Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho

Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho
Volkswagen Gol Bola / G2

O Gol Bola é a segunda geração do Volkswagen Gol, o modelo que segue como um dos automóveis mais queridos dos consumidores no nosso País.

O hatch popular foi apresentado no mercado nacional no ano de 1980 e atualmente está em sua terceira geração (embora há quem considere oito gerações pelas reestilizações), incluindo o Gol Bola.


Uma das gerações de maior destaque da gama do Volkswagen é justamente a apelidada como “Gol Bola”, que na verdade é a segunda geração da linha. O modelo surgiu no ano de 1994 e recebeu este apelido devido ao visual marcado pelas formas arredondadas – o Gol G1, ou Gol quadrado, era mais “quadradão”, com formas inspiradas no alemão Scirocco.

De acordo com a Volkswagen, o novo Gol Bola foi “desenvolvido a partir de pesquisas visando atender às sugestões de aperfeiçoamento dadas pelos clientes: mais espaço interno, porta-malas maior, mais segurança e menor nível de ruído”.

O desenvolvimento do novo Volkswagen Gol consumiu um investimento de nada mais, nada menos que US$ 400 milhões. Este aporte financeiro foi aplicado no desenvolvimento do próprio carro, além da modernização da linha de produção da planta de Taubaté (SP).

A segunda geração do Volkswagen Gol foi anunciada como modelo 1995 da linha Gol e substituiu a primeira geração somente anos depois. Isso porque o primeiro modelo seguiu sendo produzido até 1996 como o VW Gol mais barato da gama, junto com o VW Gol Bola, neste caso somente em versões com motor 1.0 litro carburado a gasolina.

Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho

A primeira leva do Gol Bola foi ofertada no mercado brasileiro nas versões de acabamento 1000i, 1000i Plus, CL, GL, Furgão e GTi, com motores 1.0 litro, 1.6 litro, 1.8 litro e 2.0 litros. Até meados de 1998, todas essas configurações foram ofertadas somente na carroceria duas portas – o modelo quatro portas chegou oito anos depois e durou somente um ano, já que o Gol G3 foi lançado em 1999, depois sendo acompanhado do Gol G4 e Gol G5.

E como você já deve saber, nem só de hatch vive (ou vivia) a gama do Volkswagen Gol. A picape Saveiro se manteve em sua primeira geração até o ano de 1996, mesmo ano da segunda geração da perua Parati. Já em 1997, a marca alemã anunciou a chegada da segunda geração da picape.

Confira abaixo os principais detalhes da trajetória do Volkswagen Gol Bola (ou Gol G2) no mercado nacional:

Gol Bola – detalhes

O Gol Bola foi praticamente uma resposta ao novo Chevrolet Corsa Wind, lançado também em 1994 e considerado um dos fenômenos de venda na época. Assim como o rival, o VW Gol abriu mão das formas quadradas e adotou uma carroceria com visual marcado pelas linhas arredondadas. E o resultado ficou interessante.

Do lado de fora, o novo VW Gol Bola aparentava ser um automóvel inteiramente novo. E ele até que ostentava formas estéticas relativamente modernas para a época, com um design mais cativante.

O interior também teve melhorias, com um painel também mais atual e novos recursos.

Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho

Porém, o modelo era construído a partir da mesma plataforma da antiga geração do Volkswagen Gol, que naquela época somava 14 anos de mercado. Além da base, o Gol Bola compartilhava com o Gol Quadrado uma série de outros itens, como motores, conjunto de suspensão e conjunto de freio.

Fora o visual mais moderno, o novo Gol Bola passou a contar também com um interior totalmente renovado. Ele contava com um painel mais envolvente ao estilo cockpit, com painel de instrumentos completo (com conta-giros na versão mais básica). Além disso, as portas tinham uma ampla área revestida em tecido.

Atendendo a pedidos de proprietários dos antigos Gols, a VW ampliou o espaço interno do Gol G2, como resultado dos 11 cm extras na distância entre-eixos. Fora isso, o porta-malas recebeu um grande salto em sua capacidade, passando de 146 para 269 litros devido ao uso do estepe horizontal embutido no assoalho.

Porém, apesar de todas as evoluções, o VW Gol Bola não escondia as origens. Entre os defeitos, o carro tinha o volante ligeiramente deslocado para a direita, além dos pedais descolados para a esquerda. Além disso, o motor ainda era longitudinal.

Um dos destaques era o Gol GTI 16v, que é considerado até hoje um dos melhores esportivos nacionais da Volkswagen. Ele oferecia um motor 2.0 alemão de 141 cv, acoplado a um câmbio manual com embreagem hidráulica.

O Gol Bola na versão GTI 16v oferecia ainda uma série de itens interessantes, como rodas de liga-leve de 15 polegadas, sistema de som com CD player e subwoofer, bancos revestidos em couro bicolor, vidros, travas e retrovisores elétricos, ar-condicionado, entre outros.

Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho

Gol Bola – novidades

Série especial Rolling Stones inspirada na banda

Uma das primeiras novidades do Gol Bola foi a estreia da série especial Rolling Stones, fazendo alusão à primeira turnê brasileira do grupo em 1995. O modelo especial teve 12 mil exemplares comercializados.

Como principal diferencial, o Gol Rolling Stones trazia uma fita cassete do álbum mais recente gravado pela banda britânica.

Chegada do Gol GTi com até 141 cv

O aclamado Gol GTi fez a sua estreia em nosso mercado no ano de 1996. Ele foi comercializado em duas configurações diferentes. A primeira era dotada de um motor 2.0 litros de quatro cilindros a gasolina, com oito válvulas.

Esta unidade entregava 109 cv, a 5.250 rpm, e 17 kgf.m, a 3.000 rpm, e trabalhava juntamente com uma transmissão manual de cinco marchas.

Porém, a segunda variante de esportivo do VW Gol Bola era a mais interessante da gama. Trata-se do GTi 16V, que como o próprio nome indica era equipada com um motor de 16 válvulas. Este propulsor era importado da Alemanha e tinha uma arquitetura semelhante a do AP2000, mas com direito a um bloco mais alto, bielas mais longas e cabeçote com fluxo cruzado.

Tal unidade do Volkswagen Gol GTi 16V era capaz de despejar 141 cavalos de potência, a 6.250 rpm, e torque de 17,8 kgfm, a 4.500 rpm. Esta potência e força eram enviadas para as rodas dianteira com intermédio da transmissão manual de cinco marchas com embreagem hidráulica, a mesma usada pelo “primo rico” Audi A4.

O Gol GTi oferecia ainda freios a disco nas quatro rodas (ventilados na dianteira e sólidos na traseira) com opção de sistema ABS (antitravamento), rodas de liga-leve de 15 polegadas com pneus 195/50, suspensão com acerto mais firme e com altura mais baixa, barra estabilizadora traseira, entre outros.

Havia ainda diferenciais no visual, como rodas exclusivas, saias laterais, capô com um ressalto na parte central, nome da versão estampado na dianteira, bancos exclusivos e outras decorações no visual.

A versão GTi do Gol Bola foi comercializada até o ano 2000.

Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho

Novo modelo Gol TSi

No mesmo ano de lançamento do esportivo GTi, a Volkswagen resolveu apresentar uma nova configuração para a gama do Gol Bola para substituir os antigos modelos Gol GTS. Batizado de Gol TSi, o modelo fez a sua estreia na rede de concessionárias no fim de 1996.

Entre os diferenciais, ele contava com acabamento mais esmerado no interior, rodas de liga-leve com desenho esportivo, aerofólio integrado na parte superior da tampa traseira, entre outros. O Gol TSi 1996 contava com um motor 1.8 de 90,6 cv e 14,3 kgfm, atrelado a uma transmissão manual de cinco velocidades.

No entanto, o Gol TSi não obteve muito sucesso por apresentar somente mudanças visuais – o propulsor 1.8 era o mesmo usado no restante da gama. Por conta disso, a marca tentou substituir o motor 1.8 por um 2.0 AP de 109 cv e 17 kgfm em 1997.

Todavia, ele durou somente dois anos na linha do VW Gol Bola e foi descontinuado.

Série em homenagem às Olimpíadas de Atlanta

Para homenagear os Jogos Olímpicos de Atlanta, nos Estados Unidos, que aconteceu no ano de 1996, a Volkswagen anunciou naquele ano a estreia do novo modelo especial Volkswagen Gol Atlanta.

Esta série especial foi ofertada também para a perua Parati.

Baseado no CLi 1.6, o novo Gol Atlanta se diferenciava pelo volante de três raios, direção hidráulica, ar condicionado, limpador do vidro traseiro, preparação para som com alto-falantes, logotipo “Atlanta” nas laterais e na tampa do porta-malas, vidros e travas elétricas, motor 1.6 ou 1.8, bancos com revestimento exclusivo, alarme, entre outros.

Motores com injeção eletrônica multiponto

Já no ano de 1997, a principal novidade da linha do Volkswagen Gol Bola foi o sistema de injeção eletrônica multiponto de combustível para os motores de toda a linha. Até então, as configurações do carro eram dotadas de um motor com injeção eletrônica monoponto.

Com este novo recurso, o Gol 1.0 passou a desenvolver 54 cavalos de potência, o Gol 1.6 passou para 88 cavalos e o Gol 1.8 para 99 cavalos.

Fora isso, a Volkswagen promoveu alterações nas nomenclaturas das variantes. O Gol Bola na versão CLi passou a se chamar Gol GL 1.6 Mi. Já o Gol 1.0, por exemplo, passou para Gol 1.0 Mi.

Houve ainda a adoção de novos itens, como painel de instrumentos com iluminação verde, novas roldanas e aletas dos difusores de ar, tanque de combustível em plástico, barra de proteção lateral nas portas e plano de manutenção a cada 15 mil quilômetros.

Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho

Estreia do Gol quatro portas

A última grande novidade da gama do Gol Bola foi a chegada da tão esperada carroceria com quatro portas. Esta nova configuração de carroceria foi disponibilizada também para a Volkswagen Parati. Ambos chegaram ao mercado em 1998.

Houve ainda a chegada do novo motor 1.0 16V com motor de 68 cv (10 cv a mais que o 1.0 Mi). Porém, tal propulsor pecava pelo consumo de combustível elevado e o alto custo de manutenção.

Fim de linha

A segunda geração do Volkswagen Gol foi comercializada no mercado nacional até o ano de 1999. Ele saiu de cena para a chegada do Gol G3 (ou Gol Geração III), que na verdade era uma versão reestilizada do antigo VW Gol Bola.

Naquele ano, a marca alemã comemorou as três milhões de unidades produzidas do hatch popular.

Gol Bola – versões

  • Volkswagen Gol 1.0
  • Volkswagen Gol 1.0 16V
  • Volkswagen Gol Atlanta 1.8
  • Volkswagen Gol CL 1.6
  • Volkswagen Gol City 1.0
  • Volkswagen Gol Fun 1.0 16V
  • Volkswagen Gol GL 1.6
  • Gol GTi 2.0 16V
  • Volkswagen Gol Plus 1.0
  • Volkswagen Gol Plus 1.0 16V
  • Volkswagen Gol Rolling Stones 1.6
  • Volkswagen Gol Special 1.0
  • Volkswagen Gol Sport 1.0 16V
  • Volkswagen Gol Star 1.6
  • Volkswagen Gol TSI 1.8

Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho

Gol Bola – preços

  • Volkswagen Gol 1000/1.0 Mi: de R$ 6.817 (1995) a R$ 8.658 (1999)
  • Volkswagen Gol 1.6/1.6 Mi: de R$ 7.741 (1996) a R$ 10.374 (1999)
  • Volkswagen Gol CL/CLi 1.8: de R$ 8.012 (1995) a R$ 9.158 (1996)
  • Volkswagen Furgão 1.6/1.6i/1.6 Mi: de R$ 7.041 (1995) a R$ 8.504 (1998)
  • Volkswagen Gol GL/GLi/Atlanta 1.8: de R$ 8.541 (1995) a R$ 9.652 (1996)
  • Volkswagen Gol GLS 2.0: de R$ 12.691 (1998) a R$ 14.734 (1999)
  • GTi 2.0: de R$ 13.259 (1995) a R$ 14.112 (1997)
  • GTi 2.0 16V: de R$ 13.754 (1996) a R$ 16.789 (1999)
  • Volkswagen Gol TSi 1.8: de R$ 9.241 (1996) a R$ 9.655 (1997)
  • Volkswagen Gol TSi 2.0: de R$ 10.627 (1997) a R$ 13.270 (1999)

(preços com base na Tabela Fipe em agosto de 2018)

Gol Bola – motor, câmbio e desempenho

A linha Volkswagen Gol Bola teve uma vasta gama de versões. Os primeiros modelos eram equipados com um motor 1.0 litro 8V de quatro cilindros a gasolina, com injeção multiponto, que entregava 49,8 cv a 5.800 rpm e 7,3 kgfm 3.500 rpm. Com este propulsor, ele atingia os 100 km/h em 22,4 s e máxima de 145 km/h.

Houve ainda o 1.6 8V com até 76 cv e 12,3 kgfm a 3.500 rpm. O Gol 1.6 ia de 0 a 100 km/h em 14,4 segundos e alcançava máxima de 161 km/h.

Já o VW Gol Bola 1.8 8V entregava 90,6 cv em 5.500 rpm e 14,3 kg a 3.500 rpm. Ele tinha números de desempenho de 11,5 s e 179 km/h, respectivamente.

Porém, anos depois esses três propulsores abandonaram a injeção eletrônica monoponto para adotar injeção multiponto. Essas alterações renderam aumento de potência e torque.

Com isso, o Gol 1.0 8V Mi passou gerar 62,5 cv a 5.400 rpm e 9,1 kgf.m em 3.800 rpm (18 s e 147 km/h), o Gol 1.6 8V Mi passou para 98 cv a 5.500 rpm e 15 kgfm a 3.000 rpm (11,5 s e 177 km/h) e o Gol 1.8 8V Mi para 98 cv e 15 kgfm (10,5 s a 182 km/h).

A linha inclui também o Gol Bola GTi, modelo esportivo que foi ofertado com dois motores. O primeiro era um 2.0 8V de quatro cilindros a gasolina, já com injeção multiponto. Ele entregava 109 cv, a 5.250 rpm, e 17 kg, a 3.000 rpm, e conseguia ir de 0 a 100 km/h em 11,2 s e acelerava a até 185 km/h.

O segundo, por sua vez, era equipado com um 2.0 16V de até 141 cv, a 6.250 rpm, e 17,8 kgfm, a 4.500 rpm.  O GTi 16V acelerava de 0 a 100 km/h em 8,8 segundos e atingia máxima de 203 km/h.

Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho

Gol Bola – consumo

Volkswagen Gol 1.0

  • 13,4 km/l na cidade e 15,9 km/l na estrada

Volkswagen Gol 1.0 Mi

  • 13,5 km/l na cidade e 16,5 km/l na estrada

Volkswagen Gol 1.0 16V

  • 10,8 km/l na cidade e 15,4 km/l na estrada

Volkswagen Gol 1.6

  • 11,6 km/l na cidade e 17,1 km/l na estrada

Volkswagen Gol 1.6 Mi

  • 11 km/l na cidade e 13 km/l na estrada

Volkswagen Gol 1.8 Mi

  • 10,5 km/l na cidade e 13 km/l na estrada

Gol GTi 2.0 8V

  • 9,2 km/l na cidade e 12,9 km/l na estrada

Gol GTi 2.0 16V

  • 8,3 km/l na cidade e 12,3 km/l na estrada

Gol Bola – manutenção e revisões

Por se tratar de um automóvel lançado há bastante tempo, proveniente de uma marca popular e também por compartilhar componentes com diversos outros modelos da família VW Gol, o Gol Bola tem manutenção descomplicada.

O Gol Bola é aquele tipo de carro que qualquer mecânico consegue efetuar um reparo. Além disso, as peças do Volkswagen são relativamente baratas e podem ser encontradas nas mais diversas lojas do segmento.

Gol Bola: história, modelos, motores, consumo, desempenho

Gol Bola – ficha técnica

Motor

1.0, 1.6 e 1.8

Tipo

Dianteiro, longitudinal e monocombustível (gasolina)

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm³

999, 1.596 e 1.781

Válvulas

8

Taxa de compressão

10,5:1, 10:1 e 10:1

Injeção eletrônica de combustível

Monoponto

Potência Máxima

49,8 cv a 5.800 rpm, 76 cv e 90,6 cv

Torque Máximo

7,3 kg a 3.500 rpm, 12,3 kg a 3.500 rpm e 14,3 kg

Transmissão

Tipo

Manual de cinco marchas

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Disco sólido (dianteira) e tambor (traseira)

Direção

Tipo

Não assistida ou hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de aço de 13 polegadas

Pneus

155/80 R13 e 175/70 R13

Dimensões

Comprimento total (mm)

3.807

Largura (mm)

1.647

Altura (mm)

1.411

Distância entre os eixos (mm)

2.470

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

410, 400 e 405

Tanque (litros)

53, 51 e 53

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

895, 945 e 974

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,34

.

Motor

1.0 Mi, 1.6 Mi e 1.8 Mi

Tipo

Dianteiro, longitudinal e monocombustível (gasolina)

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm³

999, 1.596 e 1.781

Válvulas

8

Taxa de compressão

10,5:1, 10:1 e 10:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

62,5 cv a 5.400 rpm, 88,5 cv e 98 cv

Torque Máximo

9,1 kgf.m a 3.800 rpm, 13,2 kgfm a 3.250 rpm e 15 kgf.m a 3.000 rpm

Transmissão

Tipo

Manual de cinco marchas

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Disco sólido (dianteira) e tambor (traseira)

Direção

Tipo

Não assistida ou hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de aço de 13 polegadas

Pneus

145/80 R13, 175/70 R13 e 175/70 R13

Dimensões

Comprimento total (mm)

3.807

Largura (mm)

1.647

Altura (mm)

1.411

Distância entre os eixos (mm)

2.470

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

410, 400 e 400

Tanque (litros)

50, 51 e 51

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

932, 945 e 945

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,34

.

Motor

2.0 8V e 2.0 16V

Tipo

Dianteiro, longitudinal e monocombustível (gasolina)

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm³

1.984

Válvulas

8 e 16

Taxa de compressão

10:1 e 10,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

109 cv a 5.250 rpm e 141 cv a 6.250 rpm

Torque Máximo

17 kgfm a 3.000 rpm e 17,8 kgfm a 4.500 rpm

Transmissão

Tipo

Manual de cinco marchas

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e tambor (traseira) e disco ventilado (dianteira) e disco sólido (traseira)

Direção

Tipo

Hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de liga-leve de 14 e 15 polegadas

Pneus

185/60 R14 e 195/50 R15

Dimensões

Comprimento total (mm)

3.807

Largura (mm)

1.647

Altura (mm)

1.411

Distância entre os eixos (mm)

2.470

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

390

Tanque (litros)

53

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.010 e 1.119

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,34

Gol Bola – galeria de fotos

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.