*Destaque Listas Top 10 Mercado Preços

Top 10: os menores carros do Brasil

Top 10: os menores carros do Brasil

Quais são os menores carros vendidos no Brasil? E especificamente o menor carro do Brasil? Hoje em dia, com o crescente aumento da frota de veículos no território nacional (principalmente nas grandes cidades), está cada vez mais difícil sair nas ruas a bordo de um automóvel sem se estressar, sobretudo se o seu exemplar ostentar dimensões avantajadas, o que dificulta na hora de encontrar uma vaga para estacionar. Portanto, a solução é apelar para o precário sistema de transporte público ou substituir seu carro por um modelo bem menor.


O mercado brasileiro de automóveis dispõe de uma série de opções de carros bastante compactos, com preços que se iniciam na faixa dos R$ 35 mil, podendo ultrapassar os R$ 100 mil no caso dos carros das marcas premium. Vale lembrar que o Fortwo, da Smart, deixou de ser importado, conforme informação da central de atendimento da empresa.

Veja também: Os sedãs com os maiores porta-malas do Brasil

Confira abaixo uma lista dos dez menores carros à venda no País, levando em consideração o comprimento:

1) Fiat 500 – 3,54 metros

Se o desejo for estacionar na garagem um carro relativamente mais refinado, há o Fiat 500 com seus 3.546 mm de comprimento, 1.627 mm de largura e 1.497 mm de altura, com distância entre-eixos de 2.300 mm. O porta-malas, por sua vez, comporta apenas 185 litros, o suficiente para colocar algumas sacolinhas da compra de supermercado de meio de semana.


Agora sob encomenda, o Fiat 500 Cult, o mais básico da linha, custa R$ 56.900 e usa um motor 1.4 Fire de quatro cilindros de até 88 cv e 12,5 kgfm, com câmbio manual ou automatizado Dualogic, ambos de cinco marchas. Nos itens de série, há airbags frontais, freios ABS com EBD, controles de estabilidade e tração, volante e banco do motorista com ajuste de altura, computador de bordo, direção elétrica com dois modos de condução, faróis com regulagem elétrica de altura, assistente de partida em rampas, sistema de som, rodas de liga-leve aro 15, entre outros.

Veja também: Opinião de dono – Fiat 500 Cult 1.4

Não há mais outras versões na linha, como a Cabrio, que tinha teto removível de tecido, com opção de motor 1.4 de 107 cv e 13,8 kgfm, com câmbio automático de seis marchas, e até mesmo o esportivo Abarth, que tinha preço inicial de R$ 94 mil e usa um motor turbo de 167 cv e 23 kgfm, com transmissão manual de seis velocidades.

Nascido em 2007, o Fiat 500 inicialmente era feito apenas na Polônia, originando também o Ford Ka europeu da segunda geração e o Fiat Panda atual. Algum tempo depois, passou a ser feito também no México, mas com muitas mudanças para atender as regras de segurança nos EUA.

Com inúmeras personalizações, o modelo ganhou inclusive versões Abarth, desde a menos poderosa até as séries de alta performance, tais como 595 e 695, incluindo a célebre Tributo Ferrari, que usa câmbio de dupla embreagem do fabricante de Maranello. Aqui, chegou importado da Europa e como carro de nicho, com preços bem altos. Depois, veio do México, mas aí já com motor Fire Flex nacional e algumas limitações, embora ainda ostentasse as versões Cabrio e Abarth. Nunca vendeu bem e em 2017 teve algumas unidades sob encomenda.

2) Chery New QQ – 3,56 metros

Top 10: os menores carros do Brasil

Nacionalizado recentemente, o Chery New QQ é outro carro de origem chinesa a fazer parte dessa lista. O modelo mede 3.564 mm de comprimento, 1.620 mm de largura e 1.527 mm de altura, com distância entre-eixos de 2.340 mm. Já o porta-malas do hatch leva apenas 160 litros. Para levar um New QQ para casa, a Chery pede R$ 29.990 pela versão mais básica e R$ 31.490 pela topo de linha.

Nas duas variantes, o Chery usa um motor 1.0 litro de três cilindros a gasolina, que consegue entregar 69 cavalos de potência e 9,5 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas. Pequeno e leve, ele vem com direção hidráulica, trio elétrico, ar-condicionado, sistema de áudio simples com USB e auxiliar, faróis de neblina, rodas de liga leve, airbag duplo, freios ABS, entre outros.

Veja também: Chery New QQ tem motor Flex e nova versão

Entre os itens de série da configuração de entrada, há airbag para motorista e passageiro, luzes de condução diurna, freios ABS com EBD, ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros, banco do motorista com ajuste de quatro posições, bancos traseiros rebatíveis, rádio AM/FM e USB, dois alto-falantes, direção hidráulica, trava central por comando remoto, computador de bordo, rodas de aço com calotas, faróis com ajuste elétrico de altura, entre outros.

O projeto do Chery New QQ é de segunda geração do modelo, pois a primeira surgiu em 2003, quando a Chery virou notícia ao ter seu carrinho comparado ao Daewoo Matiz, então da GM, que obrigou a SAIC à retirar sua participação de 20% na montadora de Wuhu. Foi vendido aqui inicialmente nessa geração velha e agora evoluiu para um modelo mais moderno, que na China tem até uma versão elétrica. Lá ele é oferecido por um preço extremamente baixo, mas nem faz mais parte da gama principal da marca. Aqui, passou a ser feito em Jacareí-SP, onde a fábrica e a operação brasileira foram assumidas pela CAOA. Vendeu 3.215 unidades em 2017.

3) Fiat Mobi – 3,56 metros

Top 10: os menores carros do Brasil

Outro carro da Fiat a ocupar essa lista é o Mobi. Recém-chegado no mercado, o subcompacto é o quarto menor carro do País, com apenas 3.566 mm de comprimento, 1.633 mm de largura e 1.490 mm de altura, com entre-eixos de 2.305 mm. O porta-malas também é bastante pequeno, com capacidade para 235 litros.

O Fiat Mobi tem preço inicial de R$ 34.690, podendo chegar a R$ 46.790 na versão mais completa (sem opcionais), sendo que todas usam o motor 1.0 Fire flex de quatro cilindros de até 75 cv e 9,9 kgfm, com câmbio manual de cinco marchas.

Veja também: Tudo sobre o Fiat Mobi

A versão de entrada oferece airbags frontais, freios ABS com EBD, follow me home, painel de instrumentos com tela digital de 3,5 polegadas, rodas de aço de 13 polegadas, tampa do porta-malas em vidro, entre outros.

Nascido fora do tempo, o Fiat Mobi foi um projeto para os anos de pujança do mercado nacional após a crise mundial. Com vendas em alta, a marca italiana apostou num subcompacto que venderia muito bem. Porém, demorou demais para lança-lo e quando o fez, foi justamente quando havia retração e o cliente simplesmente sumiu das lojas. Assim, com marketing pesado e descontos à vontade, a marca conseguiu fazer o carrinho pegar no tranco em termos de vendas e hoje ele já anda com suas próprias rodas… Como se trata de um Fiat, pequeno e barato, não poderia deixar de ser bem vendido: 54.270 em 2017.

4) Kia Picanto – 3,59 metros

Top 10: os menores carros do Brasil

Com 3.595 mm de comprimento, 1.595 mm de largura e 1.490 mm de altura, além de entre-eixos de 2.385 mm e porta-malas com capacidade para 292 litros, o Kia Picanto se posiciona como o quinto menor carro do Brasil. O hatch da montadora coreana está disponível em duas versões, com preço de R$ 40.490 e R$ 51.990.

A variante mais básica do Picanto oferece airbags frontais, freios ABS com EBD, ar-condicionado, rodas de aço aro 14, sistema de som com entradas auxiliar e USB e conexão Bluetooth, volante multifuncional, luzes diurnas, sistema Isofix, chave tipo canivete, entre outros. A topo de linha agrega câmbio automático, retrovisores externos com regulagem e rebatimento elétricos, aquecimento e setas em LED, cintos de segurança traseiros de três pontos e rodas de liga-leve aro 14.

Veja também: Opinião de dono – Kia Picanto

O motor que equipa o carrinho é um 1.0 litro flex de três cilindros, capaz de entregar até 80 cv e 10 kgfm, com câmbio manual de cinco velocidades ou automático de quatro marchas. Com essa mecânica simples, o pequeno compacto da Kia Motors continua sendo uma opção urbana bem interessante.

Recentemente, sem mais nem menos, a importadora trouxe a nova geração sem divulgar uma letra sequer. Através de concessionários, o mercado ficou sabendo da versão GT por aqui, vendida a R$ 59.900, mas com a mesma motorização. Mais moderno, o pequenino não cresceu, mas ganhou alguns centímetros em entre-eixos. Com visual mais agressivo, traz até multimídia com câmera de ré, LEDs diurnos e novas rodas de liga leve “cruz de malta”. Ficou bem mais bonito, mas não se sabe quantos estão disponíveis na rede. Se interessar, corra antes que acabe!

5) Volkswagen up! – 3,60 metros

Top 10: os menores carros do Brasil

O Volkswagen up! é um dos mais lembrados quando o assunto é carro compacto. No entanto, o modelo de entrada da marca alemã não é o menor do mercado: ele ocupa a sexta posição, com seus 3.605 mm de comprimento, 1.645 mm de largura e 1.500 de altura, com distância entre-eixos de 2.421 mm. Já o porta-malas tem capacidade para 285 litros.

A linha do Volkswagen up! dispõe de uma série de versões, com preços entre R$ 34.430 e R$ 53.880, com motor 1.0 litro flex de três cilindros, que rende até 82 cv e 10,4 kgfm, ou o 1.0 TSI flex, com turbo, que entrega 105 cv e 16,7 kgfm, ambos com câmbio manual de cinco velocidades (o primeiro oferece ainda transmissão i-Motion automatizada).

Veja também: Tudo sobre o Volkswagen Up

Nos itens de série da variante mais básica, há airbags frontais, freios ABS com EBD, sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, banco do motorista com ajuste de altura, chave tipo canivete, antena no teto, rodas de aço de 14 polegadas com calotas, entre outros.

O Volkswagen up! foi pensado inicialmente como um sucessor espiritual do Fusca. Nada como a geração atual do clássico alemão, que é focada em trazer o estilo de volta, mas sem compromisso com preço. Essa tarefa havia sido passada para o futuro subcompacto da VW, que após diversos diversos conceitos, até com motor traseiro, acabou originando um carrinho com plataforma única, que fez nascer também os irmãos Seat Mii e Skoda Citigo.

Aqui no Brasil, chegou revolucionando, pois usa mais aços especiais que um Audi A3 Sedan, por exemplo. O motor 1.0 MPI de três cilindros foi um bom ganhou em eficiência, mas o 1.0 TSI revolucionou pela segunda vez, tornando-se o melhor de dois mundos ao fazer o up! TSI mais econômico que o 1.0 aspirado e com performance de carro grande. Ainda assim, surgiu com câmbio longo de cinco marchas e foco na eficiência energética. Em 2017, vendeu 34.161 unidades devido ao alto preço, pois foi reposicionado para ficar acima do Gol.

6) Suzuki Jimny – 3,64 metros

Top 10: os menores carros do Brasil

O Suzuki Jimny é o único carro desta lista sem vocação para ser um veículo de passeio. Nesse caso, a proposta do carrinho é off-road. O modelo da marca japonesa tem 3.645 mm de comprimento, 1.600 mm de largura e 1.705 mm de altura, com distância entre-eixos de 2.250 mm.

O porta-malas também é bastante limitado, com capacidade para apenas 113 litros, enquanto o espaço interno é para quatro pessoas. Com preço inicial de R$ 65.990, o Jimny oferece um motor 1.3 litro a gasolina, que consegue entregar até 85 cv e 11,2 kgfm, com câmbio manual de cinco marchas e tração nas quatro rodas.

Nos itens de série, há airbags frontais, faróis e lanternas de neblina, sistema de som com MP3 player e AM/FM, retrovisores elétricos, rack de teto, ar-condicionado, entre outros. Focado inteiramente no fora de estrada, o jipinho japonês é feito em Catalão-GO, mas era feito em Itumbiara, uma cidade próxima. Pequeno e versátil, ele manda bem no 4×4 e tem atributos que o tornam um aventureiro muito capaz, inclusive ganhando até versão para trabalhos em áreas rurais ou de difícil acesso.

O projeto nasceu nos anos 70, mas de lá para cá, evoluiu pouco, pois não se precisa de muito para atuar em seu segmento. Tanto é que a nova geração surgiu remetendo há décadas atrás em termos de estilo, mas manteve a mecânica e o sistema de tração nas quatro rodas, embora agora com um pouco mais de tecnologia. Ainda não se sabe se esta geração será feito aqui por conta dos custos, visto que o modelo precisa ser barato para manter o bom custo-benefício.

7) Renault Kwid – 3,68 metros

Top 10: os menores carros do Brasil

O Renault Kwid é o modelo mais recente no mercado, de todos da lista. Ele chegou ao Brasil tentando se firmar como o “SUV dos compactos”, mas todos nós sabemos que ele não é nada disso. Se trata de um modelo subcompacto, como um Fiat Mobi ou Volkswagen Up, e isso fica evidente pelo seu entre eixos de 2,42 metros. A altura do Renault Kwid é de 1,47 metro.

Ele tem muitas qualidades. Uma delas é seu preço reduzido perante a concorrência, o que tem balançado o mercado brasileiro de carros populares. Sua motorização é 1.0 de três cilindros, o mesmo motor de Renault Sandero e Logan, porém sem a abertura variável de válvulas, por isso sua potência é menor, 66 e 70 cavalos com gasolina e etanol, diferente dos seus irmãos maiores, que chegam a 80 e 82 cavalos.

Veja também: Tudo sobre o Renault Kwid

O Kwid tem versões mais simples, sem muitos equipamentos, para conseguir entregar um preço menor (no lançamento a versão mais barata do Kwid estava cotada a R$ 29.990). Mas, por outro lado, ele tem airbags laterais em todas as versões, o que é excelente em termos de segurança. Nasceu na Índia, onde foi criticado por sua segurança, embora tivesse preço competitivo. Aqui, a Renault aplicou airbags laterais, mas ainda assim, teve resultado mediano com três estrelas. Chamado de “SUV dos compactos”, não passa de um hatch urbano de custo baixíssimo. Vendeu 22.576 em 2017.

8) Toyota Etios – 3,77 metros

Top 10: os menores carros do Brasil

Se você está em busca de um carro de passeio japonês compacto, há o Toyota Etios com seus 3.777 mm de comprimento, 1.695 mm de largura e 1.510 mm de altura, com distância entre-eixos de 2.460 mm. O porta-malas, por sua vez, comporta até 270 litros. Para levar um exemplar do hatch para casa, é preciso desembolsar a partir de R$ 47.350.

Na motorização, há um 1.3 litro flex de quatro cilindros, de até 98 cv e 13,1 kgfm, ou um 1.5 litro flex de até 107 cv e 14,7 kgfm, ambos com câmbio manual de seis velocidades ou automático de quatro marchas.

Veja também: Tudo sobre o Toyota Etios

O Etios X, o mais básico da linha, é equipado com painel de instrumentos digital Toyota Smart Screen, computador de bordo, banco traseiro com encosto rebatível, direção eletro-assistida progressiva (EPS), ar-condicionado, chave com comando de abertura e fechamento das quatro portas, vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico, travas elétricas, airbags frontais, freios ABS com EBD, entre outros.

Simples demais, é outro projeto que nasceu na Índia e que foi migrado para o Brasil. Mesmo pobre em estilo e acabamento, acabou vendendo bem por conta da imagem da marca e pela boa dirigibilidade. Mas, não conseguiu evoluiu do atual patamar de vendas, missão que a Toyota vai conferir ao mais moderno Yaris. Vendeu 41.986 exemplares no ano de 2017.

9) Fiat Uno – 3,82 metros

Top 10: os menores carros do Brasil

Além do 500 e do Mobi, o Fiat Uno também faz parte do top 10 dos carros mais compactos do País. O modelo, que foi renovado recentemente com a adoção de motores mais modernos, mede 3.820 mm de comprimento, 1.636 mm de largura e 1.480 mm de altura, com distância entre-eixos de 2.376 mm. O porta-malas consegue levar até 280 litros.

O Uno está disponível nas versões Attractive, Way e Sporting, sendo as duas primeiras com motores 1.0 litro flex de três cilindros, de até 77 cv e 10,9 kgfm, e a última com um 1.3 litro flex de quatro cilindros, de até 109 cv e 14,2 kgfm, disponível também para a Way, com opção de câmbio automatizado Dualogic.

Veja também: Tudo sobre o Fiat Uno

A versão mais em conta do Uno parte de R$ 41.840 e oferece airbags frontais, freios ABS com EBD, ar-condicionado, direção elétrica, painel de instrumentos com tela LCD, computador de bordo, volante com ajuste de altura, vidros dianteiros elétricos com one touch e antiesmagamento, travas elétricas, rodas de aço de 14 polegadas com calotas, follow me home, entre outros. O modelo Sporting 1.3 Dualogic começa em R$ 53.690.

Em sua segunda geração, o Fiat Uno se mantém como intermediário entre o Mobi e o Argo. O projeto atual já recebeu uma atualização visual e mecânica, mas deve evoluir para a plataforma do Argo e gerar um equivalente SUV, mas da marca Jeep, assim como seu irmão italiano Panda o fará com o mesmo produto na Europa.

10) Nissan March – 3,827 metros

Top 10: os menores carros do Brasil

De origem japonesa, o Nissan March está entre os 10 menores carros vendidos no país, após a saída do JAC J2. Com 3,827 m de comprimento, 1,675 m de largura, 1,528 m de altura e 2,450 m de entre-eixos, o compacto é feito em Resende-RJ e tem um porta-malas com 265 litros e um tanque com apenas 41 litros.

Oferecido nas versões S, SV e SL, o Nissan March tem motores 1.0 12V de 77 cv e 1.6 16V com 111 cv, sendo este último com opção de câmbio automático CVT. Os preços partem de R$ 44.390 na S, já que a Conforto saiu de cena, talvez por pouca demanda. A versão mais completa é a SL CVT, que custa R$ 61.790.

O Nissan March geralmente oferece ar-condicionado, direção elétrica, trio elétrico, rodas de liga leve aro 15 polegadas, faróis de neblina, sensor de estacionamento, multimídia MultiApps com aplicativos de smartphone e conexão via Bluetooth, computador de bordo, câmbio CVT, detalhes cromados, câmera de ré, airbag duplo, freios ABS, entre outros. A atual geração será substituída pela nova, mas esta chegará com base no Kicks e provavelmente estreando um motor 1.0 turbo ou equivalente.

Top 10: os menores carros do Brasil
Nota média 5 de 1 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email