, mas o mesmo ocorreu em quilometragem mais alta.

Ainda assim, há relatos que falam da troca completa do conjunto de freios dianteiros, o que não parece um problema pontual de acomodação das pastilhas.

Interior

Peugeot 308 - Defeitos e problemas

No interior, o acabamento de bancos e portas é muito pouco mencionado pelos donos de Peugeot 308, porém, o pomo da alavanca de câmbio é apontado como um defeito do produto.

Queixas sobre o desgaste prematuro do pomo da alavanca da transmissão não são ocasionais e os donos falam que é uma falha grave de qualidade.

Outro item que gerou reclamação de alguns foi o marcador de combustível, que simplesmente não marca o combustível exato no tanque, chegando a erro de 40%, de acordo com um dono.

Apesar das muitas reclamações e queixas registradas na internet, o 308 é ainda elogiado pela grande maioria nos sites de opinião do dono, sendo que muitos deles atravessaram o período de garantia sem problemas.

Estranhamente, também existe a menção de alguns sobre a durabilidade do produto apenas dentro da garantia, gerando custos enormes com defeitos e problemas após o término da cobertura e com recomendações negativas à marca.

Correia dentada

Peugeot 308 - Defeitos e problemas

Oficialmente, o Peugeot 308 teve seis chamadas declaradas, mas existe um oculto, o da correia dentada. Relatos de rompimento da mesma e danos ao motor pouco antes da chamada também estão registrados na internet.

Embora os donos tenham recebido a carta de chamada da montadora, esta não relaciona o ocorrido em seu site, na seção de recall, indicando um “recall branco”.

Um dono de 308 disse que a concessionária relatou ser uma “chamada interna”. Algo parecido ocorreu com o 208, ambos no caso com motor 1.6 16V.

Das seis chamadas divulgadas pela Peugeot, o 308 está envolvido em duas da mesma peça, a manta de isolamento acústico do capô, que fica sob ele, para os carros feitos de “03/07/2012 a 11/07/2012.”

Outra chamada para o mesmo defeito nos carros feitos de “16/03/2011 a 13/08/2015 e de 03/07/2012 a 19/08/2015”. Existem chamadas para tubo de alimentação de combustível do motor, servo-freio, tubo de vácuo do freio e módulo de controle do motor.

 

 

 

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Willie Cicci

    Revender é um dos doze trabalhos de Hércules (exceto pra fã fervoroso)

    • Leonardo

      Dono de Gol detected.

  • Hernan Carlos Granda

    eu tenho um 408 2015 que é a mesma coisa que 308. Problemas de fragilidade da suspensao delanteira sao certos, a qualidade geral do carro nao é boa (tenho tambiem um argo hgt que el melhor em muitas coisas e é de um segmento menor).

    • Gabriel Oliveira

      Não sei que fragilidade é essa, a do meu só fui trocar com 120 mil km, e são Luís como todos sabem é só buraco, querem pra suspensão durar a vida toda?

      • Hernan Carlos Granda

        mesmo buraco com 408 é um golpe seco em otro carro nao, em garantia trocaron 2 jogos de amortecedor e columna de direcao,. Eu nao dirigo em estradas riums e nunca em ruas de pedras o terra, e asimm carro quebro 3 vezes

        • Ubaldir

          O C4 Lounge que tive por 4 anos e 75 mil km não teve problemas significativos de suspensão. A exceção foi por conta de um acidente: caí em um gigantesco e profundo buraco com o carro cheio, danificando pneu, rodas e gerando vazamento no amortecedor dianteiro direito (foram trocados os dois dianteiros na garantia, para minha surpresa). O problema teria ocorrido com qualquer carro vista a gravidade do impacto. Até me impressionou a geometria não ter sido afetada.
          Tirando o fato de que realmente a “batida” em passagens em buracos era seca (a do Jetta que tive antes do C4 era bem pior e muito mais ruidosa), o carro sempre foi exemplar em termos de funcionamento da suspensão e ausência de ruídos construtivos, em especial no acabamento.
          Quanto ao motor (THP gasolina), esse deu os problemas que as unidades monocombustível deram comumente: troca da correia do comando, ruptura do diafragma da tampa da válvulas (necessitou de troca) e consumo de óleo a partir dos 50 mil km, sem nenhum sintoma aparente (fumaça ou vazamento), com cerca de 2 litros a cada 10 mil km, ou seja, completava-se com 5 mil, chegava na hora da troca já no nível mínimo novamente.

        • Gabriel Oliveira

          Como não? Nunca andou de Civic ou jetta? Esse relato seu pode até ter acontecido, mas é algo tão raro que só vi o seu até hj e olha que trabalho numa oficina

      • leomix leo

        A fragilidade é devido a utilização de peças de péssima qualidade, pois tenho um C4 Hatch e me arrependi de economizar R$ 600,00, e não ter colocado peças boas, tive que gastar novamente com pivô de bandeja, e Coxins de amortecedores.

        • Hernan Carlos Granda

          En meu carro siempre originais

  • hinotory O

    O meu vivia dando no painel: “Falha no motor”…

    • Gabriel Oliveira

      Resolvi mudando de posto, era combustível com água em excesso onde abastecia

  • Gabriel Oliveira

    Carro muito bom e robusto, as melhores versões pra quem quer robustez a toda prova são 2.0 manual e 2.0 at6, ou thp flex. De resto é só revisão básica

  • loociano

    Bem, tive um 308 THP comprado no fim de 2015 e fiquei com ele até dezembro de 2019 e não tive nenhum dos problemas citados, foram 4 anos fazendo apenas as revisões. Hoje ando com um Kicka e vejo como esses carros (o 308) são injustiçados, inclusive penso em comprar um 308 novamente.

  • RVM

    Tive um, 308 thp…troquei quase um carro no período da garantia… capoo, retrovisor, volante… absurdo… com 2 anos eu tava com ódio do carro já. A imprecisão da construção tira o prazer l. Adorei o carro , mas não dá mais… A mecânica foi ok. Nunca deu nada… agora suspensão, portas, barulhos, foi f…

    Anunciei no Olx, vendi no outro dia , pela tabela Fipe… a demora foi o consórcio do cara.. Mas vendeu

  • anonbr666

    Tenho dois parentes próximos, ambos tinham o THP e relataram diversos problemas. Em particular, os de AMBOS apresentaram problemas crônicos no Ar Condicionado.

    O pós atendimento nas concessionárias também sempre deixou a desejar.

  • fsjal

    Tenho um 308 THP Roland Garros que tirei no finalzinho de 2017, já modelo 2018.
    Peguei pois precisava de um carro com mais espaço e segurança e o preço foi imbatível. Sabia que seria casamento e que o carro estava em fim de vida. Paguei 80 mil, menos do que pagaria num Fit ou Kicks (outros carros que estávamos vendo). Saí de um 208 1.2 e até então estava muito satisfeito com o pós venda da marca.

    Primeira impressão que se tem ao entrar no carro é o acabamento muito bom, apesar do interior datado. Sentimos também a direção notavelmente mais pesada que o do 208 que era elétrica.

    Ao longo de pouco mais de 2 anos tivemos os seguintes problemas:
    – por volta de 2 mil km surgiu uma rachadura no vidro do teto. A concessionária encomendou outro e trocou na garantia. Foram 3 dias de serviço onde nos deixaram com outro 308 igual ao nosso.
    – aos 40 mil km o negócio foi mais sério. Após a revisão de 40, aos 41 o computador de bordo indicou óleo baixo. Levei na concessionária e eles completaram. Isso se repetiu aos 42 onde cheguei lá pedindo uma solução, pois não era normal um carro com essa km pedir óleo a cada mil km. O carro ficou lá para diagnóstico e após 2 meses lá foram trocados praticamente o motor todo e o câmbio (o câmbio foi trocado a pedido da fábrica, mas pra mim nunca apresentou qualquer sinal de funcionamento irregular – a justificativa foi de que como o serviço estaria na garantia, optaram por trocar logo tudo). Foi uma chateação ficar 2 meses sem o carro, porém tenho que ressaltar que durante esse tempo ficamos com um carro deles. Acho que em nenhuma outra marca eu teria isso.

    Apesar de tudo, estamos satisfeitos com o carro. Tem um bom espaço interno, ainda se mantém silencioso por dentro e tem um custo de manutenção dentro da realidade (consumo, revisões e seguro).

    • Fernando Oliveira

      Bem assustador o seu relato para clientes que estavam pensando em adquirir um Peugeot e ouvem as mais variadas estórias de baixa confiabilidade dos seus modelos. Tudo bem que tudo foi corrigido em garantia (nada mais do que obrigação da marca) e você não ficou sem carro. No entanto, se estes problemas se repetirem após o fim da garantia????
      Sei não, se fosse comigo, eu não teria mais confiança no veículo, tentaria repassá-lo e nunca mais pensaria em Peugeot novamente, mesmo com toda a assistência que aparentemente foi prestada, sempre vai ficar a desconfiança do veículo me deixar na mão novamente. É um lance psicológico mesmo…

      • Gabriel Oliveira

        Se fosse por relatos assim ninguém mais compraria carro nenhum, pois em toda marca tem isso

        • Fernando Oliveira

          Não vamos generalizar. No caso em tela, estou me referindo a marca Peugeot, que é inegável não possuir boa fama no mercado brasileiro, por fatores que estamos “carecas” de saber:
          – Altíssima depreciação no mercado de usados;
          – Distribuição de peças de reposição sofrível;
          – Número reduzido de concessionárias;
          – Muitos e muitos relatos na internet, como o do colega acima, que contribuem para aumentar a desconfiança da marca no nosso mercado (carros bonitos, porém ordinários).

          Particularmente, possuo um veículo da PSA (adquirido usado), mas quando leio esse tipo de relato, tenho menos coragem de adquirir um modelo 0Km do grupo. Assim como eu, há milhares de consumidores.
          Reconheço todo o esforço da marca em melhorar sua imagem, vide o que foi falado sobre a qualidade na assistência ao colega. Portanto, fica complicadíssimo para a marca cuja a imagem não é das melhores, se casos como este se repetem com uma certa frequencia.

        • Leonardo

          Amigo, não adianta ser fanboy… N existe uma conspiração nacional pra queimar a marca, os comentários ruins generalizados não surgiram do nada.
          Talvez vc teve sorte de não ter problemas com o seu carro, mas a grande verdade é que os carros da peugeot são problemáticos. Eu já vivi isso na pele e conheço outras pessoas que tiveram diversos problemas com a marca.
          A peugeot cavou a própria cova, e hoje está colhendo o resultado de anos de negligencia com o seu consumidor.

          • Gabriel Oliveira

            Nao é que tive sorte, é porque o carro é bom mesmo, basta consultar as pesquisas com os donos do carro. E claro, carro desse nível precisa de atenção do dono, como qq outro do porte dele, se relaxar vai ser bomba assim como qq Corolla relaxado ou jetta e afins. Os outros carros dão problemas do mesmo nível mas queimado é a Peugeot, que muito foi por ter carros importados mal tropicalizados e equipe mal treinada, mas agora todos tão tropicalizados e não nada demais mexer numa suspensão de um 408 ou de um Corolla por exemplo

      • fsjal

        Eu entendo quem pensa assim, no entanto, sei que não é um problema crônico do THP e sei também que a PSA segue dando assistência até para carros fora de garantia.
        Carros de 2012, 2013 que têm seus problemas do tensor e da bomba de alta resolvidos sem custo.

        Claro que a confiança fica abalada, seria hipocrisia minha falar que não, mas como o Gabriel disse abaixo, qualquer marca está sujeita a isso (vide a BMW que recentemente teve que trocar o motor de todos os modelos 330i sport no mundo todo) e a Peugeot me deu todo o suporte. Se fosse qualquer outra eu ficaria a pé.

        A PSA vem melhorando muito. O pós venda é fantástico, mas o produto ainda tem que melhorar, mais especificamente o motor THP, que sempre foi problemático (tanto que a BMW pulou fora rapidinho) e apesar dos esforços da PSA em melhorá-lo, já está na hora de seguir em frente pra algo mais moderno e menos problemático.

      • Leonardo

        Se fosse na VW, mandariam você procurar os seus direitos e fod* se.

        • fsjal

          Na verdade, passamos por caso semelhante com um Corolla.
          Meu pai teve um Corolla SEG brad pitt, que com 70 mil km começou a consumir muito óleo também, com todas as revisões na concessionária. A diferença foi que a Toyota deu de ombros e meu pai ficou com uma bucha na mão.

          • Leonardo

            Meu pai tem um Corolla XRS tirado zero também e com todas as revisões na Toyota teve um problema na mangueira do arrefecimento e queimou a junta de cabeçote, a Toyota fez de conta que não foi com ela e tomou um prejuízo de 9.000, não quis entrar na justiça. Falei mais nada.

  • Marcio Andriani

    KKKKKKKKKKKKKKKK, Esse texto ficou sem pé nem cabeça. Faz assim: 308 1.6 16v: principais problemas, 308 2.0 16v principais problemas, e 308 Thp 1.6 principais problemas. Não dá pra misturar alhos e bugalhos, valeria a pena também enaltecer as virtudes. Os motores, suspensção e freios mudam completamente de um carro a outro. Houve três atualizações de suspensão no conjunto e também mudanças entre os THPs no final da sua carreira. Em resumo: melhor reescrever o texto, ou para quem quer comprar, favor ler em outro lugar. Abraço.

  • Leonardo

    Tenho uma bomba dessa.
    Não recomendo nem pro meu maior inimigo!

    • Leonardo

      Qual o modelo e motorização do seu?

      • Leonardo

        308 feline 2.0 Aut.

        • Leonardo

          Deve ser um abaixo de 2014 com o famoso Al4, tenho um manual 2.0, só alegrias, sem fanboyzismo.

  • Romulo’

    Nossa que reportagem fraca. Parece uma colecao de relatos buscados em sites como Opniao do dono.

  • andrei petreira

    Sabe aquela namorada que é linda, boa de curva, excelente performance, onde vc passa com ela todo mundo olha, que volta e meia tira vc do sério, mas que vc ama….

  • Filipe Casagrande

    Tivemos um 307 ano 2007 que tinha um design lindo, mas também incomodou com o sistema de arrefecimento, amortecedores e o pivô. Mas gostamos muito do carro e a ideia era pegar o 308 da última geração, mas acabamos optando pelo 2008 seminovo por altura, conforto e ainda em fabricação. A Peugeot é boa, fala mal quem não teve um ou provou somente a bomba do 206.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email