Governamental/Legal Matérias NA

Como preencher o recibo do carro?

Como preencher o recibo do carro?

Você comprou o carro e usou durante certo tempo. Nesse período, o veículo cumpriu ou não o prometido, mas agora é hora de vender. Anunciar o automóvel é fácil, mas no momento em que o interessado aparece e fecha negócio, há um documento que é fundamental em toda essa negociação, o CRV (Certificado de Registro de Veículo), o popular recibo. Mas, como preencher o recibo do carro?


Antes de falarmos como preencher esse importantíssimo documento, temos que falar sobre o que é o CRV e qual sua função no processo de transferência de veículo, visto que sem esse recibo preenchido corretamente, o negócio pode ir por água abaixo ou gerar enormes problemas administrativos e até judiciais para os envolvidos.

Como preencher o recibo do carro?

CRV

O CRV é o Certificado de Registro de Veículo, que mostra aos órgãos competentes que o veículo está devidamente registrado no país e num dos estados da federação e com ele o proprietário. Expedido apenas pelo Detran, que é o departamento estadual de trânsito, o recibo do carro é importante pois indica quem é o proprietário do veículo, seja pessoa física ou pessoa jurídica.


VEJA TAMBÉM:

No CRV, que é impresso em uma cédula com marca d´água com o brasão da república e outros elementos para evitar fraudes, vem especificadas diversas informações sobre o veículo, entre elas o importante número do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) que é o “RG” do veículo para a vida toda.

Também possui informações sobre o proprietário (novo comprador, se for o caso de transferência), incluindo aí o endereço do mesmo com CEP. Número do CPF ou CNPJ, nome do proprietário anterior, placa com unidade da federação, número do chassi do veículo, espécie/tipo (Passageiro/Automóvel, por exemplo), combustível, marca/modelo, ano de fabricação, ano do modelo, número de lugares/potência/cilindrada, categoria e cor predominante.

O CRV ainda vem com espaço para observações, tais como veículo alienado (financiado) ou com cor ou motor diferentes, devidamente identificados e registrados. Por fim, cidade e data do documento.

Como preencher o recibo do carro?

 

Preenchendo o recibo do carro

Nesta cédula do CRV, no verso, está a parte mais importante do documento, que é válido apenas para fins de transferência de propriedade do veículo. É o ATPV. Mas o que é isso? Trata-se literalmente da Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo. Esse recibo é uma autorização expressa do proprietário do carro ao Detran para que o veículo passe para um terceiro.

Preenche-lo corretamente é fundamental para evitar dor de cabeça no futuro. Nele constam espaços para preenchimento com valor do veículo (valor do negócio fechado e não o preço de tabela), nome completo do comprador, RG do mesmo, assim como CPF ou CNPJ, endereço completo (incluindo o CEP), local da negociação e a data do mesmo.

Logo abaixo, há um espaço para o proprietário assinar como igual na carteira de habilitação. Para tudo isso, é necessário evitar qualquer rasura e sempre colocar o CEP do comprador. Mas, mais do que isso, é fundamental que o proprietário não apenas assine, mas também coloque o local e a data (especialmente está!) para evitar muitos problemas, até graves.

O motivo é que comprador terá, a partir da data colocada no recibo, 30 dias corridos para transferir o veículo para seu próprio nome. Caso isso não ocorra, ele estará incorrendo na infração de trânsito do Artigo 233 do CTB. Nesse caso, aplicação multa de R$ 130,16 e cinco pontos na CNH, já que é considerada grave.

Mas, antes que isso aconteça, é obrigação do vendedor (antigo proprietário) comunicar a transferência do veículo para o Detran num prazo de 30 dias, sob pena de arcar com as consequências jurídicas e administrativas através de penalidades impostas e suas reincidências até que chegue ao órgão federal sua comunicação.

Nesse caso, é importante fazer a transferência num cartório autorizado para o mesmo, visto que agora estes devem comunicar a passagem de propriedade do carro para o Detran e este o comunica à Secretaria de Fazenda estadual, visto que eventuais pendências jurídicas estarão atreladas ao novo comprador a partir da comunicação.

No recibo do carro, o comprador também precisa assinar e ambos têm de reconhecer firma no cartório, através de autenticidade da assinatura dos mesmos. Nesse caso, mesmo que o vendedor ou o comprador não estejam em sua cidade de domicílio, qualquer cartório faz a abertura de firma (reconhecimento).

Além do documento dos dois envolvidos, é necessário o comprovante de residência do comprador. Feito tudo dessa forma, não haverá problemas para as duas partes envolvidas na transferência, evitando assim fraudes, como a chamada “dupla transferência”, por exemplo. Em caso de algum erro no preenchimento, pode-se solicitar a alteração junto ao Detran. Em caso de perda, pode-se pedir uma segunda via.

 

 

 

Como preencher o recibo do carro?
Nota média 5 de 3 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Maycon Farias

    Pode até parecer simples, mas por 5 vezes sempre tive dúvidas para fazer. Achei ótima a matéria.

    • José Barbosa

      O problema que qualquer coisa na administração pública depende de um (extenso) checklist. O processo de transferir um carro poderia, e DEVERIA, ser bem mais simples.

  • Ricardo

    Deveria ter um campo para quilometragem, aliás, todo ano a quilometragem deverea ser declarada ao Detran, isso evitaria em muito a adulteração de odômetros.

    • catucadão

      não existe isso

      • Ricardo

        O que não existe?

    • José Barbosa

      Isto é relativo. Aqui em Goiás toda transferência é precedida de laudo de vistoria, que registra e fotografa o odômetro. O problema é não termos acesso a este histórico do veículo.

      • Ricardo

        Não tem acesso porque o Detran não faz questão, é de se desconfiar que participa das máfias!

  • catucadão

    fácil fazer

    • Rudi S Junior

      Até poderia ser feito se existisse uma inspeção veicular todo o ano, pois se for para o próprio dono declarar não seria uma informação confiável.

      • catucadão

        inspeção veicular é bestera cara

  • Guedes

    Aqui no RJ o Detran implica com mínimas micro ” rasuras”. Já caí em exigência por conta uma letra sobreposta.

  • kravmaga

    É uma burocracia estúpida ! Seria muito mais fácil obrigar o comprador e o vendedor comparecerem no Detran e fazer a transferência diretamente ali, assinando algum documento, pagando todas as multas e IPVA atrasados (ou apresentando o recibo do banco referente ao pagamento) e fazendo a transferência de titularidade no sistema na hora.

    • Acho que uma das piores coisas do Brasil é o cartório, firma reconhecida de assinatura e cópia autenticada de documentos deveria ser solicitado em casos extremos e não de forma corriqueira.

      • zekinha71

        Cartório é herança de Dom Pedro e ninguém pensa em acabar com isso, vc tem que ir em um cartório pra provar que vc é vc mesmo.

        • José Barbosa

          Em geral, um titular de cartório tira entre 100 a 500 mil mensais, sem dor de cabeça.
          Acha que vão acabar fácil com isto?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email