Guincho: carro não pode ser levado e regularização até 15 dias

Guincho: carro não pode ser levado e regularização até 15 dias

O veículo está irregular e perante o Código Brasileiro de Trânsito (CBT), caso parado em uma blitz, será removido da via através de um guincho ou caminhão-plataforma. Bem, era assim até poucos dias atrás.


Agora, com a Lei 14.299, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, fica proibida a retenção do veículo e sua remoção para um pátio de trânsito por irregularidades no veículo ou falta de licenciamento.

Irregularidades que não colocam em risco a segurança, como placas com identificadores apagados ou faltando, entre outras, agora pode ir para casa sem ver o carro seguir sozinho em outra direção.

Contudo, a Lei 14.229 determina que o proprietário do veículo regularize a situação num prazo de 15 dias. Já quem tem licenciamento atrasado, a coisa é um pouco diferente.

Na blitz, o proprietário com veículo atrasado em licenciamento terá de pagar o que deve na hora, por meio de aplicativo ou outros meios. Como se sabe, o licenciamento ainda pode envolver multas e IPVA atrasado, por exemplo.

Então, carro com licenciamento atrasado, o dono terá de ter os meios financeiros no momento para não ver o carro subir na plataforma.

E não é somente isso, diz o Detran-SP: “o proprietário precisa concluir todas as etapas do processo de licenciamento no local da abordagem. Caso elas sejam cumpridas, o veículo será autuado e liberado”.

Como se pode ver, além de pagar no local, o dono tomará uma multa pelo atraso, mas voltará para casa rodando com seu automóvel. Isso evita, entre outras coisas, taxas e a desagradável situação de ter um carro no pátio.

Esses valores são altos e podem impactar um proprietário de baixo poder aquisitivo. No caso de São Paulo, a taxa de remoção por guincho é de R$ 319,99, com diária no pátio de R$ 31,99. A taxa de liberação é de R$ 15,76.

Para quem já teve ou sabe como um automóvel é tratado em um pátio de trânsito, não ser guinchado é garantir que o carro continuará como está.

Além disso, no caso de quem trabalha com o veículo, vem a oportunidade para arrumá-lo e assim não perder serviço. Nesse caso, há um laudo de vistoria após os 15 dias e em São Paulo, essa taxa é de R$ 160…

[Fonte: Agora SP]

 

 

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.