Avaliações Crossovers Peugeot

Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

peugeot-3008-avaliacao-na-2-700x466 Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

O Peugeot 3008 é um misto de minivan e crossover que surgiu na França em 2009. Algum tempo depois, o público confundiu a minivan 5008 como sendo sua suposta versão de sete lugares. Sem nunca ter tido mais do que cinco lugares, o modelo logo mostrou ser muito bom, tendo ganhado alguns prêmios na Europa no ano seguinte.



Mas, e por aqui? Pouco tempo depois, o Peugeot 3008 chegou ao Brasil e foi mostrado no Salão do Automóvel de 2010. O veículo impressionava pelo estilo e pelo pacote tecnológico embarcado. Nesta Avaliação NA você confere mais de perto os detalhes desse crossover francês pouco visto nas ruas, mas que agrada bastante pelo desempenho, conforto, nível de equipamento e estilo.

Mensalmente, entre 120 e 130 unidades são vendidas, sendo que no acumulado até agosto 982 foram emplacadas segundo dados da Fenabrave. Ou seja, ainda é um ilustre desconhecido para muita gente no Brasil. Ao andarmos com o carro, não foram poucos os que perguntaram sobre ele. Lá fora, o modelo apareceu com facelift no Salão de Frankfurt 2013.

peugeot-3008-avaliacao-na-1-700x466 Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

Por fora…

O Peugeot 3008 até certo ponto agrada por seu estilo arrojado. Os faróis duplos projetam-se sobre os para-lamas e a grade com frisos cromados, posicionada logo abaixo do logotipo e sua moldura cria um visual imponente. Além disso, faróis de neblina e mais frisos do conjunto, somados ao spoiler com protetor prateado, reforçam ainda mais essa impressão.

O capô é curto – quase como o de uma minivan – e o para-brisa é bastante inclinado, erguendo-se suavemente sobre o teto – que na versão testada, Griffe, possui vidro panorâmico. A traseira é um pouco truncada. Há vigias nas colunas A e C, ampliando a sensação de uma minivan aventureira. As janelas possuem frisos cromados na parte superior. As rodas de liga leve aro 17 têm cinco raios e pneus 225/50 R 17. Há um friso cromado na soleira e outro protetor de borracha na base das portas.

Os retrovisores cromados com repetidores de direção/iluminação de solo também se destacam. Eles possuem rebatimento elétrico. Na traseira, as lanternas possuem desenho triangular de visual estranho, ainda mais porque o resto do conjunto é bastante limpo, sem muitos adornos. Ainda na traseira, a tampa do porta-malas é dividida em duas partes, facilitando entrada e saída de bagagens.

peugeot-3008-avaliacao-na-11-700x466 Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

Por dentro…

Se, por fora, ele ainda pode não impressionar alguns, é por dentro que o Peugeot 3008 ganha de vez o pretendente a dono. O visual geral lembra o do 308, da qual ele compartilha a plataforma. No entanto, o crossover tem estilo mais sofisticado e mais adequado à proposta, sem os difusores circulares que deixam o médio com cara de antigo. Mesmo assim, mantém o volante simples demais – embora com couro e com detalhe cromado – e um espaço vazio acima do áudio.

O Peugeot 3008 Griffe possui cluster analógico com dois grandes mostradores circulares cromados e de boa visualização e um display digital central. Eles cumprem bem sua função, mas um dos diferenciais do crossover em relação ao parente mais barato é o HUD (head-up display). O espelho localizado sobre o painel de instrumentos e junto ao para-brisa indica a velocidade de forma digital, assim como as funções de limitador/controlador de velocidade. É, de fato, um charme, mas também muito útil para evitar distrações ao volante.

Ainda sobre o painel, o Peugeot 3008 oferece uma tela retrátil de LCD de 7 polegadas com multimídia, navegação GPS WIP-Nav, telefonia (Bluetooth) e sistemas do veículo. Podia oferecer imagem de uma câmera de ré, que realmente faz falta no modelo, apesar do sensor de estacionamento.

peugeot-3008-avaliacao-na-10-700x466 Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

Logo abaixo estão difusores de ar que acompanham o desenho do painel, comandos de recolhimento/posição/intensidade do HUD e trava geral, porta-objeto, sistema de áudio com CD/MP3/SD e ar-condicionado dual zone. O tal espaço aberto no centro do conjunto poderia ser ocupado por um sistema de áudio 2din, já que passa a impressão de ser um modelo básico sem rádio.

O volante não possui comandos remotos, que ficam na coluna de direção, onde temos do lado esquerdo limitador/controlador de velocidade e no direito os conhecidos comandos de áudio, praticamente uma tradição francesa. Além disso, estão logo acima os comandos de faróis/setas (inclusive com modo automático) e limpadores/lavadores (também automático e o traseiro acionado durante a ré).

Logo abaixo da coluna de direção, um porta-objetos com tampa esconde o manual do proprietário, enquanto ao lado há porta-moedas, porta-cartão, comandos de desativação dos controles de estabilidade/tração, sensor de estacionamento e alarme. Há também regulador de altura dos faróis, que não possuem os famosos xênon direcionais.

Ao centro, o túnel da transmissão é alto e, no topo, temos a alavanca do câmbio automático de seis marchas com mudanças sequenciais e modos Sport e Inverno. Também há dois porta-copos e o freio de estacionamento, que é elétrico.

peugeot-3008-avaliacao-na-13-700x466 Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

Há também o botão que aciona a persiana do teto panorâmico, que pode ser aberta total ou parcialmente, e uma das três fontes de 12V do veículo. No lado direito, entre o túnel e o console, há uma barra com acabamento em couro e detalhes cromados que servem de alça para o passageiro. É meramente estética em nossa opinião, mas confere ainda mais charme ao ambiente.

O apoio de braço central oculta um porta-objetos enorme, mas sem refrigeração, tal como no DS5, por exemplo. Sob o apoio-tampa, há entrada auxiliar para aparelhos móveis, mas faltou conexão USB. Um prático suporte retrátil para parelhos móveis está fixado logo na entrada, pois até o “fundo do baú” cabe todo um antebraço. No teto, luzes de leitura na frente, individuais nas laterais traseiras e central atrás. Os para-sóis possuem espelhos, mas faltou a iluminação.

O esquema de iluminação do Peugeot 3008 é interessante pois, ao acionar a chave, luzes de solo, pisca-alertas, faróis com temporizador e luzes de posição na parte interna das portas surgem rapidamente. Inclusive as luzes de leitura nas laterais também se acendem. Tudo isso é bom para a segurança em locais escuros e pisos com pedras ou buracos, evitando acidentes.

peugeot-3008-avaliacao-na-8-700x466 Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

O porta-malas com iluminação é bem pequeno para a proposta do veículo, mas as quatro portas possuem espaço para pequenos objetos, assim como o console central e os dois compartimentos ocultos sob o piso traseiro. Na frente, os bancos em couro (Griffe se diferencia da versão de entrada Allure por ter couro e teto panorâmico) são confortáveis e possuem aquecimento, além de regulagem de altura e lombar (manual e somente no do motorista).

Atrás, banco bipartido com Isofix e sistema de rebatimento por alavancas no porta-malas. O banco do passageiro dianteiro possui comando traseiro para derrubar o encosto para a frente, a fim de criar uma plataforma quase plana para transporte de objetos de mais de 2,5 metros. Persianas retráteis nas janelas reduzem a incidência de luz e proporcionam maior conforto. Além dos assentos, há couro nas portas, que possuem acabamento cromado e plástico duro, enquanto a parte superior do painel é emborrachada e o console é revestido em material cinza brilhante.

O espaço dianteiro é suficiente para pessoas de qualquer estatura, enquanto o traseiro é apenas mediano. A rede para revistas nos encostos é fixada em uma base de plástico duro. Este material não é nada agradável para pessoas de estatura alta com alguém também alto sentado na frente, batendo assim os joelhos na entrada e saída do veículo. Há difusores de ar centrais e mais uma fonte 12V.

O porta-malas tem capacidade para 512 litros de bagagem e possui plataforma móvel para aumentar o volume do compartimento inferior. Também possui iluminação/lanterna, fonte 12V e outro compartimento fechado, além de outro aberto e abertura da tampa em dois estágios, sendo primeiro o superior e depois o inferior, que se transforma em uma pequena rampa de acesso. O estepe fica sob o assoalho. A cobertura junto ao vidro é articulada, mas evite colocar objetos sobre ela, pois é muito fácil vê-los cair ao abrir o bagageiro. O espaço dá conta do recado para uma família de tamanho médio.

peugeot-3008-avaliacao-na-4-700x466 Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

Por ruas e estradas…

O Peugeot 3008 é agradável de dirigir. Com 4,36 m de comprimento e 2,61 de entre-eixos, oferece bom espaço interno e posição de condução apropriada. A visibilidade é ampla, mas faltam sensores de estacionamento dianteiro – já que a frente é alta e dificulta as manobras – e uma câmera de ré, pois por R$ 94.990 (R$ 86.990 na Allure), os itens não seriam tão caros assim de se colocar. Não é luxo, é segurança. Os retrovisores rebatidos eletricamente também facilitam a entrada em garagens apertadas, tendo o mesmo comando dos espelhos. Aliás, ótima posição dos comandos elétricos na porta do motorista.

Além disso, o HUD deixa a vida mais fácil durante a condução, enquanto o apoio de braço central favorece a ergonomia dos comandos próximos. O isolamento acústico é um dos pontos altos do carro, ocultando muitos dos ruídos externos e reduzindo bastante o do motor.

O Peugeot 3008 é pesado. Seus 1.480 kg surgem logo que se acelera lentamente o motor 1.6 THP de 165 cv a 6.000 rpm, mas os 24,5 kgfm a partir de 1.400 rpm dão conta do recado. Pisando um pouco mais, lá pela casa dos 2.000 rpm, as respostas começam a agradar mais e, acima de 3.000 rpm, a silenciosa turbina deixa o crossover esperto. Ainda há o modo Sport, que torna as coisas mais ágeis, mas com prejuízo do consumo.

Com retomadas rápidas e boa disposição para manter uma velocidade de cruzeiro elevada, o Peugeot 3008 não agradou em termos de consumo. A melhor média urbana foi de 6,9 km/litro, sempre com ar ligado. Sem ele, não fez muita diferença e, em trechos curtos, sem semáforos, o pior resultado foi 5,5 km/litro.

peugeot-3008-avaliacao-na-3-700x466 Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

Já na estrada, um alívio, pois a 110 km/h o Peugeot 3008 chegou a marcar 12,1 km/litro. É bom? Poderia ser melhor, ainda mais porque há sob o diminuto capô um motor com injeção direta e turbocompressor, mas o peso do veículo vai contra os números. Nas condições acima, o ponteiro marca 2.300 rpm, garantindo menor ruído e consumo.

A transmissão de seis marchas garante trocas suaves e, com o veículo parado, nem percebe-se o engate de “D” ou “R”. A transição das marchas também é quase imperceptível e no modo Sport (S), o giro sobe muito rapidamente. O modo inverno torna a condução mais prudente, mas é desnecessária no dia a dia. A direção eletro-hidráulica se mostrou um pouco pesada com o veículo em baixas velocidades e os freios são muito eficientes. O Peugeot 3008 tem ABS, AFU (auxílio a frenagem de urgência), REF (repartidor eletrônico de frenagem) e ESP (controle eletrônico de estabilidade), além de seis airbags.

Já a suspensão do Peugeot 3008 é bastante firme e voltada para o asfalto, embora absorva razoavelmente alguns buracos e defeitos do asfalto. Os pneus de perfil 50 são muito baixos e expõem as belas rodas, além de ajudar na transmissão de ruídos e vibração ao interior. No entanto, garantem boa estabilidade em curvas. Às vezes, até nos esquecemos de que estamos em um veículo ligeiramente mais alto, dado o conforto nas curvas, feitas sem oscilações exageradas da carroceria.

peugeot-3008-avaliacao-na-5-700x465 Peugeot 3008 Griffe THP: estilo e bom desempenho convivem com consumo alto e peças caras

Por você…

O Peugeot 3008 é elogiado por muitos e as críticas não são exatamente do produto, mas relacionadas à rede Peugeot. Estilo, conforto, tecnologia embarcada e desempenho são elogiáveis por clientes e por nós também. O consumo elevado é algo que vai depender do dia a dia de cada um, mais especificamente na cidade.

Para quem não quer ser mais um dono de SUV de origem asiática e prefere ter um carro com estilo diferenciado, mesmo com alguns pontos já mencionados acima, o Peugeot 3008 parece uma boa alternativa. Destacam-se também retrovisores com rebatimento elétrico, teto panorâmico, HUD, eletrônica embarcada e visibilidade de minivan.

O motor 1.6 THP confere fôlego extra em relação aos rivais, aliado à transmissão automática de seis marchas de série. Por tudo isso, a Peugeot cobra R$ 94.990, embora acreditemos que alguns itens citados poderiam ter sido adicionados.

A desvalorização é grande (bom para quem quer usado) e, embora as revisões tenham preços fixos, há reclamação de falta de peças e demora na entrega. Enfim, o Peugeot 3008 é um bom carro “pouco visto”, digamos assim, presente no mercado nacional.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Peugeot 3008 Griffe THP

Motor/Transmissão
Nome – 1.6 THP (Turbo High Pressure)
Número de cilindros – 4 em linha, turbocompressor e injeção direta
Cilindrada – 1587 cm³
Potência – 165 cv a 6.000 rpm
Torque – 24,5 kgfm a 1.400 rpm
Transmissão – Automática de seis marchas com funções Sport e Winter, mudanças manuais sequenciais

Desempenho
Aceleração de 0 a 100 km/h – 9,5 segundos
Velocidade máxima – 202 km/h (limitada)

Suspensão/Direção
Dianteira – McPherson/Traseira – Barra de torção
Eletro-hidráulica variável

Freios
Discos nas quatro rodas com ABS e EDB

Rodas/Pneus
Liga leve aro 17 com pneus 225/50 R17

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.365 mm
Largura – 1.837 mm
Altura – 1.635 mm
Entre-eixos – 2.613 mm
Peso em ordem de marcha – 1.480 kg
Tanque – 60 litros
Porta-malas – 512 litros

Seguro/Perfil/Prêmio

Sexo: Masculino
Idade: 30 anos
Bairros (residência, trabalho) – Bela Vista – São Paulo
Prêmio médio: R$ 3.383,33
Fonte: Willis Brasil

Custo de Peças

• Pneu (cada) – R$ 646,05
• Roda(cada) – R$ 801,54
• Farol (dir) – R$ 903,92
• Lanterna (dir) – R$ 446,31
• Retrovisor (esq) – R$ 273,54
• Sonda Lambda – R$ 179,15
• Bico injetor (cada) – R$ 156,01
• Pastilha da Freio (par) – R$ 293,09
• Palheta do limp (par) – R$ 71,64
• Para-choque (tras) – R$ 1.525,37
• Amortecedores(4) – R$ 237,73 (dianteiro cada), R$ 2.279,54 (traseiro peça única esq/dir)

Total = R$ 8.051,62

[Imagens ilustrativas]

4.0

COMPARTILHAR:
  • dudupruvinelli

    Sem dúvida nenhuma vale mais que uma RAV4, Sportage, IX35, CRV, Compass ou ASX de entrada.

    • Hofmann

      Realmente, só pelos 6 Airbags, ESP e teto panorâmico, o 3008 já bate os concorrentes. Pena que a Peugeot não tem capacidade produtiva suficiente na Europa para atender a demanda do mercado brasileiro. Só trás algumas centenas de 3008 por mês. Outra pena é que o preço subiu muito desde o lançamento: era de R$79900 para o Feline e R$86900 para o Griffe. Mas mesmo assim, é imbatível no segmento quanto a custo-benefício, o que mostra o quanto os concorrentes estão caros e mal-equipados.

      • ChicoFCarvalho

        O que a Peugeot mais tem hoje é capacidade produtiva ociosa na Europa, não só ela mas como quase todos os fabricantes. Aqui no Rio há pronta entrega de ambas as versões do 3008. O problema não é de oferta, mas de demanda. Embora seja um bom produto num preço competitivo com os concorrentes diretos, parece que a imagem da Peugeot não tem ajudado muito a aumentar o interesse pelo carro.

    • RicRB

      Concordo plenamente com você, Dudu!!
      E digo mais: todos que citou, nenhum vem na versão de entrada com ESP ( controle de estabilidade)!!
      Apenas Chevrolet Captiva e Peugeot 3008 vem com o dispositivo de segurança!! ( no caso do 3008, desde a versão mais básica, a Allure)!!

      • radiobrasilcombr

        Captiva sempre veio , desde a mais básica com ESP, TCR e 6 airbags…

    • Freaky_Boss

      Apesar da desvalorização maior do que a de um CRV ou RAV4, também acho que vale mais.
      Tem mais motor e ítens de série.

    • Marciomaster

      Acho que não vale não DUDU, aliais na minha humilde opinião esse carro é um dos mais toscos, ou sem sentido fabricados até hoje, pois não tem o tamanho de um SUV que voçe citou e é ligeiramente maior que uma meriva. é caro, não vende, tem a famosa rede de atendimento Peugeot, e é feio pra caramba. Alem de mal construída como a maioria dos carros Franceses, então não sei o que esse carro pode valer mais que uma Rav4 ou captiva por exemplo.

      • Edson Roberto

        Caramba, se um 3008 é se, sentido, o que dizer do ASX? Eu Eu acho positivo que ele demonstre ser mais minimamente que um SUV pois definitivamente, com com quem ele disputa, praticamente nenhum fará nada além do que ele já faz.

        A diferença é que ele é a Caótica são os mais equipados e se fazem disso para ter suas vendas, pois é justificável. Mal construida? Tem muito concorrente que carece de montagem e uso de materiais do interior.

        A diferença entre esse é uma RAV4 e que praticamente se paga 20000 a mais. Eu não pagaria e para meu dia a dia, esse custo poderia ser somada a desvalorização que, eu ainda sairia no lucro.

    • mgbalbo

      Vou aproveitar seu comentário aqui em cima pra dizer que o som do 3008 TEM SIM USB.

      Acho que vocês não olharam direito. É logo do lado da entrada auxiliar, controla pen drives e iPod.
      O som é possivel de ser substituído pelo opcional da JBL também, que conta com central multimedia, GPS e outros speakers.

      O isolamento acústico é do mesmo nível do 208 (griffe), por isso discordei de quando criticaram esse ponto na avaliação do 208.
      A única diferença fica por conta do motor que gira pouco acima de 3000 rpm na estrada enquanto o THP gira a 2300.

      Creio que foi um ótimo negócio o 3008 zero por menos de 78k, com bancos de couro. Incompreensível o aumento de preços que esse carro sofreu sendo um modelo que vende pouco.

  • TacodeSinuca

    Deve chegar a nova em breve, já que essa vem da França.
    Ficou bem bacana com a nova frente, só deveriam ter cuidado mais da parte interna como o 308

    • dudupruvinelli

      Verdade. Uma telinha colorida no painel de instrumentos e um sistema de som mais moderno são itens que seriam bem vindos.

      • dougkmt

        Com certeza. O sistema de som não "casou" visualmente com painel central. Pelo preço cobrado, merecia uma tela melhor, integrada ao painel e sensível ao toque, que seja de qualidade. Obs: por que o NA não colocou a foto do painel central???

        Outra coisa que me deixa intrigado é: "A direção eletro-hidráulica se mostrou um pouco pesada com o veículo em baixas velocidades e os freios são muito eficientes.". Isso acontece no 308 também, e acredito que no 408, por motivos óbvios. Essa característica me fez priorizar a próxima compra de um modelo que tenha direção elétrica, pois algums situações me incomodam como, por exemplo, estacionar o carro (apenas com 1 mão – a direita no câmbio). O próprio 208 possui direção elétrica, o que mostra que a PSA poderia implantar a assistência nos outros modelos, independente da origem da fabricação dos modelos.

        • Edson Roberto

          Será que isso não será feito para as próximas levas dos modelos? Tudo parecer indicar que sim.

          • dougkmt

            Espero que sim, mas eu esperava que a PSA mudasse isso já no C4 Lounge, que pra minha infelicidade, não aconteceu! Então não vejo horizonte pra que ela altere isso nos outros modelos – o mais engraçado é que o C3 e 208 possuem e quando fiz o TD no C3 percebi que a direção é bem mais leve que no 308 que é eletro-hidráulica!

            É uma pena, pois hoje eu até cogitaria um Cruze Sedan (não gostei muito da traseira do S6) pela direção elétrica e oferta de segurança (4AB, ESP e TCS) na versão de entrada, coisa que o 308 piorou na linha 2014!

        • Cristiano_RJ

          É verdade. Tive um 307 e a direção era tão pesada que parecia que eu estava ao volante de um trator! rsrsrs… Mas acredito que é mais uma questão de calibração. É possível conseguir uma direção eletrohidráulica como as dos Peugeot sem ser tão pesada.

          • dudupruvinelli

            Acho que isso é recorrente da peugeot então pois a nossa 206 sw às vezes fica com a direção super pesada também.

            • dougkmt

              Só um detalhe, a assistência de direção do 206 é somente hidráulica, correto? A tendência é ser mais pesad que a eletro-hidráulica, imagino.

        • mgbalbo

          Isso existe como opcional. Um sistema da JBL/Harman Kardon com mutlimedia GPS e etc. Tanto pro griffe quanto pro allure.

          • dougkmt

            Entendi que vc tem o carro, pode colocar algumas fotos?

  • Dragoniten

    Ótimo carro. Dentre os concorrentes, sem dúvidas a melhor opção. Entre carro que bebe e carro que bebe, melhor um carro que beba E ANDE, não é?

    "Sonda Lambda – R$ 179,15"
    Só? A Lambda do meu Rocam 1.6 é mais cara que isso.

    • Edson Roberto

      Além disso, dizem ter peças caras, mas mesmo é pareceu preços dos concorrentes. O que pode mais pegar em minha opinião, seria o atendimento da CCS e falta de peças.

      • Dragoniten

        Eu sinceramente não entendo alguém que prefere uma CRV. É mais caro, bebe mais, é menos equipado, e (na minha opinião) não tem um design tão bem acertado quanto o 3008. Isso tudo é pelo atendimento Honda? Vale a pena sofrer pelo menos 1 ano com um carro que não é tão bom quanto a concorrência e ainda pagar BEM MAIS só por causa do atendimento?

        • Brunocarro1998

          Realmente, o Honda vende 11 vezes mais e não tem nenhum motivo perante o Peugeot. Pera lá né, nenhum carro vende bem se não tiver cacife para isso, alguma arma tem.

          • Edson Roberto

            Tudo isso depende. Então quer dizer que o Gol vende mais apenas por qualidades?

            Eu acho que devemos criar um bom senso para lidar com automoveis. Não existe apenas concessionarias ruins ou carro ruim, só porque há pessoas que tiveram problemas com a marca. Ainda que eu saiba que o bom atendimento da Honda é evidente, não dá para desprezar tudo que o carro oferece.

            Ainda que a Peugeot tenha a necessidade de melhorar sua rede, acho que o atributo mais por menos seja um bem valido. E não são poucas as coisas que podemos colocar aqui que o Peugeot tem a mais. Tanto que uma das pisadas de bola da propria Peugeot, não foi ter aumentado o numero de importações do 3008 e que por isso de certa forma culmina o produto. Mas sinceramente, eu compraria um 3008 ou Captiva V6 no lugar do CRV sim.

          • Dragoniten

            Tem. O símbolo com o H reto na frente. Se fosse aquele tortinho de certa marca coreana, vendia 2x mais que a Honda, rs.

        • Fernando

          CRV:
          Mais espacosa, mais economica, mais bonita, mais confiavel, maior valor de revenda.

    • Elton

      Meu Rocam 1.6 foi bem mais barato do que isso, na CSS. Goiânia-GO

  • bedotRJ

    O CxB desse carro frente aos similares é muito bom. O que o impede de vender mais é seu perfil mais familiar, que o torna menos atraente prá quem busca crossover e SUV's, além da má fama da Peugeot – parcialmente injustificada para esse modelo.

    • Leandro1978

      Olha, em relação à rede, me parece justificada. Lembra do teste de longa duração da Quatro Rodas?

      "Depois, a cada revisão, problemas. De verificações solicitadas não realizadas a cobrança de itens não substituídos, passando por um longo período sem o carro por falta de peças básicas, como pastilhas de freio e amortecedores. Até a última passagem na rede foi frustrante."

      Veredito: "Com tecnologia alinhada à nova tendência de motores menores e mais eficientes, equipamento e acabamento
à altura da categoria e preço competitivo, o 3008 mostrou-se moderno e bem construído. Os senões ficam na conta da rede autorizada, que parece não estar preparada para um produto diferenciado: da assistência 
à avaliação, uma demonstração de desatenção."

      Ou seja, o carro é bom, peca, para variar, na rede autorizada.

  • MBMan

    Sou um feliz proprietário de um idêntico ao da fotografia da matéria, Griffe, prata. Possuo desde janeiro de 2011. Nessa época, ainda não vinha com WIP-NAV, mas custava quase 10k a menos. Está por fazer 3 anos, com menos de 15.000km. Só alegria. Como rodo muito pouco, não chego a perceber o alto consumo, mas ele está lá sim. A única crítica seria em relação à suspensão: um pouco dura.

    Se o DS5 tivesse um 2.0 THP, já teria trocado por ele, mas com o mesmo motor, não dá.

    O jeito é contar os dias até que a MB CLA chegue!

    • dudupruvinelli

      E assim a Citroen perde de ganhar mais um cliente…

  • fpfor

    O novo 3008 ficou muito bonito. A frente casou bem com o resto do carro. O problema é o interior. Merecia um volante mais moderno, seja igual o do 208 ou 508.

    Mas mesmo essa versão "antiga" é belíssima e moderna. Optaria por ele com todos os SUV's. Ainda da pra pagar o seguro por 2 anos com a diferença…

  • Henrique de Campos

    Em 2010 fui ao Salão do Automóvel para conhecer o Sportage (que atualmente roda entre nós). Mas, ao sair do stand da Kia e me deparar com esse carro, fiquei curioso. Na época, a versão Griffe custava 86.900 (ainda sem GPS disponível) e entregava muito mais que o modelo coreano. Não foi fácil achar o carro sem ágio, algo que ia de 4.000 a 15.000 reais. Mas ainda há gente honesta no mundo, basta procurar. Se o estilo não é encantador, confirmo o que a matéria diz: o golpe final realmente vem quando se entra nesse carro, atualíssimo ainda hoje. Design do painel, acabamento cuidadoso e detalhes são sedutores. Esqueçam o volante sem botões e o velho rádio… ele é muito mais do que isso, muito mais. Chega a ser ridículo que a ausência desses itens seja um critério para a aquisição do modelo. Pelo valor, dá um banho nos SUVs coreanos da mesma faixa e em alguns sedans que se dizem luxuosos, mas não passam de orientais sem vergonha e mal equipados.

    Gostei da matéria, mas discordo em 2 aspectos: as peças não são tão caras e seu consumo não é fora do comum diante do seu desempenho. Minha média era 7,5 a 8,0 na cidade e 13,0 na estrada, ambas situações com o ar ligado o tempo todo. Isso é ruim? Não, não creio.

    Minha experiência em 2 anos com o 3008 foi a melhor possível, e confesso que fiquei com uma dorzinha no coração ao deixá-lo em uma ccs VW no fim do ano passado. Ao contrário do que se prega por aí, o valor de revenda para um carro dessa marca com 59.000 km rodados não foi nenhuma ofensa. Em virtude da depreciação absurda que as concessionárias praticam, fiquei surpreso. Recomendo o carro sem nenhuma ressalva, ainda mais com o face lift que está pra chegar ao Brasil que deixou o carro mais atraente.

    E antes que falem demais, aviso: não sou fanático pela Peugeot. Apenas relatei uma ótima experiência com um carro bem equipado, resistente, confortável, bem acabado e bonito durante quase 60.000 km – um bom termômetro, não?

    • Joao_Melo

      Bom saber. A propósito, amigo, desculpe a pergunta indiscreta. Mas, quanto lhe deram no seu carro?
      Abraço!

      • Henrique de Campos

        Oi João., tudo bem?
        Sua pergunta é indiscreta sim, rs, mas qual pergunta não seria quando se trata de dinheiro não é?
        Apenas pra você ter uma boa idéia, foi menos do que 23% sobre o valor de compra, quando a média dos usados passa dos 30% por aí, facilmente. Estava muito disposto a comprar um Cruze Sport 6, mas desisti após ir em uma Chevrolet e escutar que pagariam 50.000 no meu carro. Sai sem olhar pra trás. Meu 3008 entrou "vendido" na VW e peguei um Fusca DSG. Melhor que o Peugeot em acabamento e conforto, definitivamente ele não é. Mas compensa por suas características técnicas e design – o que determinou minha compra. Hoje eu olho para o Cruze e não me arrependo.

    • FabioRuimDeRoda

      Henrique, também fui no salão 2010 com um dos propósitos de conhecer a Sportage. Mas me desencantei um pouco com o interior.
      .
      Acabei esperando pelo lançamento do outro frances, um 4×4, com o qual estou até agora.
      No meu caso, o 3008 não atendia, pois a proposta era não ter luxo, para não ter pena de colocar na terra.

      • Henrique de Campos

        O modelo manual europeu possui um seletor de uso para alguns tipos de terreno.
        Quem sabe não seria um bom apelo de vendas?

    • Cristiano_RJ

      Ótimo post, Henrique. Bastante esclarecedor e com certeza contribuirá para desmistificar crenças infundadas e preconceitos. Nada como um relato sincero de quem já foi proprietário.

      • Henrique de Campos

        Obrigado!

    • dudupruvinelli

      "alguns sedans que se dizem luxuosos, mas não passam de orientais sem vergonha e mal equipados." Leia-se: lancer, civic, corolla e cerato.

      • Henrique de Campos

        Quase isso, rs.
        Na verdade, me refiro, principalmente ao Civic e Corolla.
        Desconheço a lista de esquipamentos do Cerato e Lancer.
        Abraço.

        • dougkmt

          Mesmo desconhecendo, eles ficam na lista que o Eduardo postou mesmo, oferecem pouco cobrando muito!!

    • thales_sr

      Também não achei nada demais no consumo (adequado pro porte do carro, e não ruim como falaram), e também não achei as peças caras. Só aquele amortecedor traseiro que é um absurdo, mas praticamente qualquer carro tem uma peça ou outra que é cara em demasia.

  • andresluzala

    Eu tive um em 2011 e com 25.000km fui informado pela ccs que teria que trocar os amortecedores dianteiros, e pra minha surpresa o custo era de 788,00 CADA UM e foi trocado as pastilhas de freio e o custo foi de se não me engano de 450,00.

    Fora isso no quesito conforto e mimos é "o carrão".

    • Edson Roberto

      Rapaz… vc já teve vários carros hein? Fiat 500 de ódio mortal… Agora o 3008…RS

      Mas temos que considerar que há o preço da peça sem a mão de obra no caso da notícia. Eu acho um absurdo o quanto quanto as CCS cobram por por freios (e isso não é só mérito da PSA, muitos cobram bem caro mesmo), mas ainda assim me parece valer a pena. Agora vc pagou pelos amortecedores com tão baixa quilometragem?

  • netovski

    Alguém que tenha o carro pode complementar as informações da avaliação?

    Consumo médio, problemas apresentados, etc

    • Cristiano_RJ

      Dá uma lida no que o Henrique de Campos escreveu logo aqui em cima.

      • netovski

        Eu havia lido ao postar, queria mais opiniões.

    • Henrique de Campos

      O maior problema que a maioria já relatou em outros lugares é perda de potência devido a combustível "batizado", com formação da temida borra. A 4Rodas fez o teste de 60.000 km. Dê uma pesquisada.
      Mas isso não é exclusivo desse carro. Qualquer importado ( e até nacionais) sofrem com isso e o problema pode se transformar em uma verdadeira bomba. Abastecer em um posto de sua confiança é o melhor a se fazer, tenha um Gol ou um BMW.

      • Cristiano_RJ

        Na verdade, carros com injeção direta de combustível não podem ser abastecidos com gasolina comum, devido seu alto teor de enxofre. Esse enxofre promove a formação de borra nesses motores. Carros equipados com motores com essa tecnologia (3008, 308 THP, 408 THP, DS4, Jetta TSI, novo Golf, BMW, Mercedes-Benz, etc.) devem ser abastecidos com gasolina Podium. A Ford só está lançando agora o Duratec 2.0 flex com injelção direta porque a partir de janeiro de 2014 todos os tipos de gasolina no Brasil passarão a ter baixo teor de enxofre. A Quatro Rodas foi imprudente ao fazer o teste utilizando gasolina comum.

        • netovski

          Vou ser crucificado pelo que vou dizer agora mas o ideal para um motor de injeção direta seria a possibilidade do Etanol, já que esse não carboniza nem forma borra sendo um combustível bem mais puro que a gasolina.

          E mesmo onde o Etanol não compensa, em relação à gasolina Pódium ele certamente leva vantagem no preço.

          • Henrique de Campos

            E por que não?
            Gasta-se horrores em tecnologia para inventar motores mais econômicos, mas pq o inverso não acontece? Por que não se investe em um etanol a partir de matérias primas "transgênicas" (seja cana de açucar, milho, cana de açúcar ou beterraba)? Já mapearam DNA, descobriram terapias com células tronco, somos capazes de clonar animais, rs. Não dá pra engolir que não há solução além do petróleo e energia elétrica. Sim, são comparações mais esdrúxulas possíveis, mas essas limitações que rondam um combustível vegetal econômico também são esdrúxulas.

  • zeuslinux

    "O Peugeot 3008 é um misto de minivan e crossover que surgiu na França em 2009."

    Essa característica de se parecer mais com uma minivan do que com uma SUV, como todos os outros crossovers concorrentes, que se parecem com SUVs ou com jipinhos, talvez afaste um pouco o interesse de alguns compradores. O 3008 parece não usar pneus de uso misto, como outros concorrentes fazem.

    Como minivan ou como uma perua com suspensão um pouco mais alta ele teria mais chance, mas a faixa de preço do 3008, bem mais alta do que peruas e minivans nacionais concorrentes, contribui para poucas vendas.

    Eu particularmente prefiro o estilo visual da Captiva, que lembra muito mais uma SUV de grande porte. Mas o 3008 é um belo carro também.

    • JPaulo10

      O 3008 está mais para "carrão", "hatchão" e menos para SUV.
      Não me imagino colocando um 3008 numa estrada de terra, por mais plana que ela seja.

      • zemarreta

        Realmente ele tem mais uma carona de hatch bombado que de minivan ou suv/crossover.

    • zemarreta

      Cara, comparar 3008 com Spin e livina é sakanagem! :)

      • zeuslinux

        Realmente é bem melhor do que esses dois, mas eu queria me referir ao estio semelhante da carroceria.

        O carro mais parecido com o 3008 em termos de estilo para mim seria o Citroen Picasso.

  • Freaky_Boss

    Fui ao salão de SP em 2010 e, na categoria dos carros "dos mortais", esse foi um dos que mais me chamaram a atenção!

    O interior é bem interessante e o porte do carro também. Além do motor thp que já tem boa fama.

    Realmente o consumo pesa…esse é o único ponto fraco na minha visão. Equipamentos citados na matéria não me fazem tanta falta.

    E de resto, é o de sempre da peugeot : a engenharia da empresa faz um bom produto, e o pós venda estraga!

    • zemarreta

      Cara, eu faço média de uns 8,5 a 9,5km/l andando em média de 26 a 33km/h. Acho que está muito bom para o motor e tamanho do carro.

  • Daniel

    Bla bla bla…ninguem compra carro p ficar na garagem…peças caras, manutenção e consumo alto = desvalorização grande…. por isso vovôrrola faz sucesso…

  • Carlos

    Uma observação: "O apoio de braço central oculta um porta-objetos enorme, mas sem refrigeração", não é verdade, o compartimento é refrigerado sim.
    Tenho um com mais de 18 mil Km e até agora, só alegrias!

    • zemarreta

      É verdade. Tem uma saidinha do ar, que ajuda a manter a água fria. Aliás aquele compartimento é uma beleza em viagens: cabe um montão de água dentro.

      • Henrique de Campos

        O meu também tinha. Pelo texto, imaginei que o equipamento não viesse mais. Que bom.

  • WagnerSCS

    Um bom carro, sem dúvidas. Mas se estivesse procurando por um modelo com essa proposta e faixa de preço, iria no Captiva, mesmo que na versão 2.4 de 181 cv, pois a V6 acho que nem vende mais.

    • thales_sr

      Qual o motivo? Eu tentei "empurrar" um 3008 pra um colega, mas ele acabou comprando a Captiva. Em parte por falta de "racionalidade" (ele mesmo falou que achou o 3008 melhor em tudo, mas era apaixonado pela Captiva), e parte pela concessionária Peugeot, que não fez nenhum esforço em vender o carro…

  • Fabiano

    Tá na hora de eu trocar minha Captiva 2010 e a única opção que vejo para trocá-la, mantendo todos os benefícios (e ganhando mais alguns) é outra Captiva… Todos os outros é exploração! Essa 3008 me atrai bastante, o porém é a falta de concessionárias na minha região…

    • Henrique de Campos

      Aguarde o 3008 reestilizado. E se tiver algum serviço "leva e traz", não pense duas vezes. Compre.

  • JPaulo10

    Porta-malas mediano, com 512 litros?
    Gostei das soluções que a Peugeot deu nessa parte do carro: a porta que se abre em duas partes, deixando a entrada ao nível do assoalho (quem carregou malas grandes sabe a praticidade disso) e a divisória que divide o compartimento..

    • zemarreta

      O porta-malas é excelente, especialmente em relação ao tamanho do carro.

  • JPaulo10

    Pessoal do NA,
    Congratulações para quem escreveu a matéria. O texto foi bem descritivo e detalhado (sem ser cansativo), dando ao leitor uma ideia correta sobre o carro, mesmo sem ter imagens.

    Senti falta, nas medidas, da distância do solo: um dado importante para um veículo familiar que roda cheio na maioria das vezes.

    • zemarreta

      Realmente ele não tem uma altura em relação ao solo tão boa quanto a dos outros crossovers. Já li em algum lugar que seria de coisa de 15-16cm. O fato é que para offroad não dá, mas para nossas trilhas urbanas, vai na manha: nunca raspei em quebra-molas, sobe e desce de meio-fios na boa e aguenta até uns alagamentos que assustariam os hatches e sedãs por aí.

  • paulistadalapa

    Gostei do preço das peças, do seguro e o preço do carro. Para quem tem paixão em jogar dinheiro no lixo, o 3008 é uma ótima opção.

    • Henrique de Campos

      Jogar dinheiro fora é pagar o mesmo em revisões até 60.000 num Agile.
      Acho bem difícil quem precisa trocar esse monte de peças. Se acontecer, o cara tá pagando o preço por ser relaxado e dirigir mal, batendo em tudo que é canto e deixando a manutenção pra lá.
      Falar com embasamento é prudente, algo que não é tão usual por aqui.

  • Cristiano_RJ

    O segmento dos crossovers é notório pelos seus preços elevados, ausências injustificadas de equipamentos básicos para carros tão caros e motorização fraca considerando o peso dos modelos. Nessa faixa inicial do segmento, por volta dos R$ 100 mil, apenas o 3008 oferece desempenho digno e entrega um pacote de segurança e mimos dignos de nota.

    Se não vende mais, atribuo a dois pontos principais: (1) o design meio esquisitão, mais para monovolume do que para SUV e (2) o preconceito do mercado com marcas francesas. Com o facelift e, acredito eu, o acréscimo de novos equipamentos, se tornará uma opção ainda mais interessante.

    E concordo com a reportagem: seu interior é impressionante. Especialmente na versão Griffe.

  • Anderson_sp

    Se colocar algumas peças para fazer uma pesquisa no Google, tem peça usada que sai mais cara que essas novas aí, não sei não viu.

  • Como de costume na Peugeot do Brasil: ótimo produto, péssimo pós-venda. A marca sempre fica em último no quesito Concessionárias na pesquisa Os Eleitos da 4Rodas, onde os proprietários de veículos até 2 anos votam.

  • mrguilhermesosa

    Esse cesta de peças dele está divergente do valor dado pela revista Auto Esporte. De acordo com a revista a cesta tem um valor de 5mil reais, que é mais em conta que todos os SUVs coreanos e mais barato que a do RAV 4.

    • Quando a Auto Esporte publicou isso? Se foi um ano atrás não serve como base. A cesta de peças que publicamos é composta de preços oficiais, passados essa semana pela assessoria de imprensa da Peugeot, ou seja, mais correta e mais atualizada impossível.

      • mrguilhermesosa

        Eber, a Auto Esporte publicou isso na edição de Junho de 2013. O valor que eles publicaram foi de R$5846,00.

        Se houve um aumento de R$2205,00 em apenas 3 meses é muito preocupante para quem quer adquirir esse carro.

  • E alta feiura kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Lanpenn

    Interessante mostrar o preço das peças NA. Que tal fazer com os outros modelos?

  • oscar_fr

    Será que seria muito complicado de a PSA fazer este carro na Argentina dividindo espaço com 308 e 408? Tenho certeza de que venderia ao menos 500 unidades / mês, o que para os padrões da PSA está razoável e justificaria o investimento.

  • zemarreta

    Minha experiência com o 3008 (2 anos e 19.000 rodados):
    Positivos:
    * CONSUMO: sim, consumo. Nunca fiz menos de 8,5km/l mesmo com médias de uns 26 km/h, ar ligado e não sou dos pés leves (nem dos malucos no trânsito). Na estrada a uns 100-110, dá 14 fácil;
    * THP: é um show à parte. Progressivo e dócil quando se acelera gradualmente e muito disposto quando se pisa com gosto. Pouquíssimo lag e muito silencioso.
    * Espaço: para um carro com apenas 4,36m de comprimento ele é bastante espaçoso. A foto do porta-malas que vcs vêm na reportagem é apenas do 2º andar dele. Embaixo ainda coloco dois carrinhos, e em cima cabe as compras ou tralhas da molecada.
    * Segurança: veículo estrelado nos crash tests europeus e com cinto de segurança de 3 pontos no banco do meio (que muitos dos concorrentes mais caros que ele não têm). ESP de série, freios ultrapossantes, estabilidade de hatch e airbag para todos os lados.
    * Equipamentos: nenhum carro da categoria e preço chega perto dele em equipamentos. HUD, teto panorâmico, ar digital, luz de cortesia embaixo das portas, sensor crepuscular, retrovisor eletrocrômico, limpador automático, etc.
    * Atendimento PUG em Brasília: ao contrário dos relatos que vejo constantemente, o atendimento da concessionária que uso aqui é muito bom, e não tenho reclamações.
    NEGATIVO:
    * Suspensão: dura e barulhenta. Realmente é um grande ponto fraco do carro. Até o old Fit da patroa consegue ter molejo melhor.
    * "Couro" dos bancos: não é exatamente um problema dele, mas de vários carros hoje em dia. Em vez de couro, as montadoras estão colocando um plástico que chamam de "couro ecológico" que é muito ruim, especialmente nos dias quentes. Além disso, os bancos da frente, que no geral são muito bons, com bom apoio lateral, poderiam ser um pouco mais longos para acomodar melhor as coxas.

    PS 1: Fora isso, eu diria que o 3008 é um carro muitíssimo diferente do 206 que eu tive em meados de 2003. O 206 era um carro que não me deixou saudades e que me fez até ficar com preconceitos da PUG, mas o 3008 é de outro padrão de montagem e qualidade, nem parece a escola de samba que era o 206. Digo isso porque tem gente que teve um desses e tem preconceito dos PUGs franceses. Só posso dizer uma coisa: dirija um 3008 e se surpreenda.
    PS 2: aqui em Brasília é um carro relativamente comum e não chama a atenção. Até gostaria de ter os dados desagregados da venda dele por regiões para confirmar que ele realmente vende bem por aqui.

    • CefasFer

      Q ano eh o seu? Se nao me engano li q os primeiros modelos com menos potencia sao economicos, como oq a quatro rodas tinha no seu longa duracao. Nunca reclamacaram do consumo, na verdade era um fator bastante elogiado. Entretanto eles remapearam o motor e aumentaram a potencia dele, nao sei exatamente quando… e esses sim sofrem com o consumo. Jah ouviu falar algo do tipo? Sera q procede??

      • CefasFer

        Fiz uma pesquisa rapida e aqui.. e originalmente o motor do 3008 tinha 156cv, e essa me parece ser a versao mais economica. Depois fizeram um upgrade e o motor passou a desenvolver 165hp como o restante dos carros q usam esse mesmo motor.. 1.6 THP. Me parece q a primeira versao veio mais acertada a segunda bebe mais e nao anda mto mais nao…..

  • granrs78

    Quase comprei uma, modelo 2011 Alure por 68 mil reais. Sempre gostei desse modelo. Estou ancioso pelo 3008 reestilizado, que ficou ainda mais bonito. Espero que a Peugeot lance o novo modelo com um preço mais agressivo, pois infelizmente os carros franceses ainda tem uma desvalorização bem acima da média.

  • Leonardo Maia

    tenho um 207sw 11/12 desde zero e até hoje não me incomodei com o carro e com a css.
    e faço parte do time que clama pela volta das peruas….

  • fabritch

    Tinha esquecido que este carro existe. Bom, mas desenho mega enjoativo.

  • Magnus Cordeiro

    Acho este carro show de bola , se eu tivesse $$$$$ eu teria um fácil . . . .

  • Tenho um Peugeot 307 sedan, acho o carro excelente. Gosto do motor, do cambio (manual) do "conforto". Acho somente a embreagem e a direção duras demais! E o "nhec Nhech" do banco do motorista apenas parecendo cama velha de mola que me encomoda.
    Do resto, está pra vender! 2010 por R$30.000 / salvador

    • Ilson

      Tenho um 307 sedan tb só que modelo 2007, tb só elogios, não tenho problema com o barulho do banco(rss), direção dura, só fui perceber porque trabalho com um voyage 12/13. E qto a "barulho", o voyage é uma verdadeira batedeira que me estressa, eu falo isso para todos os meus conhecidos, não compraria esse carro por nada(VW), muito mau em tudo ergonomicamente. E nesse aspecto a Peugeot dá um baile, além de conforto e estabilidade ao dirigir. O porta malas então é muito grande e bem selado acusticamente(coisas da Peugeot). Só o trocarei por outro, por exemplo 408 e ou o futuro 2008.

  • CefasFer

    Gente.. Esse carro nao eh tao beberrao qto falam nao. E outra.. quem paga quase 100 mil por um carro tem q comprar por q gosta… 100 conto a mais 100 conto a menos de gasolina nao vai fazer diferenca nenhuma!

  • Fabio

    Eu tenho um Griffe 11/11 com 30 mil km.
    Zero defeitos ate hoje. Nenhum grilo.
    Só rodo com Podium (é prudente fazer isso por causa da injeção direta), e faço 8 km/l na cidade sempre engarrafada com ar 100% ligado.
    Revisoes com preços tabelados de 10 em 10 mil km. Acabei de fazer a dos 30 mil e me custou 360 reais.

  • Jota É

    Venho passando por problemas com o meu 3008, com peças dando problemas constantemente, o que me fará sair definitivamente da marca. Agora, sejamos honestos: esse consumo está completamente fora da realidade! O meu carro anda basicamente em um trânsito truncado e o consumo dele é de exatos 10,4 km/l. Excelente para um carro deste peso e com turnocompressor.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email