Chevrolet Hatches Manutenção Matérias NA Sedãs

Chevrolet Sonic – Defeitos e problemas

Chevrolet Sonic - Defeitos e problemas

O Chevrolet Sonic chegou ao Brasil em 2012 para substituir o Chevrolet Agile, que vinha sendo vendido desde 2009, em plena crise da GM. O modelo chegou importado da Coreia do Sul e do México, sendo oferecido em carrocerias sedã e hatchback.


Compacto, o Sonic usava a plataforma Gamma II da GM, cuja variação foi feita no Brasil para sustentar quase todos os compactos nacionais da Chevrolet.

Tendo um belo design, o Chevrolet Sonic tinha uma proposta mais premium que o Onix, apesar de alguns detalhes deixarem a desejar em sua missão.

Por causa das vendas fracas, o que era para ser um sucesso, virou um fracasso, saindo do mercado em setembro de 2014. Aqui, ainda teve a primazia de oferecer motor 1.6 Ecotec 16V com 116 cavalos na gasolina e 120 cavalos no etanol.

Com torque de 15,8/16,3 kgfm, o Sonic tinha um conjunto que era superior ao Onix em termos técnicos e tinha também opção automática de seis marchas, além da manual de cinco marchas.

Para alguns que compraram o Sonic, defeitos e problemas foram apontados em depoimentos na internet. Alguns dos relatos falam do câmbio automático de seis marchas, assim como da bomba de combustível.

Também apontam defeitos e problemas na suspensão dianteira e coxins do motor. Ruídos internos são indicados também, assim como dor de cabeça com alertas que não foram resolvidos.

Chevrolet Sonic – Defeitos e problemas

Chevrolet Sonic - Defeitos e problemas

O Chevrolet Sonic é um carro que durou pouco tempo no mercado nacional e vendeu muito abaixo do esperado pela General Motors, por conta disso, a quantidade de relatos de defeitos e problemas não são muitos.

Do que há registrado na internet, em clubes, fóruns, sites de reclamação e opinião do dono, é que o Sonic tem entre seus defeitos e problemas, falhas no câmbio.

Tanto manual quanto automático, ambos apresentaram problemas nos relatos de alguns donos. No manual, falam sobre uma mola tensora para retorno ao neutro, o que torna as trocas de marcha bem ruins.

No caso do automático, são mais defeitos relatados. Falam de câmbio automático com travamento de marcha tanto em ré quanto em drive, impedindo a mudança para outras posições.

O botão de mudança manual também deu defeito em alguns casos, sendo um item de difícil localização no mercado de autopeças. Já a trava de seleção das marchas (por meio de um botão no pomo) é tida como defeituosa no Sonic.

Outros relatos falam de defeitos na programação do câmbio com trancos para engate de drive e ré. Existem casos em que os proprietários não conseguiram resolver na rede Chevrolet e acabaram vendendo o carro.

A maioria dos apontamentos foram feitos ainda enquanto os carros estavam na garantia, mas mesmo através das concessionárias, não resolveram o defeito.

Falhas de funcionamento

Chevrolet Sonic - Defeitos e problemas

Vários relatos falam ainda de falhas de funcionamento do motor Ecotec 1.6 16V, um propulsor bem mais moderno que os Econo.flex e Flexpower que a GM vendia em seus carros na época.

Alguns donos do Chevrolet Sonic dizem que defeitos na programação do motor provocam falhas no funcionamento, inclusive com engasgo do propulsor após desligamento.

Falta de potência e alto consumo também são apontados. Alguns dizem que o problema é que o motor não teria sido adaptado às condições do Brasil e outro chegou a falar que, mencionando um revendedor, que o álcool usado era outro.

Os problemas geralmente estavam associados ao uso do etanol nacional no Ecotec 1.6, cuja calibração deveria ser diferente. Um proprietário levou seu Sonic diversas vezes à assistência técnica da rede Chevrolet.

Numa dessas visitas, ele relata que o consultor técnico informou não ter solução para o problema, que apenas uma reprogramação seria feita, porém, tendo efeito por pouco tempo, retornando o defeito.

Vários casos de Sonic com falhas tiveram a mesma reprogramação, mas o problema retorna com o uso do etanol. Por ser um propulsor moderno, muitos reclamam que seu consumo e funcionamento deveriam ser bons.

Teve proprietário que, fora da rede Chevrolet, tentou encontrar a solução, mas sem chance. Outro recebeu de um consultor a informação de que possivelmente seriam as velas, mas sem um diagnóstico.

Fora da oficina credenciada, as velas do Sonic estavam boas e ao consultar a revenda, descobriu que elas só são trocadas a cada 100.000 km, o que o fez desistir da substituição.

Parte dessas falhas estariam ainda associadas com a bomba de combustível. Nesse caso, relatos apontam ainda para outro problema, o ruído provocado pelo dispositivo localizado no tanque de combustível.

Estranhamente, quando usando etanol, a bomba emitiu um ruído dentro do veículo durante toda a operação, ou seja, continuamente enquanto o motor estiver consumindo apenas álcool. Alguns trocaram a bomba ainda na garantia.

Dentro do cofre, outro defeito relatado é o da bateria. Alguns donos apontam problemas no dispositivo de armazenamento de energia, chegando um deles a dizer que a mesma simplesmente estufou e outro apontou que ela não durou 18 meses.

Também se fala da tampa de válvulas do motor, que teve defeito na junta do mesmo, gerando também falha de funcionamento do propulsor. Alguns dizem que o custo da peça é elevado.

Barulhos

Chevrolet Sonic - Defeitos e problemas

Para um carro com proposta de compacto premium, o Chevrolet Sonic deixa a desejar na opinião de alguns donos, que reclamam de barulhos internos e até de molduras internas de baixa qualidade.

Também apontam ruídos no funcionamento do motor, associado com os coxins. Vários apontaram a troca dos mesmos, mas a maioria ainda na garantia.

Um deles teve os coxins trocados com menos de 20.000 km e apontou: não são protegidos pela cobertura de fábrica, o que gera um custo adicional.

Outro apontou o mesmo com 37.000 km. Alguns mencionaram o problema, mas sem especificar qual a quilometragem dentro da garantia do veículo.

Na suspensão dianteira, também existem queixas de barulhos no conjunto, bem como de obrigatoriedade de substituição das bieletas.

Alguns apontaram a troca na garantia e um deles revelou que houve um “recall branco” para o mesmo. Nesse caso, a troca era feita sem custo na rede Chevrolet.

Outros donos falam da baixa qualidade dos pneus importados com o Sonic.

Recalls

Chevrolet Sonic - Defeitos e problemas

Embora com pouco tempo de Brasil, o Chevrolet Sonic teve algumas chamadas para correção. Uma delas é relacionada com os “airbags mortais” da Takata, que afetou milhões de carros no mundo.

Esta chamada era para os carros feitos entre 2012 e meados de 2014. Outro foi relacionado com a tubulação de combustível e também do ar condicionado.

Havia o risco de vazamento de gás ou combustível, com potencial risco de incêndio e danos ao veículo, bem como à integridade dos ocupantes e terceiros.

Foi a chamada para os carros feitos entre abril de 2012 e maior de 2013. Porém, para aqueles entre janeiro de 2012 e março de 2014, outro recall foi declarado, o dos anéis de vedação da bomba de combustível.

Com especificações fora do padrão, estes anéis de retenção não impedem o vazamento de combustível em caso de capotamento do veículo, o que ele o risco de incêndio e explosão após o acidente.

Inspeção e/ou troca do tanque de combustível foi outro recall, assim como da tampa das válvulas e do referido botão da trava do câmbio.

Mesmo os carros reparados fora da concessionária, no caso de vazamento de combustível através da bomba, estão cobertos pelo recall.

Apesar de ser considerado um bom carro, o Sonic teve defeitos e problemas que minaram a confiança dos clientes da marca americana.

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • A verdade é que o Sonic foi um carro ruim para o Brasil, pois não foi devidamente preparado para as condições de rodagem do país. Foi um tapa buraco da GM diante da chegada do New Fiesta.

  • Lucas de Lucca

    Bonito de frente, horroroso de traseira. O interior é medonho, lembro que seu concorrente na época o New Fiesta Mexicano era bem superior nesses quesitos além de ter uma mecânica mais confiável.

    • Paulo Lustosa

      2013 já era o New Fiesta nacional, com câmbio powershit, e com acabamento bem inferior.

      • Lucas de Lucca

        Até a metade de 2013 foi vendido o mexicano, ano modelo 13/13. O nacional com Powershift veio no segundo semestre já como modelo 14.

        • Paulo Lustosa

          Sim, por sinal era menos equipado que o nacional e não oferecia câmbio automático e nem automatizado.

      • Antonio_Brust

        Ainda assim, se for considerar o conjunto do carro, o New Fiesta nacional é um produto melhor que o Sonic.

        • Paulo Lustosa

          Exceto o powershift, que vive mais quebrando que rodando. New Fiesta nacional ganhava no motor e nos equipamentos, e só. Qualidade de montagem e acabamento é inferior, além do espaço interno inferior e o câmbio automatizado dele é muito mais problemático que o 6T30 do Sonic, que qualquer peça que der problema dá pra por peça do Cobalt que é plug n play, e no Cobalt que tem um nível de torque maior, é zero problemas.

  • Guilherme Cavalcanti

    Vendi um recentemente com 51mil KM, LTZ AT6, dos defeitos mencionados, só tive problema com o Coxim mesmo, gerando muita vibração interna. Fui pego de surpresa ao ler relatos de barulho interno: foi o carro mais silencionso que já tive, só escutava barulho de motor e pneus no asfalto. Considero também que o acabamento interno dele é muito melhor que o do meu Renegade atual.

    • Rodrigo

      Eu também tive o Sonic e, dos problemas mencionados, tive o coxim do motor trocado 3 vezes, as bieletas trocadas uma vez (a peça é de plástico bem vagabundo) e logo na primeira semana com o carro – tirado zero km – o ar condicionado quase não gelava, veio com pouco gás no sistema. Cabe mencionar que todas elas foram cobertas pela Chevrolet durante o período de garantia.

  • Lucas

    era um carro que queria ter na época, mas era muito caro, quando ficou com um preço decente não tinha mais vendas e já tava saindo de linha.

  • Fabio

    Ótima matéria, mas o cara que apresenta o vídeo é péssimo. Não irei a loja dele.

  • Dr. Sinistro

    Discordo completamente do texto. Tenho há 6 anos um sedan LTZ com 150.000 km rodados e zero problema. Barulho interno? ZERO! Irei ficar com ele mais uns 4 anos.

    Esse trecho: “O Chevrolet Sonic é um carro que durou pouco tempo no mercado nacional e vendeu muito abaixo do esperado pela General Motors, por conta disso, a quantidade de relatos de defeitos e problemas não são muitos”… A conclusão carece de lógica.

  • ahpoisé!

    Concordo com o comentário, lindo de frente, Feio na traseira e no interior, esses dias um amigo me falou que foi na GM ver o par de palhetas originais p/ ele, R$650. Loucura.

  • Henrique12

    Anos-Luz mais bonito que o Agile, e o Agile “vendeu”. A desculpa da aparência não justifica nada…

  • José Lôbo

    Tive um hatch LTZ AT 2013/2013, vendi ele mês passado com 53 mil km quando o adquiri estava de olho no onix ltz ( era o que cabia no orçamento), mas tinha esse em promoção e na época ficava 2 mil a mais do que o onix… dos problemas relatos tive: coxim, suspensão dianteira e tampa do comando de válvula ( essa trocada na garantia). Além desses eu tive problema com a ventoinha do radiador( um absurdo para trocar), gás do ar-condicionado que vazava constantemente e a concessionária nunca deu jeito ( só resolvi com o fim da garantia em uma oficina especializada em ar condicionado), mangueira que leva o combustível até a injeção rachou e vazou todo combustível ( nunca achei a de reposição tive que colocar a do cruze 2012); tirando o ar condicionado todos os problemas se deram após 50 mil kms… até eles não tinha nada a reclamar do carro, como ele passou a ficar mais na oficina do que em casa, passei para frente. Eu gostava bastante do design dele e do polêmico painel de “moto” ( após dois meses com o novo, não me acostumei ainda com o painel de “carro”.
    Creio que não vendeu mais pois dividia a cota de importação com a tracker, e como a tracker vendeu mais, priorizaram um em detrimento do outro.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    “O Chevrolet Sonic chegou ao Brasil em 2012 para substituir o Chevrolet Agile”
    Não era pra substituir o Astra?

  • Pablo Mayrinck

    Modelo veio para substituir o astra, como o cruze para o vectra, nuca tive nenhum problema relatado na matéria, fui trocar o coxim agora com 90.000 km, pontos negativos são o consumo 10km/l na cidade e porta mala pequeno. Nao venderam mais pq estavam vendendo o ônix um carro inferior pelo mesmo preço e como era importado preferiram usar a cota para a tracker

  • Filipe Casagrande

    Trabalhei numa campanha de carona num Sonic sedan e o carro era guerreiro, enfrentava qualquer estrada com agilidade e silêncio. Só achava a desejar para os ocupantes de trás, que nem luz de leitura tinha (ruim para um carro com proposta premium), já para os ocupantes da frente tinha de tudo. O meu primo pegou um Sonic hatch automático e, tirando o consumo alto de gasolina, é um belo carro ainda.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email