Chevrolet Tracker – defeitos e problemas

Chevrolet Tracker - defeitos e problemas

O Chevrolet Tracker é um SUV compacto que a General Motors vende no mercado nacional desde 2013.


O modelo é o segundo com esse nome por aqui, mas não tem relação direta com o primeiro, que era o Suzuki Grand Vitara, embora ambos sejam utilitários esportivos. Um dos mais vendidos do mercado, o modelo tem defeitos e problemas?

O modelo importado do México é vendido pela Chevrolet com três versões (LT, Premier e Midnight), todas equipadas com motor 1.4 Turbo com 150 cavalos na gasolina e 153 cavalos no etanol, além de até 24,5 kgfm. O câmbio é automático de seis marchas e a tração dianteira.

Com carroceria volumosa, embora compacta, o Chevrolet Tracker se destaca pelo visual com LEDs diurnos, multimídia MyLink com On Star, sistemas Google Android Auto e Apple Car Play, visual diferenciado na versão Midnight, teto solar elétrico, entre outros. Antes da atualização, o modelo tinha motor 1.8 de até 144 cavalos e o mesmo câmbio, mas com estilo próximo do Cruze antigo.

Entretanto, o Tracker tem algumas coisas que os donos reclamam, desde freio traseiro a tambor até ausência de sistemas importantes, como controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, sensores de chuva e crepuscular, sensor de estacionamento, entre outros. O porta-malas pequeno também é outra característica considerada ruim no produto. Mas, entre os defeitos e problemas, dois itens chamam atenção.

Um não é nem defeito e nem problema, pelo menos não tecnicamente, mas em termos práticos, atrapalha muito a vida, segundo os donos. Este é o Start&Stop, que não pode ser desativado. A crítica é a mesma dos donos de Cruze. A outra é a qualidade dos discos de freio, que empenam com facilidade.

Chevrolet Tracker – defeitos e problemas

Chevrolet Tracker - defeitos e problemas

Discos de freio empenados

Os discos de freio do Chevrolet Tracker estão entre os poucos defeitos e problemas recorrentes do modelo. Vários relatam mencionam a mesma coisa, um trepidar incômodo durante as frenagens. Mas, não é a atuação do ABS. Os donos dizem que os discos realmente empenam e com baixa quilometragem, geralmente entre 10.000 e 20.000 km.

O fato é que o problema já é tido como crônico no SUV compacto e virou matéria de duas importantes revistas especializadas, onde outros relatos apontam a mesma coisa. Com o empenamento dos discos, o desconforto e a perda de eficiência é notada rapidamente.

Um dos donos de Tracker diz em sua reclamação em site dedicado, que trata-se de um vício de produto, conforme o Código de Defesa do Consumidor. Ele teve seu carro verificado por uma concessionária, que constatou o defeito e se prontificou a troca-los dentro da garantia, mas exigiu o pagamento da mão de obra.

A GM chegou a fazer um recall de freio do Tracker com quase 8 mil chamados, mas tratou-se somente da tubulação de freio. Além do problema nos discos, a demora pela peça também gera reclamação, sendo que o item é importado e levaria dias para chegar ao Brasil, segundo atendimento técnico em alguns relatos.

Qualidade da pintura

Chevrolet Tracker - defeitos e problemas

Outro defeito apontado por alguns donos de Chevrolet Tracker é a qualidade na pintura.

Muitos relataram defeitos no acabamento externo e peças de tons diferentes, assim como riscos aparentes, descascando e outros problemas, que exigiram reparo antes mesmo de sair da concessionária, segundo alguns relatos.

Não se sabe se parte dos defeitos são oriundos do transporte, mas em 2017, pelo menos mais de 300 unidades do Tracker teriam sido prensados e destruídos por seguradora no Rio Grande do Sul, após danos gerados durante o transporte marítimo entre o México e o Brasil, atribuídos à contaminação por água do mar.

Atuação do Start&Stop

O item é um sistema de desligamento automático do motor, quando o carro para com o câmbio engatado. É um recurso para reduzir o consumo de combustível e geralmente usado em motores maiores ou mais potentes. No caso do Chevrolet Tracker, com motor 1.4 Turbo, o Start&Stop vem de série.

No entanto, o que era para ser um item elogiável, já que contribui para economia, é considerado por alguns donos de Tracker como estando entre defeitos e problemas do carro. Muitos reclamam que ele não pode ser desligado, o que é verdade. Mas o motivo para as queixas é outro, sua atuação.

Os donos dizem que ele entrar a qualquer toque no pedal do freio, atrapalhando mesmo em manobras. Alguns relatam trancos no religamento, causando enorme desconforto.

O sistema já foi mencionado aqui na matéria do Cruze – defeitos e problemas – e da mesma forma, os proprietários dizem que a solução é colocar o câmbio em modo manual ou ligar o desembaçador do para-brisa. Outros dizem que basta colocar na velocidade 1 do ventilador.

Entretanto, quando questionada pelos clientes, a GM diz que o projeto do motor 1.4 Turbo contempla desde o início o uso do Start&Stop e que ele é um recurso importante para redução de consumo.

Barulhos e consumo

Os donos de Chevrolet Tracker dizem que, entre os defeitos e problemas do modelo, os barulhos estão presentes. Alguns reclamam da suspensão excessivamente firme nas versões LTZ e Premier, que usam rodas aro 18 polegadas. Assim, boa parte das imperfeições são reproduzidas no interior.

Também há relatos de ruídos no painel e parte do acabamento. Mesmo com os vidros fechados, alguns relatam que o ruído de vento é bem audível no habitáculo.

Outros ruídos externos, como rodar dos pneus, também são reproduzidos no interno e incomodam alguns donos. A tampa traseira, sobre o compartimento de bagagem, também é uma fonte de ruído, segundos proprietários que se queixam.

No modelo anterior, com motor 1.8 Ecotec, uma das reclamações mais frequentes é o alto consumo, especialmente com etanol, variando de 5 a 6 km/l na cidade e de 7 a 8 km/l na estrada. Também existem queixas quanto ao consumo com gasolina, variando de 7 a 8 km/l na cidade e pouco mais de 10 km/l na estrada, sempre com ar condicionado ligado.

Como se trata de um motor aspirado em um carro bem pesado, no caso do Tracker LTZ 1.8, o propulsor necessita de mais esforço para mover os 1.390 kg do SUV compacto.

Ar condicionado fraco

Entre os defeitos e problemas relacionados com o Chevrolet Tracker, o ar condicionado é citado com certa frequência em unidades do modelo mais recente, já atualizado. A reclamação no geral é que o dispositivo de climatização não gela de acordo com a necessidade.

Alguns dizem que ele desliga sem motivo e religa novamente, enquanto outros comentam que ele não é eficaz quando o tempo está bem quente, esfriando muito em dias mais amenos ou frios, o que incomoda devido ao clima presente em diversas regiões do país.

Também comentam que, conforme a rotação sobe, a temperatura interna cai, mas se a rotação diminui, o interior volta a esquentar. O problema até virou tópico em fórum dedicado ao modelo. Em alguns casos, as falhas de funcionamento foram resolvidas na rede autorizada.

Outras reclamações

Os donos de Chevrolet Tracker também reclamam da capacidade de frenagem, sendo que alguns apontam o uso de tambores nas rodas traseiras como causa disso. Alguns dizem que o sistema parece pouco dimensionado para o desempenho e porte do utilitário esportivo compacto.

O fato não tem relação com os casos de empenamento dos discos e nem com a falta de controle de estabilidade, que passou a ser item de série somente em fins de 2018.

Outro item apontado como tendo falhas em vários casos é a multimídia MyLink. Apesar da crítica em não ter um navegador GPS nativo, os donos que reclamam, dizendo que o sistema falha e que o sistema OnStar, mesmo pago, não funciona corretamente.

Então, o Chevrolet Tracker é um utilitário esportivo que chegou ao país devendo muito itens e gerando reclamações com isso. Itens básicos eram negados ao produto, que demorou para embalar nas vendas por aqui. Com peso acima da média, foi preciso um motor mais potente para que o mesmo tivesse um desempenho adequado.

Fora as muitas ausências, o defeito nos discos de freio do primeiro modelo marcaram sua presença por aqui, enquanto reclamações quanto ao sistema Start&Stop são características do segundo modelo, que apenas recentemente teve o pacote de segurança completamente instalado.

Ainda assim, muitos elogiam o estilo do Chevrolet Tracker, o bom consumo do motor 1.4 Turbo e o espaço interno, apesar do porta-malas limitado.

O desempenho do propulsor atual também é outro ponto que muitos apreciam no SUV da General Motors, que em março terá a nova geração revelada na China e que deve começar a ser produzida no Brasil em dezembro.

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.