Combustíveis

Custo-benefício de se escolher um carro a diesel ao invés da gasolina

jeep-renegade-100-mil Custo-benefício de se escolher um carro a diesel ao invés da gasolina

Até pouco tempo atrás, os motores a diesel eram uma realidade somente entre as picapes e os SUVs maiores no mercado brasileiro. No entanto, hoje em dia é possível adquirir automóveis mais em conta equipados com motorização a diesel. Para se ter uma noção, o carro a diesel mais em conta oferecido em nosso mercado é o Jeep Renegade na configuração de entrada Custom com um 2.0 turbodiesel, transmissão automática de nove velocidades e tração nas quatro rodas, que é ofertado por R$ 110,3 mil.



No entanto, para levar para a casa a versão do crossover compacto equipada com motorização a diesel, o consumidor precisa desembolsar uma boa grana a mais em relação ao modelo flex. Para efeito de comparação, o Jeep Renegade Custom 1.8 Flex, que usa câmbio manual e tração dianteira, está disponível por R$ 75,8 mil. Ou seja, entre as duas configurações, há uma diferença de expressivos R$ 34,5 mil, valor suficiente para encostar na garagem um carro compacto 0 km ou até mesmo um modelo seminovo mais equipado.

Ainda na linha da Jeep, há o Renegade Limited 1.8 Flex com câmbio automático e opcionais de pacote de segurança e teto solar elétrico, que custa quase o mesmo preço do Renegade Custom 2.0, mas que oferece uma série de recursos a mais, como airbags laterais, de cortina e para os joelhos do motorista, ar-condicionado de duas zonas, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos com rebatimento elétrico, faróis de xênon, painel de instrumentos com display colorido, sistema multimídia com navegador GPS, entre outros.

Essa mesma situação acontece com uma série de outros SUVs e picapes em versões flex/gasolina e diesel no mercado brasileiro. Porém, será que vale a pena desembolsar uma boa grana a mais para levar a versão diesel ou abrir mão de um modelo flex mais equipado?

jeep-renegade-100-mil Custo-benefício de se escolher um carro a diesel ao invés da gasolina

Quais as diferenças entre um motor a gasolina e um turbodiesel?

Há boas diferenças entre um motor flex ou a gasolina e um propulsor turbodiesel. O motor a gasolina opera sob o sistema Otto, em quatro tempos. Nele, a válvula de admissão recebe a mistura ar-combustível, que é comprimida pelo pistão, chega a 450 ºC e recebe a agulha da vela para a queima. Com a explosão, o pistão é empurrado novamente para baixo e, ao voltar para cima, elimina os resíduos através da válvula de escape, fechando o ciclo.

No caso de um motor a diesel, a admissão contém apenas ar, que é comprimido para atingir uma temperatura de cerca de 800 ºC. Então, o diesel é injetado a cerca de 200 bar de pressão. Como resultado, há a queima do combustível e, assim, a combustão, empurrando o pistão para baixo. Ao voltar para cima, o pistão elimina os resíduos por meio da válvula de escape.

Além disso, a taxa de compressão de um motor a diesel é maior (normalmente de 16:1 a 24:1, contra 8:1 a 11:1 num a gasolina), resultando numa queima de combustível mais rápida e, consequentemente, maior aproveitamento de tempo trabalho em cada curso e maior eficiência energética. Há ainda diferenças no tempo de expansão (mais lenta no motor a diesel, de acordo com o tempo que o combustível leva para entrar em contato com o ar) e também na força de explosão (maior no propulsor flex, devido aos pistões de curso menor).

jeep-renegade-100-mil Custo-benefício de se escolher um carro a diesel ao invés da gasolina

Comprar um carro a diesel é vantajoso?

Há uma série de vantagens ao comprar um carro diesel ao invés de um modelo flex equivalente. Grande parte desses propulsores são mais modernos, dotados de turbocompressor, sistema de injeção direta de combustível e taxa de compressão mais elevada. Fora isso, eles têm uma durabilidade maior, por conta da concepção mais robusta, influenciando diretamente na confiabilidade do conjunto.

O principal benefício, porém, fica por conta da eficiência. De acordo com dados, um carro a diesel consegue entregar um consumo de combustível de 15 a 20% menor que um modelo movido somente a gasolina. No entanto, isso pode não ser uma vantagem tão boa para aqueles que utilizem pouco o carro no dia a dia e também para aqueles que trocam de veículo num curto intervalo de tempo.

No mercado, os carros a diesel costumam ter uma desvalorização menor que um modelo flex ou a gasolina, ainda mais se tratando de SUVs maiores e de picapes.

jeep-renegade-100-mil Custo-benefício de se escolher um carro a diesel ao invés da gasolina

É possível recuperar o “investimento” feito num modelo a diesel?

Sim, é possível – embora neste caso não seja investimento, pois um automóvel é um bem que apresenta depreciação com o passar do tempo e, consequentemente, gera perda de dinheiro ao bolso do proprietário. Como citamos no tópico anterior, um automóvel a diesel tem menor consumo de combustível que um modelo flex ou a gasolina. No entanto, o preço destes modelos costuma ser de 20 a 30 por cento maior.

Vamos às contas. Neste caso, iremos considerar a Toyota Hilux, que custa a partir de R$ 135.090 na versão SRV 2.7 Flex AT 4×4 e R$ 171.260 no modelo SRV 2.8 Diesel AT 4×4. Ou seja, entre elas há uma diferença de preço de R$ 38.170. Desconsideramos gastos com manutenção, depreciação, IPVA e seguro, levando em conta somente o consumo de combustível.

Segundo dados do Inmetro, uma Toyota Hilux SRV 2.7 Flex AT 4×4 apresenta consumo de 6,9 km/l na cidade e 8,1 km/l na estrada com gasolina, enquanto uma Toyota Hilux SRV 2.8 Diesel AT 4×4 faz 9 km/l e 10,5 km/l, respectivamente, com diesel. Hoje o preço médio da gasolina é de R$ 4,198, enquanto o do diesel é de R$ 3,381.

jeep-renegade-100-mil Custo-benefício de se escolher um carro a diesel ao invés da gasolina

Considerando um motorista que rode 15 mil km por ano, sendo 70% do tempo na cidade e 30% na estrada, confira os números:

Este motorista iria gastar R$ 8.717,34 de combustível com a Hilux Flex e R$ 5.443,47 com a Hilux Diesel. Ou seja, uma diferença de R$ 3.273,87 por ano. Sendo assim, tal proprietário precisaria ficar 11,65 anos com a Toyota Hilux Diesel na garagem para compensar a diferença de preço para a Toyota Hilux Flex.

No entanto, para um condutor que percorre 30 mil km por ano, também 70% na cidade e 30% na estrada, o desembolso seria de R$ 17.440,96 com combustível na Hilux Flex e R$ 10.787 na Hilux Diesel. Esses valores têm uma diferença de R$ 6.653,96, fazendo com que sejam necessários 5,73 anos de uso para compensar o gasto extra na aquisição do veículo.

Carro de passeio a diesel não é proibido no Brasil?

Realmente, o governo brasileiro não permite a comercialização de carros de passeio a diesel no País. Aliás, somos o único país do mundo que proíbe os carros a diesel nas concessionárias de 0 km. Somente caminhões, ônibus, picapes com capacidade de carga superior a 1.000 kg e utilitários com sistema de tração 4×4 e reduzida podem ser equipados com motores diesel por aqui.

COMPARTILHAR:
  • Fabio Maciel

    Na Europa em geral, os carros Diesel e até a gasolina estão com os dias contados… dentro alguns anos se pensa em proibir a circulação desses carros pelos centros urbanos. Especialmente os Diesel, que apesar de serem mais econômicos no gasto de combustível, são mais poluidores que os gasolina.

    • FrankTesl

      Exato, o escândalo dieselgate desmontou o engodo do diesel limpo.

  • Daniel

    Nessa conta tem que entrar a diferença de valor do IPVA, do seguro e revisão. Também precisa calcular os rendimentos que se consegue aplicando a diferença de valor em caso de compra à vista ou a diferença dos juros pagos em caso de financiamento. Na ponta do lápis normalmente não compensa o Diesel, salvo em alguns casos.

    • Louis

      Por outro lado, tem o maior valor de revenda de um diesel, que também não foi considerado.

      • ObservadorCWB

        Concordo. Mas não esqueça que manutenção também é mais cara. Ainda mais com o comon rail de gerações mais novas (pressões mais altas que nos antigos sistemas)

        • Eduardo

          IPVA mais alto (valor maior do bem), seguro custa o dobro, revisões mais caras…enfim…Diesel não se paga nunca! Empata em 20 anos de uso!

          • Pedro Cunha

            Na conjuntura brasileira, diante das opções “diesel” que temos, ele só se torna compensatório em casos muito específicos, gente que roda muito(muito mesmo, acima de 30 mil km anuais), que precise de um utilitário para trabalho, que trafega muito por terrenos insalubres, etc. Do contrário, é a ilusão do km/l e do preço/litro na bomba.

          • FrankTesl

            Em vários lugares do país caminhonete/SUV diesel parada na rua é risco máximo de furto ou roubo

            • Eduardo

              Ainda tem isso, o risco.

              Enfim, matéria muito rasa comparando somente o custo do combustível.

              Acabou ficando tendenciosa a favor de diesel, visto que o mesmo sso parece ser ruim e não muito ruim que é o que é.

      • kravmaga

        O maior de revenda realmente acontece porque também geralmente veículos a diesel dao usados para trabalho.

        Não há certeza se no futuro acontecerá o mesmo com veuculve que são oferecidos tanto a diesel quanto flex e que não são usados para trabalho, como o Renegade e Compass p.ex.

    • Duda Haddad

      Tem diferença no IPVA? Pelo que sei uma pick diesel ou a gasolina paga a mesma coisa de IPVA, e ambas pagam menos do que automóveis de passeio.

  • th!nk.t4nk

    Conta rápida: um BMW 116D (diesel, 116 cv) consome 33% menos que um BMW 118 (gasolina, 136 cv). Já um BMW 118D (diesel, 150 cv) consome 25% a menos que o mesmo modelo. Vamos considerar este último caso: a versão a diesel mais potente custa 21% a mais que o modelo a gasolina. Por sua vez, o litro da gasolina custa ~17% a mais na EU hoje. Considerando consumo e preço do combustível, a diferença chega a uns 40% de economia total com o diesel. Pra quem roda muito, tira esses 20% a mais no custo do carro em menos de 2 anos! O problema é que esses são dados na Europa, em veículos de passeio muito modernos e otimizados pro diesel. Pelo que o NA mostrou, no Brasil a vantagem acaba sendo bem menor, e é preciso rodar um absurdo pra compensar o diesel. E a essa altura do campeonato, sinceramente nem vale a pena insistir nesse combustível mais. Pela diferença de preço no carro, que metam logo no mercado brasileiro um mild-hybrid de uma vez.

    • Roberto

      A questão é que aqui, Diesel é visto como luxo. Porque não tem um Renegade Diesel manual, por exemplo? A diferença entre o flex e o diesel igualmente equipados é pequna…
      Porque o Duster 4×4 manual não é Diesel?

      • cefaf

        Porque não possui caixa de câmbio reduzida, infelizmente.

        • Roberto

          Tem fabricante fazendo a primeira marcha como reduzida, não serve? Cambio 6 marchas com reduzida mais 5

          • cefaf

            O câmbio do Duster 4×4 é exatamente assim como você descreveu. Sou proprietário de um. A questão que entendo é que, tecnicamente (e infelizmente), é necessária uma (segunda) caixa de câmbio reduzida num 4×4 para poder vender com motor a diesel.

            • Pedrob

              Concordo, no caso dos câmbios manuais acredito que não tem muito o que fazer, tem que ter a caixa externa.

        • konnyaro

          Existem exceções a esta regra, tais como o antigo Marruá que não tinha a caixa reduzida, mas tinha a primeira muito curta, ou quando liberaram a Mercedes classe GL, que é diesel sem reduzida.
          É tudo apenas questão de convencer ($$$) os caras lá de Brasília…

          • TijucaBH

            Corrigindo, foi a ML que puxou a fila e nao GL…

      • Pedrob

        Cara, conforme a matéria comenta, a legislação brasileira (PORTARIA Nº 23, DE 6 DE JUNHO DE 1994) proíbe comércio de carros de passeio a diesel. O Renegade apenas pode utilizar o motor Diesel com 4×4 e a transmissão AT9 (na qual a primeira marcha é considerada reduzida) para cumprir os requisitos legais. Como você pode ver na Toro há a opção manual 4×2 por se tratar de uma pick-up (carro utilitário) com mais de 1000 kg de capacidade de carga. A Duster 4×4 manual precisaria adotar uma caixa de redução para ser autorizada a usar Diesel.

        Segue trecho da portaria:

        Art. 1° Fica proibido o consumo de óleo diesel como combustível nos veículo automotores
        de passageiros de carga e de uso misto, nacionais e importados, com capacidade de transporte inferior
        a 1.000 kg (mil quilogramas) , computados os pesos do condutor, tripulantes, passageiros e da carga.
        § 1° Para fins desta Portaria, considera-se que o peso de uma pessoa é de 70 kg (setenta
        quilogramas).
        § 2° Excetuam-se do disposto no caput deste artigo os veículos automotores denominados,
        jipes, com tração nas quatro rodas, caixa de mudança múltipla e redutor, que atendam aos requisitos do
        Ato Declaratório (Normativo) n° 32, de 28 de setembro de 1.993, da Coordenação Geral do Sistema de
        Tributação da Secretaria da Receita Federal, mesmo os que atendam, simultaneamente, as condições
        de jipes e de uso misto, conforme Parecer Normativo n° 2, de 24 de março de 1.994, da citada
        Coordenação.

        Espero ter ajudado na dúvida.

        • Roberto

          Então, o Duster 4×4 é manual… se fosse automaico seria considerado ” caixa de mudança múltipla e redutor” igual o Renegade?

          • Pedrob

            Não necessariamente. O que acontece é que o Renegade não utiliza a 1ª marcha no uso normal saindo de 2ª marcha. Essa primeira é considerada uma reduzida embutida na transmissão, não sendo necessário uma segunda caixa de redução. Já no caso do Duster 4×4, ela precisaria ter uma estratégia similar, o que não seria possível quando utilizando a transmissão AT4 atual pois a 1ª marcha seria sempre utilizado na saída (visto que não é viável deixar apenas 3 velocidades para o uso normal), não caracterizando uma reduzida para condições off-road.

            • beto

              E o Renegade pra fazer isso usa uma caixa de 9 marchas.

    • Gabriel Araujo

      Só errou na 118i gasolina, que tem 170 cv. Quem tem 136 cv é a 116i. Mas o resto do raciocínio está certo.

      • th!nk.t4nk

        Citei os modelos originais aqui na Alemanha, pra uma comparaçao justa. Dados tirados diretamente do site:

        Modelos a gasolina: 116i tem 109 cv, 118i tem 136 cv, 120i tem 184 cv e 125i tem 224 cv.
        Modelos a diesel: 116D tem 116 cv, 118D tem 150 cv, 120D tem 190 cv e 125D tem 224 cv.

  • Zé Mundico

    Pessoalmente, nunca vi vantagem em carro a diesel, a não ser para quem roda muito, mas muito mesmo. E olha que já dirigí muito por estradas do interior do país, desde Bonanza a álcool até Ranger a gasolina.
    Saindo um pouco do assunto consumo, outro grande problema é o altíssimo custo de manutenção de veículos a diesel, desde peças até mão de obra. Não se engane, TUDO para diesel é mais caro, podendo chegar em certos casos até o DOBRO do custo.
    Vários mecânicos já me disseram que reparo de motor diesel exige ferramental específico, maior, mais pesado e consequentemente mais caro.

    • Roberto

      tudo porque o mercado diesel é pequeno… se fosse maior, teria mais oferta de equipamentos, peças e mecanicos… logo, seria mais barato..

    • Renato Duarte

      Isso é MITO. A manutenção de um carro Diesel poderia ser muito mais acessível, pois é mais simples do que se imagina. Quer um exemplo??? não tem como montar um motor diesel e ele ficar ”fora do ponto”. Já o motor a combustão por ignição (gasolina, Alcool, flex) é necessário maior conhecimento sobre o ponto do motor,, ou seja, é mais complexo de montar. Nesse ponto de vista eu penso que um mecânico te leva na conversa quando diz que a manutenção do diesel fica mais cara.

      • MarcioMaster

        Só esqueceu de pouca coisa: Bomba de alta pressão, bicos de alta pressão, sensores de alta pressão, turbinas TGV ou bi turbo, flauta de alta pressão, muitos sensores a mais, filtro DPF, valvula EGR, sensores de temperatura do escape, etc. Isso só tem no diesel. Detalhe quando tem as mesmas peças, como um modulo de injeção, o da s10 2.5 flex custa 1600 reais, o da Amarok TDI 12.000 reais, o preço é bem diferente.

        • Renato Duarte

          Lembrando que os sensores mencionados, também estão presentes nos motores gasolina e flex, Sonda lambda, sensor de posição da borboleta, sensor de mistura ar-combustível. E quanto a discrepância nos preços dos componentes eletrônicos,, não tem nada a ver com custo de projeto,, tem a ver com imposto,, ou você não lembra que veículo diesel possui restrições aqui no brasil???

      • Zé Mundico

        Eu acho que você nunca chegou perto de um motor a diesel para ver como aquilo é complicado e cheio de peças caras.

        • Renato Duarte

          Peças caras pois se criou um ambiente de mercado pra que elas custassem caro (impostos, taxas, pouca concorrência). Tenho experiência com motor Diesel, flex, gasolina e alcool e até com motores 2 tempos de motos. Motores Diesel estão livres do sistema de ignição pois trabalham com bomba injetora mecânica ou elétrica e com alta taxa de compressão, portanto tem montagem mais simplificada do que os motores ciclo otto.

          Agora se você quiser que eu também te apresente o meu CNPJ ,, é só me pedir.

          • Zé Mundico

            Cada qual defende seu peixe e o choro é livre.

    • carlos4carros

      A vantagem é que um veículo a diesel é melhor que um a gasolina. Se a pessoa em dinheiro pra pagar pelo melhor, ela vai comprar o melhor.

      • Zé Mundico

        ah, tá.

  • Will

    Pra mim fica claro que não tem vantagem no diesel.
    E olha que nem consideraram seguro, custo de manutenção e principalmente o custo de oportunidade desse dinheiro a mais despendido na versão diesel e que poderia ter sido investido em outra coisa.

  • Luis LC

    Ainda tem as diferenças na condução, motores a diesel, mesmo os modernos, tendem a descarregar quase a totalidade do torque em baixas rotações – bom para transporte de cargas – consequentemente “sofrem” um pouco nas retomadas em alta em comparação aos de ciclo Otto , principalmente em subidas. Com relação a isso se acostuma mas que é diferente, isso é!!

  • Razzo

    “No entanto, para levar para a casa a versão do crossover compacto equipada com motorização a diesel, o consumidor precisa desembolsar uma boa grana a mais em relação ao modelo flex. Para efeito de comparação, o Jeep Renegade Custom 1.8 Flex, que usa câmbio manual e tração dianteira, está disponível por R$ 75,8 mil. Ou seja, entre as duas configurações, há uma diferença de expressivos R$ 34,5 mil, valor suficiente para encostar na garagem um carro compacto 0 km ou até mesmo um modelo seminovo mais equipado.”

    –> Com esta diferença de grana daria para adquirir 7.000 litros de gasolina e rodar uns 70.000 Km (média de 10 Km/l).

  • Elinho Casagrande

    Só se esqueceram de colocar custo financeiro do dinheiro que se paga a mais no diesel e os custos maiores de manutenção e seguro.

  • Eduardo Sad

    Até pouco tempo, o diesel custava em torno de $1,99. Aumentou demais naquele tempo em que tivemos protestos de caminhoneiros. Realmente vai de cada um calcular os contras (valor maior investido no diesel (custo do dinheiro aplicado), manutenção, seguro) e prós (consumo, preço do combustível, prazer ao dirigir em veículo de maior torque, valor de revenda, retorno financeiro maior no desenvolvimento de atividades específicas do campo ou cidade). Pensando somente na mensuração de custos, creio que o diesel seja vantajoso apenas em condições bem específicas. Mas fato é, quem nem tudo mensura-se em valores. Deve-se levar em conta a satisfação pessoal tbem. Já andei nas duas Hilux (flex e diesel) e são carros completamente diferentes!

    • Rafael Lima

      Eu achei o desempenho da Flex parecido com o 1.0 tricilindrico do KA, imagino com o carro carregado

  • Gui

    Seguinte: ESTÁ CONTA, POR SI SÓ, NÃO DIZ NADA NADA NADA NADA.
    Comprem uma s10 ltz AT por R$ 120.000 e vendam daqui 3 anos, e voltem aqui pra postar. Eu DUVIDO quem pague mais que 80, 83 mil.
    Comprem a diesel e vejam a diferença de desvalorização. Por aí só já vale.

    • Rafael Lima

      Uma S10 LTZ Flex da pra achar por esses valores, concordo, mas uma Diesel alem de pagar a mais pra adquirir a desvalorização é maior em comparação, com o preço de uma LTZ Diesel 2015 que ja achei por 105 mil, um veículo que saia por 160 mil a desvalorização é menor na flex, os valores em si são maiores na Diesel, mas a Flex 2015 que saia por 115, ser vendida por 80 a 90 mil a desvalorização foi menor

    • Gui

      Vou comentar só pq está com o mesmo nome.
      A desvalorização é quase proporcional, é só olhar a tabela FIPE e as revendas. Nesse caso, pagando bem mais caro na diesel 0km, daqui 3 anos, ambas estarão desvalorizadas e, mesmo que a flex desvalorize, proporcionalmente, um pouco mais, se vc considerar apenas o valor, a diesel desvaloriza mais.
      Ou seja, hoje a diferença entre a s10 ltz flex pra diesel é de mais de 41mil, então, daqui 3 anos a flex vai perder uns 10mil a mais que a diesel, mas não vai perder esses 41mil q custou a menos.
      Fora que a maioria que compra esse tipo de veículo prefere financiar e investir em seus comércios, fazendas etc, que rende mais que os juros do financiamento. Assim, contando os outros custos, como juros do financiamento desses 41mil, ipva (3% de 41mil já da pra rodar mais de 2mil km ano de graça na flex), manutenção, se for fazer seguro então “PAI AMADO”.

      A única vantagem do diesel é o torque PONTO FINAL

      • Gui

        Complementando, só com juros do financiamento desses 41mil dá pra andar 3mil km MÊS, na flex (de graça).

      • Eduardo

        exatamente, não compensa em nada o diesel! nada! Só tem torque maior mesmo.

      • kravmaga

        E grande parte desse torque também pode ser obtido nos motores a gasolina se forem adotadas algumas das mesmas estratégias: uso de turbo e injeção direta.

        Sinceramente, seria muito mais vantagem para a maioria comprar SUV ou picape com gasolina, turbo e injeção direta. Pena que a oferta desse tipo de veículos seja ainfa pequena por causa do conservadorismo de várias marcas, especialmente as japonesas.

  • Elder Walker

    Tem uma questão que parece estar passando despercebida, especialmente nos comentários, já que a matéria tem um foco mais específico relacionado a custos. Mas falando da usabilidade, lembrem-se da AUTONOMIA. Sim, para os “cowboys do asfalto” que compram tais carros por status, realmente, isso não é levado em conta. Mas para os que moram em regiões mais afastadas, com distâncias maiores entre postos de combustível etc, isso pode ser o fator decisivo entre o carro permitir levar a pessoa até o destino ou não. O mesmo vale para aqueles que usam o carro em “road trips” pela América do Sul: muitas vezes uma autonomia de 200km a mais pode facilitar muito. Nestes casos, ponto para o diesel.

  • Wrangler95

    A matéria até inicia bem, mas encerra pela metade.
    A avaliação de custo-benefício não fica apenas no consumo.
    Há diversos outros dados importantes, como custo de manutenção, peças, seguro, e desvalorização, que deveriam ser mencionados.
    Para os SUV e utilitários entre R$ 100 e R$ 150 mil se passar de 12 ou 13 mil km por ano os modelos à diesel acaba valendo a pena.
    Paga-se mais caro, mas a perda no momento da revenda é proporcionalmente menor.

  • FrankTesl

    o mito de carros diesel pouco poluidores na Europa e nos EUA foi um grande golpe desmontado pelo Dieselgate.

    Além de mascararem as emissões de monóxido de carbono usando os tais dispositivos de fraude (defeat devices), que apresentavam nos dinamometros de teste níveis de poluição 5, 6, 10 e até 20 vezes menores que os níveis apurados em ambiente de uso real, vários outros agentes poluidores como o Nox – óxido de nitrogênio – e os elementos microparticulados eram desprezados ou omitidos nos relatórios oficiais dos fabricantes, de modo que a poluição real era sempre maior, seja em quantidade quanto em diversidade do que as declaradas.

    Se fossem instalados filtros realmente eficazes para conter tais poluidores, aí é que os custos aumentariam muito mais, tornando a produção e manutenção de carros de passeio a diesel completamente inviável (filtros materiais catalisadores ainda mais caros com necessidade de trocas mais constantes). O motor diesel acabou sendo tolerado apenas em veículos de carga e de transporte coletivo, e mesmo assim com restrições e controles muito rigorosos.

    Vejam no netflix o documentário – Dinheiro Sujo – Episódio 1

  • Holandês Louco

    Foi considerado no cálculo eu a diferença de gastos estaria em uma aplicação financeira durante o período?
    Se não, o diesel na prática fica ainda mais distante da gasolina.

  • Alex Rodrigues

    A taxa e compressão ndo Renegade Flex é 12,5:1

  • marcelo ortega batista

    além de seguro muito mais caro , diesel não compensa, vide S10 2,5 flex auto melhor custo beneficio do mercado.
    Diesel vai acabar.

  • Jorge

    Mesmo levando em consideração o melhor dos cenários pro diesel ainda foram necessários mais de 5 anos para começar a valer a pena, levando em consideração que quem roda tanto assim tende a trocar o carro antes, não consigo ver vantagem financeira em ter um carro diesel.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email