Kawasaki Lançamentos Motos

Kawasaki Ninja 400 traz motor de 48 cv e preço de R$ 23.990

Kawasaki Ninja 400 traz motor de 48 cv e preço de R$ 23.990

Lançada inicialmente como Ninja 250, a esportiva de entrada da Kawasaki logo se tornou a Ninja 300 e agora foi transformada para Ninja 400. A nova motocicleta foi anunciada pela fabricante japonesa nesta terça-feira (14) no mercado brasileiro e começa a ser vendida em setembro na rede de concessionárias.


A nova geração do modelo chega para fazer frente a Yamaha YZF-R3 e também a Honda CBR 500R. Entre as novidades, há um motor inédito e também um novo chassi, o que resultou numa redução de peso de 8 kg em relação ao modelo anterior.

Kawasaki Ninja 400 traz motor de 48 cv e preço de R$ 23.990

O motor cresceu e agora é um dois cilindros de 399 cm³, capaz de desenvolver 48 cavalos de potência, a 10.000 rpm, e 3,9 kgfm de torque, a 11.000 rpm. Este propulsor é tão compacto e leve como um de 250 cm³, mas traz recolocação de componentes e um novo comando de válvulas forjada. Ele está atrelado a um câmbio de seis marchas com embreagem deslizante e assistida, que recebeu mudanças e, segundo a Kawasaki, está 20% mais leve de acionar.


Para efeito de comparação, a antiga Ninja 300 usava um motor capaz de entregar 39 cv e 2,8 kgfm.

Já o chassi é um do tipo treliça e foi inspirado no da topo de linha H2. Por ser mais leve, ele reduziu o peso final da Kawasaki Ninja 400 para 164 kg a seco. A motocicleta tem entre-eixos menor que o da anterior, passando de 1.405 mm para 1.370 mm.

Kawasaki Ninja 400 traz motor de 48 cv e preço de R$ 23.990

O conjunto inclui ainda sistema de freios ABS (antitravamento) de série, com disco dianteiro com 310 mm de diâmetro e 220 mm na traseira. Com isso, a Ninja 400 traz os maiores discos de freio do segmento, com tamanho do disco frontal comparável aos da Ninja ZX-14R.

Há também painel de instrumentos com elementos analógicos e digitais e itens como autonomia, indicador de marcha, consumos médio e instantâneo, temperatura externa e do liquido de arrefecimento, relógio, indicador de pilotagem econômica, hodômetros total e dois parciais, entre outros. Os faróis e lanternas são de LED.

A Kawasaki Ninja 400 custa R$ 23.990 na configuração verde ou preta e R$ 24.990 na KRT com pintura especial.

Galeria de fotos da nova Kawasaki Ninja 400

Kawasaki Ninja 400 traz motor de 48 cv e preço de R$ 23.990
Nota média 4.8 de 5 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • Washington Silva

    Belíssimo painel!

    • Guilherme Ferreira Lucio Lemes

      Estão de parabéns por manterem o conta-giro analógico. Ficou muito mais bonito do que os atuais “tablets” que estão na moda.

  • Tom Costa

    Bem mais moto que a CBR500 e com preço agressivo em relação a esta.

    • Ric53

      agora complicou pra CBR500, moto que tem o deseign fantástico mas motor antiquado, agora essa Ninja é fodastica em todos os aspectos!!

      • Marcos Gramelich

        Motor antiquado? Mais um que não conhece a proposta das 500 da Honda.. nunca tiveram objetivo de serem motos com velocidade final, sempre tiveram o mesmo objetivo das NC700X / NC750X ..motos fortes em baixa/média e econômicas… pra quem não quer correr (leia-se andar acima de 170) essas 500 são o melhor custo x benefício … econômicas, fortes, ágeis e a manutenção é pouca coisa mais cara que o de uma 250 (isso qdo há diferença visto que as revisões e trocas de óleo das 500 são a cada 12.000km enquanto das 250/300 geralmente são a cada 5).

        • Tom Costa

          Tem embreagem deslizante como a ninja? Já começa por aí.

        • Esquilo Tranquilo

          Só num pode andar em paralelepípedo pq quebra tudo. Experiência própria, com a minha antiga CB500X e seus penduricalhos padrão Honda, com 1 Mês quebrou os piscas por vibração e a honda me mandou tomar no forevis por “mau uso” e com a moto com 900km rodados na época.
          Nunca mais.

        • Gilson Mariano

          Na verdade revisões na Kawasaki a cada 3mil (Ninja 300) e Yamaha a cada 5mil (R3)

      • Francisco Vieira

        com 48 cv e somente 3,9 de torque??? ainda fico com a honda. (sem contar a rede de concessionárias bem mais extensa)

    • Marcos Gramelich

      2 propostas diferentes… eu tenho uma CB500F e não trocaria por nenhuma destas 300/320/400 na Kawasaki/Yamaha … a 500 tem mais torque, mais cc, mais cv e maior economia. As 500 foram baseadas no conceito das NCs, motos com força + economia, não foram motos concebidas para terem final… qq adianta a moto dar 200 e vc só usar isso em 1% do tempo que vc está com a moto? E nos outros 99% vc andar abaixo de 120? Meu uso atual é 100% urbano entre 80-115, vou precisar de uma moto que gira mais pra q? E quando ela tava original conseguia fazer entre 28-33km/l, coisa que NENHUMA destas que eu citei no início consegue. Hoje a minha está remapeada (56cv) e faz na faixa de 20-23km/l dependendo de como eu pilotar… ou seja, continua mais forte e continua tão econômica qto as citadas.

      • Tom Costa

        Só porque tem concepção de motor diferente significa que são propostas diferentes? As duas tem desempenho semelhante, preço semelhante, posição de pilotagem semelhante, tudo semelhante. E são propostas diferentes?
        Me desculpe mas você só está defendendo a sua compra, que para o SEU uso parece mais racional.
        A qualidade de construção das Kawasaki está acima da Honda, isso é fato, os materiais empregados idem.
        As condições de financiamento são melhores que da Honda, que sempre te cobra 2 motos pelo preço de uma.
        A única coisa que a Honda ganha é no número de css, mas o valor da manutenção é equivalente à Kawasaki.
        O que você busca em uma compra pode não ser o que busco.
        Das japonesas, em qualidade do produto considero a Honda em último.
        Na minha cidade comprar Honda tem que gostar muito, pois cobram um ágio indecoroso e os vendedores te tratam como se você fosse mulher de malandro.

        • Marcos Gramelich

          Quando fui comprar ia pegar a Ninja 300.. optei pela CB por conta do seguro (da Kawa ficou 3x mais caro) … depois de ter comprado a CB e ter andado em 4 Ninjas 300 diferentes após a compra eu agradeço o seguro ter ficado mais caro e ter me “forçado” a pegar a CB … só girar um pouco o punho que o torque já aparece… enquanto na Ninja (q tem giro alto) tem que enrolar e ter paciência até aparecer.

          • Ric53

            Está com uma baita moto amigo, sem dúvidas.

          • Ric53

            Aproveitando.. Estou cogitando pegar uma Ninja 300 abs, mas estou levando o valor para aquisição no mercado de usadas e o fato de comprar uma moto carenada com abs de valor acessível.

          • Tom Costa

            Tenho uma versys 650 2016 e o seguro ficou em menos de 2.000. Sua comparação com NC e nakeds realmente não tem nada a ver, a única concorrente da NC é justamente a versys 650. Aqui uma NC 750 custa módicos 40.000 e com taxas de juros nas alturas. A versys peguei por 32.500 dando 20% e 24 sem juros, isso não é possível na honda, nem em sonho. A única vantagem da NC sobre a versys é o consumo, mas a autonomia é a mesma que a versys, visto que a NC tem 14l e a versys tem 21l de tanque. Mas é uma moto muuuuito mais simples que a versys, não dá nem pra comparar. Pelo preço final de NC dá pra pegar logo uma bigtrail Vstrom 1000cc 17-18 zero, e com taxas muuuuito melhores que a honda.
            Eu nem olho pra consumo, comprar uma moto de alto valor e ficar sem sono por conta de consumo é melhor nem comprar e ficar na CG mesmo. A minha em velocidade de cruzeiro no limite das vias brasileiras faz 24km/l.
            Acabamento bem melhor, materiais nobres, ajustes de suspensão e parabrisa sem uso de ferramentas, balança de alumínio, suspensão dianteira invertida e de curso maior, e por aí vai.
            Inclusive não babo ovo pra marca, estou pensando em migrar pra Vstrom 1000.

            • Marcos Gramelich

              Eu meio que cogitei trocar a CB500F numa Versys 650 ou Ninja 650 … mas li vários relatos de problemas nesse motor (tipo vazamento na bomba d’água por quebra do eixo do balancim – algo assim) … procede esse problemas? Ou é só na ER6N/Ninja 650? … Vi que a Versys tem um pouco menos de torque/potência comparando com a ER/Ninja … mas acho que na prática só se deve notar essa diferença em velocidades bem altas, não?

              • Tom Costa

                Os problemas citados são no modelo antigo, com farol em formato de 8. No modelo novo o motor foi revisado, inclusive a vibração reduziu, acompanho diversos grupos da versys e zero problema no modelo novo. Fim do ano que vem vai mudar a geração da versys lá fora e vai adotar o novo motor com embreagem deslizante da nova z650.
                Quanto a potência reduzida, o motor é recalibrado nas versys pra ser um pouco mais suave e suportar as cargas maiores que a versys carrega, visto que além do garupa pode carregar também malas laterais e baú.
                Estou há 2 anos com a minha, só alegria.

                • visanpai

                  Também tenho uma 2016 e desde então nunca tive problemas. No período da seca vou ao trabalho com ela todos os dias. Na época (2016) queria uma CB500 ou a NC, mas foi naquela virada de preços da Honda que a CB saltou de 25 para 30 mil e a NC de 32 para 40, aí peguei a Versys por 36 (em BSB) em 24x sem juros.

            • João Paulo Pan Carlin

              Honda é honda pai, vais ver pra vender sua Kawasaki, se bem que sempre digo quem compra pensando em revenda melhor nem comprar, importante é curtir a maquina, mas Honda a gente perde bem pouco, em relação a NC, tenho uma 2018, seguro ficou 1380,00 pela sul america.

              • Tom Costa

                “Honda é honda” é com esse pensamento que as css honda enfiam com areia no preço final e ainda oferece financiamento digno de agiotagem. Nunca comprei moto pensando em revenda, não vou usar coisa inferior com preço premium só por causa do pensamento pequeno do brasileiro. Kawasaki, yamaha e suzuki tem valores FINAIS e condições bem melhores que a honda.
                Pagar 40.000 em NC depois de ter uma versys 650 a 33.000 não me parece nem de longe um bom negócio.

            • Tiago Mesquita

              32.500 Tom? Comprou quando? No mês passado com a “mega” promoção de Agosto só estava encontrando por até 34,990, isso ainda sem essa facilidade de dividir sem juros…

              • Tom Costa

                ah, foi quando comprei em 2016. Sem pressa, fiquei de olho nas oportunidades. Na Suzuki é a bola da vez, com taxas muito baixas ou mesmo zero.

        • Geruzzus Filho

          com a Kawa o atendimento não é muito diferente da Honda não. Tinha uma ER-6n 2010 que comprei 0km, tentei trocar em 2012 na MESMA loja em que comprei e recebi um sonoro “não, essa moto a gente não pega!”. E eles são péssimos de negócio aqui em Salvador-Ba.

  • Davi Millan

    Eu estava inclinado pela Duke 390. Mas agora essa Ninja 400 veio pra embaralhar tudo de novo, sem contar que a BMW G310 R corre por fora… ¡Ay Caramba!

    • dallebu

      Achei bonita, mas ano que vem irei de Duke 390, uma moto muito melhor pro dia-a-dia, leve, ágil, torcuda, econômica e mais confortável pra piloto e garupa, sem falar no design que parece uma moto conceito de tão futurista. A linha Ninja, assim com as Yamaha MT-03 e R3 são mais voltadas pro público esportivo que gosta de motor girador, o que não é o meu caso.
      A BMW 310 na minha opinião está um degrau abaixo em relação a Duke em tecnologia, desemprenho, sendo seu motor meio vibrador na estrada, é uma moto muito mais urbana, inclusive tem suspensão mais macia.

      • Davi Millan

        Então… eu sou desse tipo de cliente de mt-03, R3, ninja 300 (agora 400), mas a ciclística da duke 390 é tão fantástica que não tenho dúvidas que iria me agradar mais dela no dia a dia. Porém a Ninja 400 conta com a embreagem deslizante (acredito que tenha continuado agora na 400) que também é um ponto alto. No final das contas a briga será entre “gosto pessoal x feeling” e será decidida nos mínimos detalhes.

        Já sobre a bmw ela está aí só para não dizer que estou em uma escolha binária, além de ser fã da marca no geral, mas só por isso mesmo, porque acho as duas muito superiores a ela.

    • Marcos Gramelich

      BMW G310R… taí uma moto que eu não cogitaria nem de brincadeira… nem BMW ela é .. é TVS (fabricante indiana) com a logomarca da BMW … sem contar que em termos de desempenho ela não anda junto nem com a Z300

      • Davi Millan

        Bom, entre as três a bmw é a aquela que está ali só para não dizer que estou entre uma ou outra e porque eu gosto da marca em geral, mas não há dúvidas que ela é muito inferior às duas.

        Agora entre duke 390 e ninja 400 eu vou te falar que não sei qual escolheria, mesmo o estilo das ninja serem meu estilo preferido, mas a ciclística da duke é tão boa que encanta e não tenho dúvidas que tornaria o convívio com ela muito bom no dia a dia.

        • Marcos Gramelich

          Dependendo do uso, a Duke seria melhor (se for uso mais urbano).. mas se viajar/pegar estrada.. a Ninja acredito que seria melhor.. até pela proteção aerodinâmica pra desviar ventos em alta.

  • Baetatrip

    Belissima moto!
    Torque a rotação e superior a potencia maxima (11.000rpm contra 10.000rpm?)
    Nao seria contrario?

  • Maycon Farias

    Já quero pra ontem. Tenho uma ninja 2011 que me dá 33cv e ja acho ela perfeita. Essa 400 deve ser uma delícia. 3 anos com a marca sem problemas nenhum. Satisfação total.

  • zarath rocha

    Achei a descrição desse motor fantástica… mas funciona com a gasoágua brasileira ?

  • Louis

    Muito bonita, preço bom. Dá até vontade de fazer uma “loucura” e comprar uma rsrsrsrs

  • Ubiratã Muniz Silva

    aumentou motor, subiu de preço. tá na hora de voltarem a oferecer uma 250/300 como opção mais em conta.

    • anonbr666

      Está parelha com os preços das concorrentes. Lá fora essa Ninja 400 substituiu a 300 (que por sua vez havia substituído a 250) e é a menor da linha Kawasaki. A Kawa não tem produtos exclusivos para o Brasil, sendo assim, se não houver planos de ter uma moto menor global, não haverá opção mais em conta aqui desta marca.

  • anonbr666

    Tive uma Ninja 300, excelente moto. Ágil, fácil de pilotar, compacta.

    O problema em si está nas vias e no risco que é andar de moto no Brasil, por isso optei por vender. Mas vendo essas imagens da Ninja 400, o senso de irresponsabilidade passa a tomar conta e a mão passa a coçar rs.

  • Eng Turbo

    Essa moto está sem concorrentes, quando comparada a outras da mesma categoria, mono ou bi-cilindricas. Oferece mais por menos.
    Das motos até 500cc, temos (Pela ordem de custo x beneficio)

    1 – Ninja 400
    2 – YZF R3 / MT-03
    3 – Duke 390
    4 – G310 R
    .
    .
    .
    .
    .
    x – CB500

  • Kleber Andrade

    Esta configuração provavelmente estarão presentes nas novas Z400 e versys x400, com os devido ajustes a cada modelo. Ficou linda, o painel é show…

    • Tiago Mesquita

      Com certeza me interessaria pela proposta de uma versys 400, mas é preciso ver o preço, se ficar 28,29k já fica mais interessante partir pra outras opções…

  • João Paulo Pan Carlin

    vendo os comentários em comparação a CBR 500 R
    já começa que Honda é Honda né pai.
    Mas a Ninjinha pra muitos entusiastas deuses pai da velocidade e do escape direto barulhento na cabeça vai bem, sempre encontro uma ninjinha na rua acelerando ate cortar na minha cabeça, aquele barulho gostoso, quase nada irritante, imagina agora que aumentou alguns cilindros, vai urrar mais forte, eita nós…

    • Geruzzus Filho

      Realmente é um barulho de matar, um “dois cilindros” com escapamento esportivo. O som é enfeiado 100x e fica altíssimo! Causa dor nos ouvidos. Já tive ER-6n e adorava o som original, que ficava quase liso após as 5.000Rpm. Já com “esportivos”… que booooooossssta ficava o som dessa moto.

  • José Luiz Júnior

    Por que não um pneu 150 na traseira? Esse 140 deixa a moto com traseira de CG.

    • Geruzzus Filho

      Menos né?! A CG usa um 100. A CB Twister é que usa o mesmo pneu.

      • José Luiz Júnior

        Mas são motos menores. Leve em consideração. Nessa que tá mais parruda por causa do motor e carenagens fica ridículo

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email