Chevrolet Manutenção Matérias NA Sedãs

Chevrolet Cobalt – defeitos e problemas

Chevrolet Cobalt - defeitos e problemas

Lançado em 2011, o Chevrolet Cobalt chamou a atenção na época por dois motivos. O primeiro era seu tamanho grande, embora fosse feito sobre uma plataforma compacta. O porta-malas de 563 litros fez brilhar os olhos de taxistas e de quem prefere a “mala grande”. De outro lado, seu design foi amplamente criticado. Mas, será que além disso, ele tem muitos defeitos e problemas?


Com pouco menos de 4,5 m de comprimento e 2,62 m de entre-eixos, o Cobalt se baseou na plataforma modificada Gamma II para ficar grande, embora a motorização seja bem arcaica, centrada inicialmente no fraco motor 1.4 8V de até 102 cavalos e depois no vetusto 1.8 8V com não mais que 108 cavalos, ambos oriundos da “família Monza”.

Mas fora isso, o Cobalt trazia a vantagem de ter a oferta de um câmbio automático de seis marchas. Posteriormente, ganhou multimídia MyLink com Android Auto e Car Play, bem como renovação visual e reposicionamento de preços com a extinção do 1.4. Preferido de taxistas e motoristas de aplicativo, o sedã compacto “grande” tem seus detalhes.

Em pesquisa na internet, muitos relatam que o modelo da Chevrolet é bem confiável e tem pouca manutenção, sendo que vários relataram não terem tido defeitos ou problemas relacionados com o Cobalt. Mas, ele não é infalível e existem muitos casos em que os donos reclamam. Neste artigo, excluímos os depoimentos relacionados com a instalação do GNV, comum em táxis e no estado do Rio.


Chevrolet Cobalt - defeitos e problemas

Chevrolet Cobalt – defeitos e problemas

Por não ser um item de fábrica (o Astra Multipower se foi há muito tempo…), então deixamos de lado. Bom, mas em relação aos defeitos e problemas, muitos reclamam do alto consumo. Médias de 5,5 km/l com etanol na cidade e algo em torno de 8,5 km/l com o mesmo combustível na estrada, foram relatados, mas chama atenção quem faz menos que isso.

Um dos relatos assusta ao afirmar que seu Cobalt 1.8 AT estaria fazendo 4,7 km/l no etanol, dentro da cidade, e 5,9 km/l na gasolina, no mesmo ambiente. Mas, o que chama atenção nesse caso, é a quilometragem: 1.990 km. Mesmo não totalmente amaciado, o carro não poderia fazer algo tão alto.

Outros elogiam o consumo com gasolina, mas somente na estrada, queixando-se do mesmo na cidade e ainda mais quando usando etanol. Por ser um carro grande com motor pequeno em boa parte, os números não poderiam ser melhores mesmo. Falando ainda de motor, no clube de proprietários, o tópico tem alguns relatos de consumo de óleo excessivo.

Alguns comentam que o normal desse motor OHC da GM é de 750 ml a cada 1.000 km com troca a cada 5.000 km. Nas revisões, porém, o intervalo é de 10.000 km. Ainda na parte de motor, alguns comentam sobre a dificuldade em dar a partida nos dias frios.

Estranhamente, os proprietários estão abrindo e fechando o porta-malas para que o problema seja resolvido na hora. É como se o alarme ativasse e desligasse a partida. Outros relataram algo semelhante. Tem dono que fala sobre pane elétrica, outro sobre bomba de combustível. Também comenta-se sobre a qualidade e a quantidade de combustível no tanque.

Chevrolet Cobalt - defeitos e problemas

Direção ruidosa

Alguns proprietários reclamam de defeitos e problemas na direção hidráulica do Chevrolet Cobalt, que o sistema de assistência produz ruídos ao esterçar o volante, relatados como “batida de ferro com ferro”. Alguns tiveram vibração na direção e vazamento de fluído. Num dos casos, a concessionária descobriu que havia entrado ar no sistema hidráulico.

Retirado o mesmo, o problema sumiu, mas retornou um mês depois. Em outro caso, a oficina do revendedor trocou o tensor da correia e o problema na direção hidráulica foi resolvido.

Barulhos diversos

Com pouco mais de 30 mil km, um dono do sedã compacto diz que a coluna de direção também faz barulho, assim como as portas traseiras. Falando nelas, outro proprietário apontou o mesmo problema e para resolver de forma caseira, adicionou carpetes no acabamento para eliminar o ruído e, segundo o relato, deu certo. Este caso do Cobalt foi relatado com 12 mil km rodados.

Ainda em ruído, também reclamam de defeitos e problemas com barulhos no conjunto de suspensão dianteira, alguns trocando buchas e batentes com menos de 80 mil km. Mas, num relato, o proprietário queixou-se do problema aos 34 mil km. No conjunto de suspensão, também há relatos de desgaste excessivo da pastilha de freio, alguns antes de 15 mil km e outro em pouco mais de 33 mil km.

O mesmo caso é referente aos pneus, que durariam muito pouco na frente, sendo um tópico com muitos relatos no clube de proprietários. Obviamente nem todos são levados em consideração nesse caso, por conta do uso de GNV, o que adiciona peso extra ao carro. Outro proprietário queixou-se de ruídos na tampa do porta-malas.

Alguns donos também reclamam do barulho no interior, considerado elevado, especialmente em pisos de asfalto abrasivo e sob chuva.

Chevrolet Cobalt - defeitos e problemas

Bomba de combustível

Outro tópico com muitos relatados de defeitos e problemas no clube de donos do Cobalt, o dispositivo emite um ruído que incomoda os proprietários e motivou a troca do componente em alguns casos. Num dos casos, o dono diz que o banco traseiro chega a vibrar com o funcionamento irregular da bomba de combustível, que fica no tanque sob o assento.

Alguns donos dizem que o problema teria ocorrido quando usaram a reserva, mas outros não relatam a mesma coisa. Um concessionário disse que o ruído é provocado pelo filtro entupido e sua troca resolve o problema, não necessitando trocar todo o componente. Dois relatos falam de vazamentos de fluído de bateria, o que provocou a substituição das mesmas ainda na garantia.

Em relação ao sistema MyLink, alguns donos reclamam da não projeção do Apple Car Play no dispositivo de entretenimento, enquanto há caso em que o mesmo OnStar simplesmente não funciona. Nesse caso, o problema é o não espelhamento do Google Android Auto e nem a localização por GPS, acessível pelo smartphone.

O proprietário inclusive achou que estava operando errado o sistema de concierge, mas a revenda descobriu que o dispositivo não estava mesmo funcionando corretamente. Ele reclama que a concessionária não tinha a peça e ficou de retornar, mas nunca ocorrera tal ligação. A peça seria um modem e sem solução, entrou com reclamação na internet e até agora sem resolução do problema.

Chevrolet Cobalt - defeitos e problemas

Infiltração

Infiltração de água é algo que alguns donos de Cobalt relatam, seja pela vedação das portas, seja no porta-malas. Neste último caso, um relato fala de que a água estaria acessando o bagageiro através da lanterna e seu chicote elétrico. Mais grave, porém, é a entrada de água relatada por um proprietário, que estaria acontecendo sob o painel e passando pelo chicote elétrico do veículo.

Outro relato fala de uma entrada de água no assoalho, molhando carpete e tapetes. O proprietário teve que desmontar quase tudo para achar o problema, que era uma borracha de vedação mal colocada.

Em alguns casos, há vedadores de borracha em certas partes do painel e quando na colocação de sistemas de automação de vidros e travas, elas precisam ser removidas e seu encaixe errado por gerar infiltração, segundo os donos que descobriram o problema.

A despeito dos defeitos e problemas, na maioria dos relatos, o sedã compacto da GM até se sai bem nesse caso. O projeto que inicialmente começou com motores 1.4 e 1.8 sofreu diversas chamadas para recall ao longo do tempo.

[Fontes: Clube do Cobalt/Reclame Aqui]

Chevrolet Cobalt – defeitos e problemas
Nota média 4.5 de 4 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email