Gasolina aditivada rende mais? Vale a pena?

Como o preço da gasolina está sempre oscilando, muitos motoristas acabam buscando meios para economizar ao máximo. No entanto, há diversos mitos referentes a este assunto, e é bom o consumidor ficar esperto para não cair em pegadinhas.

Em vista disso, resolvemos explicar um tema que vem circulando há muito tempo: será que a gasolina aditivada rende mais do que as outras? Será que vale mais a pena do que a comum?


Antes de responder às perguntas anteriores, é importante conhecer a função da gasolina aditivada e, em seguida, tiramos uma conclusão sobre o seu rendimento no automóvel.

Uma das práticas mais recomendadas para ter ciência de qual o combustível ideal para o seu carro, é verificando o manual do veículo.

Através dele você poderá encontrar informações como a gasolina certa que deve-se usar no dia a dia, também qual tipo de combustível colocar em situações onde você esteja dirigindo o carro em outro país e o valor da octanagem correta para o motor do seu carro, que é definida como a capacidade que o combustível possui de resistir às altas pressões e temperaturas sem detonar.

Atualmente, temos no Brasil, as gasolinas comum, aditivada, premium, podium, formulada e a de aviação, todas elas têm diferenciações, e isso explica as distinções no preço final para o consumidor.

Já mostramos aqui no NA uma matéria explicando sobre todas elas e como você deve utilizá-las: tipos de gasolina.

As gasolinas comum e aditivada são as mais comercializadas. Com índice antidetonante mínimo de 87, a comum é mais simples porque não contém aditivos, apenas etanol anidro.

Já a aditivada tem o mesmo valor de octanagem da comum (IAD 87 mín.), mas a sua principal diferença está no pacote de aditivos e nos efeitos positivos que ela traz para o motor do seu carro.

Esse pacote inclui detergente/dispersante que mantém limpo as válvulas do motor e o sistema de alimentação de combustível.

Além disso, há uma ação de limpeza com redutor de atrito, que cria uma fina camada nas paredes dos cilindros e nos anéis de segmento, reduzindo o atrito destas superfícies. Com esse trabalho, a aditivada pode facilitar o trabalho do motor, mas, ainda assim, isso é diferente de “render mais”.

Basicamente todas as gasolinas aditivadas do mercado recebem um corante que a deixa com a cor esverdeada para diferenciá-la da gasolina comum. Inclusive, com ela, pode-se abastecer qualquer veículo movido a gasolina, especialmente os equipados com injeção eletrônica.

Gasolina aditivada rende mais do que as outras?

Gasolina aditivada rende mais? Vale a pena?
Como explicamos anteriormente, com toda a sua ação positiva, ela aperfeiçoa o desempenho do veículo. Mas, dizer que a gasolina aditivada rende mais é um mito.

Um motor sujo acaba tendo seu consumo de combustível elevado, por isso que ao realizar a limpeza abastecendo com a aditivada, ele pode voltar com o seu desempenho original e isso cria a impressão de maior rendimento. É entendível que circule essa informação, mas ainda assim continua sendo um mito.

Mas se você está preocupado com a economia, existem algumas dicas, verdadeiras, que poderão te ajudar a economizar, como veremos mais adiante.

Gasolina aditivada: vale a pena?

Gasolina aditivada rende mais? Vale a pena?

De modo geral, é vantajoso abastecer com gasolina aditivada, contudo, como muitos sabem, ela é mais cara em relação às demais. Mas compensa pelos benefícios apresentados ao motor do veículo.

Se o seu automóvel está acostumado a ser abastecido com comum, poderá colocar a aditivada sem nenhum problema, o resultado ainda é benéfico, já que ela irá trabalhar na limpeza.

Misturar as duas no tanque já não é recomendado, afinal os auxílios não serão obtidos na íntegra, então vale pensar bem. Caso você esteja planejando trocar, faça os cálculos de quanto será necessário desembolsar para realizar essa transição.

Como economizar combustível ao dirigir

  • Trocar o ar condicionado pela abertura dos vidros é uma das práticas que podem ajudar em velocidades de até 60 a 70 km/h. Dependendo do modelo, o ar pode gerar um consumo adicional de 15%.
  • Acima de 70 km/h, fechar os vidros ajudará na economia de combustível, porque com os vidros fechados o carro gerará menos arrasto aerodinâmico. Manter o ar condicionado desligado nessa ocasião é o ideal, e pode ser feito em regiões mais frias ou a noite, deixando apenas a ventilação forçada ligada. Se estiver muito quente, ligue o ar ao invés de abrir os vidros.
  • Manter os pneus bem calibrados ajuda na redução do consumo, pois o arrasto também será menor. Algumas marcas até mesmo recomendam colocar 2 ou 3 libras a mais nos pneus se o uso for rodoviário, para uma redução de consumo ainda maior.
Darlan Helder

Natural de São Paulo, é jornalista e fotógrafo. Escreve na internet sobre o universo automotivo desde 2011