História Honda Motos

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor
Honda CB 300

Honda CB 300. Em meados do ano de 2009, os fãs de motos nakeds de entrada (ou streets topo de linha, como preferir) passaram a contar com uma nova opção no mercado.

A Honda tirou de linha a saudosa CBX 250 Twister e passou a vender a inédita Honda CB 300, como um modelo mais moderno, de visual mais arrojado e com motor mais potente.


A nova Honda CB 300 (também conhecida como CB 300R) tinha como missão substituir a antiga Twister e repetir o sucesso de sua antecessora, que fechou o ano de 2008 como a sétima motocicleta mais vendida no mercado brasileiro.

De 2001 até o fim de 2008, a Honda CBX 250 Twister emplacou quase meio milhão de unidades.

Segundo o divulgado da Honda na época, a intenção foi oferecer uma motocicleta mais em conta para atender os desejos dos fãs da CB 600 Hornet, um modelo maior e bem mais caro.


Tanto é que o visual da nova CB 300 Foi assumidamente inspirado na naked mais potente.

O lançamento da Honda CB 300 no mercado brasileiro aconteceu em junho de 2009, juntamente com a trail Honda XRE 300, que chegou por aqui para substituir a Tornado e a Falcon.

A XRE 300 segue em linha até hoje, enquanto a CB 300 foi substituída pela CB Twister 250 em outubro de 2015 (ou seja, ela durou pouco mais de seis anos).

Confira abaixo os principais detalhes da CB 300 comercializada no Brasil:

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

Honda CB 300 – história

No fim de 2008, a Honda deixou de atuar no segmento de nakeds de entrada, deixando espaço livre para a também famosa Yamaha Fazer 250.

Porém, não demorou muito para que a marca das “asas da liberdade” voltasse a ter uma representante no segmento. Ela lançou a CB 300, uma moto com motor de maior capacidade cúbica e injeção eletrônica de combustível – a Twister tinha propulsor carburado.

Não dá para negar que, pelo menos visualmente falando, a Honda CB 300 apresentou um belo salto frente a antiga CBX 250 Twister.

Por ser inspirada na Hornet, a naked de entrada da marca japonesa adotou formas bem mais modernas e robustas, dando a impressão de ser uma motocicleta maior que a capacidade do motor.

Algumas soluções interessantes foram usadas pela Honda para dar essa impressão, como o tanque de combustível com 18 litros de capacidade (contra a peça de 16,5 litros da Twister), com formato mais envolvente para os joelhos do piloto, e dois defletores de ar pretos logo abaixo do tanque, que ajudam no apelo estético e também contribui para a refrigeração do motor.

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

As rodas também ficaram maiores, de 17 polegadas na frente e atrás, mas com pneu 110/70 na frente e 140/70 atrás, contra o jogo de 110/80 e 130/70, respectivamente, da antecessora.

Na motorização, a CB 300 manteve o mesmo propulsor da antiga Twister, mas redimensionado para entregar mais potência, receber injeção eletrônica e atender à terceira fase do Promot 3.

Ele passou a ter 291,6 cm³ de capacidade, graças ao aumento no diâmetro e no curso do pistão, de 79 x 59,5 mm.

Para receber a injeção eletrônica PGM-FI, o motor adotou novos dutos de admissão e exaustão e um novo conjunto de válvulas.

Passou a gerar 26,5 cv de potência, a 7.500 rpm, e 2,81 kgfm de torque, a 6.000 rpm. Na Twister, era 24 cv a 8.000 rpm e 2,48 kgfm.

O câmbio de seis marchas da Twister deu lugar a um de cinco marchas, que segundo a Honda melhorou o aproveitamento de força do motor.

A primeira leva da Honda CB 300R chegou nas cores prata, preta, vermelha e dourada, com preço público sugerido de R$ 11.490.

Ou seja, mais cara que a Yamaha YS250 Fazer, que na época tinha preço sugerido de R$ 10.480.

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

Ainda em 2009, a Honda CB 300 e também a XRE 300 ganharam suas primeiras mudanças.

Elas passaram a dispor da opção de freios Combined ABS (C-ABS), que une os sistemas ABS (antitravamento) e CBS (freios combinados), evitando o travamento das rodas e ainda distribuindo a força de frenagem entre as duas rodas.

Além disso, somente a CB 300 C-ABS contava com freio a disco na traseira, ao passo que o modelo standard entregava freio traseiro a tambor.

A CB 300 C-ABS foi ofertada a partir de outubro de 2009 com preço de R$ 13.990.

Já em setembro de 2010, a Honda CB 300 ganhou novas cores. A novidade foi a introdução da cor azul metálica, que substituiu a prata metálica.

Além disso, ela ganhou espelhos retrovisores redesenhados em preto fosco, ao invés das peças cromadas da anterior. O preço foi mantido em R$ 11.490 para o modelo standard.

Para a linha 2012, a Honda CB 300R estreou em outubro de 2011 uma nova edição especial limitada para celebrar os 40 anos da Honda no Brasil.

Com produção limitada a 3 mil unidades, o modelo tinha preço de R$ 11.690 e entregava pintura branca com grafismos em preto e vermelho.

Nesta mesma linha, a CB 300 adotou o freio a disco traseiro como item de série também para a versão standard. O modelo chegou originalmente com freio traseiro a tambor.

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

Foi em novembro de 2012, porém, que a CB 300 recebeu suas maiores mudanças. Com chegada às concessionárias marcada para janeiro de 2013, a naked adotou pequenos retoques visuais e o motor 300 cc passou a ser combustível.

Na parte estética, a CB 300 passou a contar com novos defletores laterais no tanque de combustível com pintura na cor da moto.

Ela adotou ainda novos piscas com lentes translucidas ao invés das amareladas. O painel de instrumentos ganhou uma luz indicadora para avisar a dificuldade na partida devido a grande concentração de etanol no tanque e temperatura ambiente inferior a 15 ºC.

O motor ganhou a tecnologia flex para beber álcool, gasolina ou uma mistura dos dois. Passou a entregar 26,53 cv, a 7.500 rpm, e 2,82 kgfm, a 6.500 rpm, com gasolina, e 26,73 cv e 2,86 kgfm, com etanol.

Vale lembrar que a Honda foi a primeira marca a oferecer uma moto flex no Brasil, com o lançamento da CG 150 Titan em 2009.

Porém, a tecnologia flex em motos de 250/300 cilindradas estreou na Yamaha Fazer 250 Blueflex em 2012.

A CB 300 2013 estreou com preço de R$ 11.990 na versão standard, nas cores preta, vermelha e amarela, e R$ 13.690 na C-ABS, apenas na cor vermelha.

Em outubro de 2013, para celebrar o marco de 3 milhões de motos flex vendidas no Brasil, a Honda anunciou uma versão especial para os modelos Titan, Bros, XRE, CB 300R e Biz.

No caso da CB 300R, ela recebeu pintura na cor azul metálico e grafismos em cinza claro. O preço da motocicleta especial era de R$ 12.140.

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

Pulando para 2014, a primeira novidade foi a nova edição especial CB 300R Repsol.

A motocicleta ganhou uma versão exclusiva inspirada na equipe oficial da Honda no MotoGP, com direito a pintura branca e grafismos laranja e vermelho da equipe. O preço era de R$ 12.040, o mesmo do modelo standard.

No fim do mesmo ano, a CB 300R 2015 ganhou novidades visuais. O modelo passou a contar com rodas de liga-leve pintadas na cor dourada, seguindo a linha da nova CB 650F.

Além disso, a CB 300 na cor branca ganhou grafismos inspirados no Team HRC, equipe de competições da marca, com detalhes azuis e vermelhos.

O preço da CB 300 2015 era de R$ 12.140 na standard, R$ 12.290 na standard branca e R$ 13.840 na C-ABS branca.

Em 2015, porém, a CB 300 viveu o seu último ano no mercado brasileiro.

Foi substituída no fim daquele ano, mais precisamente no Salão Duas Rodas, pela CB Twister, que é vendida atualmente por a partir de R$ 15.140.

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

Honda CB 300 – detalhes

Se você leu o tópico acima, muito provavelmente já conseguiu assimilar a real proposta da CB 300 no mercado brasileiro.

A naked chegou para ocupar o lugar da Twister, que já estava defasada e não conseguiu atender às legislações do Promot 3.

Tanto é que, apesar do visual totalmente novo e dos recursos tecnológicos inéditos (como o importante sistema de freios C-ABS), a CB 300 tinha muito em comum com sua antecessora.

O principal ponto em comum era justamente a mecânica, sendo que o motor de 300 cc nada mais era que uma versão “evoluída” do antigo 250 cc da Twister.

Além disso, a CB 300 compartilhava o conjunto de freios com a irmã mais velha. Ela contava com disco de 276 mm de diâmetro na traseira e um tambor na traseira.

O quadro é o mesmo berço semi-duplo em aço, com suspensão com garfo telescópico na frente e monoamortecedor atrás.

O curioso é que houve um retrocesso na suspensão traseira, antes com balança de alumínio e substituída por uma balança de aço na CB.

Como você poderá conferir logo a seguir, sofreu com alguns defeitos crônicos no motor, algo que afetou também a XRE 300, visto que ambas usavam o mesmo conjunto mecânico.

Tanto é que para lançar a CB Twister, a Honda usou a CB 300R como aprendizado e agora tem uma naked de entrada com motor menor, porém mais eficiente e sem grandes defeitos.

Entretanto, a CB 300 conseguiu se dar bem no mercado e se posicionou como líder da categoria em boa parte do tempo.

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

Honda CB 300 – defeitos

Se você leu a nossa matéria contando sobre a história e detalhes da XRE 300, saiba que a Honda CB 300 enfrenta os mesmos problemas da trail.

Ambas as motocicletas ganharam fama por conta das famigeradas tricas no cabeçote, além do enforcamento e até o derretimento das válvulas.

No caso da CB 300 e também da XRE 300, há uma deficiência na mistura de ar/combustível no processo de combustão na câmara do motor. Acaba entrando mais ar do que combustível.

Tudo isso como consequência da adaptação feita pela Honda para atender as leis antipoluições, por exemplo.

Por conta disso, a câmara de combustão e as válvulas são submetidas a temperaturas bastante elevadas, superiores a que um motor de uma motocicleta deste porte consegue suportar por longos períodos.

Como consequência, o motor pode apresentar trincas no cabeçote, mais precisamente entre a rosca da vela e as sedes de válvula.

Em certa época, a Honda reconheceu o problema e chegou a reparar alguns modelos em garantia.

O reparo consiste no aumento da distância da rosca da vela até as sedes, com velas de diâmetro de rosca reduzido. Porém, ainda assim, há a possibilidade de o problema aparecer posteriormente.

A única solução é remapear o motor, ajustando os tempos de ignição.

Muitas motocicletas foram submetidas a troca do cabeçote, o que custou algo em torno de R$ 2 mil para o bolso do proprietário.

Sendo assim, se você estiver em busca de uma CB 300R usada, vale a pena consultar o histórico da motocicleta e analisar se o cabeçote foi trocado.

Caso ele já tenha sido substituído, solicite uma comprovação, como a nota fiscal do serviço feito pela concessionária autorizada.

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

Honda CB 300 – preços

A CB 300 já não é mais comercializada no mercado brasileiro. Porém, confira abaixo os preços dos exemplares antigos conforme a Tabela Fipe:

  • Honda CB 300 2009: R$ 6.700
  • Honda CB 300 2010: R$ 6.970
  • Honda CB 300 2011: R$ 7.410
  • Honda CB 300 2012: R$ 7.960
  • Honda CB 300 2013: R$ 8.675
  • Honda CB 300 2014: R$ 9.645
  • Honda CB 300 2015: R$ 10.380

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor

Honda CB 300 – motor

O motor usado pela CB 300 é um monocilíndrico, DOHC (Double Over Head Camshaft), quatro tempos, arrefecido a ar, com capacidade cúbica de 291,6 cm³.

Ele é alimentado por injeção eletrônica de combustível PGM-FI, ao contrário do motor da antiga CBX 250 Twister, que contava com carburador.

Este propulsor conta com 26,53 cavalos de potência, a 7.500 rpm, e 2,81 kgfm de torque, a 6.000 rpm. Ele está atrelado a um câmbio de cinco marchas e transmissão final por corrente.

Todavia, a partir da linha 2013, a CB 300 passou a oferecer um motor flex.

A unidade recebeu adaptações para beber etanol e/ou gasolina e passou a entregar 26,53 cv na gasolina e 26,73 cv no etanol, a 7.500 rpm, e torque de 2,82 e 2,86 kgfm, respectivamente, a partir de 6.500 giros.

Honda CB 300 – ficha técnica

Motor
TipoDOHC (Double Over Head Camshaft), monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a ar
Cilindrada291,6 cc
Potência máxima26,53 cv (gasolina) e 26,76 cv (etanol) a 7.500 rpm
Torque máximo2,82 kgfm (gasolina) e 2,86 kgfm (etanol) a 6.000 rpm
TransmissãoManual de 5 marchas
Sistema de partidaElétrico
Diâmetro x curso79 mm x 59,5 mm
Relação de compressão9:1
Sistema de alimentaçãoInjeção eletrônica PGM-FI
CombustívelGasolina e/ou etanol
Sistema elétrico
IgniçãoEletrônica
Bateria12V – 6 Ah selada
Farol55/60W
Capacidades
Tanque de combustível/reserva18 litros
Óleo do motor2 litros
Dimensões
Comprimento x largura x altura2.085 x 745 x 1.040 mm
Distância entre-eixos1.402 mm
Distância mínima do solo183 mm
Altura do assento781 mm
Peso seco147 kg
Chassi
TipoTubular de berço semi-duplo em aço
Suspensão dianteira/cursoGarfo telescópico/130 mm
Suspensão traseira/cursoMonoamortecida em aço/105 mm
Freio dianteiro/diâmetroDisco simples ventilado com pinça de 2 pistões/276 mm, com ABS (opcional)
Freio traseiro/diâmetroDisco simples ventilado com pinça de 1 pistão/240 mm, com ABS (opcional)
Pneu dianteiro110/70 – R17 sem câmara
Pneu traseiro140/70 – R17 sem câmara

Honda CB 300 – fotos

Honda CB 300: história, modelos, consumo, defeitos, preço, motor
Nota média 5 de 1 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • Robson

    Excelente moto, especialmente se você quiser treinar seus dotes de mecânico e tiver uns cabeçotes extras para substituição.
    Meu irmão tem uma vermelha 2012 só a gasolina ainda que trocou o cabeçote 3 vezes (todas na concessionaria em “garantia”), mas fora isso tudo bem rss.

  • Henrique Franco

    Só de olhar o cabeçote trincou.

  • Eduardo 1981

    A pior moto que a Honda fez. Já foi tarde!

  • Robinho

    moto ruim e feia

  • Guh MDNS

    Na época do lançamento eu fiquei encantado com a azul (que durou pouco), cheguei a fechar negocio em uma zero na concessionaria.
    Mas sofri um acidente e meu carro deu perda total. Tive que desviar o dinheiro pra comprar outro carro.
    Tempos depois começaram a pipocar as noticias do cabeçote “sensivel” dela e desanimei de vez.
    Ainda sim continuo achando ela muito bonita. A nova Twister é MUITO bonita, mas de longe parece uma Titan que fez crossfit!!!

  • globonãotemjapa

    E a CG?

  • Ariosvaldo Araujo

    essa é a marea das motos😂 quase comprei uma no lançamento,mas desistí.

  • Deivid

    Tive uma do modelo 2010, logo após ter tido uma Fazer que mensalmente visitava a oficina.
    A CB300 é uma moto excelente, ainda permanece na família (passei para meu pai), basta ter os cuidados corretos:
    Óleo: Sempre o 20W50, a Honda trocou a especificação do óleo para o 10W30 num motor de concepção antiga foi um dos fatores que contribuiam para a trinca do cabeçote.
    Outro detalhe é que o manual recomenda 1,5l (quando trocado filtro), sendo que o motor possui capacidade para 2l. Sempre colocava 1.7l, motor tá com mais de 80mil km redondinho.
    Outro fator é não ficar cortando giro igual vileiro.

    • Everaldo Junior

      Mesmo fazendo tudo isso todos sabem que o problema da trinca foi uma falha no projeto! Então isso independe do seu cuidado para ocorrer. Nesse caso só retarda o acontecimento. Como o texto mesmo diz, é problema na mistura de ar/combustível, então usar óleo A ou B não mudará nada!!!!!

      • Deivid

        Essa moto que era minha (e agora de meu pai) vai completar 10 anos ano que vem.. acho que o cuidado retardou bem hein!? Até agora firme e forte!

        • Everaldo Junior

          Sim, retardou bem. Porém irá ocorrer mais cedo ou mais tarde. Depois volte aqui para contar, é algo inevitável independente da quilometragem da moto!!

    • Valdir Silva

      Marea das motos comprou casou kkk

  • Megaman X2✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    Essa moto foi uma gambiarra total. Desde o design ao seu motor… E fora o padrão Honda de conforto. Certa vez em uma CB300 de meu amigo pedi pra dar uma volta na mesma, e parecia que estava sobre um carrinho de carregar areia de tão dura e seca que era a moto…

  • Pinheiro

    Moto muito ruim, desconfortavel, beberrona, custo beneficio péssimo…

  • Ufólogo Ricardo

    HONDA já foi sinônimo de marca, pós venda hoje não existe, veja este caso honda city com menos de 30.000km TODO ENFERRUJADO, pesquise no gooogle: HONDA FERRUGENS e vai se apavorar

  • Valdir Silva

    É sei bem o pq dos comentarios maldosos aqui tambem tive o desprazer de possuir uma,motor barulhento naopassava de 130km na rodovia aff..já foi muito tarde .

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email