Usado da semana

Carro da semana, opinião do dono: Hyundai HB20S 1.6 Comfort Plus 2015

Carro da semana, opinião do dono: Hyundai HB20S 1.6 Comfort Plus 2015

Há um ano relatei no NA minha busca por trocar de carro e levar outro 0 km pra casa. Estavam sendo vendidas as últimas unidades com IPI reduzido, e minha escolha final, como dizia, ficou entre um Etios Hatch 1.5 XS e um Hyundai HB20S 1.6 Confort Plus por uns R$ 10 mil a mais.


Levei pra casa a segunda opção, sem arrependimento até então. Venho hoje dar minha opinião sobre o carro, considerando também o meu anterior: um VW Gol G4 2013, que é bem mais modesto, mas traz saudades em alguns momentos.

A linha HB20 se destaca primeiramente no estilo, que costuma agradar ao público em geral. Meu pai chegou a perguntar se era importado, mas não é, e por isso o número de concessionárias é bom.

Os atendentes são simpáticos e prestativos, mas a loja e assistências são burocráticas com os horários. Apesar disso, foi melhor (e muito) que a concessionária Volks. Enquanto escrevia esse texto, me ligaram para agendar a revisão, o que não tive em nenhuma das duas revisões do meu antigo carro.


Carro da semana, opinião do dono: Hyundai HB20S 1.6 Comfort Plus 2015

Apesar disso, no primeiro problema mecânico que tive (e único até então), essa boa impressão sofreu uma queda: a quebra do reservatório do fluido de freio gerou estresse, e precisei ameaçar ir ao Procon para ver o problema resolvido.

Ao todo, foram oito dias sem o carro, por uma peça que o próprio consultor alegou ser fácil conseguir. Ao final, problema solucionado.

A HMB oferece (ou oferecia na época) um carro reserva no caso de manutenção no HB20 no primeiro ano. Diferencial positivo, fruto de uma parceria entre Hyundai do Brasil com a locadora Movida, pouco conhecida, mas que também apresentou um bom trabalho.

Carro da semana, opinião do dono: Hyundai HB20S 1.6 Comfort Plus 2015

Porém o processo para conseguir esse carro foi demorado. A Hyundai veio pegar meu carro em casa, eu tive que ir até a locadora para retirar outro modelo. Demorei três dias para conseguir um Logan.

Na primeira revisão, feita poucos dias antes dessa publicação, a Hyundai Bari, onde também fiz a compra do carro, foi muito melhor que a concorrente da Volkswagen, em preço, tempo e atendimento.

Ao custo de R$ 185,00, contra os quase R$ 250,00 cobrados pela VW, a revisão completa foi feita em duas horas, comigo acompanhando o serviço do lado de dentro da concessionaria, sentado em um sofá, com ar condicionado, TV, cafezinho e muito conforto.

Carro da semana, opinião do dono: Hyundai HB20S 1.6 Comfort Plus 2015

Na Volks, foram quase três dias, não trocaram uma borracha de vedação do para-brisa dianteiro que havia solicitado, e o atendimento foi péssimo do começo ao fim, uma grande decepção.

Acredito que a maior reclamação que tenha sobre meu HB20S seja a pintura. Muito frágil, ela ganha uma “cicatriz” diferente a cada rodovia que cruza. A parte da grade pintada em preto está cheia de pequenas manchas brancas, onde um bom polimento não fez efeito.

O problema é relatado por outros proprietários também. É principalmente nesse ponto que citei meu velho Gol como um exemplo a ser seguido: 15 mil quilômetros rodados com ele e nenhum defeito na pintura.

Carro da semana, opinião do dono: Hyundai HB20S 1.6 Comfort Plus 2015

Um dos destaques positivos do HB20 (também compartilhado por outros donos) é o nível de ruído e vibração. O motor é mais silencioso e vibra menos do que de qualquer outro similar que tenha dirigido.

Em um momento de distração, por exemplo, deixei o motor “morrer” em um ponto movimentado da cidade e só percebi quando acelerei e o carro não foi. Em outro carro, vibração e som do motor desligando seriam perceptíveis, mesmo com o barulho do trânsito no lado de fora.

Por dentro, é agradável em quase tudo. Ele é menor que a maioria dos concorrentes, mas ainda assim tem bom espaço interno. O porta-malas também menor não deixa muito a desejar, mas falha com o sistema de fechamento por hastes articuladas.

Carro da semana, opinião do dono: Hyundai HB20S 1.6 Comfort Plus 2015

O painel é de bom gosto, bonito e funcional. Não é difícil se entender com as dezenas de funções, a não ser o Bluetooth, que não conecta fácil.

Traz porta-malas com dispositivo antissequestro, comando de som e de recebimento de ligações no volante e um painel com informações bem precisas. Incomoda a pequena quantidade de porta-trecos e a falta das alças-de-segurança, disponível apenas na versão topo de linha, segundo o vendedor.

O interior é bonito, como disse, mas a qualidade dos materiais usados me faz sentir saudades do Gol. As costuras dos bancos desfiam com facilidade, os plásticos ganham riscos com pouco esforço, e qualquer mancha no estofado é fácil de surgir e quase impossível de sair.

Para o padrão do segmento, é bastante confortável. Tem um rodar mais macio que outros da categoria que tive a oportunidade de dirigir, como Logan, Etios Sedan, Ka+ e Voyage, todos 1.5 ou 1.6.

Bem acertado em ajustes de altura e profundidade dos bancos. O câmbio manual é curto e tem troca precisa. Eficaz no desempenho, bom de frenagem e melhor de potência e aceleração que maior parte dos rivais, não me faz sentir falta da sexta marcha colocada no modelo 2016.

Juntando isso à boa aerodinâmica, se torna agradável de dirigir. Ao mesmo tempo, é bastante econômico, chegando a superar os 17 km/l na estrada e os 12 km/l na cidade.

Pois bem, se indico ele pra quem pensa em comprar um? Sim. As qualidades do carro e do atendimento pós-venda são inegáveis e se você gosta dos pontos que elogiei, não vai se arrepender.

Se eu trocaria meu HB20S por outro? Não. Mas digo isso mais pela vontade de conhecer a concorrência do que pelas poucas decepções que tive. No geral, é um bom carro. Ele oferece tudo que se busca em um compacto nacional, e tudo o que se acha na maioria.

Se você estiver pensando em comprar algum desse segmento, vai com certeza pensar nele. Como se diz, ele agrada “à anjos e demônios”. Enfim, de todas as problemáticas, o Hyundai HB20S é bem resolvido.

Por Gilberto Belin.

Carro da semana, opinião do dono: Hyundai HB20S 1.6 Comfort Plus 2015
Nota média 5 de 1 votos

161 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

    • Olha, estou com um Gol MSI 1.6 14/14 cedido.

      Serio, o acabamento e padrão dos materiais é de dar pena.

      O motor puxa bem, o consumo é bastante adequado mas é só dirigir o carro por um dia que você invariavelmente se sente de volta a década de 90..

    • Olha, estou com um Gol MSI 1.6 14/14 cedido.

      Serio, o acabamento e padrão dos materiais é de dar pena.

      O motor puxa bem, o consumo é bastante adequado mas é só dirigir o carro por um dia que você invariavelmente se sente de volta a década de 90..

  • Parabéns pelo carro e pelo relato. O HB20 não é excelente em nada, mas no geral leva vantagem sobre os outros concorrentes da faixa de preço, em especial nas versões 1.0L. O Que anda assustando é o elevado custo da apólice de seguro aqui em SP, o que indica que o carro está virando o queridinho até do “amigo do alheio” também…

    Uma pergunta: O acabamento é tão ruim assim? a ponto de ficar abaixo do Gol G4 (o pior gol já fabricado, na minha opinião)?…

    • Pior que tive a mesma impressão com o HB20. O tecido dos bancos é bem ruim, e os plásticos parecem de qulidade inferior aos concorrentes também. Junte a isso o painel (bem feinho), e dá a impressão do interior não está à altura do exterior. Uma pena, considerando o que o carro custa.

      • O painel do HB20S é considerado bonito pela maioria. Quanto ao tecido dos bancos, melhora nas versões Style e Premium (tenho um Premium há dois anos e 4 meses, sem nenhum fio solto e tecido muito bom).

        Sobre o aspecto visual dos plásticos, é muito mais bonito que a média da categoria… Etios, Palio e Gol mesmo tem um aspecto bem empobrecido ante o do HB20S, ainda que o do coreano risque facilmente (não ocorre comigo).

        • Comparando com estes eu concordo Dimithri. Eu me referia na realidade ao que é ofertado na faixa de preço do HB20S especificamente (mas nesses tempos de Voyage a 60 mil, ok, você está certo). O estofamento soltando fios eu mesmo presenciei no carro de um colega (e ele nao tem cachorro, embora tenha um filho pequeno). Dito isso, eu ainda considero uma boa compra e um carro superior à maioria dos concorrentes sim. Foi uma evoluçao no mercado sem dúvida.

        • Discordo. Prefiro o acabamento do meu Palio (modelo novo diga-se de passagem, não o Fire…). Inclusive no que concerne à qualidade dos plásticos, diferença de tonalidades etc.

    • Quando entrei pela primeira vez no de minha mãe, até gostei da padronagem, mas não do material dos bancos; creio que a HMB poderia melhorar esse aspecto mesmo.

    • Olha, tive um HB20S do mesmo modelo que o dele só que um ano mais antigo. Não sei de onde ele tirou essa do acabamento. Opinião é muito pessoal , sabemos disso , mas sinceramente. Acabamento VW é um dos piores que tem. O HB20 é bem superior. Apesar da quantidade de plásticos eles são de melhor qualidade.

      Sobre o seguro. Cara, o sistema de alarme dele é precário. Só na versão top tem controle de perímetro e a sirene do alarme é facilmente acessada ao abrir o capô. No meu caso o cara abriu o carro , abriu o capô a arrancou o chicote do alarme sem problema. Na ccs, para consertar, só vendem o conjunto de chicote completo por “módicos” 1.100 reais.

      Vendi meu HB20S com 30.000 km e hoje tenho um New Fiesta.

      Como o amigo que redigiu o texto. Também não tenho interesse em voltar para Hyundai. O carro tem seus méritos , alguns defeitos mas a rede autorizada é horrorosa.

    • Toda opinião do dono mesma reclamação… Querem um cara de 18 anos falando do seu primeiro carro ou alguém experiente que já dirigiu vários carros ? O normal desde que não seja colecionador é vender um carro X e comprar um Y melhor que o anterior.

  • Lendo o texto, tenho por min que ele não sabe o carro que tem, se o espaço interno é o menor, como pode ser bom!!!! o cara deve ter 1,60m, ou seja, qualquer FIAT 500 para ele ta bom. O final é o melhor, se indica para alguém !!!! Claro que sim, ele sente saudades do Gol g4, qualquer coisa que ele comprar está otimo, afinal ele não avalia carro, ele apenas o usa por um pequeno tempo e KM. Ainda virá o tempo, caso ele fique com o carro, de ver a falta de peças, a suspenção dura, e etc. no mais valeu por escrever para o NA.

    • Mas isso é o curioso. Ele disse que ele é mais macio que alguns modelos e de longe, o Etios é bem mais macio que o HB20S.

      Isso me chamou atenção. Podem falar bem mal de tudo do Etios, mas a parte de rodagem do carro é realmente muito boa.

      Ele é um dos poucos compactos onde o rodar é macio porém estável.

        • Fala mal? Bem, não é criticar a toa ok?
          Mas não gostie dos bancos… são curtos e estreitos, o painel obviamente, a montagem do material plastico que qdo vc pressiona um botão ou mexe em haste ele “amassa” junto.

          Mas ele tem muitos aspectos positivos: Rodar confortavel, motor esperto (1.3 e 1.5), cambio razoavel, boa frenagem e embreagem macia.

          Porém aquela saida de ar para o passageiro, falta de porta objetos, entre outros detalhes como a beleza do carro, me incomodam. E hoje o preço dele não é uma pechincha e nas versões de entrada ele é pobre de equipamentos. Além do que, ele perigosamente assume preço proximo de compacto premium o que eu faço ele ser eliminado pelos adjetivos desses modelos.

        • Concordo. O problema é que as versões de entrada ficaram bem caras. E entãopor isso ele não ao menos para mim, vale por tudo (que deixa) que oferece.

        • Esse posto era do Velho Logan ( e não estou falando da serie da Marvel sobre o Wolverine)rs.
          Mas aí a Renault fez o upgrade para o modelo novo e agora não tenho criticas à fazer.
          Ok, vá lá, o motor não rende aquela cavalaria toda que o Marketing adora explorar, mas convenhamos, o motor tem um torque danado.

      • Nunca dirigi, sequer andei em um, tenho essa curiosidade sobre o Ethios já que quanto tentei conhecer o carro a Toyota quase me expulsou da Loja! kkkkk

    • Também me espantei quando li, mas pensando bem nao é tao absurdo em relação a alguns detalhes. Exemplo, tecido do banco começar a desfiar. Isso é muito brochante num carro novo, dessa faixa de preço. O Golzinho é rústico, lógico, mas não solta pedaço também.

      • Acho que o problema dele foi isolado. Eu peso 115kg. Meu HB20 não teve problema algum no banco. Inclusive neste ponto dou nota 10 p ele. A espuma tinha boa densidade e me deixava bem confortável.

  • Obrigado por expor sua opinião e experiência. Curiosidade: por que chegou a ir ao Procon ? Não queria prestar assistência ? Se sim, o que alegavam ?

    Eu penso que a VW perde e muito nas suas vendas devido ao pós-venda. O atendimento após comprar o carro é essencial…

    • Minha experiência com a VW não foi nada má. Todas revisões a css tinha um carro para me levar até em casa (na época um polo), fizeram tudo que tinha que ser feito, se bem que o carro não deu problema, só tem que ficar esperto com os serviços adicionais, é bom imprimir a tabela de revisões e a levar junto.

      • Comigo aconteceu o mesmo. Sempre fui bem atendido. Tenho o gol g6 há uns 3 anos e meio, e nunca tive problemas nas revisões. Exceto esse fato que vc mencionou sobre inventarem serviço pra aumentar a fatura. Como eu sempre pedi apenas o que está no manual, nunca tive sustos nos valores, pois foi seguido o que está no site. O atendimento nas css varia mto de um lugar pra outro, infelizmente.

  • O HB20S vende, sobretudo, pelo desenho e pelo bom desempenho do motor 1.6, no mais é um carro caro, com acabamento na média (o painel eu acho muito feio. Em termos de desenho, o do Logan ganha na minha opinião, em contrapartida o Renault tem acabamento pior) e espaço interno bem fraco. Não justifica vender tanto assim. Nessa categoria, o Nissan Versa seria uma escolha melhor, mas claro que ele perde no argumento de compra mais forte: o desenho.

    • Mas vamos ser justos…. essa coisa de interior racional também é ruim. A versão do Versa de topo é uma coisa, os demais, é bem simplorio mesmo. Isso também afasta possiveis compradores.

      Tanto que, qdo o Cobalt tinha preço proximo, a escolha recaia em um produto com um motor pior para ter um interiro melhor.

      • Um caroneiro citou isso no versa SV do meu pai uma vez. “Nossa, o painel é simplesinho né!?!!”. Depois dos 300 km ele tinha esquecido o painel simplesinho e não parava de falar do espaço. Sei que cada um tem uma necessidade, eu sou mais do tipo racional. Seria uma beleza ter um versa melhor acabado, mas conforto está acima da estética em minha opinião!

        • Eu tbm concordo com isso. Tanto que tenho um Fluence, citado como carro “mico de mercado”.

          Até hoje, quem andou comigo só elogiou o rodar do carro e espaço interno. Isso sem contar as automatizações. Enfim, são opções dentro de um mercado. Eu gosto sim do interior do Cobalt frente ao Versa, mas eu poderia escolher um versa no lugar por outros motivos como por exemplo consumo de combustivel.

          E eu já disse em outros locais, mas teria um March se tivesse cambio CVT para rodar no dia a dia. (mas seria a versão SL que me agrada por ter ar digital e a central sem necessidade do meu celular para o uso por conta do waze)

      • O Versa/March eu achava terrível na primeira vez. Desde que perdeu as saídas de ar redondos (que eu acho de muito mal gosto em carros que não super esportivos) eu passei a gostar. Mas te digo pelo visual mesmo, já que o acabamento não dá para julgar apenas com a imagem dos paineis na cabeça. Versa e Logan ainda são mais bonitos que o elogiadíssimo painel do HB20, que, sinceramente, acho feio e simples demais.

        • É… nesse caso é gosto. Eu gosto de interiores como do seu 208. Limpo, moderno e bem resolvido.

          Se eu posso resumir sobre elogios, somente dizendo dessa forma.

          Mas como o mercado obviamente não tem como fugir do aspecto funcional, confesso que me agradam paineis de boa leitura como da VW. A Hyundai tem paineis ousados ainda que o velocimetro seja funcional, mas gosto do arranjo de iluminação que ajuda a visualizar melhor o painel.

              • gosto é assim mesmo meu amigo, não se justifica.
                Na minha opinião o único painel que faz frente ao do 208 e 2008 é o do honda civic, o resto é tudo a mesma coisa, muda detalhes.
                Ok, tem o do Ethios, mas esse não conta! kkkk

            • Hehehehehe e eu concordo. Ainda que eu goste tambem do Civic de geração anterior, eu acho todo o visual do 208 realmente belo.

              Eu só gostaria de um compacto automatico que fosse economico, o que está dificil de achar… rs (o new fiesta poderia ser a saida não fosse o powershift problematico)

                • Esse é o problema! Racionalmente falando, ele seria o carro com tudo que gostaria: Ar digital, motor acima de 1.0, cambio de dupla embreagem e ESP.

                  Só que infelizmente a Ford ferra com um produto de muito potencial. E olha que apesar de eu não ter gostado do espaço interno (para o condutor) do Fiesta, ele racionalmente me entregaria mais por menos.

                  Só que só optei “pelo andar de cima” porque a maioria dos modelos (senão a sua totalidade) dos automaticos / automatizados, tem um consumo bem mais baixo o que me fez pensar em um carro com bom conteudo de itens de série. Não fosse isso, gostaria de um compacto economico sem pedal de embreagem.

                  E olha que eu curto o 208 e gostaria de ter um GRiffe, mas diante do que citei em relação a consumo, preferi um médio.

    • Não gosto de duas coisas no interior do HB20: o detalhe azul no cluster e o posicionamento dos comandos do ar condicionado, não sei explicar mas é extranho. No exterior, não gosto da janelinha falsa do sedan. Podia ao menos ter adesivo fosco na moldura das portas (não só nas colunas), talvez disfarçasse mais.

  • Avaliação rapida essa.

    Percebe que algumas coisas no Gol dele ficaram latentes na experiencia. Só que na minha opinião de longe o Gol tem pior acabamento. O marido da irmã de minha esposa tem um HB20 “seleção”.

    Não tem comparação com os paineis do interior do HB20. O do HB20 apesar de realmente riscar com facilidade, é bem montado. Isso é o diferencial que pelo menos eu vejo no carro. Ele é bem montado e não há barulhos internos.

    Dito isso, fico eu imaginando quando esse pessoal ter vivencia com um modelo de porte médio ou maior. Interessante é infelizmente saber o quanto o cmabio de 4 marchas rouba potencia, mas principalmente… consumo.

    Pontos que posso dizer do HB20 é que ele é realmente mais durinho e menos que apenas o Gol e minha opinião. Eu teria um, mas gostaria da versõa com cambio de 6 marchas mas como até agora não tem um indicador de consumo perante os consumidores, vou esperar e quem sabe compre um usado.

    • Concordo contigo no que diz respeito a uma avaliação rápida. Pelo que entendemos o Gol foi trocado com 15 mil km. É muito pouco para concluir sobre um carro. É o mesmo que passar férias no exterior, certamente tu vai ficar com várias impressões do país, mas não será nada conclusivo, para comprovar (ou não) as impressões, será necessário ficar mais tempo. Tenho meu 208 há três anos e 35 mil km e ainda acho cedo para propor um relato conclusivo aqui no NA.

      • meu 208 tem 8 meses, tá com 11 mil km. kkkk

        Acho que seria legal separar a seção de opiniões de Donos entre conclusões sobre veiculo e primeiras impressões.

      • Mas às vezes dá para incluir o essencial na avaliação. Algumas coisas podem mudar com o passar do tempo e da quilometragem, mas que não influenciariam o relato de forma decisiva. Se tem pouca informação na internet sobre determinado carro, é bem interessante um relato que reúna essas e outras novas informações, mesmo que tenha rodado pouco. Pode ajudar muita gente que está interessada no carro, que não teria como tirar aquelas conclusões num simples test drive.

    • Citei lá em cima mas vou repetir.
      Estou a uma semana com um Gol 1.6 MSI 14/14 cedido.
      É de dar pena o nivel de acabamento e padrão de materias.

      Pra mim, parece absurda a comparação do autor do texto, em universo nenhum seria possível comparar nível de acabamento do HB20 com o Gol.
      Se ele dissesse que sentia falta da tocada, do cambio, da suspensão, vá lá, eu podia até entender.

  • Meu tio tem um HB20S 1.6, porém manual. Fiquei impressionado com o desempenho, sobra potência e torque. Em certos momentos, tem que dosar o acelerador para não cantar pneu demais. A título de comparação, como já comentei aqui no fórum várias vezes, em casa temos um Civic LXS 1.8 AT 14/14. E digo para vocês, sem medo de errar: o HB20 1.6 anda MUITO mais. Tudo bem que o câmbio automático da Honda não é dos melhores e nem dos mais modernos, mas isso não tira o mérito do modelo coreano. Com certeza está acima dos modelos da concorrência, principalmente do Voyage.

    • O motor do Civic também é de sofrer. Esses dias peguei um Uber que era um Civic, dá pra sentir o desespero do câmbio com a falta de potência do motor. O Civic tem 140cv, mas isso é lá em 6500rpm, o carro tem só 17,5kgfm de torque (em 5000rpm!!!), contra 16,5 do HB20. Como comparação, um Corolla 2.0 tem 20,3 e um Linea e-torq tem 19. Além disso, o Civic é 300 kg mais pesado que o HB20. Esqueçam os milagres, o HB20 tem um bom motor, mas o que faz ele andar é o baixo peso. Veja o caso do Sandero RS, o carro anda muito, mas esse motor não faz milagres nos outros carros da linha.

      • Tratando-se de Honda, torque nunca foi o ponto forte. Mas o câmbio automático rouba muita potência do Civic. Já dirigi um 14/14 também, porém manual de 6 marchas. O desempenho é muito diferente, principalmente em arrancadas, além do consumo ser bem melhor. Quanto ao HB20, com certeza o baixo peso é fundamental para o bom desempenho. Mas não podemos esquecer o mérito deste propulsor de 1,6 litro da Hyundai. 140cv e 16,5 kgfm de torque, não é pra qualquer motor dessa litragem.

          • 128cv divulgados pela Hyundai, porque já vi várias medições de dinamômetro chegarem à casa dos 135/140cv. Claro que se colocasse esse motor em um Civic, o carro iria se arrastar. É um bom motor para a categoria do HB20, tanto que proporciona desempenho para um sedã compacto, digno de sedã médio.

            • Não faz sentido a Hyndai informar que o motor tem 128 cv e na realidade ter 135/140cv. Se fosse como no passado, por exemplo com o Gol GT, em que a VW divulgava que ele tinha 99cv pois acima dos 100cv pagava-se mais impostos. Hoje, pelo que sei, o imposto é separado por tamanho de motor: 1.0, acima de 1.0 até 2.0 e acima de 2.0.

              • Então porque motivo quase todos os veículos, quando passados em dinamômetro, apresentam maior potência em relação a que é divulgada pela montadora? A diferença é ainda maior quando o motor é equipado com turbocompressor. Exemplo: os motores TSI da VW. Up! TSI, uma produção tupiniquim, até hoje não vi nenhuma medição que desse abaixo de 130cv. A montadora divulga 104cv.

    • Meio complicado comparar AT com MT, a sensação pode enganar muito por causa do conversor de torque. Aquela sensação de arrancada forte que a embreagem proporciona é anestesiada pelo conversor de torque.

      • Realmente é difícil comparar AT com MT, principalmente quando falamos de AT com conversor de torque e projeto mais antigo. Em alta o Civic rende bem, mas em baixa deixa um pouco a desejar. As trocas não são rápidas, mas são bem suaves. O câmbio é bem longo, quase 65 km/h em primeira marcha. Isso também dificulta um pouco o desempenho. Mas, como comentei abaixo, já dirigi um Civic do mesmo ano, porém manual. O desempenho é completamente diferente, inclusive nos números. Claro que tem um pouco do que você falou, da sensação de arrancada forte que a embreagem proporciona. Mas, mesmo assim, é notório o quanto o MT anda mais em relação ao AT, fora o consumo. Vale lembrar que no AT não temos launch control, então a arrancada é totalmente xoxa.

    • O HB20 pode até andar mais que o Civic, de saída, porém, de velocidade final, provavelmente o Civic bate o HB20. Mas concordo que o HB20 1.6 é um foguetinho. Peguei um de locadora em Maceió por uns dias e pude comprovar.

  • Bom relato! Tenho uma curiosidade sobre o HB20: a suspensão traseira realmente incomoda tanto quanto algumas pessoas comentam?

    Pergunto isso pois acho esse carro bem interessante, especialmente o hatch. Só que eu ando muito em esburacadas estradas de barro, e a impressão que tenho é que ele não aguentaria tão bem esse tipo de tratamento.

    Valeu!

  • Olha, estou com um Gol MSI 1.6 14/14 cedido.
    Serio, o acabamento e padrão dos materiais é de dar pena.

    O motor puxa bem, o consumo é bastante adequado mas é só dirigir o carro por um dia que você invariavelmente se sente de volta a década de 90.

  • A linha HB20 não vale o que custa. Caríssima. O padrão de atendimento no pós-venda é igual ao das outras marcas. Ou seja, eles te enchem de serviços desnecessários cobrados à parte, na famosa “empurroterapia”.

  • Cara, desculpe-me, mas você conseguir 17 km/l na estrada eu não acredito. Não dessa maneira como você informou, de uma maneira tão solta. Não disse qual a velocidade, se tava com ar ligado ou não.

    Eu não consigo fazer mais de 15 km/l com um 1.6 hatch com o ar ligado 50% do tempo andando entre 100~110.

    O carro tem um motor bom, realmente. Agora o consumo não é esse suprassumo não.

    • Mas em qual estrada? Numa Rodovia dos bandeirantes com 4/5 faixas consegue-se bons consumos.

      Há muitos Fiestas (New) conseguindo 17-18km/L aqui rodando a 120 km/h

    • Poxa, eu, a 100 km/h consigo 15,1 km/l com um HB20S 1.6 Automático, com Gasolina Grid, e pouco acima de 14 km/l na faixa de 110 km/h… com o hatch, mesmo automático, creio que conseguiria algo próximo de 16 km/l, e se fosse manual os 17 km/l.

      Vale lembrar que o consumo é variável de acordo com a forma como se acelera o veículo, qualidade do combustível, condições geográficas e temperatura ambiente.

      • Usou ar condicionado? Automático de 4 marchas ou 6? A sua medição está vaga, assim como a do dono do relato. O ar no HB20 puxa e muito do motor, igualmente o câmbio AT4.

        No geral, concordo com você. Varia muito de lugar para lugar.

          • Agora que você detalhou, deixa de ser vaga. Mas meu amigo, desculpe-me mais uma vez. Eu só acredito nesse seu consumo com AT4 e ar ligado quando você fizer um vídeo de no mínimo 3 minutos na estrada com o visor do consumo médio à mostra.

            Não é nada pessoal, eu tenho um 1.6 há mais de 2 anos e meio e sei como o carro se comporta e o seu consumo. Mas independente do que você me falar, eu não confio nesse seu consumo.

            Seu consumo está melhor, na maioria das vezes, que em um carro turbo de baixa cilindrada – Golf 1.4 e Up TSI.

            Abraço

            • De fato nunca fiz um vídeo, tenho só fotos. No visor de consumo médio, ele sempre fica em 14,1 km/ á 14,5 km/l comigo dirigindo (média entre 100 km/h e 110 km/h). Surpreso fiquei com o visor quando dirigido pela minha mãe (ela mora no exterior e quando vem pra cá fica com o carro): 15,6 km/l. Tens utilizado a Gasolina Grid Aditivada ou V-Power Nitro, ou apenas a comum? Com a comum, meu rendimento era na casa dos 13,2 km/l na rodovia, algo semelhante com a Original Aditivada Ipiranga. Só com a Shell e com a Grid de postos confiáveis (abasteço há meses em apenas três postos de confiança) é que o consumo chegou a estes valores. E com a Podium, sempre acima de 15 km/l.

              Minhas médias na ponta do lápis são melhores que as do computador de bordo, pouco otimista na Hyundai e na Renault.

              E sim, informei a velocidade de rodagem: 100 km/h, no primeiro post.

    • Amigo, tenho um igualzinho e realmente é impressionante como é economico.
      Andando a 120kmh/130kmh com ar ligado eu faço 15kml na estrada, na cidade faço 11,5kml com ar direto.

  • Antes de criticar eu queria agradecer o Gilberto Belin por ter cedido seu tempo para escrever o relato.
    São as reportagens que mais gosto de ler no N.A e as impressões que mais levo em consideração sobre o avaliado e sobre como pensa o avaliador.
    No mais, acho que temos gostos diferentes sobre o que é ou não bom acabamento! kkkk

  • “O interior é bonito, como disse, mas a qualidade dos materiais usados me faz sentir saudades do Gol. As costuras dos bancos desfiam com facilidade, os plásticos ganham riscos com pouco esforço, e qualquer mancha no estofado é fácil de surgir e quase impossível de sair.”

    Então quer dizer que os plásticos usados nesse Gol são de ótima qualidade, e fui enganado o tempo todo?

  • Sobre o relato, simplista demais, faltou dizer que carros pesquisou, o pq de querer um carro sedan e tal… sobra no carro, com certeza esse é o hb20 ” menos pior”. Realmente, esse motor é muito bom, sobre no carro, é até perigoso esse motor com esses pneus de bicicleta. Os hb20 são até bons, o que matam são os preços e as concessionárias. Eles acham que tão vendendo o melhor carro so mundo, a concessionária do meu estado é uma b*sta, se acham demais. Nunca compraria um hb20 mais pela concessionária do quê pelo preço.

  • Trocou um carro com 3 anos de uso. Uau. Brasileiro não nega o nome mesmo.

    Também gosto do HB20, entrou forte no mercado com bons atributos. Com o câmbio de 6 marchas agora ficou ainda melhor.

    • Se o cara tem condições de trocar de carro, que mal há nisso? O cara andava de gol, pode ter tido uma promoção no emprego, sei lá, ganho na mega sena, e quis trocar de carro, que problema há? Quero ver quem diz que vai passar 5 anos com o mermo carro, se passa mesmo, tendo condições de trocar, só sendo hipócrita … todo mundo quer um carro novo, uma tv nova, um celular, uma roupa… carro vai ficando velho, vai dando despesa, tem gente que preferi se livrar.

    • Se o cara tem condições de trocar de carro, que mal tem? Ponha as mãos pro céu, pq tem carro com pouco tempo de uso na praça para a gente comprar baratinho.

      • hahahah pois é…. Devia ter trocado mais cedo ainda!! rsrsrs
        Lá no trabalho o que tem de colega trocando de carro com 2 anos “porque é melhor financeiramente”….

    • Na Espanha existe programa de troca a cada 24 meses, estimulando ter uma frota jovem e menos poluente. Nos EUA, a troca de carro ocorre em média a cada 18 meses. Finalmente estamos nos equivalendo com o mundo. Tem que trocar sim, se puder e não apertar o orçamento, até porquê a depreciação é cavalar após 30 meses.

      • Existem ações isoladas, eu fui lá na Espanha e vi MUITO carro com mais de 10 anos rodando. Vários taxis (mercedes-benz) com mais de 15 anos em perfeito funcionamento.

        Nos EUA eu só passei por Miami, aí é muito carrão novo.

        Olha a tabela FIPE e veja que a maior desvalorização é a inicial, depois de 3 anos começa a cair mais devagar. Mas continue com esse pensamento, pois só tem mercado de seminovos se tiver alguém querendo vender esses carros.

        • O programa de troca não é uma ação isolada, mas sim de carácter nacional e vigora faz mais de dois anos. O objetivo é justamente rejuvenescer a frota, que conta ainda com muitos carros antigos, e tem dado certo, tanto que os semi-novos muitas vezes estão a preços de carros zero adquiridos neste programa.

  • Bom relato, simples e objetivo.
    Pelas fotos percebi que o seu HB20S é o Confort Plus e na versão Confort Style (intermediária) ele já possui alças de segurança no teto, além de faróis de neblina, espelhos no quebra-sol de motorista e passageiro, rodas de liga leve aro 14 e não somente na versão topo de linha (Premium) como o vendedor te falou. Esta última por sua vez, possui rodas de liga aro 15, abertura/fechamento dos vidros pela chave, bancos de couro, alarme volumétrico e perimétrico entre outros.
    Uma ótima opção de custo X benefício foi a versão limitada HB20S Impress que reunia alguns itens da versão Premium com preço parecido com o da versão Confort Style.

  • Eu andei em um HB20 hatch AT de um primo, e realmente o carro é um silencio. A única coisa que estranhei foram os vidros pequenos, para quem anda de Uno dá uma diferença hahaha.

  • Parabéns pela compra; minha mãe está com um hatch 1.6 at, já do modelo novo, e muito satisfeita com a compra, faz os mesmos elogios que você.
    Realmente, quando entrei pela primeira vez no dela, até gostei da padronagem, mas não do material dos bancos; creio que a HMB poderia melhorar esse aspecto.
    Agora, esse bichinho anda muito, dá gosto acelerar!
    Abraço.

  • A opinião dele lembra a que tive sobre o meu picanto, algumas coisas são muito frágeis. O banco do meu Picanto desfiou e manchou, pus couro. O volante de couro (de fábrica) tbm descascou. NA pintura não percebi nada, na época que tinha ele, mas eu sempre fui pouco atencioso com isso tbm. Deve ser bom carro o HB20, mas só por essa babação que as pessoas tem nele, talvez deixasse de ser minha opção.

  • Esse hb20 eh de um gosto bem duvidoso, o painel eh muito feio, os bancos sao bem desconfortaveis… Por fora eh um carro com design cansativo… Talvez a imprrssao de sair de um gol e ir pra um hb20 possa ser uma das melhores mesmo, mas achei bem exagerado o relato em varias partes…

  • Belo vídeo. Mas uma coisa que a gente discutiu e acabamos esquecendo. O trajeto conta muito. Pelo menos no meu, de 189 km, eu pego muita subida e descida. Não é um terreno plano. Nesse seu vídeo tem poucas subidas e descidas correto? Nunca cheguei a fazer um tanque inteiro estrada, infelizmente. Você já fez?

    No mais, a rotação em 100 km/h é um pouco menor do que no manual.

    • Obrigado pelo elogio. O vídeo foi feito em uma estrada normal, algumas subidas e descidas, e alguns viadutos que passam nas entradas das cidades, nada perto de uma serra, mas uma condição de via normal (trecho Porto Alegre X Pelotas, parcialmente duplicado, vias em boas condições só na área concedida ao pedágio).

      Sim, já fiz com tanque inteiro na estrada, em uma longa viagem, e calculo as médias de desde a aquisição, devido ao planilhamento dos custos de viagem.

      Um grande abraço!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email