*Destaque Combustíveis

Colocar metade gasolina e metade etanol é bom?

Colocar metade gasolina e metade etanol é bom?

Presente no mercado brasileiro há quase uma década e meia, a tecnologia flex já virou uma tradição entre os automóveis oferecidos em nosso País – tanto é que muitos consumidores abominam modelos com motorização monocombustível. Este recurso permite que o condutor abasteça o veículo seja com gasolina ou com etanol, individuais ou misturados, independente da proporção. Isso acaba trazendo benefícios sobretudo nos dias atuais, onde há diversas variações nos preços dos combustíveis, cabendo ao motorista decidir qual é a opção mais vantajosa para determinadas situações.


Entretanto, apesar de se tratar de uma tecnologia já difundida em nosso mercado, há uma série de verdades e mitos que a circundam. Uma delas é a respeito do abastecimento misturando gasolina e etanol. Acredite se quiser: mesmo possuindo um modelo bicombustível na garagem, muitos proprietários acabam afirmando que é praticamente um “absurdo” misturar os dois combustíveis em um só tanque. Para esses indivíduos, você deve abastecer ou com gasolina, ou com etanol. E a grande maioria de nós sabe que isso é uma inverdade.

Na real, o que é um motor flex?

Já havíamos publicado anteriormente uma matéria que explica detalhadamente o que é um motor flex e como ele funciona. Entretanto, em suma, um propulsor bicombustível tem concepção parecida com a de um monocombustível – tanto é que muitos carros viram flex “de uma hora para a outra”, como foi o caso do próprio Volkswagen Gol 1.6 Total Flex, o primeiro modelo bicombustível lançado no ano de 2003.

Um dos principais diferenciais fica por conta do sistema de alimentação, que conta com bicos injetores maiores em cerca de 30 por cento e com mais vazão. Além disso, a taxa de compressão é diferente, ficando entre a de um propulsor somente a gasolina e a de um somente a álcool. O conjunto inclui ainda a sonda lambda para detectar com qual combustível o carro está abastecido e, em alguns casos, um sistema de partida a frio que dispensa o famoso tanquinho para partidas com etanol em situações com temperaturas mais baixas.


Colocar metade gasolina e metade etanol é bom?

Posso colocar metade gasolina e metade etanol no tanque do meu carro?

Assim como existem proprietários que abominam o uso de gasolina e etanol num mesmo tanque, há outros que afirmam que abastecer com 50% gasolina e os outros 50% de etanol é a melhor opção, tanto para a economia como também para um melhor desempenho do conjunto. Entretanto, dá para dizer que isso não é totalmente verdade. Aliás, varia de acordo com o estilo de condução do motorista.

O etanol tem um preço mais em conta que a gasolina em qualquer posto de combustível. Porém, tal valor inferior acaba refletindo diretamente no consumo de combustível do veículo, visto que o combustível derivado da cana é menos eficiente. Para se ter uma noção, um automóvel abastecido totalmente com etanol consegue entregar um consumo aproximadamente 40% inferior caso estivesse abastecido com gasolina. Por outro lado, a potência e o torque de um carro é, na maioria das vezes, bastante superior com gasolina (como exemplo, o novo Polo 1.0 TSI entrega 116 cavalos com gasolina e 128 cv com etanol, ou seja, 12 cv a mais). Ou seja, caso a prioridade seja desempenho, o etanol pode ser a melhor opção.

Tendo em vista essas informações, você já deve imaginar que a gasolina é mais vantajosa para aqueles que estejam querendo economizar um pouco no bolso de combustível e sentir aquele “prazer” ao ver no computador de bordo ou na calculadora que o modelo está com um consumo mais amigável. A gasolina pode ser mais interessante sobretudo em viagens mais longas, já que você deve parar menos em postos de combustíveis – o que pode ser algo escasso dependendo da rodovia, fora a má qualidade do combustível entregue por diversos postos desconhecidos.

Ou seja, na prática, misturar gasolina e etanol na proporção 50/50 é ideal para aqueles que buscam um equilíbrio entre desempenho e eficiência. É claro que com essa mistura você não vai extrair o máximo de potência e torque do motor do seu carro, tampouco atingir números astronômicos de consumo. Mas, obviamente, ele terá um desempenho um pouco melhor e também um consumo ligeiramente menor.

Colocar metade gasolina e metade etanol é bom?

Qual é o combustível mais vantajoso para o meu veículo?

Este assunto também já foi motivo de matérias anteriores aqui no Notícias Automotivas (clique aqui para conferir em detalhes). Porém, também resumindo, o etanol tem como benefícios a menor emissão de gases nocivos, resultando num menor impacto ambiental, o aumento do desempenho do propulsor do carro e também o fato de ser uma fonte renovável. Peca, contudo, por ser menos eficiente.

Já a gasolina pode ser interessante por ampliar a eficiência do aparato do veículo e por contar com versões “interessantes” para um motor, como a gasolina aditivada que conta com aditivos para promover uma limpeza nos componentes internos. No entanto, este combustível provoca uma maior emissão de monóxido de carbono (CO), é uma fonte não renovável (ou seja, uma hora vai acabar) e também tem preços mais elevados e com variações constantes.

Para definir qual é a melhor opção, o indicado é abastecer pelo menos metade do tanque do seu carro com etanol e ver qual foi o consumo em km/l (divida o número de quilômetros rodados pela quantidade de litros de combustível). Faça o mesmo posteriormente com a gasolina e anote os resultados (quilômetros rodados, litros e preços). Caso haja variações de preços após esse teste, refaça-o e considere o preço atual.

Posso abastecer o meu carro 0 km com ambos os combustíveis?

Caso o vendedor que tenha lhe atendido na concessionária seja um tanto quanto desinformado, provavelmente você deve ter sido informado que o primeiro abastecimento do seu novíssimo carro flex zero km deveria ser realizado com somente etanol. Tal prática, segundo eles, deve ser prolongada até os primeiros 500 quilômetros do veículo. Entretanto, isso é praticamente um mito, visto que o carro flex sai da linha de produção pronto para receber tanto gasolina como etanol, independente da proporção.

Ou seja, logo de início você pode abastecer o seu carro zero km com o combustível mais vantajoso para o seu bolso e/ou para o seu uso.

Colocar metade gasolina e metade etanol é bom?
Nota média 5 de 1 votos

  • FPC

    Vai fazer 1 ano que estou só no etanol direto, com etanol a 3,09 e gasolina a 4,59, não cogito nem usar gasolina, se a nossa gasolina tivesse uns 15% de alcool seria outra historia, por conta desses 27,5% de álcool meu carro no etanol rende as vezes até 75% da quilometragem da Gasolina.

    • leomix leo

      Creio eu que não seja adicionados somente 27,5% de etanol, visto ele o consume em meu carro fica uma diferença de apenas 3kl/L entre os dois combustíveis.

    • Gu92

      Nunca abasteci meu carro com gasolina, só abasteço com etanol a 5 anos e é só alegrias, nem o escapamento fica preto como acontece na gasolina, além de o motor ficar muito mais esperto!!

      • leomix leo

        Mais onde vc mora??? Aqui na Bahia não é vantagem não, mais rodo assim mesmo.

        • Gu92

          Moro no sul e aqui na maioria das vezes também não é vantajoso, mas também prefiro o álcool por causa da maior potência que proporciona e também por causa da maior limpeza interna do motor!!

      • Marcelo Henrique

        Antes so abastecia com álcool no meu Mille, mas devido a baixa qualidade do material do escapamento eu tinha que trocar uma vez por ano o silencioso final ou o intermediário.
        A partir de 2011, só estou usando gasolina comum aditivada e estes problemas de escapamento acabaram e os eletroinjetores também nunca mais necessitei de limpá-los.
        Ah, tanto o vectra que tenho desde 0km quanto esse mille tem a ponteira do escapamento com pouquíssima sujeira.

        • Louis

          Meu carro tem 12 anos de uso, 180 mil km, 90% rodados no etanol, escapamento original sem 1 furo! Ah, e não é carro premium com escapamento inox, é um 206 véio de guerra.

          • Marcelo Alves

            Depende do material que o escapamento do carro é feito e também se você roda distâncias curtas ou longas com o carro, isso influencia muito.

            • Louis

              Ah sim, meus percursos não são tão curtos, mínimo de 25km, então o escapamento esquenta mais e acho que não fica água acumulada, isso deve influenciar . Fora isso, meu mecânico disse que, apesar das peças do 206 serem mais caras que de um Celta, por exemplo, tendem a durar mais.

      • Geraldo Xavier

        Escapamento preto é sinal de queima de óleo. A gasolina não deixa escapamento preto. Outra coisa o etanol é muito mais prejudicial ao sistema de escapamento devido ao mesmo ser hidratado com água. Álcool barato em posto é cheio de água

        • Gu92

          Negativo, a gasolina carboniza todo o sistema de exaustão do carro, experimenta passar o dedo na ponteira de qualquer carro a gasolina com uns 30 mil km e veja se não sai preto de carbonização, diferente do álcool que mantém todo o sistema limpo como se fosse novo por muito mais tempo, digo por experiência própria!!

          • Geraldo Xavier

            Tenho 2 carros em casa ambos 2013 e que já passaram dessa km a tempos. E nenhum deles tem esse problema no escapamento. Ambos só são abastecidos com gasolina aditivada. Meu primeiro flex só era abastecido com álcool devido na época ser mais vantajoso no rj. E aí sim tive que trocar o escapamento com 3 anos de uso. O mesmo enferrujou e furou

            • Gu92

              Aqui em casa é justamente o contrario, temos dois carros flex que são abastecidos apenas com etanol a mais de 5 anos e estão até hoje com os escapamentos originais de fábrica brilhando como novos, e o carro anterior que eu tinha rodando apenas com gasolina, com pouco mais de quatro anos de uso já estava com uma fuligem preta no escapamento, ou seja cada caso é um caso!

          • ObservadorCWB

            Água no álcool e de tudo um pouco na gasolina…restaria o GNV no Brasil…..

      • gtry

        Não fica preto, mas apodrece de ferrugem depois de alguns anos

        • Gu92

          Mas daí depende da qualidade do material utilizado na fabricação da peça pela montadora!

      • ObservadorCWB

        E qual é então a vantagem do FRÉXIS mesmo ??? Imagine o quão esperto seu carro ficaria se as taxas de compressão usassem TODO o potencial do álcool ??? Leio muito comentários iguais ao seu. De início parecem mostra uma vantagem do etanol….. mas analisando friamente, mostra que nós consumidores estamos exigindo um produto ERRADO. O sistema é um PATO, nem corre bem, nem voa bem.

    • leandro

      Na EcoSport 2018 1.5 vem escrito na tampa do tanque de combustível que a cada 3 meses ou 3 mil km deve-se usar um tanque de gasolina aditivada

    • José Barbosa

      Exato, 75% é a média esperada para a “mijolina”. mas dependendo do caso e do pé os resultados podem ser ainda melhores ou piores. Meu antigo celta, além de muito mais esperto no álcool, tinha uma relação de consumo da ordem de 81 a 82%. Gasolina, só em casos muito excepcionais, ou quando o posto não tinha etanol.

      • Magnamox

        O meu Celta 2006 fazia exatamente essa proporção… Fiquei por 3 anos com ele e raramente colocava a mijolina que não rendia nada e o carro ficava manco.

        Agora tenho um Corolla 2005 que sempre rendeu bem na gasolina por não ser Flex, mas cada dia que passa está rendendo menos com a mijolina onde metade é etanol e a outra metade querosene, tá osso.

    • NYC_Man

      Qdo eu tinha carro flex pensava exatamente igual a vc. Fiz teste com gasolina algumas x e nunca valeu a pena

    • impostoéroubo

      eu coloco gasolina.

    • Antonio Falm

      Pode ser interessante após longos períodos usando só alcool encher o tanque com gasolina pelo menos uma vez. Segundo o ADG da High Torque, etanol suja mais os bicos injetores e a gasolina de vez em quando ameniza o problema.

  • Henrique12

    Nem alcool nem gasolina, GNV é o melhor combustível

    • Gorfo

      Pois é… na gasolina metem álcool + tudo quanto é tipo de porcaria.
      No etanol metem água.
      GNV teoricamente é limpo… devem estar pensando em como podem meter alguma coisa pra poder estragar.

      • Marcelo Henrique

        Só se estiverem pensando no GLP.

      • José Barbosa

        vão por ar comum qualquer dia destes.

    • Geraldo Xavier

      Infelizmente não poduzem um motor com taxa de compressão pra gnv. Se adaptado funciona imagina se fosse regulado de fábrica. Não teria tanta perda de potencia e nem excesso de aquecimento acredito

      • Malvino Jose Moreira Junior

        Mas no Quinta geração isso foi resolvido, a central regula e não tem mais tanta perda de potência como antes, e a injeção de gás é diferente.

        • Geraldo Xavier

          O de quinta copia a queima do combustível original ao invés de simular como no aspirado. Estou falando de taxa de compressão que pra motor com gnv o ideal é de 17:1. Motores flex tem taxa de compressão aumentada para suportar álcool. O motor gm já trabalha com taxa de compressão aumentada desde os motores vhc ( very high compression ) e mesmo assim ficam longe do ideal. O do onix por exemplo é de 12,6:1. Não a toa os gm são os que melhor tem rendimento com gnv. Motor diesel tem taxa parecida com gnv onde na média é de 16,5:1.

          • Gu92

            Esses motores GM com taxa de 12,6:1 eram os motores a álcool da época do Corsa B que depois a GM adaptou para rodar na gasolina e renomeou VHC com a mesma taxa de 12,6:1, só depois veio o flex também com essa mesma taxa por isso do melhor desempenho com esse combustivel, o motor Zetec Rocam 1.0 também funciona melhor no etanol, visto que a taxa dele é de 12,8:1, claramente mais vantajosa ao uso de álcool, ou seja, os motores flex são motores a álcool adaptados para usar gasolina e não o contrario como muitos pensam!!

            • Geraldo Xavier

              Exato

    • Luconces

      GNV meu pai teve um tempo na Mitsubishi dele, rolou bem até o segundo ano de uso.

      As mangueiras foram secando e deu treta no motor. Não sei se fizemos algo de errado no uso.

  • Hudson Borges

    Em todos os carros que já tive, nunca compensou o uso de gasolina, acredito que por ficarem mais frouxos acabo tendo que apertar mais o pé para andar igual, tendo assim um consumo maior, porem quando a gasolina está com um valor proporcional ao etanol sempre utilizo 30% gasolina 70% etanol, pois acabo conseguindo um consumo melhor com praticamente o mesmo valor de 100% etanol!
    Fora que acredito que um pouco de gasolina ajuda na lubrificação das peças internas!

    • Gilberto Damante

      As peças de carros Flex já são preparadas para a menor lubricidade do etanol.

      • Marcelo Alves

        Vai nessa, já vi vários casos de motores com marcha-lenta irregular por causa de má lubrificação nas sedes das válvulas (uso de álcool), aí o mecânico tem que tirar o cabeçote pra poder resolver.

        • Gilberto Damante

          Se alguma marca não protege as sedes de válvulas, sai fora dessa marca. Na marca em que trabalho todos motores são protegidos para o etanol.

  • d59

    A maldição dos Flex. :( 7×1 nosso de cada dia!

    • Gilberto Damante

      Por que diz isso?

      • José Barbosa

        Simples: a tecnologia flex é péssima, porque diminui a eficiência de um monocombustível. Ou seja, menos potência, maior consumo, maior preço de produção. Tudo isto por uma suposta economia de alternar entre combustíveis, que certamente não é compensada pelo aumento de consumo ao longo da vida útil. E nem estou falando da esperteza de brasileiro, posto que os carros flex, com mapas de combustível mais complexos, permitem que sejam feitas adulterações nos combustíveis que antes seriam facilmente detectáveis.

        • RIP Brazil

          Já é alguma coisa…

          “…Com a edição da Resolução ANP nº 696, de 31/08/2017, retificada em 03/10/2017, tornou-se obrigatória a análise do teor de metanol no etanol combustível pelos fornecedores de etanol combustível e distribuidores de combustíveis líquidos, devendo os certificados de qualidade e boletins de conformidade contemplarem essa característica em todo o produto comercializado a partir de 10/03/2018 (data limite especificada na Resolução ANP nº 712, de 27/11/2017). Tal obrigatoriedade foi estabelecida com o intuito de se coibir o uso do metanol como adulterador do etanol.”

          http://www.anp.gov.br/wwwanp/biocombustiveis/etanol

        • Gilberto Damante

          José, nem sempre. Há motores que mantém a taxa de compressão do monocombustível, com isso não alterando a eficiencia na gasolina e permitindo a utilização de etanol como alternativa. Também há motores no meio termo e existem motores com taxa de etanol que também podem utilizar gasolina. Por tanto é uma afirmação que não pode ser generalizada.

          • José Barbosa

            tomando como referência o VHC, que seria um motor “muito mais para etanol”, diria que o péssimo desempenho com gasolina é quase que um “rabo de galo” oficial, e não a compatibilidade para andar decentemente com um segundo combustível.

  • Thiago Ramos

    O consumo do meu carro com etanol mostra que gasolina nunca vale a pena.
    Pegando os valores atuais, R$3.09 Etanol e R$4.29 Gasolina, a conta que faço é a seguinte:
    Consumo:
    Etanol: 9km/l média
    Gasolna: 10,5km/l média
    Sempre abasteço 50 reais
    Etanol: 50 / 3.09 = 16,18l = 140km
    Gasolina: 50 / 4.29 = 12,2l = 120km

    Etanol sempre mais vantajoso pra mim na cidade.
    Mas acredito que depois de um tempo o carro se habitua com o combustivel escolhido e adeque o consumo.
    Comprei meu carro em 2016, um Fox Highline 1.6 16v e abasteço com gasolina só pra viajar e mesmo assim ainda não acho muito benéfico, visto que o consumo melhora pouca coisa – na casa dos 11km/l andando a 130/140 e com etanol, mantem nos 9/9,5, mas com um desempenho MUITO melhor e retomadas bem mais seguras. A diferença de desempenho no meu carro é muito nitida com a mudança de combustiveis.

    • Marcos Souza

      Pra saber o consumo normal na gasolina, o ideal é abastecer 3 vezes ou mais pq o mínimo que fique de etanol no tanque já aumenta o consumo.
      Normalmente meu carro faz 9 a 10 km/l com etanol na estrada, se uso gasolina, no primeiro tanque o consumo é 11, no segundo já vai pra 12,5/13. Depois do quarto tanque ele já está em 14.5km/l.
      Sempre mudo o combustível, sempre coloco o que é mais vantajoso na regra de 70%

      • Gu92

        Mas esta regra dos 70% é balela, pois cada motor vai ter um rendimento diferente, então para saber qual compensa mais só mesmo medindo a diferença na bomba, pois existem casos de carros no etanol fazerem até mais de 80% do consumo da gasolina, e existem outros que vão fazer abaixo destes 70%, ou seja, a variação é enorme para englobar todos na mesma regra!!

        • Gilberto Damante

          Na verdade, se vc usar pé leve todos os motores ficarão coma diferença de consumo nos 30%. Caso tenha que usar o acelerador mais a fundo (ex. subida de serra) a maior octanagem do etanol começará a fazer diferença e quanto maior for a taxa de compressão, maior será essa diferença.

          • Gu92

            Mas se você pegar a ficha técnica da maioria dos flex nacionais, verá que quase todos possuem a taxa na casa dos 12:1 ou superiores como o caso dos Firefly da Fiat que possuem 13,2:1 de taxa, ou seja, os motores flex são essencialmente motores a álcool adaptados para também usar gasolina!

            • Celso

              Em carga máxima, para evitar detonação, os motores injetam excesso de combustível (sim, em carga total os motores são “refrigerados a combustível” tbém). Nos motores flex qdo funcionam com gasolina, esse excesso de combustível deve ser maior devido à menor octanagem. Obviamente o ideal é a compressão variável, q se adaptaria ao combustível e à carga de funcionamento, em q em meia-carga (acelerador longe do máximo), o motor poderia trabalhar em compressão de uns 20, 25:1.

              • Gu92

                Se ainda hoje existissem motores exclusivamente a álcool, acredito que estariam utilizando uma taxa de compressão na casa dos 14,5:1/15:1 para poder aproveitar todo o potencial que o etanol oferece e ter um funcionamento e um rendimento ótimo para o motor, visto que na época dos carburadores os motores a álcool possuiam uma taxa na casa dos 12:1 que é relativamente baixa para aproveitar todo o potencial que o álcool possui!

                • Gilberto Damante

                  Gu92, realmente a maioria dos motores flex são realmente motores a etanol adaptados para utilizar gasolina. Porém isso não muda o que comentei, que em baixa carga ambos os combustíveis estão em eficiencia máxima, por tanto o consumo tende a ter a diferença de 30%. Conforme o Celso falou, nessa carga baixa poderia ser adotada uma compressão de 20:1. Em relação a taxa do etanol, Não há muito ganho de eficiencia entre 13:1 e 14:1 pois o aumento de eficiencia não é proporcional.

          • heliofig

            Anos atrás, fiz um teste com o Gol 1.6 G3. No mesmo uso que fazia 9km/l de etanol, ele fazia 11km/l de gasolina. Sempre andando no mesmo ritmo, misto de cidade, estrada e estrada de terra. Ou seja, era um carro que o etanol podia custar 80% da gasolina que ia valer a pena.
            Na mesma época, fiz o teste com um Corolla 1.8 (isso era por volta de 2009), mas o Corolla fez algo como 8,5 e 12, nas mesmas condições.
            Isso mostra que o ajuste dos motores era diferente. O Gol era mais caprichado para etanol, mas o Corolla era afinado para gasolina mesmo – ficava nos 70% mesmo.
            Então, tem que ver de carro pra carro.

      • Thiago Ramos

        Pois é, mas essa adequação se vale pros 2 combustiveis e como o meu já está adequado ao etanol, pra mim, é mais vantajoso manter nele.

  • kravmaga

    Faz 5 anos que estou com carros somente a gasolina, fabricados no México e vendidos também para os EUA.

    No RJ o álcool nunca compensou em nada financeiramente, acho que é de adulteração ainda mais fácil (com água somente) e a autonomia cai bastante.

    Carro flex para mim não interessa.

    • Gu92

      Mas vou te dizer uma coisa meu amigo, muito provavelmente os seus carros mexicanos também são flex E85, visto que a grande maioria dos carros que vão para os EUA possuem está tecnologia exemplo da Captiva, do Fusion e do Edge que são flex também, só que aqui no Brasil as montadoras omitem isso, por causa do nosso etanol ser E100 e hidratado diferente do americano que é anidro e com 85% de etanol e 15% de gasolina

      • NYC_Man

        Eu tb ja pensei nisso

      • kravmaga

        A Captiva e o Fusion com certeza são E85, mas é uma mistura fixa, diferente do caso flex.

        E na Captiva eu já senti o motor “batendo pino” algumas vezes, dependendo da gasolina.

        No Jetta eu nunca senti nenhuma batida de pino.

        • Gu92

          Não é fixa não, ele pode utilizar combustíveis com qualquer proporção de etanol entre o E10 que é a gasolina americana e E85 que é o etanol deles que possui 15% de gasolina para facilitar a partida a frio no inverno com temperaturas negativas, sem precisar utilizar o famigerado tanquinho e nem o pré aquecimento que demanda o nosso E100 no Brasil, aliás um amigo meu já encheu o tanque de uma Captiva v6 com álcool e ficou ótima e com desempenho bem acima da gasolina inclusive, visto que possui uma taxa de compressão de 11,7:1!!

    • Marcelo Henrique

      Em Brasília também nunca compensou rodar no álcool.

  • konnyaro

    Poderia haver a opção E85 no Brasil, pois esta mistura seria composta de 15% gasolina de baixa octanagem (mais barata no mercado internacional) e 85% de álcool anidro. Teria a vantagem de não precisar utilizar o sistema de partida a frio, assim como o álcool utilizado ser puro, ao contrário do hidratado que tem 8% de água. Havia um estudo do governo para sua implantação, mas o lobby dos usineiros como sempre falou mais alto.

    • Gilberto Damante

      Na verdade nós Brasileiros temos um combustível 100% renovável e não nos interessa contaminá-lo com gasolina. O etanol tem que ser um orgulho nacional ao invés de receber críticas, muitas vezes infundadas. Como por exemplo sobre a água presente, pois ela ajuda abaixar a temperatura de combustão, com isso uamenta a octanagem e por tanto a eficiência do combustível .

      • konnyaro

        Só que a água não é combustível, portanto você está pagando por algo que não tem utilidade, pois o próprio álcool tem uma alta octanagem que torna desnecessário a utilização do sistema de injeção de água. Este sistema está sendo desenvolvido pela BMW para seus motores turbo de injeção direta a gasolina, com a finalidade principal de reduzir a temperatura na câmara de combustão e com isso diminuir o índice de poluentes, problema maior nos motores de injeção direta a gasolina.

        • Gilberto Damante

          Retirar os 7% presente de água presente no etanol elevaria o custo do combustível e perderia octanagem. Não há vantagens até o momento de adotar essa prática.

      • Geraldo Xavier

        Não em excesso. Tem uma porcentagem certa de água. O que teve de vw gol que bateu motor por causa de álcool com excesso de água. Teve até recall de óleo pra aguentar a água do álcool. Realmente eu seria um adepto se o preço fosse baixo como eram na época do lançamento dos flex. Tinha um corsão 2008 que fiquei ims 2 anos só no álcool apesar de alguns problemas apresentados pelo uso do combustível (problema no escapamento, problema na bóia de combustível, bico sujo, velas com tempo de vida reduzido, apagão quando o motor esfriava etc). Depois que passei a usar somente gasolina essesproblemas sumiram
        Passei a usar gasolina e

  • SDS SP

    Nossa “gasolina” já tem quase 30% de etanol rs…

  • zeh

    …sem esquecer que a gasolina comum trás 27% de álcool…( se for um posto honesto)….então um tanque teria 77% de alcool e 23% de gasolina…kkk…em tese, se parar pra pensar….a gasolina comum trás % (percetual) de alcool mais barato, do que abastecido só álcool puro……kkkk

    • Geraldo Xavier

      Álcool puro é o que mistura a gasolina, o álcool anidro.
      O álcool puro que você se refere não é puro e sim hidratado com água.
      Ambos são diferentes

      • zeh

        …a coisa só piora….

  • Gilberto Damante

    Apenas uma correção, o etanol é mais eficiente, pois possui mais octanagem. O que é pior que ele é o rendimento pois 1 litro de etanol gera menos energia que 1 litro de gasolina.

  • Ricardo Blume

    27% de etanol na gasolina associado a essa tecnologia flex, só faz o rendimento por tanque ser menor. Para piorar, o preço da gasolina que não para de oscilar. Aí, chega-se em casa para cozinhar o feijão nosso de cada dia e o preço do GLP pela hora da morte. É para matar o povo de fome aos poucos. Tenho amigos que até cancelaram as férias indo a lugares afastados por causa do preço do maldito combustível.

  • Eskarmory .

    Tanto se fala sobre esse assunto e nunca se chega a uma conclusão. Igual que pressão usar nos pneus.

  • ChalMust

    Sim, é bom para a Petrobras, para o Governo e para as Usinas de Alcool … e para nós é fumo e impostos pra pagar. Que M E R D A de vantagem temos com esses preços do C A R A L H O nestes combustíveis? Ah vão se F O D E R com estas P O R R A S de reportagens!!!

  • Snaro

    Muitos postos nem oferecem mais álcool aqui em Porto Alegre, pois nunca valeu a pena. Procurem por “Saiba por que é cada vez mais difícil achar etanol nos postos de Porto Alegre” no Google e vejam o motivo.

    Eu nunca usei álcool, ainda mais hoje em dia em que custa R$ 4,00 o litro nos postos que ainda possuem.

  • RIP Brazil

    Já que o pessoal fala de metade gasolina e metade etanol…

    Supondo que um cidadão queira ir de um ponto A até B e retornar ao ponto A.
    O cidadão então calcula que neste trajeto somado a uma margem de segurança o seu veículo FLEX
    consuma 50 litros de combustível. Ele decide então abastecer 50/50 etanol e gasolina…

    Obviamente neste exemplo, 25 litros de gasolina PURA e 25 litros de etanol…

    Logo:

    25/0,73 = 34,246575342465753424657534246575 litros de mijolina;

    Nestes 34,246575342465753424657534246575 litros de mijolina temos 25 litros de gasolina PURA e
    9,246575342465753424657534246575 litros de ETANOL;

    Para completarmos os 50 litros, devemos mandar o frentista ADICIONAR 15,753424657534246575342465753425
    litros de ETANOL para enfim, termos 50/50 no tanque.

    Ou seja,
    34,246575342465753424657534246575 litros de MIJOLINA + 15,753424657534246575342465753425
    litros de ETANOL caso o cidadão do exemplo queira que a proporção seja 50/50.

    Ou melhor,

    68,49% de MIJOLINA e 31,51% de ETANOL que será adicionado, proporcionais à quantidade de combustível estimada que o veículo FLEX consumirá…

    Se irá consumir 30 litros de combustível em determinado trajeto, então 68,49% de 30 litros serão necessários 20,54 litros de MIJOLINA e 9,4520547945205479452054794520547
    litros de ETANOL…

    PS: MIJOLINA = 73% gasolina + 27% etanol.
    PS2: Cálculos feitos pela calculadora do Windows seem arredondamentos HUE HUE
    PS3: Cálculos feitos para que se tenha proporção de 50% de cada combustível.

  • Luis Burro

    O q acontece se o álcool utilizado for o de garrafa?

    • Geraldo Xavier

      Álcool 70% deve até funcionar. Agora esse álcool a 96% Não deve conseguir queimar

      • Gu92

        Pois é justamente ao contrario, o álcool 96% é o mesmo etanol vendido em postos de combustíveis, ele possui 96% de álcool e 4% de água, já o 70% é próprio para assepsia e possui 30% de água e 70% de álcool!!

        • Geraldo Xavier

          Digitei errado. É álcool a 46 % que é vendido em mercados

    • Louis

      Eu acho que funciona.

      • Luis Burro

        Funciona,mas diz q por ser mais ácido corrói mais o motor.

  • Eu já ando com combustível misturado a tempos. Sempre minha gasolina aditivada, teve o álcool misturado nela.

    Essa tecnologia flex, é uma das aberrações do mercado automotivo mundial.

    Adapta-se um motor monocombustivel para flex, onde o carro anda menos e bebe mais.

    Coisa de Brasil.

  • Grizzi

    Tenho um amigo que mora em Foz do Iguaçu e atravessa a tríplice fronteira para abastecer o seu carro com gasolina 100% …. paga 13% a menos que no Brasil e pior…. o posto é Petrobras !!!

  • Adriano

    Tenho carros flex desde 2002…. Alguns basicos, outros não. Alguns sofisticados, outros não. Mas a regra geral (e isso aprendi com um conhecido aqui da *boca* de São Paulo, uma das mais conceituadas e perigosas regiões de usados do país) que o carro flex não pode andar *somente* abastecido no álcool. Na gasolina pode, mas ÁLCOOL NÃO! Explico o porque, apesar da concepção do motor ser bi combustível, as peças são pensadas para ÁLCCOL, por ser mais corrosivo e *ressecante* que a gasolina. Portanto, o que me ensinaram, sempre fiz e posso postar como testemunho, a cada 3 tanques de alcool em média (pouco mais, pouco menos) o abastecimento com gasolina se faz necessário para a lubrificação do sistema, visto que a gasolina age como lubrificante, e o álcool como oposto. Pra mim sempre funcionou. Agora arriscar andar permanentemente no alcool, pode dar certo por um período, mas é *certeza* (não há dúvida aqui) que quando der problema, vai ser um problemão!!!
    A propósito, hj tenho uma Ecosport Rocam 1.6 flex…. Roda maravilhosamente bem na gasolina, no álcool fica mais esperta mas funcionamento mais áspero e difícil de dar partida; agora, mistura 50/50% dos combustiveis, fica horrível. Falha, engasga, demora a atingir o ponto ideal de aquecimento, fica uma droga.

  • Adriano

    Outra coisa, *NA REAL, O QUE É UM MOTOR FLEX*??? Explico, não existe magia ou *brasileiro é genial*….. Um motor flex é uma tecnologia que funciona da seguinte forma…. O motor é a ÁLCOOL, pensado, projetado e construído para ÁLCOOL, e através de artifícios eletrônicos (Sonda Lambida, Central de injeção/Ignição), lê a mistura utilizada e se auto regula para funcionar a GASOLINA, *ADIANTANDO* O PONTO DE IGNIÇÃO. Só isso. Na média, compressão para ÁLCOOL=12 a 15:1, GASOLINA=8 a 10:1 (devido a baixa eficiência energética, o ÁLCOOL necessita de maior compressão para a ignição da mistura). A eletrônica lê a mistura e adequa o ponto de ignição para o combustível. Quando ha ÁLCOOL, ele retorna aos valores máximos, gasolina adianta a ignição (faísca) na câmara de combustão…..

  • heliofig

    O primeiro problema é o etanol subir com a alta do petróleo, o que não tem nada a ver! Porque no interior de SP o etanol é tão barato, perto das capitais? Aquele é o preço real do etanol!

    A proporção ideal para uso de etanol é de 15% de gasolina para 85% de etanol. É exatamente o E85 usado na Europa e nos EUA. Proporciona um bom desempenho com uma boa quilometragem por litro. Estes países adotaram esta proporção depois de anos de estudos. Lembrando que a gasolina já tem 27% de etanol…
    O Brasil, que usa álcool de cana, adotou o E100 hidratado pelo menor custo e maior facilidade de produção.

  • Eduardo Andrade

    Eu tenho scanner OBD 2 e ja usei em diversas situações em um rocam 1.6 2011, com varias misturas de combustivel, em todos esses anos que tenho o scanner e o carro, nunca vi a mistura ar/combustivel, ser diferente de 9 (etanol) ou 13 (gasolina), independente da mistura ou pureza do combustivel no tanque. Só tem duas situações, ou consome como etanol ou consome como gasolina, vai depender do quanto estiver misturado pra mais de um ou pra mais de outro, o unico beneficio que vi em misturar, foi usar e85 ~ e90, que vc tem o desempenho do etanol sem ter os problemas desse combustivel na fase fria do motor, sai mais caro abastecer assim, sai, mas compensa no menor desgaste de todos os componentes, pq pra mim pelo menos em consumo não fez diferença nenhuma gastou a mesma coisa de estar andando somente no etanol e no lado da gasolina usar ela com a mistura do governo como fiz por dois anos, tem o problema da pré-detonação, que era praticamente constante, este problema só resolvia estando com e40, contando ja o alcool da mistura da bomba, então acrestava ai uns 5 litros de etanol pra cada 40 litros de gasolina, que justamente é a mistura contraria pro e85 onde vai 40 de etanol e 5 de gasolina. meu consumo no rocam 1.6 em cidade é de em media 7 km/l no E100/E85 e 9 km/l no E27/E40

    • Marcelo Alves

      Consumo bem parecido com o meu Polo 1.6 8v 2009!! Eu abasteço assim também, NUNCA uso E100 e raramente uso 100% gasolina por causa da pré-detonação, sempre ando a maior parte do tempo com E90-E80 ou com gasolina e mais alguma merreca de álcool para o motor não ficar “batendo pino”. E assim eu também não uso o reservatório de partida a frio, a última vez que foi colocado gasolina lá foi em 2010 ou 2011 quando meu pai abasteceu o carro e deixou o frentista abastecer o reservatório, de lá pra cá eu nunca mais usei (e nem vou usar, é perigoso andar com um reservatório de gasolina por cima do motor).

  • Joacir

    Como assim metade gasolina e metade etanol ? já que nossa mijolina tem 27.6 de etanol.

  • Ronald

    Engraçado, já acho que é assim normalmente, visto que ninguém é tão inocente em achar que compra gasolina com EXATOS 27,5% de etanol. Isso quando não vem também com uma variedade de “aditivos” para dar aquele toque especial…😂

  • Ricardo

    Meu carro, Polo 1.6 2009, não compensa colocar meio a meio, pois o consumo fica praticamente igual de 100% etanol, Se o valor do etanol tiver 77% do valor da gasolina, para mim é mais vantajoso o etanol. Agora esse valor de 40%% citado na matéria é um absurdo, não sei qual carro faz isso!

  • hinotory O

    Carro flex tinha que ter no painel a proporção do combustível!

    • Mauricio Antonello

      Já pensou, os postos poderiam ir a falência.

  • Baralho

    Tem que implantar o butanol no lugar do álcool, ele tem praticamente a mesma eficiência energética da gasolina.

  • Baralho

    Empresas de alguns países têm desenvolvido pesquisas relativas à aplicação do butanol como combustível. Efetivamente, comparando o valor energético do butanol com o do etanol e com o da gasolina, pode-se inferir que há possibilidade desse álcool ser uma
    alternativa à gasolina e ao etanol. Há propostas relativas ao uso do butanol como aditivo da gasolina. Com base nessa argumentação a DuPont e instituições japonesas e nórdicas (Suécia e Finlândia) têm investido de forma bastante significativa em processos de geração de butanol via etanol. Evidentemente, a síntese em três etapas foi desativada em paralelo os
    aprimoramentos na rota fermentativa (CGEE, 2010).
    O butanol tem uma densidade energética mais próxima (91.2%) a da gasolina do que qualquer outro combustível alternativo usado hoje, como o etanol (61.2%). Em relação a energia propriamente dita, a gasolina tem uma densidade energética de 32 MJ/l (megajoules
    por litro), enquanto o butanol tem 29,2 MJ/l e o etanol apenas 19,6 MJ/l. Este combustível tem um calor de vaporização muito menor que o do etanol, facilitando o arranque a frio, isso significa dizer que a partida do carro não se vê prejudicada
    no frio com o uso do biobutanol. Devido as suas características bem mais próximas à gasolina, biobutanol pode ser usado sem recorrer às linhas de aço inoxidável e injetores de maior fluxo de combustível, isto é, pode ser bombeado, armazenado e transportado pelos
    mesmos equipamentos utilizados para manuseio da gasolina, barateando-o.
    As vantagens do Butanol como combustível veicular são as seguintes (D’SILVA,
    2012):
     Octanagem 25% maior que da gasolina;
     Não causa prejuízo ao motor, como corrosão;
     A porcentagem da mistura gasolina + butanol (10-100%) é viável, sem que seja
    necessária qualquer alteração no motor;
     Tem a queima mais limpa que a gasolina, reduzindo emissões de gases nocivos.

  • Impala_67

    “Por outro lado, a potência e o torque de um carro é, na maioria das vezes, bastante superior com gasolina”

    Corrigem aí.

  • Schlatter70

    Vocês esqueceram de informar que a mijolina brasileira já tem 27,5% de etanol, portanto abastecer com uma proporção de 50/50 não faz com que seja essa a proporção final no tanque do carro.

    • Retrato do Papai

      verdade, a proporção vai ficar em aproximadamente 65/35 (já que nos 50 de gasolina há quase 15 de etanol)… para uma proporção próxima de 50/50, seria necessário abastecer 70/30

  • Draga

    Ou seja, esta materia não disse nada com coisa nenhuma, melhor vir os comentários que é mais produtivo…

  • Isaias Freitas

    So uso meu carro na gasolina, fico sismado de testar no etanol e o carro nao querer ligar…. Como acontece as vezes porai.

    • Elizangela Oliveira

      Vc deve testar o álcool quando for andar um trajeto longo com o veículo para dar tempo da central entender que está com álcool. Espera entrar na reserva e abastece quando for rodar uns 10km ou mais, que é o suficiente para acabar a gasolina do sistema. Assim a injeção se adapta ao álcool e quando for dar a partida não terá problema. Já morei em lugar de baixas temperaturas e nunca tive problemas. Mantenho o tanquinho com gasolina pódium da Petrobrás.

      • Isaias Freitas

        valew.. Ja tinha ouvida falar isso mesmo.

  • REDDINGTON

    “Isso acaba trazendo benefícios sobretudo nos dias atuais, onde há diversas variações nos preços dos combustíveis, cabendo ao motorista decidir qual é a opção mais vantajosa para determinadas situações” Eu parei de ler aqui…o carro flex deixou de ser vantajoso há anos. Quem anda com alcool hoje? Ninguém.

  • Elizangela Oliveira

    “bastante superior com gasolina (como exemplo, o novo Polo 1.0 TSI entrega 116 cavalos com gasolina e 128 cv com etanol, ou seja, 12 cv a mais)” Tá errado não?

  • Gui

    E no meu c180 2017? Com ambos a mesma potência. O que usariam? Podium fora de cogitacao

  • Wilson Junior

    “Acredite se quiser: mesmo possuindo um modelo bicombustível na garagem, muitos proprietários acabam afirmando que é praticamente um “absurdo” misturar os dois combustíveis em um só tanque.”
    Todos que abastecem “gasolina” já fazem uso dessa prática de misturar no tanque kkkkk

  • Michel Arias Brentano

    Olha, honestamente, eu já me vejo fazendo isso cada vez que abasteço com gasolina.

  • RTEC30

    Meu Fiesta grila só com gasosa.

  • marco

    sempre amacie os motores quando zero km com gasolina já que este tem um poder melhor de lubrificaçao

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email