Óleo do motor baixando, por quê?

A lubrificação do propulsor é um item fundamental para que sua vida útil seja longa e que o carro como um todo tenha desempenho e economia em níveis considerados bons, mas ver o nível do lubrificante descer sem motivo aparente é realmente um motivo de apreensão. Então, óleo do motor baixando, por que?

Todos os motores possuem um ciclo de vida e o óleo lubrificante é o sangue que os move durante toda sua vida útil. Normalmente, os motores apresentam parâmetros que indicam um consumo de óleo no período entre as trocas. Isso é normal, visto que está previsto no projeto dos propulsor, sejam antigos ou novos.


Esses limites, quando atendidos, não trazem qualquer prejuízo para a vida útil do motor. Geralmente, o ciclo de consumo começa alto para um motor novo, visto que as partes móveis não possuem folgas de funcionamento, trabalham com maior atrito e exigem um esforço maior do motor nos primeiros quilômetros de funcionamento.

Esse fôlego maior para fazer o trabalho obviamente consome mais óleo lubrificante, mas é fundamental para limalhas e resíduos do atrito inicial sejam depositadas no fluído e eliminadas na primeira troca. O assentamento das peças móveis ocorre no período chamado de amaciamento, que chega até por volta de 3.000 km.

Mesmo após a primeira troca, ainda haverá um consumo maior de óleo, mas logo ele se estabilizará e será assim durante quase toda a vida útil do motor. No final da vida, porém, os desgastes internos serão mais acentuados e isso significará novamente um consumo maior, com nível de óleo baixando mais rapidamente.

O que altera o ciclo normal?

O ciclo descrito acima é o normal na vida de um motor, mas algumas coisas podem altera-lo e acelerar a redução no nível de óleo do motor. O uso considerado “severo” pelos fabricantes é um deles. Normalmente, as tabelas de trocas para motores que são usados em rotações mais altas, transportando mais cargas, acarretam em metade do tempo de troca e obviamente em consumo maior de óleo.

Outra alteração é estender demais os intervalos de troca (geralmente o máximo é 1.000 km antes ou depois), já que o óleo perderá sua propriedade de limpeza e lubrificação do motor diante da quantidade de impurezas que acumulou ao longo do tempo de uso normal. Viscosidade mais leve acarreta consumo maior de óleo, enquanto os menos viscosos demoram mais. Mas, então vem a pergunta abaixo:

Óleo do motor baixando, por quê?

Óleo do motor baixando, por que?

Além dos motivos acima, existem alguns mais visíveis e perceptíveis ao proprietário do veículo. Um deles é o famoso vazamento de óleo. O motor pode estar vazando por diversos lugares, sendo os mais comuns tampa de válvulas, cárter e retentor do virabrequim. A quantidade perdida não será reposta naturalmente e o nível baixará sensivelmente, dependendo do volume perdido.

Outro aspecto que fica evidente para perceber o óleo do motor baixando é a queima do mesmo. Fumaça branca saindo do escape é sinal de lubrificante sendo queimado na câmera de combustão. A quantidade queimada também afetará o nível. E por que isso ocorre? Há diversos motivos que fazem o motor queimar óleo.

O mais verificado é o estado dos anéis de vedação dos pistões, que raspam o óleo nos cilindros e impedem que o mesmo contamine a câmara na hora da combustão. Folga nos anéis, em virtude do tempo de uso, fazem queimar óleo e reduzem o nível. Além disso, o óleo do motor baixando mais rapidamente pode estar relacionado com anéis quebrados, quando um fluxo grande de lubrificante acaba passando pelo pistão.

Este anel quebrado pode riscar ou mesmo produzir sulcos profundos nos cilindros, ampliando a passagem de óleo. Os anéis podem ficar gastos com o tempo de uso e deixam passar mais fluído, assim como eles também podem ficar presos no próprio pistão, não movendo-se de forma apropriada para uma raspagem eficiente.

O aumento na pressão do óleo do motor também é outro ponto que pode fazer o nível baixar, quando o propulsor injeta mais lubrificante que o necessário, acarretando excesso e também contaminação da câmara, com a combustão do mesmo. Aliás, o excesso de óleo no cárter também pode acelerar o consumo de óleo nesse aspecto e o movimento do mesmo ampliar o vácuo interno.

A limitação na entrada de ar para o motor ou câmara de combustão acarretará em maior fluxo de óleo sugado e sua queima, sendo isso geralmente ocasionado pela formação de depósitos de carbono. Aliás, a queima constante de óleo forma crostas de carbono nas válvulas e na cabeça do pistão, reduzindo assim o volume de mistura ar-combustível e a combustão de forma eficiente.

Com isso, perde-se em consumo, emissão, performance e, principalmente, vida útil.

Óleo do motor baixando, por quê?

Outras causas

Rodar em rotação muito baixa também permite vai permitir que o dono do carro perceba o óleo do motor baixando. Com cargas maiores em um regime desnecessário, o motor tenderá a consumir mais lubrificante.

Outro ponto é o desgaste da correia dentada que, antes de quebrar, pode alterar a relação de abertura e fechamento de válvulas, ampliando o vácuo para contaminação da câmara com óleo do motor.

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.