Usado da semana

Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 e LTZ 1.4

usado-semana-dois-prismas-2-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 e LTZ 1.4

Oi pessoal, meu nome é Joel e estou aqui para falar um pouco das minhas impressões sobre o Novo Prisma, na verdade, sobre dois Prismas, um LT 1.0 e o outro, LTZ automático. Pois bem, os dois carros chegaram à família em dezembro passado. O LT é o quarto GM seguido em minha casa. Substituiu um Classic LS 2011/12 completo, preto, comprado em agosto/2011 por R$ 29.600,00 e, que na data da troca tinha 45.000 km rodados.



Em 3 anos e 4 meses de uso o Classic teve o nosso carisma, era confiável, barato de custear, com acabamento e espaço aceitáveis e até valente para um 1.0. Seus maiores pecados, no entanto, eram aquele volante grande, os pedais tortos, o ruído interno elevadíssimo e a instabilidade em velocidades acima de 110km/h (pneus 165/70/13). Nada mais do que reflexos da idade do seu projeto.

A única grande decepção ficou por conta do “rompimento” da polia do virabrequim quando tinha menos de dois anos de uso. A causa? Ninguém soube explicar, apenas trocaram a polia e o carro voltou a andar e não mais apresentou defeitos. As substituições por desgaste – provocado – se resumiram às pastilhas de freio, aos pneus e aos amortecedores dianteiros (o asfalto da minha cidade não ajuda) aos 35.000km.

A troca de óleo (5w30 ACDelco) custava R$ 120,00 (+-) e era feita a cada 5.000km. O consumo, na cidade, ficava em torno de 7,5km/l com etanol no percurso misto e, na estrada dava total tranquilidade porque o nível do tanque não descia fácil.

Já o Prisma LTZ substituiu um Novo Uno Way, bege, 2011/12, comprado por R$ 32.000,00. Tinha ar, direção hidráulica, vidros e travas elétricas. Foi praticamente inquebrável, também confiável e tinha um visual bem acertado.

O problema do Uno era (e ainda é) aquele motor Fire Evo 1.0 (fraco demais), o câmbio pesado e longo, ruído interno alto, espaço interno pequeno (a sorte era o teto altinho), acabamento mal feito (parte do painel afundava com o toque das mãos), lataria com aspecto frágil (principalmente no porta malas) e vidros elétricos com acionamento no painel e não nas portas, impossibilitando a instalação de vidros elétricos na parte traseira (já consertado no novo modelo). Enfim, muitos problemas para um projeto tão novo (2010), que o tornavam igual ou pior ao Classic, nascido há 20 anos atrás.

usado-semana-dois-prismas-1-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 e LTZ 1.4

DECISÃO PELA COMPRA

Como a preferência para substituir o Classic era mesmo pelo próprio Prisma LT 1.0 ou Ka+ SE, deixamos de lado outros modelos. Solicitei orçamentos pelos sites da GM e da Ford a todas as concessionárias da região, isso inclui minha cidade – Alagoinhas – e também Salvador, Feira de Santana, Cruz das Almas e Serrinha.

De várias, principalmente da Ford, recebi apenas o convite – por e-mail – para comparecer à loja e conhecer a “melhor oferta” como diziam, mas nada de obter orçamento. No caso da Ford, apenas duas me enviaram propostas de verdade. O Ka+ tinha preço tabelado de R$ 37.990,00, mas o financiamento, ainda com a mesma entrada pretendida, de quase 40%, saía mais caro na Ford, em 36x ou 48x.

Já da GM, recebi propostas completas das quase oito concessionárias acionadas. Chegava a receber 3 ou 4 ligações diárias de vendedores insistentes. Eles ofereciam todas as versões do Prisma e até de outros modelos e a grande maioria parecia conhecer bem o carro. Os preços do Prisma ficavam entre R$ 41.990,00 e R$ 44.000,00 nas versões 1.0, e R$ 46.800,00 na versão LT1.4, sem MyLink, sempre na cor preta.

usado-semana-dois-prismas-6-700x525 Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 e LTZ 1.4

Depois de tanta pesquisa, acabamos desistindo, temporariamente, de trocar de carro, pois meus pais e meu irmão haviam cismado com o Ka+, e o Prisma ainda não cabia no orçamento. Um dia, eis que recebo ligação de um vendedor da capital oferecendo o LT 1.0, sem Mylink, preto, por R$ 39.990,00, com emplacamento por conta da concessionária.

Numa última esperança, para ver até onde isso iria chegar, acabei apresentando essa proposta para a loja daqui (de outra rede). Resultado: o gerente cobriu a oferta e fez o LT 1.0, sem Mylink, preto, por R$ 39.290,00, com emplacamento total e película dos vidros “grátis”, além de aumentar a avaliação do Classic para R$ 20.000,00, antes os antigos R$ 18.000,00 oferecidos. A forma de financiamento ficou excelente e o seguro total saiu por R$ 1.206,00.

Com isso, o Ford perdia todas as chances de entrar em nossa garagem. Apesar de ter motor mais moderno, econômico e potente e ser R$ 1.300,00 mais barato (na teoria), perdeu para o GM – também – pelo fato de ter menor espaço interno (apesar do teto alto), o seguro ser mais alto e o visual aparentar inferioridade em relação ao Prisma (visão pessoal), sem contar ter som MP3 mas esquecer do alarme de série.

Já para substituir o Uno Way, minha tia não tinha em vista um modelo específico, queria apenas um automático. Do up! até a EcoSport tudo caía no gosto dela. Chegou a conhecer o up! e a andar no Punto Dualogic, ambos apresentados pelos vendedores como automáticos (kkkk). Depois de muito alerta para a diferença entre câmbio automatizado e automático, HB20 e Onix (R$ 53.000) acabaram sozinhos na “pauta”.

usado-semana-dois-prismas-7-700x525 Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 e LTZ 1.4

Como no momento da compra do Prisma LT 1.0 apareceu o Prisma LTZ AT6, por R$ 52.990,00, ante as antigas cotações em torno de R$ 57.000, e a concessionária se prontificou a pagar R$ R$ 20.000 pelo Uno “aventureiro”, avisei a minha tia e ela acabou levando o Onix “esticado”.

Comprávamos assim, respectivamente, o sexto e o sétimo carro GM da família na mesma concessionária. Fica aí mais uma prova de que realmente a pesquisa é a melhor opção. Não precisa ter pressa, afinal, seu carro escolhido estará no pátio de alguma loja por aí, é só procurar.

ITENS DE SÉRIE

O Prisma 1.0 vem de fábrica com ar condicionado, direção hidráulica (a direção elétrica do Ka+ caria bem), vidros dianteiros elétricos (ambos one touch), travas elétricas (automaticamente acionadas a 15 km/h), alarme com acionamento na chave canivete (a chave reserva é comum), sensor de ré, alerta sonoro e visual de portas abertas e faróis acesos, tanque de combustível e porta malas com acionamento elétrico (no painel e no controle remoto).

Traz ainda, os excelentes “Siga-me” e “Leve-me”, responsáveis por deixar os faróis, lanternas e luzes internas e da placa acesas caso você saia do carro no escuro ou, acioná-los se precisar ir até seu Prisma na mesma situação.

usado-semana-dois-prismas-8-700x333 Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 e LTZ 1.4

Airbags frontais, freios com ABS e EBD, cintos com pré-tensionadores, barras de proteção lateral contra impacto, programação do motor para cair em caso de colisões e predisposição para instalação de som completam a lista dos itens mais interessantes.

Já o LTZ, inclui o motor 1.4, de bons 98/106cv, transmissão automática de 6 velocidades, piloto automático, vidros elétricos traseiros (one touch), Mylink, auto falantes, pneus Goodyear e rodas de liga leve 185/65/15, retrovisores elétricos, faróis de neblina, computador de bordo, volante multifuncional com ajuste de altura e faróis e lanternas com detalhes diferenciados. A ausência de airbags laterais e do ajuste de profundidade do volante até como opcionais, vale dizer, é imperdoável nessa versão.

Só lembrando, o porta malas tem capacidade para 500 litros e, os pneus do 1.0 são os robustos Goodyear 185/70/14, de rodar mais macio se comparados com os que equipam o LTZ (de perfil mais baixo).

usado-semana-dois-prismas-3-700x525 Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 e LTZ 1.4

MOTOR – CONSUMO

O LT 1.0 não tem computador de bordo, todavia, sempre me esforço para realizar medições particulares. Desde a sua compra, utilizávamos com maior frequência o etanol e, em percurso misto (urbano, estrada, com e sem ar ligado, carregado ou não e três motoristas diferentes) conseguimos rodar em média 350km, dando a entender que o consumo é de 6,4km/l, marca bem próxima do LTZ, hoje em 6,3km/l e que oscila até 6,5km/l no máximo.

Nas últimas semanas, contudo, passamos a usar gasolina e o 1.0 se saiu muito melhor. Semana retrasada abasteci R$ 50,00 (gasolina comum de R$ 3,07) após o tanque quase esvaziar e o Prisma rodou 125km na cidade (sem usar a reserva), ou seja, 7,67km/l.

A surpresa mesmo aconteceu esta semana quando o antes beberão rodou 340km (utilizando muito pouco da reserva) com 38,36 litros de gasolina comum (sem ir para a “reserva da reserva”, ou seja, ainda rodava mais) e chegou a 8,86km/l em condições muito parecidas com aquelas descritas no primeiro parágrafo deste tópico, uma marca surpreendente, afinal, foi o recorde de economia dele conosco.

Já o 1.4 cravou sua maior economia (com etanol) em 7.1km/l indo para Porto Seguro (672km daqui), com o ar sempre ligado, lotado de bagagens e ocupantes e em média a 120km/h (medição do computador de bordo apenas).

Em outras medições, indo para Salvador no último dia 09.05 a 120-130km/h, ar condicionado ligado, ambos os carros com o tanque cheio (de etanol), o 1.0 (4 ocupantes) usou dois pontinhos no marcador do tanque, enquanto o 1.4 (três ocupantes) gastou três (ida e volta tem 260km só de estrada).

Desconfio existir alguma programação no medidor digital dos Prismas para que demore de marcar o uso do combustível quando o tanque está cheio. Quando se tem mais ou menos meio tanque o mesmo medidor passa a trabalhar mais rápido e a sensação de economia “desaparece”.

A reserva, por sinal, é pequena (aviso sonoro e luz acesa) e logo o aviso “COMB” (luz piscando) aparece, desligando o computador de bordo (no 1.4) e as funções básicas (do 1.0), sendo o jeito nunca confiar nela, ao contrário da reserva do Classic (ótima).
Ou seja, o consumo real dos modelos ainda é uma incógnita e com certeza vai sofrer alterações por mais algum tempo.

usado-semana-dois-prismas-5-700x525 Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 e LTZ 1.4

MOTOR – DESEMPENHO

O SPE/4 1.0 é difícil de ser avaliado. É fraco e ao mesmo tempo forte a depender das expectativas do motorista, de como ele dirige e de onde está fazendo isso. Na cidade, por exemplo, ele se comporta muitíssimo bem. De terceira marcha, chego a 3mil rpm andando a 52km/h sem gritos, enquanto no Classic o máximo era 45km/h.

Na estrada, natural para motores “mil”, a falta de força nas retomadas é nítida. O Prisma é pesado (1071kg, se não me engano) e os 2cv a mais e o maior torque do SPE/4 se mostram insuficientes para isso. E é mais perceptível ainda porque o isolamento acústico é impecável, ou seja, saímos do lugar mas em algum momento vamos nos sentir presos ao chão.

Por outro lado, se você não se importa com giro alto é só não ter preguiça de usar a caixa de marcha. O 1.0 vai embalar rápido e topar nos 130-140km/h sem muitas dificuldades, ou seja, demonstrando que gosta mesmo é de embalo. No consumo, só não espere médias de 10-12km/l. Se quiser isso, contente-se com baixas velocidades/rotações como em qualquer outro “mil”.

usado-semana-dois-prismas-4-700x525 Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 e LTZ 1.4

Fato interessante que deixaria nossos antigos Classic e Uno envergonhados é a sensação de conforto do Prisma em situações onde o motor é exigido. Mesmo em altas velocidades ninguém se sente incomodado porque o isolamento acústico (principalmente o 1.0) dá conta do recado e o rodar continua suave e estável, sem solavancos, inclinações ou tremedeiras no volante.

Apenas o painel de instrumentos (de velocímetro digital com números gigantes), principalmente à noite, entrega a real situação, mas para a alegria de alguns e tristeza de outros ele tem regulador de intensidade da iluminação.

Por sua vez, o SPE/4 1.4 esbanja confiança e trabalha muito bem com a caixa automática sem sentir a tonelada do Prisma. Fica apenas a ressalva: gosta de trabalhar com giro alto (a sexta marcha alivia bastante a rotação).

No modo manual o motorista controla melhor essa ânsia e extrai bom desempenho também. Todavia, faço outra ressalva: o computador de bordo não registra melhoras no consumo.

Independente do modo (manual ou AT), dá pra viajar com tranquilidade nesse 1.4, inclusive “controlando” a rotação, mesmo carregado e com ar ligado, e por isso digo: se puder pagar a mais pelo LT 1.4 leve-o pra casa. É um motor de excelente cavalaria, bom torque e consumo parecido com o irmão de menor cilindrada (com etanol).

CÂMBIO

No modelo 1.0, a troca das marchas é tranquilíssima, leve e precisa (não tem engasgos mesmo na ré). Seria melhor aproveitada se estivesse combinada a um motor mais moderno e que não a exigisse tanto. Se o 1.0 consegue boas médias, isso ele deve e muito ao câmbio.

O automático de 6 velocidades também traz alegrias. Não tem solavanco algum e é muito bem programado para seguir o que o motorista quer. Um toque suave e já entende tudo. Não sei como alguém curte aquele automatizado tão atrapalhado da Fiat (mesmo após as evoluções).

Ponto negativo para a GM é o fato de ter optado por botões na manopla do câmbio para a troca de marchas no modo manual. As vezes quero até “curtir” a convencional troca de marchas e ver como se comporta o 1.4 nessa situação, mas cansa deslocar o braço ou mantê-lo no câmbio para apertar os botões.

Não sugiro nem a substituição por borboletas atrás do volante, mas talvez a instalação do apoio de braço tornasse a direção manual mais cômoda e melhorasse o custo benefício da versão top de linha.

MY LINK

Vejo muitos Onix/Prisma 1.0 com esse acessório instalado. A concessionária onde compramos o LT 1.0 ofereceu o modelo com o Mylink por R$ 41.900,00, ou seja, R$ 2.610,00 a mais que o modelo sem a telinha.

Procurei então saber sobre suas funções e notei que realmente não é nada menos do que um som com tela touchscreen, afinal tem apenas o Bluetooth, MP3, vídeos por USB, telefone, autofalantes (de excelente qualidade, por sinal) e dois aplicativos pagos. A TV digital só é liberada após a instalação do módulo adicional (R$ 120,00). Com mesma funcionalidade, encontrei um som/DVD Pioneer com tela 4’ por R$ 499,00. Quatro autofalantes sairiam por R$ 250,00 e pagaria mais R$ 80,00 pela instalação em local seguro. Tudo sairia por R$ 829,00.

E até mesmo centrais de multimídia confiáveis, com função de DVD e TV digital, encontrei por R$ 2.200,00 (já instalada) aqui na cidade, sem fazer esforço para procurar outras opções.
Assim, decidimos pelo LT 1.0 sem Mylink. Outros acessórios como airbags laterais seriam mais bem-vindos. Já o LTZ, como o preço da tela é embutido não tem o que fazer, leve-o e curta-o. Se já vem de série é bom, mas pagar por fora não vale.

MANUTENÇÃO

Bom, o Prisma LT já tem 8.000 km rodados e o LTZ está próximo dos 7.000 km. Fizemos a troca do óleo na concessionária e o preço foi de R$ 172,40, incluído o filtro e o serviço (mesmo valor para os dois). Só a título de comparação, em oficina comum o preço orçado foi de R$ 168,00, ou seja, diferença mínima. A primeira revisão de 10mil km será no valor de 4xR$49,00, e a garantia do carro é de 3 anos.

VARIADOS

• A falta do computador de bordo (no 1.0) e do indicador instantâneo de temperatura do motor (até o Celta e Classic têm) é imperdoável. Também senti falta dos repetidores de setas nas laterais ou nos retrovisores;
• O volante possui trava de segurança. Isso é bom!
• O sinal de farol aceso no painel de instrumentos é minúsculo, e como o próprio painel se acende (e ilumina muito) quando giramos a chave, há o iminente risco de sair à noite com faróis desligados por ter a sensação de tudo estar iluminado.
• No Prisma há aviso sonoro se o motorista esquecer as setas acesas por mais de 1,6km. Ah, e tem também a função de acionamento das mesmas setas de direção por um toque levíssimo na aleta, para mudança rápida de faixa.
• Achei interessante a programação para o motorista receber alertas no painel, por meio de códigos e descritos no manual, como de manutenção programada, capô aberto, faróis ou lanternas queimadas, etc.;
• Os faróis, apesar de monoparabólicos, iluminam muito bem. Poderiam ser biparabólicos para o LTZ, como acontece nas versões mais caras do Voyage;
• A posição alta de dirigir é legal, mas depois de muito tempo cansa. E se o motorista for grande fica bem próximo do teto que, inclusive, tem forração em dois níveis para superar a inclinação brusca do vidro dianteiro. Sorte o ajuste de altura do banco ser de série;
• No espaço traseiro há conforto e o espaço é muito bom, apesar do teto também cair muito. Não há aquela sensação de confinamento do antigo Prisma. Já tivemos um na família e perdia até para o Classic. Só achei ridículo o acabamento traseiro das portas, apesar da boa aparência, ser totalmente em plástico duro. Pelo menos no LTZ deveria ter forração em tecido;
• Os comandos no painel são bons. Apenas o botão do ar condicionado foge à regra e está muito escondido, sem contar que é minúsculo e só é acionado se o ventilador estiver na velocidade 1. Poderia ocupar o lugar do acionamento do desembaçador do vidro traseiro;
• O ar gela bem e rápido. E também funciona sem barulhos. Da mesma forma, o desembaçador traseiro e dianteiro merecem elogios, são muitíssimo eficientes;
• Os bancos do Prisma são bons e macios (na medida certa) e não devem rasgar com facilidade. No fundo, não são tão retos quanto no Ka+, mas os da frente são estreitos. Nota positiva para o rebatimento dos bancos traseiros e ponto negativo para os recostos traseiros para a cabeça que parecem feitos de pedra. Além disso, o cinto de segurança do meio é subabdominal e não tem recosto de cabeça central nem no LTZ AT6;
• O túnel do assoalho ainda existe e passa entre as pernas do quinto passageiro. O Uno Way já dispensou isso desde 2010;
• Senti falta de um bom porta objetos do lado esquerdo do motorista, como no Cobalt e, realmente, é mesmo muito ruim a posição em que os puxadores internos das portas dianteiras foram instalados.
• As maçanetas externas soltam óleo desde que os carros chegaram. Problema crônico da dupla Onix/Prisma;
• Os vidros elétricos são one touch e têm sensor antiesmagamento para todos os passageiros, e não apenas para o motorista, como no Ka+. Isso tem uma serventia…
• Os retrovisores externos são largos e muito bons. Até se esforçam para mostrar o máximo possível, só não fazem milagre. O terceiro volume é invisível aos olhos do motorista, ainda prejudicado pela inclinação do vidro traseiro (aí fica explicado o fato do sensor de ré ser de série), que por outro lado o protege de reflexos de faróis de outros carros na traseira;
• Toda a lataria e as peças móveis como lanternas, faróis e para-choques são alinhadas e demonstram a excelente montagem do carro. Isso se aplica às peças internas e à pintura uniforme.
• Um alívio para os distraídos: os faróis e lanternas se desligam sozinhos alguns minutos depois caso o motorista (ainda com o alarme sonoro ecoando) os esqueçam acesos. E mais, se você tentar travar o Prisma e alguma porta (inclusive porta malas) permanecer aberta ou mal fechada ou os vidros não fecharem por causa de algum obstáculo o som da buzina ecoa duas vezes. Em qualquer ocasião, diferente do que acontecia no Uno Way, a trava elétrica é acionada.

Bom, é isso aí o que tenho para falar do Prisma. Não é o “sport sedan” como diz a GM, mas é um excelente carro, afinal vem preenchendo nossas expectativas. Fica a cargo de cada um ao ler a avaliação criar, reforçar ou reformar sua opinião sobre o modelo.

FICA A DICA (SE O PRISMA FOR O ESCOLHIDO):

Se puder levar o LT 1.4, leve-o. Se só puder levar o 1.0 opte pelo Prisma LT 1.0 e não pelas versões enfeitadas com Mylink ou adereços visuais, como o Prisma Advantage ou Onix Seleção. Você vai pagar caro demais por um carro 1.0.

Se puder pagar pelo LTZ 1.4 leve o automático. O Prisma não oferece tanto mimos assim, então o LTZ só vale a pena quando equipado com (o excelente) câmbio automático, o único grande diferencial em relação à concorrência automatizada ou automática de 4 marchas (HB20S).

Boa sorte na compra e também reforço: o modelo 15/15 do 1.0 adiciona aviso sonoro de cinto de segurança e ajuste de altura do volante, além do reforço estrutural que a GM promoveu recentemente na construção do carro (todas as versões).

GM, seria bom um novo motor no modelo (chega de atualizações) e a inclusão dos airbags laterais como opcionais, como ocorre com o Grand Siena.

Valeu NA! Valeu pessoal!

Por Joel Oliveira

4.0

  • BillyTheKid

    Bom relato! É o tipo de matéria que eu mais curto aqui no NA, sempre aprendendo um pouco sobre outros modelos e/ou marcas.

    Sobre o medidor de combustível, ele é bem impreciso mesmo, provavelmente proposital. Ele tem 12 quadrados e com um tanque de 54 litros dá 4,5 litros por “bloquinho”. Já cheguei a rodar 120km antes de sumir o primeiro bloco, dando uma média de 26,6km/l. Ou seja, meu Onix é um dos carros mais econômicos do Brasil! Como isso é impossível, meço o consumo sempre na bomba.

    No meu Onix 1.0, usando gasolina comum, o consumo (medindo na bomba) é 12~13km/l na cidade, quase sempre sozinho. No verão, usando ar-condicionado direto, cai uns 1.5km/l da média. Na estrada ando pouco, mas uma vez fiz 14km/l com AC ligado, 4 pessoas e porta-malas cheio (ou seja, uma viagem sofrível para um 1.0).

    E o MyLink tá custando R$ 2600 já? Na época que fui comprar o meu a diferença era metade disso só, e acabei nem pegando. Meu único arrependimento foi não ter optado pelo motor 1.4.

    • Amigo, desculpa quebrar sua alegria com relação ao consumo no começo do tanque, mas esses medidores são alterados por uma programação eletrônica justamente para dar uma impressão ao proprietário de que o carro é econômico, mas parece que pelo seu comentário você já percebeu isso, pelo uso do termo “proposital”. É isso mesmo.

      O primeiro bloquinho demora mais tempo para desaparecer, ao passo que conforme vai baixando o nível do combustível eles aparentam desaparecer mais depressa, mas isso acontece apenas para compensar a demora inicial.

      Algumas marcas não fazem isso, e por conta disso, são apontadas como tendo carros mais gastadores.

      A única medida confiável a se fazer é rodando e depois abastecendo na mesma bomba, até o primeiro travamento do bico, e então fazendo as contas na calculadora. Ou melhor ainda, esvaziando o tanque todo e fazendo o mesmo.

      • BillyTheKid

        Na verdade nem “quebrou a alegria”, pois sempre tirei a média na bomba e o consumo nunca chegou nem perto sequer de 20km/l (conforme descrevi no comentário original).

        Eu calculo sozinho e percebo a imprecisão/má fé do medidor, mas muitas pessoas devem acreditar cegamente no marcador e acharem que o combustível é quase infinito…

        • Hiboria

          O problema da má fé é com o cara que comprou o veículo todo empolgado, pega a estrada e…. acaba o combustível no meio do nada.

          • “Não é o sport sedan como diz a GM, mas é um excelente carro”.

            A empolgação acaba quando descobrir que foi reprovado pelo latinncap.

        • Marcos Souza

          eu tenho um sonic…e o marcador é o mesmo..tbm demora muito a primeira barrinha…e detalhe é que sempre q encho o tanque, o computador de bordo começa a fazer médias bem fora da realidade nos primeiros 40km… ja chegou a marcar uma média de 18km/l no etanol.
          Depois que passa dos 40, 50km, ela vai baixando e volta ao consumo normal…

          • RyanSX

            Seu Sonic é o Azul? kkk é minha mania de preferencia por carros de cor Azul.

            • Bruno Wendel Marcolino

              kkkk, azul é TOP.

              O Onix e Prisma azul são muito bonitos também.

              • Pedro Gonçalves

                O azul mais bonito foi o do primeiro catálogo do Sonic. Depois mudaram a tonalidade (ficou mais puxado pra azul marinho) e não ficou tão belo quanto o anterior.

                Já o azul do Onix acho apenas ok, prefiro-o em outras cores. E no Prisma acho que fica bem estranho.

          • Bruno Wendel Marcolino

            amigo, deixo aqui meu parabéns a você pelo seu veiculo.

            Para mim o Sonic é o melhor carro que a GM ofereceu “pós-Opel”.

            Parabéns mesmo, infelizmente quando troquei de carro não tive condições de comprar um Sonic, mas estou vasculhando os seminovos hehe.

            Abraço.

        • Fabão Rocky

          Tanto o Gol 1.0 qto os 2 Corsas (1.0 e 1.4) q já tive tem esse mesmo problema, no Gol mais ainda. C/ o tanque cheio o ponteiro demora mto de descolar, mas depois o ponteiro se desloca mais rápido ainda. E qdo chega em meio tanque até chegar a reserva eles rodam menos menos do q c/ o tanque cheio até a reserva.

      • Hiboria

        Uma vez li que o City tinha um limitador de consumo que mesmo tendo combustível ele desligava, parece que isso dava muitos problemas com a colocação do GNV, procede essa informação? Foi somente um “BUG” de lançamento?

        • Marcos Souza

          não sei se procede a informação, mas pode existir e não ser um bug, mas um artificio para não queimar a bomba de combustivel na hora que o carro dá pane seca

      • zekinha71

        No March o primeiro bloquinho demora uma eternidade pra apagar, agora quando chega dos dois últimos só dá pra rodar uns 20 km.
        Uma vez quase fiquei sem combustível, apagou o antepenúltimo no fima da Imigrantes e tinha que cruzar a cidade até a Vila Maria, pensei dá pra chegar sossegado,
        Cheguei perto do centro apagou o penúltimo, quando cheguei em Santana apagou tudo e ficou só no restinho da reserva.
        Parei no posto e enchi o total do tanque, só tinha ficado um bafo de combustível.
        Agora já sei quando começa a apagar do meio pro fim já vou e completo.

      • andre oliveira

        Se formos prestar atenção, todos os carros com o tanque cheio independente do medidor ser digital ou analógico passa essa sensação de economia.

        • Fabio Marquez

          Levando em consideração que o tanque de combustível não tem formato regular, e de se esperar que a boia do tanque demore a perceber que o tanque está esvaziando quando ele está cheio.

          • Daniel

            Meu BR 800 tem o tanque perfeitamente regular, a marcação do painel inclusive é 0 – 20 – 40 e era bem confiavel quando novo. Só que o carro é de fibra e não é nenhuma referencia em aterramento depois de algumas decadas de uso… hehe… atualmente o tanque “ganha” 10 litros quando eu acendo o farol! huehuehue

            • Bruno Wendel Marcolino

              “”ganha” 10 litros quando eu acendo o farol!”

              kkkkkkkkkkkkkkkk

            • Sérgio Niski Junior

              “ganha 10 litros é joia” kkk um amigo meu tinha um Fusca que o marcador de combustível ia de cheio para vazio em 1 segundo e depois de vazio para cheio de novo nós ficávamos zoando ele tipo, “Aeee ta cheio! Ahhh vazio..” hehe

            • Edson Fernandes

              É que vc não viu o Xsara que eu “começo” com menos de 1/4 e termino de dirigir com meio tanque! kkkkk

              • Adrian

                minha tempra faz a mesma coisa, quando tem pouco combustivel a luz da reserva vai piscando e depois apaga.

          • Marcos Souza

            pode ter combustivel até no cano por onde entra…se vc pensar bem, dependendo do cano q leva o combustivel até o tanque, devem caber lá uns 2, 3 litros a mais

          • Edson Fernandes

            Fabio, mas é diferente.

            Antes, quando a boia era controlada pela quantidade de combustivel (por um sensor), ela descia ou poderia até subir porque ele ficava em um posicionamento dentro do tanque mudava o parametro. Nos atuais, como a bomba e o sensor de lambda que faz controle é posicional, ou seja,é por varredura, é configuravel.

            Essa sensação cria ao dono a situação de economia ou não. Havia muita gente que dizia que os 1.0 bebiam absurdos e repare que hoje, muitos não reclamam mais a respeito.

        • Edson Fernandes

          Desculpe, mas o C3 não é dessa forma. O meu que é 2008, isso acontece no meio tanque (são 6 barras e da quarta para a terceira que acontece). E nesse perido parece ficar mais tempo, tanto nas primeiras barras como as ultimas ele desce bem mais rapido.

    • The Canadian

      “dando uma média de 26,6km/l”, vendem prisma com motor a diesel?

      • Junoba

        Fiquei sabendo que a GM faz carros a diesel aqui no brasil, e manda pra Argentina. Talvez ele tenha consigo um, pra rodar por aqui…..kkkkkkkkkkk

        • BillyTheKid

          Logo após esse trecho eu pus o consumo real. Ninguém aqui no NA lê o comentário até o fim?

          • Rodrigo

            Não só no NA! No Facebook, em sites de notícia, mails de trabalho…

            • Edson Fernandes

              E outra coisa… quando a noticia “é grande”, então alguns “se cansam” e passam a ler os comentários mesmo.

              E perceba que quando o comentário “é grande”, até ele é ignorado.

              • Rodrigo

                Além disso, a interpretação de texto também é difícil!! Eu escrevi um comentário no NA sobre HRV que virá da Argentina, e já me taxaram de torcida contra, que já tenho avaliação premeditada… Só porque considerei os argentinos mais amenos em relação a este lançamento.
                E vejo muito disso! Preguiça mental ou como disse nosso amigo Fabriciano Madeira, puro analfabetismo funcional!

              • kleber peters

                Quando o comentário é grande, espero lançar o filme… kkkk

          • Fabriciano Madeira

            Lê, até que leem. Agora fazer eles compreenderem é que é complicado. Talvez por analfabetismo funcional ou preguiça, mesmo

    • CorsarioViajante

      Quase todo marcador de combustível é assim. A “metade” deve equivaler a quase dois terços. Se não me engano o Astra “belga” tinha um marcador fiel e era rejeitado por “gastar muito combustível”, mais um exemplo de que a isca tem que agradar o peixe, naõ o pescador! rs
      No caso, o que pode fazer para ver o erro do marcador é zerar o hodômetro quando enche o tanque e ir acompanhando.

      • BillyTheKid

        Pois é, sem dúvidas praticamente qualquer marca vai apresentar informação “imprecisa” de modo a passar uma melhor impressão pro consumidor.

        Até mesmo os velocímetros marcam 5-10km/h acima da velocidade real, que é um simples jeito de fazer o carro parecer mais rápido do que é.

        • Leonardo Silva da Rosa

          Contran altoriza até 10% de diferença na velocidade real se não me engano…
          Puta sacanagem…

        • Thiago_NCO

          É, mas essa diferença no velocímetro eu acho bem útil: já me livrou de várias multas de velocidade.

          • BillyTheKid

            Mas a própria lombada eletrônica já tem uma folga de 7km/h…

            • Marcos Souza

              7km/h não…é 7%.
              se a velocidade for 60, se vc passsar a 65, já leva multa…

              • BillyTheKid

                Você está parcialmente correto. O desconto percentual só ocorre em multas acima de 100km/h.

                “(…) assim, nas velocidades de até 100 km/h, são descontados 7 km/h, e, nas velocidades superiores a 100 km/h, 7%; (…)”

                No meu caso, em 2014 passei num semáforo acima do limite; foi registrado 58km/h, considerou 51km/h (limite era 50km/h).

                • Bruno Wendel Marcolino

                  e eu que tomei uma multa a alguns anos atrás, estava de férias até, minha primeira multa kkkk

                  estava andando na via a 68 km/h porém a velocidade da via era 60 km/h e a tolerância era 7km/h.

                  Por 1 km/h tomei a bendita multa de R$87 eu acho, nem lembro o valor.

                  Isso porque na lombada eletrônica eu passei normal a 60 km/h, porém logo depois tinha uma radar móvel safado e pega bobo, nesse caso eu e mais a torcida do flamengo que estava me ultrapassando kkkkkkkk

          • Bruno Wendel Marcolino

            eu concordo kkkk “#énois”

        • duhehe

          Isso de certa forma é bom para não pegar multas também.

        • CorsarioViajante

          No caso do velocímetro na maioria das vezes é para evitar que pequenos erros de leitura ocasionem multas.
          Claro que existem exceções, se não me engano nos Pumas a partir de 100km/h havia um salto imenso para passar sensação de alta velocidade.

          • Marcos Souza

            se vc mudar a altura na medida dos pneus, tbm vai alterar a leitura da velocidade pelo carro…

            • CorsarioViajante

              Com certeza, inclusive se não me engano do hodômetro também.

            • Edson Fernandes

              A simples falta de calibração dos pneus já faz diferença nesse aspecto (inclusive ter um carro com a manutenção em dia).

      • RyanSX

        Não sei, mas no meu caso é ao contrario. Quando cheio, o tanque cai rapidamente e quando está abaixo da metade, o marcado passa descer com “menor velocidade”. Mas talvez seja que com menos litros de gasolina, o peso alivie bastante (cerca de uns 22 quilos) e por isso o carro fique um pouquinho mais econômico. No caso do Astra 99, já no Peugeot 308, acho ele bem condizente e sempre varia da forma esperada para um carro de peso e potencia maiores.

        • CorsarioViajante

          Que interessante, para ver como cada carro recebe uma calibragem. Mas acho que 22kg não chega a influir tanto no consumo.

        • Edson Fernandes

          Isso não faz muito sentido. Quanto menos gasolina no tanque, mas a tendencia de evaporar combustivel acontece. Ou seja, em teoria, teria de cair mais sim enquanto fica vazio pelo combustivel ficar batendo na parede do tanque e não o inverso. Dá-se a impressão de isso ser feito eletronicamente.

    • Eu sempre comparo com o que é colocado na bomba e quantos km eu rodo. Nos carros da GM que eu convivi isso é comum, tanto no corsa, astra e onix e sempre dá uma diferença para menos, no máximo 1km/l menos. Na VW dá em média um meio L/Km. Nas outras marcas eu não tenho convivência para falar. Eu acho o consumo do onix/prisma bem fraquinho para o 1.0, meu antigo corsa 97, fazia a mesma média do Onix 1.0 …

    • Douglas

      Certamente o frentista continuou a encher o tanque depois de a bomba disparar, por isso que rodou tanto sem sumir o bloquinho de cima.

    • Piupiupiu

      Aqui também. A média dele é entre 12, 13km/l.

    • Pedro Gonçalves

      Uma coisa que reparei no Onix é que o ritmo de descida do medidor varia muito se o combustível foi alterado recentemente. Quando uso por muito tempo o mesmo combustível, a sensação de consumo de acordo com as primeiras barrinha fica mais condizente com a realidade. Acredito que isso tenha a ver com a diferença de densidade entre o etanol e a gasolina e os ajustes da eletrônica do carro para compensá-las.

  • Matthew

    Tenho um Corsa 1.4 Econo.Flex que faz 8,5 km/l de álcool e 10,5 km/l na gasolina (70% cidade/ 30% pista). Meu primo tem um Onix, não sei dizer o consumo dele. Mas dirigindo o carro, faz o Corsa parecer uma carroça. Quanto ao marcador de combustível, eu reparo coisa parecida no de ponteiro do Corsa. À vezes ele fica mó tempo marcando 3/4, fazendo parecer que o carro tá super econômico, mas aí ele despenca pra 1/2, repentinamente.

    • GEISON TALADO

      E como tem carros que fazem isso, de todos os modelos, as vezes da até saudade dos ponteiros, pelo menos eram centenas de vezes mais confiáveis.

    • Vitão

      No meu antigo Corsa 1.0 VHC eu fazia em média 13 km/l com gasolina na cidade… Mas tbm pra conseguir isso, o carro não vinha com AC e eu andava q nem vovo kkkk…

      O importante era a economia, já que em SP dificilmente se passa dos 60 km/h kkkkk

      • Matthew

        Consumo bom o do seu carro. Nem em sonho consigo fazer 13 km/l com o meu. Até hoje tenho dúvidas se o consumo do meu tá normal ou se dá pra fazer alguma coisa pra melhorar. A cidade onde eu moro o trânsito não é tão pesado assim e pego muita pista de até 100 km/h. Como não parece haver nenhuma anomalia de funcionamento e eu não conheço nenhum mecânico decente, prefiro evitar de mexer. No álcool (8,5 km/l) acho que até que tá dentro, mas na gasolina eu esperava mais.

  • Lucas Pellizon

    Achei alto o consumo, mas é bem complicado falar de consumo…são muito fatores externos que influenciam.
    Já achei uma boa compra o Onix/Primas, mas achei que os preços subiram demais… Tudo bem que temos que os tempos passaram e a inflação interferiu, mas o aumento mesmo se deu pelas vendas, que estão muito boas.
    Me senti bastante incomodado com o puxador das portas quando entrei em um, questão de costume.

    • Franco da Silva

      É relativo, mas achei alto assim mesmo. Eu ia falir com um carro desses.
      Seria interessante se o amigo do post desse o consumo que tinha com o Uno. Já tive um e poderia ver se o uso dele é similar ao meu.

    • BillyTheKid

      Pois é, o consumo tá bem alto mesmo. Por parte deve ser pelos vários motoristas diferentes e quilometragem baixa. Eu tenho um Onix e faço 11.5km/l na cidade com ar-condicionado e gasolina. Não é excelente, mas é menos ruim…

      Sobre o preço, subiu muito mesmo. E ainda perdeu alguns detalhes no interior. Gosto bastante do meu carro, mas olhando só pro preço e pelos itens que vem nele, não é uma das melhores opções…

    • Joel Oliveira

      Realmente o consumo não é dos melhores. E confesso, me supreendeu ele atingir 8.86km/l, é a primeira vez desde quando compramos (obs -não medi todos as vezes que abasteci). Com certeza o fato de servir a 3 motoristas e outros fatos não colaboram. Fora isso, o carro é excelente!

      E os preços subiram mesmo. Só pra efeito de comparação, fui a um Feirão da GM aqui na cidade mês passado e o mesmo Prisma LT 1.0 estava de R$ 46.000,00. Por esse preço, em dezembro eu comprava um 1.4 LT.

      Interessante que continua vendendo muito bem!

  • Rodrigo Sanvido

    Ao ler o relato fiquei feliz em pegar o Ka+… Comprei a versão 1.5 SEL por 48.000. O carro anda muito bem e com um consumo bem melhor. Faço, 7,5-8,0km/l na cidade e 12,5-13km/l na estrada… sempre com etanol.

    • Lucas Kopereck

      Somos dois colega,na cidade consigo 10,5-11,4 km/l e na estrada de 15,5-16,3km/l com gasolina aditivada,a GM precisa urgentemente trazer novos motores para seus carros populares.

    • Leonardo Balieiro

      Você fez a escolha correta. Sem contar o design.

    • Bruno Wendel Marcolino

      É que não dá pra comparar motorização dos 2, o Ka nesse sentido é infinitamente melhor que o Onix/Prisma com motor antigo de Corsa.

      Porém, minha opinião pessoal é que o Prisma(principalmente azul) é mais bonito que o Ka+.

    • Sérgio Niski Junior

      O KA+ 1.0 deve dar um banho de consumo no Onix alguém ai tem um e sabe dizer?

    • Pedro Gonçalves

      Consumo praticamente idêntico ao do meu Onix 1.4. Na cidade, faço 7-8km/L com etanol e 9,5-11,0 com gasolina. Na estrada, 10,0-12,5 e 13,0-16,3, respectivamente, de acordo com as condições de rodagem.

  • Louis

    Pintou a borda da calota de preto, ou foi impressão minha ?

    • Junoba

      Parece que foi mesmo. Porque os comuns cobrem toda a borda.

    • Joel Oliveira

      Foi uma plotagem adesiva, dá uma boa ajuda contra arranhos durante manobras de estacionamento e fica até legal na estética quando o carro está em movimento. O material é bom e não envelhece rápido, a qualquer hora é só substituir, não compromete o desenho e a pintura original

    • Bruno Wendel Marcolino

      que olho ein, nem tinha percebido…kkkk

      Eu, particularmente, acho essa calota horrível hehe.

      • Joel Oliveira

        Concordo, Bruno. Não combina muito com o carro e lembra muito a do GOL G4. Só não é tão feia como as usadas no Cobalt LS 1.4 e LT 1.8.
        A GM poderia repetir a calota do LT1.4, mas em aro 14.

        A plotagem que coloquei até disfarça isso, principalmente quando o carro se movimenta. Dá um bom efeito.

        • Bruno Wendel Marcolino

          Olha, acho que no mercado paralelo se acha tranquilo calotas mais bonitas.

          Tinha um Fox 1.0 2009 e as calotas originais eram feias, aro 15, quando um quebrou acabei indo na autopeça e comprando um jogo bem mais bonito e como era aro 15 ajudava, porém são poucas opções.

          Era igual a esse da foto que achei na net
          ||
          /

  • Franco da Silva

    Amigo, qual era o consumo do seu Uno Way? Só para eu ter uma base do uso (já tive um) e ter uma ideia do consumo do Prisma se eu tivesse um.

    • Joel Oliveira

      Vou ficar lhe devendo a resposta amigo Franco. Não fazia a medição exata dele. Sei que o tanque era de 48l e visitava o posto mais rápido que o Classic (54l).

      Um bom carro o Fiat!

      • Franco da Silva

        Era, mas também era meio instável e gastava um tanto, considerando a expectativa (não confirmada) de que substituiria o Mille. Mas foi bom.

        • Joel Oliveira

          é como eu disse, tem uns pecados imperdoáveis e ficava igual ou pior a projetos mais velhos como do Classic, a começar pelo acabamento e desempenho.

  • Braddock

    lol. Meu fusion com ecoboost faz 7,5km/l na cidade com gasolina e chega a fazer 13~14 na estrada a 90~100km/h. Esses carros da GM, to fora.

    • Louis

      Deve ter algo errado no consumo desses Prismas aí, eu consegui 11 km/l no etanol com Corolla 2.0 CVT. Na gasola acho que eu conseguiria uns 14,5 15km/l…

      • Ricardo

        Tem nada de errado não, infelizmente. Tive um Onix 1.4MT e no alcool na estrada, fazia 10.5 – 10.8. O meu Corolla AT atual faz 11 no alcool em rodovia tbm…

      • Joel Oliveira

        Realmente a GM tem que repensar a estratégia de manter os atuais 1.0 e
        1.4. Sei que o Prisma 1.0 é dirigido por 3 motoristas, o motor ainda não
        foi amaciado, as temperaturas aqui também não ajudam (ar ligado com
        frequência), trânsito, etc etc. mas ainda tem consumo nada amigável,
        principalmente com etanol.

        O Cobalt de meu tio está fazendo 5.3km/l no etanol (provocado por ele também)

        • Bruno Wendel Marcolino

          Meu deus, 5.3km/l, melhor comprar um Vectra Elite 2.4 que faz até mais…kkkk

      • duhehe

        Não …. GM é gastão mesmo, por mais que eu leia por ai alguns relatos que divergem, só perguntar para quem tem, a maioria reclama.

        • leaozin

          Em casa temos um astra 2.0 AT 2011, esta fazendo 5.5km/l cidade e 9.8km/l estrada com etanol.
          Nosso Civic Lxs 1.8 AT 2015 faz 6.5km/l cidade e 10.5km/l estrada com etanol.

          • Bruno Wendel Marcolino

            Astra é um foguete, mas bebe que é uma beleza.

            Mesmo assim eu teria um Astra, hehe, sempre o admirei.

          • Edson Fernandes

            Poxa… me animou o relato do Astra. Porque penso que seria interessante esse consumo no alcool. Já que meu Xsara a gasolina faz entre 6 a 7,5km/l na cidade.

            • leaozin

              O modelo manual é mais econômico, antes do AT eu tinha um 2009 MT que fazia 6.5/10 na cidade/estrada nos mesmos trajetos com alcool.

              • Edson Fernandes

                Ainda assim eu pagaria para ter o modelo automatico pela pequena diferença no consumo.

                Acredito que para minha convivencia, eu aceitaria de braços abertos e ignoraria a diferença de consumo.

    • Marcos Lopes

      Estranho mesmo, o civic lxr faz na cidade faz 11,3km/l e na estrada entre 15km/l e 16 km/l sempre gasolina e ar ligado.

      • Charlis

        O meu Civic é o 1.8 manual de 6 marchas… faço tranquilamente os 16km/l mesmo.
        Se eu for muito cuidadoso, faço 16,5km/l… Meu record foi 17,6km/l, mas há 2 anos atrás, quando tínhamos menos etanol na gasolina.
        De fato, eu nem ando com gasolina no Civic, só etanol… ele faz 12,5km/l na pista tranquilamente…

        • Marcos Lopes

          meu record foi 17,5km/l também ( ac em 19º e cc ligado em 100km/h + econ) numa das primeiras viagens que fiz com ele … mais atualmente ( hj ele ta com ~11500km ) não consigo ter essa paciência toda… geralmente ando a 120-140 sem econ … ai cai pra entre 15 ~ 16km/l .

    • Charlis

      14km/l na estrada com o Fusion?
      Qual é a mágica? Podium?

      Vou até editar aqui… a 90km/h pode até ser mesmo.
      É que eu nunca consegui essa proeza, impossível eu não cutucar o acelerador dele numa pista.

      • Braddock

        Capota 8 vezes na estrada a 150km/h que vc vai aprender a ligar o piloto automático e ir com paciência ^^

        • Charlis

          Kkkkk
          Relaxa, eu viajo com paciencia, mesmo porque a esposa sempre esta junto.
          Mas viajo a 120km/h, e nas saidas do sem parar uma puxadinga para acordar os cavalinhos.
          Fazendo isso, a media ja cai pra 12 …

          • Braddock

            Cara, as vezes eu vou ultrapassar algum babaca fazendo merda na minha frente e dou uma puxada violenta, acho que a média cai pra 3km/l kkkk Minha esposa tem um pé mais pesado, vai pegando até 140 nas retas, ultrapassa bastante, na estrada ela faz uns 10~11 na média

            • radiobrasil

              Amigos, qual a avaliação de vocês sobre o Fusion Ecoboost até agora? To louco pra pegar um ….

              • Leonardo Balieiro

                Pois é! Os caras não fazem avaliação dos carros. Amigos, façam a avaliação dos carros de vocês e postem.

              • Charlis

                O de casa vai completar 2 anos, roda muito pouco, passou dos 10 mil km agora … é apenas pro FDS e algumas poucas viagens.

                Já estamos indo pra quarta revisão, pois a Ford existe a cada 6 meses, porém são baratas, a mais cara foi perto de 500 reais.
                Seguro ficou perto dos 3 mil reais.

                Até agora não tivemos problemas algum, apenas 1 mês atrás um pneu rasgado (pequeno rasgo), isso é algo comum, infelizmente.
                Deu concerto e ficou perfeito, mas se tivesse precisado trocar seria 1200 reais …

                Do demais, o carro acelera bastante, considerando seu peso em torno de 1600 kilos, ele tem muita força em baixa.

                Pra andar na cidade, é horrível, ele raspa em qualquer valeta que você não freiar MUITO… buracos então, tem que evitar todos…

                • Bruno Wendel Marcolino

                  para trocar o 1 pneu é R$1200???

                  Que aro é esse, 22?

                  • Charlis

                    Goodyear Eagle R18 235/45
                    R$ 1249,90

                    • Bruno Wendel Marcolino

                      meu deus….que absurdo.

              • Braddock

                Olha, o carro gasta um pouco, mas se vc tiver pé leve ele é uma maravilha. Está com 8 meses e 13mil km rodados. Nada de anormal, só fiz revisão e alinhamento e balanceamento. Pra não dizer q não tive problemas, cai num buraco e deu uma bolha no pneu, mas a culpa foi minha e do governo ^^ O problema mesmo foi o preço do pneu = 1200 reais. E não tinha choro, na net estava 1100 + frete o mesmo modelo =/ É um carro carinho de manter, mas é só alegria, principalmente se vc não roda tanto. Demora um pouco pra se acostumar com a largura e cumprimento dele no trânsito, mas pra estacionar a câmera de ré dele faz o trabalho todo praticamente, estaciono melhor ele do que o fiesta rocan lá de casa que não tem sensor nem nada hahaha

          • Lucas de Lucca

            É complicado. Com tantos cavalos a disposição do pé direito, como é o caso de vocês, fica difícil andar devagar hehehe

    • Joel Oliveira

      Realmente a GM tem que repensar a estratégia de manter os atuais 1.0 e 1.4. Sei que o Prisma 1.0 é dirigido por 3 motoristas, o motor ainda não foi amaciado, as temperaturas aqui também não ajudam (ar ligado com frequência), trânsito, etc etc. mas ainda tem consumo nada amigável, principalmente com etanol.

    • Felippe

      Consumo alto mesmo, a Outlander V6 aqui de casa faz de 6,5/8,5 na cidade, e na estrada andando a 100 km/h faz 11,5/13,5

    • Bruno Wendel Marcolino

      não dá nem pra comparar Ecoboost com motor VHC do Corsa kkkkk

      • Braddock

        Que não dá pra comparar é óbvio. Mas o problema é um motor 2.0 turbo com 240cv de potência equipando um carro com 1700kg, ser mais economico que um motor 1.0 em um compacto. É risível.

        • Bruno Wendel Marcolino

          a diferença é simples, qual o torque do teu Fusion e com quantos RPM ele aparece?

          O VHC do Prisma é 9,8(A) e 9,5(G) a 5200 RPM.

          Imagine ter que conseguir esse torque, que é já é baixo, só com 5.200 giros…acho que passa por ai o consumo altíssimo do Prisma e o consumo baixo do Fusion.

          • Edson Fernandes

            Pera… mas e outras variaveis?

            O coeficiente aerodinamico, rodas, perfil de rodagem e arrasto… além do que…. o Fusion tem um cambio automatico. Tudo isso influi com certeza para na teoria o Prisma ter tudo para ter um consumo mais contido. Mas esse 1.0 no Onix/Prisma não é novidade que é gastão.

            • Bruno Wendel Marcolino

              Claro. Tem diversos fatores.. Só falei um deles.

  • cristhian locatelli

    tinha cogitado a possibilidade de trocar meu hb20 1.0 por um prisma mas com esse consumo ja desisti, não chego nesse consumo nem andando com 5 no carro ar ligado e trocando marcha a 6 mil rpm –‘, andando sem se preocupar na cidade nao baixa de 11 com gasolina, medindo na caneta, computador de bordo normalmente marca 0,5 a mais

    • Jeferson206

      seu HB20 é o único então… Vários amigos meus reclamam do consumo do carro…

    • duhehe

      de HB20 para Prisma é um baita downgrade.
      Motor pior, carro pior, marca pior, garantia e pós venda piores.

    • andre oliveira

      Consumo é muito relativo, existem várias variáveis, eu mesmo faço a mesma média praticamente no Cruze A/T que fazia no Corsa Sedan 1.8.Andando de boa tranquilo 8,5/9km/l na gasolina na cidade,agora com os 27%de etanol caiu pra 8 sem com A/C ligado.Agora com engarrafamento não faz 6.

      • andre oliveira

        Corrigindo 8 sem= 8km/l.

      • Edson Fernandes

        Não faz mais que 6km/l na gasolina dentro da cidade com transito pesado?

        • andre oliveira

          Na verdade já consegui fazer 5.7 num dia daqueles que só um helicóptero ajudaria como também fiz num trecho de 80km misto com 50% rodovia 13.4, nem o frentista acreditou.Por isso sempre falo consumo é muito relativo.

    • Wagner Lopes

      HB20 pra prisma só se você quiser descer mesmo…kkkkkkkkkk.

    • Leonardo Balieiro

      Cara, seu HB é muito melhor que prisma. Olha o Ka+.

    • cristhian locatelli

      a intenção seria mais pelo porta mala e cambio automatico o que hb20 fica devendo com cambio 4 marchas mas vendo este consumo acho que é mais viavel, anda mais e deve beber mesma coisa ou até menos

      • Edson Fernandes

        Bem… quem já andou nos dois sabe que mesmo com cambio de 4 marchas, o HB20 anda MUITO mais, consegue ser um cambio mais suave e ligeiramente mais economico. E é isso que me assusta no Onix. Além disso, o que o Onix poderia citar de vantagem é no controlador de velocidade, mas perde em não ofertar direção com ajuste de profundidade que para mim ajuda bastante.

  • Thiago Sz

    Putz, tem algo errado aí, esse prisma com mesmo consumo do meu Accord V6 240cv.

    • radiobrasil

      Errado nada… o que esperar um motor jurássico, utilizado num projeto de baixo custo pra vender com altos lucros? rss

      • Thiago Sz

        Outro exemplo é o Vectra GTX eu tinha um modelo 140cv fazia 9 cidade e 14 estrada. Meu irmão tem um Cruze que anda menos, mais pesado e faz 8/12. Poxa vida, esse ecotec 1.8 nem se compra com os 1.8 Honda / Toyota, é manco e bebe muito. O 2.0 o pessoal gosta de zoar de jurássico mas eu gostava daquele motor, era melhor o 2.0 equipar o cruze do o ecotec.

    • Bruno Wendel Marcolino

      Parabens pelo seu Accord. Sempre procuro um a venda mas é dificil :/

  • Vitorugo V.

    Belo relato Joel!
    Mas esse consumo aí tá bem elevado mesmo. Meu gol g5 power chegava a fazer 11 km/l com alcool na rodovia e 7,5 km/l na cidade.

    Tirando o consumo e o banco muito alto (deveria haver uma maior variação na regulagem da altura), o carro é excelente!

    • Joel Oliveira

      Concordo, a expectativa é que melhore conforme for andando mais.
      Há até perdão para o banco alto no meu caso. Os três motoristas não passam de 1,80m.

      • Vitorugo V.

        Pois é.
        Quando eu entrei em um num concessionária, regulei o banco no mais baixo e ainda assim encostava o topete no teto.

  • StationW

    O consumo do 1.4 que vc passou foi medido pelo computador de bordo?

    • Joel Oliveira

      Foi, ainda não houve tempo pra fazer medição “por fora”. Mas não deve mudar muito, ainda mais que minha tia usa muito o etanol.

  • Fábio Henrique

    Não acredito que a GM ainda não corrigiu esse óleo escorrendo das maçanetas!

    • Joel Oliveira

      Não corrigiu mesmo e parece interminável.

    • Bruno Wendel Marcolino

      parece piada mas é verdade….

  • Jefferson A.

    Esse consumo de 12km/l rodoviário é comum para um 1,0?? achei muito estranho um carro 1,0 fazer menos que um de maior cilindrada

  • Tenho um Prisma 1.4 LTZ Automático. Faz 7.1 km/l na cidade. E odeio o escalonamento do câmbio (o carro parece sempre preso, principalmente em baixas rotações, o câmbio segura muito). Sem contar os coices que o câmbio dá em saídas de lombada enquanto o motor está “frio”.

    Também acho curioso o vidro da frente (para-brisa) ficar embaçado por fora (pois é, acreditem se quiser).

    • Joel Oliveira

      Realmente, aconteceu isso mesmo, de embaçar por fora. Sorte que o desembaçador é bem rápido!

    • Mr. On The Road 77

      Embaça por fora quando você liga o ar? Se sim, é apenas a saída de ar jogando ar frio no parabrisas.

      • Edson Fernandes

        Por fora???? eu nunca vi isso na minha vida!

    • Leonardo Balieiro

      Meu Deus…

    • Marcos Souza

      todos os meus carros embaçavam o parabrisa por fora quando passava por um nevoeiro ou algo assim…
      o escalonamento do cambio vc diz, q demora pra aumentar a velocidade?não seria por causa do conversor de torque?o problema é que esse motor é muito pequeno pra usar um cambio automatico…o conversor de torque rouba toda a potencia em baixa rotação…e em alta rotação o motor fica fraco pq é 8v.

      • Não, não tem nevoeiro aqui no interior de SP: se choveu por alguns minutos e parou, o para brisa ficará embaçado do lado de fora. Pode procurar que esse sintoma é comum no novo Prisma.

        Quanto ao câmbio, parece que eles encurtaram muito as primeiras marchas. Provavelmente pelo motivo que você citou (ser um motor de pouco torque e potência pra um câmbo AT).

      • Edson Fernandes

        Estranho, o conversor auxilia na atuação de extração de potencia perdendo para as rodas…

        Ou seja, vc deveria sentir um aumento de rotação (exemplo: Acelerou 20% do pedal ele sobe 1000rpm, acelerou 70% ele sobe 1800rpm e “trava” na atuaçao do conversor, mas faz a velocidade subir e assim que sobe a velocidade o giro vai junto).

  • Bruno Sousa

    Só um adendo: não sei se o autor do texto já andou em outros automáticos mas o câmbio deste não é tão excelente assim no carro da minha mãe: a primeira marcha é demasiadamente curta. Então, toda vez que o carro parte do repouso a primeira marcha é trocada pela segunda muito rápido, é como se o câmbio fosse de 5,5 marchas e ao invés de terem colocado uma 6ª marcha mais longa colocaram uma mini 1ª, que parece uma 0,5ª marcha.

    Aí tem gente que não se incomoda, e tem gente que acha estranho (assim como meu pai). O ponto ruim é que, por isso, só existem dois modos de sair bem com o carro no modo drive: ou soca o pé no fundo pra sair bem rápido ou dirija bem devagar sempre, pois essa troca prematura da primeira marcha deixa impossível um meio termo que não incomode.

    O modo manual é excelente, mas aí já fica contraditório usar o modo manual sempre que for arrancar.

  • Antonio Pacheco

    O relato é interessante, só estranhei o fato do autor insistir em tentar adivinhar o consumo pelas barrinhas do painel. Como já citaram, o consumo se mede completando o tanque e dividindo pelos litros que couberam. Verificar pelo marcador do painel é puro chutômetro. Já o computador de bordo geralmente é bem confiável, e por isso, o espanto: o 1.4 automático fez só 7,1 km/l de álcool na estrada? É isso mesmo?

    • Joel Oliveira

      Não, as medições (em números) que apresentei foram justamente feitas testando os litros de combustível pela quilometragem percorrida, e nas condições apresentadas (percurso misto). Comentei o caso das barrinhas do marcador justamente pra ilustrar a minha desconfiança de que ele é progamado para se conter quando o tanque está cheio e trabalhar depois que tiver menos de meio tanque.

      O 1.4 sim, só fez 7.1km/l, mas como frisei, estava muito carregado de malas, com todos os passageiros, ar condicionado sempre ligado e eu não andava a 120km/h em média

      • Antonio Pacheco

        Entendi. No texto ficou parecendo que você estava fazendo as médias pelo marcador. Porque como já disseram a maioria dos marcadores, seja digital ou analógico, são programados para demorar descer na primeira metade, e depois despencam na segunda metade.

  • thi

    Carro com motor velho …muito beberrão . NUNCA compro uma bomba dessas . sem falar q não he seguro ,ninguém sabe qts estrelas em colisões . o ka+ fui no face da Ford e só vejo reclamações,carros sem qualidade ,o voyage da VW já já muda he mais apertado, seu projeto está entregando a idade etc,fiat essa eu passo..estamos sem opções !

    • Leonardo Balieiro

      Infelizmente é o HB20s. O Logan também não é ruim.

      • Bruno Wendel Marcolino

        o Versa também é ótima opção.

    • Joel Oliveira

      3 estrelas para o Onix no crashtest da Latin. Foi veiculado recentemente que a GM estaria fazendo modificações de melhoramento nos carros que usam essa plataforma GAMMa II agora em 2015. Sem contar que não foi atoa que ela passou a disponibilizar de série o aviso de cinto de segurança. Quer mais estrelas.

      Agora é esperar pra ver se ONix, Prisma e Cia repetem o feito dos carros que fizeram novo teste (Hb20 e Eco, se não me engano) e melhoram a segurança.

      • thi

        O pequeno up! Consegui, pq ela não pode com um carro maior.anda mudar TB o motor .

  • Wagner Lopes

    Cara, só um conselho, paixão em excesso acaba cegando!

  • Lucas Kopereck

    Chevrolet adora um posto de combustível,em novembro passado trocamos o nosso Agile LTZ 10/11,por um Ka+ SEL 14/15,o Agile com ar ligado ficava igual a 1.0,já o Ka+ 1.5 nem sente o peso do ar ligado,sem contar que anda muito mais e consome menos combustível do que o Agile,na cidade está fazendo 11km/l com gasolina e na estrada em uma viagem de 600 km,ele fez 16,3 km/l,em 2018 se a Chevrolet já tiver com novos motores modernos e econômicos,podemos voltar a entrar em suas css rsrsrsrs.

  • Fabio Marquez

    Eu acho o Prisma muito sem graça, não sei porque, mas tinha a mesma sensação como o Classic. Aqui na minha cidade o Prisma é o novo carro do pai de família de classe média (a famigerada família tradicional brasileira…kkkkk), tem eles por todos os cantos, substituindo o velho Corsa Sedan/Classic de guerra.

    • Deivid

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • Minerius Valioso

    Sinceramente não considero, e nunca considerarei uma boa compra um carro pesadão e com motor 1,0 litro. O que dizer desse alto consumo, como se fosse um motor muito maior…

    • Felippe

      concordo com voce Minerius Valioso , até a Outlander V6 aqui de casa faz médias muito melhores que esses Prisma do relato

      • Marcos Souza

        mas o que pesa nesse caso são outros fatores e não só o consumo…como por exemplo a manutenção, a outlander v6 vai sair muito mais cara uma simples revisão, o seguro nem se compara, isso sem contar o valor do veiculo em si.
        claro que quanto mais dinheiro vc tem, vc pode comprar um carro mais caro e moderno e mais economico no consumo…mas se fizer uma média de quanto o seu carro gasta por km rodado colocando na conta as revisões e as peças trocadas junto com o consumo, sai elas por elas…

        • Felippe

          vdd a manutenção dela sai um pouco mais caro, mas só o consumo monstruoso desse motorzinho 1.4 e do 1.0 do prisma já equipara os gastos com a Mitsubish, sem falar no desempenho e conforto q sao incomparáveis kkkk

  • Mateus Corrêa Maraschi

    Cara, a onde isso é um consumo bom pra um 1.0? Tenho um corolla 1.8 AUTOMATICO Seg ano 2004, paguei 27mil, utilizando gasolina aditivada faz 9,5 10km/l na cidade!!!! Final do ano passado fiz uma viajem para o paraná/argentina 800km, sempre utilizando aditivada fez 16,1km/l carro 1.0 pra quem pensa em consumo, é furada! Mas analisando o relato eu iria com o KA+. Obs: Sai de um fox route 1.6 2010 pra um corolla 2004, com 200 mil km, estou a um ano e meio com o carro, até agora, somente troca de óleo, pneu e pastilhas de freio!

    • Ernesto

      E depois os que nunca tiveram Corolla vão dizer que é tudo só propaganda sobre as qualidades desse carro…

    • Bruno Wendel Marcolino

      Esse motor e cambio é o mesmo da Fielder né?

      Ainda terei uma Fielder :D:D:D

    • thi

      Por isso amo meu polo 1.6 …11km/l…esses carros da são um lixo.

  • Leonardo Balieiro

    Eu iria de Ka+ ou HB20s…

    • thi

      Vá lá no face da ford e com certeza VC não iria de ka+

  • André Maia

    Achei muito Gastão, no Alcool eu quase choro se meu carro fizer menos de 10kml com ar.
    como exemplo, minha última medição eu fiz 720 km com um tanque de Grid e achei muito bom.

    • Joseph Frederico

      Alcool na minha cidade não compensa. Muito caro e consome muito rápido. E pra quem anda de carro 2.0 jurassico mais ainda

      • André Maia

        Aqui o Alcool tá R$ 1,84 a 1,89 e a gasolina 3,29 então tá valendo a pena usar álcool.

  • Joseph Frederico

    Sendo sincero. Que consumo é esse. Meu pai tá cogitando em vender o Astra e comprar um 1.0 como segundo carro. Mas com tudo o que vejo no nosso mercado, com carros caros e defasados[50 mil em um UP!], prefiro ficar com o Astrinha 2.0 2010/2010 com seus 146 mil Km rodados que foi avaliado pela concessionária por 16 mil. O vendedor me apresentou o Onix LS e LT – Carro bonito por dentro apesar do interior de plastico duro, diferente no Astra que é Soft Touch. Se for vontade dele trocar por um carro 0KM acredito que será um Voyage 1.0 com I-trend. Ah sobre o consumo do Astra, está fazendo 8km/L, andando devagar.

    • andre oliveira

      O Astra foi o melhor carro da GM feito aqui, na minha opinião.

      • Joseph Frederico

        Pois é André, o Astra foi um ótimo custo beneficio na época 48 mil completo, exceto pelo cambio automático. Tô querendo ficar com ele. Tive a felicidade de nascer numa família que detesta 1.0 kkkk
        Mas os tempos tão querendo mudar com a gasolina a 3,09

        • andre oliveira

          Consumo é muito relativo, muitas variáveis.Eu mesmo consigo fazer as mé dias com um Cruze LT A/T o que fazia com um Corsa Sedan 1.8, que era mais econômico que a Idea 1.4 do meu sogro e um Fox 1.0 do meu primo.

        • Bruno Wendel Marcolino

          Olha, se fosse você olharia para outras marcas, eu particularmente tenho um PUG 207 1.4 e é super econômico, faz médias bem melhores que o Fox 1.0 que eu tinha. Sei também que o 1.6 da PUG é bem econômico também.

  • Edgar Afonso Corregliano de Ol

    Relato hilário, pra não dizer tosco.
    Medição de consum: “Rodo 350km, dando a entender que faz 6,4″, bebe mais que minha família inteira, meu pálio 1.0 16v 2002, uma bosta de carro, velho, motor ruim, na cidade faço 11km/l na gasosa, tudo bem o prisma tava no alcool, mas na gasosa o consumo não dobra, melhora uns 30%, isso com motor novo, imagina com 100mil km.
    Medição de desempenho: ” De terceira marcha chego a 52 por hora”, medição de desempenho é de 0-100, retomada de 40-80 em quarta, isso é medir desempenho. Um Opala de 3 marchas chega a 150 em 3a, nem por isso é mais potente que um Hyundai Azera que chega a 150 em 4a, 5a ou 6a dependendo do giro.
    Revisão: 4x de 49, meu amigo, se tem carro novo, não tem menos de 200 pra pagar a vista. Meu deus. Se bater o carro então, vai fazer um financiamento em 60x pra consertar.

    • joel

      Meu caro, a avaliação enviada ao NA não foi avaliação jornalística da QR, AE, Car and Driver, mas a percepção de motorista, que lida diariamente com o carro e tem suas impressões, logo bem diiferente das avaliações “profissionais”, que são técnicas.
      A medição do consumo foi feita da forma convencional e foram esses os resultados encontrados, levando em consideração o percurso ser misto, o carro servir a 3 motoristas diferentes e o motor ter menos de 10mil km rodados.
      Por alguma razão, como bem frisei, os resultados ainda não estão estáveis. Hoje, por exemplo, em nova aferição o consumo na gasolina passou para 9,31km/l, ante os 8.86km/l anteriores. Alto ainda, mas vem melhorando e a cada dia tenho mais certeza de que hábitos simples podem ajudar, a começar pela calibração dos pneus.

      Quanto a “medição do desempenho”, acredito que “Desempenho” signifique o modo com algo ou alguém se comporta levando em consideração a eficiência e o rendimento, meu caro. Isso não foi feito na minha avaliação?
      É muito mais interessante do ponto de vista prático e até pela natureza da matéria, “testar a elasticidade” do motor, vendo qual velocidade ele alcança em dado giro e de que forma ele faz isso, se grita, se demora, etc, principalmente a 3.000 rpm, rotação bem usual. E poderia ser feito em qualquer outra marcha, porque a avaliação é mesmo a chance do motorista expor suas impressões do carro e assim, ajudar quem pretende comprar um igual ou compará-lo a outro de interesse. Inclusive, algumas
      pessoas perguntaram como se comportava o 1.4 a 120km/h, se observar.
      Há uma melhora significativa na própria motorização GM 1.0, pois o SPE/4 em relação ao VHCE, consegue ir além na velocidade final real, mesmo praticamente “empatado” nos dados técnicos.
      A avaliação do 0-100km/h testa o desempenho, e tem sua serventia, mas tem mais utilidade técnica, afinal é feita com trocas de marcha durante o corte do giro do
      motor, algo extremamente evitado por boa parte dos motoristas de carros populares na vida real. Não há necessidade disso, por exemplo, na cidade.

      Quanto ao seu comentário final, o fato de qualquer cliente parcelar a revisão e andar de carro zero não signifca, diferente do que fez parecer entender o amigo, ausência de dinheiro, pelo contrário, existência de crédito, afinal a operadora de cartão paga
      instantaneamente também. Enfim, por acaso quem pode o mais (comprar o carro) não pode o menos (custeá-lo)? “Ninguém” compra carro como investimento, mas porque pode custear, independente da forma de pagamento que faz isso. Inclusive, quem paga 4xR$ 49,00 paga o mesmo valor de quem vá pagar à vista.

      4xR$ 49,00 é o valor programado da GM.

  • Douglas

    O maior problema que vejo no Onix e Prisma é o banco que mesmo regulado na altura mínima ainda fica alto.
    Termina sendo um péssimo carro para quem tem mais de 1,8 metro de altura.
    O Agile era bem melhor nisso.

    • Bruno Wendel Marcolino

      é a famosa moda de dirigir alto…está indo até para os sedãs :X

    • Cesar Mora

      Andei muito pouco dirigindo o Onix, mas mesmo sentindo ele menor que o Agile e tendo 1.86m o Agile me incomodou demais por conta da caixa de roda que invade muito, deixando a perna esquerda muito apertada…

  • Daniel

    Pelo texto, fiquei com a impressão que o autor não sabe calcular direito a média de consumo: abastecimentos parciais, considerando o marcador (que é impreciso), misturando combustiveis…

    É um processo simples, mas muita gente se confunde. A referencia deve ser sempre entre 2 tanques cheios. Ou seja, completa o tanque (até o primeiro destravamento automatico da bomba do posto, sem misturar combustiveis), depois zere o hodometro parcial (ou anote a km caso esteja usando o hodometro para marcar outra coisa). Use o carro normalmente. A proxima vez que parar no posto, complete novamente o tanque (até o destravamento… blablabla), anote quantos litros foram para dentro do tanque, agora só dividir o valor do hodometro (caso tenha zerado, caso não, só calcular a diferença entre a km anotada anteriormente) pela quantidade de litros.
    Exemplo:
    – Tanque cheio de gasolina, hodometro zerado;
    – pego estrada feliz da vida…;
    – tanque vazio, hora de abastecer;
    – tanque cheio novamente, entrou 40litros;
    – checo a km no hodometro parcial: 480km;
    – pego a HP e divido 480km/40L = 12km/L
    :)

    • Felipe S. Rangel

      Bom relato! Só discordo em relação ao comportamento do câmbio. Havia feito e submetido minha avaliação sobre meu Ônix ao Eber. Em breve ele posta.

    • Joel Oliveira

      Mencionei o marcador para ilustrar a minha impressão de que ele tem alguma programação para dar a sensação de economia quando o tanque está cheio, amigo.

      Não houve mistura de combustível. Reconheço que houve medição parcial, mas a média de 350km citada no começo do tópico Consumo foi feita apenas com etanol e tanque completo. Por aqui, de dezembro até abril era mais vantajoso abastecer com etanol e
      assim fazíamos apenas e, conseguia essa média ridícula de 6.3 a 6,4km/l (não sei como está hoje, já que está amaciando, pelo visto).
      As demais medições (mais recentes) foram feitas com gasolina comum e para nossa surpresa (3 motoristas) a última, abastecendo o tanque quase por completo, com 38,36litros, ele rodou 340km (usando quase nada da reserva) e fez 8,86km/l.

      Espero que as médias melhores, mas sinceramente, servindo a 3 “Senhores” diferentes, num lugar que implora o uso de ar condicionado, com percurso sempre misto, dificilmente o SPE/4 1.0, com a idade que tem, vai fazer milagres.

      O 1.4, veremos ainda.

      • Daniel

        Tem alguma coisa errada por ai… dos GM F1 aqui de casa, todos foram economicos, desde o 1.0MPFI de 60cv (12/16 cid/estr na gasolina) passando pelo VHC 1.0 flex (10/12 cid/estr sempre com alcool – nunca viu gasolina) depois 2 1.4 Econo.flex no Corsa fazendo 10/12 c/e com alcool e 12/17 c/e na gasolina. 2 Meriva 1.8 (uma manual e outra easytronic) fazendo 8/10 c/e com etanol e 10/13 com gasolina. E atualmente uma Meriva 1.4 que faz 8/10 com alcool e 9/12 com gasolina (sim, a 1.8 era mais economica com gasolina) – E olha que aqui em casa é tudo pé de chumbo!

        Pra ter uma ideia hoje, com um C4 2.0 automatico meu consumo é 8/10 com gasolina e 6/8 com etanol. (e olha que o 2.0 16V 151pocotós peeeeede pra andar! e eu não deixo ele na vontade)

  • André Luiz De Faveri

    Amigo, no primas auto qual a rotação de trabalho do motor a 120km/h?

    • Joel Oliveira

      Não me recordo com exatidão a rotação na sexta marcha (quando o motor descansa mesmo), e vou ficar lhe devendo, mas num video que fiz (não foi publicado, infelizmente) esticando a 5ª pra pegar velocidade, ele aparece a 106km/h com 2.700rpm. Depois, a 125km/h com 4.400rpm (+-). Com 152km/h, ainda esticando a 5ª, ele trabalha a 5.100rpm (+-). Quando a 6ª chega, essa rotação cai, mas não drasticamente, digamos. Se pisar, sobe fácil, mas dá pra manter se for mais controlado.

      No 1.0, a 100km/h o giro está de 2900 a 3000rpm.

      Ah, o isolamento não deixa os ruidos invadirem a cabine.

      • André Luiz De Faveri

        Ok, acredito que não deve ultrapassar a casa dos 3500rpm.

  • Luis Carlos

    Entrei uma vez no fit e achei o acabamento do celta super muito melhor.

  • Guilherme Rezende

    Prisma é um bom carro,mas muito caro pelo o que oferece,motor ultrapassado e espaço interno menor que a maioria dos concorrentes(só ganha do Voyage).Pelo preço de um Prisma,iria de Etios,que apesar de ser bem mais feio,é mais carro.

    • Ernesto

      E o Etios, com certeza, é mais econômico.

  • Pedro Gonçalves

    Tenho um Onix 1.4 MT, com pouco mais de 69 mil km rodados. Recentemente fiz uma viagem de mais de 600km com 5 pessoas e muita bagagem (até no teto, já que o porta-malas é minúsculo). Uma coisa que percebi nele ao longo desse tempo é a enorme diferença entre usar etanol e gasolina. Com o derivado da cana, ele fica ajustado para performance em detrimento do consumo. Mesmo com o carro pesadíssimo, andou muito bem, mantendo velocidades de 110-120km/h de 5ª mesmo em subidas consideráveis. Mas o consumo ficou em torno dos 10km/L.

    Já com o derivado de petróleo, o motor fica manco, mas o ajuste é voltado para economia. Já fui de BH a São Paulo com 4 pessoas no carro e porta-malas cheio, ar condicionado ligado 100% do tempo, com 2/3 de um tanque de gasolina (a medição na bomba deu 16km/L cravados). Porém qualquer subidinha já pedia redução de marcha.

    Estou com o carro há quase 3 anos, e acho uma boa opção na categoria dele. Mas, obviamente, não dá para comparar com carro de categorias superiores. Na época que o peguei (final de 2012, recém-lançado), o custo x benefício era imbatível (atualmente está bem pior). Não tinha tido problemas com ele até então, só manutenção preventiva (só a embreagem que durou pouco, troquei com 63 mil km – no teste de longa duração da 4R, o disco chegou aos 60 mil no limite mínimo de espessura, mesmo com uso majoritário em rodovias, então imagino que seja uma característica do modelo, e não mau uso de minha parte). Os amortecedores ainda estão íntegros, mesmo rodando em vias esburacadas frequentemente. Semana passada o ar condicionado e o limpador traseiro pararam de funcionar, levei na autorizada e diagnosticaram um defeito na BCM (vulgo “módulo de conforto”). Solicitaram uma nova em garantia e agora estou no aguardo da chegada da peça para levar o carro lá novamente.

    • joel

      Também noto uma diminuição tamanha no desempenho do 1.4 quando está com gasolina.

  • Fernando S.

    Boa tarde, colegas. Como fazemos para poder enviar esses relatos para o site?

  • Elvis

    Olá Joel.
    Muito bom e interessante seu texto sobre os Prismas.
    Pretendo comprar um Onix, e talvez seja 1.0.
    Então te pergunto com relação ao desempenho, o Prima/Onix 1.0, por conta da carroceria maior, deixa muito a desejar se comparado ao antigo Classic, ou mesmo ao Uno por exemplo?
    Outra coisa, o consumo tem melhorado depois de amaciar o motor?
    Abraços.

  • Elvis

    Prezado Joel, só mais um detalhe.
    Vi alguns comentários idiotas por aqui, e queria falar algo mais.
    Achei seus comentários muito úteis, justos e construtivos, PRINCIPALMENTE para que usa o carro na vida real. Realmente não interessa-nos saber sobre usos extremos ou testes profissionais. O que vale é o uso real, e seu relato me ajudou demais na escolha entre (Ka X Onix).
    Por isso não se importe com comentários estúpidos, suas informações foram ótimas e me serviram muito.
    Obrigado!

  • kindereco

    RIDICULO GM RIDICULA PATROCINANDO O CRIME, LADRÃO LEVOU MEU CARRO EM 15MIN
    reinaldo – kindereco@bol.com.br

  • DANIEL DFC

    Puxa cara, você fez um livro, tive sorte de comprar um Advantage em Salvador pelo preço do Lt, o carro tá com 17 mil KM e parece que acabei de tirar da loja, continua confortável e não apareceu nenhum barulho, não me arrependi por não ter comprado o kA+ ou o HB20 S, já é o meu segundo carro da GM, eles se vendem sozinhos, esta é a vantagem da marca.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend