Manutenção Mercado Tecnologia

Carros 8v ou 16v?

tsi-motor

Embora hoje em dia muita gente nem se preocupe mais em saber sobre muitos detalhes do motor, importando apenas se anda bem ou se bebe pouco, outros, porém, ainda se perguntam se um motor 8v é melhor que um 16v. A questão é formulada com base em alguns pontos, entre eles custo de manutenção, força em baixa e performance em alta rotação.


Não tanto no primeiro caso, mas em relação a força em baixa e desempenho em alta, sim, existem diferenças bem perceptíveis para o comprador. Mas, antes disso, vamos falar um pouco sobre a manutenção de motores de 8v ou 16v. A questão nos anos 90 era muito mais importante que nos dias atuais, pois a garantia era pequena e não havia custos fechados para revisões.

vw-revisão

Manutenção

A primeira coisa que podemos considerar é que o custo de manutenção entre os dois tipos de motor, ou melhor, de cabeçote, são equivalentes. Isso é referente às revisões, onde o custo hoje em dia é fechado. As marcas não só aumentaram a garantia de seus produtos, a fim de também manter os clientes por mais tempo na rede, mas também tabelaram os preços das revisões para que o consumidor não seja pego de surpresa.


Antes, cada concessionário cobrava o que queria e não havia tabela nacional para revisão. Assim, a garantia de um ano servia como um consolo para quem não queria ter prejuízos na rede autorizada. Era mais ou menos como se o fabricante e seus revendedores afugentassem seus clientes após a compra, um pensamento muito estranho para a realidade atual. Agora há até marca que cobre um valor fechado adiantado para um determinado período, geralmente de três anos. A ordem do dia é não perder o cliente da revisão, que pode virar comprador da marca quando for trocar por um novo.

No caso dos motores 8v e 16v, os custos fechados são muito parecidos entre si e até entre algumas marcas. O motivo é a concorrência. Para termos uma ideia, até carros de luxo e de marcas premium possuem revisões tabeladas, como se fossem aquelas marcas francesas que começaram a fixar os preços em nível nacional para atrair clientes. Mas, entre os dois motores, não há diferença substancial quando o assunto é revisão.

Já no caso de uma reparação, aí a coisa muda, mas não tanto. O que mais vai exigir um custo adicional em caso de retífica é o número de válvulas e componentes para sustenta-las, entre eles duas polias, correia dentada maior, dois comandos de válvulas e o dobro de válvulas, falando basicamente. Isso implica em maior custo sim, mas não tão grande a ponto de um motor 16v ser evitado hoje em dia. Aliás, com exceção da Fiat, todas as demais apostam nas quatro válvulas por cilindro, mas é a concorrência que vai ditar o futuro da marca italiana.

Chevrolet-Prisma-Advantage-2018-6

Força nas saídas?

A maior parte do tempo é passado nas cidades, locais onde a população que deixou a zona rural, decidiu viver e trabalhar. Como se trata de espaços onde as vias são estreitas e limitadas, ter um automóvel ágil é fundamental. Por isso, o motor 8v (foto acima) se torna uma opção interessante. Acontece que esse propulsor tem duas válvulas por cilindro e por aspirar mais ar-combustível em regimes de trabalho mais baixos, entrega mais disposição para atuar no dia a dia urbano.

Com ou sem comando variável, um motor 8v não vai render de modo satisfatório. Isto ocorre porque em rotação mais alta, as duas válvulas não possuem a capacidade de aspirar mais ar. Os sistemas de controle do propulsor são desenvolvidos para atender bem nos dois regimes, mas isso não é suficiente para que o 8v tem uma performance melhor.

Assim, o motor 8V obtém mais força em baixa, mesmo que o torque seja pouco, oferecendo uma condução mais agradável, pois a sensação de perda de força se atenua. Porém, vale lembrar que sistemas eletrônicos e arquiteturas de funcionamento irregular, estão virando o jogo a favor dos motor 16v.

volkswagen-polo-msi-2018-avaliação-NA-57

Performance em alta

Quando chegaram ao Brasil nos anos 90, os motores 16v representavam status no consumidor brasileiro, cansados de anos de isolamento comercial com o resto do mundo. Esses propulsores de quatro válvulas por cilindro eram bem mais modernos e tinham desempenho em altas rotações muito superior aos de 8v, comumente usados nas marcas mais antigas, que haviam sobrevivido ao período de isolamento nacional.

Porém, esses motores chegaram em um momento onde o consumidor e a reparação ainda não estavam em sintonia com o resto do mundo. O cliente não sabia como lidar com a manutenção desse tipo de cabeçote e os mecânicos (de fora da rede, lembrando que a garantia era de um ano) não haviam recebido treinamento. Por isso, carros 16v com motor fora de ponto ou danificados por quebra da correia dentada eram comuns.

Sem treinamento para assistência e sem conhecimento básico da manutenção por parte do proprietário, os motores 16v logo começaram a quebrar e dar um enorme prejuízo para quem não efetuou a revisão como devia. Nas oficinas particulares, muitos se arriscaram sem ter qualquer experiência e acabaram gerando prejuízos para seus clientes.

Mas, fora isso, se o motor 16v era bom em altas rotações, extraindo o máximo de potência do motor, ele também tinha seu defeito, falta de força em baixa. Na época, poucas marcas dispunham do comando de válvulas variável, que permite ajustar o tempo de abertura e fechamento das válvulas, impossível em comandos convencionais. Assim, o motor rendia mais em alta e morria em baixa. Esse foi um dos fatores que levaram ao abandono dos motores de 16v por parte dos fabricantes “oldcomers”, que acabaram retornando ao motor 8v.

Hoje, os comandos variáveis, seja de admissão ou também de escape, permitem que a eletrônica ajuste os tempos de abertura das válvulas, fazendo com que o motor aspire mais ar-combustível em baixa para produzir melhor resposta nas saídas, enquanto permite abri-las mais para que o motor também respire mais em alta, resultando em performance superior. Na estrada, motores assim são mais vantajosos para quem gosta de uma condução mais esportiva.

peugeot-208-allure-12-avalia%C3%A7%C3%A3o-NA-50

Com essa tecnologia, os motores atuais já conseguem satisfazer os donos de carros 16v no uso urbano, pois no rodoviário, este tipo de motor sempre prevaleceu. Mas não é apenas isso. Com a chegada dos blocos de três cilindros (foto acima), o termo 12v começou a se popularizar, especialmente entre os motores 1.0.

O funcionamento irregular com dispositivo antivibração, e a boa relação diâmetro x curso, permitem que esses pequenos motores tenham um torque bem mais generoso em baixa rotação, mas há exceção em número de válvulas: 6v na Fiat. Pequenos e versáteis, eles agradam mais pelo desempenho e economia do que pelo ruído característico.

Atualmente, os motores 16v (ou 12v) funcionam bem com tais comandos variáveis, mas existem exceções em cilindradas mais altas. A falta de força em baixa ainda é perceptível, mas está bem atenuada. As tecnologias ajudam muito nesse momento, que permite também maior eficiência por parte do veículo.

Com exceção da Fiat, todos os demais fabricantes só pensam em motores de quatro válvulas por cilindro. A GM, por exemplo, utiliza somente motores 1.4 e 1.8 litro, ambos com 8v no cabeçote, na base de produtos. No entanto, isso vai mudar, pois a montadora demorou anos atualizando esse longevo motor, mas agora percebeu que chegaram ao seu limite tecnológico. O próximo passo será sua extinção.

COMPARTILHAR:
  • Geraldo Xavier

    Nunca duvide da gm. Vai que eles voltem a usar a parte de admissão e escape da dupla corsa/meriva no ônix/prisma/cobalt. Certamente esse motor ganharia uns cv e mais torque como tinham em relação ao celta/prisma antigo. É triste mas eu não duvido

    • Luciano RC

      A Chevrolet nem precisava lançar motor novo… era só colocar o cabeçote 16V no motor do Onix que ele rendia e ainda ficava mais econômico.

      • FocusMan

        Será realmente? Nem tudo que reluz é ouro. De certo, o motor do Onix é bem avançado para um motor de comando simples. Obtem os mesmos números de consumo e desempenho de unidades muito mais complexas.

        • Luciano RC

          Então… agora se ela aplicar o que já tem na prateleira, será que consegue melhorar os resultados e esticar esse investimento mais pra frente?

      • Luis Burro

        Como o 16 melhora o desempenho,acho q não melhoraria o consumo.

        • Luciano RC

          Bem ajustado, melhora o consumo e ainda melhora as emissões. Olha, não duvida da Chevrolet ainda colocar mais caldo nesse carro.

      • Joacir

        É só usar o motor do Sonic (16v) novamente

        • Luciano RC

          O 1.6 16V ela enterrou com o Sonic. Agora o cabeçote 16V ela pode colocar no 1.0, 1.4 e 1.8… daria muito certo.

          • Joacir

            Pois e foi uma pena ter enterrado, excelente motor.

            • Luciano RC

              Uma pena… era melhor que o 1.8 8V atual.

  • cerberos

    Tive os dois ao mesmo tempo e prefiro um 8v que seja girador, muito melhor na cidade e que não decepciona na estrada. Tomemos como exemplo a pug que tinha dois motores parecido, 1.5 8v moderno todo de aluminio e o 1.6 16v.motor de ferro e cabeçote de aluminio. O 1.5 muito mais gostoso de dirigir na cidade, sai na frente do 1.6 e este só começa a abrir vantagem depois dos 140km/h O 1,5 só começa a perder folego la em cima a 160km/h o que já não é a velocidade de cruzeiro da grande maioria, e gastando muito menos combustível que o 1,6. Não andei ainda nesses novos motores da FCA mas considero a proposta mais coerente que os da concorrência de 4 válvulas por cilindro e os números parecem provar.

    • Daniel

      Já tive tudo quanto é Peugeot. Incluindo 208 1.5 e 1.6. O 1.6 anda mais em todas as situações, desde que se utilize a marcha correta. Quando o 1.5 chega a 140km/h, o 1.6 já sumiu da sua vista. A diferença não é pouca não. Retomadas então, nem se fala.

  • 1 Raul

    Me lembro do corsa 2001, o 16v era um problema, todo mundo fugia….

    • invalid_pilot

      Puro mito, o receio era o rompimento da correia e substituição de 16 valvulas + retifica, ao invés de 8valvulas

      • Luciano RC

        O 1.6 16V que tinha no Corsa Sedan e SW era maravilhoso… problema é achar um inteiro hoje.

      • FocusMan

        Mas esse motor sofria de problemas no esticador da correia realmente.

        • invalid_pilot

          Certamente deve haver peça corrigida e era uma peça de fornecedor. Não o projeto em si ser uma bomba.

  • Flávio

    O Problema não é a potencia, mas sim a emissão de poluentes e consumo. GM já tirou muita pedra desses motores. Tá na hora de aposentar eles.

    • Luciano RC

      Ela ainda tem muito caldo pra queimar se colocar o cabeçote 16V que ela já tem. É só mudar isso e melhorar e eficiência.

      • Raphael Pereira

        Pra que continuar usando esses motores velhos? Ja deu, concepção antiga sem modernidade alguma

        • Luciano RC

          Se ele cumpre as normas de poluição, consumo e desempenho, porque atualizar e perder a vantagem da manutenção barata e peças de reposição a vontade?

  • Filipo

    16v, com variação de comando para admissão e escape, com certeza!
    E olha que os VVT já são tecnologia bem antiga! Um 16v com VVT duplo, injeção direta e turbo, hmmmm… o estado da arte em motores.

    • Retrato do Papai

      depende da capacidade de cada fabricante extrair o melhor do motor… a fiat por exemplo com apenas 8v conseguiu tirar muito mais potência e torque do seu 1.3 do que a toyota, mesmo o motor toyota tendo todos os frufrus (comando duplo variável e etc)… a gm também com um bloco antiquado e apenas 8v conseguiu fazer extrair mais que a toyota… porém sinceramente não sei afirmar se isso tudo é mérito da fiat/gm ou incompetência da toyota

      • Filipo

        Não depende tanto de capacidade, depende mais da vontade. No caso do 1,3L Toyota, o mesmo rende mais potência na europa.

  • Leandro

    8v ou 16v? Vale o que for mais eficiente na aplicação.

    • Retrato do Papai

      exatamente… o firefly 1.3 é 8v e tem muito mais potência e torque que o 1.3 16v toyota

  • Louis

    Esse último parágrafo está muito mal escrito, não dá pra entender nada.

    • Pedro Henrique

      parece redação de vestibular que você ta chegando no final da folha mas não ta nem na metade do que planejou, dai empurra guela baixo um “final” e entrega

  • Ricardo

    8V é diversão.

    • Ric53

      Pq?

      • Ricardo

        Pisa e responde e retomadas mais eficientes, falam que esses 16v novos melhoraram mas não é o que parece.

        • Bruno Costa

          Até 80km/h sem dúvida alguma. Depois disso a diversão acaba hahaha

          • Ricardo

            Em ultrapassagens o 8V continua sendo mais eficiente.

            • Dill

              depende da rotação em que estiver sim 8v é melhor mas depende da curva de torque e o pico até onde vai(rpm), os 16v geralmente tem curva de torque e picos mais altos! na rodovia se vê a diferença!!!

              • Ricardo

                Tem situações que 8V se joga uma 4ª marcha e ultrapassa, 16V tem que se jogar uma 3ª.

                • Dill

                  Entendi! Mas nesse caso ocorre devido a relação das marchas longas ou curtas, tenho uma Escort Sw a 10 anos as marchas são longas, para ultrapassar com segurança tenho que reduzir 2 marchas para que a rotação suba rápido, minha esposa tem uma classe a 190 marchas curtas e nesta quase não preciso reduzir marcha para ultrapassar.

          • Ricardo

            Diria até R$ 160 km/h.

            • Bruno Costa

              Bom, desde que o mundo é mundo a potência nos motores a combustão é torque x rotação. Vou deixar pra você o exercício mental de colocar um motor 8V da sua escolha na conta contra um 16V de mesma litragem na mesma rotação e ver qual tem mais potência. Abraços!

              • Ricardo

                As vezes potência não é tudo.

  • leitor

    No fundo, o que interessa ao proprietário ou motorista são os custos e a disposição do motor. Que adianta um bom motor de manutenção cara? Um motor que a disposição se mostre bem acima da velocidade costumeira? Tenha um consumo alto de combustível? Nem toda estrada é igual, nem todo bolso é igual, nem todo gosto é igual, nem toda forma de dirigir é igual.

  • Alexandre Volpi

    Fiat como sempre na lanterna.

    • Tosca16

      E quanto trouxe algo moderno a época se tornou motivo de piadas, então cada mercado tem o que merece.

      • Alexandre Volpi

        Trouxe modernidade quando isso não agregava muito em imagem e os consumidores não se importavam muito com “carros 16v, motor turbo ou primeiro carro nacional com airbag”. Hoje, onde modernidade é a bola da vez, a Fiat dorme. Pra mim é de longe a pior das 4 grandes, com exceção da Toro faz uma péssima leitura de mercado e péssimos produtos.

        • beto

          Se fosse tudo isso aí não seria a 2° em vendas, menos fanatismo por favor.

        • Edson Fernandes

          Mas hoje ela não tem muito para onde correr na Fiat europa, uma vez que muitos dos motores podem ser oriundos daqui.

    • V12 for life

      Não exatamente, recentemente vazou informações sobre um Cronos que está testando uma versão 16v turbo do 1.3 com 177cv e 23,5 Kgf.m, que diz na matéria que chegará até 2020 porem não deve passar dos 160cv , com isso o 1.0 equivalente também deve estar em teste, ainda mais com a recente revisão no Programa Brasileiro de Etiquetagem.

      • Tosca16

        Hoje todo mundo está na febre dos motores turbo, que a FIAT praticamente inaugurou no mercado nacional.

        • Edson Fernandes

          Mas para uma propost esportiva….

      • Alexandre Volpi

        Espero que isso seja verdade, esses 1.0 e 1.3 turbo tem tudo para virar o jogo para a Fiat.

    • Retrato do Papai

      verdade, aquele firefly 1.3 8v dela é uma vergonha, bom mesmo é o 1.3 16v toyota

    • Robson Rogerio

      Atualmente talvez, e provavelmente por que quando foi pioneira a alguns anos atrás, só tomou pancada.

  • Schlatter70

    Com o advento de tantos carros com 3 cilindros no mercado teria sido mais acertado colocar no título carros com 2 ou 4 válvulas por cilindro. Sendo que existem carros até mesmo com 5 válvulas por cilindro.

  • Ric53

    As vezes fico tentado a pegar um Vectra Gt-x manual, a única que coisa que mata o carro é o motor.

    • Cara, tenho um que peguei para reforma.

      O carro passa a sensação de vigor. Porém em 120km/h para cima, você sente o carro dar aquela “segurada”.

      Mas em trechos de serra por exemplo, longe de fazer feio.

      Ps.: Peguei em uma negociação. Odiava GM, mas agora até tenho uma certa afinidade.

      • Ric53

        O carro deve ser um tanque! No sentido de não dar dor de cabeça, pq eu to fora de me esgoelar pra pagar um popular.

        • Ah sim. Tive que dar uma boa reforma nele. Estou há dois anos e até agora não recorreu nos itens que arrumei (que foi basicamente tudo).

          Como é 2008/2008, começam as trocas de desgaste de mangueiras, borrachas, etc.

    • Marcelo Henrique

      Muito simples:
      Compre um GT-X, hoje em dia você consegue comprar um Next Edition por uns 20 mil;
      Compre um motor de Astra GSI novo na chevrolet ou um de Vectra 2.4 16v, deve sair na casa dos 9 ou 10 mil reais;
      E finalmente leve pra remapeamento, mais uns 2 mil.
      Por menos de 40 mil você consegue montar um monstrinho de 160 CV ou um pouco mais. Talvez o cambio necessite ser reforçado ou entao troque por um F23 se originalmente veio com o F18.

      • Ric53

        Imagina, tudo 30k já cansei de pesquisar.
        Um cara fez isso com um Astra e turbinou!

  • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

    A matéria é meio falha, dá a entender em dois casos que só a Fiat possui motores 8v ou 2v por cilindro, tem dois trechos que dizem:

    “..Aliás, com exceção da Fiat, todas as demais apostam nas quatro válvulas por cilindro, mas é a concorrência que vai ditar o futuro da marca italiana…”

    e depois no fim:

    “…Com exceção da Fiat, todos os demais fabricantes só pensam em motores de 4v por cilindro. A GM, por exemplo, utiliza somente motores 1.4 e 1.8 litro, ambos com 8v no cabeçote, na base de produtos. ”

    A Fiat possui 2 motores 6/8v (Firefly 1.0 e 1.3), já a GM possui 3, sendo o 1.0, 1.4 e 1.8 8v, quem deveria ser a “vilã” aí é a dona GM.

    • Ananias Anacleto

      E em seguida a foto de um GM 4 cilindros 8V ……. Parece que colocaram o assistente do estagiário para escrever esse texto.

    • beto

      Esses estagiários….

  • FocusMan

    Hoje em dia a tecnologia avançou tanto que ter bancada de válvulas dupla ou única virou mais questão de arquitetura escolhida pelo fabricante do que realmente algo que vá fazer seu dia ficar pior ou melhor.

  • Tosca16

    Hoje não mas no passado a FIAT se notabilizou pelo uso de motores turbo e multiválvulas; quando me recordo de esportivos nacionais me vem na mente muitos FIAT, e alguns VW também, não sou fanboy… Mas ainda tenho a estigma de APzão, como marca registrada da VW, e os Turbo FIAT.

  • Oberon de Megrez

    fiquei 5 anos com um 206 1.0 16v, nunca me deu dor de cabeça com manutenção, tinha desempenho mediano na saída em primeira marcha, nas demais marchas tanto em baixo rpm quanto alto tinha desempenho e agilidade mais do que satisfatório para categoria.

  • duhehe

    Já tive de tudo, cada motor responde de um jeito, tem motor 16v de certa marca que é mais esperto em baixa que um 8v de outra.
    Por exemplo : O 1.6 16v da Hyundai da uma surra no 1.6 8v da Renault na cidade, o 1.6 8v da VW é nota 10, o 1.6 8v da Ford acho uma porcaria, ficando na seara dos 1.6, se começar a colocar outras cilindradas no jogo, ai sai treta.
    2.0 16v da Hyundai é horrivel (do i30 e Tucson), 2.0 8v da GM ninguem segura, menos ainda em alta (saudoso Astra).

    • O Vectra GT-x sente em alta.

      • duhehe

        O GT-X era uma delicia de dirigir, pena que o cambio era horrível

        • Cara, gostei do carrinho. Em relação ao câmbio é isso mesmo. Precisa ser mais justo e preciso.

  • Luis Burro

    Ainda não entendi a diferença do 8v ser melhor q o 16v em baixa,com uma válvula a mais suga mais ar na mesma rotação.
    Com as válvulas eletrônicas seria mais fácil,daria pra programar o 16 agir como o de oito em baixa e normalmente em alta.

  • Luis Burro

    Agora fiquei pensando no funcionamento do motor,das valvulas e as fases.4T desperdiça muita energia, não seria melhor desenvolver o 2T?

    • Tosca16

      Nas motos os 2T estão voltando, especialmente nas competições; baixo peso e muita potência, e já atendendo aos índices de emissões de poluentes.

      • Luis Burro

        Deviam msmo!

  • VaeVictis

    Prefiro motores com 6/8 válvulas. No passado eu tinha um com 12 válvulas que era terrível.
    Eu tive que trocar constantemente de marcha para mantê-la em rotações altas.

  • Douglas Carniato

    Já tive celta 8v, C3 1,4 8v… vectra 2.0 8v.. e apenas um carro 1.6 16v. Dentre todos estes o que mais gostei mesmo foi o 16v.
    Para motivo de comparações – Vectra elegance 2007 2.0 8v e NEW Fiesta 2014 1.6 16v SIGMA, ambos manuais.
    Apesar da potência ser quase a mesma (128 x 130 cv), o torque do Vectra em baixas rotações é bem maior do que o do Sigma, passando a impressão de que o motor é melhor de se guiar em circuitos de cidade.

    Claro que são carros diferentes… porém eu como eu faço trajetos de 80% estrada, gostei muito mais do motor 16v… principalmente na estrada.
    Em tese, levo como consideração – 8v melhor pra cidade… 16v melhor para estrada. Não sei se é realmente isso.
    Quanto a manutenção… creio que se você manter ela em dia, independe da quantidade de válvulas.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email