Melhor SUV: custo-benefício (2021)

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

Qual é o melhor SUV? Essa é uma pergunta muito comum e, ao mesmo tempo, bem complicada para ser respondida. Afinal, estamos falando de um assunto que tem muitas variáveis.


Em termos de opinião, seria impossível agradar a todos – cada um tem uma e é por isso que deixamos de lado os resultados de Avaliações NA para estabelecer critérios específicos para essa matéria.

Não levamos em conta nossas experiências ao volante, exatamente para que haja imparcialidade total entre os modelos, visto que alguns deles nunca passaram pela Avaliação NA. Dessa forma, esperamos levar ao leitor a informação com base em dados técnicos das diversas opções existentes no mercado, que moldam o custo-benefício de cada produto.

Assim, eis os critérios que estabelecemos para comparar as ofertas de SUVs no mercado brasileiro. Focamos na faixa de preço onde a maior parte das vendas estão concentradas e isso significa elegermos os modelos que custem entre R$ 70.000 até R$ 160.000.

Pode não parecer, mas existem muitos modelos diferentes nesta categoria, indo desde crossovers até utilitários esportivos de médio porte. Os chamados “jipes” foram deixados de lado por serem muito focados no fora de estrada.

Outro ponto importante: nossa classificação de SUVs está de acordo com o que a Fenabrave, que divulga as listas dos modelos mais vendidos, relaciona nesse segmento. A única exceção foi o Ford Ecosport, que ficou fora de nossa lista por ter saído de linha em 2021.

Dos aspectos mais lembrados ao comprar um SUV, o preço é sem dúvida fundamental. O mesmo em relação à potência e torque, assim como desempenho, consumo e porta-malas.

Em termos de conteúdo, o “básico” é oferecido em todos, mas airbags adicionais, multimídia, piloto automático e controles de tração e estabilidade são importantes itens que fazem a diferença na hora da compra.

Entre tantos modelos, focamos nos 10 mais vendidos no primeiro semestre de 2021, visto que o custo-benefício desse grupo é evidentemente observado pelo consumidor através do maior volume de vendas.

Juntos, eles somaram 244.071 unidades entre os 40 modelos listados pela Fenabrave, que totalizaram 316.530 unidades vendidas nos doze meses do ano. Ou seja, o grupo dos 10 mais vendidos acumulou 77,11% desse mercado apontado pela associação dos revendedores.

Na lista abaixo, sem dúvida o preço é um denominador fundamental, mas não basta apenas isso. Também levamos em conta o custo-benefício, equipamentos, motorização, câmbio e segurança. Confira!

Melhor SUV: custo-benefício

1) Nissan Kicks – R$ 114.490

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

Na versão Advance com Pack Plus, o Kicks 2022 já dispõe de seis airbags, controles de tração e estabilidade, multimídia de 8 polegadas, piloto automático, ar-condicionado, chave inteligente, bancos em couro “gravidade zero”, câmera de ré e rodas de liga leve de 17 polegadas.

Com 432 litros no porta-malas, o Kicks tem motor 1.6 16V de 114 cavalos e 15,5 kgfm, tanto na gasolina quanto no etanol, equipado com transmissão CVT Xtronic. O crossover vai de 0 a 100 km/h em 11,8 segundos e tem velocidade final de 175 km/h. O consumo médio é de 8,4 km/l no etanol e 12,4 km/l na gasolina.

2) Chevrolet Tracker – R$ 127.390

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

A versão escolhida no caso do Chevrolet Tracker é a Premier 1.0 Turbo. Essa versão agrega uma farta lista de equipamentos de série, incluindo no quesito segurança, e vem com o motor 1.0 turbo de 116 cv e 16,8 kgfm de torque, com câmbio automático de seis marchas.

Seu desempenho é um dos melhores da categoria, com 0 a 100 km/h em 10,9 segundos e máxima de 177 km/h (isso sem contar que ainda existe a versão 1.2 turbo). O consumo médio com etanol é de 8,9 km/l e com gasolina fica em 12,8 km/l.

Na versão Premier 1.0T, o Tracker 2022 vem com seis airbags, controle de estabilidade e tração, ar-condicionado digital, MyLink de 8 polegadas com Android Auto e Apple Carplay sem fio, rodas de 16 polegadas, câmera de ré, alerta de ponto cego, sensor crepuscular, sensor de chuva, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, carregador wireless, estacionamento automático, entre outros.

3) Volkswagen Nivus – R$ 105.260

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

A grande vantagem do Nivus é que seu preço é inferior à média dos SUVs mais vendidos, já que a Volkswagen o coloca abaixo do T-Cross em sua gama de utilitários. Isso faz com que sua versão Comfortline custe R$ 101.090, sendo um dos mais baratos por aqui.

Para melhorar ainda mais seu custo-benefício, elencamos essa versão equipada do pacote opcional VW Play & Tech (R$ 4.170), que agrega a nova central multimídia de 10 polegadas, piloto automático adaptativo com frenagem de emergência e o novo volante multifuncional em couro com shift-paddles.

Além disso, o Nivus vem com seis airbags, controle de estabilidade e tração, câmera de ré, faróis e lanternas em LED, rodas de liga leve de 16 polegadas, entre outros.

Com o conhecido motor 1.0 TSI de 128 cv e 20,4 kgfm, associado ao câmbio automático de seis velocidades, ele chega aos 100 km/h em 10 segundos e atinge 189 km/h de velocidade máxima. O consumo médio com etanol fica em 8,5 km/l e com gasolina é de 11,9 km/l.

4) Jeep Renegade – R$ 130.210

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

O Renegade atende aos requisitos desta matéria de custo-benefício apenas na versão Longitude (R$ 126.590), que inclui os itens necessários, entre eles airbags laterais e cortina (opcionais por R$ 3.620), controles de tração e estabilidade e piloto automático. Ele também oferece multimídia.

Na mecânica, motor E.torQ 1.8 Flex com até 139 cavalos e 19,3 kgfm, além de câmbio automático de seis marchas. De 0 a 100 km/h, o SUV precisa de 10,2 segundos e tem final de 182 km/h. O consumo médio é de 7,9 km/l e 11,6 km/l, respectivamente etanol e gasolina.

Seu porta-malas tem 320 litros e dispõe ainda de navegador GPS, Start&Stop, ar-condicionado dual zone, limitador de velocidade, rodas de liga leve e freio de estacionamento eletrônico. O valor total, com o pacote opcional dos airbags, vai para R$ 130.210.

5) Hyundai Creta – R$ 117.420

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

Para ter os itens exigidos nesse comparativo de custo-benefício, o Creta precisa da versão topo de linha Prestige, que custa R$ 117.420. Nela, o cliente leva motor Nu 2.0 DVVT com até 166 cavalos e 20,5 kgfm, além de câmbio automático de seis marchas.

Com isso, ele vai de 0 a 100 km/h em 9,7 segundos e máxima de 188 km/h. O consumo é de 7,5 km/l no etanol e 10,7 km/l na gasolina. O crossover tem 431 litros no bagageiro. Vem com piloto automático, seis airbags e controles de tração e estabilidade.

Tem ainda multimídia e controle de cruzeiro, além de Android Auto e Apple CarPlay, câmera de ré, carregador wireless, bancos em couro, banco do motorista refrigerado, saídas de ar no banco traseiro, Start&Stop e ar-condicionado automático.

O único opcional para esse modelo é a Smart Key Band, uma chave presencial em forma de pulseira que também funciona como smartwatch, elevando o preço final do carro para R$ 118.290.

6) Volkswagen T-Cross – R$ 117.850

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

O T-Cross é o outro modelo da VW em nossa lista, mas a marca peca por oferecer muitos opcionais para seu SUV. De início pode parecer algo interessante poder equipar o carro do seu jeito, mas a verdade é que o consumidor acaba ficando confuso com tantas opções.

Sendo racional, a melhor compra entre as versões do SUV é o T-Cross 200 TSI Automático. Sim, estamos falando da versão de entrada, com a adição do pacote Interactive IV, que custa R$ 2.560 e inclui câmera de ré, espelhos eletricamente ajustáveis e rebatíveis, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e rodas de liga leve de 17 polegadas.

Fora isso, essa versão já é equipada com tudo o que os outros modelos dessa lista tem, como controle de tração e de estabilidade, seis airbags, assistente de partida em rampa, ajustes na coluna de direção e banco do motorista, direção elétrica, sensor crepuscular, central multimídia, entre outros.

Além disso, apesar do motor 1.4 da versão topo de linha ser mais forte, o 1.0 TSI dá conta do recado tranquilamente, além de entregar boas médias de consumo. Esse propulsor tem 3 cilindros, 128 cv e 20,4 kgfm de torque, com transmissão automática de seis marchas. Lembrando que o T-Cross ainda tem uma opção mais barata, com câmbio manual de seis marchas.

7) Honda HR-V – R$ 131.800

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

Para preencher os atributos do Melhor SUV: custo-benefício, o HR-V precisa da versão EXL, que custa R$ 131.800. Nesta versão, vem com seis airbags, controles de tração e estabilidade, piloto automático e multimídia.

Equipado com motor 1.8 i-VTEC FlexOne, o crossover tem até 140 cavalos e 17,4 kgfm, respectivamente com gasolina e etanol, já que é o único que é mais potente no derivado de petróleo. Vai de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos e tem máxima de 175 km/h.

O consumo médio é de 8,15 km/l no etanol e 11,65 km/l na gasolina. Tem 437 litros no porta-malas. Oferece faróis full LED, freio de estacionamento eletrônico, assistente de partida em rampa, GPS, bancos em couro, ar-condicionado automático e câmera de ré.

8) Jeep Compass – R$ 146.990

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

O Jeep Compass Sport sai por R$ 146.990 e atende aos requisitos, tendo o novo motor 1.3 Turbo Flex de até 185 cavalos e 27,5 kgfm, além de câmbio automático de seis marchas.

Com esse conjunto, ele vai de 0 a 100 km/h em 8,8 segundos, com velocidade final de 207 km/h. Seu consumo médio é de 8 km/l com etanol e 11,3 km/l com gasolina.

Além do novo visual, ele tem seis airbags, faróis automáticos, multimídia de 8,4 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay sem fio, ar-condicionado digital dual zone, controle de tração e estabilidade, câmera de ré, rodas de 17 polegadas, sensor de chuva, volante em couro, entre outros.

9) Toyota Corolla Cross – R$ 146.590

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

O Corolla Cross oferece tudo o que precisa para entrar nessa lista logo em sua versão de entrada, mas ela é bem cara: R$ 146.590. Ainda que seja o único modelo entre os 10 mais vendidos com versões híbridas, elas tem um preço ainda maior, começando em R$ 181.190.

Mas com a opção citada aqui, a XR, o japonês já oferece sete airbags, multimídia de 8 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, rodas de 17 polegadas, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas, faróis automáticos, ar-condicionado digital automático, entre outros.

Com base mecânica idêntica ao Corolla, o SUV oferece o motor 2.0 de 177 cv e 21,4 kgfm de torque, ligado ao câmbio CVT de dez velocidades. Com esse conjunto, ele chega aos 100 km/h em 9,8 segundos e tem máxima de 195 km/h. O consumo médio é de 8,5 km/l no etanol e 12,1 km/l na gasolina. O porta-malas tem 440 litros.

10) Renault Duster – R$ 113.090

Melhor SUV: custo-benefício (2021)

O novo Duster Iconic 1.6 CVT é a opção mais completa do SUV que traz piloto automático, controle de tração e estabilidade e multimídia, mas não vem com airbags laterais e nem de cortina. Tem GPS, câmera de ré, rodas de liga leve, faróis de neblina, comandos de áudio no volante, função Eco e limitador de velocidade.

O motor SCe 1.6 tem até 120 cavalos e 16,2 kgfm, obtido tanto na gasolina quanto no etanol. O câmbio CVT é o Xtronic e o porta-malas tem 475 litros. Renovado visualmente, o novo Duster deve ter um alívio frente à pesada concorrência, mas a Renault errou feio ao oferecer apenas dois airbags até na versão mais cara.

Além disso, o SUV ficou muito mais caro nos últimos meses, o que o fez perder seu anterior custo-benefício acima da média. Com isso, fica na última posição em nossa lista.

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.