Chevrolet Celta – Defeitos e problemas

chevrolet celta advantage1

O Chevrolet Celta é um hatch compacto que a General Motors fabricou no Brasil entre 2000 e 2015.


O compacto foi um projeto nacional desenvolvido sobre a plataforma do Corsa B e direcionado ao mercado local. Bem simples em relação ao hatch de origem alemã, o popular ganhou até uma fábrica própria para atender sua demanda.

Ao longo de 15 anos de mercado, o Chevrolet Celta foi o carro mais barato da GM e um dos mais vendidos do país. Com duas ou quatro portas, o hatch teve quatro versões do motor 1.0 OHC da Família I e um raro 1.4 da mesma família.

O Chevrolet Celta 1.0 teve 60 cavalos até 2001, 70 cavalos até 2005, 70 cavalos flex até 2008 e a partir daí, 78 cavalos no máximo. Fora isso, o raro 1.4 8V OHC tinha 85 cavalos, mas só foi vendido por dois anos.

O Celta foi tão popular que chegou a ser exportado para a Argentina com o nome de Suzuki Fun, devido ao acordo entre GM e Suzuki. Em um carro tão simples, quais seriam os defeitos e problemas apontados pelos donos?

Os proprietários apontam alguns problemas crônicos no Celta, entre eles vazamentos diversos e tensor da barra estabilizadora (morcego). Respiro da bomba de combustível, entrada de água no porta-malas e lado do passageiro, entre outros.

Chevrolet Celta – Defeitos e problemas

Vazamentos diversos

advantage

 

O Chevrolet Celta é um carro considerado de baixo custo de aquisição e manutenção, mas não é nem de longe econômico, segundos os donos. Eles apontam diversos problemas no popular da GM, que tem histórico de muitos vazamentos, em especial no radiador.

O problema acontece não só em unidades de muita quilometragem, mas também em carros com menos de 50.000 km. Um baquelite plástico seria o problema, gerando defeito por causa do ressecamento do material, rachando e provocando vazamento.

Com perda de fluído de refrigeração, o motor superaquece e pode simplesmente fundir. Geralmente, de acordo com relatos, apenas uma correção no conserto resolve o problema.

Além disso, o Chevrolet Celta também apresenta outros vazamentos de fluídos, segundos os donos. Um deles é o da caixa de mudanças, onde o vazamento ocorre na parte superior e suja toda a peça.

Fora isso, reclamam ainda do trambulador do câmbio, que necessita de um kit para ser reparado. No entanto, é o cárter que mais preocupa, apresentando também vazamento de óleo lubrificante, desde antes de 60.000 km em alguns casos.

A tampa do cabeçote é outro item que aparece nos relatos com vazamento, sendo necessária a troca da junta do mesmo. Acontece mais em carros com quilometragem maior, geralmente acima dos 80.000 km nos depoimentos.

Ainda no cabeçote, alguns apontaram problemas em seu funcionamento com quebra das válvulas, provocando danos ao cabeçote e consequente sua troca.

O problema já é conhecido de outros modelos da Chevrolet, devido a baixa qualidade do tratamento térmico das válvulas. Isso motivou um “recall branco” em diversos modelos da GM, geralmente com a troca do cabeçote.

Também existem casos de desgaste do comando de válvulas por falha na lubrificação do mesmo, apontado por alguns.

Cheiro de combustível

ls 1024x580 1

Muitos donos de Celta reclamam de um defeito crônico do modelo em caso de vazamentos, a bomba de combustível. Durante abastecimento, várias acusam forte cheiro de combustível no habitáculo.

O motivo é o vazamento de combustível na flange da bomba, sobre o tanque. Trata-se de uma peça plástica que resseca e racha, indicando péssima qualidade do material empregado.

Além disso, a mangueira do combustível igualmente resseca e racha, provocando vazamento no compartimento do motor.

Outros problemas e defeitos

foto volante celta 2014

Falando em motor, no cofre do mesmo, o duto de borracha de captação de ar do filtro para a admissão rasga e altera níveis de emissão, dando entrada de ar falso.

Nas unidades do Chevrolet Celta com direção hidráulica, alguns reclamam de vazamento na mangueira do sistema hidráulico, mesmo em quilometragem baixa, como 35.000 km, por exemplo.

A vazamento de fluído gera perda de eficiência, endurecendo a direção. No caso da mecânica, folgas e ruídos na caixa também foram apontados por vários donos.

Outro problema que é considerado por alguns como crônico no Celta é o compartimento da bateria. Segundo os relatos, o local onde a bateria fica presa enferruja com a entrada de água, acumulada especialmente abaixo da mesma.

Com o tempo, essa ferrugem se torna uma corrosão perfurativa que permite o acesso da água ao habitáculo, inundando o lado do passageiro, molhando os pés do mesmo, de acordo com os proprietários envolvidos.

O problema pode ocorrer antes mesmo de 50.000 km, conforme um dos relatos, outros ocorreram entre 58.000 km e pouco acima de 100.000 km. Ainda no cofre do motor, o coxim do câmbio é outro item que demanda substituição com pouco tempo, pois, o mesmo quebra com facilidade na opinião de alguns donos.

A bobina de ignição é outro item que também dá problema no Celta, segundo os proprietários. No entanto, estes se preocupam mais com as velas, que enferrujam rápido demais e sua troca requer atenção, pois são específicas. Vários relatos apontam para problemas nesse caso (veja o problema de hodômetro do Corsa 2009).

Já em relação ao combustível, muitos reclamam de falhas com etanol e recomendam o uso de gasolina.

Da mesma forma, apontam falhas na sonda lambda e no sensor de velocidade, com trocas antes de 100.000 km.

Suspensão

celta

A suspensão do Chevrolet Celta não é elogiada pelos donos, devido a dureza da calibração, porém, o que eles reclamam mesmo é de um “bicho” chamado “morcego”. Este é o tensor da barra estabilizadora, que de acordo com muitos, gera enorme barulho e passa a impressão de que todo o sistema vai demonstrar, na palavra dos donos.

O relato com menor quilometragem encontrado era de 41.000 km, mas um proprietário disse ter feito a troca alguns vezes e recomenda: o “morcego” precisa ser trocado a cada 20.000 km para evitar problemas.

O item é relatado como de quebra fácil em alguns casos, sendo recomendada a substituição por uma peça original, que custa em torno de R$ 90,00 de marca renomada, mas existem ofertas de R$ 30,00 de origem paralela…

Barulhos e mais água

celta porta malas

Vários proprietários de Chevrolet Celta se queixam de entrada de água no porta-malas. A maioria não especifica exatamente como se dá essa entrada no geral, mas em um fórum, um deles revelou que isso acontece através da lanterna.

Também existem clientes da GM que apontam a corrosão perfurativa acentuada entre para-brisa e lataria, mas não sendo relatada entrada de água no habitáculo, cujo único motivo seria o mencionado acima e no caso do compartimento da bateria.

Houve um recall envolvendo o Celta e nesse caso era relativo do filtro de combustível.

O chamamento ocorreu em maio de 2014 para veículos feitos entre outubro de 2013 e abril de 2014.

Foram 27.385 unidades do Celta, nesse caso.

O modelo ainda teve outro recall envolvendo o ar condicionado do modelo 2003.

Também teve uma chamada para a haste do acelerador, que poderia se romper, oferecendo risco aos ocupantes e terceiros.

No mais, os proprietários de Chevrolet Celta apontam que, entre defeitos e problemas comuns no carro, os barulhos de acabamento são presenças garantidas.

Além de apontarem falhas no material usado e montagem, falam de barulhos em qualquer situação.

Também reclamam de falha nos vidros elétricos e mesmo nos manuais, obrigando substituição da máquina interna.

No geral, a maior crítica fica para o consumo excessivo, com médias de 7 a 8 km/l em cidade e estrada.

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.