Etanol aditivado: o que é, vale a pena?

Etanol aditivado: o que é, vale a pena?
Etanol aditivado: o que é, vale a pena?

Foi-se o tempo em que gasolina comum, etanol e diesel eram as únicas opções de combustíveis à disposição dos consumidores em postos de combustível. Dá para dizer que o mercado de combustíveis sofreu uma espécie de “gourmetização” nos últimos anos.

Atualmente, os motoristas podem abastecer com combustíveis em versões que prometem limpar o motor do veículo, prolongar a vida útil do conjunto ou até com um diesel que limpa o sistema de alimentação ou que atenda às mais recentes tecnologias empregadas pelas fabricantes nos propulsores. Um deles é o etanol aditivado.

O etanol aditivado é ofertado em alguns postos de combustíveis há cerca de oito anos. Ele chegou como alternativa para automóveis de passeio, veículos comerciais e motocicletas dotados de motorização flex e está disponível, sobretudo, em estados como Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo.

Porém, você sabe realmente o que é, como funciona e quais são os benefícios do etanol aditivado? Respondemos essas perguntas logo abaixo. Confira:

O que é etanol aditivado?

Você já deve ter escutado ou lido algo a respeito da gasolina aditivada. O etanol aditivado, por sua vez, segue praticamente a mesma ideia. Esse tipo de combustível desempenha a mesma função do etanol comum, mas com a diferença de contar com detergentes e dispersantes em sua mistura.

Essas substâncias prometem promover uma limpeza considerável no sistema de alimentação do motor, removendo principalmente os resíduos acumulados no interior do propulsor que podem comprometer o bom funcionamento do aparato.

Para explicar na prática o funcionamento e benefícios do etanol aditivado, a Shell, que foi a primeira rede de postos a dispor desse tipo de combustível aos consumidores brasileiros, compara o seu “Shell V-Power Etanol” com alguns produtos que nós utilizamos em nosso cotidiano.

Segundo ela, o motor pode sofrer do mesmo mal de um chuveiro que, quando entope, reduz o seu fluxo de água. No caso do propulsor, ele pode ficar cheio de impurezas que comprometem o seu bom funcionamento.

Aí o etanol aditivado entra em ação, removendo os resíduos das válvulas e bicos injetores, e melhorando a passagem do combustível no interior do motor.

Além disso, o etanol aditivado pode ser comparado ao creme nas mãos, que faz com que as nossas mãos deslizem de maneira mais suave. No caso do motor, o etanol aditivado ostenta o FMT (Friction Modification Technology), o redutor de atrito da fabricante, que protege e contribui para que as partes internas do motor se movimentem mais suavemente, gerando mais proteção e menos perda de energia.

Em suma, o etanol aditivado pode contribuir para “desprender” e quebrar a sujeira presa no sistema de alimentação do motor e eliminá-la através do sistema de combustão, beneficiando todo o conjunto, aumentando sua vida útil e diminuindo os gastos na oficina por possíveis problemas causados por tais impurezas.

Porém, é sempre válido lembrar que o uso de qualquer combustível aditivado não suspende em hipótese alguma a realização de revisão periódica a cada seis meses ou um ano, dependendo do uso e do veículo.

Etanol aditivado: o que é, vale a pena?

Etanol aditivado vale a pena? Onde encontrá-lo?

Você quer saber se o etanol aditivado é uma opção mais interessante? A resposta é: depende. Vale a pena abastecer o seu carro pela primeira vez com o etanol aditivado e ir testando os benefícios, sobretudo se você está acostumado a usar sempre gasolina comum.

Esse tipo de combustível é dotado de um conjunto de hidrocarbonetos, que se oxidam com o tempo e podem formar aquela “cera” capaz de entupir partes dos sistemas de alimentação do motor.

Todavia, você sabia que o etanol comum se aproxima da gasolina aditivada no quesito de limpeza dos bicos injetores num carro com motor flex? Caso o etanol seja de boa qualidade, ele tem propriedades solventes que promovem a limpeza nos bicos, assim como acontece com a gasolina aditivada. No caso da gasolina comum, a vantagem do etanol acaba sendo ainda maior.

Desse modo, o etanol aditivado pode ser praticamente irrelevante dependendo do seu veículo e uso. Apenas para ressaltar, o etanol comum não consegue formar resíduos na câmara de combustão, então o etanol “equipado” com aditivos é um tanto quanto desnecessário.

Além disso, no caso da Shell, ela promete a redução de atrito com o uso de uma substância antifricção, mas é bastante provável que os resultados sejam praticamente imperceptíveis.

O etanol aditivado pode ser encontrado nos postos de combustível Shell por cerca de R$ 0,10 a mais que o etanol comum. As empresas Petrobrás e Ipiranga demoraram um pouco mais, mas também passaram a oferecer esse combustível.

Etanol aditivado: o que é, vale a pena?

Há uma economia de combustível com o etanol aditivado?

Embora seja mínima, há sim uma redução no combustível quando o carro passa a “beber” etanol aditivado. Como em qualquer combustível aditivado, a empresa responsável precisa elaborar um relatório a ser entregue a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), deixando claro os benefícios ao motor do carro.

Nesse caso, de acordo com estudos, há uma economia de combustível de cerca de 3% em relação ao etanol convencional. No entanto, a empresa deixa claro que essa diferença depende do estilo de condução do motorista e a situação de cada veículo em termos de manutenção.

Etanol aditivado ou gasolina aditivada: qual é melhor?

Como já citamos, o etanol aditivado e a gasolina aditivada seguem praticamente a mesma linha. O primeiro conta com uma substância que reduz a fricção entre as partes móveis do motor que possuem algum tipo de contato com o combustível e ainda promete eliminar as impurezas no sistema de alimentação.

Já o segundo, assim como a gasolina comum, é dotado de 25% de etanol anidro em sua mistura, mas com direito a aditivos químicos que auxiliam na limpeza do motor, como detergentes e dispersantes, também igual ao etanol nessa mesma versão.

Porém, falando da versão aditivada, desconsiderando as propriedades dos combustíveis em si, o etanol aditivado pode ser ligeiramente mais benéfico por prometer reduzir o atrito de alguns componentes internos do motor, algo que a gasolina aditivada não consegue promover (pelo menos na teoria).

Por outro lado, o etanol comum acaba sendo equivalente à gasolina aditivada em relação à capacidade de limpar o motor. Logo, para o seu bolso, o próprio etanol comum pode ser mais vantajoso.

Mas vale sempre fazer uma análise para saber a relação entre o valor gasto e a autonomia do seu carro com gasolina comum, gasolina aditivada e etanol comum, visto que em alguns modelos a gasolina pode ser mais interessante.

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.