Antigos Chevrolet Hatches Manutenção

Chevrolet Celta – Defeitos e problemas

Chevrolet Celta - Defeitos e problemas

O Chevrolet Celta é um hatch compacto que a General Motors fabricou no Brasil entre 2000 e 2015.


O compacto foi um projeto nacional desenvolvido sobre a plataforma do Corsa B e direcionado ao mercado local. Bem simples em relação ao hatch de origem alemã, o popular ganhou até uma fábrica própria para atender sua demanda.

Ao longo de 15 anos de mercado, o Chevrolet Celta foi o carro mais barato da GM e um dos mais vendidos do país. Com duas ou quatro portas, o hatch teve quatro versões do motor 1.0 OHC da Família I e um raro 1.4 da mesma família.

O Chevrolet Celta 1.0 teve 60 cavalos até 2001, 70 cavalos até 2005, 70 cavalos flex até 2008 e a partir daí, 78 cavalos no máximo. Fora isso, o raro 1.4 8V OHC tinha 85 cavalos, mas só foi vendido por dois anos.


O Celta foi tão popular que chegou a ser exportado para a Argentina com o nome de Suzuki Fun, devido ao acordo entre GM e Suzuki. Em um carro tão simples, quais seriam os defeitos e problemas apontados pelos donos?

Os proprietários apontam alguns problemas crônicos no Celta, entre eles vazamentos diversos e tensor da barra estabilizadora (morcego). Respiro da bomba de combustível, entrada de água no porta-malas e lado do passageiro, entre outros.

Chevrolet Celta – Defeitos e problemas

Vazamentos diversos

Chevrolet Celta - Defeitos e problemas

 

O Chevrolet Celta é um carro considerado de baixo custo de aquisição e manutenção, mas não é nem de longe econômico, segundos os donos. Eles apontam diversos problemas no popular da GM, que tem histórico de muitos vazamentos, em especial no radiador.

O problema acontece não só em unidades de muita quilometragem, mas também em carros com menos de 50.000 km. Um baquelite plástico seria o problema, gerando defeito por causa do ressecamento do material, rachando e provocando vazamento.

Com perda de fluído de refrigeração, o motor superaquece e pode simplesmente fundir. Geralmente, de acordo com relatos, apenas uma correção no conserto resolve o problema.

Além disso, o Chevrolet Celta também apresenta outros vazamentos de fluídos, segundos os donos. Um deles é o da caixa de mudanças, onde o vazamento ocorre na parte superior e suja toda a peça.

Fora isso, reclamam ainda do trambulador do câmbio, que necessita de um kit para ser reparado. No entanto, é o cárter que mais preocupa, apresentando também vazamento de óleo lubrificante, desde antes de 60.000 km em alguns casos.

A tampa do cabeçote é outro item que aparece nos relatos com vazamento, sendo necessária a troca da junta do mesmo. Acontece mais em carros com quilometragem maior, geralmente acima dos 80.000 km nos depoimentos.

Ainda no cabeçote, alguns apontaram problemas em seu funcionamento com quebra das válvulas, provocando danos ao cabeçote e consequente sua troca.

O problema já é conhecido de outros modelos da Chevrolet, devido a baixa qualidade do tratamento térmico das válvulas. Isso motivou um “recall branco” em diversos modelos da GM, geralmente com a troca do cabeçote.

Também existem casos de desgaste do comando de válvulas por falha na lubrificação do mesmo, apontado por alguns.

Cheiro de combustível

Chevrolet Celta - Defeitos e problemas

Muitos donos de Celta reclamam de um defeito crônico do modelo em caso de vazamentos, a bomba de combustível. Durante abastecimento, várias acusam forte cheiro de combustível no habitáculo.

O motivo é o vazamento de combustível na flange da bomba, sobre o tanque. Trata-se de uma peça plástica que resseca e racha, indicando péssima qualidade do material empregado.

Além disso, a mangueira do combustível igualmente resseca e racha, provocando vazamento no compartimento do motor.

Outros problemas e defeitos

Chevrolet Celta - Defeitos e problemas

Falando em motor, no cofre do mesmo, o duto de borracha de captação de ar do filtro para a admissão rasga e altera níveis de emissão, dando entrada de ar falso.

Nas unidades do Chevrolet Celta com direção hidráulica, alguns reclamam de vazamento na mangueira do sistema hidráulico, mesmo em quilometragem baixa, como 35.000 km, por exemplo.

A vazamento de fluído gera perda de eficiência, endurecendo a direção. No caso da mecânica, folgas e ruídos na caixa também foram apontados por vários donos.

Outro problema que é considerado por alguns como crônico no Celta é o compartimento da bateria. Segundo os relatos, o local onde a bateria fica presa enferruja com a entrada de água, acumulada especialmente abaixo da mesma.

Com o tempo, essa ferrugem se torna uma corrosão perfurativa que permite o acesso da água ao habitáculo, inundando o lado do passageiro, molhando os pés do mesmo, de acordo com os proprietários envolvidos.

O problema pode ocorrer antes mesmo de 50.000 km, conforme um dos relatos, outros ocorreram entre 58.000 km e pouco acima de 100.000 km. Ainda no cofre do motor, o coxim do câmbio é outro item que demanda substituição com pouco tempo, pois, o mesmo quebra com facilidade na opinião de alguns donos.

A bobina de ignição é outro item que também dá problema no Celta, segundo os proprietários. No entanto, estes se preocupam mais com as velas, que enferrujam rápido demais e sua troca requer atenção, pois são específicas. Vários relatos apontam para problemas nesse caso.

Já em relação ao combustível, muitos reclamam de falhas com etanol e recomendam o uso de gasolina.

Da mesma forma, apontam falhas na sonda lambda e no sensor de velocidade, com trocas antes de 100.000 km.

Suspensão

Chevrolet Celta - Defeitos e problemas

A suspensão do Chevrolet Celta não é elogiada pelos donos, devido a dureza da calibração, porém, o que eles reclamam mesmo é de um “bicho” chamado “morcego”. Este é o tensor da barra estabilizadora, que de acordo com muitos, gera enorme barulho e passa a impressão de que todo o sistema vai demonstrar, na palavra dos donos.

O relato com menor quilometragem encontrado era de 41.000 km, mas um proprietário disse ter feito a troca alguns vezes e recomenda: o “morcego” precisa ser trocado a cada 20.000 km para evitar problemas.

O item é relatado como de quebra fácil em alguns casos, sendo recomendada a substituição por uma peça original, que custa em torno de R$ 90,00 de marca renomada, mas existem ofertas de R$ 30,00 de origem paralela…

Barulhos e mais água

Chevrolet Celta - Defeitos e problemas

Vários proprietários de Chevrolet Celta se queixam de entrada de água no porta-malas. A maioria não especifica exatamente como se dá essa entrada no geral, mas em um fórum, um deles revelou que isso acontece através da lanterna.

Também existem clientes da GM que apontam a corrosão perfurativa acentuada entre para-brisa e lataria, mas não sendo relatada entrada de água no habitáculo, cujo único motivo seria o mencionado acima e no caso do compartimento da bateria.

Houve um recall envolvendo o Celta e nesse caso era relativo do filtro de combustível.

O chamamento ocorreu em maio de 2014 para veículos feitos entre outubro de 2013 e abril de 2014.

Foram 27.385 unidades do Celta, nesse caso.

O modelo ainda teve outro recall envolvendo o ar condicionado do modelo 2003.

Também teve uma chamada para a haste do acelerador, que poderia se romper, oferecendo risco aos ocupantes e terceiros.

No mais, os proprietários de Chevrolet Celta apontam que, entre defeitos e problemas comuns no carro, os barulhos de acabamento são presenças garantidas.

Além de apontarem falhas no material usado e montagem, falam de barulhos em qualquer situação.

Também reclamam de falha nos vidros elétricos e mesmo nos manuais, obrigando substituição da máquina interna.

No geral, a maior crítica fica para o consumo excessivo, com médias de 7 a 8 km/l em cidade e estrada.

Chevrolet Celta – Defeitos e problemas
Nota média 3.4 de 5 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Gabrielch

    Tive um celta como primeiro carro. O ano do modelo era 2003. Havia no meu celta o problema de entrada de água no porta malas. Nunca teria percebido se não precisasse trocar um pneu furado. Ao pegar o estepe, o compartimento estava com aguá. Pelo estado da roda (de ferro) e da chave de roda… ambos enferrujados… dava para ver que o problema vinha de tempos.

  • Miqueias Pereira

    Eu e minha esposa tivemos um Celta (2013/2013) até o ano passado. Graças a Deus, de todos os relatos mencionados acima, o único que se fez presente na unidade que adquirimos foi o tal vazamento na “flange da bomba”. Desde os 10.000 km o cheiro de gasolina dentro do carro ao abastecê-lo era fortíssimo, mesmo assim nada da concessionária reparar o problema..Aos trinta mil, com medo de estar com a vida em risco, levei o carro a um mecânico amigo meu, que esclareceu e solucionou o problema definitivamente. No mais, carro honesto quanto ao custo-benefício e não nos deu qualquer despesa de grande porte.

  • RPM

    Esse carro foi a maior sakanagem que fizeram com o consumidor Brasileiro…

    • Alexandre

      Acho que foi o Agile.

      • Penso o mesmo.

        E hoje nesse sentido, Moby…uma uno cortada e mal feita, pelo mesmo valor.

  • leomix leo

    Tive um 2010/11, só tive uma Cebolinha da luz de ré trocada e a trava da porta esquerda traseira, nada mais, vendi em 2014 com 115k rodados e zero problemas, nada de vazamentos, já o de minha irmã, 2008, como ela morava próximo a praia, a bateria caiu dentro do carro, a corrosão comeu o carro todo.kkkkkk
    P.S.: encontro sempre meu antigo carro, bem conservado e com 250k rodados, sempre pergunto ao atual dono como é que ele tá, e diz que tá zerado, realmente, a pintura continua em boas condições já a mecânica só o dono pra poder falar.

  • Magnamox

    Eu tive um Celta 2005 Flex, meu irmão teve um 2013/2014 e minha irmã tem um 2005 Flex. …..95% dos problemas relatados na matéria tivemos nesses Celtas. O Carrinho é valente mas quando começa a dar problema é um buraco sem fundo. Recentemente o da minha irmã estourou uma válvula e precisou fazer o cabeçote, agora descobri que faz parte de um Recall branco….

  • Paulo de Tarso Luchesi Coelho

    Em 2003 vendi o Corsa Wind EFI 1.0 1995 que tinha e peguei o Celta 1.0 Zero km. Em termos de acabamento e sofisticação, foi um downgrade ruim. Falta de isolamento acústico e conforto. O motor trabalhando a 100km/h parecia estar no limite da rotação. Tive problema com a borboleta que segurava o escapamento se soltou causando ruídos metálicos ao rodar. Fiquei feliz por trocar ele em 2005 por um Fiesta 1.0 Supercharger.

  • SDS SP

    Foi meu primeiro carro (modelo 2002). Era ruinzinho em quase tudo, mas tinha manutenção baratíssima. Para primeiro carro, até hoje eu considero como uma boa compra.

    PS: tá esquisita a forma como o texto foi apresentado. Isso não é de hoje.

  • Morgan Hess

    Eu tive meu primeiro carro um Celta 2000/2001 e fiquei 7 anos e meio com ele. Só troquei uma lâmpada de freio tras/direita e com 5 anos troquei a bateria por outra AC Delco 42Ah na concessionária. O Vendi em 2012 com dó no coração por conta da km (170.000km) e peguei um VHC-E 2012/2012 também zero. Este fiquei 1 ano sem NENHUM problema nem barulho, só troquei ele em fim de 2012 pelo Onix LTZ que recém havia sido lançado, e achei um LTZ laranja flame lá que recém tinha chegado e fui nele. Estou com o mesmo até hoje, carro maravilhoso.

  • Márciocarro

    Tive um adorei hoge tenho 2 só faço mecânica básica…viajo vou todos lugares sem problemas..só troco por outro gm ou fiat

  • Paulo Lustosa

    Tive um Prisma derivado do Celta, por sinal um Maxx 2010/2011, que tirando um único problema que tive com ele relacionado ao garfo seletor do câmbio que quebrou, nunca sequer me deixou na mão e nem acendeu a luz de injeção, e era extremamente esperto pro motor que tinha por conta do baixo peso.

  • Tchu

    “A suspensão do Chevrolet Celta não é elogiada pelos donos, devido a dureza da calibração…”
    Dureza? É o carro mais molenga que já dirigi. Ao arrancar com o carro vc já percebe isso. Fazer curva em velocidade mais alta, parece que vai tombar de tanto que inclina.

  • André

    Quem quiser comprar um Celta, sugiro fortemente pegar um 2012 em adiante, a GM fez umas melhorias pequenas no motor e no isolamento acústico que deixou o muito barulhento Celta bem mais agradável e silencioso, também a direção hidráulica passou a ser mais leve, num todo o carrinho ficou até agradável de se dirigir.

    • Até 2015 esses últimos são bons mesmo e bem valorizados.

  • GF Clam

    Academia ambulante, reforça os braços do motorista de tão pesado que é a direção!

  • Eng Turbo

    Um dos carros com a pior ergonomia que já dirigi na VIDA. So perde pra Ford Courier!
    A GM teve a sacada de encurtar o cambio, assim ele passava a sensação de ser mais “potente” que os concorrentes, porém isso era apenas um truque de relação do cambio, o qual o deixava com uma otima aceleração, porém o motor “gritava” a 120 km/h, o barulho do motor era praticamente outro passageiro na cabine, de tanto barulho ;)

    • Mace Windu

      Acho que dei sorte com meus Celtas. Tive um 06/07 que comprei no final de 2013 com 70 mil km. A única coisa que troquei com um ano de uso foi toda a suspensão e morcegão pois ainda eram originais. Vendi esse carro no final de 2016 e comprei outro Celta 2015 com 17 mil km. Ainda tenho ele e hoje ele está com 56 mil km. Só troquei óleo, pneus e a tampa do reservatório do líquido de arrefecimento durante esses 3 anos. O barulho do motor realmente é mais alto devido o cambio curto. Mas prefiro ele assim do que um cambio mais longo e o carro manco. Para os padrões de um 1.0 ele é bem valente.

  • Bruno Silva

    Tenho um 2012/2013 que comprei em 2017 com 44.000km, hoje já está chegando aos 85.000km sem dor de cabeça. Único problema do relatado q deu foi da corrosão na bateria, gastei 300 reais e resolveu. Outro a sonda lambda, mas descobri que foi numa troca de óleo (o mecânico deixou ela solta), aí numa raspada na garagem acusou no painel, eu mesmo comprei e troquei (gastei uns 150 reais). As peças no geral são muito baratas e o que precisa trocar de manutenção básica é muito tranquilo. Gosto muito dele, já tive várias oportunidades de trocá-lo e tenho até uma reserva pra isso, mas não vejo necessidade (até pq está quitado).

    • Fellipe Z

      Melhor coisa Man, tbm ficaria c um carro quitado e um dinheiro sobrando p eventuais problemas

  • Tive um Celta por 9 anos.

    1 – asa de morcego quebra por ausência da barra estabilizadora (colocando uma, a mesma do Classic) dura muito.
    2 – Os flex são melhor no etanol, alta taxa de compressão o que faz melhor uso e consumo.
    3 – sensor de velocidade realmente da defeito
    4 – Comando de seta entra em curto em algumas séries (desgaste de uso)
    5 – suspensão ótima, dinâmica apurada, basta colocar melhores pneus. 175/70r13, 175/65r14 ou 185/60r14 muda o carro.
    6 – tampa do módulo de combustível resseca e realmente vaza, simples troca resolve.
    7 – óleo do motor recomendado é o 5w30 mas os entendidos colocam mais viscoso, daí o comando de válvulas chora.
    8 – Colar de embreagem resseca em algumas séries. Tendo que ser trocado todo o conjunto.
    9 – óleo do câmbio evapora, por isso a umidade no respiro do câmbio, recomendado olhar a cada 80.000km
    10 – vazamentos na frente pela borracha do parabrisa, na traseira pelas borrachas da tampa e lanternas. A manutenção das mesmas evita.
    11 – calha do teto acumula lama, fura o teto e vaza próximo ao parabrisa.
    12 – robusto, durável e manutenção barata demais.
    13 – a preventiva no arrefecimento evita demais danos. Recomenda-se a cada dois anos independente da vontade do dono. Manutenção programada é pra ser feita.

    Rodei mais de 100.000km 2 jogos de pneus e muita alegria.

    • Geraldo Xavier

      Item 7. O 20w50 custa a metade e roda a metade. Grande economia
      Item 9. Aonde eu troco o óleo sempre que levo o carro para tal peço pra verificar o nível do óleo da caixa. Muita gente nem sabe que isso existe e depois reclama que quebrou a caixa

    • CharlesAle

      NA empresa em que trabalhei, uma locadora de veículos, mas só para empresas. Era mais problema de desgaste prematuro no comando de válvulas, e motor como um todo. Para evitar gastos com retíficas, passaram a usar o tal Molikote e resolveu bem. O técnico da Molikote até sugeriu que podiam usar o óleo Top Turbo(assim usariam o mesmo óleo para os Diesel e carros de passeio, já que havia tambores de 200l de óleo). E realmente zerou o desgaste prematuro nos motores dos celtas..

      • Interessante, na época, me recomendaram usar o 15w40 para diesel. Um engenheiro da shell lubrificantes.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    Tive um 2007 e vendi com 175 mil km e o que eu costumava trocar era esse morcego mesmo, de resto era troca de peças de acordo com a usabilidade, fora isso era bem econômico (média de 14.5/15.5 km/l misto) e nunca me deu dor de cabeça. Troquei os pneus originais por pneus com perfil 175/70/R13 e o carro ficou muito bom de curva e conforto. O defeito era o volante torto que dava uma péssima ergonomia e em viagens me dava dor nas costas. O meu cunhado tem ainda um 2012 e hoje está um lixo, quase fundiu o motor, lataria uma porcaria, reclama do consumo de 9 km/l, mas o cara não tem dó nenhuma do carro, é um moedor de carro.

    • Mace Windu

      Cara, não sei como conseguem fazer um Celta consumir tanto. Tem que ser um moedor de carro mesmo. Na estrada andando a 120km/h meu Celta 2015 faz 16km/l na gasolina. Uma vez indo de SP pro Rio com ele, pegamos a Dutra com o tráfego intenso, mas mesmo assim fluindo a velocidades entre 80 e 90 km/h. Nesse dia o carro fez quase 19km/l na gasolina. No alcool o máximo que fiz na estrada foi 11,4km/l. Na cidade nunca fiz média pra ser sincero…mas tenho estou quase certo que faz acima de 11 na gasolina.

  • Maycon26

    Tenho há 3 anos um celta 2010/11 que uso para trabalhar.Manutencão baixíssima,e consumo nem de perto o relatado na reportagem.Considero ainda hoje um bom custo/benefício.

  • João Senff

    O celta da primeira geração com o kit de saias e etc achava lindão eu era criança e todo dia passava um na frente de casa branco com o kit .

  • DOD verdadeiro

    O Celta é o pior carro que eu já dirigi e andei. Uns anos atrás eu trabalhei no setor jurídico de uma grande construtora que atua aqui no NE e pelo menos uma vez ao mês tinha que ir para o Recife para reuniões na matriz, eu e mais alguns outros funcionários do alto escalão do posto da minha cidade. A empresa fornecia um valor para transporte que cobria passagens aéreas mas como não é uma viagem tão longa e a rodovia é “um mármore” quase sempre íamos de carro, os 4, e dividindo o combustível, e fazendo os rodízios, cada viagem era no carro de um do grupo. Um dos meus colegas tinha um Celta 2010, meu Deus, que carro boqueta, eu chegava todo quebrado, os bancos eram péssimos. Algumas vezes dirigi esse Celta e achei a ergonomia das piores, fora o acabamento vergonhoso, um colega certo dia cortou o dedo em uma rebarba na manivela do vidro traseiro. O Clio Campus e o Gol G5 de outros dois colegas pareciam carros de luxo perto dele.

  • PH Sacchi

    foi meu primeiro carro ( 2007/08 ), usei por 3 anos e só precisei trocar o sensor de nível do marcador de combustível, quando vendi ainda parecia novo, fiquei surpreso ao ler esse texto com tantos problemas apresentados …

  • RicardoVW

    Defeitos: o carro!

  • Adrian

    Concordo plenamente com o texto tive quase todos esses problemas relatados, deus me livre. estou vendendo o meu. o pior carro que eu ja tive.

  • Marco

    Credo!!! Nunca imaginei que o Celta tivesse tantos problemas e vazamentos. Minha sobrinha tem um, sem direção hidráulica, e pense num carro duro para manobras. Misericórdia! Agora, a bem da verdade é que o mercado brasileiro e a própria GM definitivamente não precisava do Celta como carro de entrada. O antigo Corsa (hatch/Classic) cumpriam muito bem esse papel, com melhor desenvoltura, qualidade construtiva e com um projeto já pago. Não havia a necessidade de se lançar esse carro, que na época de seu lançamento, lembro-me de vários relatos em sites automotivos que tratavam esse carro como repleto de peças “descartáveis”. Mas com relação à GM, o que ela poder fazer para “furar o olho” do consumidor brasileiro, pode ter certeza que vai fazer. Mas pelo menos, pelo peso do carro, o motor possui um excelente torque para o dia-a-dia e suas peças são fáceis de encontrar no mercado e a preço bem acessível. Todo carro popular tem seus defeitos e virtudes. Outros mais, outros menos. Só acho uma pena não terem continuado com o antigo Corsinha, que mesmo tendo saído de linha há muitos anos, ainda hoje continua sendo referência em design, pois tem uma aparência que não envelhece. Eu mesmo adorava o 4 portas e acho ele mais espaçoso do que o Corsa que o sucedeu (o das lanternas suspensas na traseira).

  • riano rodriguez

    O pior carro que já tive o desprazer de dirigir, acabamento porco, apertado, duro, sem nenhuma segurança, e aquele barulho de rodagem do lado esquerdo no pé são inesquecíveis…

  • Josué

    Isso não é um carro, é uma bomba……….Bom, digo se tiver tudo isso de problema………..Eu nunca tive este carro.

  • Leandro Urbano

    Quanta baboseira em uma única matéria! tive um Celta 2013 por 4 anos, destes problemas somente o rangido no morceguinho e mais nada! Vendi ele com 117000 km, rodados 99% no etanol e nunca falhou uma vez sequer. Vazamento? nenhum. A corrosão da caixa da bateria é causada pelos proprios donos, que trocam a bateria por outra não original e o respiro da mesma fica em posição diferente, fazendo com que gases corrosivos da bateria sejam depositados no fundo da caixa. Nos modelos mais antigos era pior por causa da água do parabrisas cair direto em cima da bateria. No meu a bateria foi trocada por uma AC Delco (apenas com mais amperagem) e vendi o carro sem um único ponto de corrosão. Só por comparação, meu carro atual VW Up deu mais defeito em um ano que estou com ele do que o Celta em 4 anos.

  • e3965

    Um dos piores carros que já dirigi, apertado, suspensão seca, rangido de plástico em tudo que é lado, volante torto, corrosões na lataria com poucos anos de uso. Até um Siena elx 1.4 que tive era carrão perto dessa porcaria.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email