Perdi a placa dianteira do carro, o que fazer?

Perdi a placa dianteira do carro, e agora?

Perdi a placa dianteira do carro, o que fazer?


Com a chegada do verão, muitas cidades brasileiras sofrem com as fortes chuvas e, consequentemente, com as inundações em ruas e avenidas, ocasionando queda de árvores, além de alagamentos em casas e carros.

Nos períodos de chuvas fortes a atenção deve ser redobrada com o carro para não danificar o motor e a parte interna do veículo.

Com a força da água, é comum acontecer a perda da placa de identificação do veículo. O próprio Detran de algumas cidades fazem campanhas alertando os condutores para tomarem cuidado nessa temporada de primavera/verão. Passar por buracos também pode contribuir para que ela solte.

Perdi a placa dianteira do carro, o que fazer?

Há situações onde ocorrem os furtos. Criminosos retiram a peça do automóvel original para colocar em carros roubados.

A estratégia deles é utilizar essa placa em modelos parecidos, da mesma marca, cor e modelo do carro que teve a placa de identificação furtada. A prática ainda vai longe, a adulteração é feita para cometer outros crimes.

Perdi a placa dianteira do carro, o que fazer?

Se você passou por alguma dessas situações e não faz ideia do que deve ser feito, neste artigo mostramos exatamente as medidas que devem ser tomadas quando ocorrer estes incidentes. Afinal, todos sabem que não é permitido circular sem as placas do automóvel.

Perdi a placa: o que fazer?

Nesse período chuvoso, antes de sair de casa, verifique diariamente se a placa dianteira está bem fixada. Por não ser lacrada, como a traseira, existe uma facilidade dela se desprender.

Caso isso venha acontecer, o condutor não poderá dirigir até regularizar a situação. Se desrespeitar a legislação trafegando sem a identificação, o motorista poderá ser multado em R$ 293,47 e mais sete pontos na CNH, considerada infração gravíssima.

Para a sua segurança, procure uma delegacia para abrir um Boletim de Ocorrência (BO) relatando perda da placa em uma enchente. O registro permitirá que ela fique “inativa”, caso outra pessoa utilize-a indevidamente.

A placa dianteira foi furtada: o que devo fazer?

Placa furtada é sinônimo de muita dor de cabeça. A ilegalidade poder trazer muitas consequências graves se a vítima não correr atrás para solucionar o problema.

O primeiro passo é procurar uma delegacia de polícia para abrir um Boletim de Ocorrência.

Perdi a placa dianteira do carro, o que fazer?

O furto, que geralmente acontece para facilitar a execução de outros crimes, pode, até mesmo, incriminar a vítima.

Vamos supor que o criminoso atropele outra vítima, ou sua placa é flagrada por uma câmera durante um roubo. Tudo pode acontecer, por isso que o BO é fundamental nessas ocasiões.

Após comunicar às autoridades, é preciso pedir uma segunda via para o Detran. A nova placa deve conter as mesmas características da anterior, ou seja, é inviável alterar suas informações (letras e números).

Como solicitar uma nova placa dianteira?

Para emitir o novo emplacamento, primeiro, procure uma unidade do Detran para obter informações das lojas recomendadas. Ao contrário da traseira, que necessita de uma análise, para obter a nova placa da frente não é necessário a realização de uma vistoria.

Para fazer o emplacamento dianteiro, o proprietário deve ir até uma loja especializada credenciada ao Detran. Como não é exigido o agendamento para confeccionar a segunda via da placa, basta se dirigir até uma das empresas conveniadas.

Perdi a placa dianteira do carro, o que fazer?

O valor também varia. Como a traseira depende da vistoria e do lacre, o custo chega a ser mais elevado. Mas, para a dianteira, por não precisar de avaliação, o custo é mais acessível, entre R$ 60 a R$ 100.

Como há variações em cada Detran dos estados, os custos e procedimentos da segunda via pode mudar conforme regras de cada localidade. Por isso, recomendamos sempre consultar o Departamento Nacional de Trânsito da sua cidade.

Perdi a placa dianteira do carro, o que fazer?

 

Se você for colocar a 2ª via da traseira, será necessário tomar outras medidas e providenciar alguns documentos: vistoria do veículo, apresentar o laudo da vistoria para o Detran, entregar o CRV – Certificado de Registro de Veículo, RG, CPF, Carteira Nacional de Habilitação, recolhimento do lacre da placa traseira e o Boletim de Ocorrência.

Para mais informações e detalhes, procure uma unidade Detran ou no portal do órgão na internet.

Como evitar a perda da placa dianteira

Para não sofrer mais com situações de perda da placa dianteira, é possível tomar algumas medidas para ter mais proteção. Existe um método seguro e legal de fixar bem a peça.

Alguns motoristas, principalmente donos de automóveis luxuosos, utilizam a fita adesiva dupla face, para evitar furo direto na lataria com parafusos. Alguns funcionários do Detran indicam o material para proteger a placa dianteira, a fita, por ser mais resistente, suporta situações de enchentes.

Boa ação: achados e perdidos das placas

Com a frequente perda da placa dianteira, principalmente em enchentes, na cidade de Valinhos, interior de São Paulo, a população criou um grupo no Facebook para comunicar quando é encontrada uma peça na rua e localizar o proprietário.

A boa ação se deu devido ao grande número de placas perdidas em inundações.

A prática pode ajudar muitos motoristas que passam por situações parecidas. Ao achar em uma região que foi castigada pela chuva, utilize a força das redes sociais para anunciar e encontrar o verdadeiro proprietário. Outra opção é entregar no posto policial mais próximo no bairro.

Novo emplacamento Mercosul

Logo menos os emplacamento brasileiros estarão de cara nova com as placas padrão Mercosul. Entre idas e vindas, aparentemente elas irão começar a aparecer mais no trânsito brasileiro a partir do próximo ano (2019).

Perdi a placa dianteira do carro, o que fazer?

Isso porque elas foram suspensas pela Justiça em 10 de outubro com a alegação de que a mudança repentina ocasionaria gastos aos cidadãos sem a devida contrapartida do poder público em promover o sistema integrado de segurança.

Até que a decisão seja julgada, elas voltaram a ser liberadas temporariamente.

O estado do Rio de Janeiro foi o primeiro a aplicar nos automóveis. O Rio emplacou o seu primeiro veículo com placa padrão Mercosul no dia 11 de setembro de 2018.

A nova placa segue o mesmo padrão dos outros países do Mercosul: Argentina, Paraguai e Uruguai. A Venezuela foi retirada do bloco após a crise humanitária no país.

O acordo foi firmado em 2014 e a previsão é que todos os carros tenham o novo emplacamento até 2023, entretanto, aqui no Brasil, a implantação foi adiada por diversas vezes e segue se arrastando.

Elas contam com tecnologia para impedir as fraudes, como clonagem, além de ter chip e QR Code.

Darlan Helder

Natural de São Paulo, é jornalista e fotógrafo. Escreve na internet sobre o universo automotivo desde 2011