Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Ofensiva nos SUVs, a Volkswagen não quis perder mais tempo e trouxe o Taos para completar sua atuação no segmento que mais cresce no mercado brasileiro.


Posicionado acima do T-Cross, o modelo importado da Argentina chega para peitar players de peso, como Jeep Compass e Toyota Corolla Cross. Nessa missão, o Taos traz um meio-termo.

Sem buscar potências elevadas ou apostar em hibridização, o VW Taos concentra num conjunto já conhecido pelo consumidor, e não estamos falando apenas do motor 1.4 TSI.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Tendo foco em conectividade e segurança, o Taos traz mais do mesmo num porte maior, ampliando o conforto para a família e evidentemente num preço superior: R$ 181.790.

Com tudo dentro, como na Avaliação NA, o Taos Highline chega a R$ 192.470, seguindo assim o barco dos preços irreais de um mercado que sofre sua segunda crise. Vale? Vejamos.

Por fora…

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

O Volkswagen Taos não quis repetir uma receita chinesa e muito menos ser um produto conhecido na Europa. Assim, a frente expressiva não é de tão bonita, mas o difere bem destes.

Os faróis de LED com tecnologia IQ.Light são atraentes, ainda mais por conectarem-se através da grade iluminada. Mas, o para-choque com vincos pronunciados destoa um pouco.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Aliás, o excesso de vincos no capô parece remeter a um utilitário do passado, que não existiu. Com colunas C largas e o teto preto, o Taos Highline tem até uma boa fluidez na cabine.

Atrás, as lanternas em LED não surpreendem em estilo, mas cumprem bem sua função e dão boa impressão. Já as rodas aro 18 escurecidas casam bem com o preto de teto e para-choque.

Por dentro…

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Em seu interior, o Volkswagen Taos traz a receita já vista em outros modelos recentes da marca alemã, com um acabamento que vai, da frente para trás, perdendo importância…

No próprio painel, a parte superior não é soft, mas em plástico duro. A parte central em cinza brilhante é vistosa, e o tecido costurado logo abaixo, busca reconhecer o status do produto.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Você não vai encontrar esse material imitando couro no T-Cross, por exemplo. Ele é estendido também às portas dianteiras. Nesse caso, a impressão é boa.

Nestas entradas dianteiras, contudo, o material na parte superior é levemente soft, mas a coisa para por aí. Seguindo para trás, o Taos repete o Jetta, trazendo plásticos em dois tons.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Um deles busca imitar a tonalidade marrom-clara do painel e portas dianteiras. Pelo menos, nesse caso, a lataria do veículo foi totalmente oculta por este revestimento, diferente do sedã.

De volta ao que não é novidade, o conjunto cluster-infotainment atrai a atenção, deixando esses detalhes de lado… O Active Info Display de 10,25 polegadas é o mesmo de Polo e Virtus.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Já a VW Play segue o Nivus e T-Cross, com aplicativos de serviços online, e usa bem a conexão 4G do smartphone para tudo, inclusive seu Waze nativo.

É preciso aí conectar Wi-Fi do smartphone no carro e igualmente o Bluetooth para as outras coisas, como ouvir as mídias do aparelho. O bom é que o carregador wireless é potente.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Isso não deixará seu smartphone na mão, mas se preferir o Android Auto ou CarPlay, há três entradas USB-C para isso, basta ter um conector com duas saídas iguais.

Na tela de 10,1 polegadas, vai também os comandos do ar-condicionado dual zone, assim como as sete cores da iluminação em LED do painel e portas.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Tem câmera de ré e ajustes do sistema de som Beats Audio, ótimo, assim como altera os modos de condução e outros dados do carro.

Uma função off-road indica até a direção das rodas dianteiras. Além disso, o VW Taos Highline vem com bancos confortáveis, tendo o do motorista ajuste elétrico (com lombar), sem memória.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

O banco do passageiro tem ajuste em altura manual. Atrás, o espaço é muito bom para as pernas, mesmo com um motorista alto na frente. O apoio de braço e as saídas de ar pontuam.

Os encostos ficam em boa posição e o teto solar panorâmico deixa o ambiente mais iluminado e agradável. Nele, as luzes de leitura são em LED, assim como a iluminação geral.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Já o bagageiro é suficiente para viagens ou compras do mês, tendo 498 litros e podendo ser ampliado com o banco bipartido. Apesar do detalhe do acabamento traseiro, o resto é agradavel.

Por ruas e estradas…

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Antes que você pense num certo SUV alemão já bem conhecido, o Taos não tem nada a ver com ele. Não se trata de um Tiguan nacionalizado (na Argentina, é claro) ou retocado.

O Volkswagen Taos é um SUV que passa impressão (real) de leveza em relação ao Tiguan Allspace e também ao antigo, que era do mesmo tamanho.

Com seu motor EA211 1.4 TSI de 150 cavalos a 5.000 rpm e 25,5 kgfm de 1.400 rpm a 4.000 rpm, o VW Taos tem mais força para mover seus 1.420 kg.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

De fato, ele é bem mais leve que as gerações do Tiguan, incluindo o 1.4 TSI. Com boa disposição, o propulsor de quatro cilindros com turbo e injeção direta sobra no dia a dia.

Com relações de marcha adequadas, o Taos parece até menor ao rodar com desenvoltura, seja no modo Eco ou no Normal, ele age de forma esperada, dada a força conhecida do motor.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Enchendo desde os 1.400 rpm, o 1.4 TSI garante boas arrancadas e saídas de semáforo entusiasmantes, com retomadas muito espertas, o que nos faz até desconfiar de seus números.

Subindo para 5.000 rpm, o Taos responde como se fosse um esportivo, se comportando assim com o modo Sport, que realmente o deixa mais nervoso e gostoso de acelerar.

Mudando-se marchas no manual e ainda com o Sport do câmbio, lembramos que cada modo altera parâmetros de motor, câmbio, direção, sistemas, etc.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Ainda que seja maior e mais pesado que o T-Cross Highline, o Taos Highline anda quase como o irmão menor, mas não “flutua” tanto como o pequeno, ao ser mais exigido.

Seu motor está bem dimensionado para seu porte e proposta, garantindo ainda conforto no dia a dia. Um detalhe no Taos é que os modos de condução são ativados na central multimídia VW Play.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

No modo Eco, por exemplo, mesmo que o display indique esse modo como ativo, ele precisa mostrar a letra “E” no cluster, caso contrário, estará no Normal. O mesmo em relação ao Sport.

Que por sua vez difere do Sport (“S”) da transmissão Tiptronic, que altera apenas o câmbio. No Individual, você personaliza à vontade.

Rodando na cidade, com gasolina, o VW Taos fez bons 9,9 km/l, enquanto na estrada, em cruzeiro, ele marca 13,6 km/l. Com seu tanque de 51 litros, dá quase 700 km de alcance.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

A 110 km/h, o novo SUV médio da VW marca 2.000 rpm, o que torna a viagem mais agradável, ainda que o ruído do 1.4 TSI seja bem perceptível ao imprimir o acelerador.

Por ser tão silencioso na desaceleração, que no trânsito urbano ainda tem o Start&Stop, o Taos poderia ter filtrado mais o propulsor em regimes mais baixos de giro, com o ronco alto normal.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Com direção elétrica bem responsiva e freios bem calibrados, o Volkswagen Taos tem uma pegada agradável e uma suspensão mais acertada para o conforto, assim como no T-Cross.

É daí que vem a sensação de se estar em um SUV mais acertado para as condições locais. O conjunto com braços multilink na traseira agrada bastante.

Tanto em ruas de piso ruim quanto na estrada sinuosa, o acerto é bom, mas a dinâmica de condução não é a mesma do Tiguan.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Ainda assim, tem boa estabilidade em curvas e desvios rápidos de trajetória. Mesmo com rodas aro 18 polegadas, ele passa bem em certos pisos ruins, com apenas alguns ruídos internos.

Como um projeto para mercados fora da Europa, o Taos tem um recheio menos consistente, o que o aproxima mais do T-Cross em comportamento e menos do Tiguan.

Obviamente, o Taos é superior em dirigibilidade ao T-Cross e diferente do Tiguan Allspace, que tem peso superior e um conjunto mais firme.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

Além da boa direção oferecida, o SUV argentino traz ainda um pacote de assistência apenas bom, pois, lhe falta alerta de faixa e o controle de cruzeiro adaptativo não é Stop-Go.

Também não há um Park Assist, somente assistência para estacionar com sensores de estacionamento. O T-Cross Highline completo tem.

Já os faróis full LED iluminam bem e vem com a função IQ Light, para evitar o ofuscamento de outros condutores, tendo ainda iluminação extra em curvas.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

O alerta de ponto cego funciona muito bem, assim como o aviso de tráfego traseiro, alertando sobre carros, motos e pessoas cruzando atrás do SUV.

O tilt down tem um bom delay após operação, mas os retrovisores possuem basculamento elétrico e desembaçador. Frenagem automática e detector de pedestres estão presentes.

Por você…

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

O Volkswagen Taos é uma interessante proposta premium com um ajuste mais local, tendo a seu favor, um conjunto mecânico que lhe dá desempenho e consumo bons.

Além disso, vem com conectividade em dia, apesar de não ter 4G nativo, fornecendo serviços de forma remota a partir do carro. Também tem espaço e porta-malas generosos.

Faltam alguns itens, é verdade, que realmente deveriam estar num carro que custa quase R$ 200 mil. Até uma tampa de acionamento elétrico poderia estar presente por esse preço.

Avaliação: Volkswagen Taos é proposta premium ajustada ao Brasil

No pacote de lançamento, além de teto e retrovisores pretos, como as rodas escurecidas, traz som Beats com 8 alto-falantes e bancos parcialmente em couro. O teto solar é outro opcional.

Com mais espaço e porta-malas que o líder do segmento, o Jeep Compass, o Volkswagen Taos tem atributos que merecem ser considerados por quem busca um SUV médio desse porte.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Volkswagen Taos Highline 250 TSI 2022

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha, turbo e injeção direta

Cilindrada – 1.395 cm³

Potência – 150 cv a 5.000 rpm (gasolina/etanol)

Torque – 25,5 kgfm a 1.400 rpm (gasolina/ etanol)

Transmissão – Automático com seis marchas e troca manual na alavanca ou volante

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 9,3 segundos

Velocidade máxima – 194 km/h

Rotação a 110 km/h – 2.000 rpm

Consumo urbano – 9,9 km/litro (gasolina)

Consumo rodoviário – 13,6 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Multilink

Elétrica

Freios

Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 18 com pneus 215/55 R18

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.461 mm

Largura – 1.841 mm (sem retrovisores)

Altura – 1.626 mm

Entre-eixos – 2.680 mm

Peso em ordem de marcha – 1.420 kg

Tanque – 51 litros

Porta-malas – 498 litros

Preço: R$ 181.790 (preço base) R$ 192.470 (versão avaliada)

Volkswagen Taos Highline 2022 – Galeria de fotos

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.