Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Uma vez o encontraram num pátio gaúcho, mas seu destino era a Colômbia. Dado como certo, demorou um pouco, mas chegou. O Chevrolet Onix RS veio com sua expressividade e só.


Com proposta esportiva, pelo menos em estilo, o foco do Onix RS é mesmo ter apenas um visual legal, já que sua mecânica, apesar de boa, não reflete em nada o visual.

Tendo diversos itens escurecidos (que muitos acham de gosto duvidoso) e até um aerofólio na traseira, o hatch esportivado da GM nem manual é, tendo apenas o câmbio automático de seis marchas.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Para quem não lembra, gostamos muito do Onix Turbo manual, mas com a caixa automática de seis marchas, o compacto mantém os 116 cavalos e até 16,8 kgfm de torque.

Se tivesse o 1.2 Turbo de até 133 cavalos do Tracker, teria sido um ganho enorme para o Onix RS. Preço? R$ 75.590, alto, porém mais em conta que o Onix Plus Midnight.

Por fora…

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

O pacote RS é bem conhecido lá fora e chega com sua expressividade, apresentando no Onix a “black bow tie” com grade em preto brilhante, reforçada pelos faróis escurecidos.

O para-choque com grade colmeia, logo RS e vincos pretos nas laterais também ajudam, tal como os LEDs diurnos no protetor, mas não há sequer faróis de neblina.

Para acompanhar a moldura do para-choque, o Onix RS tem belas saias laterais, enquanto os retrovisores são em Black Piano. O teto preto combina com a cor do aerofólio no topo.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Este, porém, parece exagerado diante da missão do RS. Podia bem ser uma extensão da própria tampa, mas olhando de lado, ele se encaixa nos apliques pretos originais do Onix.

Com lanternas bem delineadas, o hatch tem para-choque com difusor de ar. Já as belas rodas aro 16 polegadas em preto brilhante possuem design exclusivo e pneus 195/55 R16.

Por dentro…

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

No habitáculo, o Onix RS tem ambiente escurecido com teto e colunas pretas, assim como o painel, onde os difusores de ar possuem um vermelho vivo atraente para alguns e exagerado para outros.

O volante em couro com costuras vermelhas e aplique preto brilhante caiu bem ao hatch, tendo este piloto automático e limitador de velocidade.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

O ajuste da coluna é muito bom e o cluster analógico com grafismos vermelhos é suficiente para a proposta. No console da transmissão, friso envolvente em preto brilhante.

Com ar condicionado manual, o Onix RS tem revestimento em plástico texturizado no painel e a multimídia MyLink com tela de 8 polegadas.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Contudo, ela não tem Wi-Fi ou 4G da Claro, muito menos OnStar, restando apenas Android Google Auto e Apple CarPlay, ambos com projeção sem fio.

Nas portas, as maçanetas são cromadas e a parte central tem revestimento soft preto com costuras vermelhas nas dianteiras, pois, as de trás são forradas apenas em plástico texturizado.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Os bancos com apoio de cabeça integrado na frente possuem revestimento em couro e tecido, contendo o mesmo padrão de costura. Atrás, o mesmo padrão de acabamento.

O espaço geral é bom e o Onix RS tem ainda seis airbags para proteção geral. Contudo, nessa área, não ter uma câmera de ré é um absurdo.

No bagageiro, os 275 litros são apenas suficientes para o Onix RS, cujo banco traseiro é bipartido, ampliando assim o volume.

Por ruas e estradas…

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

O Chevrolet Onix RS 2021 tem visual que não corresponde ao desempenho. Mesmo que o conjunto mecânico seja realmente bom, ele não responde como exigiria um modelo mais esportivo.

Dessa forma, o hatch anda como um Onix Turbo automático normal, apenas com roupagem de esportivo. Seu motor 1.0 Turbo com três cilindros é uma engenhosidade.

Mesmo sem injeção direta de combustível, a GM conseguiu fazer um motor que responde bem ao acelerador e bebe pouco.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Ainda que após o recall ele tenha sido amansado, o 1.0 Turbo da Chevrolet continua um propulsor que responde quando exigido, subindo a rotação até os 6.000 rpm com facilidade.

A progressão é nítida, conforme o som de máquina de costurar engrossa a voz e passe a empolgar. Saber que é um motorzinho turbo, também ajuda nesse sentido.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Com 999 cm3, o 1.0 Turbo do Onix RS entrega 116 cavalos nos dois combustíveis, além de 16,3 kgfm na gasolina e 16,8 kgfm no etanol, que aparecem aos 2.000 rpm, ou antes mesmo disso.

Sem vibração excessiva, o Onix RS é aquele carro que parece ter um motor maior no cofre, não pedindo água em nenhum momento. Retomadas e ultrapassagens surgem com folga.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Na cidade, rodando sem precisar esgoelar, o Onix RS transita bem abaixo de 2.000 rpm e, por vezes, perto dos 1.000 rpm, mas sem reclamar.

Quase sempre com motor cheio, ele poderia ter um câmbio manual de seis marchas para sugar tudo do pequenino turbinado, mas o automático não é ruim, exceto pela pegada do carro.

Na estrada, ele roda a 2.300 rpm, mas com disposição para aclives longos sem pestanejar. Com escalonamento de marchas mais voltado para a economia, o Onix RS faz de 0 a 100 km/h em 10,9 segundos.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

No manual do Onix LT, baixa o tempo para menos de 10 segundos. Já no consumo, fez bons 12,3 km/l na cidade e ótimos 18,2 km/h na estrada.

Para melhorar a coisa, a GM manteve o botão de mudança manual das marchas na alavanca, mas infelizmente ele é ergonomicamente ruim, como sempre foi em outros modelos da marca, e só é ativado na posição L.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Esta ainda estica a marcha, mas funciona mais para as trocas do motorista, do que realmente para ajudar num desempenho melhor. Já a caixa GF6 nem oferece um modo Sport de fato.

O hatch tinha de ter pelo menos os paddle shifts na direção. Fora isso, o Chevrolet Onix RS 2021 vem com suspensão acertada, filtrando boa parte das irregularidades.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Firme nas curvas, ainda mais com as rodas maiores de 16 polegadas, o hatch tem uma direção elétrica exemplar e freios apropriados para seu desempenho.

Nas curvas, o RS segura bem e mesmo que comece a escapar, o controle de estabilidade e tração atua para que a coisa não fique perigosa.

Com boa posição de dirigir, o Onix RS agrada no dia a dia, mas não mais que uma versão LTZ ou Premier em dirigibilidade. Então, o negócio fica mesmo só no visual.

Por você…

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

A vantagem em ter um carro esportivado como o Onix RS é puramente emocional, para aqueles que não entendem muito de carros esportivos, embora os R$ 75.590 sejam mais apreciáveis nele que o valor similar do Onix Plus Premier.

O motivo é que a diferença de preço para o Premier supera R$ 3.000. Além disso, o LTZ automático, mesmo custando R$ 1.000 a menos, tem acabamento um pouco mais simples.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

O lado ruim é que na linha 2021, o Onix perdeu muita coisa e não ter 4G com Wi-Fi, tal como OnStar e uma simples câmera de ré, realmente desanima.

As montadoras hoje em dia sobem os valores de seus produtos pouco a pouco, e ainda por cima vão retirando itens que muitos consumidores acabam nem percebendo.

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Além disso, a Fiat espertamente colocou o Argo HGT 2021 por R$ 200 a menos, mas com o não empolgante 1.8 E.torQ de até 139 cavalos.

Ele perde ainda nos airbags de cortina e na pintura bi-tom, bem como nos bancos em couro. Com tudo isso e os demais itens obrigatórios no pacote acabam o fazendo saltar para mais de R$ 84 mil…

Avaliação: Onix RS tem cara de esportivo, mas anda menos que o manual

Assim, ainda é vantagem dispor do Onix RS nesse jogo de esportivos de aparência, onde a racionalidade cai por terra.

Entre um 1.0 Turbo que responde e o 1.8 que precisa de fôlego, onde você iria? Certamente no primeiro, não é mesmo?

Medidas e números…

Ficha Técnica do Chevrolet Onix RS 1.0 Turbo AT 2021

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 3 em linha, turbo, flex

Cilindrada – 999 cm³

Potência – 116 cv a 5.500 rpm (gasolina/etanol)

Torque – 16,3/16,8 kgfm a 2.000 rpm (gasolina/etanol)

Transmissão – automática de seis marchas com mudanças manuais na alavanca

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 10,9 segundos

Velocidade máxima – 185 km/h

Rotação a 110 km/h – 2.300 rpm

Consumo urbano – 12,3 km/litro (gasolina)

Consumo rodoviário – 18,2 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Eixo de torção

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e tambores traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 16 com pneus 195/55 R16

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.163 mm

Largura – 1.746 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.475 mm

Entre-eixos – 2.551 mm

Peso em ordem de marcha – 1.085 kg

Tanque – 44 litros

Porta-malas – 275 litros

Preço: R$ 75.590

Chevrolet Onix RS 1.0 Turbo AT 2021 – Galeria de fotos

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.