Citroen História Sedãs

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos
Citroën C4 Pallas

Cerca de um ano após o seu lançamento em outros mercados, o Citroën C4 Pallas fez a sua estreia no mercado brasileiro.

No começo de agosto de 2007, os brasileiros conheciam o novo representante da marca francesa para o segmento de sedãs médios, que teve como a dura missão enfrentar modelos como Honda Civic, Toyota Corolla e Ford Fusion. Inicialmente, a meta da marca era vender 1.000 unidades do carro por mês.


Para conseguir chamar a atenção de quem não dava muita bola para carros franceses, a Citroën fez uma bela investida em marketing. A campanha de lançamento do carro envolveu diversas caixas de grande porte espalhadas pela capital de São Paulo.

Cada uma media 9 metros de comprimento por 6 metros de altura e tinha um isolamento acústico, onde os curiosos eram convidados a entrar para conhecer o lançamento.

Houve ainda uma ação com o ator britânico Kiefer Sutherland, protagonista da série 24 Horas, que apareceu a bordo do C4 Pallas pelas ruas de São Paulo. Por fim, um boato espalhado nas redes sociais falava que um asteroide de nome Pallas se chocaria com o planeta Terra – algo idealizado também pela Citroën.


Todas essas ideias mirabolantes para divulgar o novo carro refletiam parte da modernidade que o carro trouxe para o segmento. Para começar, o C4 Pallas era bem maior que os seus rivais, com 4,77 metros de comprimento, contra 4,48 m do Civic e 4,54 m do Corolla.

Isso sem falar do porta-malas de 580 litros, contra os 340 l do Honda e 470 l do Toyota.

E o C4 Pallas até que conseguiu vender relativamente bem. Em 2008 (o seu primeiro ano cheio), ele se posicionou como o quarto mais vendido do segmento, com 17.945 unidades vendidas, atrás apenas dos tradicionais Honda Civic, Toyota Corolla e Chevrolet Vectra e a frente do Ford Fusion, Renault Megane, Nissan Sentra, Ford Focus Sedan, Volkswagen Bora, Volkswagen Jetta, Peugeot 307 Sedan e Fiat Linea.

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos

Porém, a partir daí ele viu suas vendas caírem bastante. O fechou 2009 com 12.020 vendas, 2010 com 11.945, 2011 com 7.250, 2012 com 3.919 e 2013 com 2.489 exemplares comercializados, segundo os dados da Fenabrave.

Citroën C4 Pallas – detalhes

Dê só uma olhada para as imagens externas do carro que ilustram esta matéria. O Citroën C4 Pallas tinha um visual muito bem resolvido e isso era um dos chamarizes do modelo. A dianteira da carroceria era marcada pelos faróis que lembravam um bumerangue, divididos pela grade cromada que evidenciava o duplo chevrón da marca francesa.

Já o para-choque do C4 Pallas tinha uma tomada de ar logo abaixo da grade e uma segunda tomada numa posição inferior, que abrigava também os faróis de neblina. O conjunto era finalizado pelo capô com diversos vincos que dava sensação de fluidez e harmonia.

As laterais do C4 Pallas tinham como destaque a ampla área envidraçada, com o teto em formato de arco e as janelas acompanhando o desenho. Havia ainda retrovisores fixados na lataria das portas e um vinco sutil que nascia no para-lama traseiro e terminava nas lanternas.

Por fim, a traseira mostrava que havia sim uma conversa com a dianteira. As lanternas predominante vermelhas se assemelhavam com os faróis e eram destaque na traseira. A tampa do porta-malas tinha desenho limpo, enquanto o para-choque trazia o suporte de placa e um friso que percorria toda a peça.

Todos esses detalhes eram distribuídos numa carroceria de 4,77 metros de comprimento, 1,77 m de largura e 1,51 m de altura, com entre-eixos de 2,71 m.

As boas medidas refletiam num amplo espaço interno, em especial para as pernas dos ocupantes do banco de trás, além do porta-malas que aparentava ser um latifúndio com seus 513 litros – medida já oferecida por modelos atuais como Chevrolet Cobalt e Renault Logan, mas que na época era um diferencial.

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos

O C4 Pallas tinha também tampa do porta-malas com dobradiças pantográficas, algo quase inexistente nos sedãs de hoje em dia.

Ao abrir a porta, dava para notar que o C4 Pallas repetia as soluções modernas encontradas nas irmãs minivans C4 Picasso e Grand C4 Picasso, além do cupê C4 VTR. O painel era marcado pelo bom acabamento com materiais macios ao toque e, sobretudo, pelo quadro de instrumentos totalmente digital fixado no console central.

Uma exclusividade do C4 Pallas era o volante de dois raios com cubo central fixo. Ele era multifuncional e oferecia nada menos que 20 botões, utilizados para comandar uma série de funcionalidades do veículo, como o sistema de som, computador de bordo, piloto automático, recirculador de ar e até mesmo a iluminação da cabine. Havia também ajuste de altura e profundidade.

Até 2010, o C4 Pallas trazia ainda o conta-giros posicionado acima do volante, que passou a ser posicionado junto do restante dos instrumentos anos depois. Ele contava ainda com alguns recursos até dispensáveis, como um perfumador de ambiente que você dificilmente encontraria posteriormente o refil nas concessionárias para repor.

O sedã médio fabricado na Argentina ofertava ainda uma série de recursos. A versão mais cara do carro podia ser equipada com airbags frontais, laterais e de cortina, controle eletrônico de estabilidade, faróis de xênon direcionais de dupla função, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, retrovisores externos com rebatimento elétrico, piloto automático, ar-condicionado automático digital de duas zonas com saída de ar traseira, entre outros.

Havia ainda freio a disco nas quatro rodas com sistema ABS (antitravamento), EBD (distribuição eletrônica da força de frenagem) e AFU (auxílio à frenagem de emergência), controle de tração, sensores de luz e chuva, banco do motorista com ajustes elétricos, acabamento interno em couro, alarme, computador de bordo, sistema de som com Bluetooth e até Isofix para fixação de cadeirinhas infantis.

Apesar do visual e interior modernos, cabine espaçosa, porte avantajado e ampla lista de equipamentos, o C4 Pallas decepcionava por alguns pontos, como o câmbio automático de quatro marchas antiquado e problemático e também a alta desvalorização, que poderia chegar a assustadores 24% após um ano de uso.

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos

Outra crítica era a respeito da suspensão excessivamente dura, calibrada de maneira não muito adequada para o território brasileiro e também frágil demais, que logo batia no fim de curso, além do isolamento acústico ineficiente da cabine do veículo.

Citroën C4 Pallas – novidades com o passar do tempo

Motor 2.0 litros vira flex

Em outubro de 2008, o motor do Citroën C4 Pallas passou a beber tanto etanol como gasolina. O propulsor 2.0 litros de quatro cilindros e 16 válvulas em sua versão flex foi desenvolvido pela equipe de engenharia da Citroën para o Mercosul e inclui fase de teste com mais de 300 mil quilômetros rodados.

Para receber ambos os combustíveis, a unidade ganhou mudanças no mapeamento da central de gerenciamento eletrônico, reforço do cabeçote de válvulas e do coletor de admissão, adoção de novos pistões, bielas, bomba de óleo e de água, reprogramação do câmbio, entre outros.

Com isso, o 2.0 flex passou a entregar 143 cv com gasolina e 151 cv com etanol, e torque de 20,4 e 21,6 kgfm, respectivamente, a 4.000 rpm.

O C4 Pallas foi lançado nas versões de acabamento GLX e Exclusive, com preços de R$ 69.495 e R$ 74.995, respectivamente. Como opcional, ele podia receber airbags laterais e de cortina, faróis de xênon direcionais, assistente de frenagem de emergência, banco do motorista com ajustes elétricos, alarme, entre outros.

Havia ainda revisões com preços fixos, que variavam de R$ 295 para os 10 mil km a R$ 575 para os 60 mil km.

Linha 2009 com opção de câmbio manual

A Citroën lançou o C4 Pallas inicialmente somente com câmbio automático de quatro marchas. Porém, na linha 2009 o sedã médio passou a dispor da opção de câmbio manual de cinco marchas.

Ele era ofertado juntamente com o motor 2.0 flex de até 151 cv e 21,6 kgfm usado nas demais versões.

Na ocasião, o C4 Pallas manual foi anunciado com preço de R$ 61.420 para o modelo GLX e R$ 67.610 para o topo de linha Exclusive. A expectativa da marca é que ele respondesse por 30% do mix de vendas do sedã.

O modelo passou a contar também com sistema de som com MP3 e Bluetooth.

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos

Linha 2010 com mudanças sutis

A linha 2010 do Citroën C4 Pallas chegou em junho do mesmo ano e trouxe pequenas mudanças. O carro passou a oferecer a nova opção de cor Gris Cendré (cinza) e perdeu o conta-giros sobre o volante, agora posicionado dentro do painel central.

Houve ainda a introdução de duas novas tomadas no painel, sendo uma USB e outra auxiliar para o sistema de som que já contava com MP3 player, CD player e conexão Bluetooth.

Preços reduzidos para desovar o estoque

Com o fim de linha se aproximando, a Citroën resolveu vender o C4 Pallas a preços promocionais. A versão GLX 2.0 com câmbio manual passou a ser ofertada por interessantes R$ 49.990. Com o câmbio automático, a cifra subia para R$ 52.990.

Já o Citroën C4 Pallas Exclusive, disponível na época somente com câmbio automático, podia ser encontrado por R$ 58 mil.

Fim de linha

Depois de pouco mais de seis anos, o Citroën C4 Pallas deixou de ser comercializado no mercado brasileiro. O fim de linha do sedã médio na planta de El Palomar, na Argentina, foi anunciado em maio de 2013.

Já o fim das vendas do C4 Pallas em nosso País aconteceu em junho do mesmo ano.

O C4 Pallas foi descontinuado para dar lugar ao atual Citroën C4 Lounge, que começou a ser vendido em setembro e se destacava pela opção do motor 1.6 THP de até 165 cavalos e 24,5 kgfm, acoplado a um câmbio automático de seis marchas, disponível na época na versão topo de linha.

Além disso, o Citroën C4 Pallas já não andava muito bem das pernas no segmento. Entre janeiro e maio de 2013, o modelo emplacou somente 1.364 unidades, contra 21.012 do líder Honda Civic.

Citroën C4 Pallas – versões

A linha do Citroën C4 Pallas tinha somente duas versões de acabamento, independente do ano/modelo. Confira:

Citroën C4 Pallas GLX: configuração de entrada, que trazia de série itens como airbags frontais, freios com ABS, EBD e AFU, computador de bordo, perfumador de ambiente, ar-condicionado manual, vidros, travas e retrovisores elétricos, direção eletro-hidráulica progressiva, rodas de liga-leve de 16 polegadas e sistema de som com MP3 player, Bluetooth e seis alto-falantes.

O GLX contava também com volante multifuncional, piloto automático, banco traseiro bipartido, faróis com ajuste elétrico, Isofix, apoio de braço central dianteiro e traseiro, volante ajustável em altura e profundidade, porta-luvas refrigerado, entre outros.

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos

Citroën C4 Pallas Exclusive: agregava faróis com acendimento automático, sensor de chuva, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, bancos revestidos em couro, faróis de neblina, ar-condicionado automático digital de duas zonas, retrovisores externos com rebatimento elétrico, retrovisor interno eletrocrômico, entre outros.

Como opcional para o Exclusive, havia airbags laterais e de cortina, alarme, banco do motorista com regulagens elétricas, faróis de xenônio com facho direcional e controles de estabilidade e tração.

Citroën C4 Pallas – preços

  • Citroën C4 Lounge GLX 2.0 MT: R$ 23.205 (2008) a R$ 32.373 (2013)
  • Citroën C4 Lounge GLX 2.0 AT: R$ 23.969 (2008) a R$ 37.285 (2013)
  • Citroën C4 Lounge Exclusive 2.0 MT: R$ 23.453 (2008) a R$ 26.154 (2010)
  • Citroën C4 Lounge Exclusive 2.0 AT: R$ 24.021 (2007) a R$ 35.074 (2013)

(valores com base na Tabela Fipe, obtidos em julho de 2018)

Citroën C4 Pallas – motor, câmbio e desempenho

Desde o seu lançamento, em agosto de 2007, o Citroën C4 Pallas foi ofertado exclusivamente com o motor 2.0 litros de quatro cilindros e 16 válvulas, com comandos de válvulas variável. Em seu lançamento, este propulsor bebia somente gasolina, com potência máxima de 143 cavalos, entregues a 6.000 rpm, e torque máximo de 20,4 kgfm, disponível a 4.000 rpm.

Com transmissão automática de quatro velocidades (que dispunha de modo Sport para tornar as trocas de marcha mais ágeis), esta unidade 2.0 litros a gasolina era suficiente para levar o sedã com seus 1.409 quilos aos 100 km/h em 11,7 segundos e fazer alcançar velocidade máxima de 195 km/h.

Porém, um ano depois, devido à demanda por sedãs médios com motorização flex, este propulsor passou a beber tanto etanol como gasolina. Houve mudanças no conjunto, como a adoção de novas bielas, pistões, bomba d’água e de óleo, alterações no mapeamento da central de gerenciamento eletrônico, reforço no cabeçote de válvulas e do coletor de admissão, reprogramação do câmbio, entre outros.

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos

Com essas alterações, o aparato ficou mais potente. O motor manteve os mesmos números com gasolina, mas com etanol ele passou a entregar 151 cv e 21,6 kgfm, ainda combinado ao câmbio automático de somente quatro marchas. Os números de desempenho também melhoraram, com a aceleração de 0 a 100 quilômetros por hora agora em 10,9 segundos e velocidade máxima de 209 km/h.

Depois foi a vez da chegada do modelo 2.0 flex com câmbio manual de cinco marchas, para atender uma parcela de consumidores que não se dava muito bem com câmbio automático, sobretudo com uma caixa ineficiente para o porte e proposta do carro e também com certo histórico de problemas.

O C4 Pallas manual entregava desempenho superior. Ele era capaz de ir a de 0 a 100 km/h em 10,1 segundos. Já a velocidade máxima era de 205 km/h.

Citroën C4 Pallas – consumo

Por conta do porte avantajado, o peso elevado e o conjunto mecânico não tão eficiente assim, o Citroën C4 Pallas não era um dos carros mais econômicos do segmento. Nem mesmo o modelo com transmissão manual era capaz de entregar bons números de consumo de combustível.

O sedã médio da marca francesa com caixa manual fazia 5 km/l na cidade e 7,9 km/l na estrada quando abastecido com etanol e 7 km/l e 11 km/l, respectivamente, com gasolina. Isso são os números divulgados pelo fabricante, que na maioria das vezes são bem otimistas.

Já com a transmissão automática, o C4 Pallas entregava médias de 4,8 km/l na cidade e 7,6 km/l na estrada com etanol e 6,7 km/l e 10,5 km/l, respectivamente, com gasolina.

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos

Citroën C4 Pallas – manutenção e revisões

No ano de seu lançamento, o Citroën C4 Pallas foi arduamente criticado pelos proprietários devido à manutenção com preços acima da média. Por conta disso, a marca tratou logo de oferecer um programa de revisões com preço fixo até os 60 mil km, que inclusive era oferecido até pouco tempo atrás.

Como exemplo, em 2009 a revisão dos 50 mil quilômetros do sedã médio podia ser paga em três parcelas de R$ 148.

Se você estiver planejando comprar um C4 Pallas, a recomendação é fugir do primeiro lote importado da Argentina, que contam com o 12º e o 13º algarismos do número de chassi formados pelo número 51 ou 52. Esses modelos, de acordo com pesquisas, podem apresentar falhas e superaquecimento do motor por conta de problemas nas juntas da tampa do cabeçote.

Fora isso, o câmbio automático de quatro marchas da geração que equipa o modelo da Citroën é conhecido pela sua imprecisão e possíveis travamentos.

Por fim, se você um dia deixar a bateria do C4 Pallas descarregar, saiba que será preciso chamar um guincho e encaminha-lo até uma oficina. Lá, os mecânicos irão efetuar o “telecarregamento”, devido ao “trancamento” das configurações do carro por conta do bloqueio da injeção e do código do transponder da chave.

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos

Citroën C4 Pallas – ficha técnica

Motor

2.0

Tipo

Dianteiro, transversal e flex

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm³

1.997

Válvulas

16

Taxa de compressão

10,8:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

151 cv a 6.250 rpm

Torque Máximo

21,6 kgfm a 3.000 rpm

Transmissão

Tipo

Manual de cinco marchas ou automático de quatro velocidades

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e disco sólido (traseira)

Direção

Tipo

Eletro-hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de liga-leve de 16 polegadas

Pneus

215/55 R16

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.770

Largura (mm)

1.772

Altura (mm)

1.515

Distância entre os eixos (mm)

2.712

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

427

Tanque (litros)

60

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.398

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

Não divulgado

Citroën C4 Pallas – galeria de fotos

Citroën C4 Pallas: o sedã que cativou pelo espaço e recursos
Nota média 4.5 de 2 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email