Pesquisa revela cores que mais desvalorizam um carro (9 cores)

 

Uma pesquisa recente realizada pela KBB indicou quais são as cores que mais desvalorizam um carro no Brasil. O levantamento aponta que carros iguais e do mesmo ano, perdem valor de forma diferenciada apenas por causa da cor. Sim, o preconceito no Brasil ainda é forte com cores diferentes.


A influência da cor na desvalorização de um veículo foi pesquisada durante 2019, tendo como base os seguintes grupos de cores: amarelo, azul, branco, cinza, marrom, prata, preto, verde e vermelho. Outras cores próximas ou muito raras e exóticas (como rosa, laranja, dourado, etc) foram incorporadas em um dos grupos citados.

O estudo usou a cor branca, que é uma das mais presentes no catálogo das marcas e na preferência dos compradores, como base. Ou seja, a desvalorização de cada cor é medida em relação ao preço médio do veículo na cor branca.

Essa pesquisa revelou detalhes interessantes. Por exemplo, a cor mais popular continua sendo a prata, algo já visto em anos anteriores. Outro ponto importante, que pode inclusive ajudar na hora de definir a cor de um carro comprado zero, é a opção entre uma cor sólida, metálica ou perolizada. A pesquisa mostrou que essas opções não apresentam variação na desvalorização de um automóvel. Ou seja, talvez não seja necessário gastar mais ao escolher uma pintura especial.

Se a cor prata ainda é bem popular, e os carros brancos estão subindo no conceito dos brasileiros, o mesmo não se pode dizer dos modelos pretos. A desvalorização média no país em veículos dessa cor foi de 1%, com o pico no Nordeste, onde os dados apontam uma desvalorização de 1,4%.

As maiores valorizações ou desvalorizações aparecem nos carros grandes. Se ele for marrom ou vermelho, a valorização é de 1,7% e 1,5%, respectivamente. Por outro lado, parece ser uma péssima ideia escolher um automóvel grande nas cores verde (-3,5%) ou amarelo (-4,4%).

Finalmente, a pesquisa também mostrou dados separados por estado. No Rio de Janeiro, por exemplo, a cor amarela é muito associada aos táxis, e tem uma desvalorização de 2,4%. Já em Minas Gerais e no Paraná, fuja da cor verde.

Índice

Veja os dados completos da pesquisa:

Variação por modelo (em relação aos veículos brancos)

Modelo Prata Preto Cinza Vermelho Amarelo Marrom Azul Verde Outras
Compactos (automóveis) -0,24% -1,24% -0,51% -0,25% -0,58% -0,48% -1,10% -1,16% 0,87%
Médios (automóveis) -0,75% -1,46% -1,03% -0,11% 0,09% 0,04% -0,99% -1,33% -0,50%
Grandes (automóveis) -0,74% -0,95% 0,68% 1,53% -4,40% 1,69% -1,23% -3,53% -1,42%
Compactos (SUVs/utilitários) -0,02% -0,48% 0,12% 0,43% 0,26% 0,48% -0,98% -0,48% 2,49%
Médios (SUVs/utilitários) -0,33% -0,46% -0,22% 0,10% -0,34% 0,13% -0,35% -0,89% 3,11%
Grandes (SUVs/utilitários) -0,96% -0,67% -0,31% -0,73% -1,24% -0,42% -1,18% 0,86% -3,01%
Brasil -0,33% -0,99% -0,46% -0,11% -0,38% -0,15% -0,88% -1,02% 1,07%

Variação por estado (em relação aos veículos brancos)

Estado Prata Preto Cinza Vermelho Amarelo Marrom Azul Verde Outras
São Paulo -0,27% -0,74% -0,05% -0,48% -0,09% -0,12% -0,51% -0,96% -1,44%
Rio de Janeiro -0,27% -0,61% -0,21% -0,55% -2,42% -0,02% 0,04% 0,91% 1,85%
Minas Gerais -0,22% -0,61% -0,23% -0,35% 0,36% 0,21% -0,54% -1,28% 4,68%
Paraná 0,68% 0,21% 0,26% 0,18% 0,78% 0,47% -0,20% -1,66% 0,58%
Santa Catarina 0,19% -0,74% -0,57% 0,09% -0,35% -0,16% -1,98% -0,47% 4,71%
Rio Grande do Sul 0,91% 0,13% 0,33% 0,87% 1,54% 0,93% -0,35% 0,72% -2,86%
DF, GO, TO, MT e MS -0,08% -0,91% 0,06% -0,30% -0,89% -1,23% -0,68% -1,01% -7,18%
Bahia, Espírito Santo e Sergipe -0,38% -1,34% -0,80% -0,71% 0,22% -0,48% -1,05% -1,36% -3,96%
PE, AL, PB, RN -0,09% -1,58% -0,07% 0,27% -0,78% -0,84% -0,79% -1,35% 0,36%
CE, PI, MA -0,85% -1,37% -0,28% -0,20% -2,13% 0,96% -1,43% -4,08% -4,47%
AM, AC, RO, PA, RR, AP -0,42% -0,70% -0,81% -0,47% 0,11% -0,06% -2,40% -1,03% -2,37%
Brasil -0,33% -0,99% -0,46% -0,11% -0,38% -0,15% -0,88% -1,02% 1,07%

(Fonte: KBB)

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.