Fiat Hatches Manutenção Matérias NA

Fiat Punto – Defeitos e problemas

Fiat Punto - Defeitos e problemas

O Fiat Punto foi um hatch compacto premium, fabricado pela marca italiana no Brasil entre 2007 e 2017. Fiat Punto – defeitos e problemas. Veja o que os clientes pensam dele.


Tendo sido equipado com cinco motores diferentes, o Punto teve transmissão manual de cinco marchas ou automatizada Dualogic. Sem ter uma opção automática, o hatch teve uma vida longa no Brasil, tendo apenas um facelift consistente.

Na versão de acesso, o Fiat Punto vinha com motor Fire 1.4 8V de até 88 cavalos, enquanto as versões intermediárias foram equipadas com propulsores GM Família I 1.8 8V de até 115 cavalos ou E.torQ 1.6 de até 117 cavalos.

Isso sem contar o propulsor E.torQ 1.8 16V com até 132 cavalos nas versões mais caras do Punto, mas a poderosa mesmo era a T-Jet, que trazia o motor Fire 1.4 16V com turbocompressor e intercooler, entregando 152 cavalos.

Com design bem fluido e interno razoavelmente espaçoso, o Fiat Punto teve versões para todos os gostos e ainda é apreciado por muita gente. Contudo, o que os donos do modelo falam sobre defeitos e problemas.

Entre os defeitos e problemas mais citados pelos donos do Punto, estão direção com barulho, ruídos na suspensão, tampa do combustível que não abre, porta-luvas que cai e lâmpadas que queimam facilmente, entre outros.

Fiat Punto – defeitos e problemas

Fiat Punto - Defeitos e problemas

O Fiat Punto foi um produto bastante popular no Brasil e muitos donos não poupam elogios, mas outros reclamaram muito de seus defeitos e problemas. Fiat Punto – Defeitos e problemas

Embora tenha tido motores de três origens diferentes (Fiat, BMW-Chrysler e General Motors), o Punto quase não tem relatos apontando problemas nos propulsores usados, exceto pelo alto consumo em algumas versões.

Um problema bastante comentado é sobre a injeção eletrônica, que apresentaria falhas de funcionamento e aumentaria o consumo de combustível, geralmente criticado no hatch.

Contudo, em relação ao restante do carro, vários defeitos e problemas foram apontados, alguns são considerados até crônicos pelos proprietários. Um deles é a abertura do bocal do tanque de combustível.

Acionado por uma alavanca no assoalho, o dispositivo de destravamento da tampa de acesso ao bocal deu dor de cabeça para muitos donos de Fiat Punto, que relataram dificuldades para ingresso da bomba do posto no veículo.

Como se sabe, alguns modelos da Fiat possuem uma cordinha no porta-malas para emergências como esta. Até o fim da linha, o hatch compacto não teve esse defeito resolvido.

Fiat Punto – defeitos e problemas, Barulhos diversos

Fiat Punto - Defeitos e problemas

Alguns donos de Fiat Punto acusam diversos barulhos no interior do carro. Um deles é proveniente do painel que, em vias de piso ruim, trepida ao ponto de incomodar bastante. Um cliente foi seis vezes ao concessionário para resolver.

Poucos conseguiram resolver a questão na rede autorizada (dentro da garantia) e outros acabaram por não recomendar o carro. A caixa de direção é outro item desconfortável para alguns, que relataram ruídos vindos do sistema.

Na rede autorizada, com o carro na garantia, alguns conseguiram solucionar o problema, outros acabaram ficando com o defeito até a venda do carro.

Um deles chegou a trocar a caixa completa com apenas 6.500 rpm, outros o fizeram com um pouco mais de quilometragem, mas bem abaixo de 50.000 km.

Outra fonte de barulho, relatado pelos donos de Fiat Punto é o conjunto de suspensão. Não se trata apenas do conjunto frontal, que geralmente é o que mais sofre com nossas ruas e estradas ruins ou com defeitos vindos de fábrica ou projeto.

O conjunto dianteiro foi mencionado por vários proprietários do Punto, que falaram dos ruídos vindos do conjunto, mas sem detalhes relativos a origem do mesmo. Alguns carros de segunda mão tiveram peças substituídas, mas seus os donos mencionaram como desgaste natural.

No caso do eixo traseiro, porém, o Fiat Punto teve bastante reclamação de ruídos no conjunto traseiro, que foi envolvidos em um grande recall. Nada menos que 113 mil unidades do hatch e de seu irmão Linea foram chamadas.

A Fiat mencionou que, além dos ruídos, haveria dificuldade na aceleração e também desalinhamento da direção, em caso de trinca no eixo de torção, fazendo ainda que os pneus encostassem na capa plástica das saias de rodas.

Como havia risco de acidentes com vítimas fatais e prejuízos enormes, o recall foi feito, mas alguns relataram os ruídos antes de faze-lo. Outros não mencionaram se os carros haviam ou não passado pela convocação.

Também reclamam de ruídos nos bancos dianteiros, sendo que o assento do motorista ainda apresenta folga nesse caso. O banco traseiro também não é diferente, tendo vários depoimentos sobre barulho.

A tampa do porta-malas também é citada como fonte de ruídos por alguns donos. No caso dessa peça, outros proprietários dizem que a fechadura da mesma apresentou problemas, que dificultavam a abertura interna.

Fiat Punto – Defeitos e problemas, Segurança em risco

Fiat Punto - Defeitos e problemas

Os donos de Fiat Punto ainda relatam problemas na segurança. Um dos pontos com defeitos e problemas é o alarme. Alguns relatam que o dispositivo apresentou falhas em conexão com as travas elétricas.

Nesses casos, era possível acessar o carro sem dispara-lo, o que permitiu o furto de bens pessoais. O alarme da Fiat é conhecido também por apresentar erros e falsos alertas de arrombamento, algo já visto em avaliações do NA.

Contudo, nas travas, o acesso de estranhos ao interior do carro é preocupante. Ainda na área de segurança, mas da proteção em acidentes, donos de Fiat Punto falam de falhas nos cintos de segurança.

Alguns dizem que eles apresentam defeitos no travamento, o que pode ser a diferença entre vida e morte em caso de acidente. Os depoimentos falam que eles se destravam involuntariamente ou ficam soltos, sem tensão.

Em relação aos cintos, ainda, comentam que o acabamento das peças é ruim. A Fiat fez um recall referente ao cinto de segurança, mas apenas para um. Os relatos não são específicos em relação ao cinto que se solta.

O cinto do recall em questão é o central traseiro e exatamente em relação ao fecho, mas não ao encaixe próprio.

Foi detectado que os passageiros laterais que por confusão acabem afivelando seu cinto no fecho do central, corriam riscos. Isso permite que o cinto se solte sozinho ou simplesmente não destrave.

Ainda na segurança, os discos de freio empenados foram relatados por alguns donos. O motivo é uma alteração na estrutura física do material, em decorrência de mudança brusca de temperatura, como quente em água fria, por exemplo.

Ao frear, o pedal de freio vibra e a capacidade de frenagem é comprometida em parte. No cofre do motor, relatam ainda que o parafuso de fixação da bateria fica solto e provoca ruídos na dianteira, porém, casos de desligamento ocorreram.

Elétrica e pintura

Fiat Punto - Defeitos e problemas

O Fiat Punto tem relatos de proprietários que apontam, entre defeitos e problemas do produto, falhas na pintura, em especial nos para-choques, que apresentam mudanças na tonalidade e qualidade do acabamento.

Dentro do carro, as maçanetas que descascam também são mencionadas por alguns, inclusive com relatos de cortes provocados pelo material.

Vidros elétricos com barulho e defeito no acionamento também não são raros nos depoimentos, assim como as lâmpadas das setas queimam com facilidade.

Ainda no interior, as portas dianteiras (especialmente do motorista) são mencionadas como desreguladas em alguns casos, necessitando intervenção do concessionário para solução do problema.

Defeito no alternador, que pode fazer o carro desligar sozinho, virou recall no Punto e em outros modelos da Fiat.

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Igor Leão

    Sou proprietário de um modelo Essence 1.6 2013, já com o facelift. Tirando o alto consumo na cidade e alguns ruídos de acabamento, a convivência com o Punto vem sendo tranquila, desde que o tirei da concessionária, 0 KM.
    O único problema incômodo que tive com o carro foi o ruído ao girar o volante em manobras. Na mecânica, descobri que eram os rolamentos dos coxins posicionados no topo dos amortecedores. Após a troca, não tive mais problemas, mas descobri que o causador desse problema, crônico de acordo com a oficina, é o alto peso do motor E-torq, que acaba sobrecarregando componentes da suspensão. Interessante foi ver o Renegade, adquirido pela revista Quatro-Rodas para o teste Longa Duração, ter apresentado o mesmo problema, percebido apenas durante o desmonte do veículo!

  • André

    Punto e Linea foram os últimos carros decentes que a Fiat fez no Brasil, infelizmente não trouxe o Tipo para concorrer melhor com Polo/Virtus, Onix/Plus etc.
    Na minha opinião, Punto e Linea antes da reestilização, são um dos carros mais bonitos já produzidos no Brasil.

    • Peter Bishop

      Toro prova o contrário

  • Bruno Luís

    Possui um Punto essence 2013 modelo já com o novo facelift comprei zero km,o único inconveniente foi a caixa de direção que começou a vazar o óleo de direção e a lanterna traseira . Substituído a caixa de direção e a lanterna traseira , após isso sem problema nenhum carro era show de bola posição de dirigir top.

  • Tom Costa

    Tive um essence 2013, um dos piores carros que tive, parecia um lego do opala. Parecia que o carro tinha sido entregue desmontado.

  • G E O

    Tive um Punto Sporting Prata com teto solar. Era bem bonito. Da primeira fornada do carro.

    Os problemas que eu tive:
    – tampinha de plástico onde era fixado o retrovisor caía do nada. A ccs dava outra sem problema. Em um dos casos eles acabaram colando essa capinha;
    – problema no corpo da borboleta do motor. O carro perdia potência e fazia maior barulho quando estava em uma faixa específica de rotação. Foi trocado também e nunca mais tive problema;
    – o câmbio (manual) quebrou em um estacionamento de supermercado. Trocado na concessionária também.

    Alguns pontos negativos:
    – motor 1.8 (da GM, antigo, que equipava o Corsa, Meriva, Astra). Era razoavelmente torcudo. Consumo alto e o tanque tinha 45 litros (se não estou enganado) e não conseguia andar mais de 450km na estrada…
    – as primeiras unidades vieram com o parachoques frontal bem desalinhado.

    Fora isso, não posso reclamar.
    Fiquei 3 ano com ele e andei quase 80.000kms.

    • Só um uma pequena correção: Esse 1.8 da GM no Punto/Palio/Stilo/Strada/Idea/Weekend/Siena é o Família I, de origem do Corsa, a variante do Astra era Família II, que chegou por aqui inicialmente no Monza e foi sofrendo evoluções), contudo esse problema que você citou do corpo de borboleta era um problema de época, até que as fornecedoras de peças até colocaram no mercado um substituto para sanar o problema (não sei se a própria Fiat fornece essa variante hoje), mas que nunca gerou um recall. Estranhamente o meu Stilo 8v ainda mantem o mesmo atuador que foi instalado na linha de montagem (ele é um de ano de fabricação de 2004) e mesmo após tantos anos, é perfeito na marcha lenta.

  • Rafael Calegari

    Sou proprietário de um Punto Itália 2014. Estou escrevendo um texto sobre a convivência com ele e em breve pretendo enviar para a equipe do NA postar. O que eu não curto no carro:

    * diâmetro de giro: manobrar o carro não é agradável, pois ele “esterça” muito pouco;
    * peso da direção hidráulica: em alguns momentos, ele pesa muito a direção, principalmente em manobras;
    * lanternas traseiras: embaçam com facilidade e já vi muitas com o led esquerdo enfraquecido;
    * motor 1.4 (ou 1.fraco) dispensa comentários quando o assunto é potência.

    O que eu curto no carro:

    * suspensão: acho silenciosa, macia e consegue se sair bem em curvas. Sei que ele não é um Focus/Golf, longe disso, mas consegue unir bem o conforto e o prazer em dirigir;
    * acabamento: aplica muito tecido nas portas (incluindo as traseiras), painel bem acabado. Acho que o meu tem bem poucos ruídos internos pela quilometragem (75 mil km);
    * durabilidade do motor 1.4: ele é manco, mas ao mesmo tempo consegue ser muito durável e aguenta bem o uso no modo “soviético”

    Enfim, fico triste pela Fiat ter tirado o Punto de linha aqui no Brasil. Até hoje olho pro Argo e vejo que ele não tem a mesma “presença” do Punto. É um carro que comprei não gostando muito (ele não era minha primeira opção), mas com o tempo começou a demonstrar muitas qualidades. Lógico, o desempenho peca bastante, mas, quando não se olha apenas para a falta de desempenho, percebe-se um carro bem bacaninha.

  • Rick Wakeman

    Caramba, o pessoal em certos sites fala tão bem desse carro!! Muitos reclamam que nunca deveria ter saído de linha, que o Argo nunca irá substituir o Punto, um dos melhores carros já lançados, etc.

    Pelo visto, juntaram os caras fanboys falando bem e os haters da Fiat, que pra falar mal do Argo, acabam falando bem do Punto.

    Pela lista de defeitos, foi um carro muito ruim, problemático, mal acabado.

    • Igor Leão

      Acho que não é o caso… Cada proprietário relata um problema específico que enfrenta com o modelo, e alguns são comuns a vários proprietários. No meu caso, há sete anos realizo as revisões sempre na mesma oficina, respeitando os prazos a risca, e cuido muito bem da parte mecânica do meu Punto, por isso não tenho nada a reclamar. Enfrentei somente um recall, em 2014, para a troca do óleo do câmbio, fora isso e o ruído no volante causado pelos rolamentos do coxim dos amortecedores, nunca tive problemas com o carro.
      Sobre a questão do Argo, este foi idealizado pra substituir, de uma só vez, o Palio e o Punto, logo se situou no meio do caminho dos dois, mais ou menos como a GM Spin fez ao substituir a Meriva e Zafira. Você sente visivelmente que ele é muito melhor que o Palio e Punto em qualidade construtiva, com menor nível de ruídos e torção, espaço interno e arquitetura eletrônica (Direção elétrica, ESC, ASF, assistente de rampas) porém, quando falamos em acabamento, ele não tem faixa emborrachada no painel, os bancos dianteiros são mais estreitos e apoiam menos o corpo, não oferece o kit Night Design, que iluminava as maçanetas e o painel com leds (opcional barato), nem revestimento nas portas traseiras, que davam um ar bem mais refinado à cabine do Punto.
      Mas, se você cuida bem do carro, é um modelo confiável e que não reserva muitas surpresas negativas ao dono.

      • Rick Wakeman

        Ok. olha eu não quis falar mal do seu carro (sei que vc tb não viu dessa forma). Mas nessas análises de carros que fazem aqui, não lembro de ter visto tantas criticas, em tudo. Barulho no painel por ex. Claro que se vc cuidar bem, a tendência é dar menos defeitos. Mas fiquei espantado com a qtd de críticas. E são variadas. O Argo não tem problema de barulho no painel, por ex. Pois a construção hj em dia é mais cuisadosa, os caras usam peça inteiriça, forram os engates por dentro, etc. Claro que pode dar defeito num ou outro, mas a qtd e variedade de defeitos que me surpreendeu. Alguns são citados como defeitos crônicos.

        • Igor Leão

          Rick, essa sessão é bem legal pq eu sempre fico espantado com a quantidade de defeitos, de uma maneira geral. Lembro de matérias que me chamaram muito a atenção, sobre o Ford Focus e VWnGolf, em especial o Ford, fiquei chocado, principalmente pelo preço dos modelos em questão, mas até pela negligência das montadoras em resolver os problemas. e realmente fiquei chateado pois sou fã destes modelos. Sobre o Punto, ele realmente é de outro momento da Fiat no país, onde não havia tanta preocupação com montagem, encaixes, construção, como ela possui hoje com Argo, Cronos e Toro. Pelo meu veículo ter completado 7 anos, acompanhei estes ruídos surgindo, mais o recall e o problema no coxim, o que me deixou chateado, mas fora isso realmente a convivência com carro tem sido realmente tranquila… Mas me deixa curioso é que, tirando os defeitos crônicos, cada relato de proprietário menciona muitos defeitos específicos, como em uma loteria, imagino que esta melhoria de processos de montagem, desde a criação da FCA, podem diminuir esses defeitos.

  • Victor Costa

    O defeito foi ter saído de produção… um dos mais belos carros criados, principalmente a primeira geração desenhada pelo Giorgetto Giugiaro… obs: ele também projetou o Golf

  • Evaldo Avelar Marques

    Tenho um Punto 1.6 etorq 2010 desde 2012, além do barulho do acabamento que me incomoda em ruas de paralelepípedos, o pior problema é um vazamento crônico na junta do carter. Todo ano tem que trocar essa porcaria. Nem passando silicone resolve…

  • Jeosmar Machado

    Ricardo Oliveira deve ter juntado os defeitos de vários Puntos e colocado em um só. Tenho um Punto atrativ 1.4 2013, os únicos defeitos do carro são: a tampa de combustível e o ar que não é tão potente.
    Um belo carro, econômico, confortável, tem estabilidade, um bom acabamento, o painel e lindo, tenho o carro a sete anos e não bate nada.

  • Rafael

    Tive um 1.6 tirado zero em 2015 e os problemas que tive foram:
    Com apenas 15 dias de compra o cambio dualogic estragou e foi reparado em garantia, mas não ficou bom.
    Ar condicionado que é praticamente um ventilador, não gela nada. Falaram que era crônico.
    Gasta muita pastilha de freio. Falaram que era o modo de condução, mas nunca tinha ocorrido nos meus outros carros.
    Tive que trocar a embreagem do cambio dualogic com apenas 40mkm.
    Manopla de ajustar o encosto do banco quebra com muita facilidade.
    Luzes do painel central queimaram e pela dificuldade em desmontar o painel eu não troquei.
    Problema no sistema de partida a frio.
    Vendi depois de 4 anos com 53 mkm

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email