31 mitos sobre carros que muita gente ainda acredita

carros chocolate 1

Apesar dos carros serem tão amplamente usados em nossos dias, muitas pessoas não conhecem quase nada sobre eles.

Isso ficou ainda mais evidente nos últimos anos, onde uma boa parcela dos jovens não se interessa mais tanto por carros, como antigamente.

Com isso, fica fácil que alguns mitos a respeitos dos carros se espalhem. Isso acontece com ainda mais força com a “ajuda” das redes sociais.

Portanto, vamos aqui desmistificar muitas dessas coisas, mostrando que não são verdade.

Confira:

Índice

1) É necessário esquentar o motor no frio

Este mito é muito difundido por aí.

Com relação a carros modernos com injeção eletrônica, esse tempo de aquecimento é completamente desnecessário. Os próprios fabricantes indicam que você pode simplesmente ligar o carro e sair andando, pois ele irá se aquecer em poucos minutos.

Pode ser que isso era verdade, até certo ponto, na época dos carros carburados, que no Brasil foi até os primeiros anos da década de 90.

Mesmo dentre os carros carburados, isso acontecia mais com os carros a álcool. E ainda assim, se a pessoa usasse uma pequena porcentagem de 5% ou 10% de gasolina misturada com o álcool, o problema estava resolvido, desde que se usasse o afogador puxado durante alguns quilômetros.

Dentre os editores aqui do Notícias Automotivas, temos alguns carros antigos, e até hoje estes carros carburados movidos a álcool pegam com facilidade no frio, desde que sejam mantidos em bom estado. Os gasolina e diesel pegam como se fossem novos.

2) Carros manuais são mais econômicos do que automáticos

Pode ser que antigamente os carros automáticos fossem mesmo mais gastões do que os manuais. Mas hoje os câmbios automáticos tem muitas marchas, até mesmo 9 ou 10.

Por causa disso, esses carros automáticos mantém um nível de rotações baixíssimo em estrada, algo na casa de 1.600 giros a 110 km/h, por exemplo. Com isso, os automáticos passam a ser até mesmo mais econômicos do que os manuais, em alguns casos.

3) O óleo do motor tem que ser trocado a cada 5.000 quilômetros

A informação que tem que ser seguida à risca é o que está lá no manual do proprietário do seu carro. Mas já adiantamos que na maioria dos casos, 10.000 quilômetros para a troca é o que mais se vê por aí.

No caso de veículos a diesel, o intervalo é até maior, chegando a 20.000 quilômetros ou mais.

4) Deixar o câmbio em ponto morto nas descidas ajuda a economizar combustível

Está aí algo que também fazia sentido na época dos carros com carburador. Naquela época realmente a melhor maneira de economizar em descidas era deixando o carro em ponto morto.

Os carros modernos, com injeção eletrônica, simplesmente cortam o fornecimento de combustível ao motor quando vc não acelera. Então, esqueça a banguela.

5) Usar o celular no posto de combustível pode causar uma explosão

Esse mito acontece por causa de sinais de aviso que existem nos postos. A idéia é de que os sinais do celular ao se comunicar com a torre, poderiam fazer com que os vapores do combustível entrassem em ignição.

Bem, se isso fosse verdade, nenhum frentista poderia andar com o celular no bolso. E na primeira vez que um motorista usasse o celular ao abastecer (ou mesmo um dos passageiros do carro), tudo iria pelos ares.

Como isso nunca aconteceu, é claro que é um mito . O que é mais provável de causar acidentes são pessoas fumando perto do bocal do combustível, isso sim.

6) Um carro Flex novo precisa ser abastecido só com gasolina por um certo tempo

Os carros Flex funcionam no Brasil desde 2003 aceitando álcool, gasolina ou qualquer proporção entre eles. Pode ser 10% de um e 90% do outro, sem problemas. Ou mesmo 50%/50%.

Se o uso de algum combustível logo no início da vida do veículo causasse algum tipo de problema, as montadoras teriam um problemão nas mãos, pois as pessoas geralmente não sabem seguir regras muito bem.

7) Os carros explodem quando batem ou capotam

Isso só acontece nos filmes. Os carros explodem com qualquer coisinha que acontecer com eles, seja acidente, colisão, capotamento, etc.

Se isso acontecesse, milhões de pessoas morreriam queimadas todos os anos ao redor do mundo. É claro que carros podem explodir, mas isso é muito raro.

8) SUVs (e outros carros maiores) são mais seguros

É intuitivo pensar que carros maiores, como os SUVs, são mais seguros. Afinal, colidir um objeto grande com um pequeno sempre vai causar mais danos do lado do pequeno.

Mas uma coisa muito mais importante na hora de analisar se um carro é seguro ou não são os testes feitos por institutos de segurança.

Para o mercado brasileiro, temos o Latin NCAP, com muitos testes feitos com vários modelos vendidos por aqui. No site deles, vemos que alguns modelos tem cinco estrelas nos testes, e nem todos eles são SUVs. Temos o Chevrolet Tracker junto com o Toyota Corolla, por exemplo.

Do outro lado da moeda, com apenas uma estrela, temos modelos como Fiat Strada e Honda WR-V.

9) Se você encher o tanque de manhã, vai economizar

Essa idéia vem do fato de que de manhã, como o clima está mais frio, o combustível está mais denso, então por isso, você consegue colocar mais, por menos.

Mas como o combustível é armazenado em um tanque subterrâneo, embaixo de onde paramos o carro, se está frio ou não, isso não importa, pois a temperatura lá no tanque está sempre igual.

10) Atravessar lombadas na diagonal é melhor, para o carro não raspar

Até pode ser que seu carro raspe menos atravessando a lombada meio de lado, caso ele esteja muito cheio e pesado, ou seja rebaixado.

Mas isso vai causar problemas estruturais nele, pois os carros foram feitos para passar em lombadas do jeito normal mesmo. Eles não foram feitos para terem suas carrocerias se retorcendo todas quando decidimos fazer diferente.

11) Nitrogênio nos pneus é bom apenas para carros de corrida

Carros de corrida, ou de competição, usam nitrogênio em seus pneus. Isso é feito para que o pneu tenha uma maior estabilidade interna, mesmo nas altas temperaturas em que trabalham.

Mas estes benefícios também podem ser estendidos aos carros normais de rua. O nitrogênio vaza mais lentamente do pneu do que o ar. Com isso, o pneu mantém a calibragem correta por um tempo maior.

A desvantagem é que encher os pneus com nitrogênio tem seu preço. O valor fica entre R$ 10 e R$ 20 por roda.

12) Um motor com 100 cavalos tem a força de 100 cavalos reais

A medida de cavalos-vapor, criada para se analisar a potência de um carro, se baseou inicialmente em uma ideia de quantos cavalos aquele veículo poderia substituir.

Mas isso foi feito no século 18, para comparar a força dos animais com a força de máquinas a vapor, e não tem nada a ver com a força ou velocidade dos carros atuais. Na verdade, nos carros de hoje, podemos pensar em quanto mais cavalos, maior a velocidade, e quanto mais torque, maior a força.

13) Ao abastecer o carro, é bom encher o tanque até a boca

As bombas dos postos de combustíveis usam bicos com dispositivos de segurança. Sabe quando você manda encher o tanque e o bico trava, ou dá aquele clique?

Este é o momento em que o combustível subiu tanto de nível que alcançou a ponta do bico. Se você encher o tanque acima deste ponto, vai danificar o cânister, que é um filtro com carvão ativado que reduz os gases da evaporação do combustível.

Portanto, encher até o bico travar já é o suficiente.

14) Deixar o carro funcionando é melhor, pois se gasta muito combustível na partida

Os carros modernos usam pouquíssimo combustível para dar a partida, hoje em dia. Estamos falando de 20 a 30 ml de combustível, algo que custa de 10 a 15 centavos em uma gasolina de, digamos, 5 reais o litro.

Então, em uma conta meio generalista, se você for ficar com o carro parado por mais de um minuto, já vale a pena desligar o motor.

15) Com o piloto automático ligado, posso dar uma olhada no celular

O piloto automático, ou controle de cruzeiro, não é um sistema de segurança, e sim apenas um conforto a mais.

Ele trata de manter o carro naquela velocidade especificada, mas não auxilia em coisa que apenas o motorista pode fazer, como manter os olhos na estrada.

Por isso, nunca use o celular ao dirigir, mesmo com o piloto automático ligado.

16) Carro com mais de 100.000 quilômetros rodados é uma roubada

O brasileiro gosta de rodar bastante com seu carro, mas na hora de comprar um carro novo, mesmo que seja usado, só quer baixíssimas quilometragens.

Com a tecnologia de hoje em dia, não precisamos achar que 100.000 quilômetros é o limite. Isso é coisa lá da década de 60 ou 70. Já se passaram 50 anos!

Tudo depende de como o carro foi cuidado. Muitas vezes um carro com 200.000 quilômetros rodados somente em estrada, e em velocidades corretas, ainda está em ótimo estado.

Essa fixação com quilometragem baixa foi que acabou criando a máfia do hodômetro adulterado. Ou você acha que aquele Celta 2012 anunciado com apenas 50.000 quilômetros é verdade? O carro deveria vir com um nariz de Pinóquio instalado no capô.

17) Picapes ficam mais econômicas com a tampa da caçamba abaixada

A revista/site americano Popular Mechanics testou essa teoria, e o resultado foi de que com a tampa abaixada, o arrasto aerodinâmico da picape ficou ainda maior.

Três boas opções para economizar com combustível na picape:

  • Rodar com aquelas redes que ficam no lugar da tampa
  • Rodar sem a tampa, ou
  • Rodar com a tampa no lugar e uma capota marítima

18) Os bicos injetores precisam ser limpos com frequência

É claro que pode chegar o dia em que seu carro tenha algum problema, e seja necessário fazer uma limpeza de bicos injetores, mas isso nunca deve ser feito com regularidade, ou seja, do mesmo jeito que precisamos sempre trocar o óleo do motor.

Isso é somente papo de mecânico querendo arrancar um dinheiro extra de você. Pode até mesmo ser que ele vá te vender o serviço e nem mesmo limpar os bicos!

19) Gasolina premium ou podium faz meu carro ficar mais econômico

A gasolina premium ou podium tem seus benefícios, como por exemplo uma maior octanagem, o que traz diferenças se seu carro for um super esportivo, ou carro premium, que pede esse tipo de gasolina em seu manual. Mas para o seu carro comum, ele não irá ficar mais econômico.

Outra coisa que não vai acontecer é seu carro ter o desempenho melhorado com ela.

20) Na estrada, andar com os vidros abertos economiza combustível

Me lembro até hoje de um teste feito por uma revista automotiva nacional lá nos anos 90, mostrando as coisas que mais fazem o consumo do carro aumentar.

E, acredite, andar na estrada com os vidros abertos foi uma das piores. Como o arrasto aerodinâmico é aumentado com muita força, o carro gasta bem mais, até mesmo mais do que se estivesse com o A/C ligado.

Se quiser economizar, use vidros abertos na cidade, mas na estrada, pode fechar os vidros e ligar o ar-condicionado.

21) Sempre se deve trocar todos os pneus de uma só vez

Isso faz sentido, mas não é necessário. É sim necessário trocar os pneus de um mesmo eixo de uma vez, mas não precisa ser os quatro.

Aqueles pneus que estiverem no eixo de tração vão se gastar mais rapidamente, então é bom fazer rodízio de pneus a cada 10.000 km.

22) É bom aproveitar para trocar o filtro de ar e combustível quando troco o óleo do motor

O mecânico, ou aquele funcionário da casa de troca de óleo pode te falar para trocar tudo que é filtro de uma vez, “para aproveitar que já tá mexendo”.

Mas cada um destes componentes tem um intervalo recomendado no manual do carro. Sempre observe essa quilometragem.

23) Motor turbo é sinônimo de motor problemático

A idéia de que turbo só dá dor de cabeça vem lá dos anos 80, quando instalar turbo em motor era uma verdadeira aventura.

Os carros que saem com turbo original de fábrica tem todos os seus componentes cuidadosamente pensados por centenas de engenheiros daquela marca.

E, se formos pensar, temos carros turbo originais no Brasil desde 1994, com o Uno Turbo e o Tempra Turbo. São quase 30 anos! Então já chegou a hora de deixar essa idéia de lado, não acha mesmo?

24) Carros elétricos pegam fogo mais fácil do que carros convencionais

Em 2012, nos EUA, o instituto NHTSA, ou National Highway Traffic Safety Administration, investigou o assunto e concluiu que os carros elétricos não representam nenhum risco maior de incêndio do que os carros a gasolina.

Imagine então hoje, cerca de 11 anos depois.

25) Quando você não tiver como desviar de um cavalo ou uma vaca, acelere para que o animal passe por cima do carro

A pessoa tem que ser muito ingênua para achar que com uma velocidade um pouco maior, o vidro do parabrisa será forte o suficiente para não se quebrar, e apenas deslizar para cima o peso de um cavalo de cerca de 400 quilos. Ou de uma vaca, com seus mais de 700 quilos.

Em altas velocidades, pode ser perigoso querer desviar muito bruscamente do animal. Com isso em mente, devemos reduzir a velocidade ao máximo, afinal, já vimos muitos e muitos casos onde um animal grande foi responsável por tirar a vida de todos os ocupantes do veículo.

Se a velocidade for pequena, você pode desviar tranquilamente, ainda mais se seu carro for equipado com freios ABS e controle de estabilidade.

Agora, falando de animais pequenos, sinceramente nossa opinião pessoal é de que você não deveria tentar desviar. É melhor matar o animal do que colocar a vida de toda a sua família em risco, num capotamento.

26) A partir de um certo número de anos, o custo de manutenção aumenta a cada ano

O valor que gastamos anualmente em manutenção com nosso carro não tem nada a ver com o fato de ele ser velho ou não.

Um carro de colecionador, lá dos anos 60, por exemplo, e usado pouco a cada mês, vai dar muito menos gasto do que um carro com 5 anos de uso, usado para trabalho todos os dias.

Mas, se estivermos falando de um carro normal para uso diário, é sim uma boa idéia tentar comprar o mais novo que você conseguir, pois ele vai ser mais confiável e dar menos gastos, principalmente se você tiver que rodar muito.

27) Não dá para usar um carro elétrico no dia-a-dia

As pessoas rodam, em uma média bem generalista, de 50 a 70 quilômetros por dia. Em se tratando de uma quilometragem diária deste nível, até mesmo o carro elétrico com a pior autonomia possível já é o suficiente, para uso dentro da cidade.

Alguns carros elétricos hoje em dia chegam a uma autonomia de mais de 800 quilômetros, como é o caso do Lucid Air Dream Edition R.

28) Peças paralelas nunca serão tão boas quanto as originais

É claro que em muitos casos, as peças originais são uma ótima compra, como por exemplo em itens que podem salvar a sua vida, como discos e pastilhas de freio. Mas existem casos onde tanto a original quanto a paralela saem da mesma linha de produção, dentro da mesma fábrica.

Aí é melhor você comprar a paralela, que vai custar menos e ter a mesma qualidade. Como saber quando comprar a peça paralela e quando comprar a original? Pergunte para seu mecânico de confiança. Ele que entende do assunto.

Ele vai te dar dicas onde em alguns casos, você pode até mesmo comprar a peça de um outro carro, que vai servir no seu carro, e custar muito menos. Temos essas diferenças de preços entre peças iguais no caso de irmãos como Renegade e Toro, Golf e Audi A3, Cayenne e Touareg, C3 e 208, etc.

No caso de carros antigos, existem listas enormes de peças equivalentes, que servem no seu carro, como por exemplo usar as pastilhas dianteiras do Opala 79 no Landau. Ou mesmo usar o filtro de ar da F4000 e amortecedores dianteiros da F1000, no Dodge Dart/Charger.

29) Carros elétricos são mais caros de se manter

Os carros elétricos são bem mais caros para se comprar.

Mas o custo por km rodado é menor. Além disso, a manutenção é mais barata, pois eles não necessitam de trocas de óleo, velas de ignição, escapamento, correias, mangueiras, catalisador, etc.

30) A pressão correta do pneu está escrita nele

No pneu temos sim um número que indica uma certa pressão em PSI, mas aquela é a pressão máxima do pneu, não aquela que você deve usar.

A pressão correta está no manual do veículo, e também em algum outro lugar do seu carro. Pode ser dentro da tampa do tanque de combustível, ou mesmo naquela parte da lataria que fica exposta quando abrimos a porta do motorista.

31) Para o carro ficar mais econômico, basta instalar um sistema “economizador”

Esses aparelhos de economia de combustível vendidos em sites como Mercado Livre e OLX, são mentiras deslavadas.

Não acredite em nenhum deles. Para economizar combustível, basta ficar ligado nas nossas dicas.

Ou mesmo trocar seu carro por um outro que seja mais econômico.

google news2Quer receber todas as nossas notícias em tempo real?
Acesse nossos exclusivos: Canal do Whatsapp e Canal do Telegram!

O que você achou disso?

Toque nas estrelas!

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.


Últimas Notícias



Autor: Eber do Carmo

Fundador do Notícias Automotivas, com atuação por três décadas no segmento automotivo, tem 18 anos de experiência como jornalista automotivo no Notícias Automotivas, desde que criou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio.