TOP 10: Os sedãs médios mais econômicos do Brasil

TOP 10: Os sedãs médios mais econômicos do Brasil

Quais são os sedãs médios mais econômicos do Brasil? Nesta lista TOP 10, os sedãs médios mais econômicos do Brasil estão relacionados. Atualmente a tecnologia flex não tem contribuído para redução no consumo, pois muitos modelos flex ficaram mais beberrões do que seus equivalentes anteriores a gasolina, mas o panorama do segmento deverá mudar nos próximos anos.

Atualmente, a introdução de motores menores e mais eficientes já está contribuindo para um ganho em desempenho, economia e emissão de poluentes, e no futuro isso deverá melhorar mais ainda. O consumidor terá de deixar a paixão pelo motor de 2,0 litros de lado e abraçar uma tecnologia mais sofisticada, com motores menores e com turbo, por exemplo.

Na relação abaixo, apenas os sedãs médios com consumo aferido pelo Inmetro estão relacionados, visto que a tabela de eficiência energética do instituto nacional foi criada para auxiliar o consumidor na hora de comprar um veículo, apontando os mais econômicos com uma avaliação dentro dos mesmos parâmetros, não para denegrir a imagem deste ou daquele modelo.

Infelizmente, talvez alguns fabricantes instalados no Brasil ainda pensem que expor seus produtos com etiqueta veicular seja um prejuízo à imagem. Bom, quem não é visto, não é lembrado. Decidimos incluir também modelos do segmento Premium que também são sedãs médios, apesar de alguns terem tamanho um pouco maior que a média.

Além disso, para definir os modelos que entram nessa categoria, usamos como base o relatório de vendas mensais da Fenabrave, que classifica como sedãs médios (veja também os sedãs médios automáticos mais baratos) modelos que alguns talvez não incluiriam nessa categoria, como o Ford Fusion, BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C.

Os números que consideramos são apenas os de consumo com gasolina, visto que o etanol oferece média bem inferior, e é muito caro na maior parte do país, não sendo interessante financeiramente.

1) Toyota Corolla Altis Hybrid

Lançado recentemente no Brasil, o novo Corolla 2020 apresentou várias novidades, incluindo a eficiente versão híbrida. Segundo os dados divulgados pela Toyota, que foram aferidos pelo Inmetro, essa versão do sedã japonês tem médias de 16,3 km/l na cidade e 14,5 km/l na estrada (sim, modelos híbridos conseguem ser mais eficientes no trecho urbano).

O conjunto mecânico usado pela marca para alcançar essas médias é um motor a combustão de 101 cavalos atuando em conjunto com outro propulsor elétrico de 72 cavalos, com torque de 14,5 kgfm e 16,6 kgfm, respectivamente. A transmissão é automática CVT.


2) Honda Civic 1.5 Turbo

O sedã médio da marca japonesa dispõe de um motor 1.5 i-VTEC Earth Dream Turbo, que vem com turbocompressor, intercooler e injeção direta de combustível. Com 174 cv e 22,4 kgfm, o propulsor da Honda garante não só uma boa performance, mas também uma boa média de consumo com 11,8 km/l na cidade e 14,4 km/l na estrada.

Para obter mais eficiência desse conjunto, a Honda adotou um câmbio CVT com conversor de torque, que ajuda a economizar combustível e dá mais conforto ao dirigir. Espera-se que a marca adote tais tecnologias para os demais modelos da gama, sendo que já existem motores de três (1.0 i-VTEC Earth Dream Turbo de 127 cv) e quatro cilindros (1.5 i-VTEC Earth Dream Turbo com 150 cv).

3) Chevrolet Cruze 1.4 Turbo

O sedã médio da General Motors é produzido na Argentina (Rosário) e possui a moderna plataforma global D2XX, a mesma que equipa o Chevrolet Equinox. O Cruze 1.4 Turbo tem um design bem moderno e aerodinâmico, que ajuda a reduzir o arrasto e poupar combustível. Dotado de Start&Stop, o sedã desliga seu motor quando parado no trânsito, bebendo menos.

O propulsor por sua vez é o moderno Ecotec 1.4 SIDI Turbo, que possui turbocompressor, intercooler e injeção direta de combustível com tecnologia flex, entregando 150 cavalos na gasolina e 153 cavalos com etanol, além de 24,5 kgfm de torque. Sua caixa de mudanças é a GF6-3 de seis marchas e bem ajustada para focar na economia, tanto que parte do desempenho é polido para que haja eficiência.

4) Audi A3 Sedan 1.4 Turbo

O pequeno sedã da Audi é um dos mais econômicos do Brasil. O A3 Sedan 1.4 Turbo utiliza um motor EA211 1.4 TFSI com tecnologia Flex e entrega 150 cv e 25,5 kgfm. Esse propulsor é de segunda geração, sendo que a terceira já utiliza sistema de desligamento de cilindros, mas mesmo esse, não presente no Brasil, já foi superado pelo EA211 Gen3 1.5 TFSI com mesma potência e torque.

No caso do Audi A3 Sedan 1.4 Turbo, o câmbio automático Tiptronic de seis marchas ajuda, mas não é superado pelo de dupla embreagem com sete marchas, que era vendido anteriormente. Este era bem mais eficiente, ainda mais com o 1.4 TFSI entregando 122 cv e 20,4 kgfm, mas esta configuração foi abandonada no país, exceto pela presença do Audi A1.

5) Toyota Corolla 2.0 2020

Sim, o Corolla aparece duas vezes nessa lista. A primeira posição foi alcançada graças à versão híbrida do sedã, mas isso não quer dizer que as versões convencionais também não apresentem boas médias de consumo.

Essas versões contam com o renovado motor 2.0 Dynamic Force, que entrega 177 cv e 21,4 kgfm de torque, aliado a uma transmissão automática CVT. Com esse conjunto, o Corolla 2020 consegue médias de 11,6 km/l na cidade e 13,9 km/l na estrada.

Confira as mais de 150 listas Top 10 que temos no nosso site!

6) Audi A4 2.0 Turbo

O Audi A4 2.0 Turbo é feito atualmente na plataforma modular MLB, sendo um sedã grande, mas com peso reduzido por conta da nova arquitetura, que cortou em torno de 70 kg no peso do carro. Além disso, vem com o moderno motor EA888 2.0 TFSI com 190 cavalos e 32,6 kgfm de torque.

Equipado com transmissão de dupla embreagem S tronic de sete marchas, o Audi A4 2.0 Turbo se mostra um carro bem eficiente em consumo, fazendo 11 km/l na cidade e 14,3 km/l na estrada. Graças também à aerodinâmica, o sedã de luxo é um dos mais econômicos do mercado automotivo brasileiro.

7) Mercedes-Benz C180 1.6 Turbo

O sedã de luxo alemão é hoje um dos carros mais desejados do Brasil. Feito em Iracemápolis-SP, o luxuoso é inspirado no topo de linha Classe S e atrai por sua elegância, sofisticação, performance e economia. Nesse último, o modelo surpreende com o uso do motor 1.6 Turbo de 156 cv e 25,5 kgfm, colado em um câmbio automático de nove marchas, que dá ao carro enorme eficiência.

Na cidade, ele faz 10,6 km/l, enquanto na estrada cumpre a missão com 14,4 km/l. Vem com Start&Stop, freios regenerativos, câmbio com função roda livre, entre outros dispositivos para reduzir o consumo. Mesmo sendo flex, o modelo não perdeu sua capacidade de oferecer mais performance com menor consumo. A troca do câmbio de sete marchas pelo de nove velocidades, trouxe mais eficiência e desempenho, pois explora ao máximo o potencial do conjunto.

8) Mercedes-Benz CLA 180 1.6 Turbo

Outro modelo da marca alemã aparece logo em seguida, e com um detalhe interessante. Apesar de ter um consumo médio inferior ao irmão C180, o Mercedes-Benz CLA 180 apresenta uma média na cidade ainda melhor: 11,2 km/l. O que o fez ficar na oitava posição foi a média na estrada, que é de 13,7 km/l.

9) Volkswagen Jetta 1.4 Turbo

O Volkswagen Jetta 1.4 Turbo já está em sua nova geração, o que o manteve como um sedã bem econômico. Com consumo médio de 10,9 km/l na cidade e 14 km/l na estrada, o modelo utiliza o novo motor EA211 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 kgfm, entregando uma performance muito boa, mesmo com câmbio automático Tiptronic de seis marchas no lugar do automatizado de dupla embreagem DSG de sete marchas, antes equipado com esse tipo de motor.

10) Citroen C4 Lounge 1.6 Turbo

O Citroen C4 Lounge 1.6 Turbo é sedã médio com boa performance e também economia, tendo um bom consumo, tanto em estrada quanto em cidade. Seu motor 1.6 THP Flex de 166 cavalos na gasolina e 173 cavalos no etanol, além de 24,5 kgfm. O câmbio automático de seis marchas é bem eficiente em desempenho, oferecendo modos de condução esportiva e econômica.

Feito sobre a plataforma PF2, o C4 Lounge é um modelo que tem uma boa aerodinâmica e um peso adequado, mas que ainda não dispõe de tecnologias como Start&Stop, freios regenerativos e função roda livre no câmbio. Aliás, espera-se que a próxima geração venha com um câmbio de oito marchas, pelo menos.

Assim, vamos à lista dos 10 sedãs médios mais econômicos do Brasil:

Sedãs médios mais econômicos na cidade

Toyota Corolla Altis Hybrid – 16,3 km/l
Honda Civic 1.5 Turbo – 11,8 km/l
Audi A3 Sedan 1.4 Turbo – 11,7 km/l
Toyota Corolla 2.0 – 11,6 km/l
Chevrolet Cruze 1.4 Turbo – 11,5 km/l
Mercedes-Benz CLA 180 – 11,2 km/l
Audi A4 2.0 Turbo – 11 km/l
Volkswagen Jetta 1.4 Turbo – 10,9 km/l
Citroen C4 Lounge 1.6 Turbo – 10,9 km/l
Mercedes-Benz C180 – 10,6 km/l
Honda Civic 2.0 – 10,5 km/l
Mercedes-Benz CLA 200 – 10,3 km/l
Audi A3 Sedan 2.0 Turbo – 10,3 km/l
Mercedes-Benz C200 – 10,2 km/l
Nissan Sentra 2.0 – 9,9 km/l
BMW 320i – 9,8 km/l
BMW 328i – 9,8 km/l
Kia Cerato 2.0 – 9,6 km/l
Mercedes-Benz C300 – 9,5 km/l

Sedãs médios mais econômicos na estrada

Chevrolet Cruze 1.4 Turbo – 14,6 km/l
Toyota Corolla Altis Hybrid – 14,5 km/l
Honda Civic 1.5 Turbo – 14,4 km/l
Mercedes-Benz C180 1.6 Turbo – 14,4 km/l
Audi A4 2.0 Turbo – 14,3 km/l
Audi A3 Sedan 1.4 Turbo – 14,2 km/l
Volkswagen Jetta 1.4 Turbo – 14 km/l
Toyota Corolla 2.0 – 13,9 km/l
Mercedes-Benz CLA 180 – 13,7 km/l
Mercedes-Benz C200 – 13,6 km/l
Honda Civic 2.0 – 13,4 km/l
Citroen C4 Lounge 1.6 Turbo – 13,2 km/l
Mercedes-Benz CLA 200 – 13,2 km/l
Mercedes-Benz C300 – 13,1 km/l
Kia Cerato 2.0 – 13,1 km/l
Audi A3 Sedan 2.0 Turbo – 12,8 km/l
BMW 320i – 12,8 km/l
Nissan Sentra 2.0 – 12,7 km/l
BMW 328i – 12,5 km/l

Galeria de fotos dos 10 sedãs médios mais econômicos do Brasil:

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.