Combustíveis Governamental/Legal Manutenção Mercado

Combustível ruim, o que fazer?

Combustível ruim, o que fazer?

Ainda existem muitos postos com combustíveis de boa procedência e que só trarão benefícios ao automóvel. Porém, nem sempre dá para saber como anda a qualidade da gasolina, etanol ou diesel que se coloca no tanque. Mesmo com filtros de demonstração, testes e outras formas dos distribuidores ou postos conquistarem a confiança do consumidor. Mas, e se abastecer com combustível ruim, o que fazer?


Este artigo falará sobre o que o consumidor deve fazer ao perceber que abasteceu com combustível ruim, a fim de evitar danos ao veículo, e também que demanda ele pode tomar contra o estabelecimento que vendeu um produto. Afinal, todo consumidor possui leis que o protegem de situações como essa.

Antes de respondermos a pergunta principal, temos que nos ater ao fato de que podemos sim descobrir onde não teremos problemas com o combustível ruim. Infelizmente, existem muitos postos com produtos adulterados ou mesmo com outras artimanhas para enganar o consumidor e lucrar mais.

Para sabermos onde abastecer com segurança e evitarmos diversos aborrecimentos e prejuízos, precisamos estar atentos aos estabelecimentos que estão de acordo com a lei e vendendo combustível de boa qualidade. Existem indicativos que mostram onde o produto oferecido é bom ou ruim.


Combustível ruim, o que fazer?

Aparência e preço

Postos de boa aparência, em geral os de “bandeira”, são os mais indicados para se abastecer com combustível bom. Mesmo que muitos não estejam isentos de fraudes de outros tipos, como “chupa cabras”, bomba adulterada e outras formas de ganhar mais, mas de forma ilegal, neles pelo menos as chances de obter um combustível ruim são menores.

Eles precisam passar pelo crivo das distribuidoras que naturalmente é mais exigente que os de postos de combustíveis sem nenhuma representação. Claro, também existem postos assim como boa gasolina ou etanol, mas o mais indicado ainda é abastecer em posto de bandeira ou de rede, desde que ligado à algum distribuidor nacional.

Por isso, um posto bem aparelhado e dotado de equipamentos novos ou em bom estado, representam um investimento grande e por isso o proprietário não irá querer se queimar vendendo combustível ruim, adulterado apenas para lucrar mais. Se estiver em estrada, tais postos também são melhores por oferecer infraestrutura mais completa e adequada.

Mas como já frisamos, não basta apenas um “rostinho lindo” para estarmos tranquilos quanto ao combustível que vai entrar no tanque. Portanto, é preciso estar atento a outros detalhes que fazem enorme diferença e são indícios de que algo pode estar errado com o combustível oferecido.

Um deles é o preço. Não existe mágica ou almoço grátis. Combustível muito abaixo do preço médio é um forte indício de que o posto está vendendo combustível ruim ou cometendo algum tipo de ilegalidade no processo de venda, como dispositivos que alteram os dígitos na bomba ou mesmo o fluxo de vazão de combustível.

Então, sempre desconfie quando o preço estiver muito abaixo do mercado, pois não há como obter lucro com valores tão inferiores aos da concorrência. Fique bem atento aos valores apresentados nos banners e tome cuidado com as cores. Geralmente a cor atribuída à gasolina comum nos banners tem seu preço anunciado de outro combustível, geralmente feito isso em postos sem bandeira que imitam os de distribuidores.

Isso por que o motorista chega enganado e quando vê o preço maior do combustível, nem sempre vai embora e acaba abastecendo. Postos com aparência de rede e com manobras como essa, também devem ser evitados. Outro indício de que algo está errado com o combustível é o movimento no posto, especialmente em hora de pico.

Combustível ruim, o que fazer?

Movimento baixo

Postos vazios em dias e horários de pico é algo muito estranho, ainda mais se for de boa aparência ou de bandeira. Locais onde os taxistas abastecem também indicam boa procedência da gasolina ou etanol, visto que eles precisam de algo bom em seus tanques para rodar e não perderem dinheiro nas viagens. Assim, fique de olho nesse detalhe também.

Se você já tem um posto de boa gasolina ou etanol, fique com ele e não se arrisque em outro para ter um combustível bom para seu dia a dia. Procure encher o tanque e para rodar por mais tempo e evitar também os reajustes constantes nos preços dos combustíveis. Compartilhe com amigos e outras pessoas o posto onde abastece com combustível de procedência, pois uma hora você precisa de igual informação.

E isso de fato acontece. Quando viajar ou estiver em outra cidade, procure saber qual o posto de combustível de qualidade na região, geralmente as pessoas locais sabem disso e lhe informarão sem demora.

Se ainda estiver em dúvida ao entrar num posto, peça para o frentista fazer o teste do combustível. Ele é obrigado a faze-lo e o estabelecimento também tem de possuir o equipamento para sua realização. Alguns postos agem de forma ilegal ao vender, por exemplo, gasolina com percentual de álcool bem acima do permitido, que é de 27%.

Nesse caso, um teste usando uma proveta com 50% de gasolina e 50% de água. Ao ser misturado o conteúdo, a gasolina tende a ficar na parte superior e o etanol, misturado com a água, na parte inferior. A diferença tem que estar dentro do especificado por lei, caso contrário o posto está vendendo um combustível que em carros puramente movidos por gasolina, pode acarretar danos.

Em carros flex, não há problema nesse caso, mas fica o alerta para quem tem carro apenas a gasolina. O combustível vegetal é altamente corrosivo e pode danificar diversas peças do propulsor se a gasolina estiver com percentual de etanol muito elevado. No caso do etanol, muitos colocam água para aumentar o volume e ganhar mais.

Bom, mas e se mesmo com todos esses cuidados, você não conseguiu escapar do combustível ruim?

Combustível ruim, o que fazer?

Abasteci com combustível ruim, o que fazer?

Logo que você abastece com combustível ruim, o carro é o primeiro a denunciar o mau produto a bordo. Alguns modelos de carro não demoram em demonstrar que algo adulterado entrou no tanque. Os oscilações de rotação, falhas no funcionamento, média de consumo aumentando repentinamente e baixo desempenho em estrada, por exemplo, não demoram a aparecer.

Com longo tempo abastecendo com combustível ruim, o motor passará a ter formação de depósitos de carbono na cabeça do pistão, corpo de válvulas e sede de válvulas, reduzindo assim a eficiência da combustão e o rendimento do motor. Perda de potência e torque, assim como aumento de consumo, emissão e outros danos, que podem se estender para o catalisador também.

Mas, em muitos casos, o consumidor só vai perceber com o tempo, com média de consumo elevada, dificuldade para pegar pela manhã. Odores estranhos, especialmente no escapamento, cheiros fortes de solvente e querosene, entre outros, também indicam que há algo ruim no tanque.

Dependendo do nível de adulteração, o combustível ruim pode danificar e muito o motor do carro, conforme citado acima. A pré-ignição é um dos sintomas de combustível adulterado no propulsor, já que significa a detonação do combustível em momento diferente do normal. Mas, exceto se a adulteração for muito elevada, dificilmente uma única abastecida trará danos permanentes ao motor.

A estimativa de especialistas é que após quatro tanques completos de combustível ruim é que o motor apresentará danos mais graves e que trarão muito mais prejuízo e aborrecimentos. Se o carro começar a falhar sem demora, após o abastecimento, procure uma oficina bem estruturada para remover o combustível do tanque em tempo de evitar mais falhas e problemas.

Depois, abasteça com etanol ou gasolina aditivada em um posto de procedência, a fim de que o novo e bom combustível ajude a limpar o motor e outros componentes expostos ao produto adulterado.

Combustível ruim, o que fazer?

Buscando seu direito

Por conta de tudo isso, sempre que for abastecer, seja posto com ou sem bandeira, não titubeie e peça a nota fiscal. Nada de somente a notinha do cartão de crédito ou débito. A NF é a garantia de que abastecemos no local e isso servirá como prova legal mais adiante. Infelizmente, nem sempre dá para provar que o combustível era ruim.

O motivo é que muitos produtos usados para adulterar a gasolina, por exemplo, são subprodutos do petróleo. Então, o mais indicado é comunicar o fato ao posto e tentar ser ressarcido do prejuízo ou ir ao Procon para resolver a questão. Outra saída são as varas de pequenas causas, que atendem gratuitamente com ações de pequena monta, como é o caso.

Notas de serviço de drenagem do tanque, de novo abastecimento em seguida para limpeza do tanque e motor, por exemplo, são outras provas contra o posto que vendeu o combustível ruim. Denuncie também à ANP – Agência Nacional de Petróleo – que regula o setor e pode até lacrar o posto, impondo igualmente multas de milhares de reais por venda de combustível adulterado.

O órgão, no entanto, tem poucos técnicos e recursos para fiscalizar os mais de 35 mil postos de combustíveis espalhados pelo Brasil, mas ainda assim a denúncia é válida, pois direciona os fiscais da ANP exatamente para o estabelecimento que está agindo de má fé, vendendo combustível ruim e gerando enormes prejuízos ao consumidor.

Combustível ruim, o que fazer?
Nota média 4.5 de 2 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • FREDRED

    Tenho certeza (99.99% o 0.01% é pela humildade) que existe cartel nos postos de combustíveis aonde moro, é só andar uns 20 km e ir pra outra cidade que a gasolina fica quase 45 centavos mais barato. Aposto que isso acontece em quase todas a cidades “pequenas”.

    • Augusto

      Na grande florianópolis é escancarada a diferença dos preços dos combustíveis em comparação com outras regiões de SC (não sei agora depois da “greve dos caminhoneiros”, pois não viajei mais)

      • F30FLORIPA

        Os preços na ilha são bem maiores que os do continente, a diferença é gigante no Etanol.

      • Pedro Henrique

        continua tendo diferença, o preço tende a cair da ilha pro continente e andando uns km pro sul ou pro norte coisa pouca uns 8~10 km ja tem posto ofertando gasolina mais barata (isso que pertencem a mesma rede de dentro da cidade e levando em conta a central de biguaçu, postos mais ao sul deviam cobrar mais pelo transporte não? kkkkk)
        mas a diferença agora ta menor, não sei se o “raio” de ação aumentou.

    • Zé Mundico

      Olha, não é bem por aí. Que pode existir cartel, pode sim. Mas trabalho com várias empresas e posso dizer que diferença de preços entre municípios tem muito a ver com taxas e impostos. A tendência atual é das grandes e médias empresas migrarem para municípios limítrofes de regiões metropolitanas, que geralmente cobram menos ISS, IPTU, taxas públicas e têm terrenos e aluguéis mais baratos, além de menores custos de transporte e logística.
      Apenas por exemplo: uma diferença de 1% de ISS numa empresa que fatura R$ 100 mil por mês (uma empresa média) pode representar uma economia de mil reais ao mês ou 12 mil reais ao ano! É muito dinheiro!
      Tenho vários clientes que saíram da capital e estão indo para municípios vizinhos justamente por causa de menores aluguéis e menores impostos. Questão de sobrevivência, a vida tá difícil.

    • 1 Raul

      Cidades onde passam rodovias são mais prejudicadas.

  • carloscomp

    BR, Shell, Ipiranga, só abasteço nesses, os famosos postos de “bandeira”. Nunca tive problemas.

    • Pedro Henrique

      conheço BR, Shell e Ipiranga(principalmente) fajutos kkkkk bandeira não decide nada

  • Samluzbh

    Aqui em BH tem posto Carrefour que vende Shell ou seja tem dupla garantia (ou deveria ter), abasteço a anos lá sem problemas, mas já ouvi muitos reclamando que o combustível do Carrefour e ruim, conheço também muitos motoristas que vão longe atras de preço e nunca tiveram problemas, é uma questão muito complicada.

  • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

    Teve esses dias atrás aí um vídeo no Whats de um cidadão filmando escondido os caras do posto (Ipiranga) jogando baldes de água dentro do tanque de combustível, isso se não me engano foi na Z/L de SP, acho que a idoneidade do dono independente da bandeira, tem um posto ALE do lado do Parque Vila Lobos que quando abasteço ali o combustível parece durar mais que outros lugares, quando dá eu abasteço ali, senão vai aqui perto de casa mesmo.

  • mpol

    Quem anda por Sumaré, Nova Odessa e arredores, nem de bandeira se salvam. Abasteci combustível “fórmula Shell” mais cara com rendimento 40% abaixo do normal (meço todos os tanques). Mesmo posto de bandeira não é garantia, nem preço alto. País complicado esse.

    • FREDRED

      Passei em um Ale na frente do Shopping Campinas, a Gasolina está a 3.99 e o álcool a 2.19 achei barato, mas posto vazio as 07:00 da manhã achei meio duvidoso

      • Fred Cioldin

        Eu passo na frente do posto Ipiranga ao lado do shopping Dom Pedro todos os dias, lá o etanol está em 2,29 e a gasolina em 3,99, no horário que passo deveria estar um pouco mais cheio (7:30~8:00), tem movimento mas sempre está abaixo da média. Em Americana e Santa Bárbara onde minha esposa roda mais com o carro dela, não encontro etanol por menos de 2,59 e gasolina acima 4,19 e isso em posto sem bandeira… “ah mas isso deve-se por impostos municipais” pode ser, mas acredito que não seja somente isso. Depois de rodar muito tempo somente usando etanol, abasteci um tanque de gasolina de um posto de bandeira e no dia seguinte estava mais frio e o carro custou para pegar… aconteceu isso nos dias subsequentes achei muito estranho, mas quando voltei a usar etanol na próxima abastecida, o carro voltou ao normal.

  • Robson

    Eu costumo abastecer meu carro e moto sempre em 2 postos específicos, que ficam localizados no trajeto indo e voltando do trabalho, quando isso não é possível, como na viagem que fiz em março ao sul da Bahia, comprei 5 frascos de aditivo da STP e deixei no porta malas, porque infelizmente na estrada principalmente fora dos grandes centros as opções são bem menores e não dá pra escolher demais, na dúvida, aditivo no tanque, pode não ser o ideal mas é o que dava pra fazer na situação.

  • CharlesAle

    Acontece de ,as vezes, pararmos em um posto que não conhecemos. Neste caso, é melhor ir de álcool, caso o carro seja flex, Álcool é bem mais complicado para se adulterar..Só lembrando que água não serve para adulterar álcool. Isso me falaram, não sou especialista no assunto.

  • Louis

    Realmente, essas coisas acontecem muito porque praticamente não há punição. O crime compensa. Tem que rasgar a Consituição e fazer de novo.

  • Milton Quadros

    Para evitar fraudes, basta colocar a emissão do cupom fiscal associado diretamente à bomba. Se o posto comprou 5000 litros de determinado combustível à distribuidora e conseguiu o milagre de vender 6000 ao consumidor, ai tem. Se até pão é vendido com cupom fiscal emitido direto do caixa, por que não combustíveis?

  • Milton Quadros

    Essa matéria deveria incluir a gasolina formulada, produzida pela Odebrecht e outras empresas a partir de restos de processos petroquímicos (solventes) e que apenas em uma capital brasileira é obrigatório informar ao consumidor que trata-se de uma gasolina “diferente”. Se não consumida rapidamente, Em menos de 15 dias, essa “gasolina “vira “coisa” no tanque devido a evaporação das partes leves. Agora também está sendo importada e vendida aqui sem nenhum aviso do que se trata.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email