Chevrolet Manutenção Matérias NA Sedãs

Chevrolet Cruze – defeitos e problemas

Chevrolet Cruze - defeitos e problemas

O Chevrolet Cruze de segunda geração é um sedã médio produzido na Argentina e que chega ao país junto com sua variante hatchback, o Sport6. O modelo trouxe diversas inovações sobre o anterior e ficou mais atraente. Oferecido com motor turbo, o Cruze parece ter superado o antigo em termos de performance e espaço, mas será que tem muitos defeitos e problemas?


Feito sobre a plataforma D2XX da GM, o Chevrolet Cruze ficou maior e mais aerodinâmico, trazendo consigo um novo motor, o 1.4 Ecotec Turbo com injeção direta de combustível e tecnologia flex com 150 cavalos na gasolina e 153 cavalos no etanol, além de bons 24,5 kgfm no combustível vegetal. O câmbio, porém, é o mesmo automático de seis marchas já usado anteriormente.

Apostando em novas tecnologias, o Chevrolet Cruze dispõe de multimídia MyLink com Android Auto e Car Play, Start&Stop, acabamento em couro, revestimentos em dois tons, carregador indutivo de smartphone, direção elétrica, ar-condicionado automático, entre outros. Mas, alguns desses sistemas são criticados pelos proprietários.

Em depoimentos na internet, dois itens do Chevrolet Cruze são os mais criticados pelos donos. O principal e que motivou a venda de alguns exemplares por parte de seus proprietários é o sistema de desligamento automático do motor, o Start&Stop. O problema não é o dispositivo em si, mas sua não desativação. Saiba que até uma solução digital foi criada para resolver a questão que a GM não atendeu ainda.


Outro problema citado várias vezes na internet é a qualidade do acabamento, considerado muito fraco pelos proprietários, que apontaram diversos defeitos e problemas. A suspensão dianteira e o banco traseiro são outros dos itens que mais geram reclamações nos donos do Chevrolet Cruze de segunda geração.

Chevrolet Cruze – defeitos e problemas

Start&Stop não desliga

Chevrolet Cruze - defeitos e problemas

O sistema de desligamento automático do motor, popularmente conhecido como Start&Stop, é um item que ajuda a reduzir o consumo de combustível no trânsito urbano. Com o veículo parado e engatado, ele desliga o motor e o religa assim que o pedal do freio é solto.

A tecnologia é usada em motores de alto desempenho ou turbinados, assim como em propulsores mais antigos, que precisam compensar a emissão de CO2. No caso do Cruze, embora seja uma inovação para o modelo, no pós-venda ele se tornou um dos defeitos e problemas mais recorrentes do modelo.

Como não pode ser desligado manualmente, os clientes reclamam que ele desliga em momentos indesejáveis e que incomoda muito no dia a dia ao invés de ajudar. O recurso pode ser desativado em outros carros, mas não no Chevrolet.

Para resolver a questão, até macetes os donos criaram, como passar o câmbio para o modo manual ou desviar a ventilação para o para-brisa, o que força o sistema elétrico e impede o uso do dispositivo. Um dono disse que após o desligamento do motor, o carro não funcionou mais e estava em pleno trânsito. Noutro, o veículo teve que ser rebocado e ficou 4 dias na concessionária.

As reclamações são tão recorrentes que até um aplicativo foi desenvolvido apenas para resolver a questão. Este app (vídeo abaixo) é conectado ao carro por um dispositivo e permite desativar o Start&Stop, assim como melhorar consumo e performance e oferecer aplicações de segurança para o modelo.

Um dono disse que na revenda onde comprou, o vendedor evita ruas de movimento durante o test drive, fazendo assim como que o Start&Stop não ative. Outro diz que o dispositivo desliga o motor em dias quentes e faz com que o ar-condicionado desativado injete ar quente no habitáculo.

Acabamento na mira dos donos

Chevrolet Cruze - defeitos e problemas

Outro dos defeitos e problemas do Chevrolet Cruze é o acabamento. Os clientes reclamam muito de um carro que custa em média R$ 100 mil. Eles apontam diversos itens que deixam a desejar. Um deles é a pintura. O dono de um Cruze relatou que na porta existia um resto de tinta que escorreu e secou, formando uma bolha.

Em outros casos, a diferença de tonalidade entre para-choques e a carroceria é nítida, o que denota falta de cuidado na confecção das peças de mesma cor do carro. O acabamento também é criticado, especialmente a qualidade dos tapetes e dos revestimentos, inclusive do assoalho, que em alguns casos, saiu com pouco tempo de uso. Um dono diz que o revestimento saiu em dois dias, enquanto outro apontou aos 3.000 km.

Também falam mal do apoio de braço, que não encaixa completamente no assento traseiro. O painel também seria uma fonte de ruído, sendo que um dos donos falou de um ruído de água, que sumiu aos 4.000 km. Vários, porém, reclamam mesmo é do banco traseiro, que faz barulho muito incômodo. Um dos donos disse ter passado vergonha e acabou vendendo o carro após um ano de uso.

Uma infiltração pelo vidro do motorista exigiu a troca da máquina de vidro e outro caso, foi o vidro do passageiro que fazia barulho durante a condução. No caso dos faróis, as lentes embaçadas foram criticadas por outro proprietário. No escape, a proteção do esoltou em dois dias de uso do carro, mas foi reparada pela revenda.

No caso da multimídia MyLink, existem reclamações de travamento e do navegador GPS integrado, que não acha ou não conclui o destino.

Na parte mecânica também reclamam

Chevrolet Cruze - defeitos e problemas

A suspensão dianteira que bate seco ou que faz barulho é outro dos defeitos e problemas apontados pelos donos de Cruze. Os relatos partem de 3.000 km rodados e muitos reclamam que isso não poderia acontecer com carros tão novos. Alguns resolveram na rede Chevrolet.

Outro ponto que não gostam é o defletor de ar feito em borracha, sob o para-choque dianteiro. Eles dizem que raspa muito e isso procede, pois não só no Cruze, mas também em outros modelos da GM, detectamos a mesma coisa. No caso da direção, um dos donos do modelo diz que sua caixa estava com ruído e precisou ser substituída, mas a troca demorou demais, pois o componente vem da Argentina…

O mesmo dono apontou problemas na suspensão com 3.000 km e falhas não resolvidas no funcionamento do motor aos 4.000 km. Aos 9.000 km, queimou uma das luzes de freio. Vendeu o carro com um ano. Falando em motor, é recorrente a reclamação sobre irregularidades em seu funcionamento e fala-se até na troca de bicos injetores durante a garantia.

Nesse caso, embora talvez não esteja ligado diretamente, alguns reclamam de consumo excessivo com etanol e gasolina na cidade, chegando em médias de 5,6 km/l na cidade com etanol e 7,2 km/l na gasolina. Em contrapartida, não são poucos os que relatam excelente consumo em estrada, especialmente na gasolina, chegando a fazer 17 km/l rodando a 120 km/h.

Os freios fazendo barulho é outra reclamação de donos de Cruze, sendo que no clube de proprietários, fala-se que o ruído vem do limitador de pastilha. Tem relato sobre o ar-condicionado também.

Alguns reclamam de sua capacidade de refrigeração e um deles disse que vazou gás do condensador por causa de outra peça. Ao dar ré, os relatos falam de um ruído metálico semelhante ao abrir e fechar de portas.

Fora os defeitos e problemas acima, os donos de Chevrolet Cruze reclamam da falta de repetidor de direção nos espelhos (solucionado no modelo 2018), saída de ar no banco traseiro e ar-condicionado dual zone. Entretanto, é elogiado pelo estilo e desempenho.

[Fonte: Reclame Aqui/Clube do Cruze]

 

 

 

 

Chevrolet Cruze – defeitos e problemas
Nota média 3.3 de 7 votos

  • hinotory O

    Não comprei por causa do start-stop.

    • Ford Opala Attractive 200TSI

      Eu também não comprei por causa do start stop…

      e porque não arranjei os outros $70 mil para completar o valor do carro hehehe

      • Rogério

        O meu problema foi um pouco maior que o seu. Ficou faltando uns 80 mil. Kkkk

      • Nanico_41

        huahauhhauaa, tá ai um bom motivo.

      • kkkkkkk. Esse motivo é prioritário em qualquer escolha.

    • Phantasma

      Start-Stop é um item que deveria ser banido de todos carros.

      • Mambo Ted

        Pq ?

      • Fernando Cardoso

        Não banido, mas colocado como opcional pq tem gente que acha um saco mesmo esse liga e desliga e eu sou uma delas

        • José Castro Neto

          Nem banido, nem opcional, basta um botão para desativar ficando a gosto do dono.

      • afonso200

        vai ver o preço da bateria pra start stop, kkkk, nao paga a economia de combustivel o valor da bateria

    • Nanico_41

      cara, minha esposa comprou um.
      depois de um tempo eu descobri que é tirar o câmbio do D (Drive) e colocar no modo manual (+/-) quando parar no farol.
      qdo abrir o farol vc da um tapa pro lado e ele volta pro D.
      no Golf era mais óbvio pq tinha o botão pra desligar, mas no Cruze dá pra roubar :D

      • Fábio A.

        Faço isso no meu também quando não quero que desligue. O sistema é bem previsível quando vai acionar e sinceramente já me acostumei.

      • Rodrigo Santos

        Eu TB faço isso mas, sinceramente, comprei um caroi automatico justamente para não ter que cambiar! Tive o modelo anterior por 5 anos, o novo completou 1 agora e já está a venda, infelizmente, com apenas 16mkm rodados. O motor é sensacional, mas é só.

  • 1 Raul

    A matéria é pouco conclusiva, pois o espaço amostral é muito limitado. Acredito que a questão do start stop deva ser o problema mais sério. Já ouvi também vários relatos sobre isso.

  • th!nk.t4nk

    Um festival de problemas esse Cruze. Sobre o start-stop, a tecnologia em si é fantástica, o problema é a implementação porca da GM. E nao é só no Cruze, eles economizam até em modelos mais sofisticados, eliminando botoes pra cortar custos (praticamente todos os concorrentes têm um botão pra ativar/desativar o start-stop). No Buick Regal (Insignia) eles chegaram a remover até mesmo o botão pra zerar o hodômetro. Tem que entrar em um monte de menus pra fazer uma simples tarefa. A GM se perdeu demais nas 2 últimas décadas, tá passando vergonha até perto da Ford.

    • Rodrigo Pasini

      Não vejo tantos problemas assim no cruze, principalmente os exemplos citados da matéria, que pra mim está bastante tendenciosa:
      “Um dono diz que o revestimento saiu em dois dias, enquanto outro apontou aos 3.000 km.”
      “Também falam mal do apoio de braço, que não encaixa completamente no assento traseiro. O painel também seria uma fonte de ruído, sendo que um dos donos falou de um ruído de água, que sumiu aos 4.000 km”

      Um dos donos aqui, um dos donos ali, isso nem deve ser considerado.
      Outro exemplo de reclamações ridículas é “Fora os defeitos e problemas acima, os donos de Chevrolet Cruze reclamam da falta de repetidor de direção nos espelhos (solucionado no modelo 2018), saída de ar no banco traseiro e ar-condicionado dual zone.”.
      Compraram o carro as cegas? Não viram que ele não tinha tais itens? Esse tipo de reclamação beira o absurdo.
      De resto, todos carros tem defeitos, todos , não escapa um.
      Basta ir em qualquer forum do polo, o tal “mini golf”, que segundo um lunático do youtube não tem painel emborrachado por que isso é frescura, já que o plástico é duro de qualidade, ai tu vai falar com os donos, não é um, nem dois, nem 10, são vários que reclamam que excesso de barulho de painel com pouca quilometragem, e tem ainda os famigerados barulhos do porta malas que é resolvido de maneiras absurdas e o barulho do botão do freio de mão.
      Golf com problema de pintura também não falta, e não é só no nacional, isso vem desde o alemão, as tais bolhas nas partes internas.
      Enfim, como eu disse antes, não vejo nada tão grave assim no cruze.

      • André Lopes

        nao pago 60 mil num cruze com essas tecnologias embarcadas porcas que a GM colocou a lá vanté … só pra dizer que tem … pago num honda

      • Geruzzus Filho

        Eu tinha uma imagem de carro perfeito para o Cruze e o olho já estava ficando comprido para ele, mas… mudei de ideia depois de ler essa matéria. Eu não compraria um carro com câmbio automático “manual”, tendo que ficar lançando mão de “jeitinho” para o carro não desligar e me deixar na mão. Além disso, pelo que custa, ele tem a obrigação de ser bem acabado e não ficar “soltando coisas”. Achei que isso era só problema do “mini golf”, mas é aquela estória da grama do vizinho…

        • Rodrigo Pasini

          O carro desliga e não deixa na mão, a resposta ao tirar o pé do freio é muito rápida e eficiente.

      • Calferr

        Quando eu fui comprar o meu, fiz test-drive com os dois principais rivais Civic e Corola. 0 Corolla de test-drive por ex, tinha um incômodo ruído no painel, coisa que o meu carro com 27 mil rodados não tem.

    • MarcioMaster

      Sério??? Festival de problemas??? Acho que não lemos o mesmo texto, ou temos diferença de interpretação.

      • Rodrigo Pasini

        Isso mesmo, festival de problemas: um dono disse isso, outro dono reclamou daquilo, aquele outro acha ruim por que o carro não tem tal opção. Na hora de comprar, compraram, depois reclamam que o carro não tem um determinado item, ou que não tem a opção de desligar um recurso.
        Logo deve aparecer alguém reclamando que o carro é ruim por que depois de comprá-lo, o proprietário descobriu que não dá pra abastecer com diesel.

  • Paulo

    Aqui na região tem muuito cruze 1.4 a venda. A grande maioria pouquíssimo rodados. Isso sempre me deixou cabreiro.
    Os donos que me passaram feedback me disseram que é muito econômico na rodovia. Mas na cidade faz 6kml.

    • duhehe

      Aqui no interior paulista também, tem muitos, vários com 6..7 mil km
      A parte boa é que se estiver afim de conviver com os problemas, da para andar de médio com o mesmo dinheiro de um popular completo. ( Um LT 2018 estão falando na casa dos 75k)

    • Rodrigo Santos

      Moro em Belo Horizonte. Aqui TB há muitos a venda. No geral, são vendidos por 5 a 10 mil abaixo da FIPE… Tenho um, que esta a venda. Mas o consumo é excelente. 9,5 na gasolina, 6,7 no álcool na cidade. Na estrada 11 com álcool e 14 a 16 com gasolina a depender da pressa.

  • Jason

    Tenho um Focus é como a Ford desistiu do meu carro quando for trocar pretendo pegar um Crise.

  • Phantasma

    Esse problema dos bicos injetores é comum em motores com injeção direta, graças a nossa maravilhosa gasolina.

  • eduardo

    Tive um LTZII excelente carro aerodinâmica estabilidade e potencia excelentes. O start stop realmente incomodava. Consumo na cidade médio/ruim mas na estrada espetacular. 15 km/l sem dificuldades. Único problema que tive foi ruido no eixo de torção da suspensão traseira, trocado todo conjunto em garantia resolveu.
    Vendi com 22 mil km em estado de zero. Para mim não tive problemas de acabamento. O mylink travou uma vez e precisou de reset no software, apenas isso. Manutenção preventiva achei normal/barata pro segmento.

  • kravmaga

    As únicas reclamações válidas são do start-stop e do acabamento. O resto com certeza deve ser pontual ou exagero dos donos.

    É uma boa compra sem dúvidas.

    • Fake News

      Exato. Tenho um e o fato de não poder desligar o Auto Stop me incomodava bastante no início. Hoje já me acostumei. Dá pra prever todas as vezes que o carro vai desligar e o motor religa quase que instantaneamente, assim que tiro o pé do freio.
      Simplesmente não entendo a quantidade de críticas a respeito dessa função.
      Mas também acho que a GM deveria ter colocado um botão pra desligar. Deixasse a opção para o consumidor.

  • Augusto

    No texto fala diferença nítida entre cor da carroceria e para-choque! No Corolla tbm tem isso! Já observei em varios! Inclusive no meu! Tenho um branco perolizado 2018/2019 e as maçanetas destoam da carroceria! E já observei isso em vários! Como a materia fala, num carro de 100 mil isso não deveria acontecer em nenhuma hipótese!

  • carloscomp

    Tenho um Cruze Sport6 G1 que está chegando aos 70.000km e sem defeitos, só tranquilidade e manutenção básica. Porém no caso da nova geração tenho medo da questão do turbo e injeção direta, pode ser ignorância minha, e para corroborar com minha preocupação, a 4R citou uma carbonização excessiva no desmonte…

    • Calferr

      Amigo, veja o desmonte do Corolla, que também ocorreu isso. Provavelmente resultado da qualidade (péssima) de nosso combustível.

  • Hiluin

    Nenhum problema geral, como em outras matérias.
    Uma curiosidade: o Cruze norte-americano ganhou a opção de desligar o start-stop com o último facelift. Pode ser que chegue ao Brasil.

  • CanalhaRS

    Um bocado de defeitos e reclamações para um carro tão caro.

    • Lucas

      Espera até eles falarem dos BMW e Land Rover…

      • th!nk.t4nk

        Land Rover é a marca mais problemática aqui na Europa. Já a BMW tá na outra ponta, entre as mais confiáveis. No Brasil depende muito da qualidade do pós-venda, mas também é notório que o povo deixa de fazer manutenção por achar muito caro, e aí os importados ficam em péssimas condiçoes em poucos anos (até Mercedes o povo consegue destruir no Brasil).

  • No_Name

    Os Cruze dessa geração que já peguei em locadora eu corroboro com essa matéria a baixa qualidade do acabamento interno, os ruídos parasitas na região do painel, a caixa de direção com defeito e o MyLink com bugs.

  • Marlon Adames

    Rodei 33k com o meu que comprei em setembro de 2016 e as reclamações da minha parte são apenas a falta de opção de desativar o start-stop como tudo mundo fala e ruidos internos do acabamento que por sinal tinha algumas peças com encaixe longe de ser perfeito, apesar que o asfalto na minha cidade é péssimo e poucos carros rodam 33k sem apresentar ruídos por aqui. De resto, super econômico tanto na cidade como na estrada, carro leve com ótima dinâmica, não apresentou nenhum problema, nem lâmpada queimada. Destaque para o conjunto motor/Câmbio, motor super redondo e potente desde as mais baixas rotações, não teve um engasgo sequer no tempo que fiquei, câmbio com trocas perfeitas, sem nada de trancos. Carro que recomendo a quem tiver interesse sem dúvidas. Defeitos sempre haverão relatos até de Mercedes, mas são casos isolados.

  • Christian Balzano

    Eu estava em pegar um Cruze LT usado e um Polo Highline zero. Optei pela Volkswagen por causa do start stop do Cruze. Itens de conveniência superior no Polo e seguro mais barato. Mas confesso que quando olho um Cruze na rua me chama atenção. Ainda é um carro de categoria superior. Uma pena, a GM sempre me deu essa sensação, acho os carros bonitos, me interessa, mas quando vejo os problemas e a desvalorização pulo fora.

  • Caio Gomides Gonçalves

    O câmbio não é o mesmo do antigo…

    • Rodrigo Santos

      É o mesmo câmbio em sua terceira geração. Na prática parece outro pq é muito mais suave e rápido nas trocas, mas mecanicamente é o mesmo.

  • Calferr

    Quanta bobagem. Eu acostumei numa boa com o star-stop, e a tendência é cada vez mais carros saírem com tal dispositivo. Já estou há dois anos com o meu, e posso dizer que é o melhor carro que eu já tive, e olha que o anterior era um Civic.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email