Manutenção Matérias NA

Cristalização de pintura, vale a pena?

Fazer cristalização na pintura do carro é uma boa idéia? Bem, só quem realmente curte automóvel e também se preocupa com o bolso sabe o quão prazeroso é deixar o carro sempre impecável, para que ele fique com uma aparência agradável, mantenha pelo menos boa parte do aspecto de novo e ainda elimine gastos desnecessários com reparos na pintura ou em outras partes.

Cristalização de pintura, vale a pena?


E como você já deve imaginar, há uma série de formas de cuidar do seu automóvel além de uma simples lavagem externa e também uma limpeza interna “passando um paninho úmido” pelos componentes da cabine.

A respeito da pintura da carroceria, para que ela fique sempre bem tratada, sem riscos e com aquele brilho característico de carro mais novo, há a cristalização. Assim como o polimento e o enceramento que você provavelmente já deve ter feito no seu automóvel, ela tem a intenção de manter/ressaltar ou dar brilho à carroceria e ainda remover alguns riscos provocados por danos no uso cotidiano.

Entretanto, você realmente sabe o que é e como é feita a cristalização na pintura de um automóvel? Respondemos esta dúvida logo abaixo. Confira:


O que é cristalização automotiva?

Também conhecida como espelhamento, a cristalização automotiva é um procedimento relativamente recente no mercado e está ganhando cada vez mais espaço entre os proprietários de automóvel. Ao contrário do enceramento e do polimento, que têm como principal objetivo diminuir pequenos danos provocados na pintura da carroceria, a cristalização visa melhorar o aspecto da pintura, realçando o brilho da tinta.

Além disso, a cristalização consegue garantir uma maior durabilidade ao verniz original da pintura do carro. Deste modo, a lataria acaba ficando menos suscetível a danos externos (como os caraterísticos riscos provocados pelas unhas das mãos de uma pessoa), sobretudo quando a cristalização é combinada ao polimento. Na prática, o processo de cristalização cria uma espécie de camada protetora que consegue preservar o aspecto da pintura original por mais tempo.

A cristalização é feita com o uso de uma resina protetora (semelhante à cera), que é aplicada diretamente no verniz da pintura do automóvel. Devido a isso, não apresenta grandes riscos de danificar a pintura. Porém, antes da aplicação da resina protetora, deve ser realizada a limpeza do veículo para retirar as sujeiras e ainda um polimento bastante leve com uma politriz dotada de um disco de espuma para retirar pequenos riscos e manchas, ainda assim sem danificar o verniz original. Aí só depois a resina protetora é aplicada.

Cristalização de pintura, vale a pena?

Vale a pena fazer uma cristalização?

Sobretudo na visão das fabricantes, o processo de cristalização é dispensável mesmo para carros com certo tempo de uso. Isso porque a pintura de um automóvel é dotada de quatro camadas, sendo a última o verniz, que protege e dá brilho. Para eles, basta cuidar periodicamente da pintura de um carro novo somente com uma lavagem simples, com o uso de água e sabão neutro, para que a pintura fique bem cuidada.

Porém, sabemos que na prática a situação pode ser bem diferente. Dá para dizer que a cristalização vale sim bastante a pena sobretudo para carros seminovos, com a intenção de preservar o aspecto de novo da pintura do seu carro por muito mais tempo, ainda mais se você costuma usar o seu veículo com bastante frequência e deixa ele constantemente exposto ao sol, poluição e/ou poeira.

Além disso, pelo fato da cristalização não gerar nenhum tipo de dano ou risco para a pintura do automóvel, você dificilmente enfrentará dores de cabeça com esse tipo de procedimento. A cristalização dura, em média, seis meses.

Quanto custa uma cristalização? Onde fazer?

Como em qualquer outro tipo de serviço, o preço da cristalização varia conforme o lugar escolhido para realizar tal procedimento. Em média, os preços variam de R$ 300 a R$ 500 para carros compactos e médios e de R$ 500 a R$ 700 para veículos maiores, como picapes e SUVs. Ele deve ser realizado sempre em um centro automotivo ou outra empresa da área por profissionais especializados/capacitados.

Cristalização de pintura, vale a pena?

Quais as diferenças entre cristalização, enceramento e polimento?

Ao contrário do que muitos imaginam, cristalização, enceramento e polimento são procedimentos diferentes e indicados para situações igualmente diferentes. Como você pôde conferir nos tópicos anteriores, a cristalização é utilizada para proteger o verniz original da pintura de um veículo, além de ampliar ainda mais o efeito de brilho. Tudo isso com o uso de uma resina protetora aplicada na pintura do carro. É aquele tipo de procedimento usado para prevenir, mas não remediar. Sendo assim, caso o seu carro já esteja repleto de riscos na pintura, a cristalização pode não adiantar em muita coisa.

Por outro lado, o enceramento é recomendado para carros que estejam com pequenas manchas e riscos, podendo ser feito em carros novos, seminovos e usados (até mesmo naqueles que já foram repintados). Fora isso, ele consegue proteger a pintura por até um ano e é interessante para àquelas pessoas que acabam deixando o carro sob a luz do sol durante boa parte do dia, o que acaba provocando danos na pintura. Esse processo é feito com uma cera.

Já o polimento é um processo mais eficiente que o enceramento. É indicado para carros que estejam com manchas e riscos um pouco mais difíceis de serem removidos. Neste caso, as manchas e riscos são removidos com uma massa abrasiva e politrizes em alto número de rotações, sendo que em algumas situações o profissional pode utilizar até uma lixa d’água fina. Ele deve ser feito com pouquíssima frequência – até três vezes durante toda a vida útil do carro.

Uma vitrificação vale mais a pena?

Outro tipo de procedimento é a vitrificação. Assim como a cristalização, ela tem como objetivo proteger a pintura de um automóvel. Entretanto, neste caso, o processo é feito com o uso de uma resina de sílica vítrea (conhecida como “vidro líquido”) aplicado na pintura, que é mais resistente e, como consequência, apresenta uma durabilidade maior. Dependendo da qualidade do produto utilizado, uma vitrificação pode durar até três anos.

Deste modo, a vitrificação pode ser mais interessante para determinadas condições. Entretanto, vale ressaltar que este procedimento é mais caro, podendo chegar a cerca de R$ 800 (ou seja, o dobro de uma cristalização).

Cristalização de pintura, vale a pena?
Nota média 3.7 de 10 votos

31 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • Como um recém formado na área, e logo irei atuar nesta, posso dizer que o dinheiro investido vale a pena.

    O texto abordou bem todos os pontos, nada a ressaltar sobre cada ponto citado. Eu tinha o pé atrás quanto a isso (e até a lavagem a seco) mas depois que vi como funciona e os resultados, vale a pena sim. O investimento é alto, mas se bem feito, e com os devidos cuidados, tanto a vitrificação quanto a cristalização podem sim se pagar.

    A lavagem a seco mesmo, já fiz no meu e de alguns parentes, e de fato é muito confiável e, acima de tudo, ecologicamente correto pois mal água usa e, sim, a pintura continua IMPECÁVEL.

    A estética automotiva visa aquelas pessoas que realmente gosta do carro, que gosta de ver ele bem limpinho e lisinho, é gratificante pegar um carro sujo e entregar ele limpinho e brilhante. E não só isso, mas também está no “pacote” da estética automotiva cristalizar vidro, remover chuva ácida, higienizar interior, hidratar banco de couro, limpar os de tecido, tapetes, enfim, é bem legal pra quem faz e principalmente pra quem está pagando.

  • Alguém aqui que entende de pintura me dá uma dica de qual marca de tinta e verniz de boa qualidade disponíveis no mercado?
    Minha SW4 japonesa já tá bem desgastada, vou precisar repintar ela toda

  • Sinceramente, muito cuidado com esse tipo de matéria.
    Explico.
    Tudos procedimentos citados tem o mesmo objetivo, corrigir imperfeições no verniz do carro, em seguida, proteger.
    Na “cristalização”, é feito um polimento, seguido da aplicação de uma cera sintética, para proteger o verniz.
    Vitrificação é o mesmo conceito, só que a cera sintética é trocada pelo coating cerâmico, produto mais avançado que uma cera sintética.
    Enceramento por si só é um equívoco, afinal, proteger uma pintura que não foi corrigida por um polimento não faz muito sentido.

    Assim, o recomendado é primeiro corrigir as imperfeições do verniz e em seguida proteger, usando cera natural, sintética, coating cerâmico ou até, mais avançado ainda, utilizando uma película plástica.

    Atenciosamente.

  • MEU PONTO DE VISTA…. não vale a pena, logico que temos que cuidar do carro, mas são coisas que na hora da revenda nínguem vai pagar um “tustão” a mais por nada. Eu so fico na cera 1 vez por mês e ja está bom demais.

    • Pois é, R$300,00 e dura seis meses, R$600,00 por ano para supostamente manter o aspecto da pintura novo (digo supostamente pq as fabricantes afirmam não precisar disso), não acho que compensa. Meu carro atual é lavado uma vez por semestre pois não uso ele diariamente e a pintura segue firme. Ao meu ver, manter a pintura bonita depende da soma de dois fatores, como o carro é usado e como é feita as lavagens. No meu caso, o carro passa 90% do tempo longe de sol por exemplo, acaba desgastando menos.

      • Achei um ser parecido comigo, kkkkk.
        Eu amo carro, mas meu carro é lavado umas 3, 4 vezes no ano, e olhe lá.
        Também vive na sombra, é utilizado somente nos FDS…
        Pintura segue firme.
        E realmente, esse tipo de coisa, não tem retorno ALGUM na hora de vender… Eu mesmo já não esquento a cabeça, e não perco meu precioso tempo com isso.
        Isso vendendo no particular,.
        Se for pra loja ou CSS, eles “malemá” dão partida no seu carro, não vêem, as revisões, não querem nem saber quantos donos teve, e por ai vai.

        []s

    • Também concordo. Uma cerinha de vez em quando somente. Quando for vender, ai sim eu mando dar um polimento… agora se fosse um carro clássico que não tivesse intensão de vender, ai arriscaria gastar um pouco a mais.

  • No carro do coroa, preto metálico, foi aplicado o Naisol 5h tem quase 6 meses e lavando sempre com shampoo neutro a repelência e o brilho continuam iguais. Hoje a moda é a tal da vitrificação mesmo.

  • Bem, eu nunca fui fã de cuidados cosméticos, quando muito um banho prá tirar o barro e sujeira.
    Meus carros nunca viram um caroço de cera na vida e a pintura nunca perdeu o brilho. Pessoalmente acho desnecessário e caro, mas vai de cada um.

    • Eu tb, meu carro foi lavado uma vez esse ano (normalmente lavo duas vezes ao ano). Só lavo quando fica sujo internamente, por fora não me importo mais.

    • Carro foi feito pra usar. Geralmente esses muito cuidadosos nem em dia de chuva sai com o carro. Chega em casa e coloca capa, anda com paninho no bolso. Cada um na sua. Eu comprei carro pra usar. Vou pra qualquer lugar, com qualquer tempo, em qualquer horário, estaciono em qualquer lugar e se arranhar o próximo dono que conserte. Só me preocupo com a mecânica que é o que vai me deixar a pé.

  • Parece que o que vale a pena mesmo é a vitrificação, pois os R$ 800 dividido pelos 3 anos de uso fica mais barato que uma cristalização que dura 6 meses e custa R$ 300. No entanto me parece que este procedimento deve ser realizado em um carro zero, sem riscos, ou que se faca algo primeiramente para remover os riscos, concordam?

  • nao existe cristalização.
    Existe cera, selante, vitrificador. Povo tem mania de cristalização ai no BR. As marcas 1/2 boca colocam cera cristalizadora na embalagem, que no final das contas nada mais eh do que uma cera normal que vai durar 1-3 lavagens. Ai vendem como um negocio uuuuuu top.
    Tive maior canseira com isso, quando tinha minha empresa de detailing ai.
    Teve ex-cliente meu que pagou 350 reais na epoca por uma “cristalização” depois de 2 meses foi la me procurar e falar que tinha feito e carro estava todo marcado. Dai falei: “Cara, voce nao quis me escutar. Quis te vender vitrificação (gtechniq na epoca). Falei que nao existe cristalização”. O cara poliu o carro (preto), bem ruim o serviço e ficou todo cheio de marca. Deve ter metido um 3M AutoBrilho (quem vende cristalização adora dizer que passou Autobrilho), que encobre as marcas e dai meteu a cera cristalizadora (provavelmente PasteWax da 3M tambem).
    Nada contra a 3M, excelentes produtos, sabendo usar e divulgar o que entregam.
    Agora vender cristalização como ja vi, de 6-12meses de proteção é lorota. Pra mim a partir de 2 meses ja eh enganação.
    O negocio que protege e dura chama-se VITRIFICAÇÃO, que sao produtos com base de oxido de silicio, que vão curar em cima do verniz adicionando uma fina camada extra de proteção. Alguns, mais caros protegem mais e por mais tempo. Mas isso vai do gosto e do bolso do cliente.
    Selante: seria uma proteção acima da cera convencional que pode ai durar em torno de 3-8 meses até 12 meses dependendo da quantidade de lavagens e uso do carro.
    Bom, quem trabalha na area ou ja trabalhou, entusiastas sabem do que to falando.

    Na minha opinião o termo “cristalização” é errado. O termo que mais se adequa pra um serviço bem feito é espelhamento (onde o proprio nome ja diz, pintura fica zerada e os reflexos remetem a um espelho) ou a vitrificação, que nada mais é do que o proprio espelhamento da pintura seguido de um produto que vai adicionar proteção prolongada ao espelhamento, retardando o acontecimento de hologramas e micro riscos. O que vai influenciar isso é o metodo usado para lavar o carro. Se souber lavar, sempre terá carro com brilho impecavel, se não com tempo adicionará pequenos riscos de lavagens.
    A unica proteção que deixa seu carro impecavel sempre eh PPF (paint protection film) transparente, que eh aplicado depois de zerar a pintura e no melhor caso, quando o carro é zero. Evita riscos e batidas de pedras, pode lavar sem medo, deixar de baixo de arvore que filme tem a capacidade de se regenerar apenas jogando agua quente. Mas isso eh pra quem tem muuita grana sobrando. Por aqui custa em media 5000 euros, ai no BR deve custar preço de um carro zero de entrada.

    • Finalmente um comentário de um especialista em detalhamento automotivo!!! Já to agoniado desde ontem que vi essa matéria comercial sem os fundamentos adequados do detalhamento automotivo.

      Sugiro fortemente ao NA estudar um pouquinho sobre detalhamento automotivo antes de publicar uma matéria dessas. Garanto que 80% das ditas “empresas especializadas” não sabem nem o que é claybar… Algumas vão simplesmente passar cera 3M por cima da pintura contaminada e deixar o cliente achando que fez um ótimo negócio…

      Aos leigos que queiram entender um pouco mais sobre pintura contaminada, lavem seus carros no final de semana, sequem bem a pintura, coloquem uma sacola plastica na mão e passem sobre a pintura. Aquele monte de “bolinhas” por cima da pintura é a pintura contaminada. Os especialistas de verdade na área são os “detailers” como o nosso amigo ai de cima.

    • Danilo, parabéns pela explicação coerente! Poderia me tirar uma dúvida? Qual selante recomendaria para usar em carro de cor clara após aplicar cera sintética?

  • Cristalização é um nome diferente para polimento, cujo processo foi criado pela 3M.

    Existem basicamente hoje em dia dois tipos de polimento, o “Polimento Comercial” que é um processo mais simples onde a pintura é corrigida com menos etapas de refino e o Polimento técnico, onde o profissional vai polir o carro até obter uma superfície o mais uniforme possível. A chamada cristalização seria a aplicação de uma cera após o polimento que a 3M chama de Paste Wax. Existem ceras melhores no mercado e a diferença entre as ceras basicamente vai ser o tempo de durabilidade entre as aplicações. Existem seladoras que duram mais que as ceras sintéticas e as ceras que usam compostos naturais como a carnaúba que brilham mais, porém duram menos tempo.
    Se você tem dinheiro para investir, vale a pena fazer o polimento técnico e a aplicação da vitrificação. Porém nada adianta fazer este processo e lavar o carro de maneira errada pois não existe vitrificação 9H que segure muito tempo os riscos causados pela abrasão de uma bucha cheia de sujeira.

    • Esse é o problema, a lavagem.
      O melhor é sempre lavar você mesmo em casa. Agora, quem não tem como, que depende de lava rápido, aí ferrou.
      Tem que se contentar com riscos e afins. Pode levar no mais caro da cidade, sempre vão fazer cagada no seu carro.

  • “(…) e ainda um polimento bastante leve com uma politriz (…)”
    Todo o processo de polimento desgasta o verniz.
    Depois não reclamem se a pintura queimar precocemente, ok amiguinhos.

  • Nunca fui muito fã desses procedimentos estéticos. Meu carro já passou dos 4 anos de uso e nunca sequer foi polido. Só agora que vou ter que fazer reparos nos para-choques terei que submeter ao polimento.

    • Cara, eu penso exatamente a mesma coisa.
      Cuidado em exagero ou acima dos 200, 300 mil, ou no Fusca original, único dono, herdado do avô, ou seja, a famosa relíquia..

      Por mais que eu sou apaixonado por carro (moto, avião, gasolina, e afins, rs), eu não consigo entender esse cuidado todo de certas pessoas, que viram escravos de seu carro, e nas 99% das vezes, é apenas um carro normal.

      Não adianta gastar 1000 reais pra vitrificar, fazer todos esses “paranauês” ai, e na PRIMEIRA viagem, vais levar uma pedrada do caminhão da frente, eis a famosa Lei.
      E se fazer tudo isso, e também não utilizar o carro, ai o problema é psiquiátrico.

      Fora que, como já mencionamos em cima, todo esse gasto de dinheiro, e tempo (o cuidado), não seja valorizado na hora da venda, salve RARAS exceções, e isso considerando apenas venda PF, por que se for PJ, rs …

      Acho que o tal do “equilíbrio” funciona bem pra isso.
      Tentar manter o carro íntegro, evitando coisas simples…
      Mas, sem ser doente de virar escravo do carro.

      []s

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email