Listas Top 10

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Para um carro andar bem, ele não tem que possuir uma potência elevada, necessariamente. A potência é importante para atingir altas velocidades e conseguir as manter por um bom tempo, mas o torque também é importante, ainda mais dentro da cidade, em acelerações, arrancadas, etc.


Modelos como os esportivos da Lotus, tem potência relativamente pequena. O Lotus Elise S mais em conta tem apenas 136 cavalos de potência, mas consegue acelerar de 0-100 em apenas 6 segundos e andar junto de carros com mais de 400 cavalos em circuitos com muitas curvas.

Por isso que gostamos de destacar a importância da relação peso/potência, que é a relação entre a cavalaria de um carro em comparação com seu peso. Ele pode ter poucos cavalos, mas se for leve, vai andar bem. O Fiat Mille é um exemplo disso. Por ser mais leve que outros populares, anda mais rápido.

No passado fizemos uma matéria com 10 carros com ótima relação peso/potência no Brasil. Ali, mostramos que mesmo um Ford Ka 1.6, que não tem nada de esportivo, pode andar bem forte, porque cada cavalo de seu motor tem que empurrar apenas 8,5 quilos de seu peso.

Mas, o que dizer do outro lado da balança? Quais são as piores relação peso/potência do Brasil? Fizemos duas listas, uma lista com modelos recentes, e outra com modelos mais antigos, muitos deles já não estão mais em linha.

São casos absurdos, chegando a quase 17 quilos por cavalos, transformando aquele modelo em uma verdadeira lesma. Veja:

Carros novos com as piores relações peso/potência

1) Fiat Grand Siena 1.0

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

O Fiat Grand Siena é outro exemplo de modelo que não deveria ter um certo motor, no caso o 1.0. Ele tem uma relação peso potência similar ao modelo Doblo 1.4, com 15,11 quilos por cavalo. Leeento.

2) Fiat Argo 1.0

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

O Fiat Argo é um hatch meio compacto meio médio que chegou para substituir de uma só vez Palio, Punto e Bravo. Ele tem motores 1.0, 1.3 e 1.8, mas em sua versão 1.0 a relação peso potência é sofrível, com 14,35 quilos por cavalo do motor.

A opção de motor 1.0 flex está disponível só nas versões de entrada Argo 1.0 e Argo Drive 1.0.

O Fiat Doblo é um modelo que nunca deveria ter sido lançado com versões equipadas com motor 1.4. Ele é pesado, com 1.300 quilos, e por isso sua relação peso potência fica em tristes 15,09 quilos por cavalo.

3) Nissan Versa 1.0

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Nissan Versa com motor 1.0? Um sedan com dimensões que ficam entre um sedan popular e um sedan médio, era de se esperar que ele fosse vendido apenas com motor 1.6. Mas a versão 1.0 ainda existe, e tem relação peso potência de 13,71 quilos por cavalo.

4) Fiat Strada 1.4 Cabine Dupla

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Está notando um certo padrão nessa lista? Ela é quase que inteiramente composta de modelos da Fiat, com seu lamentável motor 1.4, que tem a mesma potência que muitos 1.0 mais modernos. A Fiat Strada 1.4 com cabine dupla tem relação peso potência de 13,34 quilos por cavalo.

5) Fiat Uno 1.0

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

O chamado “Novo Uno” é bem mais pesado que o antigo Mille, e tem uma relação peso potência de 13,12 quilos por cavalo do motor.

6) Chevrolet Joy Plus

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

A versão antiga do Prisma, agora vendida como Joy Plus, também aparece em nossa lista. Equipado com motor 1.0, o sedã tem relação peso/potência de 12,94 kg/cv.

7) Chevrolet Onix Sedan e Chevrolet Joy

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

O novo Onix Sedan tem o excelente motor 1.0 turbo, mas também é vendido com o motor 1.0 aspirado. Nessa versão, sua relação peso/potência não é tão boa, sendo de 12,93 kg/cv (bem próxima ao Joy Plus). Junto a esse modelo temos o antigo Onix, vendido como Joy, que tem a mesma relação peso/potência.

8) Suzuki Jimny 1.3

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Valente nas estradas de terra, o modelo anterior do Suzuki Jimny não tinha exatamente um motor potente quando usado em situações urbanas ou em viagens. Sua relação peso potência é de 12,82 kg/cv, o que melhorou muito com a chegada da nova geração, que tem índice de 9,95 kg/cv.

9) Chevrolet Onix LT 1.0

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

O novo Onix também agradou nas versões 1.0 turbo, mas sua opção de entrada conta com motor 1.0 aspirado. Isso fez o modelo aparecer na nona posição de nossa lista, com um índice de 12,79 kg/cv.

10) Renault Logan 1.0

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Fechando nossa lista, temos o francês Logan 1.0. Na mesma situação do Joy Plus, o sedã da Renault pede um motor mais potente devido ao seu peso. Na opção mais barata, ele tem relação peso/potência de 12,71 kg/cv.

Carros antigos e fora de linha com as piores relações peso/potência

1) Chevrolet Blazer 2.2

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

A Blazer com motor 2.2 litros é a campeã da lerdeza. O SUV é equipado com um motor 2.2 de 106 cavalos, da época dos motores EFI, com um bom torque, mas mesmo assim fraco demais para empurrar os mais de 1.700 quilos da Blazer. O motor certo para ela era o 4.3 V6 mesmo, de 180 cavalos. Aí sim. Sua relação peso/potência é de 16,4 kg/cv.

2) Fiat Siena 1.0 6 marchas, Chevrolet Corsa Sedan, Ford Fiesta Sedan e Volkswagen Voyage

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Hoje existem vários sedãs populares no Brasil, com motor 1.0, com relação peso/potência das piores. Mas não vamos encher a lista com eles, pois senão essa seria uma lista de carros 1.0.

Usamos o Siena 1.0 como exemplo porque ele é o pior deste segmento. Seu motor tinha apenas 61 cavalos, e pouco torque, insuficientes para os seus 990 quilos. O Fiesta Sedan é quase tão ruim quanto ele. Isso resulta numa relação peso/potência de 16,2 kg/cv.

3) Volkswagen Kombi

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Embora seja a queridinha de quem precisa de um carro robusto e prático para o transporte de pessoas e cargas, a Volkswagen Kombi tem uma relação peso/potência decepcionante, de 16,2 kg/cv.

A jurássica Kombi tem 1.297 quilos e um motor de apenas 80 cavalos.

4) Fiat Doblo 1.3 16v

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Além de aparecer entre os modelos novos, o Fiat Doblo também ocupa uma posição entre os carros antigos. A geração antiga da minivan com motor 1.4 litro a gasolina entrega só 80 cv, que tenta empurrar os 1.270 kg do modelo. Não dá certo, claro. Com isso, há uma relação peso/potência de 15,8 kg/cv.

5) Fiat Palio Weekend 1.0

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Aqui o problema é o mesmo do Siena 1.0. A Palio Weekend com o antigo motor 1.0 litro de quatro cilindros oferecia só 70 cavalos de potência e é mais pesada que o Siena, com 1.070 quilos. Logo, há uma relação peso/potência de 15,2 kg/cv.

6) Fiat Punto 1.4

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Se você está em busca de um carro ágil para o dia a dia, fique longe do Fiat Punto 1.4. Ele tem versões melhores com motor 1.6 flex, 1.8 flex ou até 1.4 turbo a gasolina.

O Punto 1.4 tem apenas 86 cavalos e peso de 1.090 quilos. Alguns chegam a dizer que ele anda tão devagar quanto um carro 1.0. Relação peso/potência de 12,6 kg/cv.

7) Ford EcoSport 1.0 Supercharger

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Mais uma tentativa de usar o imposto menor para carro 1.0 em um modelo que nunca poderia ter um motor tão fraco. Tudo bem que o motor 1.0 da EcoSport tinha supercharger, mas seus 95 cavalos são fracos perante os 1.200 quilos de peso do crossover compacto.

Neste caso, há uma relação peso/potência de 12,6 kg/cv.

8) Citroen Xsara Picasso 1.6

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Por incrível que pareça, a condução do Xsara Picasso 1.6 não é algo extremamente terrível, tudo isso por conta do motor com bom nível de torque. Porém, 110 cavalos de potência para um carro de 1.308 kg é uma situação delicada. Nele, há uma relação peso/potência de 11,8 kg/cv.

9) Chevrolet Omega 2.0

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

Os motores 2.0 da Chevrolet já foram usados em todo tipo de modelo da marca e o Omega não escapou. Sua versão mais simples tinha motor de apenas 116 cavalos, que servia para empurrar um sedã grande com peso de 1.380 quilos. Ou seja, relação peso/potência de 11,8 kg/cv.

10) Chevrolet Meriva 1.4

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil

O motor Econo.Flex da GM é bom, chegando a impressionantes 105 cavalos de potência, mas a Meriva ainda é um pouco pesada demais para ele. São 1.225 quilos distribuídos num corpo de minivan. Ou seja, relação peso/potência de 11,6 kg/cv.

11) Chevrolet Zafira 2.0 – BÔNUS

Os 10 carros com as PIORES relações peso/potência do Brasil
Chevrolet Zafira

Os últimos exemplares da Chevrolet Zafira saíram equipados com um motor 2.0 flex de 140 cavalos de potência, mais adequado para um carro com proposta familiar e peso de quase 1.400 kg.

Todavia, em 2001, a Chevrolet Zafira com motor 2.0 de oito válvulas tinha apenas 116 cv para um carro de 1.345 kg. Relação peso/potência de 11,5 kg/cv.

Eber do Carmo

Eber do Carmo

Formado em marketing, tem mais de 13 anos de experiência escrevendo sobre o mercado automotivo no Notícias Automotivas, desde que fundou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio. Também teve por três anos uma empresa de criação de sites e catálogos eletrônicos.

    Quem somos

    O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

    Notícias por email