Ford Híbridos Sedãs Usado da semana

Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

ford-fusion-hybrid-usado-semana-9 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

O motivo de ter trocado um Fusion por um… Fusion

É interessante o que leva uma pessoa a escolher um determinado veículo. Alguns pensam em custo, alguns em pensam em status, outros pensam em esportividade, motor, conforto… No final das contas todos tem alguma prioridade e pagam o que acham justo (dentro das opções) pelo modelo que lhes agrada mais. Esse é o famoso: custo-benefício.

Quando decidi comprar o meu primeiro Fusion, um modelo 2014 AWD, a primeira pergunta que um amigo me fez foi: Porque não levar um alemão? E é uma excelente pergunta que pretendo responder até o final desse texto.



Na minha opinião o Fusion deu um salto enorme na atual geração: em tecnologia, em design, em motor… Foi um dos exemplos do One Ford, que objetivava levar carros com design e tecnologias únicos para todos os países. E, acho, que atendeu bem a proposta que lhe foi dada.

O Fusion 2014 é um carro lindo. Tem presença, tem conforto, tem motor, mas nem tudo é perfeito. Um carro de 120 mil reais (o que paguei na época) não tinha rebatimento elétrico dos retrovisores, luzes diurnas de LED ou monitor individual da pressão dos pneus, por exemplo.

Quando resolvi trocar de carro havia colocado como objetivo um carro sedã (SUVs não são meu estilo) que oferecesse pelo menos o que o Fusion me oferecia em termos de tecnologia semiautônoma: piloto automático adaptativo (ACC), alerta de mudanças de faixa, alerta de colisão, Park Assist…

Alguns podem argumentar: carro meu, dirijo eu. E concordo… quando não estou extremamente cansado, voltando para casa com um transito absurdo, estressado depois de um longo dia de trabalho. Nessa hora eu quero um carro que me ofereça o máximo de conforto. O piloto automático adaptativo é capaz de freiar e acelerar o carro conforme o trânsito avança e, alguns podem não acreditar, depois que você descobre que isso existe e experimenta, não consegue mais viver sem.

ford-fusion-hybrid-usado-semana-4 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

Com algumas ideias em mente parti em minha busca pelo carro que poderia substituir o meu Fusion. Honestamente eu não queria outro Fusion, queria experimentar algo diferente. Coloquei como meta até 200 mil reais. E passei a olhar aqueles que se encaixavam mais no meu perfil.

Os alemães são lindos, chamam a atenção, tem motores e acabamento excelentes… Mas no quesito tecnologia: deixam a desejar. Nenhum tinha ACC. O único que iria ter esse item como opcional era o Audi A4, porém, apenas no modelo topo de linha, que ainda não havia sido lançado, e com um preço maior do que a minha meta. Classe C e BMW Série 3 tem esse item… Mas não no Brasil, pois ouvi dizer que foi algo relacionado à homologação. Pelo menos o C200 tem o Park Assist.

Passei pela Nissan: o Altima é um carro honesto pelo preço que tem, mas está defasado em relação ao modelo norte americano e não se encaixava dentro daquilo que buscava. O Jaguar XE Pure, de entrada, não estava sendo vendido em Brasília nem por encomenda. Só há versão de 230 mil reais. E o ACC, apesar de constar como opcional no site, me foi informado pelo vendedor que só poderia ser pedido no modelo topo, de quase 300 mil reais.

O 508 não existe mais, Renault não tem carro na mesma categoria, Azera já estava defasado e não tinha o que eu queria, Malibu não foi trazido para o Brasil, Optima foi uma promessa que não chegou, Camry parado no tempo, Accord não chega perto em itens idem…

Eis que achei um concorrente que me agradou: Passat. Alemão, acabamento impecável, recheado de itens de tecnologia, motor forte e econômico, com visual discreto, mas lindo.

Procurei em várias concessionárias o veículo e a resposta era sempre a mesma: apenas por encomenda. Eu não queria comprar um carro sem ter visto antes pessoalmente. Mas dentre todos, e na relutância de comprar outro Fusion, estava quase cedendo e fechando negócio com a VW.

ford-fusion-hybrid-usado-semana-2 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

Foi quando um vendedor da concessionária do setor sul, em Brasília, me ligou dizendo que tinha um Passat 2017 chegando na semana seguinte: branco (a cor que eu queria), com interior caramelo (eu queria bege, mas caramelo também servia). Ele queria que eu depositasse um sinal para poder segurar o carro: eu falei que não. Se o carro estivesse vendido quando eu fosse ver, então não era para ser meu (e realmente não era).

Quando o carro chegou ele me ligou novamente. Saí do meu trabalho e fui até a VW. Na minha cabeça seria meu novo carro. Estava indo na intenção real de fechar negócio. Quando cheguei lá, me impressionei: o carro é lindo pessoalmente. Interior um espetáculo (painel totalmente digital), massageador de banco, acabamento perfeito…

Segui a até a mesa do vendedor, negociamos o valor (tinha subido o preço, pois seria o modelo 2017), acertamos um sinal e foi aí que vi um carro entrando no estacionamento da concessionária e fazendo baliza. Resolvi perguntar: o Park Assist do Passat faz baliza e garagem?

Foi somente aí que o vendedor resolveu me falar que o Passat perdeu vários itens de série: assistente de mudança de faixa, som premium, Park Assist e outros itens menores. Decepção. Não poderia ter expressão melhor para descrever o meu sentimento naquele momento.

O vendedor tentou me convencer com um papo de que o carro era excelente e melhor do que o que eu já tinha. Me ofereceu descontos. Tentou realmente efetuar a venda. Um bom vendedor em uma marca que não parecia não ter vontade de vender seus produtos.

ford-fusion-hybrid-usado-semana-10 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

Resultado: resignado, percebi que para mim teria que ser outro Fusion

O Fusion é um carro legal, não me entendam mal, mas eu queria um carro com tudo que o Fusion tem, mas que não fosse ele novamente. As outras marcas cobravam mais caro, por carros com menos. Talvez vocês tenham outra opinião, mas não acho que é a toa que o Ford é o líder disparado da categoria. Arrisco dizer que em nenhum outro segmento a distância entre o líder e os outros colocados é tão grande.

Fechei o negócio em um Fusion Hybrid 2017. Negociei com uma concessionária próxima ao aeroporto. Já havia procurado atendimento em concessionárias premium e digo: eles merecem o título, o atendimento na Mercedes é exemplar. Sem margem para reclamações.

Na Ford o atendimento é “Ok”! O vendedor se esforçou para vender o carro, se mostrou interessado, me ligou, insistiu… Ou seja, fez seu papel de vendedor. A questão é que não tinha muito conhecimento do veículo que estava vendendo. Na Mercedes a vendedora tinha tudo na ponta da língua. Na Ford, qualquer dúvida mais específica o vendedor tinha que ligar na central para saber (o mesmo aconteceu na VW e na Hyundai). Não é algo que me fez desistir do carro, mas acho que é ponto negativo para a Ford aí.

ford-fusion-hybrid-usado-semana-7 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

Peguei o carro no dia 04/11. Já havia experimentado a versão com motor EcoBoost e achei que poderia ser a mudança que eu que estava procurando. Um carro híbrido.

Com relação a entrega do veículo, outro ponto negativo: a atendente disse que não poderia me explicar a maior parte das funções porque ela não teria recebido o treinamento ainda. Eu tentei argumentar que a maior parte das funções eram iguais às do modelo anterior e eu só precisava de informações quanto ao modo híbrido.

Ela me respondeu: “só vendemos um desse na vida e outro na morte, também não vou poder ajudar”. Vi que ela se esforçou para tentar entender junto comigo, mas não era o que eu esperava. Depois disso me pediu para avalia-la bem, pois precisava disso… Sem comentários.

ford-fusion-hybrid-usado-semana-6 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

Enfim… voltando ao Fusion

O carro é muito bonito.  A questão estética é absolutamente pessoal! Eu, particularmente, acho um veículo muito bonito. Nas ruas é comum ver pessoas olhando. Não há tantas diferenças externas em relação ao modelo 2016. Visualmente há os faróis que agora são full led, novas rodas diamantadas e nova disposição das lanternas traseiras com filete cromado atravessando o porta-malas.

Honestamente acho que o cromado não combina com o carro mas, no geral, acho que a Ford conseguiu fazer um facelift sem deixar o carro com a aparência de remendo, como muitas vezes ocorre.

O Fusion parece um veículo feito para te tratar bem! Antes mesmo de entrar já se percebe o conforto: a partida pode ser feita a distância diretamente na chave. De longe o motorista liga e coloca bancos e retrovisores na posição adequada para o portador de cada chave e ainda liga o ar-condicionado (é uma “mão na roda” em dias mais quentes).

Não que seja necessário estar com chaves em mão para entrar no veículo, há um prático sistema keyless – basta a chave estar no bolso e ao se colocar a mão na maçaneta o veículo destrava as portas. Ao sair deve-se passar o dedo no relevo da maçaneta para que ocorra o travamento e ativação do alarme. Seria mais prático se o carro se travesse apenas com o afastamento da chave (como no Fluence), mas…

ford-fusion-hybrid-usado-semana-5 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

O sistema de entrada por senhas é particularmente útil para aqueles momentos em que não se quer andar com a chave (ao ir a praia ou academia, por exemplo): ao passar o dedo na coluna central do carro, um teclado numérico sensível ao toque é revelado. Ao apertar as duas últimas fileiras de números ao mesmo tempo o carro trava com a chave dentro.

Ao retornar basta digitar a senha (que pode ser escolhida pelo usuário) para entrar novamente no carro. Caso o motorista queira apenas entrar no carro (para pegar algum objeto esquecido, por exemplo) e não esteja com a chave, pode-se digitar a senha e o acesso é liberado. A partida, no entanto, só é feita com a chave no interior do carro.

Não há compartimento específico para o apoio das chaves (o Fluence tem partida sem chave, mas ainda assim há um compartimento para o cartão!) e a partida é feita por botão. Ao se dar partida, o carro desloca os bancos para a posição correta relacionada a chave (ao desligar o banco é afastado para trás – um sistema que a Ford chama de saída fácil).

Os bancos possuem, ainda, 2 posições de memória (eram 3 no modelo pré-facelift) que podem ser relacionadas a determinada chave. A posição ideal é fácil de ser encontrada: a regularem é elétrica em 10 posições para o motorista e para o passageiro (no modelo anterior o passageiro não possuía ajuste lombar). Os bancos são revestidos em couro de boa qualidade, relativamente confortáveis (inferiores porém, quando comparados aos bancos de gravidade zero do Altima) e possuem aquecimento e resfriamento (ajustado em 3 níveis).

Ao ligar o carro (por meio de um botão) uma surpresa agradável: ruído zero. O carro é um silêncio total. Só sabia que estava ligado, pois um aviso no painel me informava. O carro ainda possui vidros acústicos e um sistema de cancelamento de ruídos.

Ao colocar o carro no modo D, outra surpresa: o carro possui seletor giratório e o o freio de mão desarma automaticamente ao se pisar o pé no acelerador. A alavanca giratória não fez muito sentido para mim. Talvez eu não tenha me acostumado ainda, mas às vezes me pego “rodando” para o lado errado. Para mim dá mais trabalho que o câmbio convencional.

ford-fusion-hybrid-usado-semana-3 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

O interior, na descrição de um grande amigo meu, parece um vídeo-game. E é verdade: o painel possui três telas de LCD os botões físicos dos controles de ar-condicionado (antes eram touch) e vários pontos de LED (que mudam de cor dentre sete opções disponíveis).

O ar-condicionado é bem potente e consegue resfriar o ambiente com relativa rapidez. Os comandos são bem intuitivos e podem ser feitos de 4 maneiras: por meio de teclas na parte inferior do painel, pela tela de LCD central, pelos ajustes no computador de bordo comandados ao volante ou, ainda, por meio de comando de voz!

As temperaturas são ajustadas de maneira independente para motorista e passageiros (dual zone) e possui saída pra os passageiros do banco traseiro (que recebem a mistura das temperaturas dos que andam na frente).

Os passageiros de trás tem um excelente espaço para as pernas, porém, devido ao ressalto do teto solar, pessoas mais altas podem ter dificuldade de lidar com o teto mais baixo. Atrás há ainda uma tomada de 110V (iguais a essas de casa), interessante para quem quer dispensar o carregador veicular ou precisa utilizar um computador portátil.

A central multimídia (que a Ford chama de Sync 3) tem acesso ao Google Android Auto e ao Apple CarPlay. Somente usei o segundo, que achei ainda bem limitado. Não possui navegação por mapas no Brasil (nem mesmo tem mapas para você olhar) e disponibilidade de pouquíssimos aplicativos. Pelo menos o que tem funciona muito bem: o aplicativo músicas e o de podcasts deixam os padrões no chinelo.

ford-fusion-hybrid-usado-semana-1 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

Onde acho que o carro mais se destaca são nas tecnologias de auxílio de direção. O sistema de permanência em faixa ajuda o motorista a se manter dentro dos limites laterais da via (fica amarelo ao se aproximar da faixa lateral e vermelho ao ultrapassa-la sem dar seta).

Ao se mudar de pista sem dar a sinalização, o veículo entende que é uma mudança não intencional e tenta colocar o veículo na faixa anterior (uma leve puxada no volante), nessa situação o veículo vibra o volante (como um celular) para alertar do ocorrido. Caso o motorista repita essa operação várias vezes um alerta aparece no painel sugerindo uma parada para descanso.

Há sensores de estacionamento em 360 graus (no anterior eram frontais e traseiros), mas não há câmera em 360 graus. Os sensores da frente servem ainda ao sistema de piloto automático adaptativo: se estabelece a velocidade desejada (ex: 80 km/H), caso a velocidade do carro a sua frente seja menor o Fusion automaticamente reduz a velocidade e mantém uma distância segura do veículo da frente, retomando a velocidade preestabelecida quando o trânsito voltar a fluir. É especialmente útil em situações de trânsito um pouco mais intenso.

Aqui em Brasília me deixa tranquilo no anda e para do transito. Sério: não compraria mais um carro sem esse item. Ele é capaz de parar totalmente o carro. Se ficar parado mais de três segundos ele desativa, mas basta apertar o botão RES para ele voltar a velocidade que estava a partir do zero (ou seja: pernas sempre descansadas).

Na estrada o sistema de faróis altos automáticos identifica carros na direção oposta e reduz o faixo sozinho (todo carro deveria ter isso!). Em itens de segurança ainda se destacam: 8 airbags (mais os airbags de cinto), detector de pedestres e alerta de colisão.

O Park Assist ou sistema de estacionamento automático é capaz de fazer a baliza do veículo em vagas cerca de um metro maiores do que o tamanho do carro. Aperta-se um botão no console central e aplica-se a seta para o lado desejado.

ford-fusion-hybrid-usado-semana-11 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

Ao identificar uma vaga do tamanho certo o sistema avisa: o motorista deve controlar apenas pedais e marchas (como indicado na tela), o carro faz o esterçamento do volante sozinho! É legal para mostrar pros amigos ou para vagas muito apertadas de baliza (ele também tira da vaga), mas para vagas de garagem acho que demora muito e, se tiver uma coluna de concreto, ele acaba se perdendo um pouco.

Com relação ao motor híbrido: ainda me acostumando. Mas é interessante o funcionamento. O motor elétrico funciona apenas em situações que exigem pouco do motor. Ele pode ser usado para acelerar, mas com pé bem leve (chega a atrapalhar se você ficar tentando usar apenas o motor elétrico). Na prática o motor a combustão serve para acelerar, subidas ou quando não há carga na bateria.

O motor elétrico fica mais ativo quando o carro está parado ou quando você está mantendo velocidade constante (de cruzeiro). De acordo com a Ford, o motor elétrico pode ser usado até 100 km/h. Quando eu vi essa afirmação pela primeira vez eu havia entendido que você poderia sair de casa e chegar no trabalho sem usar o motor a combustão, apenas com o elétrico. Mas não é isso que acontece. Há sempre uma troca para o motor a combustão quando se exige um pouco a mais.

Nem tudo são flores no entanto. Achei os bancos mais duros dos que tinha anteriormente. No meu anterior, o interior era preto, nesse é bege. Não sei se o couro é diferente ou se é o banco que é assim mesmo. Mas o banco está mais duro. Quando passo mais que uma hora no banco chego a ficar incomodado. O modo saída fácil, que afasta o banco ao desligar o carro, agora desliza menos o banco para trás (quase nada na verdade).

ford-fusion-hybrid-usado-semana-8 Carro da semana, opinião do dono: Ford Fusion Hybrid 2017

O acabamento como um todo caiu de qualidade. No retrovisor tinha molduras pretas em black piano, agora são foscas. O modelo anterior tinha porta luvas com revestimento aveludado, agora é plástico duro. Algumas peças estão firmes no painel, mas parecem fora de alinhamento (pelo menos para olhares mais críticos), o mesmo acontece com o friso cromado na traseira.

Percebo que tem alguns barulhos na suspensão: na Ford me disseram que está relacionado ao funcionamento do motor elétrico, mas ainda assim incomoda. O motor a combustão também achei com um volume de ruído acima do aceitável, mesmo com as tecnologias de cancelamento de ruído.

Os botões do som são feios. Antes eram pouco funcionais (touch), mas eram bonitos. Poderiam ter feito algo bonito e funcional. O retrovisor rebatível deveria ser ativado ao travar o carro. De nada adianta se eu só lembro depois que saí. Tenho que voltar, ligar a energia do carro para poder ativar. E o atual continua não tendo abertura elétrica do porta-malas (item disponível no Edge).

São pequenas coisas que não chegam a tirar o prazer de ter o carro, mas que deveriam ter recebido mais atenção da montadora. O carro, como um conjunto, é excelente e acho que realmente faz um páreo duro na sua faixa de preço. Para mim é tão verdadeira a afirmação que levei por duas vezes para casa. É um carro que me atende pelo preço (dentre os concorrentes) que me parece mais justo.

E é justamente aí que chego novamente ao item do início deste texto: custo benefício. Isso para mim é aquilo lhe oferece o máximo que você precisa pelo menor preço. E no caso do Fusion, ele é (na minha opinião) um carro com excelente custo-benefício. Atende ao que quero e espero de um veículo por um preço que nenhum outro tem.

Agradecimentos ao Vinícius Santana.

5.0

  • Bruno Silva

    Sendo sincero e MEU ponto de vista. Nunca trocaria um carro por ele mesmo na mesma geração (mesmo com facelift etc). No mais, não ligo muito para esses firulas, usei o Park Assist 1 vez só da Tiguan e tenho certeza que não faz a mínima diferença. Outra, levaria o Passat porque quem entra nos dois sabe que o alemão é outro nível em acabamento e refinamento, mecanicamente então é outro patamar. Boa sorte com o carro, se você comprou o que quis fez o melhor negócio, quem sou para discordar. Apenas não faria o mesmo.

    • Licergico

      mais não tem o acc com stop & go que o cara queria …

      • radiobrasil

        Tem outra GRANDE diferença… Desempenho, o Ecoboost é beeem mais divertido

        • Gran RS 78

          Mas esse motor do hybrid não é o ecoboost.

          • radiobrasil

            Então, ele TINHA um 2.0T Ecoboost (238cv e 35 de torque) e trocou pelo Hybrid com 190cv combinados…
            O Rubinho testou na pista as 2 versoes no Vellocittá e a diferença foi de 7seg!

            • Edson Fernandes

              Pois é… para ver como muita gente não dá atenção a apenas ao maximo desempenho. E como ele foi dono de um ecoboost, sabe que esse dá conta tranquilamente do recado com um consumo baixo.

              Agora… não sabia que o ACC era possivel de acionar sem precisar acelerar. Isso me animou!

              • Vinny

                Oi Edson. Eu acho interessante um motor potente, mas acho que o híbrido tem me servido bem. Não sou de pisar muito, gosto do conforto! rs
                Quanto ao ACC dá pra usar somente com as mãos se você preferir. Se você não tiver colocado nenhuma velocidade ainda ao ativar ele ativa em 30 km/h.

                • Edson Fernandes

                  Perfeito. Vinny, eu não sou do tipo que precisa de ter o carro mais potente da categoria, mas um motor que consiga fazer o carro movimentar tranquilamente para mim é o suficiente.

                  Um dos meus motivos em reclamar de um Jetta 1.4 TSI se refere a lista de itens que ele pode oferecer. Já que os 6 air bags só no 2.0 TSI. E então, fica aquela situação onde seria uma potencia muito além do que eu gostaria. (o consumo maior não compensa no meu tipo de uso)

                  Eu citei o Jetta porque gosto do carro. Sobre o Fusion, pelo fato do meu tio ter um, o motor dá conta tranquilamente do recado. Para mim seria muito tranquilo. E com o consumo deste no dia a dia… perfeito!

                • Eduardo Edu

                  Olá Vinícius, muito bom seu relato porque estou no mesmo dilema. Tenho um Titanium 2013. Fui ver Fusion, C200 e o A4 Ambiente. O Hidrido era uma das minhas opções, mas fico receoso de perder a (ótima) potência. O pacote do Fusion é imbatível, adoro meu carro, mas pesa pagar um caminhão de dinheiro para andar com a mesma coisa e o pós-venda sempre abaixo das expectativas. Mas teria que ser assim, mudar a cor, interior eno motor para mudar a experiência. Deixei anotado lá em cima uma dica sobre a senha…ABS!

      • Deny Williams Cury Haddad

        Licergico, o Passat continua com o ACC e o Stop & Go. Ele perdeu exatamente os itens descritos pelo autor do post.

      • Anderson Lemos

        Isso acontece com que restringe sua compra ao mercado dos 0km. Com 200 mil eu analisaria o mercado de semi-novos com carinho, passando por Land Rover, Volvo e até mesmo a citada Jaguar.

    • kravmaga

      O Fusion é um belíssimo carro e realmente não existe nenhum carro 0km no Brasil hoje que tenha tantos recursos nessa faixa de preço, isso é fato !

      Também não gosto de trocar de carro por outro igual e entendo perfeitamente a vontade do autor do artigo em variar. Talvez até fosse mais sensato continuar com o carro anterior, que pelo jeito deve ter sido comprado 0km e estava sendo vendido porque terminou a garantia.

      Quanto a comprar um híbrido no Brasil hoje, eu não teria ainda coragem. Se as concessionárias mal sabem vender um carro desses, imagino como deve ser na oficina. Na realidade, qualquer tecnologia mais complexa hoje sempre representa um risco e por isso o país continua sendo o país dos carros populares e médios simplórios, como Corolla. E ainda tem o preconceito dos compradores na hora de vender. O Fusion 2.0 turbo pelo menos é um carro bastante conhecido e desejado por muitos.

      • radiobrasil

        Não é só a inexeperiência em reparos que me assustaria nesse caso, mas também eventuais peças para reposição de algo do sistema elétrico, DUVIDO que tenha fácil por aqui.
        E mais, o 2.0T com mais torque e cv que o antigo pra mim é MUUUUUUUUUUITO superior, não há economia de combustivel que justifique kkk (em minha opinião!)

        • kravmaga

          E ainda tem a troca das baterias, que devem ser bem caras por serem importadas. E vão ter que serem trocadas mais cedo ou mais tarde, provavelmente fora do período da garantia.

          O 2.0 T é a escolha mais sensata atualmente em se tratando do Fusion, embora o 2.5 já tenha um desempenho suficiente para a maioria e que quer mais é aproveitar o conforto e equipamentos do Fusion, que não tem igual nessa faixa de preços.

          • radiobrasil

            Ouvi dizer que as baterias tem 10 anos de garantia… mas não consegui confirmar no site da Ford. Mas dificil acreditar que essas baterias vão aguentar 10 anos de uso diario.

            • kravmaga

              Também acho difícil. Baterias de celular e notebooks, que devem ter tecnologia semelhante, não costumam durar nem 5 anos.

              Eu acho que o custo das baterias não deve ser amortizado pela economia de combustível no período.

              Acho que o único carro elétrico que eu toparia ter seria um Tesla atualmente.

              • radiobrasil

                Tesla é outra história né… rss Desempenho de superesportivo

                • Peninha

                  Caros, a bateria tem garantia de oito anos mas a vida útil é a mesma do motor, de 250 mil km. Tenho um, o carro é extraordinário e tem um custo benefício sensacional

                  • radiobrasil

                    O seu já é o 2017?

                    Hj fui numa CSS e vi de perto o modelo novo… eu não gostei das rodas, do friso cromado atás e tambem achei bem menos intuitivo o seletor giratório do cambio (basicamente o que já não tinha gostado quando vi em fotos).

                    • Peninha

                      O meu é o 2015. Já vi o 2017, também não gostei do friso traseiro e tenho dúvidas sobre o seletor , mas esse teria que ver no uso diário.

                      Mas o 2017 tem a vantagem de ser um pouco mais alto (apesar de eu não ter problemas com a altura atual) e do Sync 3 com Android Auto, que acho muito superior ao Sync atual.

          • Edson Fernandes

            Será fora da garantia já que elas tem uma durabilidade indicada de 10 anos .

      • Vinny

        Troquei justamente pelo fim da garantia Kravmaga. Quanto ao híbrido não há manutenção, apenas para o motor a combustão.

  • Louis

    Excelente o relato, mas faltou 1 coisa: comparar o consumo.

    • GABRIELCSFLORIPA

      O principal quando se fala de carro hibrido.

    • radiobrasil

      E o desempenho…. pelo teste no volta rapida no Acelerados, q rubinho testou… o hibrido foi 7seg mais lento que o Ecoboost… eu acho q esse Hibrido deve andar mesma coisa ou até menos que o 2.5

      • Peninha

        A aceleracao medida do hibrido pre-facelift foi de 9.8s, menor que a do 2.5 que foi de 10.7s se nao me engano mas maior que o do Ecoboost, naturalmente. Para mim muito bom, anda bem e a proposta do carro nao eh ser esportivo.

        • radiobrasil

          É isso mesmo, o 2.5 é nessa faixa..

          • Edson Fernandes

            Radio,
            Pode ter certeza o desempenho é parecido sim com o 2.5. O que vc vai notar de diferença para melhor é que o motor eletrico vai impulsionar melhor o arranque da imobilidade. Ou seja, vc sente sim aquela força maior da imobilidade por conta do motor eletrico. Mas o rodar em si principalmente num rodar normal, será muito similar.

            A unica diferença será fazer acima de 15km/l em transito…rs

    • Vinny

      Louis. Bom dia! Eu não comparei o consumo pois acho que não deu pra avaliar ainda o potencial do motor híbrido (tenho feito médias de 15-16 km/l. No anterior a minha média ficava em torno de 7-8 km/l.

      • Alexandre Viotto

        Exatamente o dobro de autonomia! Com certeza vale muito a pena perder em desempenho e ganhar em economia de combustível!

  • Silas Rana

    “A questão é que não tinha muito conhecimento do veículo que estava vendendo. Na Mercedes a vendedora tinha tudo na ponta da língua. Na Ford, qualquer dúvida mais específica o vendedor tinha que ligar na central para saber (o mesmo aconteceu na VW e na Hyundai). Não é algo que me fez desistir do carro, mas acho que é ponto negativo para a Ford aí.”

    É exatamente por isso que não pretendo ter outro Ford.
    Tenho um Fiesta Sedan SE Powershift. No lançamento, era o ápice de tecnologia dos carros da categoria. Câmbio de dupla embreagem, ESP, TCS e tudo mais. Seria 100% se não fosse o atendimento da Ford. Se com o Powershift que está no mercado desde o final de 2013 ainda ‘não sabem mexer’, imagina um Fusion Hybrid, que como o próprio dono escreveu que vendem um na vida e outro na morte… imagina se der algum problema, quem vai saber arrumar isso se nem as próprias concessionárias sabem?
    As outras montadoras são diferentes? Não sei. Sei do que eu tenho hoje e dos que já tive no passado. E, com certeza digo que Ford, não mais. Infelizmente. Sempre tiveram uma linha de produtos muito atualizada (agora, nem tanto mais), completa e bonita. Mas o serviço da marca é pífio. Lastimável mesmo!
    E sim, também já passei por isso de me pedirem para apagar uma reclamação e avaliar positivamente o serviço, mesmo não tendo sido “somente para não prejudicar o funcionário”…

    • Martini Stripes

      Estou numa briga parecida.
      Já tive 2 focus Ghia usados, e tirei um Fiesta SE 1.6 MT 2016 0km, mas já tive alguns problemas que me deixam revoltados. Adoro os carros, é até difícil achar carros com o mesmo pacote e faixa de preço, mas é complicado o pós venda Ford.
      Falei pra moça que me ligou, que depois eles querem se queixar do pq vende mais Corolla e Civic do que Focus Sedan. To pendendo a ir de Civic 2016 na próxima. Pelo menos tem ESP (2015 não tinha)

      • Silas Rana

        E olha que você pegou um com câmbio manual. E imagina eu com o Powershift…
        Eu, sinceramente, já estou pensando seriamente em abrir mão do ESP e TCS se tiver que trocar de carro antes do previsto (ideia era ficar 5 anos). Estou a 2,5 anos e já to quase desistindo. Esperando arrumar o último BO e ver o que faço. Continuo ou passo pra frente…

        • Lucas de Lucca

          Sempre tive carros Ford e gosto da marca. No geral os carros sempre me agradaram e não deram dor de cabeça. Mas agora que tenho um Fiesta Powershift assim como você provavelmente o próximo será de outra marca. O pessoal da concessionária até tentam coitados, mas o carro é bichado mesmo, arruma uma coisa aparece outra. Muitos probleminhas irritantes e o problemão do câmbio.
          Não cheguei no cúmulo da raiva ainda de abrir mão do ESP e TCS igual você disse e ir para um Corolla rsrsrsrs, mas na próxima troca vou para um médio e vou olhar Golf, Civic e Cruze com mais carinho. Faço questão do AT, então enquanto a Ford insistir no PS não entro nem na concessionária pra ver.

          • Silas Rana

            Não que eu queira abrir mão do ESP e TCS, mas, se realmente for trocar de carro antes dos 5 anos previstos inicialmente, com a verba mais limitada (sem financiar nada), abro mao sim deles, em prol de mais tranquilidade. Em 2,5 anos e 60 mil km ja passei por 4 concessionárias diferentes, diversos problemas (desde amortecedor estourado, AC, cambio, airbag…) e sempre, pra arrumar tudo, sempre com mta briga. Nunca constatam o problema e propõe o conserto de boa vontade. Sempre tem que ser na base da discussão, da paciência, de esperar 7 meses por peças… Por isso que penso seriamente em adiantar o planejamento e, quem sabe, sem os itens acima

          • Alexandre Viotto

            Tenho um Ka+ 1.5 que peguei no início do ano e atualmente está com 13.000 Km. Até agora nenhum problema, nem mesmo de barulho de acabamento interno, conforme muitos afirmam. sei que 13.000 Km ainda é muito pouco, mas se o acabamento fosse tão frágil assim, com certeza já teriam alguns barulhos no painel, forração de porta, etc.

        • Martini Stripes

          Eu não tenho problemas com o carro, fico puto da vida com a Ford.

      • Artur

        Civic tem ESP desde o lançamento da versão LXR (em 2014, salvo engano). Só não tem na LXS.

        • Leandro

          sim, mas deveria ter em todas as versões há tempo. Acho que só nessa nova geração que corrigiram isso..

          • Artur

            Corolla vende igual água e não tem nem na Altis! Rsrs

            • Leandro

              Exato, outro que deveria tomar vergonha na cara. 100k num carro assim, vai entender o povo brasileiro. E compram Corolla achando que estão comprando Lexus, tamanha é a sensação de Status que eles acham que Toyota tem..

              • Artur

                Pois é. Mas convenhamos: os caras não construíram essa ótima reputação por acaso. Eles trabalharam anos e anos em pós-venda e na tal confiabilidade mecânica (que existe, mas nada é nada de anormal frente às outras marcas) e agora estão colhendo os frutos. O que eles puserem no mercado, vende (vide Etios).

              • Fernando

                nao é isso nao. o carro é bom mesmo. Anda bem, economico, macio e muito gostoso de dirigir. Alem de nao dar problemas. E quando vai na concessionaria o atendimento é muito diferente de uma Ford ou Chevrolet. muito mesmo.

        • Lucas de Lucca

          Correto, a LXR com facelift e as rodas diamantadas já tinha mesmo.

          • vitimsl

            Civic LXR com ESP veio apenas no modelo 2016. O modelo 2015, já com facelift e as rodas 17″ diamantadas, não possui ESP.

            • Lucas de Lucca

              Cara eu jurava que tinha vindo no 15 com o facelift. Bom saber.

            • Edson Fernandes

              Teve LXR com rodas aro 17″ e facelift sem ESP? Achava que o LXR com rodas aro 16″ que seriam os sem ESP.

              • vitimsl

                Teve sim Edson, os 14/15 e 15/15 não possuem ESP. Já os 15/16 em diante possuem o equipamento. Hoje acho o Civic 15/16 LXR uma excelente opção de usado.

                • Edson Fernandes

                  Pera… mas vc se referiu ao Civic com rodas aro 17″ sem ESP. Aro 17″ se eu não estou enganado só veio no Facelift junto do ESP. Por isso achei estranha sua afirmação.

          • GPE

            Apenas no 2016 LXR. Qyem sempre teve foi o exs/exr

        • Martini Stripes

          Negativo.
          ESP só na LXR 2016. Pode pesquisar.

          • Artur

            Sim, é verdade. Foi incluído no modelo 2015/2016:
            “Já o Civic LXR teve o preço ajustado a R$ 78.400, e ganhou os tão reclamados controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas e direção elétrica adaptativa (itens também presentes na EXR).”
            É que minha irmã tem um e eu achava que era 2014/2015, mas é 2015/2016.

          • GPE

            Correto

        • GPE

          Errado. LXR apenas a partir de 2016. Apenas o EXS/EXR q sempre teve

          • Artur

            Desnecessário, amigo. Chegou bem atrasado. Dê uma olhada na resposta que dei ao colega Martini admitindo o erro. Minha irmã tem um LXR e eu achei que era 2014/15, mas era 2015/16. O dela tem os controles de tração e de estabilidade.

            • GPE

              Não vi nenhum tipo de ofensa a vc. Tbm nao vi a resposta que vc deu. Se pareceu grosseiro, peço desculpas :)

              • Artur

                Não me senti ofendido. Desculpe se pareceu assim. Só achei desnecessário porque já tinha me retratado. Abraço!

      • mjprio

        Amigos, Ford NO MORE!!!! Tive um Fiesta pra nunca mais. E olha que a mão coçou por uma Ecosport do modelo novo!!!

    • kravmaga

      Sei que não justifica mas ajuda a explicar: o problema desses modelos mais tops em concessionárias de marcas generalistas é que eles representam uma parte bem menor das vendas. Os vendedores estão muito mais acostumados a vender Ka, Fiesta, Gol, Fox, etc do que Fusion, Passat e etc. Devem vender 1 a cada 40, 50 carros mais populares.

      Ou você acha que isso também não acontece nas concessionárias Mercedes, BMW e Audi ? A grande maioria dos modelos vendidos são os de entrada, Classe C, CLA, BMW série 3, 1 e X1, Audia A3 e Q3, etc. Tente pedir informações sobre um modelo mais top que chega quase na casa de 800 mil reais dessas montadoras para ver como é.

      As marcas premium sempre oferecem menos porque no fundo estão vendendo status, exclusividade e marca acima de tudo. Consumidores esclarecidos tem mais é que não aceitar isso e comprar modelos com conteúdo tecnológico e motorização tão bons ou melhores do que os premiuns de entrada, como é o caso do Fusion, Passat, etc.

      • radiobrasil

        Uma 320 não ter um simples sensor de ré é um ABSURDO.. não só maior do que pagar 100k num Corolla e nao ter ESP kkkk

        • kravmaga

          Também acho. Até o meu “Voyajão” tem sensores de ré na traseira e na frente e são úteis demais. É uma economia porca.

          Quando fui comprar o meu carro, fiz TD em uma BMW X1 e, ao levantar o capô, eu vi que não tinha nem manta acústica na tampa do compartimento do motor ! Acho que até no Uno hoje em dia deve ter.

          • GPE

            320i tem sensor de re.

        • GPE

          320i tem sensor de re em qualquer versão. A classe C é que nao tem

      • Silas Rana

        Sinceramente, acho que não justifica. Nem que tivesse um vendedor responsável pela entrega técnica desses modelos menos vendidos, mas acho que esse nem é o maior problema. Fico pensando na manutenção. Se der algum problema, uma concessionaria que nem sabe descrever o carro vai saber arrumar algum problema que possa vir a dar? Esse é o meu ponto de vista… E conhecendo a Ford pela minha experiencia, digo que as concessionarias que eu ja passei, penariam pra arrumar…

      • Edson Fernandes

        Me desculpe, mas quando eu fui ver uma C180, tinha um SLS e o cara me respondeu tudo na ponta da lingua. Desde itens tecnologicos até sistemas ativos de segurança (como os alertas de faixa, entre outros em uma epoca que nao se sabia disso nos carros com facilidade)

        • mjprio

          Mas é o minimo que se espera de quem quer oferecer um produto diferenciado, de nível premium. Reclamam muito da Volvo neste aspecto.
          Quem pode ter um veículo desses quer ter um atendimento diferenciado. Nada demais. Eu sei que não posso, mas só de mudar das 4 “grandes” pra nissan eu ja vi a mudança de comportamento. Obviamente não é o padrão de uma premium e sei que meu Versa não precisa de uma atenção tão detalhada como um Altima. Mas de toda forma é sim diferenciado

          • Edson Fernandes

            Isso é bom. Acho muito importante um bom atendimento. Coisa que tive qdo era dono de Citroen.

      • mjprio

        Foi o que eu falei uma vez e fui enxovalhado por nao entenderem meu comentário. O cara compra um Jettta, Fusion, Cruze, etc.. e na hora da revisão ou da manutenção corretiva esses carros caem nas mãos de mal sabem consertar um gol , um Onix ou um Ka. Aqui no Brasil existe uma diferença boçal entre os carros, digamos, populares e os de categoria superior vendidos por uma mesma marca. Tal fato por exemplo já não acontece tanto com os carros da PSA. Lá fora os carros mais baratos estão num nível de qualidade e tecnológico mais ou menos parelho com os top de linha e dessa forma diferentes modelos recebem o mesmo padrão de serviços
        Não acho que um dono de Gol, Celta, Uno, etc.. tenha que ser maltratado, não é isso. Mas quem coloca centenas de milhares de reais num carro com um nível de tecnologia e qualidade construtiva como um Fusion, tem que ter uma gama de serviços a altura.
        Eu vi muito isso na GM com o Captiva, Omega importado e Malibu, amontoados como lixo nas css ao lado de Celtas Merivas, etc..

  • Leandro

    Gostei do relato, a única questão fica em relação ao tempo de propriedade. Acho muito pouco para avaliar um carro, 20 dias somente. Ainda está na empolgação da novidade. Acredito que precisa de pelo menos um ano para se conhecer um carro e poder avalia-lo. Ficou mais um relato a respeito da decisão de compra. O carro está com quantos km? Ele comprou no dia 04/11 e hoje ainda é dia 25!

    • Martini Stripes

      ele tinha a geração anterior e comparou os pontos diferentes. Reclamou da perda de qualidade de montagem e acabamento. Ele está por ora falando do carro e pq acabou pegando o Fusion. Não sobre manutenção. é um tipo de relato, não necessariamente tem que ser um carro de 3 anos

      • Leandro

        Sim, mas agora ele pegou um carro híbrido, com dois motores, um elétrico e um a combustão.. Isso não faz diferença no carro?

        • Martini Stripes

          Ele falou sobre isso tbm. Como disse, é um tipo de relato.

          • Artur

            E o cara foi sincero e trouxe informações importantes para quem estiver interessado no mesmo modelo. Eu achei ótimo o texto.

    • Guedes

      Concordo.

      Quando postam opinião do dono Onix cbf, espinafrem pq o cara tinha o carro a seis meses.

      Esse bateu recordes, o cara tá com.carro há 20 dias.

      Foi mais um “experiência de compra” do que opinião do dono

  • Lucas086

    Um dos melhores relatos que li, parabéns. E que carro hein, que top.Mas fiquei triste em ler que o acabamento piorou um pouco, poxa Ford!

    • Vinny

      Valeu Lucas086, obrigado!

  • Freaky Boss

    parabéns. ótimo relato. muitas informações.
    O carro é um espetáculo, tem tudo que vc pode querer de um carro de menos de 300mil e mais um pouco.
    Só não vi quanto ele pagou. Quanto está esse carro (preço praticado)?

    Chamou atenção o seguinte:
    “Vi que ela se esforçou para tentar entender junto comigo, mas não era o que eu esperava. Depois disso me pediu para avalia-la bem, pois precisava disso…”. Similar aconteceu comigo.
    Comprei um golf variant +- 1 ano atrás. A venda de acessórios e o processo de entrega foram ruins na minha opinião, aí depois , quase saindo com o carro da CSS, entrei no salão e alguém da CSS me disse que iam me ligar para avaliar entrega e processo de venda e que se eu desse nota máxima eu poderia voltar e buscar um brinde. (!!). Pensando sozinho depois chamei isso de “suborno intelectual”….. Aqui no BRasil parece que todo mundo está querendo te comprar ou se vender. Que coisa!!! Eu pensei: eu que não vou contribuir com essa cultura péssima aqui do país!! Falei até meio bravo: “vou dizer o que eu penso, se quiserem me dar o brinde ou não problema é de vocÊs”.

    • Bruno_O

      fez certo

    • MrBacon

      Comprei um Golf Variant logo no lançamento, a venda em si transcorreu numa boa, mas com poucos meses de uso tive um problema com o ar-condicionado e daí ficou claro que a VW não tem estrutura para atender clientes na linha premium, pelo menos aqui no Rio. Só após reclamar publicamente e com uma fundamental ajuda de um jornalista que enfim houve interesse em solucionar meu caso.
      Como rodo muito pouco com o carro, as revisões que fiz até hoje foram OK, até pq o pessoal da concessionária lembra do meu caso e me dá um atendimento especial. Mas quando tive um simplório Fit LX fui super bem tratado na Honda, sem nunca ter precisado brigar. Boas experiências com Fiat, Ford e Peugeot também, e quase 3 anos de decepção com a marca do meu carro anterior (Mitsubishi, que em teoria deveria saber lidar melhor com a clientela pelo valor dos carros).

      • Freaky Boss

        MrBacon
        felizmente nunca tive problema com meu variant, pelo contrário, melhor carro que já tive e um dos melhores que já dirigi na vida. Entretanto eu também não boto fé nas CSS VW para atendimento da linha premium…Pena. E isso hoje fideliza MUITO clientes, vide toyota e honda! VW vai ter que remar muito!!
        O Golf tem muita eletrônica, DSG, etc, e os caras da entrega da CSS VW não me explicaram nem metade.Start & stop por exemplo, nem pra começo. Fiquei pensando: poxa, imagina se eu compro um Passat…a VW desenvolve um super carro e na entrega não explica nem metade!!!

        • MrBacon

          Pois é, acho que fui premiado! De resto, realmente é um carro muito bom, apesar de utilizá-lo pouco é sempre um prazer dirigi-lo. Fico só curioso em dirigir o modelo 2017 com o câmbio automático epicíclico, o DSG é bem rápido mas às vezes segura demais a 1a marcha, lembrando vagamente um Dualogic que tive no passado.

      • mjprio

        Vc abordou justamente o que eu penso. Não interessa se a VW vende gol e a GM vende ônix. Carros premium de uma determinada Marca necessitam de um atendimento digamos mais específico. Não é discriminação, é uma diferenciação necessária pra quem pagou por um produto premium. Isso existe na Europa onde Renault e Dacia são vendidos em stands diferentes na mesma CSS.
        Acontece que temos alguns intelectuais e politicos socialistas “das massas” que prezam pela “igualdade”. Mas quando viaja vão de primeira classe e pedem sala VIP pra nao ficar com o povão, e quando colocam seus SUV na revisão querem atendimento personalizado. Hipocrisia pura. Essas pestes gostam da pobreza, desde que seja alheia…

    • Vinny

      O preço pago foi de 159.500 reais. Não paguei o valor da pintura apenas (branco perolizada). Ganhei de “brinde” o parafuso antifurto das rodas.

      • mjprio

        É o que eu falo. Sacanagem vc ganhar só isso (se bem que teu carro tem tudo). Mas me lembro da epoca em que minha cunhada trabalhava na Citroen e de quebra, ao comprar qualquer modelo, ganhava uma camisa polo, carteira e chaveiro em couro e kit de ferramentas. Quando comprava a Picasso de brinde vinha uma passagem pra Paris!!!!

  • Hater x Haters

    “Hurrrr brefirow o Ub! boiz ele é baiz rábidow que o Fiugion Raibridi hurrrrr…” (By blog dos retards)

    • Lucas de Lucca

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Robinho

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Leonel

    Parabéns pela compra e relatório. Sobre o VW Passat, eu falava que era o melhor de sua categoria mas a VW conseguiu, simplesmente, tirar isso dele. Não sei o que anda ocorrendo no país, mas removendo itens, aumentando preços e etc, o que querem aqui?

    • kravmaga

      A VW realmente está cometendo muitos erros estratégicos no Brasil e não consegue aproveitar a vantagem de ter excelentes modelos importados.

    • Vinny

      Também fiquei triste Leonel. Eu realmente gostei do passat, mas a VW não ajuda. Rs.

  • Charlis

    Parabéns pela compra!
    Belo carro.
    O Fusion Hybrid, ainda não me convenceu, mas o Fusion, independente do modelo, ainda é o melhor custo x beneficio, sem dúvidas alguma.
    O nosso está com mais de 3 anos, compramos logo em seu lançamento, a versão Ecoboost Titanium FWD e ainda pagamos abaixo das barreira dos 100 mil.
    Isso em 2013, foi uma compra excepcional, meses depois seu preço já começou a decolar.
    Não vi vantagem em adquirir o AWD, visto que, não ligo muito pras firulas, o que importou na compra foi a segurança, o carro (maravilhoso por si proprio), e seu motor.
    Algumas firulas são bem vindas, o sistema de som, entre outros detalhes.

    Mas, nem tudo são flores.
    Infelizmente, projetaram este carro para o primeiro mundo, não para a Bananândia.
    É praticamente impossível passar uma valeta sem deixar o radiador dele pelo caminho, exageros a parte, você precisa praticamente parar (imobilidade), e sair novamente para não raspar, senão …
    E os pneus, este FDS fui brindado pela segunda vez (foto abaixo).
    Olha que eu sou aqueles donos doentis, cuidado absurdo, ando devagar na cidade, mas todo cuidado é pouco.
    Quem tem Fusion, rezem para não passar por isso, pois o valor do pneu é desanimador!

    []s
    https://uploads.disquscdn.com/images/8b46adcc7b19daf608f7564a210a3a179bed5e3a038e3c41969ed8600b195f21.png

    • leomix leo

      Sorte sua que não amassou ou quebrou a roda, o de minha mãe amassou a roda o prejuízo chegou até a suspensão, apara barro, amortecedor, buchas, Coisa boba, R 2.250,00 todo o serviço na Concessionária.

      • Charlis

        Sim, poderia ter sido pior, mas o dois pneus custaram isso cara…
        Infelizmente, um carro maravilhoso, mas não foi planejado andar por aqui.

    • Lucas de Lucca

      “…Não vi vantagem em adquirir o AWD…”
      Penso igual você Charlis. Se eu fosse pegar um Fusion também iria de FWD pela boa diferença de peso dos dois. Sei que com tração integral é mais seguro em curvas e bla bla bla, mas sinceramente com o tanto de parafernálias voltadas para segurança que o carro tem não vejo a necessidade de sacrificar o peso do carro com isso.

      • Bruno_O

        pra um SUV de verdade ate acho q vale a pena, mas pra um seda soh se for mto esportivo mesmo (coisa de 300cv)

    • Peninha

      No facelift, creio que aumentarem em 12 mm a suspensão

      • radiobrasil

        Aumentaram sim, correto!

  • FearWRX

    É um ótimo carro pra se tirar zero, porque depois de alguns anos de uso, imagino que não tenha mais como manter um carro com tantos itens assim.

    O carro é espetacular, teria um sem sombra de dúvidas, esse sistema de condução semi autônoma não é uma mão na roda, é 4 mãos nas 4 rodas.

    Porém, aparenta ser o tipo de carro que com o tempo, pode ser “descartável”, com o tempo desgata e não vale a pena mais consertá-lo.

    No mais, parabéns pela análise, bem sincera e honesta.

  • Guilherme

    ” No mais, não ligo muito para esses firulas, usei o Park Assist 1 vez só da… ” comentários como esse mostram o quando o brasileiro é um povinho inferior. Pra nós, AR e Direção são suficientes.
    Piloto automático adaptativo é uma revolução mundial. Não é nada de firula.
    Este Fusion é uma das melhores compras do Brasil

    • MMM

      Guilherme, não culpe todo o povo brasileiro pela opinião de 1 comentarista de internet. “Firulas” é o termo utilizado por alguns para descrever itens de conforto de carros que não são os preferidos já que alguns tem vergonha de argumentar q não gostam de determinados carros ou marcas. Enfim, é uma bobagem.

      • Edson Fernandes

        Sabe o que me deixa incomodado? É por conta desses comentaristas de internet dizendo “firulas” é que os carros sofrem depenamento. E veja bem: No caso do Fusion, não é contar feijão não, é cortar custos onde parece ser o que o consumidor não deseja.

        O cara se acostuma tanto com o básico que sequer eleva o nivel qdo se tem algo superior. Mas muitos aqui que veem com esse argumento tacanho de “firulas” são aqueles que sequer possuem o recurso, não sabem como funciona na pratica e agradeceriam se tivesse.

        Quem é o cara que não gostaria de ligar a distancia o carro para ir gelando a cabine num dia de sol a pino sobre o carro? Quem não gostaria de um banco com resfriamento nesse mesmo sol a pino sem precisar ficar com as costas soadas? Quem não gostaria de um carro que em determinados momentos te indicasse por cansaço ou estresse (pois os dois reduzem os reflexos) de alguma manobra perigosa com evidente acidente? Pois bem… é uma “firula” que inclusive faz parte da segurança ativa do carro.

        Se isso é firula, realmente, é melhor a pessoa continuar com o basiquinho e ferrar quem almeja esse tipo de conteudo.

        • Vinny

          Exatamente o que penso Edson. Votamos no que achamos bom ou não com a nossa carteira. Se eles oferecem algo quem e aceitamos, pagamos e nos damos por satisfeitos não vão melhorar nunca.

        • mjprio

          Pensamento de vira-lata mesmo!
          Eu tenho essa filosofia, so troco de carro por um modelo que tenha algo a mais que o meu atual. E não regrido.
          Quanto a equipamentos, há coisas que não abro mão, como farol biparabola, abertura de mala na chave, vidros one touch com comando na chave (desisti do Cerato porque não tinha), Ar condicionado automático, CMM entre outros.
          Dentro em breve entrarei no time dos carros AT, com multilink e TCS ESP e não vou sair mais.
          Outra coisa que me revolto é com a implicância de tratamento diferenciado: quem entra com um Ford na css pra revisão , seja ele um Fiesta ou um Fusion de 170mil tem que sair com ele funcionando, mas não vou simplesmente me revoltar se o dono do Fusion teve mais mimos…afinal e pode e pagou mais pelo produto. Culpa dessa gente de mente curta, seguidor de Maduro que quer igualar a sociedade, mas eles proprios querem sempre ser os diferenciados!!!!

          • Edson Fernandes

            Sabe, eu não diria no nivel de atendimento mas essa de nivel de itens de série é algo que eu não abro mão.

            Hoje com controlador de velocidade, farol de xenon, air bags, ar dual zone… te digo que é dureza.

            Incrivel como é pratico o fato de vc ligar o carro no botão (desligar tbm) e na hora de sair do carro, ele fechar sem vc precisar apertar nenhum botão. Pode parecer “firula” mas qdo vc está com bagagem ou compras na mão… isso é a coisa mais maravilhosa que existe…rs

            • mjprio

              Faloi tudo. Fiquei com um Kicks por uma semana e achei sensacional “esquecer” a chave. Quando ela abre as portas so com a presença melhor ainda. Gostei muito da camera 360 do mesmo modelo. Nem precisa de park assist

              • Edson Fernandes

                Opinião minha? Park Assist é para vc dizer a aquele seu amigo que o carro tem o recurso. Na pratica, vc estaciona mesmo.

                O Fusion do meu tio foi assim: Me senti tão confortavel em estacionar que fiz eu mesmo.

    • Artur

      Park Assist é pros bração que não sabe fazer baliza! 😂😂😂

      • RED883

        Pode ser que, pela demora do sistema, no dia a dia o dono prefira fazer baliza sem a assistência…

        • Artur

          Verdade. Mas eu estava zuando. Rsrs. Se tivesse condições de comprar um carro com Park Assist não pensava 2 vezes!

  • pedro

    O Passat é um bom concorrente para o Fusion, o problema é que custa quase 30k a mais. Não vale a pena. Infelizmente. Acho que você fez uma boa escolha. Eu estou pensando no Fusion, mas queria um azul com interior claro e não tem, só branco ou preto. Estou esperando chegar a RAM 1500 para ver se vale a pena em preço e equipamentos.

    • Vinny

      Pedro, pelo que perguntei na concessionária o Híbrido se feito por encomenda pode ter a cor azul, bege, branco e preto com o interior claro.

      • pedro

        Interessante, não sabia disso. Nos site diz que apenas o branco e o preto podem ter o interior claro.

  • radiobrasil

    Vinicius… tenho um 2.5 aspirado 15-16… adoro o carro.
    Mas uma coisa, e o desempenho do hybrid vs Ecoboost q vc tinha?

    • Vinny

      Não costumava correr muito com o Ecoboost, mas a maior diferença que vi foi na arrancada (o ecoboost te cola no banco rs). De resto, no dia a dia, não tenho sentido falta do ecoboost não. A economia e o silêncio do híbrido valeram a pena a troca na minha opinião.

  • BillyTheKid

    Caramba, li o começo do texto e pensava que era um “eu do futuro” que tinha escrito, pois penso exatamente da mesma forma quanto a custo-benefício e a direção semi-autônoma. Gostei muito do relato!

    Uma pena a Ford não trazer o Fusion plug-in pra cá, assim provavelmente daria pra usar mais eletricidade e menos mijolina, pelo menos durante a semana…

    • Vinny

      Feliz que tenha gostado BilluTheKid. A Ford não trouxe o plug in por questões estruturais, acredito.

  • vitimsl

    Parabéns pelo relato e pelo carro. O Fusion, na minha opinião, é uma “nave” desde a primeira geração. Sem dúvida alguma seria minha escolha na categoria.

    • Vinny

      Valeu. Obrigado Vitmsl.

  • Audi a5

    Acho o fusion bem legal. Tive um 2010 e tenho saudades do carro, mas pavor do pós venda. Porém, nunca andei na atual geração ecoboost, só no sel 2.5. Contudo, depois de ver os testes do acelerados, onde o hybrid é muito lento e o ecoboost não se equivaleu a jetta TSI, e Golf gti, concluo ser ao menos dentro dos meus conceitos desinteressante pagar algo em torno de 150 mil em um carro não muito rápido. Prefiro rapidez (gosto meu) do que tecnologias semi autonomas. Sou mais “cheiro de gasolina e pneu queimando” do que robôs me servindo.

    • radiobrasil

      O novo 2.0T ficou beeem proximo do Jetta Tsi…. desempenho proximo e equipamentos/conforto muito além do “Voyajão” kkkk

      • Artur

        Não dá nem ora comparar os 2. O Jetta não tem metade dos equipamentos desse carro.
        E um Civic Touring então? Kkkk
        Vale muito mais a pena o Fusion pelo lado do custo-benefício.

      • Edson Fernandes

        Olha, na hora de comentar de quem “curte motor e cambio” esqueça dos demais itens. Ele deixou bem claro que ele vai sempre preferir mais potencia disponivel.

        Se o Camaro fosse mais em conta sendo da geração anterior ao comparar com os modelos e ganhando apenas o cambio de 8 marchas, muitos o escolheriam justamente por ser V8.

  • G.Alonso

    Eu me pergunto, será que a VW vai aumentar as vendas de importados e melhorar a margem de lucro fazendo isso que está fazendo de cobrar caro e capar os veículos? O consumidor está mais informado, ela está perdendo clientes por não ver isso. Mas, o consumidor brasileiro também tem sua parcela de erro, pois adora coisas superficiais e de pouco valor agregado.

  • Peninha

    Parabéns pela aquisição, tenho um híbrido e comprei justamente pelo custo benefício!

    • radiobrasil

      E como está o consumo dele?

      • Peninha

        Na cidade, por volta de 14,5km/l. Mas em Brasília, com menos sinais e velocidade mais alta, espero que seja ainda melhor!

        Na estrada, faço 18 km/l

  • Robinho

    Parabéns melhor opção da categoria.

  • Rodrigo

    Excelentíssimos relato e veículo! Parabéns!!

  • Tygra

    “A alavanca giratória não fez muito sentido para mim. Talvez eu não tenha me acostumado ainda, mas às vezes me pego “rodando” para o lado errado. Para mim dá mais trabalho que o câmbio convencional.” Nada mais idiota do que essa de trocar a alavanca convencional por um botão giratório que te obriga ficar olhando sempre para ver se está na posição correta (duvido muito se com o tempo isso fica mais fácil). Imagina fazer um manobra na garagem com um botão desse, gira para lado, gira para outro, eu fico irritado só de pensar. Jamais compararia um carro com uma alavanca dessas. Às vezes querem inovar e acabam é reduzindo a praticidade.

    • Edson Fernandes

      Poxa, mas ainda assim é se acostumar a fazer da seguinte forma: Sempre para a direita o comando até D e para a esquerda retorna para N, R ou P. Não é tão dificil assim…rs

  • pedro rt

    cada um com seu cada um, se eu tvesse um fusion teria pegado um audi a4 ou um a3 sedan 2.0

  • Speed Racer

    Essa carro é fantástico, sem mais…

  • Gilberto Vitorino Costa

    Boa tarde amigos, eu sou suspeito pra falar, pois tenho um fusion fwd. Já tive vários carros bons, mas o fusion ganha de lavada. O único problema é o atendimento pós venda da Ford Brasil, se eles aprendessem com a Honda como se atende, certamente o fusion duplicaria ou triplicaria a venda…

  • MarcioMaster

    Parabens pelo teu carro e texto (meio longo rsss). Posso te afirmar que o fusion, carro que não me agrada, é sim o melhor, portanto escolha sensata, até porque nessa epoca da sua compra a diferença de valor para o hybrido era pouca.

    • Vinny

      Valeu Marcio!

  • Guedes

    Opinião do dono do carro por 20 dias… bateu todos recordes.

    • Vinny

      Oi Guedes. Pena que não tenha gostado do texto. Tentei relatar a minha experiência de ter um Fusion e trocar por outro. Pode parecer pouco tempo para a avaliação da mudança de motor, mas com relação aos outros itens a maior parte já estava disponível no anterior e receberam apenas uma melhora. De qualquer forma obrigado pelo comentário.

  • Alessandro Rodrigues

    ”Seria mais prático se o carro se travesse apenas com o afastamento da chave (como no Fluence), mas…” eu acho que é mais seguro o modo de travamento do Fusion pois como já houve relatos aqui e em diversos fóruns, há sistemas que interferem nesse travamento a distância e que deixam o carro totalmente vulnerável. Em POA foi roubado até Porsche/Ferrari, assim.

    • Edson Fernandes

      Gostaria de ver o cara que rouba um Fluence conseguindo entrar antes do mesmo travar.

      Primeiro porque ao entrar e fechar a porta o mesmo trava. Segundo, que ao sair vai tocar o alarme e acredite… é alto pra caramba! Terceiro que se ele tentar sair com o carro, somente será possível com o cartão.

      Ou o cara é muito fera no que faz, ou não rouba. Não acredito que em carros de um valor agregado relativamente baixo (não chega perto de uma Ferrari por exemplo), ele tenha interesse em se torna um expert do sistema eletronico para roubar carros assim.

      • Alessandro Rodrigues

        Como coloquei ”sistemas que interferem no travamento das portas”. Ela não chega a travar. O bandido não precisa querer levar o carro, se usar o aparelho simplesmente para furtar pertences do interior já seria prejuízo.
        O aparelho não é absurdamente caro e em SP já se tem aos montes, não é de hoje que em jogos de futebol a galera está sendo assaltada sem um único vidro quebrado nem sinal de arrombamento. Se pesquisar, verá algumas matérias do G1. Salvo engano o nome é Chapolin.

        • Edson Fernandes

          Bom saber. Falo isso porque no meu C3 os roubos realizados são relacionados a quebra de um vidro que o alarme de presença não identifica.

  • Luis Gustavo

    caraca, a volks capou o Passat?!? pqp..!! nao sabia disso tb.. e ainda aumentaram BEM o preço….

    No SEU lugar, eu iria atras de um Passat 2016 semi novo… Ou, até uma 335i semi nova, já q vc queria gastar até 200k…
    Fusion híbrido seria minha ultima opção, ainda mais 0km…. Eu acho o desempenho mto fraco, considerando o valor pedido…

    • Edson Fernandes

      Isso é curioso! porque eu já vi recursos em um 2015 que assustam. Aí ele disse que retiraram… um contrasenso mesmo.

    • Eduardo Edu

      É que está fácil comprar um zero…taxas, atendimento, mimos da concessionária…

  • klaus

    Parabéns, excelente carro!

  • Cara, que excelente “review”, dá gosto de ler! Acho que nem os caras da Ford saberiam dar tantas informações assim sobre o carro.
    Como muitos que comentaram aqui, eu também teria ficado com o Passat ao invés do Fusion, mas tenho que concordar que em relação aos itens de série em relação ao preço, o Fusion é imbatível no Brasil.

    • Vinny

      Valeu Tadeu. Feliz que tenha gostado! ; )

    • Eduardo Edu

      O passat vc compra e não leva, tem que esperar importar. Quer coisa mais broxante que isso? Rs. Outra coisa, o Fusion tem um painel extenso, quando sentei no Passat, a sensação foi de estar com o nariz colado no parabrisa.

      • Eu acho o Passat uma compra mais emocional e o Fusion mais racional (apesar que é difícil falar em compra racional nessa faixa de preço e segmento).

        • Eduardo Edu

          Emocional mesmo, porque custa o mesmo que um novo A4 2017 ambiente

          • Sim, mas eu acho que as vezes, quem compra um Passat (ou um Passat CC, ou algo do tipo), pode estar procurando um carro de luxo, mas que não chame a atenção como chamaria uma BMW, Mercedes ou Audi, por exemplo. Ele tem essa “vantagem” (que para outros é desvantagem – aí vai da necessidade de cada um).

  • Eduardo Edu

    Olá Vinícius, que bom que li o seu relato pois estou com esse mesmo dilema. Tenho um Titanium FWD 2013 e não tenho nenhuma vontade de trocar, pois o carro é ótimo em qualquer quesito, mas é preciso em função da depreciação e dos custos de manutenção. Mas hesito em função do 2013 ser exatamente igual no modelo 2017 com alguns upgrades que me chamaram a atenção tais como os faróis full LED e o Sync 3. Mas pagar exatamente o dobro para ter a mesma coisa (apesar de adorar o carro) não me encoraja muito. Cheguei a pensar na versão Híbrida, mas fiquei receoso sobre a queda de performance. Gosto muito da potência e do torque para chegar em alguma curva antes de todo mundo.Gostaria do seu relato sobre isso e se a potência do Ecoboost te fez falta. Outra coisa que me deixa muito chateado nesse meu atual Fusion (é meu segundo, o primeiro foi um SEL 2010) é do pós-venda totalmente despreparado para atender os clientes do nicho premium de veículos. Antes do meu Fusion 2010 tive um Corolla 2009 e o atendimento Toyota sempre foi primoroso. Cheguei a cotar o 320 e o C180, mas falta tecnologia para enfrentar o Fusion. Procurei pelo Passat, mas achei o painel muito curto e o valor é igual ao do novo A4 ambiente. Novo A4 ambiente? Fui conhece-lo e o virtual cockpit e os comandos de voz não vão me fazer sentir nenhuma falta do Sync do Fusion. O tamanho também está OK. Sentirei falta apenas da senha para trancar o carro pois usava bastante.

  • Eduardo Edu

    Ah, esqueci de deixar uma dica. Se quiseres destravar todas as portas, digite o 3/4 logo após a senha e se quiseres abrir o porta-malas, digite o 5/6 logo após a senha.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend