Top 10: carros mais econômicos 2021

Top 10: carros mais econômicos 2021

Quais são os carros mais econômicos do Brasil em 2020?


Bem, a gasolina, o etanol e o diesel estão cada vez mais caros e, com isso, surge uma necessidade ainda maior de poupar o consumo de combustível em seu automóvel. Há uma série de procedimentos que podem ser realizados para diminuir a gastança com combustível.

No entanto, uma das medidas mais interessantes é optar por carros populares mais econômicos e baratos – isso se você estiver em busca de um modelo novo para a sua garagem, é claro.

No segmento de carros populares, as fabricantes estão priorizando cada vez mais os conjuntos mecânicos que consomem menos, dotados de motores mais modernos e eficientes, resultando em carros mais econômicos.

Elencamos os 10 carros populares mais econômicos de 2019, seguindo a tabela do Inmetro. Em destaque, o consumo com gasolina.

Confira:

1) Volkswagen up! 1.0 TSI – 14,3 km/l e 16,3 km/l

Top 10: carros mais econômicos 2021

O hatch popular mais econômico do País é o Volkswagen up! 1.0 TSI atualmente. Isso é fruto do moderno motor 1.0 litro turbo flex de três cilindros, o único dotado de uma turbina nesta lista e também com uma série de outras tecnologias.

Confira as mais de 150 listas Top 10 que temos no nosso site!

Segundo o Inmetro, o subcompacto com rodas aro 14 tem consumo de 10 km/l na cidade e 11,5 km/l na estrada com etanol e 14,3 km/l e 16,3 km/l, respectivamente, com gasolina, com notas “A” na comparação relativa na categoria e “A” na comparação absoluta geral e selo Conpet de eficiência energética.

O motor que equipa o up! TSI consegue desenvolver até 105 cavalos de potência e 16,8 kgfm de torque e está associado a um câmbio manual de cinco marchas. A marca diz que o carro vai de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos e atinge velocidade máxima de 181 km/h.

Há também o modelo com o motor 1.0 MPI flex aspirado de até 82 cv e 10,4 kgfm, com consumo de 9,6 km/l na cidade e 10,6 km/l na estrada com etanol e 14,2 km/l e 15,3 km/l, respectivamente, com gasolina, com notas “A” e selo Conpet.

Veja também: os carros 1.8 mais econômicos do Brasil

2) Chevrolet Onix 1.0 – 13,9 km/l e 16,7 km/l

Top 10: carros mais econômicos 2021

O novo Onix tem seu novo motor turbo como um dos principais atrativos, mas é a versão de entrada que se coloca como um dos carros mais econômicos do país. O popular de entrada da Chevrolet (na nova família, já que o Joy continua sendo o mais barato) tem motor 1.0 de 78/82 cv e 9,6/10,6 kgfm de torque, com câmbio manual de seis marchas.

Seu consumo urbano é de 9,9 km/l com etanol e 13,9 km/l com gasolina, enquanto na estrada ele tem médias de 11,7 km/l com álcool e 16,7 km/l com gasolina.

3) Renault Kwid 1.0 – 14,9 km/l e 15,6 km/l

Top 10: carros mais econômicos 2021

Um dos últimos grandes lançamentos da Renault por aqui, o Renault Kwid é o terceiro mais econômico do País. Ele consegue fazer 10,3 km/l na cidade e 10,8 km/l na estrada com etanol e 14,9 km/l e 15,6 km/l, respectivamente, com gasolina, com notas “A” na comparação relativa na categoria e “A” na comparação absoluta geral e selo Conpet de eficiência energética.

O subcompacto usa um motor 1.0 litro flex de três cilindros, capaz de desenvolver até 70 cv e 9,8 kgfm, com câmbio manual de cinco velocidades. Ele alcança os 100 km/h em 14,7 segundos e máxima de 156 km/h.

4) Fiat Mobi Drive 1.0 GSR – 14 km/l e 15,9 km/l

Top 10: carros mais econômicos 2021

O Fiat Mobi na versão Drive com motor 1.0 litro Firefly flex de três cilindros é o quarto carro a aparecer neste ranking. O subcompacto oferece um propulsor de até 77 cv e 10,9 kgfm, com transmissão automatizado GSR de cinco velocidades – há também a opção do manual, também de cinco marchas. Ele vai de 0 a 100 km/h em 13,9 s e tem velocidade limitada a 164 km/h.

Este modelo conta com consumo 9,8 km/l na cidade e 11,1 km/l na estrada com etanol e 14 km/l e 15,9 km/l, respectivamente, com gasolina, com notas “A” na comparação relativa na categoria e “A” na comparação absoluta geral e selo Conpet de eficiência energética.

5) Chevrolet Onix 1.0 Turbo – 13,5 km/l e 16 km/l

Top 10: carros mais econômicos 2021

O novo Onix aparece em nossa lista com sua versão 1.0 turbo em quinto lugar. Nessa configuração, o modelo tem motor de 1 litro com turbocompressor, que rende 116 cv (independente do combustível) e 16,3/16,8 kgfm de torque. O câmbio pode ser manual de 6 marchas ou automático, também com seis velocidades.

Com esse conjunto mecânico, o modelo da Chevrolet tem consumo urbano de 9,4 km/l com álcool e 13,5 km/l com gasolina. Já na estrada, ele faz 11,2 km/l com etanol e 16 km/l com gasolina. Vale lembrar que esses são os números da versão manual.

6) Peugeot 208 1.2 – 13,9 km/l e 15,5 km/l

Top 10: carros mais econômicos 2021

Em segundo lugar está o hatch compacto Peugeot 208 em suas versões de entrada, que usam um motor 1.2 litro Puretech flex aspirado de três cilindros, capaz de rende potência máxima de 90 cv e torque máximo de 13 kgfm, atrelado a um câmbio de cinco velocidades.

Conforme dados do Inmetro, ele consegue fazer 9,6 km/l na cidade e 10,7 km/l na estrada com etanol e 13,9 km/l e 15,5 km/l, respectivamente, com gasolina, com notas “A” na comparação relativa na categoria e “A” na comparação absoluta geral e selo Conpet de eficiência energética.

Quanto ao desempenho, o 208 1.2 atinge os 100 km/h em 12,8 segundos e máxima de 177 km/h.

7) Fiat Argo Drive 1.0 – 14,2 km/l e 15,1 km/l

Top 10: carros mais econômicos 2021

Hatch mais moderno da Fiat no Brasil, o Argo Drive 1.0 é o quarto popular mais econômico disponível em nosso País. O motor é o mesmo do Mobi e rende consumo de 9,9 km/l na cidade e 10,7 km/l na estrada com etanol e 14,2 km/l e 15,1 km/l, respectivamente, com gasolina, com notas “A” na comparação relativa na categoria e “A” na comparação absoluta geral e selo Conpet de eficiência energética.

O Fiat Argo Drive 1.0 vai de 0 a 100 km/h em 13,4 s e tem máxima de 162 km/h.

8) Ford Ka 1.0 – 13,4 km/l e 15,5 km/l

Top 10: carros mais econômicos 2021

O quinto lugar é ocupado pelo Ford Ka nas versões com motor 1.0 litro flex de três cilindros, com até 85 cv e 10,7 kgfm, associado a uma caixa manual de cinco marchas. Ele faz 9,2 km/l na cidade e 10,7 km/l na estrada com etanol e 13,4 km/l e 15,5 km/l, respectivamente, com gasolina, com notas “A” na comparação relativa na categoria e “A” na comparação absoluta geral e selo Conpet de eficiência energética.

Este conjunto faz com que o Ford Ka atinja os 100 km/h em 13,9 segundos e máxima de 166 km/h.

9) Fiat Uno Drive 1.0 – 13,2 km/l e 15,2 km/l

Top 10: carros mais econômicos 2021

Outro carro da Fiat que aparece nesta lista é o Uno, também com o 1.0 Firefly. O consumo do hatch é de 9,1 km/l na cidade e 10,6 km/l na estrada com etanol e 13,2 km/l e 15,2 km/l, respectivamente, com gasolina, com notas “A” na comparação relativa na categoria e “A” na comparação absoluta geral e selo Conpet de eficiência energética.

No desempenho, o Uno registra 12,5 s até 100 km/h e máxima de 157 km/h.

10) Chevrolet Joy 1.0 – 12,8 km/l e 15,2 km/l

Atual carro mais vendido no mercado brasileiro, o Chevrolet Onix Joy (ou apenas Joy, como a marca prefere que o chamemos) aparece com seu motor 1.0 litro flex de quatro cilindros, que rende 80 cv e 9,8 kgfm máximos, com transmissão manual de seis marchas. Este aparato é suficiente para levar o hatch compacto aos 100 km/h em 13,4 s e atingir máxima de 167 km/h.

O consumo do carro é de 8,7 km/l na cidade e 10,5 km/l na estrada com etanol e 12,8 km/l e 15,2 km/l, respectivamente, com gasolina, com notas “A” na comparação relativa na categoria e “A” na comparação absoluta geral e selo Conpet de eficiência energética.

Carros populares mais econômicos

Consumo (gasolina) em km/l
PosiçãoModeloCidadeEstrada
1Volkswagen up! TSI14,316,3
2Novo Chevrolet Onix 1.013,916,7
3Renault Kwid 1.014,915,6
4Fiat Mobi Drive 1.0 GSR1415,9
5Novo Chevrolet Onix 1.0 Turbo13,516
6Peugeot 208 1.213,915,5
7Fiat Argo Drive 1.014,215,1
8Ford Ka 1.013,415,5
9Fiat Uno 1.013,215,2
10Chevrolet Joy 1.012,815,2
Leonardo Andrade
Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

161 comentários em “Top 10: carros mais econômicos 2021”

            • Pelo que notei, Ka e up! aspirado têm consumo parecido, sendo um pouco melhor no up!, conforme os relatos. Eu fiz com o ar desligado. Acredito que o consumo aumente 1 km/l a 1,5 km/l com ar ligado a 100 km/l em média. Preciso tentar ver a 80-90 km/h quanto ele faz.

          • Consumo é algo complicado demais. Qualquer pequena mudança em trajeto, horário, aceleração… muda tudo.
            Eu já consegui 20 km/l com um Jetta 2.0 aspirado em um trajeto de 50 km em Brasília. Mas era domingo de manhã, andando na faixa de 70 km/h, pé só encostando no acelerador…
            Isso significa que o Jetta faz 20 km/l? De jeito nenhum. Significa só que é possível, dirigindo-se em um percurso bem específico, de uma forma muito longe da usual, é possível arrancar um consumo muito razoável de praticamente qualquer carro. Só isso.

            • Realmente, como eu disse, andando em um circuito oval, em ritmo de teste, é possível atingir até uns 22Km/l, mas isso de forma alguma condiz com a realidade!

            • Tem razão, Ubaldir. Quando fiz os 21 km/l em uma viagem de 200 km com o Ka, saí de casa em Santo André num domingo de manhã, peguei a Anchieta, a Avenida dos Bandeirantes e a Marginal livres e depois na Castelo fui a 100 km/h em média, bem tranquilo, depois peguei a SP-127 rumo a Itapetininga no mesmo modo, tranquilo, estávamos eu, a esposa no carro, porta-malas cheio e ar desligado, pois era um dia de frio. Pois bem, nas mesmas condições, com etanol, consegui 14 km/l. Como agora é praticamente verão, quero fazer esse trajeto com ar ligado, nos dois combustíveis, vou tentar simular as mesmas condições e vamos ver no que vai dar. Ah, sim, se a gente guiar contra o vento, aumenta o consumo, se guiar a favor dele, capaz de fazer bons números, como vc bem disse, tudo pode influenciar. Ah, em outras medições que eu fiz, é muito comum ele fazer 18, 19, 20 km/l indo até 110 km/h. Passou de 110 km/h, já era. Faz em torno de 15, 16 km/l a uns 120. Passou de 120, começa a bebedeira, rs. No geral, eu diria que é um modelo econômico se não ficar pisando, porque, convenhamos, tem hora que ligo o modo piloto, pois o kazinho é divertido nesse ponto, aí o consumo aumenta que é uma beleza.

              • Mesmo carros potentes, como é o caso do C4 Lounge, passou de 110 a média cai muito.
                O C4 é um carro até econômico em consumo rodoviário. Não é muito difícil conseguir 13 a 14 km/l nele carregado (5 pessoas e bagagem) sem o ar ligado. Mas tem que ser em trânsito bom, com pista dupla. Já fiz essa média andando por vias paulistas duplicadas no inverno.
                Se andar na casa dos 120 ou mais, dificilmente dá pra almejar qualquer coisa acima dos 12 km/l.
                Na cidade é que o bicho pega. Em trânsito realmente pesado, média de 7 é o limite.

            • Além disso o motorista conta muito, eu atinjo velocidades maiores que a minha mulher mas todas as minhas médias com o carro dela (que ela dirige diariamente e eu não) são mais altas. Eu acelero de maneira suave e uniforme e aproveito sempre o embalo do carro nos semáforos (não é banguela, o carro parece que entra em uma espécie de ponto morto quando paro de acelerar).

            • exatamente….ja fiz 21,8km/l com meu 208 1.2 em um trajeto de 120km mas metade do percurso descendo a serra. Ja no meu dia a dia na cidade ele faz 10,5km/l pq pego muito congestionamento e a velocidade média não passa de 15km/h…. aqueles valores citados servem mais pra referência e comparação entre os modelos, mas na prática nunca vai ser igual….

        • Meu Ka não tem computador de bordo, rs, é o SE básico, então é sempre medição na bomba. O máximo que consegui até agora foi 21 km/l com gasolina em estrada andando a 100 km/h em média, e com etanol, nas mesmas condições, 14 km/l. Até 110 km/h, é bem econômico, passou disso, o consumo vai aumentando bem. O bom é que a rotação em quinta fica 3000 RPM exatos a 100 km/h. A 110 km/h, fica 3500, a 120, 3750.

            • Poisé, mesma coisa que eu percebi, no álcool bem preciso, mas na gasolina a mais.

              Eu chuto que o software não deve ter correção do volume injetado pela densidade do combustível. Ai fica calibrado pro álcool ser preciso (pois se fosse ao contrario, o consumo indicado pela álcool seria ainda “pior” quando comparado a gasolina).

                • Faz sentido. Se só se basear no indicado a gasolina no painel, acaba achando que o consumo é melhor do que o real.

                  Eu tenho um Palio e em ambos os combustíveis ele indica com no máximo 0,2km/l. Faço o controle na bomba toda vez, com uso de aplicativo, que no fim das contas me calcula o R$/km. Uso esse gráfico pra basear qual melhor combustível. Tem sido etanol – R$0,28/km contra R$0,35/l da gasolina…

                  Uso também o aplicativo pra saber se o posto esta me enganando ou não. Ja abasteci em postos de beira de estrada e quando a diferença da media do painel com a do aplicativo deu mais que 0,5km/l, nunca mais parei no posto. Provavelmente eles colocaram menos combustível no tanque (ou “aceleraram” a medição na bomba). Esse golpe é bem comum, infelizmente.

                  Tenho mais amigos que tem fiat e tinha o feedback que a medição do painel era bem precisa tb (to esperando nosso amigo acima comentar sobre o mobi :) ()

                    • Eu discordo Ricardo, 0,5km/l já é bastante diferença. Como falei, deixo de ir no posto quando ocorre.

                      Veja as contas: exemplo para uma rodagem de 440km, gasolina a R$4
                      Suponha que abasteci 44l, ou seja, fiz media de 10km/l

                      Se a diferença for de 0,5km/l pode significar que o posto me roubou 2l, ou seja, ele abasteceu só 42l (440km/42l = 10,5km/l). Na ultima reportagem que vi, era essa a media que os postos estavam roubando com o uso dos “chupa-cabra”. Tem postos que chegam a 10% (ou seja, abastece 40 e cobra 44l), ai a media da bomba seria 11km/l contra 10 do computador de bordo.

                      Nesse exemplo de diferença de 0,5km/l o posto me roubou 8 reais. Em um ano da R$384 de roubo.

      • O meu tsi faz isso tbm….mas como sempre tem uns caras que só vem falar mal do carro e a maioria nunca dirigiu ele,mas vem aqui falar mal da correia que é dificil pra trocar, que o carro é barulhento e outras coisas…eu tenho um celta tbm e aquilo sim é manutenção barata,mas seu projeto tem quase 30 anos. Pro dia a dia ele quebra um belo galho e não tenho do que reclamar, tem 102 mil km e tem a manutenção sempre em dia e óbvio que não é tão econômico mas ainda vale a pena pelo menos pra mim.

    • Este seria meu comentário, pois na minha visão algo acima de 36k não pode ser considerado exatamente “popular”.
      Como o Cyro comentou abaixo “versões de acesso” é um termo um pouco mais apropriado.

      • Porque somente acima disso?

        Tirando se a pessoa tem ou não condição de um carro, pra mim é caro mesmo que custe o preçode um QQ de entrada. Carro no Brasil é caro em qualquer porte.

        • E ai Edson, eu me baseio neste preço “simbólico” por ser onde você vai encontrar os carros com preços mais acessíveis (QQ, Kwid, Up!, Mobi). Infelizmente caros, mas é o que temos hoje em dia, são os preços que nos sujeitamos a pagar por um bem de consumo.

          Sobre a materia em si, o termo “popular” em é subjetivo. Popular pois é para acesso de toda a população ou popular pois são os mais presentes no dia a dia? Em ambos os casos já excluiria os carros da PSA da lista. 50k não é um preço acessível e os carros em si não fazem volume de vendas para serem populares como um Onix.

          Por isso propus “versão de acesso”. Independente de custar 30k ou 50k os carros continuam sendo igualmente econômicos em suas versões mais básicas.

          • MAs nem assim…. pois o preço desses carros tbm é abusivo como os demais.

            E pense comigo: Se os mais baratos tivessem preços menores, os mais caros fariam o mesmo. Tá muito discrepante esses preços de nosso mercado.

      • Alias, problema do turbo, suspensão, rangidos…. e são aos montes.

        O pessoal do Clube até brinca qdo alguem fala de suspensão: “Seja bem vindo ao up”.

        Sério, se meu carro ficasse rangendo (e nenhum dos carros que tive ou tenho, tive esse tipo dep roblema. E tirando o meu primeiro carro que era reconhecido pela robustez, o restante seriam considerados bombas que ainda assim sempre me deixaram satisfeitos) eu ficaria muito bravo.

        Aí eu ouço coisas como: “Frances é ruim de suspensão”. Mas aí vejo “VWs” ruim de suspensão, “Nissan japonesa” ruim de suspensão, “Corolla” com problema de suspensão (bieletas e coxins) e penso: O problema é de francês ou das nossas vias?

        Não quero polemizar ou falar mal da VW, mas é um fto que qualquer carro sofre para rodar por aqui. Mas não aceitaria ter um carro 0km que a suspensão fosse barulhenta ou que ficasse rangendo. Um que me chama atenção é o kwid tbm por problemas. A direção elétrica endurece (e apresenta erro no painel), o freio ineficiente, barulhos… dureza.

          • Concordo contigo e sei que o up por exemplo é um otimo carro. Só fico triste com quem tem mexido muito no motor sem criar reforços para que o motor sobreviva ao futuro com a mesma saude. (dos TSI)

        • Por isso que é bom participar de vários clubes de carros, essa reclamação de suspensão fazendo barulho existe em praticamente todos que eu participo. Pra mim está mais do que claro que são as nossas ruas. Eu não tenho esse problema pois não costumo pegar muito buraco, meu percurso está mais entre rodovias e marginais.

        • O Fox que eu tinha começou a fazer com 1500 km nheco nheco na bandeja do lado esquerdo e não teve o que fazer, troquei tudo e continuou, foi vendido com o nheco nheco, alais um amigo com Golf GTI 2015 tem nhec nhec na roda traseira do lado direito desde os 500 km e já tentou de tudo tb.

          • O meu Ka está fazendo do lado esquerdo atrás, ao passar em lombada, fica bem evidente. E ao esterçar o volante mais rápido, ele está fazendo um barulho de que algo está raspando. Semana que vem vai pra revisão e vou falar lá desses problemas. O seu faz alguma dessas coisas? O meu tá com 10700 km e não nenhum ruído interno de plástico (pelo menos isso).

            • Levei esses dias para colocar um novo vidro do lado do motorista e aproveitei para arrumar umas coisas, como a tomada que não funcionada e o barulho que estava fazendo do lado do botão do cinto de segurança do motorista e no local de regulagem do cinto do passageiro esquerdo, mandei apertar no banco e resolveu, o do cinto do passageiro esqueci de falar e o barulho esta lá enchendo o saco -_-

            • O meu tá fazendo um barulho ao esterçar o volante, mas apenas quando a seta está acionada. Está parecendo que o mecanismo que faz a seta voltar a posição de repouso ao centralizar o volante não está 100% no lugar, e entra em interferência com alguma parte do volante. Semana que vem vai para a revisão de 30 mil e pedirei uma análise. Quanto a suspensão, não range nada.

                • De acabamento não, mas as portas, em alguns momentos, produzem um rangido junto a carroceria. Basta passar algum lubrificante nos batentes de borracha que o ruído cessa. O meu é 15/16 (29 mil km) e, na minha opinião, ficou claro que a Ford deu uma melhorada na montagem em relação aos modelos 2015.

          • E como diz o ditado:se nao pode com ele junta-se a ele.Melhor andar com esse nhc nhc e fingir que faz parte do projeto do que gastar pra trocar a ainda continuar com o problema,

      • O TSI é forte e economico no UP e só… porém é problemático existem muitos relatos e incçusive matérias em revistas especializadas ja fizeram matérias, e pelo que vi nos outros carros da VW ela não consegue melhorar as marcas com o motor TSI são todos beberrões tirando o UP, e o pior de tudo isso é que a dona VW não arruma e cobra mais por um motor que promete mágicas e como sempre eu falo TSI T.amo S.empre I.nganando.

  1. 208 falta ter mais itens de segurança, que ficaram restritos a versão esportiva que só serve para enfeitar vitrine. Era louco por um mas a Peugeot dá um passo pra frente e dois para trás.

  2. Não entendi porque o onix esta na frente do C3, o Citroen tem melhores média em tudo, tanto gasolina como etanol, onix deveria ser o 10º colocado, e como lembrado falta o Kwid.

  3. Em relação ao UP! se seu propósito for economia opte pela versão MPI, a manutenção é muito mais barata, o TSI não apresenta muito problema com Etanol e só gasolina aditivada devido a injeção ser direta, o conjunto dos 3 bicos de injeção direta custavam 1590 Reais no a 1 ano atrás já o conjunto de bicos do MPI é por volta de 270 Reais, fora problemas com turbina, bomba de combustível, eu não teria a versão TSI devido aos problemas que até hoje não foram sanados pela VW.

      • Por isso que outros fabricantes não investiram muito em turbo nessa faixa de preço (e as japas continuam insistindo nos aspirados talvez por isso). Resta saber se os turbinados do “andar de cima” vão dar esses problemas. O nosso combustível não ajuda mesmo, uma pena.

        • Mauro, por favor né… As japas não investem em turbo pelo mesmo motivo que o Ônix não é turbo. Por que oferecer algo a mais se já está vendendo bem assim? Isso não é exclusividade delas, qualquer marca no topo do ranking de vendas faria isso. A Volkswagen também fez isso com o Gol. A PSA nunca teria colocado o THP em todos os carros se estivesse vendendo bastante.

          • Pois é… Faz coisa de mais de ano que conversei com o dono de uma CSS Honda do interior de SP. Ele disse que já viu na fábrica da Honda o 1.0 turbo (como eu disse, mais de ano), mas que não falaram se e quando vão usar esse motor na linha. Aí está: estão segurando para acompanhar como está se saindo a tecnologia turbo da concorrência ou é devido ao que você disse (e que faz sentido)?

            • Eles tem condições de medir a durabilidade desses motores em laboratório e fazem isso constantemente. Qualquer marca (em qualquer mercado) quando está no topo das vendas, pode-se dar ao luxo de “segurar” determinada tecnologia até que os seus concorrentes as incomodem. Isso é normal, o problema é o comprador que paga caro em um carro aspirado e sem nenhum item de conforto só porque gosta da marca, foi assim que o Gol vendeu bem por décadas. O motor do Civic Touring devia no mínimo estar presente em todas as versões, o meu carro que é 2007 (projeto de 2003) tem um 2.0 aspirado com mais força que um Civic de 110 mil reais, acho isso completamente inaceitável. Eu entendo a Honda, mas nunca consegui entender quem compra esse carro enquanto existe o Cruze, os THP da Citroen/Peugeot, os alemães 1.4t e tantos outros carros com powetrain mais interessante e até com preço inferior. Não dá nem pra dizer que eles dominam essa tecnologia, pois fora do BR Japão e Turbo estão lado-a-lado no dicionário.

              • O único carro q ainda faz frente a Civic/Corolla é o Cruze. E pra quem vê por fora e por dentro, é nítido q o Civic parece ser mais carro em porte e acabamento.

                O Cruze ganha em motor e equipamentos. Mas tem a fama da versão anterior q não era econômica (e isso nao é fácil tirar). E o modelo atual tem reclamações de peças de acabamento rangendo/dando problema.

                O Cruze anda mais, só q nao é aquela diferença absurda de desempenho p uma tocada normal. Numa arracanda a diferença até 100km/h a diferença é de 1segundo (e nao é todo mundo q ta preocupado com isso). E no posto de gasolina, apesar de mais moderno, os 2 carros bebem de forma semelhante (em teste de revista o Civic ainda é mais econômico q o Cruze).
                Por isso na prática o Civic vende mais. Agora inexplicável é o Corolla vender mais q o Civic. Isso sim é algo q merece um estudo profundo.

      • problemas relatados no Up! clube, experiência com familiares, revista 4 rodas ( sim, pq não ? ), falta de solução do fabricante….No início flores, depois só dor de cabeça, UP! só MPI.

  4. E o up! aspirado? Dizem que gasta muito pouco também. Tenho o Ka 1.0, e já consegui, em estrada 14 km/l com etanol, 21 km/l com gasolina, rodando a 100 km/h em média. Cidade tenho conseguido 9, 9,5 com etanol, 12, 12,5 com gasolina, na região do Grande ABC, em SP, sempre com trânsito “mediamente” carregado (evito andar em horários de pico). Tenho andado com o ar ligado no máximo 50% do tempo, mas agora que está esquentando mais, talvez eu use 100% do tempo ou perto disso, aí vou analisar o consumo.

  5. Cadê os modelos com start stop da Fiat?

    Quando é para falar mau falam mas para não colocarem aqui não é justo eu fiquei 1 mês com o uno 1.4 com star stop emprestado ne só colocava etanol ele fazia 12 km/l na cidade com etanol é um feito e tanto, imagine com gasolina

  6. Tenho um 208 1.2 e sério não consigo chegar nessas médias divulgadas na gasolina … não sei se pego muito transito em SP mas não passa de 11km/l na gasolina com sorte, sendo assim faz uns 6 meses por exemplo que só ponho álcool que assim ele faz os 10km/l divulgados e eu acho mais vantagem no final pelo preço um tico mais barato do álcool.

    • Então pare de acreditar nas médias divulgadas, isso só serve pra vender carro. É claro que esses carros são muito econômicos, mas a realidade depende de cada um, nunca será possível fazer tais médias aqui em SP. Veja que até um Fiat 147 antigamente fazia 12 km/L, o consumo não mudou tanto quanto as pessoas acreditam. Até piorou se você considerar a adoção dos motores Flex, que acabou com o consumo de todos os carros.

      • 22 já consegui também, mas ctz que era mentira do computador de bordo já que faz quase 2km/l a menos, então creio que o máximo foi 20, ar ligado, rodovia.

        • Seu Up! é chic demais fis, o meu não tinha essa “chiqueza” de computador de bordo não kkkkk
          A conta que fiz foi no lápis mesmo, entre distancia percorrida vs quantidade de combustível que abasteci depois xD

          • olha, chic só pra bonito, q q adianta computador de bordo se ele mente 2 km/l de média kkkkkkkkkkkk
            no fim é trabalho dobrado que tem q ir eu la marcar no lápis pra conferir o quanto ele ta mentindo pra mim

              • tenho um fox 1.6 8v 2014 que não é tão mentiroso assim não… tenho uma tabela de consumo desde que o adquiri, e a margem de erro sempre fica 1~3% (sempre indicando um consumo menor que o real), em algumas poucas ocasiões ele acertou o consumo na mosca… parece que o meu foi bem educado kkkkkkkk

  7. up! TSI pra cidade não é uma boa, o cunsumo é maior do que o divulgado ali, se for pra cidade fique com um aspirado…
    ja pra rodovia é uma boa pedida pois tem força pras ultrapassagens.

  8. Se for ver são médias bem medíocres para carros de entradas que geralmente tem uma estrutura mais simples e consequentemente menor peso, parece que com o tempo ou os motores ou nossa gasolina se tornou energicamente menos eficiente, lembro que já tive um uno e fácil ele fazia 16km/l ~ 18km/l na cidade!! Isso na época que não existia motores flex! A potência dos motores aumentou com o tempo mas a economia de combustível parece que não evoluiu junto!

  9. Cadê o Polo? Os fãboys diziam que o motor 1.0 seria suficiente pra deixá-lo com bom desempenho e baixo consumo. Será que as versões 1.0 menos potentes vão micar como aconteceu com o primeiro Polo brasileiro?

  10. Queria entender porque o Argo, com o mesmo motor do Uno, porém mais pesado, conseguiu consumo melhor e maios velocidade máxima, só coeficiente aerodinâmico?

    • Mas está fazendo bem pra kct, meu antigo Vectra GT-X fazia 6,5 na gasolina na cidade ¬¬
      A vida mudou quando peguei o meu Fiesta SE, to fazendo 11,7 no ciclo misto.

  11. Eu tenho um UP 2016 TSI. Viajo bastante com ele. Já rodei de Nova Friburgo/RJ ao Uruguai. Ele faz uma média de 21 a 22Km/L, passando uma parte considerável do trajeto em 24Km/L (a viagem inteira com ar condicionado ligado) na maior parte do percurso (e as estradas variam demais). Em um determinado trecho chegou a fazer 26km/L (por umas 2h). Nos trechos mais complicados, com engarrafamento, estradas bem ruins etc. (o Rio Grande do Sul me surpreendeu nesse quesito), fez no mínimo 17,8L. Moro na região serrana do RJ, então subo bastante montanhas e ladeiras com ele. A média de 21Km/L a 22km/L se mantém em todas as viagens. O consumo urbano oscila entre 13.7Km/L a 16km/L. Antes do UP, tive um Honda Fit que fazia na média 11km/L na cidade, chegava à 16km/L na estrada, mantendo uma média de 14 a 15km/L.

Deixe um comentário