Listas Top 10 Mercado Tecnologia

Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

Muito se fala hoje em dia em downsizing, que é a tendência de redução no tamanho dos motores, mas com foco na economia e na performance. Mas como? Com a introdução de turbocompressor, intercooler e, na maioria dos casos, injeção direta de combustível. Quando se comenta sobre o assunto, uma das primeiras coisas que vem à mente é o motor 1.0 turbinado com economia superior ao aspirado, potência de 1.6 e desempenho de 2.0.



No passado, o Brasil chegou a ter carro nacional com motor 1.0 litro turbinado. Isso aconteceu no começo dos anos 2000, quando a Volkswagen introduziu o EA111 1.0 (de quatro cilindros) 16V Turbo, que entregava 112 cv e 15,8 kgfm com gasolina. Era um motor à frente do seu tempo, visto que nem era usado na Europa e aqui serviu aos modelos Gol e Parati. Para a época, era uma maravilha tecnológica, mas hoje seria apenas uma necessidade.

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

Se o mercado tivesse aceitado esse motor, provavelmente hoje em dia teríamos carros muito mais sofisticados tecnologicamente e com níveis de consumo e performance bem superiores. A Ford seguiu a Volkswagen pouco depois, mas com um 1.0 Zetec Rocam Supercharger, que entregava 95 cv e 12,6 kgfm, mas utilizava um compressor volumétrico (abandonado anos antes pela VW) para elevar os números de seu 1.0 litro. Não pegou por ser considerado fraco.

Outro que apareceu com proposta semelhante, mas em outro nível, foi a Smart – atualmente fora do mercado – que comercializou o Fortwo nas versões cupê e conversível com motor 1.0 de três cilindros com turbo, mas injeção indireta, entregando 84 cv e 12,2 kgfm. Com exceção da Volkswagen, essas marcas tinha torque máximo em rotações bem altas, quase como se fossem aspirados. Nos Gol e Parati, isso era obtido em 2.000 rpm, o mesmo que ocorre hoje no 1.0 TSI.

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

Falando nele, o motor da Volkswagen está em mais da metade da pequena oferta de motores 1.0 Turbo no mercado brasileiro. Das sete opções, quatro são da marca alemã, um da Ford e dois da Hyundai. No entanto, essa oferta deverá ser ampliada nos próximos anos. Já se sabe que a General Motors, por exemplo, está desenvolvendo um Ecotec Turbo 1.0 para o Brasil, enquanto se espera que a Ford amplie a oferta do famoso EcoBoost 1.0. Na Hyundai, o Kappa 1.0 Turbo nacional é uma adaptação do T-GDi e por isso tem injeção normal. Se aguarda algo mais moderno.

Renault, Fiat e Honda são algumas marcas que já possuem ou estão trabalhando com motores desse nível, apesar de que o foco de outras esteja no desenvolvimento de motores com volumes maiores, especialmente na casa de 1,3 litro. No caso dos motores 1.0 turbinados, todos têm três cilindros, diferente das propostas de maior volume. Então, se não há outra opção no momento, vamos aos que já estão disponíveis para o consumidor brasileiro.

1) Volkswagen up! TSI

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

O Volkswagen up! TSI foi quem abriu o mercado brasileiro para essa nova geração de motores 1.0 turbinados, embora os modelos da Smart já tivessem saído do mercado. Porém, eles eram de nicho e não tinham injeção direta de combustível e muito menos tecnologia flex. O pequenino da VW também impactou diretamente na concepção do consumidor em relação ao motor turbo, quando o custo de revisão à época teve um acréscimo de apenas R$ 25,90. Ou seja, como se fosse um litro de óleo a mais.

Com 101 cv na gasolina e 105 cv no etanol, o EA211 R3 do Volkswagen up! TSI tem potência equivalente ao do velho EA111 1.6 8V, mas com duplo comando variável, injeção direta, turbocompressor, intercooler e três sistemas de refrigeração em separado, o propulsor entrega 16,8 kgfm a 2.000 rpm. Dotado de cinco marchas, o modelo ganhou não só uma pequena de carro esportivo, mas economia superior à versão aspirada 1.0 MPI. Mesmo com câmbio longo, focado no consumo menor, o up! TSI vai de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos.

2) Volkswagen Polo TSI

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

O motor é o mesmo, mas com algumas mudanças. O conjunto tem alterações no intercooler e injeção, entre outros, sendo a mesma concepção do Golf TSI, mas entregando um pouco mais de potência com etanol: 128 cv. Na gasolina, são os mesmos 116 cv. Já o torque máximo não muda em relação ao hatch médio: 20,4 kgfm a 2.000 rpm. Apesar dessa rotação, a força quase máxima aparece por volta dos 1.500 rpm. No Polo 2018, o EA211 R3 só trabalha com o câmbio automático Aisin de seis marchas com sistema Tiptronic de mudanças manuais na alavanca ou no volante. Tão frugal quanto no up! TSI, ele permite ao hatch ir de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos.

3) Ford New Fiesta EcoBoost

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

Muito aguardado por aqui e até para uso em outro modelo, o motor EcoBoost 1.0 da Ford só está disponível para o New Fiesta. Antes da atualização deste, havia duas versões com esse motor, mas agora é somente a Style e ainda equipada com transmissão de dupla embreagem de seis marchas, a conhecida Powershift, desenvolvida pela alemã Getrag.

Apesar das críticas ao câmbio, o hatch tem no motor turbo sua maior vantagem, respondendo bem em baixa e nas retomadas, crescendo também com vigor. Abastecido apenas com gasolina, ele é o mais potente proporcionalmente da categoria, entrega 125 cv no derivado de petróleo, mas “apenas” 17,3 kgfm, porém, a 1.400 rpm. Na média dos outros, faz de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos.

4) Volkswagen Golf TSI

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

Já presente na Europa, aqui restou a dúvida até que a VW confirmou. Pela primeira vez no mercado nacional, um hatch médio ganhou um motor 1.0 turbinado e esse é o mesmo 1.0 TSI dos demais carros da marca. Porém, o Volkswagen Golf TSI tem potência com etanol limitada em 125 cv. Na gasolina é 116 cv. O torque é o mesmo para os dois combustíveis, assim como acontece nas outras variantes ao mesmo. Com boa força em baixa e retomadas sem delongas, o modelo utiliza um câmbio manual de seis marchas e oferece aquilo que o cliente de Polo e Virtus querem, que é o casamento 1.0 TSI com câmbio manual. Esse conjunto permite ao hatch ir de 0 a 100 em 9,7 segundos.

5) Volkswagen Virtus TSI

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

O novo sedã da VW também não ficou de fora no caso do motor EA211 R3. Com três cilindros e arquitetura em alumínio, o motor 1.0 TSI garante os mesmos números do Polo TSI, igualmente trabalhando com o Tiptronic de seis marchas. Com ele, o sedã vai de 0 a 100 km/h em 9,9 segundos. Manual? Por ora não haverá essa opção, mas existe a chance disso acontecer com a chegada da versão de apelo esportivo GTS, já confirmada pela marca e que também estará presente no Polo. Com seis marchas e relações mais curtas, ambos poderão aproveitar mais a energia do 1.0 TSI com calibragem ajustada para essa pegada, podendo assim baixar mais o tempo de aceleração e retomada.

6) Hyundai HB20 Turbo

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

A Hyundai quis economizar e acabou por entregar a pior oferta de motor 1.0 turbinado do mercado. O HB20 Turbo emprega o mesmo Kappa 1.0 de três cilindros da versão aspirada, mas com algumas modificações e um turbocompressor com intercooler. Apesar disso, o propulsor gera 98 cv na gasolina e 105 cv no etanol. Não é ruim, mas o torque é de apenas 13,8 kgfm na gasolina e 15,0 kgfm no etanol, apesar de começarem a 1.500 rpm. Vai de 0 a 100 km/h em lentos 11,2 segundos.

7) Hyundai HB20S Turbo

speed-up-1 Top 7: Carros 1.0 turbo vendidos no Brasil

Assim como no hatch, o HB20S Turbo não tem o desempenho esperado com motor 1.0 turbo e mesmo tendo câmbio manual de seis marchas, suas relações são longas para focar no consumo. Na condução, nada de força extra, tendo uma tocada semelhante ao de um motor 1.5 ou 1.6 aspirado. Ainda assim consegue manter a mesma aceleração do hatch.

5.0

COMPARTILHAR:
  • Louis

    Uma dúvida se alguém souber responder: se em um motor turbo desses, a turbina travar ou quebrar, o carro consegue andar até chegar na oficina, mesmo com menos potência?

    • Rodrigo

      Sim. São sistemas independentes do motor. Na pior das hipóteses se sentiria uma queda abrupta da potência /torque do motor.
      Mas antes de isso acontecer vc certamente evitaria um som diferente ou mesmo alguma mensagem de erro no painel do carro, indicando problema no motor.

      • RRodrigo Souza

        se travasse por exemplo o pessoal fala que o 1.0 turbo teria um desempenho de 1.4 ou 1.6 por exemplo, travando a turbina ele seria apenas o 1.0 tradicional ou ele ficaria com menos desempenho em relação a um 1.0 tradicional ?

        • F30FLORIPA

          Acredito que o desempenho seria pior que o de um 1.0 tradicional pois a admissão de ar ficaria prejudicada.

          • RRodrigo Souza

            entendi, mas conseguindo chegar numa oficina para consertar é o mais importante, pois imagina que o carro quebre de madrugada em local perigoso, conseguindo andar até algum lugar seguro é o que importa

          • Rodrigo

            Nos motores desenvolvidos para funcionar com sobrealimentação há redundâncias que impedem interrupção de fluxo de admissão em caso de falha na turbina ou compressor. Na pior das hipóteses andaria como um 1.0 aspro.
            Já em motores adaptados (como do HB20) acredito que não tenha.

      • marcio

        Não sei explica exatamente o funcionamento do sistema, mas tive um hb20sedan turbo, comprado no lançamento. Constantemente falhava, não “entrava o turbo” ficava como o 1.0 normal mesmo, um pouco mais fraco. Levava a concessionária que dizia sempre estar tudo normal. Além de falha constante nos freios ABS que Tbem tratados pela rede hb como característica normal de funcionamento… Vendi o carro!!

        • F30FLORIPA

          Tive esse mesmo problema (apenas uma vez) com meu HB20 Turbo.
          https://www.youtube.com/watch?v=N7u4PCkCWm4

        • Rodrigo

          Penso que o motor do HB20 Turbo tenha sido uma adaptação de fábrica (como a VW fez com Gol e Parati no início dos anos 2000). Por isso não da pra comparar com motores mais modernos, onde o motor foi concebido para ser sobrealimentado (TSI, Ecoboost, etc.). Por isso falhou tanto.

    • TijucaBH

      Consegue sim, com certeza. Eu tinha uma Ranger 2.8 power stroke é durante uma viagem à noite na estrada de terra a mangueira do interooler soltou. Rodei uns 30 km sem a turbina fazer efeito. O carro ficou bem lento mas foi numa boa. Assim que cheguei em um lugar mais tranquilo, coloquei o tapete do banco traseiro pra forrar o chao e deitei debaixo do carro pra fixar a mangueira. Minha sorte foi que a abraçadeira ficou presa na mangueira, entao foi só conectar a mangueira novamente e apertar bem a abraçadeira. Nunca mais soltou.
      Agora, uma coisa é fato: a manutenção de carro turbo, mesmo os de fábrica, tende a ser mais cara que motores aspirados, mas nao tira o brilho dos “turbo”.

      • RRodrigo Souza

        pode ser mais caro, mas temos que aproveitar e pedir mais tecnologia, os carros turbos só estão fazendo a moda hoje pq antes tinha muito preconceito em nosso pais, quanto mais rígido nós formos e pedirmos mais itens ,os fabricantes serão automaticamente obrigados a começar a melhorarem mais rápido.

        no caso o preconceito que falei é apenas sobre os carros turbo de fabrica

    • Turbo46

      Sim, se por algum acaso soltar a mangueira do turbo, ou mesmo a turbina travar o carro vira praticamente um aspirado, só que VC vai rodar com avisos piscando no painel, mas o carro funciona normalmente, só que ele vai ficar bem manco!

    • Pedro Henrique

      sim, ele abre a válvula de alivio e ai você anda como se tivesse sem turbo…

    • Heleno
    • Eduardo Alves

      Consegue. Tive um problema na turbina do meu thp e o motor entra em modo de segurança desativando a mesma e o carro passou a andar como um 1.6 aspirado.

    • 1 Raul

      Meu lounge escapou a mangueira uma vez e o desempenho despenca mesmo, mas o carro não para….

    • F30FLORIPA

      Este vídeo mostra o desempenho do meu HB20 Turbo quando a turbina (não sei pq razão) ficou desativada.
      https://www.youtube.com/watch?v=N7u4PCkCWm4

  • xyzR2

    1) UP TSI, não tem opção automatico
    2) Polo, tem opção automático
    3) Fiesta, não sei.
    4) Golf TSI, não tem opção de automatico
    5) Virtus, mesma coisa do polo nem deveria estar na lista…
    6) HB20 turbo, não tem opção de automatico
    7) HB20S, mesma coisa que o HB20 nem deveria estar na lista…

    Infelizmente turbo ainda esta associado com coisa de “piloto”, motor turbo pra muita gente é coisa de carro esportivo…
    Triste situação.

    • Luiz Fabri

      O Fiesta é PS, ou seja, automático de dupla embreagem…

      • Robinho

        mas não tem manual…

        • leandro

          O New Fiesta ecobost é de longe o carro mais gostoso de guiar do Brasil pra sua faixa de preço.
          Só quem já teve um PowerShift sabe do que estou falando

          • Robinho

            Acredito, o 1,5 convencional já é uma delicia, mas ainda não tive o prazer de dirigir um Ecoboost…

          • Marco Santana

            poisé fiz um teste no polo tsi e o powershift nao fica devendo em nada

            • leandro

              Fiz um teste na nova Eco com câmbio AT e também achei que era páreo fui lá e comprei, agora com 1 mil km rodado eu morro de sdd do PowerShift..
              Bom do câmbio AT convencional é que de tão monótono que ele é dá até pra fazer um cafezinho enquanto dirige pra espantar o sono que ele dá

    • Pedro Henrique

      up TSI foco em economia, cambio manual >>> automatico (além do já pequeno espaço no cofre…)
      polo, tem cambio automatico e não tem manual pro tsi, não é porque é turbo que precisa andar igual piloto cm cambio manual, tem gente que gosta.
      fiesta, powershit, um cambio manual faria vender mais.
      golf tsi, manual pois é pra ser o mais barato e pra que mais barato que manual? quer automatico compra o 1.4…
      virtus, mesmo do polo
      hb20 turbo, nem era pra ser turbo isso, o turbo gasta mais que o 1.6 e anda menos…
      hb20s turbo, mesma coisa do hb20

  • what_the_hell??

    TOP 10 com 7 opções???? Como é isso???

  • Leonel

    A Hyundai poderia, tranquilamente, ter feito um trabalho decente em seu 1.0 turboalimentado, mas fez algo completamente decepcionante. Eu penso que este motor bem desenvolvido (como o 1.0 TSI e o 1.0 Ecoboost) acoplado ao seu AT6 poderia fazer muito bem as vendas.

    • PEDAORM

      Ja existe esse motor em outros mercados é o GTDI com injeção direta. Mas por aqui a Hyundai optou pela versão podre do 1.0 kappa sobrealimentado achando que venderia so no marketing. Ainda bem que se deu mal, só ia ajudar a degrenegrir os turbo por aqui.

    • Gil de Piento

      A (péssima) ideia da Hyundai era fazer uma versão intermediária entre a 1.0 e a 1.6 do HB20. Deveriam ter posicionado o turbo com injeção direta e 130 cv na versão topo de linha e reposicionado o motor 1.6 para versões intermediárias, até mesmo com melhorias para privilegiar o consumo.

  • NaoFaloComBandeirantes

    Desses todos, o Up! é o que desperta mais meu interesse. E quem diria que eu iria falar isso um dia.
    Eu não era dos maiores fãs do Up! não.
    Mas a versão turbo me fez gostar do carro como um todo. Respeitei o Up!

    Hoje eu consideraria um para ir trabalhar, já que ando muito.
    Teria consumo e performance, além de segurança.
    Ruim é o preço mega absurdo.

    • RRodrigo Souza

      o melhor seria o polo, pois é o mesmo motor e mais potente ,mais qualidades e conforto o que estraga é o preço

  • marcos souza

    poderiam ter adicionado os THP

    • PEDAORM

      Não existe thp 1.0 no Brasil.

      • marcos souza

        verdade, engano meu

  • Gran RS 78

    Fui um feliz proprietário de um Gol 1.0 16v turbo 2001 que comprei em 2003 com apenas 27 mil km. Era um foguetinho e cansei de andar na frente de carros com motores 1.6 à 2.0. O maior problema que eu senti foi com o alto consumo de óleo, pois tinha que completar a cada 500km, pois o motor começava a “bater pino” quando o nível caia. Mas sem dúvida que me diverti muito com ele naquela época.

  • Fabricio Guassaloca

    Minha dúvida dos carros turbos atuais… Sabemos que a interrupção abrupta de óleo na turbina causa um desgaste excessivo. Sempre me foi recomendado ao ligar esperar rodar óleo na turbina e ao desligar esperar um pouco até que a temperatura baixe. Isso está valendo para essa nova tecnologia ou teremos várias manutenções com turbo em um futuro bem próximo?

    • Vitor Castro

      Não está valendo, pois a maioria das turbinas hoje são resfriadas à agua.

  • Mario

    Pessoal do NA, na verdade, antes do gol e da parati, foram os fiat, uno e tempra, que inauguraram os motores turbos no Brasil. Os vw vieram bem depois. Vale fazer uma ressalva na informação. A fiat foi a precursora, se não me engano em 1994. Além disso, também lançou o Uno 1.6R, que era supercharger, se não me engano. Menos puxa-saco da vw, por favor. Parecem corintianos, o mundo começou no ano 2000!!!???
    http://revistaautoesporte.globo.com/Classicos/noticia/2013/04/classico-do-dia-fiat-uno-turbo-ie.html

    • Robinho

      Pois é…e o erro continua com “a Ford seguiu depois”…quando na verdade começou pela Fiat a VW seguiu a Fiat e depois veio a Ford…

      • Não tem erro nenhum, estamos falando de 1.0 turbo, não turbo em geral.

        • Bruno@BRN.CS

          Tem também o turbo do avião que veio antes NA.

        • Robinho

          ops tem razão…desculpe ai….rsrsrs

        • Mario

          Ah, ok.

    • A matéria está falando sobre quais foram os primeiros motores 1.0 turbo no Brasil, não turbo no geral. E sobre nos chamar de corintianos, não precisa ofender também…

      • Bruno@BRN.CS

        Dra Dum Tsi kkkkk

      • Luconces

        kkkkkk
        Melhor moderação!

      • Mario

        rsrsrsrs… é que os curitntianos existem só no século XXI…desculpa ai. rsrsrs

    • Gil de Piento

      O Uno 1.6R era aspirado, não tinha compressor. A matéria fala dos 1.0 com turbo, e o Uno Turbo era 1.4. O Tempra era 2.0, o Golf era 1.8.

      • Mario

        Valeu pessoal. A idade está pesando…rsrsrsr

    • Uno 1.6R era um motor 1.6 sem supercharger nem turbo.

  • Luiz Alexandre S Reis

    A troca de óleo ainda é na metade do tempo dos carros aspirados?

    • Marcelo Dosec

      Meu Fiesta 1.0 Ecoboost tem intervalos de troca a cada 10.000 km, igual ao 1.6.

  • Erick

    O motor 1.3 turbo da FIAT até agora… NADA.
    Uno e Argo 1.3 Turbo com uns 150 CV seria bem legal!

    • Gil de Piento

      Imagine quanto custaria hoje um Uno Turbo com 150 cv. Seria por volta dos 65 mil. Quantas vendas iria ter?

      • T1000

        Uno turbo com escada então…

        • Bruno@BRN.CS

          Amigo não precisa de turbo, só a escada já faz uma grande diferença. Não menospreze por favor. Kkk

      • Mario

        Seria mais ou menos o que é o up!. Mas esses motores 1.0 T, estão com uma proposta diferente da do Uno. Hoje, o foco é na eficiência energética. Já o 1.4T do 500 abarth, por exemplo, é um foguete.

      • Erick

        Acho que custariam até mais.

  • Ricardo

    Nunca esqueço da 1ª vez que dirigi um Gol 1.0T original no início dos anos 2000, num trecho curto peguei 170 km/h com uma facilidade absurda chegando até a 5ª marcha, parece um carro de Rally. Muito massa!

  • Ricardo Blume

    Uma grande pena esses motores turbo e com injeção direta terem preços elevados. Carros para poucos.

  • ####Carlao GTS

    Upzêra. Monstrinho

  • Cristiano Espindola

    Faz exatamente um ano que adquiri um Golf 1.0 TSI. No começo fiquei em dúvida, quase parti para uma Kicks SV, ainda bem que fiquei no Golf. Comprei por R$74.500 com pacote elegance (acrescenta os controles no volante – algo básico pra categoria – e mais uns itens bacanas), sendo a tabela da época de 78.200. A compra foi 99% racional (aquele 1% era a vontade de ter um Golf mesmo), pois não havia – e ainda não há – carro que entrega tantos opcionais e segurança por esse preço (se tratando de 0km). Resumo após um ano: compraria novamente. Nunca tive um carro tão econômico, o mais próximo disso foi um Fit 2004 monocombustível. Rodei pouco mais de 26.000km neste período e só alegrias com o carro e a economia. Pena que os SUVs estão tomando conta e a única opção de motor turbo e econômico se resume à Tracker (o THP não é exemplo de economia de combustível).

    • Eduardo

      Cristiano, tbm sou outro apaixonado pelo Golf. Pena q quando veio a mk7 1.4 eu era mais novo e o seguro era um A-B-S-U-R-D-O (hj com 26 anos deve tá um pouco mais em conta, talvez até aceitável).

      hj tenho um 208 GT com o conhecido 1.6 THP, sorriso de lado a lado toda hora q acelero hehe, carrinho sensasional msm, mas com todos esses aumentos de combustível, a gente tem q parar e analisar toda a situação. Tá ficando feio o negócio.

      pode dizer os números de consumo q vc tem conseguido??
      Tenho lido e parece q o 1.4 tbm consegue um consumo baixíssimo, as vezes até menos do q o 1.0. Isso procede?

      • Cristiano Espindola

        Opa, desculpa a demora! Então, vc está super de bem carro, hein?! Esse 208 GT é uma opção bem bacana pra quem tem um “pé mais pesado”. Tenho feito médias de 12km/l na cidade. Estrada é muito relativo, mas com duas pessoas, pouca bagagem e ar 100% ligado fica próximo de 17,5km/l. O 1.4 realmente tem médias ótimas, mas ele tem um defeito péssimo: o preço do 0kmd, a VW se perdeu totalmente. Ah, quanto ao seguro, renovei agora (era novo, portando agora é classe 1) por R$3.075. Sei que há inúmeros fatores que influenciam o preço do seguro, mas perto de outros carros que já tive segurado, achei excelente.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email