Manutenção Peugeot

Peugeot 307 – Defeitos e problemas

Peugeot 307 - Defeitos e problemas

O Peugeot 307 foi um hatch médio que teve também variantes em forma de perua, conversível-cupê e sedã, tendo sido comercializado no Brasil entre 2002 (ainda importado) e 2012, já feito na Argentina.


O modelo era feito sobre a plataforma PF2 da PSA e apresentava uma carroceria bem volumosa e espaçosa, tendo ainda uma boa aerodinâmica, estilo atraente e porta-malas sempre generoso.

No Brasil, o Peugeot 307 se destacava pela boa oferta de equipamentos de conforto e segurança, tendo um bom acabamento interno e gama de versões com motorização interessante.

Por aqui, o 307 foi vendido com motor 1.6 16V de 110 cavalos, que depois virou flex e entregou até 113 cavalos, além de 2.0 16V com 143 cavalos e 20 kgfm, tendo este opção manual ou (temível) automática com quatro marchas.

Apesar do belo estilo, desempenho adequado e amplo espaço interno, o Peugeot 307 sofreu bastante por aqui. Entre os proprietários, as reclamações quanto à frente longa e baixa, que raspa fácil são notórias.

Além disso, os donos alegam que o projeto francês contemplou somente um rodar suave das boas estradas europeias, não sendo adequado às condições brasileiras.

Contudo, características à parte, o 307 tem diversos relatos de defeitos e problemas, alguns considerados crônicos e nunca resolvidos. Tais problemas, somados à assistência ruim e preços elevados das peças, contribuíram para a imagem ruim da Peugeot no Brasil.

Nas reclamações, os proprietários de 307 mais se queixam do câmbio automático AL4, assim como da suspensão (mais especificamente a dianteira) e defeitos no motor.

Peugeot 307 – Defeitos e problemas

Peugeot 307 - Defeitos e problemas

O Peugeot 307 é conhecido por diversos defeitos e problemas, de acordo com os donos. O principal deles talvez seja o câmbio automático AL4, que assim como em outros modelos da PSA, deu muita dor de cabeça para os proprietários.

Queixas sobre travamento do câmbio ou de marchas não são raras, assim como problemas com engate de marchas, que às vezes desengatam ou engatam involuntariamente logo em seguida.

Isso sem contar o travamento em uma marcha. Muitos donos do 307 tiveram que arcar com enorme prejuízo, com custos que vão de R$ 1.500 até bem acima de R$ 5.000.

Alguns conseguiram reparação ainda na garantia, mas a maioria dos relatos fala de serviços pagos dentro e fora da rede, já com a cobertura expirada. O defeito nas eletroválvulas gera até mesmo diversos vídeos na internet sobre a reparação.

No site de recall da Peugeot, não há menção à qualquer chamada oficial deste problema. Até uma petição pública para um recall do câmbio automático AL4 foi feita pela internet.

Suspensão problemática

Peugeot 307 - Defeitos e problemas

Outra reclamação recorrente a muitos donos de Peugeot 307 é quanto à suspensão. Muitos reclamam que o conjunto McPherson dianteiro e eixo de torção traseiro do médio francês, não aguenta rodar no Brasil.

Os donos se queixam bastante de barulhos no conjunto, especialmente na frente, onde também o balanço dianteiro longo, permite que o carro raspe bastante em lombadas, depressões e rampas de garagem.

Contudo, os defeitos e problemas são relativos à durabilidade. Vários alegam que tiveram de trocar buchas e batentes da suspensão dianteira com frequência muito acima do normal para um carro.

Entre os prejudicados com isso, alguns tiveram de fazer essa reparação ainda no tempo de garantia do carro e em baixa quilometragem. Alguns tiveram de substituí-las bem antes de 50.000 km.

Além de buchas e batentes, também a famosa bieleta do sistema de direção entra na troca constante de peças, sendo que um proprietário alega que duram em média 10.000 km apenas.

Já os coxins do motor também são outros dos componentes que não duram muito, segundo relatos. Um proprietário teve este batente quebrado com apenas 40.000 km.

Também existem reclamações quanto a barulhos no eixo traseiro, assim como defeitos nos rolamentos das rodas traseiras. Embora tenha sido bem montado na opinião de muitos, o Peugeot 307 gera mais ruído interno vindo do exterior, no caso, da suspensão.

Motor aquece

Peugeot 307 - Defeitos e problemas

Os dois motores empregados pelo Peugeot 307 no Brasil também possuem defeitos e problemas na visão de vários proprietários. O superaquecimento é um dos pontos que mais são criticados.

Num fórum de clientes da marca, relatos de “sumiço de água” no radiador também não são raros, mas nos sites de opinião de dono e também em outros espaços da internet, falam de motor aquecendo demais.

Alguns dizem que na reparação trocou-se até a bomba d´água, mas que a causa mesmo era bem pior, a junta do cabeçote, que apresentava defeito, permitindo o ingresso de água na câmara de combustão.

Também houve casos em que dois cilindros estavam interligados por causa da junta rompida, fazendo o motor funcionar com apenas dois cilindros.

Da mesma forma que no AL4, a junta não teve um recall oficial, mas o chamado “programa junta de cabeçote” para substituição da mesma.

Outros defeitos relacionados apontam o superaquecimento devido à junta do reservatório de água, assim como problemas com mangueiras.

Além do sumiço da água, vários donos do Peugeot 307 relatam desaparecimento do óleo lubrificante. Não em relação à vareta de medição, mas ao consumo real de lubrificante.

Na maioria dos depoimentos, os proprietários falam de consumo de um litro de óleo do motor a cada 1.000 km, o que é demais para um motor moderno.

Um dono alega que o nível baixa tanto que praticamente o motor consome “um litro de óleo por semana”. Quase não existem relatos de vazamento de lubrificante no 307, o que reforça a ideia de que o óleo está sendo queimado com combustível.

Nesse caso, alguns dizem que já trocaram o catalisador bem antes de 100.000 km, mas outros indicam um alerta em específico no painel: “defeito no sistema antipoluição”.

Alguns falam que o defeito acima apareceu e depois sumiu novamente, sem nenhuma intervenção no propulsor.

Outros resolveram o problema de forma eletrônica em oficinais especializadas, mas sem mexer no catalisador e outros sistemas de controle de emissão.

Também existem relatos de falhas do motor quando frio, especialmente com etanol. Dificuldade para dar partida também é recorrente, mesmo com o carro já aquecido.

Alguns donos disseram que o 307 não pegava de jeito nenhum e que foi preciso um reboque para levar até a assistência.

Outros defeitos

Peugeot 307 - Defeitos e problemas

Entre os defeitos e problemas do Peugeot 307, os donos comentam do sistema de áudio original, especialmente no USB, que deixa de funcionar sem um motivo aparente.

Também existem depoimentos sobre pane elétrica no médio da Peugeot, com desligamento do painel, principalmente. Outro problema é na chave de ignição com defeito, que motivou a troca do componente em alguns carros.

A qualidade da bateria argentina, empregada no Peugeot 307, também é relatada pelos donos como sendo de baixa qualidade e durabilidade.

O marcador de combustível também é outro componente que apresenta defeito, indicando reserva quanto em realidade, ele está bem mais cheio. Um dono diz que ele aos poucos volta ao normal.

Oficialmente, a Peugeot reconhece alguns defeitos no 307 que a obrigaram num chamamento para inspeção e troca sem custos ao cliente.

Nesse caso, houve recall do 307 para a manta de isolamento acústico no compartimento do motor, iniciada em 2014 e para todas as variantes do modelo.

O problema estaria na remoção da manta em serviços de manutenção do carro e, sua má recolocação, expunha parte da fiação do chicote elétrico do 307, gerando risco de incêndio.

Outro recall foi do sistema de iluminação do Peugeot 307 que, em alguns casos, poderia provocar o apagamento do faróis durante a condução, expondo motorista, passageiros e terceiros em caso de acidentes.

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • leitor

    Era um carro muito bonito, o hatch, mas feito para outro lugar. E essas frentes cumpridas pra raspar no chão com facilidade é o que mais se vê nos carros. O sedã parece que tinha uma deformação na traseira. Parece que colaram uma caixa pra colocar as malas.

  • zeh

    Problemas citados acima estão presentes em toda linha…no Citroen também… idênticos… como se fossem crônicos…a Peugeot deixou rolar e agora ficou com a fama… mecânicos enfiam a faca quando vêem esses carros…e um fato… dobram os preços das peças aproveitando da fama e pra ganharem um extra… isso só piora as coisas…quem os tem… jamais os terão de novo…

  • Vinicius

    Tive dois, um 2005 e outro 2007 1.6, ambos comprado zero, cambio manual, assim não tive problema com o automático AL4, que foi uma redução de custo mal sucedida do câmbio Aisin, queimou o nome Peugeot, não estava dimensionado para a potência do motor.2.0. O problema da queima de junta só aconteceu no motor 2.0. A boia do marcador de combustível afogava, tive que trocar uma vez mas depois nunca mais. O coxim hidráulico do motor tive que trocar com 50 mil km, mas era barato. Os barulhos na frente resolvia gratuitamente na Peugeot, pois os rebites de plástico soltavam quando batia na frente, havia um borrachão na frente que deixava o carro muito baixo. O modelo 2005 só gasolina nunca baixou óleo, porém no 2007 que era flex baixa óleo, tinha que completar 1/2 litro entre trocas de óleo. No mais era um carro excelente, um dos melhores que já tive, tenho boas recordações..

    • MarcosGojira

      Se você teve um nessa época então era assíduo do Clube Peugeot assim como eu heheh… Boas memórias daquele fórum, os caras sabiam mais que os mecânicos da própria Peugeot, aprendi muita coisa lá.

  • Paulo Henrique

    boa matéria, Faz do 308 a mesma matéria comparado se os defeitos foram resolvidos ou persistiram com o facelift do caro.

  • Ubaldir

    Meu irmão tem um 307 2006/2007 com 143 mil km rodados. Carro muito sólido, sem ruídos de acabamento interno ou de carroceria. Não enfrenta problemas com suspensão, a despeito de ter instalado no carro rodas 17¨com pneus de perfil 45.
    Ele enfrentou sim problemas com o cabeçote. Após trocar a junta da peça por umas três vezes, acabou optando pela troca do cabeçote, deixando de ter problemas com isso após esse reparo. Por certo havia alguma micro-trinca no cabeçote que permitia o contato óleo-água e causava superaquecimento.
    No mais, o carro está com ele a uns 6 ou 7 anos, sem quaisquer outras ocorrências. É extremamente bem equipado, tendo uma lista de equipamentos que faz inveja a muitos modelos, ainda hoje: ar digital, sensores de chuva e crepuscular, controles de áudio no volante, bancos e volante de couro, dentre outros.
    Há de se registrar que o carro dele é equipado com transmissão manual.

    • RKK

      1.6 ou 2.0 ?

    • Edson Fernandes

      Ar digital apenas não: Ar digital de duas zonas.

      Farois com foco projetado… e por aí vai.

      • Ubaldir

        Isso. É o que eu quis dizer com “dentre outros”.
        Sem falar no acabamento interno muito diferenciado, com várias superfícies em toque suave, peças em diversos tons, incluindo prata acetinado em diversas molduras. O carro realmente parece uma versão topo de algum modelo atual.
        O dele é prateado.

  • DODHOP

    A maioria dos defeitos do 307 são decorrentes da negligência na manutenção preventiva ou então da pecinha atrás do volante. Em tempo, no leste europeu as vias são muitas vezes tão ruins quanto as nossas e se vê 307 e outros modelos antigos da PSA rodando aos montes.

  • Jean Lehn

    Vai ficar postando defeitos até o final dos tempos kkkkkkkkkkkkkkkk

  • RodrigoTM

    Eu tive 2 307, um 2003 e outro 2009. Ambos com motor 1.6 e cambio manual. Nunca tive nenhum problema com nenhum deles, manutenção apenas as corriqueiras e padrões (para a km que apresentavam). Ambos foram vendidos com mais de 100.000 km rodados.
    Tenho conhecimento de pessoas que realmente tiveram problemas, mas com os meus, realmente nunca me deram nenhuma dor de cabeça.

  • Baetatrip

    Tivemos 1 Feline prata top de linha ano 05/06…….
    O carro era lindissimo…!
    Completo com teto + AT4….
    O carro era muito bom….. Curvas entao… Quase kart! Quando ultrapassava a curva escutava o barulho derrapando e era facil de ajeitar o carro…!
    Melhor ponto do carro era conforto e principalmente o apoio de braço era comprido que chegava quase no cambio……!
    Ao rodar era muito bom… Só era pouco dureza por causa da suspensao e a saia “bicuda” que adorava raspar poe era borrachinha mole, porem o peito de aço era “curvado” p/ dentro e raramente raspava!
    Era bem espaçoso interior e painel era bonito e comando satelite facil de usar!
    Detalhe importante: quando vc pisava o freio muito forte… acendia o pisca alerta na hora modo automatico e o acendimento do farol era excelente… Pois acendia na hora quando entrava no tunel e aparaga quando saia….. Acendia cedo até!
    Usei pouco tempo o carro (10.000km) , era o carro do pai usava p/ trabalhar…
    Lembro que pagou na época… 66.000 pratas!
    Pois durante quase 4 anos deu problema nada d+
    1 foi a valvula termostato travou aberto…(Eu estava chegando na faculdade e reparei que chegou no vermelho) e escutei que agua estava circulando….. e fui embora….. Pensei que tinha aquecido o motor….. resfriou… Sorte!
    E outro problema era o parafuso do cambio que ficava torto…. A luzia do cambio ficava “-” pois ficava fora do lugar, ajeitou e pronto!
    Atualmente mora no MS…
    Lembro que choveu d+ em 2009 e estava na outra cidade voltando para casa…. Eu + 307 com chuvarada e errei o caminho e peguei estrada de terra com muita lama fina e normal….. Como tenho jipe… Encarei com calma usando o tip tronic e deixava o carro escorregar e seguia o trilho da lama….
    Ate 1 moto saia de “lado” por causa da lama…. eu atras e preocupado…!
    Cheguei na fazenda vivo e 307 tb…. O carro foi guerreiro, pois pensei que ia atolar e foi muito bem!
    encarei uns 20km de tera com lama,,,, Com calma sem preocupação!
    SW era linda d+… Era pouco cara….!
    Pegamos 0km ate 65.000 km… Deixou saudades, pois era carro bem bonito + confortavel+ confiável!

    • MarcosGojira

      po bacana seu relato, obrigado por compartilhar

  • LLX 💰

    Essa veio do Irã
    💣💣💣

  • RicardoVW

    Maior defeito do sedã é a traseira horrível!

  • Pete Alves

    A fama de fragilidade dos franceses não é mero preconceito. Sempre vai aparecer um para dizer que o Peugeot do irmão do filho do pai nunca deu problema, mas os defeitos nos franceses da PSA se repetem em inúmeros casos, não sendo problemas aleatórios que podem ocorrer em produtos fabricados em larga escala.

  • Carlos

    Tenho um SW 2.0 2008 câmbio manual, gasolina. Comprei com 56.000km e agora está com 133.000km. Muito satisfeito com o consumo: 12,5km/L (Brasília com trânsito leve). Dos defeitos apontados só os avisos de defeitos no ecram. Por ora só manutenção preventiva.

  • Esse site já foi melhor um dia. Não estarei mais por aqui, postagens enche linguiça …

  • Edson Fernandes

    Fico eu imaginando qdo os carros downsizing forem passar por esse tipo de noticia.

    O que vai ter de reclamação a respeito não está no gibi. Eu quase tive um 307, aconteceu que os que eu queria foram vendidos e felizmente adquiri um carro que eu já queria mto antes. Mas… ficou 307 e Vectra GTX como escolhas nessa mesma epoca. Um que desisti apesar de ter melhor cambio era o Golf. Mto mais caro que não ofertava mto mais para custar mto.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email