BMW Cupês Esportivos História Matérias NA

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

O BMW M2 é o menor puro-sangue da marca alemã numa carroceria de grande volume, pois, o Z4 é um projeto compartilhado e evidentemente menor.


Desenvolvido na plataforma da geração F20 do Série 1, que agora é a F40, o chamado F22/F23 desmembrou a geração anterior em duas linhas,  sendo chamado de Série 2.

Não se deve confundir esta Série 2 – com Coupé e Cabriolet – com a Active Tourer e sua variante maior, que recebem a mesma denominação, mas são carros totalmente diferentes, inclusive em plataforma.

Herdeiro da geração E82/E88 do Série 1, o BMW M2 é o resultado final do desenvolvimento dessa geração, que ainda tem futuro incerto.


BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

No entanto, apesar de ser em realidade um Série 2 Coupé, o BMW M2 recebeu tantas modificações da divisão M, que foi classificado como um carro à parte, o chamado F87.

Com seu potente motor de seis cilindros em linha e ainda mantendo a tração traseira nativa, o modelo se converte num dos carros mais legais para se guiar.

Tendo o M235i como uma prévia, o BMW M2 resolveu uma questão importante que a marca de luxo vinha tentando resolver.

O pequeno esportivo alemão já chamou também do mundo dos jogos, onde ganhou uma versão digital para o jogo Need for Speed.

O M2 Competition também elevou o poder do bólido compacto no mundo com sua cavalaria extra.

BMW M2

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

O BMW M2 é um cupê duas portas com alta performance e preparação mecânica especial.

Feito em Leipzig, o bólido faz parte da impressionante família M, que possui elementos como os emblemáticos M3 e M5, assim como equivalentes maiores na forma de M4 e M6.

O menor dos cupês da BMW, o esportivo tem sua força baseada no poderoso seis em linha 3.0.

A tração traseira e o conjunto motriz em longitudinal, tornam esse BMW M2 algo realmente único, pois, os equivalentes de Audi e Mercedes-Benz apenas possuem tração dianteira ou integral.

Com 4,461 m de comprimento, 1,854 m de largura, 1,410 m de altura e 2,693 m de entre eixos, o esportivo tem um visual bem nervoso e um pouco da estética do M3.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Dotado de faróis duplos de LED com luzes diurnas em LED, grade de duplo rim com elementos cromados e logotipo M2 bem destacado.

O para-choque tem duas molduras num formato quadrado com entradas de ar compostas, permitindo não só direcionar o fluxo de ar para cada boca, mas ganhar um apelo estético maior, ainda mais com spoilers integrados.

Ao centro, grade preta e inferior com elementos visuais exclusivos.

As rodas de liga leve aro 19 polegadas de cinco raios duplos com acabamento em preto brilhante e diamante, são calçadas com pneus 245/35 R19 na frente e 265/35 R19 atrás.

A carroceria compacta do BMW M2 tem linhas bem limpas nas laterias, que apenas chamam atenção para um aplique cromado nas laterais.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Com duas portas de tamanho razoável, o BMW M2 tem ainda janelas laterais de bom tamanho, além de colunas C não muito espessas.

O porta-malas é bem curto e tem defletor de ar na cor do carro, sendo pouco proeminente. Tendo a tampa do bagageiro baixa e larga, o esportivo chama atenção para as lanternas em LED volumosas.

O para-choque é liso e tem apenas dois refletores verticais nas laterais, enquanto a parte inferior tem difusor de ar e quatro saídas de escape cromadas.

O badge M2 fica em evidência na tampa. O bólido ainda tem uma antena barbatana no teto, bem como teto solar elétrico de tamanho padrão.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Por dentro, o BMW M2 tem painel compacto com cluster bem reduzido, analógico e com dois mostradores.

Deve-se lembrar que ele faz parte da família de compactos da BMW e por isso possui esta característica, presente também no X1, por exemplo.

O volante em couro de três raios M Sport tem um visual bem empolgante e vem com vistosos paddle shifts.

O console central, por exemplo, é bem largo tanto no painel quanto no túnel.

Lá em cima, uma tela de multimídia sem touchscreen serve ao BMW ConnectedDrive e tem inclusive câmera de ré e navegador GPS Professional, bem como integração com smartphone e serviços remotos da BMW.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Os difusores de ar são grandes e logo abaixo, outra característica do estilo alemão é a profusão de comandos físicos. Tanto ar condicionado dual zone quanto o sistema de som premium possuem diversos botões.

Um aplique em fibra de carbono cobre parte do conjunto. No túnel, alavanca joystick de alumínio da M Sport.

Além disso, um acabamento em fibra de carbono sustenta o comando de navegação da multimídia, outra característica (ruim) dos germânicos, que evitam ao máximo as telas sensíveis ao toque em prol dos velhos comandos.

Mas, se o estilo conservador não ajuda na intuitividade, pelo menos a permanência da alavanca de freio de mão de acionamento físico é algo bom para quem quer dar escapadas controladas…

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Pedais de alumínio e portas com apliques em fibra de carbono também estão presentes. Os bancos esportivos em couro possuem formato de concha e o padrão M Sport, com costuras azuis.

O espaço na frente é bom, enquanto atrás é apertado, mas ainda como um carro comum.

Motor

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Para o BMW M2 F87, o propulsor único é o N55B30, um seis em linha 3.0 com duplo comando de válvulas variável (VANUS) e acionados por corrente.

Com quatro válvulas por cilindro, este potente motor tem injeção direta e turbocompressor twin-scroll com intercooler.

Com tudo isso, ele entrega 370 cavalos a 6.500 rpm e 47,4 kgfm a 1.400 rpm, trabalhando junto com uma caixa automatizada de dupla embreagem da divisão M, tendo sete velocidades e uma calibração feita para alta performance e com as embreagens banhadas a óleo.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Tendo tração traseira, o BMW M2 vem com diferencial de deslizamento limitado e assim vai de 0 a 100 km/h em 4,3 segundos com máxima de 270 km/h.

O consumo médio é de 7,6 km/l na cidade e 9,8 km/l na estrada. O M2 pode ainda ter uma caixa manual de seis marchas, que permite ao bólido atingir 100 km/h após 4,5 segundos.

No DCT, o BMW M2 pesa 1.495 kg, tendo 4,468 m de comprimento, 1,854 m de largura, 1,410 m de altura e 2,693 m de entre eixos, tendo tanque de 52 litros e porta-malas com 390 litros.

Competition

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

O BMW M2 foi lançado em outubro de 2015, mas em abril de 2018, a marca alemã decidiu ampliar o poder de seu pequeno esportivo em forma de cupê e também de conversível, mas apenas o primeiro foi de fato beneficiado.

Então, eis que surge o BMW M2 Competition Coupé.

Aparentemente parecia ser uma edição acima do M2 padrão, mas na verdade se tornou o sucessor deste.

Um dado importante nesse caso é que o esportivo até então usava um motor N55B30T0, que é um propulsor padrão da BMW e não exatamente modificado pela divisão M para alcançar níveis mais elevados de potência e torque.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Assim, no BMW M2 Competition Coupé é o uso do S55B30T0, que é mais potente e forte, sustentado por batentes feitos de fibra de carbono para ajudar na redução de peso.

O bólido renovado teve a cavalaria aumentada de 370 para 411 cavalos entre 5.250 e 7.000 rpm. Ele possui dois turbocompressores para fazer a diferença.

O torque foi ampliado para 56,1 kgfm entre 2.350 e 5.230 rpm.

Assim como no M2 antigo, o BMW M2 Competition Coupé tem opções de câmbio manual de seis marchas ou automatizado de dupla embreagem de sete marchas com tração puramente traseira.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Mesmo com adição de mais materiais leves, como alumínio e fibra de carbono, o BMW M2 Competition Coupé ficou 80 kg mais pesado com a versão M DCT em relação a anterior, pesando agora 1.575 kg.

Mas é com ela que o cupê de alta performance atinge os 100 km/h em 4,2 segundos, já que no manual, se obtém “somente” 4,4 segundos.

A velocidade final foi aumentada para 280 km/h no pacote M Driver, já que na versão comum, o limite é de 250 km/h. O consumo é de 7,7 km/l na cidade e 9,3 km/l na estrada.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Esteticamente, o BMW M2 Competition Coupé vem com grade dupla em preto brilhante, para-choque revisado com novas entradas de ar e spoilers laterais bem pronunciados.

Os faróis agora são adaptativos e oferecem um fundo escurecido que chama bastante atenção.

As rodas de liga leve aro 19 polegadas têm desenho diferente com múltiplos raios, enquanto as pinças de freio M ganharam cor cinza.

O BMW M2 Competition Coupé tem discos ventilados nas quatro rodas, assim como o anterior, recebendo calibração melhor para atender a mudança de potência.

Com suspensão dotada de amortecedores eletrônicos, o cupê esportivo também dispõe de controle de estabilidade especial, assim como de torque.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Outra mudança é a inclusão dos retrovisores mais aerodinâmicos e agressivos do BMW M3 F80. O sistema de escape agora tem ajuste de abertura eletrônico para conter emissões e ainda manter um ronco vigoroso.

O cupê ainda ganhou as novas cores Sunset Orange Metallic e Hockenheim Silver Metallic.

Por dentro, o BMW M2 Competition Coupé tem o mesmo volume da M3 atual, tendo este botões M1 e M2 como destaque.

As soleiras vêm com o nome da versão, que também estampas com M2 nos encostos dos bancos com padronagem diferenciada e na cor azul em seu centro. O preço sugerido no Brasil é de R$ 389.950.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Assim, encerrou-se o M2 no ano passado, mantendo-se apenas essa em seu lugar para ser a opção definitiva em baixo desempenho e carroceria compacta.

Fruto do desenvolvimento de novas tecnologias, o BMW M2 Competition Coupé é uma evolução do BMW M2 antigo, que por sua vez, foi gerado a partir de M235i e antes deles pelo 228i Coupé Track Handling Package.

M235i Racing

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Antes do BMW M2, a marca alemã começou a testar a sensibilidade dos clientes com uma opção mais esportiva do Série 2 Coupé.

Com este lançado em 2013, a BMW criou uma versão de competição através da divisão Motorsport.

Ele foi desenvolvido para correr no Nürburgring Endurance Championship, que em alemão é conhecido como Veranstaltergemeinschaft Langstreckenpokal Nürburgring ou VLN.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Um protótipo foi feito pela BMW para eventos da marca, mas o interesse do automobilismo fez com que mais unidades fossem construídas para equipes de corrida de outros campeonatos e assim ele foi oferecido como BMW M235i Racing.

Só que a BMW tinha que se adequar às regras de inclusão nas categorias envolvidas e assim passou a oferecer o M235i para rua.

O BMW M235i foi um proto-M2 e tinha motor N55B0O0 3.0 seis em linha com 326 cavalos a 5.800 rpm e 45,9 kgfm a 1.300 rpm.

Com câmbio automático de oito marchas e a tração traseira, o cupê esportivo ia de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos e com máxima limitada a 250 km/h. Fazia 7,7 km/l na cidade e 11,3 km/l na estrada.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

O BMW M235i tinha como diferencial para-choque dianteiro com entradas de ar maiores, rodas de liga leve aro 18 polegadas da M Sport, para-choque traseiro com duas saídas de escape, bem como retrovisores na cor cinza.

Por dentro, o interior segue o mesmo padrão do BMW M2, incluindo o volante, mas a alavanca joystick é normal.

Os bancos da M235i também são mais simples, embora bem envolventes.

Feito para quatro, o pai do BMW M2 foi uma versão que vendeu por aqui durante três anos, sendo uma opção melhor que o anterior BMW 228i Coupé Track Handling Package. Essa versão também teve opção de tração integral xDrive.

Série 1 Coupé

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

O BMW M2 surgiu inicialmente como Série 1 Coupé em 2004.

Essa geração viu surgir o E82 (Coupé) e E88 (Cabriolet), ambos tiveram uma gama enorme de motores e a marca evitou introduzir um “M1” nele, por causa do cupê esportivo que foi vendido entre 1978 e 1981, sendo ele o primeiro BMW de motor central a ser feito em série.

Essa geração viu surgir o BMW Série 1 M Coupé, que tinha motor seis em linha 3.0 N54 de seis cilindros em linha com 335 cavalos e 50,8 kgfm de pico no overboost, pois, sem ele, a força alcança 45,9 kgfm.

Com para-choques agressivos e rodas esportivas, este produto vendeu 2.700 unidades.

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo

Na segunda geração, o Série 1 M Coupé saiu de cena e em seu lugar o BMW 228i Coupé Track Handling Package. O esportivo foi lançado em 2014 e saiu de cena na linha 2016.

Com pacote aerodinâmico M Sport, ele tinha direção adaptativa, suspensão também eletrônica e freios M Sport reforçados com discos e pinças maiores.

Essa opção surgiu em Nova Iorque, durante o Salão de 2014. 

BMW M2: história, motor, equipamentos, anos (e detalhes) do esportivo
Nota média 5 de 1 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Domenico Monteleone

    Um sonho essa máquina

  • Ricardo

    Minha M preferida, tamanho ideal, não é jamanta como as outras M.

  • th!nk.t4nk

    O compacto esportivo referência no mercado, e com preço ainda “pagável” pra classe média no exterior (50 e poucos mil €). Interessante pra comprar com um par de anos de uso, particularmente (esse valor despenca). Já no Brasil é aquela facada tradicional mesmo. Vale lembrar que o M2 vendeu quase 14 mil unidades no ano passado no mundo, o que pra um carro de nicho é um bom número. Por conta disso eu apostaria na sua continuidade, até porque ele é meio que a alma da divisão M (e por consequência da própria BMW).

  • Freaky Boss

    TOP.
    Alemães e seus carros incríveis. Começam o carro pela mecânica, e não pelo interior.

  • Cromo

    Seria um erro a próxima geração do Série 2 usar plataforma de tração dianteira do Série 1, seria a morte da alma deste carro. Entendo q deve usar a plataforma da Série 3 de tração traseira, devidamente encurtada.

  • Cromo

    Interessante manterem o freio de mão, essa opção nos dá controle sobre o freio q o freio elétrico não permite, neste é só ligado ou desligado.

  • 4lex5andro

    Coupé (logo, 2 portas), compacto, esportivo, tração traseira, motor turbo multi-válvulas, entregando quase 50 kg de torque a módicos 2500 rpm.

    Sonho, mas pode chamar de Bmw M2.

  • Victor

    Uma pena a BMW Brasil não trazer a versão manual também, mesmo que por encomenda.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email