Manutenção Matérias NA

Qual é a diferença entre turbo e compressor / supercharger?

Qual é a diferença entre turbo e compressor / supercharger?

O turbo de motores teve três pessoas envolvidas em sua criação: Gottlieb Daimler, Rudolf Diesel e Alfred Büchi. Gottlieb foi o primeiro a patenteá-lo em 1885. Ele apresentou o projeto de pré-comprimir o ar atraído aos cilindros.


Em 1896, Rudolf Diesel, engenheiro mecânico e inventor do motor a diesel, repetiu a ideia. Já em 1905 entra em cena o engenheiro suíço Alfred Büchi. O modelo criado por Büchi segue exatamente o que usamos hoje, mais moderno.

No mesmo ano de apresentação do seu turbo, o engenheiro suíço deixou um comunicado junto com a patente de como ele funcionava: é uma máquina reciprocante onde a energia dos gases evacuados pelo motor aumenta o fluxo da fusão de ar-combustível, isto é, a energia cinética dos gases de escape deslocaria um eixo ligado a uma turbina, que utilizaria como pré-compressor para o ar recepcionado pelos cilindros.

Qual é a diferença entre turbo e compressor / supercharger?


Ainda em sua história, uma locomotiva a diesel foi o primeiro veículo a ser equipado com motor com turbocompressor. Eles eram muito comuns em motores ferroviários, aeronáuticos e marítimos.

Já o supercharger, também conhecido como compressor, surgiu em meados de 1860 criado pelos irmãos Philander e Francis Marion Roots. Os primeiros modelos fabricados com ele: Mercedes-Benz de 6, 25, 40, 10 e 65 cavalos. Todos esses de série em 1921.

Qual é a diferença entre turbo e compressor / supercharger?

Chegada do turbo aos automóveis de 4 rodas

Apenas em 1938 que a motorização turbo chegou na indústria automobilística. A fabricante suíça de caminhões e ônibus, Saurer, lançou para caminhões o motor turbodiesel. Ainda assim, ele só chegou nos carros de passeio após duas décadas, com uma escala pequena no automobilismo.

A Cummins, empresa especializada em produção de motores a diesel e geração de energia, colocou em 1952, um carro de corridas com motor turbodiesel para correr na 500 Milhas de Indianápolis. Infelizmente, a empresa não venceu, entretanto conseguiu percorrer todas as 500 milhas e, para surpresa de todos, sem parar uma vez sequer no pit stop.

A Chevrolet foi fundamental para a inclusão dos veículos de passeio no mundo dos turbos. A montadora norte-americana lançou em 1962 a versão do Spyder do Corvair Monza. O modelo contava com um motor flat-6 de 2.4L mais um turbocompressor que proporciona 151 cv de potência.

Diferenças no funcionamento do turbocompressor e supercharger

Qual é a diferença entre turbo e compressor / supercharger?

A turbina pode ser chamada também de turbocompressor ou turbo. Já o supercharger é conhecido fora do Brasil apenas como compressor. Basicamente, os dois têm a mesma proposta, ao invés de ser um motor aspirado natural, o supercharger, assim como o turbocompressor, empurra ar para dentro do motor com muita força.

Um carro com motor aspirado funciona por aspiração natural, ou seja, o ar que entra no motor é o da pressão atmosférica. O turbo ou supercharger comprime o ar colocando mais pressão para dentro no motor. Com essa densidade maior, ele consegue, consequentemente, ganhar potência. Para isso é necessário aumentar a mistura ar / combustível e com o turbo/supercharger isso fica mais fácil.

Para entender em detalhes como essa parte técnica funciona, os gases de escape são evacuados pelo motor (jogados para fora) e passam por dentro do turbo pela parte quente do equipamento também conhecida como carcaça quente.

Ao mesmo tempo, ele aciona o rotor também chamado de turbina. Por meio de um eixo, essa turbina, ativa o compressor que suga o ar e comprime-o enviando para dentro do motor do veículo.

Qual é a diferença entre turbo e compressor / supercharger?

Os modelos que vêm de fábrica com ele, geralmente, possuem uma refrigeração por água. O mesmo líquido que faz a refrigeração do motor cumpre a função com o turbocompressor.

A dimensão também pode ter, na prática, uma diferença. Quanto maior o tamanho, mais potência ele pode gerar para o motor. O supercharger faz a mesma coisa, entretanto, a grande diferença é que ele não utiliza nada do sistema de escape para funcionar.

Aí vemos uma diferença fundamental entre o turbo e o compressor. O turbo usa gases do escapamento para impulsionar o motor, e o compressor usa o ar do ambiente para essa função.

Qual é a diferença entre turbo e compressor / supercharger?

Um tipo de supercharger é o compressor mecânico e o outro é o compressor centrífugo. Ao abrir o capô, será possível notar que o supercharger vai preso no coletor de admissão, geralmente em cima do motor, e a turbina fica no coletor de escape, em uma posição mais escondida.

Carros com gás natural veicular (GNV) não são recomendados a ter o acessório, mas no geral, não há restrições para a instalação.

No Brasil, o turbocompressor é o componente mais usado. Nele é possível tirar mais potência com menos investimento, o que o torna mais popular. Thais Romio, sócia-proprietária da MVS Preparações, que trabalha há 11 anos no setor, explica que o supercharger é um tipo de preparação que não possui muita procura devido ao preço, isto é, mais caro. O valor elevado se dá ao compressor ser importado.

Atualmente não encontramos supercharger novo à venda, apenas usado. Isso porque não há produtores/marcas nacionais. Houve uma época em que ele tinha uma fabricação de apenas um modelo: M24. Ele era equipado no Ford Fiesta e no EcoSport. Além disso, o M24 era recomendado para carros com motor 1.0 porque ele vai até cerca de 120 cv de potência, explica Thais.

Trabalhar com uma preparação de cabeçote, escapamento e coletor de escape irá gerar ainda mais potência. Se você pretende ganhar mais potência ou tem um motor maior, terá que procurar um compressor / supercharger grande e com isso haverá custos ainda maiores.

Média de preço de instalação de um turbo ou supercharger

Os preços podem variar de acordo com o carro que será equipado. Se for um motor 4 cilindros será um valor, assim como um 6 cilindros, por exemplo, será outro. Em média, poderá gastar cerca de R$ 15 a 20 mil se for um supercharger, ou até mais.

Já no turbo também há variação conforme o modelo e como você irá trabalhar no carro, é importante o proprietário pensar em parte de injeção eletrônica e escapamento. Sua média, assim como o supercharger, pode chegar a R$ 15 mil – para trabalhar em uma motorização 4 cilindros, embora instalações de baixa qualidade por aí terem preços bem menores.

A instalação de um projeto básico, comparando com os valores passados acima pela especialista da MVS, pode demorar em torno de 15 a 20 dias.

Qual é a diferença entre turbo e compressor / supercharger?
Nota média 3.7 de 6 votos

18 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

    • Boa tarde Ricardo.
      Num motor aspirado bielas, virabrequim, pistões, embreagem, câmbio e árvore de transmissão são dimensionados para um certo esforço e lubrificação. Quando aplicamos turbo ou compressor neste mesmo motor os esforços gerados serão muito maiores e consequentemente a durabilidade do conjunto será menor. Não existe milagre.

    • Não só de V8 mas de qualquer motor que usa ele, porque justamente ele reaproveita parte desses gases e meio que o som é encoberto pelo assobio da turbina, diferente do motor aspirado que, embora não renda tanto quanto o Turbo, é difícil um motor turbinado soar tão bonito quanto um motor aspirado com corpo de borboleta individual (ITB), comandos preparados, coletor de exaustão preparado (ou unequal) e direto, além de um belo acerto de injeção.

      É minha escolha favorita a preparação aspirada, além de ser menos arriscada que o Turbo, é um tipo de preparação muito mais confiável e mais leve que por indução forçada.

    • Sim, a audi teve no A1 um motor 1.4 de 182 cv que possuía turbo e compressor. Foi substituído posteriormente pelo 1.8 turbo FSI de 192 cv. Acredito que isso ocorreu por ser o 1.8 turbo FSI um motor mais simples, de fabricação e manutenção mais barata.

    • O Delta S4 dos tempos de Rali do Grupo B também usava os dois. É uma configuração bem rara mas é possível usar os dois, pois como o texto deixou de citar dois fatos bem importantes, o compressor mecânico é tocado pela correia ligada direta ao virabrequim, ou seja, ele rende muito bem em baixa, e o Turbo somente em alta porque depende da saia dos gases de escape pra começar a “funcionar”, embora hoje em dia temos Turbo que rendam bem em baixa, mas o melhor é o compressor mecânico pra baixa porque ele já começa a comprimir o ar desde as baixíssimas rotações, por isso esse é tão comum em carros americanos, que é um povo que previlegia torque em baixa.

  • As vezes não é necessário nem botar um turbo no carro, Só precisa mesmo melhorar o diâmetro do corpo da borboleta e a.admissao… O carro já ganha 40cv

  • Falou, falou mas não falou nada do compressor mecânico que é tocado por uma correia ligada direta ao virabrequim, ou seja, ele rende muito bem em baixa, e o Turbo somente em alta porque depende da saída dos gases de escape pra começar a “funcionar”, embora hoje em dia temos Turbo que rendam bem em baixa, mas o melhor é o compressor mecânico pra baixa porque ele já começa a comprimir o ar desde as baixíssimas rotações, por isso esse é tão comum em carros americanos, que é um povo que previlegia torque em baixa.

      • Então, por isso comentei que hoje em dia os turbos funcionam desde baixíssima rotação, mas antigamente não era tanto assim, por isso que até mesmo os compressor mecânico caíram em desuso. Mas isso vem de uns 5, 6 anos pra cá, porém o legal dos compressores é ouvir o zunido da polia, que é tipo um “weeeeeeeeeeeee”, melhor exemplificado nesse vídeo:
        https://youtu.be/VdciiPPP6Jo

    • Como em tudo na engenharia, a resposta é: depende..

      O intercooler serve basicamente para diminuir a temperatura, e consequente desgaste das peças e perca de eficiência no motor.. Por que depende? Depende da posição em que o turbo está, de sua pressão, quantos serão utilizados e por ai vai.. A partir daí, verifica-se ou não a necessidade da utilização do intercooler, com base na quantidade de calor produzida no motor..

      Quanto aos compressões, a função é mesma: gerar mais potência/torque para o motor.. Contudo, cada qual vai depender da engenharia do carro, o centrífugo ocupa menos espaço, por ser mais compacto, mas o compressor mecânico convencional pode aguentar mais, em termos de durabilidade e força.

      Abs

  • Veja o seguinte: o turbocompressor utiliza uma energia que seria desperdiçada pelo motor. Já o supercharger ou compressor acionado por polia, depende do motor. O que isso significa? Uma perda na ordem de 30% apenas para o supercharger operar. Pode parecer pouco, mas nos Top-Fuel, a potência que os monstruosos compressores demandam, chamada de potência parasita, atinge os 500 cv! SIM! 500 cv só para funcionarem!
    Com o downsizing, temos turbocompressores com baixíssima inércia e tecnologias de ponta, que permitem obter elevados torques e potências mesmo a baixas rotações.
    Olhe o motor 1 litros TSI. Ele apresenta 16,8 kgfm de torque a ridículos 1500 RPM!
    Por isso, tirando o saudosismo, um Hellcat é bacana com a clássica sonoridade “Whine”.
    Agora, experimenta trocar por um sistema com Turbocompressor. O rendimento é maior e mais eficiente.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email