Chevrolet Manutenção Matérias NA SUVs

Chevrolet Captiva – Defeitos e problemas

Chevrolet Captiva - Defeitos e problemas

A Chevrolet Captiva foi um SUV vendido no Brasil entre 2008 e 2017, tendo sido um produto importante por aqui. Importada do México, ela veio na versão americanizada Sport, que era diferente da asiática, maior e com até sete assentos.


Por aqui, o modelo chegou com motor V6 3.6 Alloytec de 261 cavalos, que vinha com câmbio automático de seis marchas. Nessa época, a Captiva tinha opção de tração dianteira ou integral.

Pouco depois, a GM decidiu introduzir uma motorização mais fraca, que veio com o Ecotec 2.4 de quatro cilindros. Este tinha 171 cavalos e tinha o câmbio automático de quatro marchas e tração dianteira apenas.

Em 2011, a GM substituiu o Alloytec 3.6 pelo mais novo V6 3.0 SIDI, que tinha injeção direta de combustível. Nesse caso, o propulsor passou a ter 268 cavalos, mantendo-se a mesma transmissão e sistema de tração.


Já o Ecotec 2.4 passou de 171 para 185 cavalos, com a caixa automática indo para seis velocidades. Em 2014, a GM excluiu o V6 3.0 da oferta da Captiva no Brasil, ficando assim apenas o motor de quatro cilindros.

No ano de 2017, a produção no México foi encerrada em favor do Equinox, bem mais moderno. Mas, e os problemas e defeitos deste utilitário esportivo?

Chevrolet Captiva – Defeitos e problemas

Chevrolet Captiva - Defeitos e problemas

Os proprietários da Chevrolet Captiva em boa parte são unanimes ao afirmar que o maior problema do SUV mexicano é o câmbio. Ele é considerado um defeito crônico no utilitário esportivo, que era feito em Ramos Arizpe, México.

O SUV teve diversos relatos sobre defeitos da transmissão automática de seis marchas, aquela que equipou os motores V6 3.6 e V6 3.0. O defeito nunca foi considerado como um recall, sendo resolvido dentro ou fora da garantia, nesse caso, por conta do dono, pois, muitos acabaram dando defeito após o término da garantia.

O conserto não sai barato, dependendo se exigir retífica da caixa de mudanças ou troca do módulo de gerenciamento eletrônico de mudança de marchas. Segundo os donos afetados, somente para abrir o câmbio, as oficinas cobram em média R$ 4.000.

Para resolver o problema, a solução pode custar de R$ 6.000 até R$ 10.000, sendo que acima disso somente a troca da caixa, cujo custo fica acima de R$ 16.000, conforme relatados. O defeito no câmbio automático de seis marchas, considerado crônico pelos clientes, que recomendam fazer as trocas de óleo da caixa a cada 80.000 km, pode também ser solucionado apenas com essa substituição de lubrificante.

Um proprietário chegou a recusar três orçamentos de abertura de câmbio e o cliente teve o defeito apontado inclusive por um concessionário Chevrolet, que queria envia-lo para fábrica, mas cobrando por isso.

Ele trocou o fluído da caixa e o problema foi solucionado. No entanto, nem todo mundo conseguiu fazer isso.

Noutro relato, o dono de uma Captiva V6 3.6 disse que o câmbio quebrou duas vezes antes de 65.000 km. Em mais um depoimento, o dono de uma Captiva V6 3.6 teve que fazer a troca de câmbio com 50.000 km e orçamento de R$ 16.000.

Um proprietário de Captiva V6 3.0 teve o câmbio quebrado com 47.000 km  e outro apresentou defeito com 17.000 km, ficando 2 meses para conserto.

Nos fóruns de internet, sites de reclamação e grupos de redes sociais, o problema sempre está na pauta do dia, pois, o número de reclamações de defeitos e problemas no câmbio da Captiva são grandes.

Outros problemas

Chevrolet Captiva - Defeitos e problemas

A Chevrolet Captiva também tem reclamações em relação ao sistema de direção, onde a bomba do compressor da direção hidráulica apresenta problemas, independente do motor utilizado.

Barulhos, vazamentos e perda de eficiência foram apontados por alguns donos, que inclusive reclamam do custo do reparo. Em alguns casos, o sistema de direção hidráulica foi substituído completamente, mas na garantia.

No caso desse componente, a General Motors fez um recall em dezembro de 2011 para os carros produzidos nesse ano. Tratava-se da substituição do resfriador do fluído hidráulico do dispositivo.

Outro defeito apontado por alguns proprietários da Chevrolet Captiva está no sensor de rotação do sistema de freios ABS. O sensor que mede a velocidade das rodas de forma individual apresentou problemas em alguns unidades do SUV.

Apenas um dono de Captiva relatou ter trocado o sensor do ABS aos 70.000, 90.000 e 120.000 km, enquanto outro cliente fez o mesmo aos 63.000 km. Entre os relatos, aquele que mais cedo deu defeito foi por volta de 28.000 km.

Outros donos também reclamam de problemas no ar condicionado, que muitas vezes desliga e precisa de certo tempo para voltar a funcionar. Também existem casos de amortecedores do capô perdendo pressão, sendo necessário sua substituição.

Num dos relatos, o dono aponta que a perda de pressão se dá nos dois amortecedores ao mesmo tempo, indicando a substituição de ambos. Parte dos proprietários reclama também de barulhos na suspensão, tanto dianteira quanto traseira, mas com poucos relatos falando de grandes custos na reparação.

Já o catalisador é algo bem caro, custando média R$ 8.000, segundo os donos, inclusive com danos em baixa quilometragem, como num caso de 27.000 km rodados. O problema do catalisar está no combustível, visto que boa parte dos donos se queixa da luz de injeção acesa durante a condução.

Eles reclamam que mesmo em posto considerável bom, mas em alguns casos, bastou a troca de gasolina para o aviso apagar. Os relatos sobre isso ocorrem com certa frequência e até mesmo cliente diz estar “acostumado” com o defeito, quando não deveria.

Recall

Chevrolet Captiva - Defeitos e problemas

A Chevrolet Captiva teve um recall relacionado com o módulo de controle do motor e chassi. A inspeção e eventual troca do módulo foi iniciada em maio de 2015, envolvendo os carros produzidos entre 27 de outubro de 2010 e 3 de setembro de 2013.

O problema é que se o módulo falhar, o propulsor irá desligar-se involuntariamente, podendo assim causar acidentes fatais.

Esse e o recall do sistema de direção hidráulica foram os únicos do Chevrolet Captiva no Brasil. O carro é bem elogiado em conjunto mecânico potente, além de desempenho e proposta luxuosa, assim como porta-malas e outros detalhes.

Poucos reclamam de barulhos internos ou itens que queimam com facilidade, indicando que o SUV é confiável para a maioria, mesmo com o elevado consumo, um dos pontos fracos da Captiva.

Chevrolet Captiva – Defeitos e problemas
Nota média 4 de 4 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Baetatrip

    Belo motor 3.6/3.0 V6!
    É bom carro apesara frente e muito baixa p/ nossos pisos lunáticos!

  • André Luis Versiani

    Carro maravilhoso, foi penalizado pelo país nosso em que manter, é caro demais, uma nave destas…

  • Dannyel Pereira

    Grandessíssima bomba! Tive uma 3.6 AWD 2009 que comprei usada de único dono com pouco menos de 50.000 Km rodados. A maior alegria que tive com o carro foi quando consegui passar pra frente, mesmo perdendo uma boa grana na revenda. As definições de “bonitinha, mas ordinária” foram atualizadas após passar por este carro. Diante de tanto problema, o elevado consumo, fonte de chiadeira geral, era indiferente. Lembrando por alto o que precisou ser trocado: Sensores de ABS, compressor de ar-condicionado, caixa de direção, suspensão dianteira, controle de tração, etc, etc, etc… Isso pq me desfiz do carro com menos de 80.000km. Sorte que, pelo menos, o câmbio não quebrou!

    Depois da Captiva comprei uma Veracruz 2011, que apesar de alguns poucos problemas crônicos, foi um dos melhores carros que tive. Vendi com mais de 130.000km e estava uma belezinha ainda!

    • TijucaBH

      Tive uma Veracruz que o unico defeito foi vazamento na tampa de valvulas, de resto carro excelente.
      Já a Captiva conheço alguns casos de quebra de cambio. O pior de tudo é a falta de respeito da GM com o consumidor. Qualquer carro pode dar defeito, a diferença é a forma como a montadora lida com o defeito. Esse problema do cambio é cronico e mesmo usando o carro com o maior cuidado, o cambio quebra. O que a GM deveria fazer era assumir o reparo (nem precisa trocar o cambio inteiro, podia simplesmente consertar). A fábrica inclusive alterou as peças de reposição para que o defeito nao ocorra novamente. Se fossem casos raros de carros muito rodados, com manutenção negligenciada, eu concordo que a montadora nao tinha que fazer nada, mas um defeito cronico que em todas as captivas V6 ou já aconteceram ou irão acontecer, tinha que ser reparado sem custo para o consumidor.
      Se eu tivesse uma Captiva e desse problema no cambio, encostaria o carro e entraria na justiça.

    • MarcosGojira

      Esse carro é bomba mesmo, tanto que tem vários por menos de 30 mil

  • Bruno Alves

    O problema maior desse carro são os donos, desvalorizou demais e tem cada coisa bizarra que fazem com eles em oficinas. Porta malas entulhado de GNV, gasolina de 3,79, câmbio manual adaptado, tudo quanto é peça adaptada, trocando óleo no posto de gasolina, deixando o carro sentado no P em ladeira. Enfim. Carros sucateados praticamente. Depois põem defeito no veículo.

    Se as pessoas seguissem a risca o manual de manutenções de seus carros, tantos problemas seriam evitados…

    • Grande problema de carros importados em geral, ou carros de manutenção mais complicada. O primeiro dono, que tem dinheiro pra comprar o carro, até cuida (se é que), daí pra frente é um show de horrores.

    • Gran RS 78

      Vc disse tudo. Comprei uma Captiva V6 3.0 AWD 2011 com apenas 10 mil Km, isso em 2012, e só tive alegrias com o modelo. Os únicos gastos que eu tive foi para trocar uma lâmpada do freio queimada e a troca de uma pastilha de freio traseira, fora as revisões periódicas ao longo dos 3 anos e 40 mil Km que rodei com o modelo. Minha única crítica foi com o excesso de barulhos internos, mas que compensava pelo silêncio e potência do motor V6. Saudades desse carro!

      • TijucaBH

        ficou com o carro por quanto tempo? Rodou quanto nesse período? No seu caso voce pegou um carro muito novo e nas V6 3.0 o indice de defeito no cambio é bem menor do que nas 3.6.
        Nas 3.6 é certo que voce terá problemas no cambio mais dia menos dia. Na 3.0 se voce der sorte nao terá problema…

        • Gran RS 78

          Fiquei 3 anos e rodei 40 mil Km sem problemas, somente uma lampada traseira queimada e uma troca de pastilha traseira, do mais só as revisões periódicas e nada mais.

    • Tommy

      Não existe problema algum no GNV.

      • Alexandre Monteiro

        “Tá serto” se eu souber que o carro teve GNV eu nem entro, ainda bem que hoje essa informação fica no histórico do Detran.

      • Bruno Alves

        O indício maior que um carro de luxo com GNV pode nos dar é que, se uma pessoa compra um automóvel de luxo com motor grande, alta potência e custo de manutenção maior, e economiza na coisa mais básica e essencial dele, que é o combustível (aliás a grande maioria dos importados exige gasolina de alta qualidade, portanto, se o cidadão já economiza colocando GNV, imagina na hora que tem que colocar um pouco de gasolina no tanque, além de GNV da-lhe gasolina comum), já te deixa com pé atrás quanto a eventual economia que esse dono pode fazer quanto a outros quesitos, que são sempre mais caros que em veículos comuns e que não aceitam alternativas como a que é feita no caso do combustível.

      • FearWRX

        o problema é esse enjambre existir, se é de fabrica, ótimo, porque o carro foi pensado e calibrado pra aquilo, agora esses que instalam aí, fora que é o CÚMULO o indivíduo comprar um carro potente e querer economia, tenha dignidade de pelo menos bancar a gasolina, quer andar de carrão mas não consegue nem sustentar o que bebe.

    • TijucaBH

      Nao é só esse o problema Bruno. Em MG temos poucos carros com GNV e essa bomba ambulante dá problema no cambio, suspensão e caixa de direção até em carros extremamente bem conservados e sem qualquer tipo de adaptação.

    • Marcelo Ecosta

      Entra no clube da Captiva e você vai ver que o problema não é o dono.

  • Lembro que quando lançou era um “negocião”, já que por 99.900 vinha com motor V6 de 261cv! Nunca dirigi uma, mas admirava bastante na época.

    • MarcosGojira

      hj é encontrada por 25 mil… rs

  • Paulo Lustosa

    Catalisador dá pra se virar sem ele somente colocando um prolongador na segunda sonda.

    • Gabriel Molina Pinheiro

      E tá longe de custar esses R$ 8.000 que tá aí no texto. Só se viram dentro de concessionária GM. Aí meu amigo, senta e chora porque eles botam pra lascar os preços mesmo.

      • Romualdo Vieira

        Verdade, por 2,6k vc consegue comprar.

  • Qual é o nome do acabamento das rodas da Captiva da primeira foto? Ela tem um brilho diferente, parecido com cromado, o que é algo muito comum nos automóveis vendidos nos EUA. Acho muito bonito.

    • El Gato!

      Acho que o termo que você procura se chama “diamantado”. Acho!

      • Gran RS 78

        Na verdade isso é cromado e não diamantado.

        • El Gato!

          Sei lá. Ele falou que era “parecido com o cromado”, então deduzi que ele fez alguma confusão nas fotos e poderia achar o que procurava pesquisando o termo “diamantado”. Foi só um chute, apenas para ajudar.

    • Gran RS 78

      Rodas cromadas.

  • Carlos AM

    Tenho uma 2010 e nada do que reclamar.
    Só tive problema com a famigerada troca de solenóide do comando de admissão. Pelo o que constatei problema crônico deste motor.

    No mais, não considero gastão como todos dizem, afinal temos atualmente Creta 1.6 e Renegade que fazem os mesmo 7 km/l que a Captiva faz na cidade. Pelo porte, conteúdo e segurança acho justo.

    • João Silva

      Se consegues fazer 7 com a 2.4, agradece a Deus… está ótimo!
      Todos os que conheci que tiveram falaram de 5,5 a 6 na cidade, não mais do que isso. Um deles pegou 0Km em 2015, naquelas promoções de menos de 100 mil na época, não aguentou a sociedade com o posto ficou 1 ano com ela e perdeu uma grana de desvalorização para passar para frente no ano seguinte… Vendeu elogiando o carro, mas se queixando de não aguentar o consumo…

      • Carlos AM

        Sim, considero uma média razoável.

        Moro em Campinas/SP e não tem um trânsito tão caótico quanto SP, mas dependendo o a situação é bem truncado.

        Quando penso na troca buscando um veículo mais econômico mas vejo que veículos 0km atuais tem consumo semelhante (ou melhor) juntamente com o nível de acabamento e conforto acabo desistindo da troca.

      • Lucas Guimaraes

        Também to nessa aí, faz 5.5km/l na cidade, estrada faz 11
        Mais barato andar de Uber na cidade e usar só pra viajar kkkk

    • TijucaBH

      as 4 cilindros nao tem os mesmos problemas das V6, tanto é que no mercado de usados, a 4 cilindros é mais valorizada que a 6 canecos.

  • Junoba

    Com um pouco mais de R$30 mil da pra comprar uma Captiva 3.6 2008. Pra quem quer um carro esportivo, e tem condições de bancar a manutenção e consumo de combustível desse monstro, acho uma boa opção.

    • Gran RS 78

      Acho que vc se equivocou em falar que ela é esportiva, pois ela passa longe disso. É um carro muito macio e confortável, que transmite muita segurança para o motorista e todos que estão abordo.

      • Junoba

        Passa longe disso ? Não precisa ter adesivos e adereços para ser esportivo. Quer algo mais esportivo do que um motor 3.6 V6 ?

        • TijucaBH

          velocidade maxima limitada a 160 km/h e suspensao que requer cuidados em curvas em funçao. Esportividade nao se resume a potencia do motor. Nem nos 0 a 100km/h em linha reta ela se destaca.

          • Marcelo Amorim

            Só no 1º ano era limitada a 160 km/h,depois foi pra 180 km/h.

          • Paulo Lustosa

            Era limitada a 160 apenas no primeiro ano por questão da própria GM pra colocar o carro no mercado, pois as de imprensa da época não tinham limitador e tinha máxima de 227 por hora.

        • Gran RS 78

          Pelo seu pensamento então aqueles suv enormes americanos com motor V8 com mais de 400cv tbm são esportivos? E as pickups que tbm usam motor V6 ou V8? O carro é um suv, e não esportivo, tanto que no 0-100 ela faz o mesmo que modelo menores com motor 1.4 turbo. O modelo se destaca pelo conforto a bordo e silêncio do motor, mas longe de ser uma proposta esportiva.

  • Daniel Pirolli

    Defeito: ser chevrolet
    Problema: ser chevrolet
    Obs. MINHA OPINIAO.

    • Gran RS 78

      Na minha opinião ser Chevrolet é a maior virtude da Captiva. Minha opinião, que já teve uma e vários outros Chevrolet na garagem.

    • Paulo Lustosa

      Qual o problema de ser Chevrolet?

  • Zé Mundico

    Um verdadeiro carro bomba, uma gambiarra sobre rodas. Cheguei perto de comprar uma usada mas pesquisei e conhecí a péssima fama desse carro. Muito bonito, motorzão valente, super recheado de mimos, eletrônica onipresente mas o câmbio detonava qualquer esperança. O problema de câmbio era seríssimo e praticamente insanável, a não ser com a troca da peça que era importada , cara e exigia mão de obra astronômica.
    O problema era o seguinte: tinha uma peça (um tipo de mola tensionadora no comando ) que simplesmente torcia ou quebrava detonando todo o conjunto de engrenagens. Dependendo da velocidade no momento da tragédia, o sistema inteiro podia ir para o espaço.
    Depois comprovaram que o problema era da forja dessa mola, que apresentava uma liga deficiente de cromo ou níquel (não sei ao certo), tornando-a flexível ou maléavel além da conta. Enfim, uma pecinha fulêra pouco mais de 5 centímetros podia causar um prejuízo de milhares de reais.
    A GM, esperta como sempre, preferiu tirar o carro do mercado e deixou os donos com a mola quebrada lá dentro…

    • Gran RS 78

      Tive uma 2011 V6 3.0 que só me deu alegrias. Vc forçou muito a barra em chamar esse carro de bomba ou gambiarra, pois o carro é fantástico, inclusive fez muito sucesso em vários países em que foi vendida.

      • Carlos AM

        Complicado mesmo esse tipo de avaliação.

        Por possuir o carro posso dizer que pela experiência não vejo essa bomba toda, ao menos não dá sinais que de uma hora para a outra o câmbio possa vir dar problema e eu ficar na mão.

        Mas tudo é questão de uso também.

        Participo de um grupo do Polo/Virtus e talvez por ser o primeiro carro com câmbio automático de muitos dali se vê cada barbaridade. Coisa do tipo, pessoas dizendo que colocam em N no semáforo e puxam o freio de mão.

        Estacionam em subidas íngrimes e já botam em P, fazendo assim todo o peso do carro ser jogado para o câmbio.

        Ai o veículo apresenta problema por mal uso e a culpa é do carro/câmbio.

      • Vitor C

        Tivemos uma em casa até o meio do ano, não tem um SUV médio melhor acabado e mais refinado que ela até hoje no mercado. Pegamos uma tiguan da nova geração que é boa, mas não chega perto da captiva nesse quesito.

    • Paulo Lustosa

      Ela saiu de linha porque chegou a Equinox da atual geração e cobriu a faixa que ela atendia até 2017 inclusive no México e nos EUA, que era de venda direta. O câmbio, na maioria dos problemas com esse carro é em relação ao dono não trocar o óleo de transmissão no tempo correto e deixar a naba pro próximo dono, aí a mola do conjunto de engrenagens não aguenta e quebra, pois essa transmissão é usada até hoje, inclusive pelos Ford.

  • yellowface

    Imagine o Onix

  • Alvarenga

    Bons tempos da invasão V6….Azera, Fusion, Captiva, Vera Cruz, etc….agora só tem motor de dentista turbinado !

    • Dod

      Agora se o carro não tem motor 1.NADA turbo de 3 cilindros já é taxado de lixo automaticamente pelos especialistas do Disqus.

    • 4lex5andro

      Isso de v6 aplicava-se aos médios e grandes, e procede, como captiva e fusion citados. Mas com os pequenos também houveram melhoras com a adoção de motores menores e mais modernos… como os tricilindricos com turbo e injeção direta, a saber, up, fox e hb20, por exemplo.

  • RKK

    Realmente o câmbio Waren 6T70 do motor V6 (AT6) era temerário.

    “O Captiva V6 criou a fama. A transmissão é a 6T70 e a peça problemática é um disco mola que quebra bem cedo com consequências catastróficas, pois quase sempre resulta na perda total do câmbio. Essa peça tem defeito de fabricação. É mal temperada e rompe”, Segundo a oficina Automatik.

    ou ainda,

    “Prior to 2009, this transmission had issues caused by a very weak 3,5,R wave plate, which made this transmission prone to failure in GM products. Updated wave plates were released for many clutches in 6T70. The old design wave plates weren’t stress relieved and could break with use.”

    Parece que o AT4 do motor 4 cilindros 2.4 litros também deram alguns problemas: problema na engrenagem/conjunto planetário. Estoura a arruela de agulha, que cai no meio das engrenagens e estraga tudo. Ela estoura porque há uma espécie de sobrecarga nesse rolamento”

  • Toyo_Highlander fan

    O carro apesar de bonito era literalmente uma “bomba” como o Marea era para a Fiat. Por isso que a Captiva não emplacou. Uma pena.

  • Bruno

    Estávamos em dúvida entre uma Captiva 2011 e uma CRV do mesmo ano, ao ver os relatos percebi que realmente fiz uma ótima escolha em optar pela CRV, que apesar de tem um desempenho sofrivel, nunca nos deixou na mão, além de ser mais espaçosa e confortável que a Captiva..

  • Andre Henrique Melo

    Nunca tive esse carro.Mais fico pensando onde trabalho tem um senhor tentando vender dele 3 anos.Todos dia limpa externamente o carro e leva para uma rua principal do bairro.Modelo completo 2009.O carro e queimado.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email